O procurador e a ‘pressão’

19.06.20

Ao explicar por que não topou pedir a prisão de Sara Winter, o procurador da República Frederick Lustosa, que já vinha investigando a militante bolsonarista na primeira instância antes de ela ser detida a pedido da Procuradoria-Geral da República, afirmou que não está suscetível “a qualquer tipo de pressão interna ou externa”. Indagado por Crusoé, ele não disse quem o estaria pressionando. Nos bastidores, porém, as cobranças são quase que explícitas. Lustosa já foi cobrado, por exemplo, pela Corregedoria do MPF por sua atuação no caso. Ele demorou para tomar uma atitude ante os arroubos da ativista e acabou atropelado pela própria PGR. Lustosa chegou a denunciar Sara Winter por injúria e ameaça contra Alexandre de Moraes, mas a acusação é, digamos, bastante amena. Os dois crimes não chegam a seis meses de prisão e, em caso de condenação, a pena normalmente é substituída por trabalhos comunitários. O procurador mandou para o arquivo a apuração que investigava se a militante violou a Lei de Segurança Nacional. Essa, sim, poderia virar um grande problema para a chefe dos “300”, o grupo de não mais que 30 radicais bolsonaristas que vinha acampando na Esplanada dos Ministérios em apoio ao presidente e que organizou um ato com tochas e máscaras em frente ao STF. A propósito do ato, aliás, Lustosa disse que a turma estava protegida pelo direito à “liberdade de expressão”.

Divulgação/PRDFDivulgação/PRDFA Procuradoria da República em Brasília: Corregedoria de olho no procurador

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Seis meses... uma sentença amena. Já para os condenados em três instâncias como Zé Dirceu e Nove dedos - livres....os outros 34000 bandidos, soltos pelo CoVid19 nova liminar do supremo de frango...

  2. Tenho dúvida: quando o Ministro Dias Toffoli diz que roubou processo e arranca aplausos de estudantes da USP era apologia ao crime? Não, né? Quando sai da boca do ministro do STF, é proteção da nossa constituição, né? Parece...

  3. Esse Procurador está correto. Deixe a militância e apare os excessos. O que fez o supremo contra os vermelhos que pregavam execução dos capitalistas? E contra os que invadiram e quebraram prédios públicos no DF? Judiciário unilateral não tem credibilidade. Assim como imprensa que escolhe lado. Sejam imparciais ou dêem lugar a outros.

  4. O trabalho comunitário fará um bem danado para a aloprada. Ele precisa de trabalhar, produzir alguma coisa para ver se desestressa. Como diria minha vó: cabeça vazia, oficina do capeta.

  5. Lustosa foi desmoralizado. A ordem de prisão da Sara por instância superior foi um sinal claro de que ele estava postergando propositadamente uma ação séria. Certamente, é bolsonarista.

    1. E o bandido, ladrão Mor, cínico, condenado em terceira instância, solto??? Ninguém acha nada demais??? Vocês são uma piada!!!

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO