A “carteirada” de Zélia

12.10.18

Lembra de Zélia Cardoso de Mello, a chefona do Ministério da Fazenda de Fernando Collor? No último domingo, ao chegar para votar no Consulado do Brasil em Nova York, onde mora, ela não portava um documento de identidade brasileiro e, por isso, foi barrada antes de chegar à urna. Diante do problema, valendo-se de seu rosto conhecido, a ex-ministra até tentou que mesmo assim os funcionários a autorizassem a votar, mas não houve jeito. Teve de dar meia volta.

Marlene Bergamo/FolhapressMarlene Bergamo/FolhapressZelia, a superministra de Collor: tentativa frustrada de votar sem documento

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Ridícula !!!!! Acha que está no Brasil." Jeitinho " não existe na civilização , minha senhora . Já deveria estar acostumada !!!

    1. Deixe de ser vira-latas; o Consulado é BRASILEIRO e, corretamente, aplicou a lei BRASILEIRA. Nada a ver com os EUA.

    1. O Consulado e as regras são BRASILEIROS; deixe de vira-latismo anti-patriota.

  2. Primeira regra jornalística: Um homem morder um cachorro é notícia. Segunda regra: Um cachorro morder um homem não é notícia.

  3. Não adianta mais mostrar a cara! Envelheceu definhou e hoje outra pessoa! Caiu no ostracismo! Menos para aqueles que por ela foram pesados!

  4. Sugiro uma nova seção para a Crozoé: "noticias inúteis" onde ficaria melhor inserida essa aí da Zélia. Assim não perderíamos tempo!

  5. Em que essa 'noticia', mais parecida com fofoca, contribui para elevar o nível do debate ? Assinei a Crusoé para ser e ficar bem informado. E não para perder meu tempo com fofoquinhas totalmente descartáveis. Assim como a revista se propôs a fiscalizar os políticos, também nós leitores temos de dar chacoalhadas na Crusoé sempre que ela se desviar da rota correta. Simples assim.

  6. ÁEste pessoal tem cada uma! Sempre querendo usar o jeitinho brasileiro, das jabuticabas, mas nos UUSS isto não cola! Lá as coisas são bem diferentes, e vai ser difícil para o Bolsonaro e Correligionários, mudarem a cabeça de muitos brasileiros, que vâo querer continuar usando a Lei do Gerso!

  7. LEMBRO SIM, ELA AFUNDOU O BRASIL ECONOMICAMENTE COM SUAS MEDIDAS CONTROLADORAS TÍPICAS DE COMUNISTAS. ELA NÃO NEGOU SUAS ORIGENS. INTEGROU O PARTIDO COMUNISTA BRASILEIRO.

  8. É muita ousadia da pessoa! Só faltou alegar que tinha sido mulher do Chico Anysio. Iam ter que consultar a lista de ex mulheres dele!

    1. Mais. A dama dançou bolero com Bernardo Cabral, figuraça da República, do Congresso, na época. Um mico.

  9. Não faz diferença, 'SEXTA-FEIRA', mas ela foi nomeada (mudaram o nome pra ficar mais chic) para o Ministério da Economia. >>> Delete, por favor.

  10. Gostaria de ver ela em uma Delação Premiada. Uma boa grana voltaria para o Brasil. Inclusive uns suados caraminguás de minha propriedade.

  11. Se o mesário a deixasse votar, ela iria surtar por não achar o Collor como candidato a presidente. E lembrar que essa economista bizarra me deixou com somente cinquenta reais no bolso.

  12. Carteiradas vão acabar! Está pensando que está acima do bem e do mal? Muda Brasil, muda de verdade! Vamos colocar fim nesse tipo de atitude.

    1. Ela estava no Consulado-Geral do Brasil em Nova York falando com servidores públicos federais brasileiros. Síndrome de vira-lata da porra de achar que tudo do Brasil não presta, que só presta o que vem de fora, inclusive, as pessoas.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO