Adriano Machado/Crusoé

A punição que vem da urna

A Operação Lava Jato expôs crimes praticados pelos políticos, mas foi dos eleitores, e não da Justiça, que veio a maior punição para os investigados
12.10.18

Era julho e Eunício Oliveira estava a mil na campanha pela reeleição, quando teve de se submeter a um exílio forçado em seu apartamento de 3,6 milhões de dólares na orla de Miami, na Flórida. Como Michel Temer estava em viagem ao exterior, o presidente do Senado tinha também que sair do país porque, se ficasse e assumisse a cadeira de presidente da República, estaria inelegível. De volta, ele procurou recuperar o tempo perdido. Mas a ausência temporária não chegava a preocupá-lo. Além de pedir voto aos eleitores do Ceará, seu estado de origem, o confiante Eunício até já discutia com seus correligionários do MDB quem comandaria o Senado a partir do ano que vem – ele próprio pretendia seguir no posto de presidente e se preparava para disputá-lo com o colega Renan Calheiros.

O Senado, como dizia o ex-senador Darcy Ribeiro, é melhor que o céu. Mas Eunício chegou ao inferno que todo político teme em pouco menos de cem dias: ficou sem mandato. No meio do caminho, havia 1,3 milhão de eleitores cearenses que preferiram um empresário novato na política. O poderoso Eunício, dono de um patrimônio de 89 milhões de reais, perdeu por parcos 11.993 votos – ou incríveis 0,16% do total de válidos no Ceará. Ele é um dos maiores exemplos de um grupo de políticos que exibia influência em Brasília enquanto respondia a inquéritos da Lava Jato e, agora, viu seu poder ser reduzido a pó pelos eleitores. Enquanto o Supremo Tribunal Federal tocava em marcha lenta os processos envolvendo as excelências com foro privilegiado, o brasileiro precisou de apenas algumas horas para fazer na urna o que as investigações da Polícia Federal e do Ministério Público não conseguiram ao longo de anos.

A limpa no Congresso é pluripartidária. Despontam os emedebistas Romero Jucá, líder de todos os governos desde Fernando Henrique Cardoso, e Roberto Requião, os petistas Lindbergh Farias e Dilma Rousseff, que não teve a solidariedade nem dos petistas de Minas, Marconi Perillo, o tucano que governou Goiás durante anos e chegou a ser preso, Valdir Raupp, que presidiu o MDB, e a senadora Vanessa Grazziotin, do PCdoB.

Agência SenadoRomero Jucá, o líder da ofensiva à Lava Jato, perdeu a eleição por 426 votos
De todos, o notório Jucá foi o que teve a noite mais longa depois de encerrada a votação. Em terceiro lugar na briga pelas duas vagas de Roraima, ele precisou aguardar até a última urna à espera de uma virada que não veio. O senador perdeu por apenas 426 votos. Assim como o colega Eunício, ele foi superado por um peixe pequeno na política: o deputado estadual Mecias de Jesus (sim, o nome dele é com “c”). Jucá, é sempre bom lembrar, foi o porta-voz de um plano que os poderosos de Brasília se mobilizaram para pôr em marcha, mas ninguém tinha coragem de verbalizar: foi da boca dele que saiu a de “estancar a sangria” da Lava Jato “com o Supremo, com tudo”. Jucá é que se viu estancado.

Outro emedebista poderoso que saiu derrotado foi José Sarney. Ele tomou uma goleada no Maranhão: a filha, Roseana, perdeu no primeiro turno a disputa para o governo e o filho, Zequinha, e o pupilo Edison Lobão fracassaram ao tentar o Senado. Na Bahia, mais um foi defenestrado: o dançante Lúcio Vieira Lima, que apesar de estar sob investigação e com o irmão Geddel preso na Papuda, fazia campanha sorridente em animados arrasta-pés pelo interior do estado. A dupla é apontada como dona dos 51 milhões de reais descobertos pela polícia em um apartamento em Salvador.

O recado das urnas também foi dado àqueles que fizeram campanha contra a Operação Lava Jato. Roberto Requião, do MDB do Paraná, ousou defender o lulismo e criticar a Polícia Federal na terra de Sergio Moro. Não se reelegeu, mesmo com duas vagas em jogo para o Senado. Wadih Damous, integrante do trio petista que tentou tirar Lula da cadeia em um plantão de domingo, também vai ficar fora do Congresso. Candidato pelo Rio de Janeiro, estado que teve um gigantesco esquema de corrupção implodido pela Justiça, ele acabou em 63º lugar na disputa para deputado federal.

Em Minas Gerais, a dupla Fernando Pimentel, governador candidato à reeleição, e Dilma Rousseff, postulante ao Senado, foi humilhada pelos eleitores. Pimentel nem foi para o segundo turno – acabou superado por um candidato pouco conhecido. Dilma acabou em quarto lugar. Você conhece o ex-deputado estadual Dinis Pinheiro, do partido Solidariedade? E o jornalista Carlos Viana, do nanico PHS? Não? Pois eles tiveram mais votos que a ex-presidente da República. O tucano Aécio Neves, gravado pedindo dinheiro ao empresário-delator Joesley Batista, acabou se elegendo, mas desta vez para deputado federal. Quase eleito presidente em 2014, ele temia não ter votos suficientes para se eleger senador e optou pelo pragmatismo: disputar a Câmara é sempre mais fácil. Mas achava que seria o candidato para o cargo mais votado de Minas e ficou em 19º lugar. Quem também adotou essa tática de mudar do Senado para a Câmara foi a presidente do PT, Gleisi Hoffmann. Senadora e ex-ministra, ela colocou “Gleisi Lula” na urna e agora será deputada.

CrusoéCrusoéLindbergh Farias (à esq,) posa com Haddad: de volta à planície
Um dos poucos que escaparam da degola foi Renan Calheiros, do MDB do Alagoas. E é a exceção que comprova a regra. Mesmo eleito, o caso dele mostra como a mensagem das urnas foi clara. De um lado, o eleitor alagoano reelegeu em primeiro turno o governador Renan Filho. Mas Renan pai só conseguiu o mandato porque neste ano havia uma segunda vaga em disputa para o Senado — e, mesmo assim, ficou só 4,9 pontos percentuais acima do terceiro colocado.

No Congresso, o índice de renovação foi acachapante. Na Câmara, serão 243 os deputados novatos, de primeiro mandato, de um total de 513 cadeiras. Quase a metade dos integrantes da atual legislatura foi derrotada ou nem sequer concorreu à reeleição. No Senado, nestas eleições havia 54 vagas em jogo que serão ocupadas por nada menos que 46 novatos. Incríveis 87% de renovação. Pode-se dizer que o resultado das urnas é inversamente proporcional ao desempenho do Supremo Tribunal Federal na punição de parlamentares enrolados em esquemas de corrupção. Em quatro anos de Lava Jato, foram abertos mais de 140 inquéritos contra deputados e senadores. De todos os casos, até hoje menos de 10% viraram processos e só dois parlamentares foram julgados: o deputado Nelson Meurer (PP-SC) foi condenado e Gleisi Hoffmann foi absolvida numa das ações a que responde. É muito pouco.

Outro recado do eleitor é que voto não é necessariamente herdado. Ter sobrenome conhecido já não é mais fator decisivo. Os notórios Eduardo Cunha, Jorge Picciani e Sérgio Cabral, todos presos, tiveram os filhos candidatos rejeitados, embora o MDB, o partido dos três, tenha despejado mais de 5 milhões de reais nas campanhas deles. Por último, mas não menos importante, o ex-presidente Lula, condenado por corrupção e lavagem de dinheiro, imaginava que esta eleição seria uma vitória plebiscitária sobre a sua prisão. Mas tudo indica que não conseguirá o sucesso que esperava com Fernando Haddad, escalado para substituí-lo na disputa pelo Planalto. A Lava Jato colocou graúdos da política a nu, a Justiça vem tardando para a maioria deles, mas a urna já puniu.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Felipe Moura Brasil, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. E o pior é que o Supremo não enxerga o que o povo fez......cuidado Supremo COVIL Federal....uma hora dessas o povo faz o mesmo com vocês, urubus comunistas miseráveis.

  2. Tem que continuar trocando. O povo não é mais encabrestado. O povo deseja: trabalho, comprar, passear, segurança, saúde e educação. Acordamos.

  3. Eu entendi a vitória de Renan Calheiros! Tenho uma funcionária que trabalha em casa que é de Maceio! Muitos familiares dela venderam por 80,00 seu voto! Pedi para ela ligar e perguntar quem era!!! Adivinhem!!!! Voto para senador, Renan Calheiros!!! 80,00 in cash

  4. Muita calma com esta estória de "urna já puniu". Logo alguém vai achar que estes facínoras não tem mais nada a responder para a justiça...

  5. Lembrando que, se é que ainda precisava, as urnas jogaram uma pá de cal nessa lorota de "golpe" do PT. Dilma Rousseff levou uma surra em Minas e Janaina Paschoal foi eleita com sobra em SP. Um belo puxão de orelhas em Renan Calheiros e Lewandowski.

  6. O recado das urnas não poderia ter sido mais claro e direto: é bom que o STF também seja capaz de ler as entrelinhas desse recado.

    1. Basta os Senadores novatos, na primeira SESSÃO PLENÁRIA, em UNÍSSONO, que ocorrerá pedir DE PRONTO o impeachment de Gilmar, Toffoli, R. LEBANDOVISK, Marco Aurélio e Edson Fachin. Este seria o MELHOR DOS MUNDOS!! SÓ O SENADO PODE FAZER ISSO! Eles agora REPRESENTAM O POVO PARA VALER!

  7. Povo brasileiro está acordando. Acabar com a cultura do rouba mas faz, é essencial para que o congresso realmente represente o interesse do povo.

  8. Para quem achava que nada mudaria com as eleições, foi um arraso! Demos mais um passo em direção a um país melhor para todos. Só não podemos perder esse pique após as eleições.

  9. A limpeza deve ser constante, pois, como baratas, o risco sempre vai existir deles voltarem. Parabéns aos cearenses, maranhenses, mineiros...

  10. No Estadão de hoje Eliane Cantanhede engole a seco a eleição de Bolsonaro, inevitável, e adota uma nova linha: decreta o caos com a eleição do capitão! E já decreta a nova missão dos tucanos: salvar a governabilidade com o seu "equilíbrio" (sic). Depois de decretar que Bolsonaro havia atingido o seu teto aos 20%; que a facada não havia sido mais que uma simples facada, a colunista da grande imprensa, desiludida e derrotada, agora anuncia (decreta?) o caos pelo qual tanto torce. Nunca desistem.

  11. A primeira limpeza grossa já foi feita. Agora é ir varrendo pouco a pouco e colocando todo esse lixo podre pra fora da política.

  12. O Nosso Brasil acordou!!E uma nova era!!!E no dia 28 sera a estacada final no coracao do Pt!!Ferido de morte!!!o qual sera completada no governo Bolsonaro!!

    1. E eu como paranaense passo vergonha pela eleição da Gleisi 😠

  13. Embora com algumas nefastas exceções, bons ventos vindos dos eleitores na renovação do Legislativo mostram que aos poucos os brasileiros vão encontrando um rumo melhor. Agora esperamos que os eleitos façam a vez.

  14. O deputado cassado Nelson Meurer é do PP do Paraná (não SC), com domicílio eleitoral em Francisco Beltrão (PR). No mais, excelente matéria. O 1o. turno, mostrou que o povo não é tão burro como alguns políticos corruptos querem fazer crer. Foi uma vitória da decência, representada pelas ações da Lava Jato. Porém, continuo não confiando nas urnas eletrônicas. Ao meu ver Bolsonaro fez mais de 50%.

  15. Estou estupefato com o 'povinho' alagoano que re-elegeu o "braço hidráulico" da corrupção pública-privada nos íntimos 16 anos. Certamente não o elegeu; algo deu errado na alienação dos votos. Excelente, como sempre, Felipe Coutinho, definiu em poucas 'pinceladas', que a reforma da norma de acesso ao STF deve urgente ser revisada. Um tribunal preguiçoso e incompetente para exercer as atribuições que a mesma lhe impôs. Quanto as urnas, o povo soube bem dizer quem quer lhe representando.

  16. A globo News, assim como o ibope e o Datafolha, falhando (proposital?)em suas análises, afirmava meses atrás que a renovação não seria grande, apesar da insatisfação da população. Estão tomando um choque de realidade.

  17. Estou triste com a situação do Brasil....será que vou ver alguma melhora?sabendo, hoje, que a CNBB apoia o PT ? Tenho mais de 80 anos.....

    1. Fique tranquila Mery, a CNBB não apoia o pt não. a vista do petista foi uma manobra escusa para manipular os católicos, mas que não virou. A CNBB já veio a público afirmar que não está apoiando ninguém.

  18. Dizer que a Lava Jato não puniu é um erro crasso. Foi a Lava Jato que punir, sim senhor. E vai punir mais. Se deixarem a Lava Jato trabalhar como deve, há muitos políticos a serem derrubados. O eleitor apoia a Lava Jato e vota em cima dos seus resultados, ou seja, a Lava Jato derruba, mesmo. Os contrários a ela, como o RA, porta-voz do Gilmar Mendes, que coloquem as barbas de molho, porque a Lava Jato vai mudar os seus paradigmas. Os Três Poderes terão que cuidar com mais carinho do povo.

    1. Apoiado, vamos continuar exigindo que o fórum privilegiado seja restrito ao presidente.

  19. Pedro Amaro Uma pena que escapuliu o RENAN CALHEIROS, presidente do senado a época do impeachment de Dilma, responsável pela manutenção dos seus direitos políticos em total desrespeito a CF. Deus é grande e nosso povo também; mostrou que sabe votar e fazer justiça. Brasil acima de tudo e Deus acima de TODOS.

  20. Excelente reportagem!!! Gostaria de salientar que os perdedores, aqui em especial Roberto Requião ( sou paranaense ) foi incapaz de ver o sentimento dos eleitores. Tão arrogante, que fica colocando a culpa no IBOPE, e no pedido de voto para Gleise???? Alôooo aqui é Paraná, aqui é Sergio Moro, sempre. Adeus Requião..Eunicio... Dilma e todos os demais. Ainda faltam alguns, mas por ora já foi muito bom.

    1. Isso mesmo, Solange! Requião chutado pelo povo não tem preço!!

    2. Pedro Amaro Ramos Machado Que pena que escapuliu o RENAN CALHEIROS, presidente do Senado por ocasião do impedimento de DILMA ROUSSEF; o responsável pela manutenção dos direitos políticos da Sra DILMA.Mas foi muito BOM. Isso mostra que nosso povo está sabendo avaliar os bons e os maus políticos. BRASIL ACIMA DE TUDO E DEUS ACIMA DE TODOS.

  21. foi o que todos esperavam. Agora só nos resta mais uma esperança, a eleição do nosso Jair Bolsonaro 17. A justiça será feita.

    1. Que ironia...!!! O povo mostrou, nas urnas, que tem mais poder do que o STF. Lavou a cara desses juízes corruptos.kkkkk

  22. Eu estava estranhando que até agora ninguém tivesse tomado uma providência TÃO ÓBVIA, contestando estas FRAUDES tão ELEMENTARES quanto ABSURDAS, realizadas na nossa cara e à luz do dia, pois todos os cidadãos de bem deste país têm absoluta certeza de que JAIR BOLSONARO já foi eleito no 1. Turno, só não sendo reconhecida a sua ESMAGADORA VITÓRIA em decorrência deste ATO CRIMINOSO perpetrado contra a nossa INCIPIENTE DEMOCRACIA. Parabéns, Dr. Adão Paiane !!!

  23. Foi uma reação inesperada(para os antigos políticos),às urnas falaram alto. Terminarão de falar(as urnas), no segundo turno. O POVO BRASILEIRO ESTÁ MUITO MAIS ATENTO.

  24. Notícia prazerozaaaaaaaaa de ler,👋👋👋👋👋👋, é ruim que alguns Corruptos ainda foram eleitos 🤷🤷🤷, mas no balanço, o eleitor mandou bem. Parafraseando a música da qual não gosto, mas cabe bem para essa matéria: Que TIRO foi ESSE 👋👋🤣🤣🤣🤣🤣🇧🇷🇧🇷🇧🇷🇧🇷🇧🇷🇧🇷

  25. A tecnologia nos aproximou da política. Agora aprendemos a destrinchar tudo online. Sabemos o que é direita e esquerda, o que é público e privado. Passamos a acompanhar de perto os corruptos e uma resposta já surgiu nas urnas. Estamos passando por uma revolução.

  26. Honrado em ter feito parte desse processo. Depois de várias eleições anulando o voto por falta de candidatos que atendesse expectativas e anseios do povo, finalmente, pela primeira vez, senti orgulho em exercer o direito ao sufrágio. Bolsonaro, Flávio, Arolde, Hélio e Jordi.

  27. O povo mostrou que agora esta mas politizado, obrigado! teve uma significativa mudança no Congresso mas ainda tem umas raposas que precisam ser extintas totalmente.

  28. Vou te contar, naci em 1940, sempre ouvi que "O Brasil seria o pais do futuro", te confesso que eu nao acreditava mais nesta balela. Hoje mudei de ideia, vejo e raciocino com muito entusiasmo depois desta eleicao 2018 para os legislativos, e 17 NA CABECA.

  29. Faltou alguns, mas já melhorou. O melhor de tudo foi a ejeção da Dilma e Pimentel pelos mineiros. O resto, não percam por esperar... Libertas Quae Sera Tamen

  30. Deveria haver um plebiscito para alguns ministros do STF. Pelo menos quatro seriam defenestrados a saber: LevandoWiskek, Tofoli, Gilmar e Marco Aurélio.

  31. Uma constatação, o STF é a piada pronta do país, com as decisões monocráticas descaradamente parcial, esquerdista, as instituições não estão funcionando como devem.

    1. Impeachment p o dono do Instituto patrocinado por estatais. Fora boca de cachimbo!!!

    1. Eles não parecem, eles zombam da cara dos brasileiros sem nenhum pudor. O que GM, DT, MAM e Levandowski fazem a favor dos BANDIDOS e contra a pátria é REPUGNANTE. Eu sonho com o dia de ver estes 4 lesa-pátria PRESOS perpétuos.

  32. Muitos desses mereciam não só a perca do mandato como a forca, ou o fuzilamento, pelo mal que fizeram ao povo brasileiro por tanto tempo. Vão dar um jeito de continuar a nos roubar com certeza. Espero vê-los pelo menos na cadeia.

  33. Alguns flancos da sociedade civil organizada, ainda em nome de poderosos políticos, são salvaguardados pela justiça nos tribunais superiores, de contas e outras instâncias. O recado dado pelo povo brasileiro, atingirá com certeza a escolha s formação desses tribunais. Indicação é coisa de Ditadura. Escolhas democráticas são feitas em urnas, não em gabinetes. Exigimos voto ou concurso para todo o sistema Judicial brasileiro!!

  34. Quando o STF julgará as ações contra Renan, aquelas da jornalista ?Parece que já tem mais de dez anos de espera e para todos os recursos de Lula eles pautam até no mesmo dia.

  35. Nessa eleição, nem só os políticos corruptos perderam. A mídia tendenciosa foi outra derrotada, pois o povo não cai mais no canto da sereia de uma pessoa que apregoa uma democracia corrupta, a qual irá lhe favorecer. Por que os jornalistas e suas fontes não enxergaram as falcatruas que ocorriam no País? Se não fosse o Juiz Sérgio Moro, com sua coragem e determinação, o Brasil estaria elegendo mais um crápula do sistema. Os jornais precisam fazer uma limpeza dos companheiros, ou virarão folhetins

    1. Ainda há muito dinheiro, sangrado decifres públicos, via impostos e corrupção, que alimentam contas de “jornalistas amigos” e “veículos cúmplices”. A partir de janeiro, a fonte seca, pois a esquerdalha será dizimada e lacrada.

  36. Os brasileiros e brasileiras demonstraram, claramente, que essa eleição será para restituir o patriotismo, verde e amarelo !!!

  37. Está é minha primeira semana como assinante da revista. A abordagem que vocês fizeram foi perfeita. As urnas deram o seu recado ao contrário de certos figurões do judiciário

  38. Uma casa quando está podre não se limpa de primeira. Isso foi apenas uma faxina com a remoção da maior sujeira. Na próxima se passa o aspirador para remover os restos fecais dos ratos. Eu ainda acredito no Brasil, só não podemos permitir que as urnas fraudáveis TOMEM a eleição de Bolsonaro.

  39. A internet faz o papel que a imprensa tradicional já não faz há tempos e leva a informação aos cidadãos. Com isso, todos nós podemos fazer justiça, já que quem deveria, não cumpre seu dever. Imagina quando o povo sofrido tiver mais educação para poder ficar livre dos cabrestos eleitorais e do coronelismo!

  40. Jucá esqueceu seu estado Natal sufocado com fugitivos da Venezuela. O Estado clamava uma atitude de Brasília é Jucá não ouvia. Enquanto isso Bolsonaro este lá umas e vezes e denunciava a desgraça local.

  41. Já deu para perceber que quando as Instituições "falham" (como foi o caso de se preservar os direitos políticos da sra. Dilma kk aqui "aplausos" ao ministro do stf), nós, eleitores, entramos em cena e não deixamos essa bizarrice acontecer. Parabéns aos mineiros pela não eleição dessa sra. !! E tem que ser assim mesmo não só em caso de irregularidades constitucionais...não trabalhou direito, é rua!! Tolerância zero..ou aprendem (isso), ou aprendem!!

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO