O preço do Acordo de Paris

30.11.18
Leandro Narloch é jornalista e autor do 'Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil'.

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem.

500
  1. A situação em Paris é mais complexa, há vários grupos: os gilet jaunes, sem uma liderança clara, e grupos de extrema direita e esquerda tentando se apropriar do protesto e derrubar o governo; em paralelo, grupos de vândalos aproveitando a situação para pilhar boutiques. A briga nº 1 é preço de combustiveis (e o governo recuou neste ponto), mas há insatisfação com políticas econômicas do Macron. Sábado dia 8 recomeçam protestos, vai ser “chaud”…

  2. O Acordo para Paris é para eles reflorestarem tudo que desmataram em troca de um desenvolvimento insustentável e parem de exigir que o Brasil vire um matagal enquanto vendem produtos para o Brasil exatamente porque ganharam muito dinheiro com o Desenvolvimento Insustentável. Ora, vão se catar!

  3. Desde que assisti ao Ricardo Felicio no Jô Soares em 2012 falando e explicando sobre aquecimento global, parei de acreditar nesse discurso sobre a culpa do homem no aquecimento global.

  4. Macron não é burro.
    Se afastarmos a presunção de imbecilidade, afastarmos a ideia de que ele é burro – o que claramente não é, pois se tornou presidente de uma grande nação -, resta supor corrupção: isto é, ele está levando adiante alguma agenda acordada nos bastidores, que, infelizmente, é em detrimento do povo francês.

  5. Ter quem escreva algo como “não faz sentido se sacrificar hoje para evitar um apocalipse que ninguém ter certeza que vai acontecer” não faz sentido nem para a tribo isolada em Sentinelas, que luta contra o desconhecido sem a mínima noção da força viral da “civilização”. Entre eles, poderiam pensar: para que lutar se não sabemos se vai ser bom ou ruim? Pelo visto, sabem mais do que outros!

  6. Caro Narloch, quanto mais pessoas esclarecidas levantarem a voz contra esta baboseira de aquecimento global melhor; sugiro que você entreviste o professor Carlos Badicero Molion, que é possivelmente a maior autoridade no Brasil sobre a falácia do aquecimento global, que ele poderá lhe revelar o quanto o tema está impregnado de ideologia sem qualquer base cientifica.

  7. Gostaria de encorajar Leandro Narloch a desenvolver, em próximo artigo, o argumento de que aquecimento médio da ordem de 2,8 graus Celsius na superfície da Terra, não sendo “tão intenso quanto se imaginava”, poderia ser algo menos preocupante. Desde já esclareço que ele não afirmou isso. Mas deixou como sugestão implícita.

  8. Leandro, informe-se antes de desfiar tanto comentário leviano, sem base e de opinião deseducada. Sou leitura e assinante da Crusoé e noto uma persistente negação de questões ambientais e de relações multilaterais. Aqui não é os Estados Unidos. Não temos poder para ficar com essa política de “eu sozinho”. Não se meta onde não tem autoridade ou conhecimento. Nota zero pro seu artigo…

    1. Laura, parece que você nunca leu nada contrário a esse terrorismo ambiental. A dialética é importante. Há vários estudos sérios sobre a farsa do aquecimento global.

    2. Aquecimento ambiental é uma farsa utilizada por grandes empresas para gerar novos monopólios sobre novos produtos patenteados como o caso do cfc.

  9. Energia nuclear gera resíduos radioativos que levam séculos para deixar de o ser, devendo permanecer contidos e isolados do meio ambiente neste ínterim.

    Sem contar o risco de acidentes como Three Mile Island, Chernobyl e Fukushima

    Provavelmente é isso que se passa na cabeça do presidente francês. Não é tão difícil de entender quando se elimina os preconceitos ideológicos semi-tribais adotados por parcela da população.

  10. Estive em Paris em janeiro e constatei que a maioria dos franceses com quem falei está preocupadíssima com o desmatamento da amazônia no Brasil… Quando lhes expliquei que as reservas de matas brasileiras eram muito maiores do que o dobro do território da França e que nosso povo precisava de comida e que entāo eles franceses teriam de pagar por isso, acharam um absurdo…kkk

  11. Bonito artigo, bem argumentado. E isso tudo sem mesmo colocar a hipótese de que muitos renomados cientistas não acreditam que o aquecimento global tenha como principal causa a ação humana!

  12. Leandro, bom artigo. Faltou dizer que o Diesel Francês passou para 7 reais por litro e que estão previstos outros aumentos para 2019. E’ tudo imposto, e a desculpa e’ financiar “ecotecnologia”. A popularidade do Macron caiu para 20% e ninguém aceita financiar o governo na estratégia ambiental. Com mais um euro se toma vinho por lá, e isso e’ so’ o começo. Importante notar que os protestos não foram só em Paris, em varias regiões com organização total por redes sociais. Nada assim desde 1968

  13. entrou numa sinuca de bico de bobeira, se voltar atrás será uma derrota política e sinal de fraqueza, se insistir não sabemos onde vai parar. o cara é meio maluco pois quantos anos de gestão tem pela frente??? se fosse inteligente e não excessivamente idealista, empurraria o problema o. a barriga pra o próximo governante,como todos os políticos fazem e talvez até posasse de herói kkkkk

  14. Existem fontes de energia limpa e renovável q não foram citadas como a solar, eólica e reuso de água. Vcs sabem disso. O que fica claro é que para alguns a batalha por um planeta bem tratado é coisa de desinformado e esquerdista. E eventualmente desinformada posso até ser, mas comunista nunca. Pq essa ideologia da devastação e atraso tecnologico de vcs antagonistas? Se o governo Bolsonaro (em quem votei e sou entusiasta) desprezar na linha de vcs questões ambientais vai fechar mts portas.

    1. A questão é o extremismo.
      Há países no Acordo de Paris que não só não cumpriram sua parte no acordo com aumentaram a emissão de carbono.
      Iscurso é uma coisa é a prática outra.
      A matéria mostra que não há consenso sobre quão grande é o problema do aquecimento global.
      E me parece que outras fontes de energia ainda são demasiadamente caras para utilização em massa, mesmo países de primeiro mundo.
      Imagina o nosso que ainda está por ser reconstruído.

    2. O caminho renovavel é natural, mas não necessariamente imediato. Os custos de geraçao solar, e das baterias dos carros eletricos tem caído drasticamente nos ultimos dez anos (90% nas baterias) o que traz a viabilidade economica. Fazendas de energia renovavel passaram a ser negocio, e geração distribuída também. Enfim, o mercado se regula o que beneficiará o planeta, acredite-se em aquecimento global ou não (alias, prefiro acreditar e estar errado do que estar certo).

  15. Leonardo, acho que deverias ler o artigo da Nature de novo. A amplitude da variação de temperatura a que o artigo se refere não é uma previsão, é apenas dado de entrada para simulação.
    Fico chocado com a politização deste assunto. Eu só sou um engenheiro, não me considero capaz de tomar uma posição no assunto.
    Acho que devemos deixar a comunidade científica decidir, não podemos levar este assunto para um embate esquerda-direita.
    Antes que alguém me critique por ter opinião: apoio o Bolsonaro.

    1. TO COM AS PODERAÇOES DO LARLOCH! COMO PESQUISADORA QUE FUI, AFIRMO: O QUE NAO FALTAM SAO ERRATAS EM CIENCIA, MM QDO REALIZADA COM A MAIOR SERIEDADE, QTO MAIS EM SE TRATANDO DE TEMAS IDEOLOGICAMENTE TÃO COMPROMETIDO!

  16. Até que em fim lucidez nesse tema tão polêmico, já falaram até que os gases que os bois soltam são um dos fatores do aquecimento e tanta desinformação e alarme que só serve para gerar atraso basta ver aqui as leis cada vez mais rígidas impendindo o crescimento e desenvolvimento. Não é a toa que Bolsonaro até agora não anunciou o ministro do meio ambiente, ele conhece bem a realidade e o que tem movido as ONGS que estão atuando no Brasil

  17. Já se sabe, foi publicado pela NASA que a temperatura do planeta está diminuindo.Já foi demonstrado por gráficos que o aumento de CO2 e de temperatura não são proporcionais. O aumento da temperatura está intimamente relacionado às explosões solares.

  18. Excelente. Focar no uso racional e controlado da energia nuclear, solar e eólica é muito bom, reduzindo dependência do petróleo bem devagar e sem impactos. Mais, a calmaria solar que vem aí vai jogar as temperaturas médias pra baixo…beeem pra baixo…

  19. Convenhamos, os biocombustíveis não auxiliam na redução do aquecimento global. Podem ser “bio”, renováveis, mas continuam a ser “combustíveis”, isto é, transformados em energia através da combustão, que libera carbono.

  20. Chego a conclusão de que ninguém deve ter o poder total de um presidente por mais de quatro anos, o poder corrompe e cega. Se vc quer conhecer o caráter de uma pessoa de poder a ela.

  21. Fico chocada quando vejo pessoas não especialistas opinando sobre determinados temas. Ainda não se pode comprovar a teoria de que o efeito estufa causará um aquecimento e que isto será catastrófico. (Ufa!) Mas acredito que se isso tem a mínima chance de ser realidade, ou seja, não pode ser descartado, então temos que evitar, pois a difícil irreversibilidade do processo e as possíveis consequências já são motivos para justificar uma postura mais cautelosa de todos.

  22. A impressão que dá é que o Leandro não sabe nem do que está falando. Não entende que a variação de temperatura, por mínima que seja afeta todo o ecossistema. Horrível está matéria.

  23. As atitudes européias em particular as francesas são em última instância uma barreira comercial sem terem que aumentar impostos e sofrer questionamentos na combalida e parcial OMC. Acho que devemos nos preocupar com a ecologia mas sempre lembrar que que devastou o mundo foram anglo saxões e asiáticos por isso a riqueza de uns e o crescimento de outros. Agora o aumento da temperatura global favorece quem? Os países do hemisfério norte. Então existe uma frágil balança a ser discutida.

  24. PARABÉNS pelo Incorreto Leandro!!!! Já li todos os “Incorretos”, que são fantásticos. É inacreditável que o mundo civilizado ainda se dobre diante desse FAKE apocalipse do “aquecimento global”…… Ufa………

    1. Estou com Narloch !!! O planeta passa por ciclos de aquecimento/desaquecimento e não há nada que o almofadinha do Macron possa fazer !!!

    2. É claro que o articulista estuda e analisa as opiniões científicas. Comentário com recado pra ele estudar antes de falar besteira, sem conhecer seu dia a dia e o quanto ele, como profissional competente, se dedica a análises profundas, é a maior besteira escrita em comentário nesta seção.

  25. Macron é aquele francês que ouviu o Trump dizer que a França devia agradecer aos Estados Unidos e a Gra Bretanha o fato de não falar alemão hoje em dia. Os aliados, Grã Bretanha, Estados Unidos e Canadá libertaram a França do domínio nazista na Segunda Guerra mundial. E o fanfarrão francês General Charles de Gaulle fez o pouco que fez graças ao apoio de Winston Churchill. Macron não tem direito de pressionar sobre assunto que desconhece e não lhe diz respeito como o Mercosul.

    1. Deves também ter escutado a resposta de Macron? Na qual disse que se nao fosse pela ajuda da France os US nao seriam independentes da coroa britânica hoje

  26. Aquecimento Global é muito questionável. Não acredito no IPCC, organismo ESQUERDISTA. Já divulgaram inúmeras mentiras, que foram desmascaradas por renomados cientistas. Um bom documentário é “The Global warming swindle”, disponível no youtube. Em vez de ficar cegamente defendendo o IPCC “por que é da ONU”, o importante a saber é que suas conclusões são questionadas e que é preciso LER sobre o assunto. Ricardo Felício é um climatologista brasileiro que conhece tudo sobre o assunto. Veja no youtub

  27. Sugiro a leitura de “The moral case for fossil fuels” de Alex Epstein. Precisamos MAIS combustíveis fósseis para desenvolver a AL e África. Diga a Macron para defender junto aos africanos a necessidade de usar energia solar e eólica. Sem petróleo não há desenvolvimento possível. Ambientalistas em geral são esquerdistas que não sabem do que estão falando. Macron é um deles. Não podemos aceitar que estrangeiros imponham limites a nosso desenvolvimento. A Amazônia é nossa, não de franceses “verdes”

    1. “A Amazônia é nossa”. Já fostes lá? Conheces a floresta? Na boa, precisas ir. Se fores, mudarás de opinião. “Ambientalistas são esquerdistas” De onde Vc tirou isto? Não há futuro sem a floresta para o Brasil. Estude e entenda os rios de vento que trazem chuva a todo o noroeste, sudeste e sul. E por favor, não embaralhe os assuntos. Ciência é ciência, não é demagogia política. #pronto falei.

  28. “Its not only climate, its economy, stupid”. O IPCC representa o sumario das opiniões da comunidade cientifica global acerca de um assunto que vem sendo debatido e escrutinizado há decadas. Há concenso, quase unanimidade. Tentar questionar isso é simplesmente ridiculo, ainda mais sabemndo quem está questionando. As petroleiras – elas mesmas – usam os cenarios do IPCC para calcular varios cenarios de risco, assim como o fazem as seguradoras americanas para calcular valores de seguro.

  29. Não tem o que entender. Macron representa uma elite global “patrimonialista” que tenta manipular corações e mentes para se manter como tal. Mas é apenas um representante, como o filhote Trudeau, a Merkel, o Obama, a Hillary, o Zapatero etc. Está perdendo algum espaço, mas ainda tem o tempo-dinheiro a favor. Cabe desmascará-la, e a seus representantes, para o restabelecimento das soberanias nacionais.

  30. Até que enfim alguém fala algo sobre essa putaria de acordo de Paris. Carros só não são elétricos para não quebrar “alguns”… Esse acordo é uma farsa do começo ao fim. Economia paralela pra enriquecer comunista

  31. O grande problema de fossil fuels é tóxico
    Provavelmente a terra irá passar por mudanças climáticas de grande escala que comparadas ao passado irão provocar a adaptação da especie( nós).
    Parece que o grande responsável é o Sol com seus ciclos e seus planetas .
    A poluição irá nos mudar (envenenar?)
    Há muitas dúvidas em relação a este número de cientistas e quanto aos métodos usados para projeções e quantificações no que é referido como cálculos de estimativa de aumento e o efeito destes resultado

  32. Aquecimento é BENÉFICO!! O esfriamento que é problemático. Nos faz gastar mais energia e acaba com as plantações!! Eras de aquecimento foram as mais prósperas na história humana!! TODOS os grandes impérios floresceram nessas épocas… Chega de dessa histeria ambientalista com raízes no nazismo!!

    1. Você precisa estudar mais sobre aquecimento global. Aquecimento global não tem NADA a ver com a temperatura ideal pra plantação. O aumento médio da temperatura é só uma característica de um processo de mudança climática que envolve aumento na força dos ventos, aumento de tempestades tropicais, nevascas, grandes períodos de estiagem e inundações, acidificação e aumento do nível dos oceanos. O aquecimento global a partir de onde estamos está trazendo muitos prejuízos financeiros e humanos.

    2. O fato é que o conjunto das opiniões contrárias SUPERA esse papo furado de “aquecimento global-camada de ozônio furada”…. A melhor exposição que li mostra que o problema sério do meio ambiente é LOCAL: conservação de nascentes, toda a estrutura de saneamento das cidades grandes, médias e pequenas, etc. O planeta Terra-Água tem 5 bilhões de anos e ainda terá mais 5 bilhões de anos. Até lá, ainda terá ondas de aquecimento e de resfriamento e morreremos de FRIO e não de calor. Nós vamos antes..

  33. Em 2011, por pressão popular, a Alemanha interrompeu a construção de usinas nucleares e o parlamento aprovou um completo banimento da produção dessa energia no país. Passaram a comprar da França, que é grande produtora de energia nuclear. A França, ameaça Macron, cortará o uso dessa fonte de energia pela metade. Será que é para vender aos alemães?

    1. Se a coisa tivesse sido feita certo, não teria problema. O problema real da energia nuclear são os resíduos radioativos, não tem como eliminar, tem que guardar em algum lugar. Em 100 anos teríamos um problema real de alocação de espaço para esses fins. Por isso tem que continuar as pesquisas.

    2. Não é verdade, só emite radiação se ocorre acidente.
      O tratamento do “lixo” nuclear é que precisa ser melhorado urgentemente.
      Os chineses avançam com a pesquisa em fusão nuclear, energia limpa e eficientíssima. É a melhor solução, tanto do ponto de vista ecológico como político.

  34. Prezado Narloch, apesar de concordar com você na pouca diferença que fará o enorme esforço de redução da emissão dos gases de efeito estufa, acho que isso deve ser perseguido sistematicamente. É melhor uma redução de 0,2oC do que nada. Para maior credibilidade aos seus argumentos, vai aqui uma correção: o biodiesel (e os demais biocombustíveis) não são uma mistura de carboidratos e sim de lípides (semelhantes ao óleo da baleia) e álcoois.

    ,

    1. Ricardo, você leu meu pensamento!
      Sempre digo isso, ha que se ter controle populacional.
      Nosso planeta tem limitações de espaço e o controle de natalidade é preciso, pra já!

  35. Interessante que cada grau que a temperatura média da terra aumenta, deveria aumentar em alguma coisa o nível médio dos mares. Mas a quarenta anos olho para as praias aqui do Rio de Janeiro, particularmente na ilha do governador, e nada mudou…

    1. Pois na ilha de Itaparica, na Bahia, o mar está subindo tanto, que as construções feitas há 20, 30 anos estão sendo literalmente arrastadas pelas marés !!! A prefeitura está demolindo todas nas zonas costeiras de risco ! Já li que a elevação do nível do mar está fazendo esse estrago em varias cidades costeiras !! Destruindo hotéis , restaurantes e negócios que funcionam à beira mar !! Vão dizer que é mentira ????🤷🏼‍♀️

  36. As consequencias disso é reportada como um aumento de 1 ou 2% da temperatura média da Terra, mas isso nada reflete o impacto disso na nossas vidas. O aquecimento global impacta nos extremos: violencia das tempestades tropicais (http://www.realclimate.org/index.php/archives/2005/09/hurricanes-and-global-warming/) e temperaturas extremas tanto mínimas quanto máximas (https://www.nature.com/news/2011/110216/full/470316a.html). Isso causa perdas materiais e de vidas todos os anos.

    1. Os não-cientistas têm dificuldade de entender o impacto de pequenos incrementos na temperatura nos ecossistemas, mas insistem em escrever sem se informar corretamente. Um dos graves problemas dos tempos atuais é a scientific illiteracy.
      O problema é complexo, e integrar informações de várias correntes é necessário.
      A França usa basicamente energia nuclear (80%!) para funcionar. É irrealista do Macron declarar que vai cortar isto.
      A solução é investir pesadamente em pesquisa de fusão nuclear.

    2. Não sou nenhum cético em relação ao aquecimento global. A questão que se coloca é mais sutil: a imparcialidade e o totalitarismo científicos – não obstante a quase unanimidade nos meios acadêmicos acerca dos riscos à existência.

  37. Antes de comentar o texto do autor, vamos deixar uma coisa clara. O aquecimento global está acontecendo neste exato momento devido a atividade humana e vai continuar a acontecer se nada for feito. Isto é um fato científico. É a posição das academias científicas de 80 países e cerca de 95% dos pesquisadores da área. A origem da vida na Terra tem menos consenso do que isso. Ao menos 7 pesquisas de avaliação de consenso mostram isso, veja uma: http://science.sciencemag.org/content/307/5708/355

    1. As consequencias disso é reportada como um aumento de 1 ou 2% da temperatura média da Terra, mas isso nada reflete o impacto disso na nossas vidas. O aquecimento global impacta nos extremos: violencia das tempestades tropicais (http://www.realclimate.org/index.php/archives/2005/09/hurricanes-and-global-warming/) e temperaturas extremas tanto mínimas quanto máximas (https://www.nature.com/news/2011/110216/full/470316a.html). Isso causa perdas materiais e de vidas todos os anos.

    2. As consequencias disso é reportada como um aumento de 1 ou 2 graus da temperatura média da Terra, mas isso nada reflete o impacto disso na nossas vidas. O aquecimento global impacta nos extremos: violencia das tempestades tropicais e temperaturas extremas – tanto mínimas quanto máximas. Isso causa perdas materiais e de vidas todos os anos.

    3. O aquecimento do mar faz as calotas polares derreterem, aumentando o nivel dos oceanos, acidificando as águas, aumentando a força das correntes, e trazendo problemas reais neste exato momento pra países-ilhas como Tuvalu, Nauru, Vanuatu, Ilhas Marshall e Maldivas. Nos discursos de Tuvalu na ONU eles já desistiram de pedir ações contra o aquecimento global, só querem terras pra mudar a população pra outro lugar.

    4. Enquanto a ideia de que aumentar 2 graus na temperatura média não é tão ruim do que aumentar 4,5 graus, como defende o texto, é pelo menos míope ignorar que um aumento, por menor que seja, não traria resultados catastróficos para muitos povos. O clima não funciona linearmente. O nível dos oceanos está aumentando 3 milímetros por ano; mesmo assim, ao menos 8 ilhas desapareceram nos últimos anos.

    5. Também é de uma natureza cínica a ideia de que, já que o que estamos “pode” não adiantar, vamos continuar a fazer a mesma coisa que está piorando a nossa situação. É como você morar em um condomínio em que cada morador deixa seu lixo na frente de casa, emporcalhando o espaço comum, e já que o serviço de coleta “pode” não ser suficiente, vamos continuar colocando MAIS lixo na frente de casa. Idiota ou burro, escolha um adjetivo para esse argumento.

    6. Além disso, o texto sustenta que uma agenda anti-carbono seria um retorno a caça às baleias, à devastação de florestas e ao aumento da fome no mundo. Por favor! Travestir mentiras em um texto bem escrito só alimenta de argumentos os conspiracionistas! Não faz sentido argumentar que uma agenda pró-ambiente usaria meios anti-ambiente. Há várias fontes de energia renováveis: nuclear, solar, hídrica, biomassa, hidrogênio, marés, ventos – cada uma com seu impacto, sim, mas menor do que carbono.

    7. Para concluir, é importante que a revista, e a imprensa em geral, compreenda o papel dela na propagação de mentiras sobre o que está acontecendo. É importante a pluralidade de ideias, sim, mas existem duas regrinhas que todo mundo, e ainda mais a imprensa, deveria seguir: 1) contra fatos não há argumentos, e 2) sua opinião não é mais importante que um fato. A imprensa parou de dar valor aos fatos e passou a publicar opiniões como se fossem fatos. É por isso que estamos nesse buraco.

    8. O conceito de aquecimento global nem está maus sendo utilizado pela comunidade científica pois o planeta está se resfriando atualmente – já que isso é cíclico. Agora eles usam o termo “mudanças climáticas” para aterrorizar as pessoas. O que o homem provoca no planeta é uma titica perto da influência dos oceanos e do sol, que comandam a temperatura do planeta. Seria mais importante gastar tempo e dinheiro em pesquisas para controlar a poluição de mares e rios e cada um cuidar da rua onde mora.

    9. Fabricio, seus textos ajudam muito o pessoal que não tem noção da realidade científica. Valeu o esforço e a paciência de explicar o contexto.

    10. Caros, nenhuma dúvida quanto ao aquecimento global e a 2º Lei daTermodinâmica se encarrega de explicar isto. A questão é se este aquecimento está sendo causado pelas mãos do homem ou se é algo natural. Acredito na segunda hipótese por várias razões.

  38. Ao autor do artigo:
    Se voce não acreditada no efeito da humanidade sobre as mudanças climáticas pouco importa. Se voce acha que não se deve gastar agora pra evitar problemas futuros, também pouco importa. O fato é que os gastos com catástrofes ambientais vão aumentar e essa grana vai sair dos nossos coletes, sejam amarelos ou não.

  39. Enquanto o “Acordo de Paris” não explicar a ausência de precipitações atmosféricas sistemáticas no Sertão (este lugar milagroso onde não acontece nada há pelo menos quinhentos anos…
    Concordo que estamos emporcalhando o planeta (a Europa menos), mas com o terror escatológico padrão “Fim dos Tempos” pela ação do Homem poderá provocar efeito contrário; observem-se as listas de “profissões que irão desaparecer” num futuro próximo, “lixeiro” não aparece em nenhuma delas.

  40. As tratativas de um acordo de livre-comércio entre Brasil, via Mercosul, e União Europeia estão travadas há muito em função do protecionismo agrícola francês, basicamente. E, agora, vem o Presidente Macron condicionar tais avanços à não retirada por parte do Brasil do Acordo de Paris!?
    O cinismo e a hipocrisia francesa travestem-se de oportunidades, se o Brasil, com pragmatismo, souber explorar ‘as boas intenções’ gaulesas!

Mais notícias
TOPO