Paula Giolito/Folhapress

“Quero acabar com os privilégios”

João Amoêdo, do Partido Novo, diz que é preciso acabar com as benesses do estado para políticos, funcionários públicos e empresários e defende um choque de liberalismo. Suas ideias ainda têm grande dificuldade de alcançar o eleitorado: até agora, ele não passou de 1% nas pesquisas. Ainda assim, o presidenciável garante que está no caminho certo
27.07.18

O mais liberal dos candidatos a presidente da República tenta estourar a bolha que criou. Com longa experiência no setor financeiro, onde teve cargos em gigantes como Citibank e Unibanco, o carioca João Amoêdo, 55 anos, trabalha para que o partido fundado por ele, batizado de Novo, consiga fazer chegar à maioria da população a mensagem do liberalismo baseada no enxugamento do Estado, no fim dos privilégios no setor público e na ampliação da liberdade econômica. Até agora não conseguiu. As pesquisas indicam que o candidato não passa de 1% das intenções de voto. Ele, porém, comemora. Nesta entrevista a Crusoé, Amoêdo assegura que a bolha do Novo já foi rompida: a legenda está, a seu ver, cada vez mais plural, democrática e tem conseguido alcançar os eleitores com suas ideias. Ele assume, no entanto, que o Novo nasceu elitizado. E, com uma dose talvez exagerada de otimismo, diz que seu nome deve estar entre os preferidos do “mercado”.

Se eleito, quais seriam suas primeiras medidas?
A primeira é o corte de privilégios. O Brasil hoje não funciona porque é um país dos privilégios. Para vários grupos. Para políticos, funcionários públicos, grupos empresariais, Judiciário. Precisa cortar isso. Demos esse exemplo no Novo. Não usamos recursos públicos, nem do fundo partidário, nem do fundo eleitoral. A segunda medida será reduzir ministérios e ocupar os que sobrarem com técnicos em vez de políticos. Terceiro, tem que conversar com o Congresso. Abrir o diálogo porque as mudanças que queremos fazer para tornar o Brasil competitivo e acabar com os privilégios passam pelo Congresso.

Como acabar com privilégios se a decisão passa pelos privilegiados?
É claro que as mudanças são difíceis porque quem está no poder hoje é justamente quem tem os maiores privilégios. Mas acredito que a única forma de fazer isso é pela política. Por isso nós damos muito peso à ideia de colocar uma bancada representativa do Novo no Congresso. Também avalio que isso passa, necessariamente, pelo endosso da população. Não tem jeito. Tem que mostrar para a população que essa é a nossa missão, que todo mundo que está lá foi eleito por nós. O trabalho passa pela conscientização também.

Isso é possível?
Sim. Primeiro porque a gente já fez a constatação em todas essas crises de que o atual modelo não funciona. Segundo, a população também tem essa percepção, mesmo as pessoas de classe mais baixa. Cito uma pesquisa que o PT fez no ano passado na periferia de São Paulo. Perguntaram quem era inimigo, o patrão ou o Estado. E a grande maioria disse que o inimigo era o Estado brasileiro, que cobra muito, é burocrático e não entrega nada. O nível de informação hoje é bem maior. As mídias sociais têm feito um trabalho impressionante.

Mas com o padrão típico do Congresso é algo bem difícil, não?
Não tem outra forma de fazer que não seja deixar muito claras as propostas. Vou abrir o diálogo. Óbvio, vai ter que ter negociação e definir prioridades. Mas será assim: sendo muito claro nas propostas, falando a verdade desde sempre e colocando a população para participar do processo. Isso terá de ser feito. E tem que ser feito às claras, sem toma-lá-dá-cá e fisiologismo, como a gente vê hoje.

O fato de o sr. ter sido sempre um gestor e nunca um político não dificulta esse processo?
Acho difícil dissociar as duas ideias. Não gosto de alguém que seja só gestor ou só político. Pelo menos no Poder Executivo. Na própria iniciativa privada, quando você é gestor, faz política. Hoje me considero um gestor que entrou na política. Serei um político se eleito. A gente sabe de pessoas que entraram na política e depois falaram que não eram políticos, eram gestores. Não. Entramos para a política para sermos políticos. Só que o que a gente quer é uma política diferente. Uma política de transparência, de eficiência, não para ter privilégios. Não gosto da ideia de destruir a política porque acho que a solução é pela política. Por isso que há oito nos anos começamos a montagem do partido. Para isso, você tem que ser um político.

O sr. se apresenta como liberal. O que isso significa para o eleitor?
Eu fiz engenharia e administração. Fiz as duas faculdades juntas e fui trabalhar no mercado financeiro. Sempre muito preocupado em melhorar a gestão das empresas em que eu trabalhava e em atender bem o cliente. Nunca tive nenhuma preocupação (em ser liberal). Nunca li nada sobre essa questão de liberalismo. Nunca foi algo que tenha chamado a minha atenção.

Mas seu partido adotou os princípios do liberalismo econômico nas suas propostas, como a defesa do livre mercado e o respeito às liberdades individuais.
No decorrer do tempo fomos nos aprofundando na política e estudando mais. Ficou claro que os países que têm mais liberdade econômica são os que vão mais para a frente, têm melhor qualidade de vida e maior renda per capita. Até pela lógica do raciocínio, pensamos: é a doutrina liberal que precisamos ter no Brasil, porque ela é que vai melhorar a qualidade de vida das pessoas. A adoção do liberalismo foi uma consequência desse entendimento e não um dogma em si. Nunca dissemos algo como “nós estamos construindo um partido para ser liberal”.

Aloisio Mauricio /Fotoarena/FolhapressAloisio Mauricio /Fotoarena/FolhapressO presidenciável tem reunido plateias qualificadas em seus eventos, mas encontra dificuldades para fazer a mensagem chegar à maioria dos eleitores
Na prática, o que mudaria exatamente?
Qual a melhor forma de melhorar a vida das pessoas? Quais são os lugares que funcionam? Não é Cuba, é Singapura. Não é a Coreia do Norte, é a Coreia do Sul. Então, o que tem de diferente entre quem está bem e quem está mal? É a liberdade econômica. Por isso defendo que seja nesse modelo que devemos caminhar. No Brasil isso fica muito claro quando você vê a ineficiência da gestão pública e esse inchaço do estado. Estamos caminhando no sentido inverso da liberdade econômica. No ranking de liberdade econômica, o Brasil ficou em 153°, depois de Afeganistão e Serra Leoa.

Quais medidas seriam adotadas?
Responsabilidade fiscal. Não gastar mais do que arrecada. Carga tributária menor. Menos burocracia. Ambiente de negócios com mais segurança jurídica. Facilidade para abrir empresa. Menos barreiras protecionistas. E, claro, menos privilégios. Privilégio tira liberdade econômica. Foram dados muitos privilégios a determinados grupos econômicos por meio de barreiras protecionistas e dinheiro subsidiado.

Isso é o que pensam também os economistas que formulam programas de seus adversários, como Paulo Guedes, de Jair Bolsonaro, e Pérsio Arida, de Geraldo Alckmin. No que o sr. difere deles?
Somos mais objetivos no programa econômico. O PSDB diz que não precisamos privatizar todas as empresas, que é melhor fazer algo mais gradual. Mas não me passa a segurança de que não deva haver, por exemplo, o monopólio da Petrobras. Nós somos claros. Defendemos que não haja monopólio do petróleo e que não precisamos de uma estatal como a Petrobras. O Bolsonaro não se colocou a favor da privatização da Petrobras. E tem uma outra diferença que é a capacidade ou o dever de implementar esse modelo, especialmente na parte política. Quando se fala da proposta econômica do Bolsonaro e se vê o que ele defendeu de fato nos últimos 30 anos, é muito diferente disso. Ele votou contra o Plano Real, a favor de privilégios, contra a privatização. O próprio PSDB também defende uma coisa que não fez. Eles já governaram o país e não reduziram ministérios, não criaram um novo pacto federativo para dar mais poder para os municípios, não acabaram com os privilégios. Tenho muita dificuldade em imaginar que MDB e PSDB topariam um modelo, por exemplo, que signifique não ter dinheiro público para partidos. As propostas de quem já está no poder não serão executadas para que esse modelo acabe. Será o mesmo modelo de hoje. Não acredito que farão as mudanças necessárias para colocar o Brasil em outro patamar.

O sr. não acha que há áreas, como a social, em que o Estado é necessário?
Gostaria que o Estado fosse maior e mais eficiente em algumas áreas como saúde, segurança, saneamento e educação. Mas nas outras áreas não tem por que manter o estado. Na medida em que ele avança muito, acaba tirando a liberdade do cidadão. E nosso objetivo é dar mais liberdade e responsabilidade para o cidadão atuar. Acredito que num ambiente de mais liberdade econômica teremos uma prosperidade muito maior, muito mais geração de riqueza e as pessoas terão uma vida muito melhor.

Defende programas como o Bolsa Família, por exemplo?
Alguns programas de proteção para quem está na miséria e na pobreza como o Bolsa Família são interessantes. O problema é que esse argumento tem sido utilizado pelos nossos políticos para inchar o estado em benefício próprio. Não só consumimos a carga tributária como estamos nos endividando ainda mais, e endividando as próximas gerações também. Mesmo assim, a qualidade dos serviços está piorando. Agora saiu o ranking de segurança e o Brasil ficou com o nono maior número de homicídios para cada 100 mil habitantes. Precisamos de um Estado que atue nas áreas essenciais, mas de maneira racional. Quem quer fazer tudo acaba não fazendo nada direito. Não precisa de Estado administrando posto de gasolina e entrega de correspondência. Vamos fazer apenas as coisas essenciais para a população.

O que pensa sobre as cotas?
Já existem, não é? Estão funcionando. O que eu gostaria era de trabalhar para que elas fossem desnecessárias.

Marcelo Chello/CJPress/FolhapressMarcelo Chello/CJPress/FolhapressJoão Amoêdo ataca Geraldo Alckmin por ter se aliado a fisiológicos: “O eleitor não aceita mais conchavos”
O sr. também é liberal nos costumes? O que pensa sobre aborto, união homoafetiva, liberação das drogas e desarmamento?
Sobre aborto, acho que as pessoas têm que ter liberdade de escolha. No Novo definimos que candidatos têm a prerrogativa de ser contra ou a favor. Eu sou contra, à exceção dos casos previstos em lei (risco de vida para a mãe, anencefalia e estupro). Sou a favor da união homoafetiva. Acho cedo para liberar drogas. Precisamos acompanhar experiências ao redor do mundo e ver o que vale a pena. Sobre armas, sou a favor da flexibilização do estatuto do desarmamento.

Como sair da bolha do seu partido, que passa a impressão de que fala apenas para os já convertidos?
Cada vez que vejo os indicadores, parece que vivemos muito mais um crescimento do que propriamente uma bolha. O Novo tem crescido nos últimos meses a uma taxa próxima de 6% ao mês, continuamente. Isso em quantidade de filiados. Hoje temos mais de 21 mil filiados e continuamos a crescer. Os filiados pagam uma taxa de 29 reais por mês. Portanto, mesmo num ambiente em que a economia está fraca, há gente entrando no Novo. Temos feito vários eventos pelo Brasil. No ano passado, foram 890. No crowdfunding (modelo de arrecadação pela internet), em quatro dias já tínhamos recebido doação de vários estados do Brasil. Não me parece que seja uma bolha. O partido tem dois anos e meio de existência e nunca participou de uma eleição federal.

Não é um partido elitizado e que, até por isso, agrega menos gente?
Não sei se é isso. Tem muita gente mais simples no Novo. Quando você vai nesses eventos do partido, algumas pessoas questionam se o partido é da Zona Sul do Rio ou da (avenida) Faria Lima, em São Paulo (ambas zonas nobres). Eu respondo: participe de uma apresentação nossa. Seja em Arujá (SP), seja em Cuiabá (MT). Veja as pessoas que estão nos eventos. É uma turma que não tem nada a ver com grandes empresários, até porque, sendo muito objetivo, essa turma está com a vida mais tranquila e a gente quer ajudar quem está precisando. Os fundadores são pessoas de classe média, classe média alta, profissionais liberais. Mas nunca teve um grande empresário no Novo.

O sr. tem apenas 1% nas pesquisas. Por quê?
Minha percepção é a de que a gente tem crescido e deveria estar acima de 1%. Tem que considerar um pouco a margem de erro, porque essas pesquisas têm margem de erro de dois ou três pontos… Mas é claro que dá para crescer mais. Para a largada, está bom. Estamos iguais a personagens como (o presidente da Câmara) Rodrigo Maia e (o ex-ministro da Fazenda) Henrique Meirelles, que têm uma exposição muito maior e estão em partidos como DEM e MDB, respectivamente. São partidos que estão há muito mais tempo na política e, portanto, têm uma quantidade muito maior de diretórios, prefeitos e vereadores.

Por ter trabalhado muito tempo na área, o sr. aspirou a ser o candidato preferido do mercado financeiro?
Tenho conversado pouco com as pessoas do mercado porque a ideia do Novo, até para não ter esse risco de estar em uma bolha, é falar com um público o mais amplo possível, que ainda não conhece nosso projeto. Não está claro para mim quais são as preferências do mercado. Acho que são propostas mais próxima do que pregamos eu, o Meirelles ou o Alckmin. Faz mais sentido para eles do que o Ciro (Gomes) ou o provável candidato do PT, porque esses defendem o modelo que nos levou à recessão dos últimos anos. O mercado normalmente gosta de estabilidade e previsibilidade, que defenda as reformas, o equilíbrio das contas.

Quem seria seu ministro da Fazenda?
Gosto da ideia do Gustavo Franco (ex-presidente do Banco Central e um dos formuladores do Plano Real).

Falemos dos seus adversários. O que acha deles?
Eu não vi nada que o Bolsonaro tenha feito nos últimos 30 anos que justifique um voto para presidente da República. É uma candidatura que me preocupa porque tenho receio de como será a gestão no dia seguinte em que for eleito. Acho um absurdo insistirem na candidatura do Lula. Para mim, é um presidiário que fez muitas coisas ruins para o país. Terminou dando um exemplo péssimo porque se dizia protetor dos mais pobres e recebeu propina para fazer negócios privados. Marina sempre foi uma incógnita. Acho que é séria e do bem, mas tenho minhas dúvidas quanto ao desempenho dela em um cargo executivo. Ciro tem ideias muito ruins e me preocupa muito também porque ele erra no diagnóstico. Alckmin é da política tradicional, do status quo, desse mesmo mundo de partidos que têm privilégios e benefícios e são acostumados a manter um modelo de Estado bastante inchado. Meirelles é um bom gestor na área pública, fez um bom trabalho, mas está vindo de todos esses governos anteriores e pertence a um partido que é difícil imaginar que vá mudar.

Qual é a sua avaliação do governo Temer?
Fez algumas medidas razoáveis como o teto dos gastos, a reforma trabalhista… Mas o problema é que fez na base do toma-lá-dá-cá, do fisiologismo e, nos últimos tempos, se perdeu. É um governo que praticamente já acabou. Mostra-se incapaz de gerenciar direito o Brasil.

O sr. já votou no PT?
Sempre votei contra o PT. Nas últimas eleições, votei no Aécio. Para mim, estava longe de ser o candidato ideal, mas parecia uma opção menos pior do que a Dilma.

O que o sr. achou do acordo de Geraldo Alckmin com o Centrão?
Lamentável, mas não me surpreende. É a velha política. O cidadão brasileiro fica com a conta e grupos específicos, que neste caso incluem ex-presidiários, são beneficiados. Não há qualquer alinhamento ideológico ou de propostas, apenas negociações de cargos em troca de tempo de televisão. No fundo, são os partidos tradicionais tentando sobreviver e manter as coisas como estão, sempre de costas para o eleitor.

A seu ver ele ganha ou perde votos com o acordo?
Perde. O eleitor não aceita mais esses conchavos.

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Vou votar dele, mesmo sabendo que não chega no pelotão da frente nessa eleição, mas é importante ele ganhar expressividade política, e nada melhor que o voto. Quem sabe nas próximas eleições? Votarei tb nos representantes do Novo para os outros cargos. Chega da velha política!

  2. Fantástica entrevista! O Brasil prec8sa de muitos Amoedos! Se o País que mudar, tem de ser assim. O toma lá dá cá é constrangedor! Os privilégios são socos na cara do trabalhador que paga a conta com muitos sacrifícios! Que Deus permita que Amoedos cresça nas pesquisas e consiga levar suas propostas ao pobre que precisa do alento de acreditar que é possível mudar sem populismo barato e usurpador de dignidade!!!! Deus o abençoe, AMOEDO!!!!

  3. Adoro o amoedo,pena o Brasil,nao ter inteligência pra arriscar,pra trocar,pra acreditar,sempre os mesmos,que do de nos que estamos abertos pro novo,o partido ou a causa.teremos que pagar por escolhas erradas,erradíssimas dos outros.

  4. O Partido Novo tem meu voto. Minhas dúvidas, como negociar com essa turma de políticos fisiológicos, para aprovar leis como privatização, e todas as demais necessarias para fazer com que o Brasil volte a crescer?

  5. Estou ansioso pata ouvir as propostas do Amoêdo, porém, toda as viezes em que o assisto, leio ou o ouço fico com a impressão de que ele perde a oportunidade de esclarecer suas propostas. Quais as bases da reforma da previdência ? Qual a politica educacional ? E na saúde ? Segurança ? Ele precisa aprofundar um pouco mais para podermos avaliá-lo. Estou a procura de candidato, tenho enorme simpatia pelo Novo, porém, sem esclarecer estes pontos nunca votarei nele. Wander

  6. Gostaria muito que o povo brasileiro, de todas as classes econômicas, apostasse em uma nova política. O modelo atual, de conchavos e privilégios, só piora, em todas as áreas, o bem estar do povo, principalmente dos mais necessitados. Já estamos cansados dos discursos demagógicos e das mentiras e descaramentos destes políticos ultrapassados e que só pensam em poder e interesses próprios. Ja vimos este "secular" filme. Vamos com o João Amoêdo. Vamos apostar em um novo BRASIL.

  7. Um gentleman falando, mas falta determinação para cortar os tais privilégios... vai negociar? Com assim? Me lembrou FHC, discurso bonito, mas não convence. Falou basicamente o mesmo que Bolsonaro sobre as cotas, só que de forma articulada. Não perguntaram sobre segurança pública e qual o plano para acabar com a criminalidade nas ruas e no Congresso ou como vai combater a corrupção e proteger a lava jato. Ele precisa mostrar que tem pulso pra resolver o problema, até aqui não mostrou.

    1. E quem demonstrou "pulso" até agora? Marina Silva? Geraldo Alckmin? Dá até dó comparar os candidatos tradicionais com o Amoedo... É comparar Messi com o Zézinho das couves que joga no time do bairro... Hahaha... Em termos lógicos e racionais (que o brasileiro tá longe) qualquer um escolheria ele pra comandar o país... O resto não contrataria nem pra gerenciar minha padaria...

  8. ENFIM UMA PROPOSTA COERENTE. PRA COMPLETAR TEMOS Q RENOVAR O CONGRESSO COM POLITICOS Q TRABALHEM PARA ACABAR COM OS PRIVILEGIOS. AI ELE VAI PODER GOVERNAR E VAI SOBRAR DINHEIRO PRA EDUCACAO, SAUDE, SEGURANCA ETC...

  9. Eu defendo e pactuo com o que Fernão Lara Mesquita escreve nos seus textos no Estadão e no seu blog Vespeiro. - O que me toca seriam as soluções com o poder do voto eleitoral. - O povo controlando seus eleitos, aprovando quando necessário leis por referendo, fiscalizando as aplicações dos gastos orçamentários, pressionando seus legisladores através dos seus delegados distritais. - É isto que falta em um projeto político de um candidato liberal como o J. Amoedo. - Voto Distrital.

  10. Bem esclarecedor. Penso nele no primeiro turno, uma votação expressiva comprovaria o qto necessitamos de mudanças como algumas que ele fala. Até este momento só não voto nele se for para livrar o Brasil do PT, ou do Bolsonaro, já no primeiro turno. Gostaria de conhecer melhor o Álvaro Dias.

  11. Vou votar no Novo, tanto para câmara, quanto para o Senado, votarei no Novo para deputado estadual, governador e para presidente justamente por apostarem no liberalismo e na diminuição dos gastos públicos e fim dos privilégios. Sei que o João Amoedo tem poucas chances, mas vejo que ele está plantando uma semente para o futuro e está levando a discussão política para o lado certo, dizendo aquilo que os demais partidos e políticos não dizem. Então terá o meu voto, nesta eleição e nas próximas.

    1. Julio, esperamos que sim. É o mínimo que uma empresa desse tamanho poderia fazer nesse momento. Os comentarias da GloboNews sempre dizem que é necessário quebrar essa corrente podre - dos velhos partidos - com o surgimento de outros completamente sem vícios e sem conchavos. Com pessoas preparadas e éticas. Vamos ver agora se é mesmo verdade ou da boca pra fora.

  12. Muito bom! Afinal, cobrar dele o conceito do liberalismo seria hipocrisia, no momento. O Brasil precisa de soluções e elas veem através da competência e capacidade de fazer gestão. Sim, precisamos colocar o Estado no mínimo de atuação e produzirmos, coisa que o estado não é capaz de fazer em lugar nenhum do mundo...qualquer máquina estatal é improdutiva! Eu vou apoiar o partido Novo, vou votar em seus candidatos, mas não vou votar nela para presidente, por enquanto...

  13. Bom, mas relegou a segundo plano os fundamentos teóricos do liberalismo econômico, que alicerçam a sua implementação. Foi simplista ao apegar-se apenas ao pragmatismo (onde deu certo, Singapura, Coréia do Sul). Solidez de conceitos é importante pra adaptar e aplicar a teoria à realidade de cada país. Ainda bem que tem por trás a assessoria do Gustavo Franco.

  14. Bom, mas reticente ao tratar do liberalismo nos costumes. Se não encarar o novo, logo será mais um velho. E pode-se ser novo com qualquer idade, inclusive 55anos.

    1. Concordo, mas compreendo quando ele diz que pautas polêmicas não são prioridade para serem abordadas de imediato, a menos que o Congresso o faça. Igual liberalização das drogas, eu sou favorável, mas acho que primeiro o governo precisa sanar problemas estruturais sérios de polícia e segurança, para gradualmente adotar medidas mais liberais e com controle efetivo. Este ano estou com o Novo pela renovação completa da política, epor ver ações reais práticas ocorrendo (vide os vereadores do Novo)

  15. Amoedo é a melhor opção. Precisamos votar nele e parar com esta idéia de que ele não tem chance. Terá chance se votarmos nele!

    1. O sistema política atual é muito forte e poderoso, não permitindo a renovação. Mas precisamos fazer nossa parte. Vou votar no Novo pela renovação total, e por estar vendo ações concretas, reais ocorrendo (vide vereadores do Novo). É uma construção de médio e longo prazo. Precisamos ter deputados federais e senadores do Novo, para irmos excluindo a velha política. Tenho certeza que teremos mudanças reais assim, e só conseguiremos voltando e renovando.

  16. Se fosse para apontar algumas preferências partidárias, em meio ao deserto político em que vivemos, apontaria estes quatro: Novo, Rede, PPS e PSB, com o Podemos pedindo para entrar.

    1. ... Isso, a despeito de considerar a ideia da candidatura avulsa e a de movimentos, com as eleições para o Legislativo vindo posteriormente, como o melhor quadro para a política brasileira.

  17. O Brasil não tem tempo mais de esperar o ideal político-econômico perfeito materializado pelas idéias do Amoedo pois a sua candidatura não decola. Precisamos dar imediatamente a guinada para à direita nessas eleições e destruir os ideais de esquerda que continuamente destruiram o Brasil na economia, cultura, educação, saúde e segurança pública. Nesse sentido uma aliança Amoedo & Bolsonaro seria muito importante.

    1. Quem faz qualquer candidatura decolar é o eleitor. . E a candidatura do Amoêdo, como a do Bolsonaro, não é fake, bancado por recursos públicos e propagandeada pela estrutura do Estado, é de base realmente cidadã. . Parte do movimento e engajamento das pessoas comuns.

  18. Vendo as opiniões do Amoedo sobre os demais cansidatos, acho que a única possível união seria com o Bolsonaro. Ele não é um político de expressão nesses anos de mandato mas acredito que seja o único que com uma retaguarda com idéias boas como as do partido Novo, o que seria muito bom para o país. Eu voto no Bolsonaro pq não vejo nenhuma opção. Se o Amoedo tivesse o indice de aceitação do Bolsonaro,votaria no Amoedo. A idéia tem que ser essa.Afinal, votamos em Aécio para não votar em Dilma😉

    1. Dizer que Bolsonaro foi mal é pra quem não assistiu o Roda Viva. Só tinha jornalistas esquerdopatas que não conseguiam falar de outra coisa a não ser ditadura militar. Não conseguiram fazer uma pergunta sobre seu plano de governo. Resumo da ópera: Bolsonaro deitou e rolou em cima dos despreparados.

    2. Some-se a isso a escolha de um vice tão truculento e precipitado quanto ele (Gen. Mourão, caso Janaína não fique) e a atuação radical dos bolsominions, e o Bolsonaro tem tudo pra cair nas intenções de votos, enquanto Amoêdo tem tudo pra subir. Vamos ajudar?

    3. Deisimara, quem vai fazer o Amoêdo crescer como o Bolsonaro somos nós! Pesquisa não é previsão do futuro, é retrato de momento! Ontem, por exemplo, o capitão foi muito mal na entrevista do Roda Viva. Isso vai lhe tirar votos. Tenho pena porque ele é uma pessoa bem-intencionada, sim, mas aquilo lá foi uma pequena amostra do tipo de ataque diário que um eventual governo dele irá sofrer por parte da imprensa... Tb ficou clara a fragilidade de sua candidatura e a falta de discernimento do que falar.

  19. Gostaria muito que o Amoedo se juntasse ao Bolsonaro. Ele tem razão quanto aos 30 anos, mas as ideias dos dois, no momento, são muito parecidas. Quem sabe os dois juntos não seria o que o Brasil precisa??

  20. Gostei do que o Sr Amoedo disse e acho que ele esta no caminho certo para um governo de prosperidade. Agora tem que combinar com o congresso pois é o maior responsável pelas mazelas do nosso país.

  21. Caramba, queria muito que o Amoedo disparasse nessas eleições, mas o discurso ainda é muito morno. Quando a pergunta foi "o que os eleitores têm a ver com o liberalismo" praticamente não respondeu. É muito importante conseguir falar também com o pessoal simples, o que muda na vida deles? Não dá pra economizar palavras, tem que arrastar as pessoas junto, isso é eleição não reunião com o diretor da empresa. Mais alguém achou isso?

  22. Ótimas as entrevistas do João Amoedo. Ele precisa vencer as barreiras de ser de um partido pequeno ainda. Que tal a Crusoé liberar a entrevista para quem lê O Antagonista, de forma que ela possa ser divulgada também para os que não lêem? O Partido Novo merece uma chance por parte da imprensa, já que não terá a mesma divulgação dos demais, numa luta desigual.

    1. Muito boa idéia, temos que ajudar o Novo. Só divulgando é que vai crescer. Vamos fazer nossa parte é a Cruzoé pode ajudar.

  23. Poxa Caio e demais Antagonistas, vcs publicam o pensamento do João Amoedo justo na edição 13?!?! Bom, quem sabe não possa ser um sinal de esperança exatamente para antagonizar o fatídico significado do 13, tanto do azar como de representação do nefasto PT.

  24. Os economistas não se cansam de dizer que os privilégios dos políticos, judiciário, congresso, executivo e funcionários pública não resolve problemas do país, discordo total. Brasil precisa terminar com todo e qq tipo de privilégio, isenções fiscais, benesses do BNDS e demais instituições a uma classe de empresários, eficiência na gestão, eliminação desperdício dando exemplo, fiscalização e punição.

    1. Então Maria, não resolverá mesmo. Entretanto, sem a eliminação quase total desses privilégios, certamente a prosperidade do país não vira. Cortar privilégios não nos assegura prosperidade, não cortar-los nos garante a estagnação.

  25. Sr. Amoedo, e o candidato Álvaro Dias? Não mencionou na sua avaliação. Até agora meu candidato é Alvaro Dias, que tem histórico bom e conduta sem nome citado na lava jato.

    1. Também é o meu, mas o Amoedo não está fora de cogitação.Infelizmente os dois com mais condições estão em baixa nas pesquisas, tenho esperança que na hora "H" haja um reviravolta, não é agora o melhor exemplo , mas foi o que aconteceu com Aécio em 2016, que acabou surpreendendo até o próprio partido e a ele mesmo.Esse contingente grande de indecisos apontado nas pesquisas é que pode mudar o rumo da eleição!

    2. Maria, Álvaro Dias só é bom no discurso! Quando era senador, na época do mensalão, atacava o PT direto, mas não levantou um dedo pra pedir o impeachment de Lula... Pura retórica! Esse é outro Alckmin... mais apimentado, mas tão fisiológico quanto...

    3. O problema do Alvaro é que levará para o Planalto a mesma curiola que circula em Brasilia. Não apresentou nada de novo além de cortar alguns de seus privilégios pessoais.

  26. Sr. Amoedo, como fazer o eleitor acreditar em suas ideias e promessas? Até hoje as promessas eleitorais foram plenamente contrariadas no dia seguinte da eleição! Serra prometeu e registrou em cartório sua promessa - NÃO CUMPRIU! Por favor, me convença!

    1. Alvaro Dias foi uma das primeiras vozes a se levantar contra o PT dentro do partido que ele fazia parte! Na época do Mensalão o PT estava com força total, Lula e o PT ainda não estavam devidamente desmascarados pela Lava-jato , seria muito difícil conseguir adesão a um pedido de impeachment .

    2. Temos a ideia de que o presidente pode tudo, mas não pode. . O Congresso pode quase tudo. . Ajude o NOVO a eleger o Amoêdo e, principalmente, uma boa bancada de deputados federais e senadores que a senhora verá a seriedade do projeto do NOVO. . Veja o que os 4 vereadores do NOVO já fizeram no RJ, SP, BH e POA. . Além do mais, nosso desafio principal É TIRAR OS BANDIDOS DO PODER. . ERRE, MAS ACERTANDO. . Erre na escolha, mas acerte na tática de tirar os bandidos que estão aí.

  27. seria um candidato novo mesmo! precisamos sair deste círculo vicioso de políticos que estão aí há mais de 20 anos e seus filhos são seus herdeiros. parabéns João Amoedo, um dia chegaremos lá!

  28. Se a gente for ficar planejando pro partido NOVO conseguir alguma coisa só nas eleições seguintes, é a mesma coisa que a seleção brasileira se preparar pra a proxima copa, jogando amistosos ruins, fazendo experimentos sem sucesso, etc. Acho que temos que trabalhar com o melhor que temos agora, independentemente de estarem com 1% nas pesquisas, mas é o que tem de mais próximo do que anseiam os brasileiros neste momento. Acho que devemos divulgar estas ideias, e agir JÁ! A hora é agora.

    1. Isso mesmo, @LEANDRO. . Sem falar que essas pesquisas não dizem nada, a não ser a fotografia do momento. . E essa fotografia indica que 50 a 60% dos eleitores ainda não decidiu nada. . Quando essa multidão decidir, essas pesquisas virarão pó.

    2. Concordo com você, mas não esqueçamos que Lula só foi eleito na quarta vez que tentou, mas suas ideias e sua bancada no congresso forjaram o país que temos hoje desde o início dos anos 90.

  29. Votei no Novo para vereador e devo votar para deputado federal pelo menos. Mas não entendo por que o Amoêdo tem a mesma mania de outros candidatos de falar em "privilégios" no Judiciário sem apontar que privilégios são estes, principalmente, sobre os absurdos benefícios financeiros recebidos pelos ministros do STF, em especial no tocante a diárias, mesmo porque só trabalham em Brasília.

    1. Asteroide, eu já te expliquei isso daí noutro artigo! Vai lá no site do Novo, em "perguntas frequentes" e veja o posicionamento do Novo sobre essas questões! Deixe de preguiça, rapaz!

    2. Asteroide, vc segue a mesma linha dos que dizem que moro é um agente da CIA. Parabéns pelo seu esclarecimento.

    3. asteroide vc não critica, vc xinga! muda o disco, questione!

  30. A culpa é nossa. O congresso que está aí não caiu do céu. Nós o elegemos. E se está ruim, isso ocorre porque, exceto os petistas, nós ignoramos a importância dos partidos e do voto proporcional. Queremos limpar a política? Então vote nos candidatos do partido, fortaleça aquele que tenha as ideias e projetos mais adequados para sua vida e de sua família. E fiscalize depois. Será a próxima geração que sofrerá as consequências de mais um desastre produzido por nós, eleitores.

    1. Qual politico cumpriu o mínimo de promessa? Estamos sofrendo uma crise de confiança.

  31. Gostei da entrevista. Estamos longe de chegar a esse ponto. Temos um contingente muito grande de pessoas que não tem educação. A educação é fator principal para mudarmos o Brasil. Sem ela, vamos ficar nesse toma-lá-da-ká. Infelizmente.

  32. Amoedo me parece um ótimo candidato mas não creio que consiga chegar lá agora. É muito desconhecido ainda do eleitor. Talvez se preparando e se tornando mais conhecido, daqui a 4 anos ele emplaque na próxima eleição.

  33. Infelizmente o sistema é podre. Políticamente esse país é inviável. Sem o fechamento do congresso, mudanças no código penal, estamos para sempre nas mãos dos políticos bandidos, eleitos por ignorantes.

  34. Gostei das respostas dele. Parece ser um bom caminho. Vou continuar prestando bastante atenção daqui para a frente. Até o momento não escolhi em quem votar. Os velhos candidatos não vão mudar nada, mas no passado votamos em novo candidato e nos demos mal. Porisso vou esperar para analisar com mais profundidade.

  35. Nós não podemos deixar de pensar que as FFAA estão aparelhadas , comandadas por nomeados pelo partido do PT , assim como todos os outros poderes . Motivos já tiveram de sobra para intervirem , sem reagir . Quem for eleito Presidente será o Comandante Supremo das FFAA , podendo demitir e posteriormente nomear novos Comandantes. Tem que se impor e mostrar sua autoridade . Precisamos de uma faxina GERAL . Marilda Goulart

  36. Excelente entrevista. Temos que mudar a política que vem desde Sarney e piorando a cada legislatura. Hoje não voto em Amoedo porque acho que não é a hora. Estarei com Bolsonaro/Paulo Guedes

    1. Se você, @SALVADOR, está pensando na Presidência da República, não aprendeu com as raposas de nossa política, especialmente, do MDB e assemelhados do Centrão. . Eles só pensam no Congresso Nacional, de onde comandam qualquer presidente. . Então, dê uma chance para o NOVO 30 votam nele para senador e os demais cargos proporcionais.

  37. A história política desde a redemocratização demonstra e endereça com clareza solar que o NOVO 30 vai ser a grande opção das pessoas que estão cansadas dos velhos partidos e seus partidos. O NOVO tem valores e diferenciais que o faz ser essa esperança da população descontente que é a grande maioria.

  38. Amoedo e o Novo tem meu voto e da minha família. Estou trabalhando para que amigos também se convençam. A mensagem do Novo tem de chegar às pessoas que não suportam mais a politicagem tradicional, ou seja, tem de chegar a todos brasileiros!

  39. Gosto das idéias do Novo e acho o Amoedo incapaz de enfrentar as feras do Congresso, Senado e STF. Ele não fará todas essas mudanças necessárias, porque as duas casas não serão renovadas nem 20%, por ignorância do eleitor e ele não chamaria as forças armadas para limpar o Congresso e Senado dessas rapinas ou enfrentar as corruptas cortes Superiores, que mantem esses políticos livre. Ele não luta contra a corrupção abertamente e não percebeu que povo quer justiça e não apenas economia saudável.

    1. Concordo. No momento s ordem é limpar, higienizar e precisamos de alguém capaz dessa faxina e enfrentamentos. Depois reconstruir.

  40. Pode ser que o Amoedo não consiga chegar lá. Mas precisamos colocar no Congresso e Senado o pessoal do NOVO, renovando o máximo!

    1. exatamente isto! vamos renovar a câmara e o senado, é uma solução!

  41. Parabéns à Crusoé, pela ótima entrevista. Acho que finalmente temos um partido político que define com clareza e coerência seus fundamentos, e os exerce na prática. Amoedo precisa do apoio dos brasileiros sérios que realmente se preocupam com o destino do Brasil.

    1. não se comenta sem argumentos! precisamos renovar os políticos e a política com gente nova!

    2. Acho que vc deveria conhecer melhor o Almoedo e o Partido Novo, antes de emitir sua opinião.

  42. Tem meu voto! É o único que se mantém firme em suas convicções, não precisa ficar consultando economista para responder questões mais complexas, é inteligente, articulado, não utilizou dinheiro público em sua campanha e nem tentou fazer acordos espúrios.

  43. Eu conheço o João Amedo pessoalmente e assino em baixo de suas propostas. É o que o Brasil precisa para mudar mesmo, Alkmin é a continuação de tudo que está aí.

    1. Ismael, eu náo te conheco pessoalmente, e assino em baixo, é tudo bafo de boca. Ó eu tö lá na esquina da Ataufo de Paiva com qualquer rua, é só procurar.

  44. Já me filie e estou contribuindo. Engraçado notar que os principais críticos do novo são bolsominions na linha do "não é suficientemente de direita", ou outras teorias de conspiração malucas e sem fonte séria. Pra mim isso é sinal de que está no caminho certo.

  45. Venho acompanhando o Sr. Amoedo e o partido Novo e penso ser a melhor opçao para o Brasil. Basta agora, os brasileiros se conscientizarem que precisamos mesmo mudar para Melhor e tirar os oportunistas de seus cargos!

  46. Finalmente um candidato com ideias que me representam. Não preciso mais escolher o menos pior. Votarei no Novo de ponta a ponta.

  47. Não tenho nenhuma dúvida que Amoedo é o melhor candidato para as mudanças, principalmente as estruturais, que o Brasil precisa hoje, nao so pelas suas ideias e compromissos que assume em seu programa de governo, mais principalmente pela competencia executiva que ja demonstrou ter.

  48. Penso que o cerne das idéias do Sr. Amoedo são as mesmas do Sr. Bolsonaro, então me questiono porque os dois não se unem? pois esta união poderia dar bons frutos se tal não ocorrer podemos ter no Brasil a mesma situação que ocorreu no Rio de Janeiro na qual existiam bons candidatos que se dividiram e que deixaram a população a escolher entre o péssimo e o pior ainda e veja que situação estamos. Por favor senhores pensem um pouco mais e deixem a vaidade de lado.

    1. Mauro, acho que a única proposta parecida entre os dois candidatos é sobre a flexibilização do desarmamento. Não consigo me lembrar de outra coisa. No resto, é a diferença é quase da água para o vinho.

  49. São propostas como as apresentadas por Amoêdo que o Brasil precisa para andar pra frente. Sugiro assistir sua participação no Roda Viva. Candidato sereno e com foco. Tem meu voto.

  50. Prefiro Paulo Rabello de Castro. Mais preparado e com mais fundamento, e mais trânsito em Brasília. Leiam "O Mito do Governo Grátis". Está tudo lá.

    1. o paulo rabello já esteve no bndes e nada! me parece que a máquina do governo emperrou e não é uma pessoa que vai desemperrar, são muitos! por isso precisamos renovar a câmara e o senado urgentemente!

  51. No tocante ao acordo de Alckimin e o Centrão, penso o mesmo. O alckimin perde votos. Mas, penso que esses planos do Novo, mesmo sendo o desejo dos brasileiros, parecem tão distantes!

    1. Luiza, se não apoiarmos com votos as ideias do Amoêdo e do partido, o desejo dos brasileiros continuarão sendo distantes. Temos que acreditar que a mudança é possível e lutarmos para que ela aconteça. O que não podemos é deixar o país nas mãos dos mesmos.

    1. Chico, dentro do que é possível realizar, o que para você ele teria que fazer a mais? Continuar iludindo a população com falsas promessas?

    2. Como assim, @CHICO? . Mais ainda? . Fazer um ajuste fiscal sugerido pelo Banco Mundial de 8% do PIB, reduzindo o ESTADO para no máximo 12 ministérios, reduzir para 50 as 150 secretarias dentro dos ministérios etc., acabando com a fonte da corrupção com dinheiro público (Estado gigante) . Privatizar tudo sem gerar monopólio PRIVADO, acabando com a fonte da corrupção com dinheiro público. . Desburocratizar e simplificar a economia. . ABRIR nossa economia, bastante, para nos aproximarmos do Chile.

  52. Achei plausíveis as id;eias do Sr. Amoedo. Será que dá para confiar? Já tivemos tantas desilusões ao longo dos últimos anos...

    1. @ELIANA, temos de trocar de fraldas sempre. Dê uma chance para o Amoêdo, mas principalmente para o Partido NOVO 30 nos cargos do LEGISLATIVO. É no Congresso que está o verdadeiro PODER no Brasil. Aprendamos com as raposas do MDB, eles nunca querem a Presidência da República. QUEREM O CONGRESSO.

  53. Gosto muito das propostas do AMOEDO. No meu entender é o melhor candidato. Como ele não tem chance segundo as pesquisas vou de BOLSONARO.

    1. Maria, é muito simples: vamos de Amoêdo no primeiro turno. Se não der mesmo, vamos de Bolsonaro! Mas, vamos tentar primeiro o melhor candidato?

    2. Tem-se que pensar o que de efetivo ele fez nesse tempo todo de Congresso.

    3. Vá de Amoêdo no 1º turno e dará Bolsonaro X Amoêdo no 2ºturno.

    1. Pela primeira vez meu voto será em um partido, incondicionalmente para os seus candidatos em todos os cargos. Assim, estarei votando em uma idéia.

    1. @MÁRCIA BS, NÃO ESQUEÇA QUE O IMPORTANTE É O CONGRESSO NACIONAL. VOTE NOVO 30, PRINCIPALMENTE, PARA LÁ.

  54. Taí, vou dedicar mais atenção a esse candidato. Mas queria saber suas posições acerca de outros assuntos que nos afligem, como corrupção, judiciário leniente, etc.

    1. Vale a pena acompanhar mais de perto. Conheci o Novo nos movimentos pró Empichment, votei na candidata a vereadora Janaina aqui em São Paulo , estou satisfeita com o desempenho principalmente em relação ao não uso de verbas públicas.

  55. O Brasil não precisa de um gerente de banco como presidente. Não tem profundidade teórica na política. E acha que tudo se resolve numa planilha de Excel. Fraco para um momento delicado como o atual.

    1. PartidoS da ORCRIM (PT, PSDB, MDB, PP, PSD, PSB, DEM...) x Partido NOVO 30. . Dúvidas?

  56. Ele acha que tudo se resume à economia, têm muito mais para se arrumar neste país, pra começar eu preciso estar vivo para ganhar dinheiro. Chama Marina "do bem", ela acabaria com o agronegócio no primeiro semestre, ela é uma petista enrustida. Famosa mulher melancia (verde por fora (ecologia) e vermelha por dentro (comunista).

  57. Muito boa entrevista. Meu candidato favorito. Já falo dele com algumas pessoas pra buscar na internet. Não sei se vai dar certo mas fala o óbvio com muita clareza. Lendo a reportagem do Toffoli me dá nojo do Brasil, lendo a entrevista sinto esperança .

  58. Nada tão lacônico! Conversa mole. Ele mora no Brasil? Parece-me não conhecer o Brasil viciado. Corrupto. Ainda mostra-me a cara de pau de dizer que: "Não é Elitizado". Liberalismo é muito velho....ou seja, o novo já vem muito velho. Teórico sem balizamento prático. Brasil não é para " amadoristas"...

    1. Rogério, discordo de você porque os nossos políticos PROFISSIONAIS se especializaram em CORRUPÇÃO. Não podemos continuar votando neles. Prefiro apostar no NOVO!

    2. No Brasil, LIBERALISMO ECONÔMICO é novíssimo. Nunca foi realmente praticado. Talvez, no Império e olhe lá. Em outras condições. . "Teórico sem balizamento prático". @ROGÉRIO, você está enganado. Visite a página da Fundação NOVO, lançada em abril, mas já tem bastante conteúdo e prático. Banco Mundial apontou em relatório recente itens práticos de cortes de despesas da ordem de 8% do PIB, por área com maiores desperdícios, e o NOVO gostou.

    1. Não @KATIA, no 2º turno a Amoêdo também precisa de seu voto, de sua propaganda de boca em boca e de sua doação $$ para ganhar.

  59. Vice = Amoêdo Janaína = min Educação e Cultura Moro = min Justiça Luis Phillipe Orleans = min Relações Ext Paulo Guedes = min Fazenda e Planejam Gen Mourão = min Segurança Gen Heleno = min Defesa Aí sim, podemos recomeçar o país.

    1. @VIVALDI, se deixarem o Amoêdo ir aos debates, antes do cargo de vice haverá . Amoêdo X Bolsonaro no 2º turno.

    2. Ser ingênuo não é muito bom, mas também não é proibido. Vai sonhando....Porém a uma certa hora precisará acordar.

  60. Quem sabe na próxima eleição ele consiga ter uma presença expressiva e com chances de chegar a presidência porque na atual conjuntura a direita não pode se dividir

  61. João, suas idéias, na área financeira, são muito mais próximas do Paulo Guedes, na área de administração, gestão, educação, segurança para citar algumas, mas tem outras, estão muito alinhadas com as do Bolsonaro. Voce não acha que se vocês dois se alinhassem, cada um cedendo um pouco, não seria mais fácil para ambos atingirem estas idéias? No futuro voce e o partido novo poderiam seguir uma trilha mais suave, porque o DIFICIL será agora. Lanço aqui uma "ideia", por que não haver o alinhamento.

  62. O Partido Novo não deveria se incomodar com a "acusação" de ser elitista. Não há mal nenhum em ser elitista. Muito pelo contrário. Fora de uma elite bem formada não há salvação para nenhum país. Só uma elite instruída e bem-intencionada terá capacidade de colocar o Brasil nos trilhos e dar um salto de qualidade na sociedade. Mas, infelizmente, a elite que até hoje tem dirigido o Brasil é a pior possível, cheia de psicopatas, escroques, ideólogos alienados, incompetentes. Nosso problema é esse.

    1. Perfeito @ENGENHEIRO!!! . Entretanto, penso que a acusação de ser elitista está mais relacionada a não acessar a grande massa de votos do povão.

  63. Gosto do João Amoedo. Ou, de repente não gosto do que temos. Gostaria que o Novo crescesse e fizesse parte do legislativo e do executivo. O João transmite coerência e vontade real de mudança.

  64. A revista de maior sucesso, que conheci em 180 anos como leitor, foi a Seleções Readers' Digest - isso mesmo, "seleções para o prazer do leitor". E qual o prazer oferecido pelas idéias do candidato do Partido Novo? Para merecer impressão e leitura, palavras exigem qualidade. Nunca vi nada impresso com merda e, muito menos, que desse prazer ao leitor.

    1. Sua inteligência deve ser mínima, a ponto de ler e não compreender as ideias de Amoedo. Ou você é idiota?

  65. Blá Blá da banca, um Meirelles de mais bancos. Propaganda paga no Cruz , não é ? A banca e os porco líticos dizem : TEMO JUNTO !

    1. É não. Você está redondamente enganado. . Da Banca é a Marina (Itaú), Meireles (Original), Alckmin (do banco Odebrecht), PT (Pactual, Bradesco, Original ou quaisquer bancos disponíveis).

  66. Que ótima entrevista! Adorei. Gostaria muitíssimo que Amoedo fosse eleito nosso PR. Não seria uma tarefa fácil, mas acho que ele é muito bom e, tendo resolvido abraçar a política, pode dar um belo samba. Vamos apostar.

  67. Tudo que o Novo fala é música para meus ouvidos! Por que ter medo do Novo? Estou convencido que a mudança, de fato, é o Novo!

  68. O Novo é uma construção de longo prazo. Infelizmente demorou muito para nascer, mas antes tarde do que nunca! Devo votar para deputado e senador neles. Façam o mesmo, vamos fortalecer o partido e quebrar a hegemonia da esquerda autoritária e patrimonialista.

    1. A força do Novo, acredito, está justamente no longo tempo que levou para se formar e ser instituído legalmente. É o único partido realmente ideológico no País, único verdadeiramente liberal. Sua proposta é tão sólida e coerente que, num país de atraso educacional (proposital, é lógico), levará alguns anos para ser compreendida e aceita. Mas isso acontecerá, inexoravelmente, para o bem do povo brasileiro.

  69. Amoedo é meu candidato, faço parte desse 1%, mas acho que falta mais empenho do partido para eleger deputados e senador. Ao meu ver, Chequer do Vem pra Rua deveria ser o candidato ao Senador, por ser conhecido, certamente seria eleito. É com o Congresso que o Novo tem chance de crescer. Mas precisa adequar o diálogo as classes mais baixas se quiser romper a bolha, o discurso do Novo ainda está elitizado e o povao não compreende a mensagem, por isso se dividem entre Bolsonaro e PT.

  70. As ideias do NOVO, no geral, não são tão inovadoras como parecem ser, a não ser em um ou outro ponto específico, o que não lhe desmerece, ao contrário, engradece o discurso. Por isso, sem sobra de dúvidas, as ideias do Partido NOVO representa o melhor viés para o País e acredito que, dentre os candidatos, João Amoedo seria um bom Presidente.

  71. Parece o melhor candidato entre os que estão concorrendo, sem dúvida. Mas não deverá avançar muito, infelizmente. Por outro lado, pode ajudar a eleger vários candidatos nos legislativos federal e estaduais. Já será grande vitória. Boa sorte a ele e ao Novo!

  72. Acredito de modo firme que as soluções do Brasil passam pela aplicação das idéias liberais do partido Novo. Hoje o País está manietado, onde a maioria da população (80%) trabalha para sobreviver precariamente, e sustentar uma minoria (20%) aboletada direta ou indiretamente no Estado. Vamos em frente Amoedo, sabemos que é um processo lento, mas que se faça a coisa certa.

  73. É um Cavalo de Troia. Se analisarem o discurso verão que ele é um tucano, o NOVO é globalista e totalmente alinhado com a ONU e desconfio que seja o braço politico do Itaú.

    1. O NOVO é o único partido baseado em valores e o Amoedo é disparado o melhor candidato que temos. Informe-se melhor. Ou será que você quer contribuir para disseminação de mentiras?

  74. Otimo artigo. Acompanho a caminhada do Novo faz algum tempo. Boas propostas,corrente e,principalmente ,pessoas preparadas para ocuparem cargos públicos. Lamentável que não receba mais atenção da imprensa que não a imprensa virtual. Fala-se de outros candidatos com baixo índice de eleitores mas o nome dele não é mencionado ...Procuro compartilhar o programa do partido mas ,na verdade as pessoas só gravam os atos de corrupção que aparecem na rede. O que poderia ser bom para o país passa longe....

  75. Sou pai de família, estou desempregado, mas me diga ao NOVO e apoio o partido como posso. A proposta do NOVO para o Brasil é a que eu quero para os meus filhos. Chega de trabalhador sustentando burocratas cheios de privilégios e suas empresas parceiras.

  76. Foi meu candidato por muito tempo. Hoje, compreendo que a nossa nação precisa de uma chapa forte e conservadora com patriotas como capitão Jair Bolsonaro, economista Paulo Guedes e doutora Janaína Paschoal para interrompermos o processo de degeneração cultural em que os caciques da quadrilha socialista PT-PSDB-PMDB nos tem afogado por décadas.

    1. Vamos botar Amoêdo X Bolsonaro no 2º turno, se deixarem o Amoêdo ir aos debates.

    2. Na chapa do Bolsonaro só ele está garantido. Janaína ainda não aceitou ser vice. E nada garante que Guedes estará no governo de Bolsonaro. O histórico do Bolsonaro é ruim (posicionamento oposto às propostas que hoje prega para economia, sempre defendeu privilégios, inclusive para deputados). O PSL é um partido também com histórico ruim (partido nanico há 20 anos, teve um único presidente até hoje que também é deputado há 20 anos / já se coligou com partidos de todo tipo, de PP ao PSOL).

  77. Liberalismo demais, também não é bom! Vejam na França quem paga o fim do imposto sobre a fortuna: os aposentados e a os mais pobres. Nunca façam confiança num garagista ou num banqueiro!

    1. @RÉVOLUTION, mas o problema na França não foi o LIBERALISMO. . O pouco LIBERALISMO agora está tentando resolver o PROBLEMA QUE AS ESQUERDAS CRIARAM HÁ MUITO TEMPO. . AS ESQUERDAS venderam terreno na lua, de que taxar grandes fortunas resolve (como o ciro JOJO TODINHO gomes defende para o Brasil), e os franceses compraram.

    2. Não há liberalismo nenhum no Brasil. Privilégios demais para poucos e mercado cheio de barreiras. A França, mesmo cheia de problemas, seria o paraíso para o brasileiro médio.

Mais notícias
Assine
TOPO