Ministro sem caneta

13.09.19

Incumbido da missão de azeitar a relação do Palácio do Planalto com o Congresso, o chefe da Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos, tem se queixado das dificuldades que alguns ministérios têm imposto para atender demandas de parlamentares. “De que adianta ser ministro sem ter a caneta?”, desabafou, recentemente, durante uma conversa franca. Entre os alvos das reclamações do ministro-general estão desde pastas comandadas por colegas da chamada ala ideológica do governo, como a da Educação, até as que são chefiadas por políticos, como a da Saúde.

Suamy Beydoun/Agif/FolhapressSuamy Beydoun/Agif/FolhapressRamos, o general que não gosta de ser chamado de general: à procura da caneta 

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Sou obrigado a ser repetitivo, nas minhas críticas a Crusoé, revista que assino desde o início e que reputo de boa qualidade: esse tipo de 'notícia' não é ... notícia. Como disse uma leitora, anteriormente, não há fundamentos, informações objetivas - no máximo seria, uma 'fofoca'. O general falou com quem? Reclamou, especificamente, de quem? Quando? Em que circunstâncias?

    1. INFELIZMENTE COMEÇOU COM O TOMA LÁ DÁ CÁ DA REFORMA DA PRÉ QUE NINGUÉM QUER ADMITIR.

    1. É por isso que temos tantos problemas. Quem não delega não dá conta de resolver tudo. Ele escolheu pessoas competentes para alguns ministérios mas, quer passaram por cima delas é impor sua vontade e afirmar o tempo todo que quem manda é ele. É uma pessoa completamente insegura.

  2. Até quando teremos que aguentar sinais do tipo, recebimento de demandas por parte do legislativo? pois foram eleitos para legislar e fiscalizar e ponto! cada um cumprindo seu papel, teremos um país melhor!

  3. Não está conseguindo convencer alguns colegas de entrar no jogo do toma lá dá cá. É o governo JB seguindo a velha política. O velho sistema do PT está de volta com outra roupagem.

  4. A edição desta semana só tem desilusão. Salvam-se a "apocalipse zumbi de BH", que me me fez gargalhar, e essa notícia: "dificuldade para atender a demandas de parlamentares". Chega de conluio para fortalecer as instituições.

  5. Achei a matéria incompleta e dúbia , perniciosa até sem dados relevantes e confiáveis . Desde o título , a foto e a ( falta) de conteúdo da fofoca.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO