RuyGoiaba

O Dia da Boa Notícia

13.09.19

Pensei em começar este texto perguntando “onde você estava quando soube dos atentados de 11 de setembro de 2001?” (sim, se há uma coisa de que ninguém pode me acusar é originalidade. Aliás, “originalidade” é frescura: é coisa de quem concorre no Carnaval naquela categoria “alegorias e adereços”. Mas divago — melhor fechar o parêntese). Como vocês nem eram nascidos, deixemos a efeméride para depois. A pergunta é: onde vocês estavam quando aconteceu o apocalipse zumbi em Belo Horizonte?

Ah, vocês não ficaram sabendo, seus colonizados? Coisas gravíssimas acontecem no Brasil todos os dias, debaixo dos seus narizes, e vocês nem tchuns? Pois leiam esta chamada que o jornal mineiro O Tempo colocou nas redes sociais no dia 9 deste mês: “Mesmo após morte, moradores de BH são flagrados andando de patinete sem equipamentos de segurança”. O Bananão está numa lama tal que até os mortos circulam de patinete – sem capacete! — em uma das maiores cidades do país e ninguém está nem aí.

A ambiguidade na hora de redigir um título ou uma manchete é, desde sempre, uma das maiores fontes de humor involuntário no jornalismo. Todo mundo que trabalhou em redação conhece histórias semelhantes à do clássico (embora talvez apócrifo) cartaz de salão de barbeiro que anunciava “corto cabelo e pinto”, em que a ordem dos fatores altera MUITO o produto.

Faz alguns anos, houve um “manifesto contra a nudez de Pedro Cardoso”, que eu subscreveria se fosse exatamente nesses termos — mas era, ai de nós, um manifesto do ator contra a nudez. E, há mais tempo ainda, um jornal publicou o enunciado “Ministério Público apura contas fora do país de Maluf”. Nesse caso, tratava-se de jornal impresso, com título em uma coluna, e o redator não conseguiu fazer caber “contas de Maluf fora do país”. O resultado foi a fundação da MALUFOLÂNDIA, esse estranho lugar em que todo mundo fala pelo nariz e tem obsessão por Minhocão e a Rota na rua.

Mas o melhor exemplo de humor involuntário (e negro) que conheço foi proporcionado não por um jornalista, e sim por esse gênio da publicidade que é Nizan Guanaes. No início dos anos 2000, o publicitário era dono do iG e sentia falta de “boas notícias” — coisa 100% avessa ao espírito do jornalismo, essa profissão que existe exclusivamente para fazer as pessoas se sentirem mal — em seu site. Um belo dia, Nizan decidiu que o iG faria um Dia da Boa Notícia: só notícias positivas, edificantes, para levantar o astral e deixar o leitor felizão da vida, como se vivesse em um mundo decente.

E qual a data escolhida para implantar o Dia da Boa Notícia? Essa mesma que você pensou: 11 de setembro de 2001. O site bombou, mas não no sentido que Nizan imaginava. Ele merecia que a Al Qaeda lhe mandasse os parabéns.

***

A GOIABICE DA SEMANA

Decidi decretar, mais uma vez, empate técnico entre duas goiabices. A primeira é de Eduardo Bolsonaro, colaborador frequente deste espaço, que defendeu o tuíte do irmão Carlos sobre a “lentidão” das vias democráticas com a citação “a democracia é a pior forma de governo, com exceção de todas as demais”. Segundo nosso futuro embaixador em Uóxinton, a frase é de WILSON CHURCH, desconhecido a ponto de não ter nem sequer verbete na Wikipedia. Talvez seja o Uílson da Igreja, parceirão lá de Rio das Pedras.

A outra é o seguinte tuíte de Zeca Dirceu, campeão da semana na categoria “what the fuck”: “A Apple lança o iPhone 11, enquanto isto Bolsonaro segue sem implantar 1 ação sequer para gerar empregos. Ouvi que iPhone terá 3 câmeras, não sei bem qual serventia terá. Pior é termos um presidente sem cérebro”. Não sei o que o filho do Dirça fumou, mas tem cara de ser da lata.

Reprodução/redes sociaisReprodução/redes sociaisZeca e seu iPhone com um Bolsonaro oculto atrás, o que é muito importante

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Atenção Eduardo Bolsonaro: não confunda "capitão de fragata" com "cafetão de gravata" (Winston Churchill deve ter se revirado no túmulo...)

  2. o tal do Nizan é mesmo uma enganação, como a maioria dos publicitários. Posa de gênio e a realidade mostrou o que ele é, um bobinho apenas.

  3. Goiaba! Quando eu era jovenzinho lá pelo início dos anos 60, referir-sea alguém como sendo Goiaba era pejorativo. "Aquele cara é Goiaba", nossa! Mas vamos ao que interessa. 1-Acho preferível o Eduardo, com Wilson e tudo, na embaixada americana, do que a corja aparelhada que lá está e que nada faz para melhorar a imagem do Brasil. 2- Entre o Zeca Dirceu e um saco de estrume, fico com o segundo porque o estrume serve para adubar e o saco se pode lavar e reaproveitar.

  4. Uma certa feita, aqui em fortaleza , um Jornal local ao noticiar a morte de uma criança intoxicada por um mingau, lascou a manchete: Papa mata criança

    1. Leia de novo, talvez seu humor não esteja em dia com o momento...

  5. O morto precisou resolver o problema, pegou um patinete... por que essa necrofobia agora? Olhaí ministro leWando, olha o preconceito, olha o racismo, olha a xenofobia do Goiaba!!!!! Brasil de todos, tá bom?

  6. Quase morri de rir. O Goiaba é o tudo de bom da Crusoé. E fica a pergunta: o que as faculdades de jornalismo andam ensinando aos alunos?

  7. Não tem nada a ver, mas lembrei daqueles "notícias populares" que tinham manchetes do tipo "Cachorro faz mal a moça", "Adubava bananeiras com cadáveres"... diante do contexto chegam a ser ingênuas...

    1. Lembrei de uma de O Dia: "Matou a mãe sem justa causa".

  8. Quando li o comentário do filho zero à esquerda do Bolsonaro citando Wilson Church ri muito desse humor energúmeno. Com a lapidada do Goiaba ri em dobro. E de quebra Zecagão Dirceu que ainda fuma o da lata. Goiaba cada dia melhor.

  9. Lembrei de duas pérolas( relação com a matéria do Rui Goiaba): Espingarda para homem de 2 canos e fogão para mulheres de 2 bocas. Rsrsr

    1. Hahah, larga a mão de ser burro, cara! hahaha Goiabou, total.

  10. O iguinorante do Eduardo Bolsonaro estava se referindo ao primeiro- ministro britânico durante a segunda guerra, Sir Oisto Tio Tchu.

    1. Vi o vídeo , Eduardo pronunciou certo ! Isso é pura maldade .

  11. Mais triste ainda e ver uma âncora de jornalismo da Globo rindo do 11 de setembro dizendo que completou a maioridade e ja pode votar. Seria bom ver nessa revista o que ocorre na Europa em decorrência da égira muçulmana e os países que a defendem talvez por ignorância do conhecimento de História lembrando que os muçulmanos foram os primeiros povos a escravizar o território europeu.

    1. Celina, põe no seu Google cheio de cookies igrejentos o verbete “Vercingetorix”, quem sabe vc enxerga a história para além do século VI a.C.

    2. A fixação pela Globo, dos fanáticos pelos que estão no poder é impressionante. Para o pessoal do PT, a Globo era culpada de todo mal do mundo. Agora surgem os bolsoasnistas...a ladainha é a mesma.

  12. Pô, hoje foi de chorar de rir. Esses jornalistas, publicitários e políticos aí citados nada ficam devendo aos presos de Bangu 1 que chamam o Governador fluminense de Whitney Houston.

  13. Excelente! Adorei isso! Reflete muito do "sofrimento diário" que estamos passando atualmente, ao ler e ouvir notícias e comentários de muitos jornalistas. Acabo de ouvir noticias na Rádio Gaúcha, dignas desta coluna. Coisas do tipo: "A PF prendeu uma mulher com 12 quilômetros de cocaína". Se para mim, pobre mortal, já é difícil ouvir um jornalista confundir Kg com Km, imagino o que é para um jornalista ou escritor bem preparado. Ainda bem que existe o bom humor para nos salvar! Obrigado Ruy!

  14. kkkk, desopilei meu fígado!Vejam só o embaixador que caiu nas graças do Dona de Tramp! Bom embaixador para ele deve ser aquele que mais se abaixa!

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO