Ian Cheibub/FolhaPress

“Eu tenho luz própria”, diz Marinho

O empresário afirma que não precisa da proximidade com políticos para fazer negócios e ganhar dinheiro. E nega que tenha interesses especiais no governo de Jair Bolsonaro
09.11.18

Paulo Roberto Fonseca Marinho, 66, é quase unanimidade entre políticos, famosos e ricaços: quem o conhece o define, na maioria das vezes, como uma figura amigável e muito bem relacionada. Ele tem o típico perfil de empresários e consultores que prosperam dentro ou fora do governo. Sempre há alguém simpático que conhece alguém, que conecta pessoas — que, enfim, fazem negócios. Não há, necessariamente, crime nesse tipo de atuação. Paulo Marinho refere-se ao seu jeitão com orgulho: “Durante a minha vida inteira eu fiz isso, entendeu? Amizade. Então, eu conheço pessoas de todo o tipo”. Nesta quinta-feira, ele atendeu Crusoé. Falou de sua trajetória, de como ajudou José Dirceu, do apoio que deu ao filme de Lula, da amizade com João Doria e, claro, da proximidade com Jair Bolsonaro. “Tudo o que estão te falando aí de negativo eventualmente pode te dar problema, só isso. Entendeu?”

O que o sr. tem a dizer sobre ser comparado por algumas pessoas com o mensaleiro Marcos Valério?
Desculpa, querido. Sabe o que é isso? Isso é fruto deste momento de exposição… Porque também é o seguinte: eu, para ser uma pessoa reconhecida, não preciso trabalhar na campanha eleitoral de ninguém, de nenhum político, entendeu? Eu tenho luz própria. Tenho 66 anos de idade. Estou na última quadra da minha vida, minha vida está feita. Está entendendo? A minha história de vida não vai começar agora. Ela já começou há muito. Minha vida não começou na campanha do capitão Bolsonaro, entendeu? Não tenho nenhum interesse. Tenho o maior apreço pela família, o capitão sempre foi muito cordial comigo, nunca estive em nenhum evento em que eu não tivesse sido convidado para estar.

O senhor pretende assumir a cadeira de Flávio Bolsonaro no Senado, como foi ventilado recentemente?
Não, eu não pretendo assumir, a não ser que o capitão me convoque para assumir. Aí eu faria com o maior prazer. Eu acredito no governo dele. Então, a liderança dele para mim é a grande liderança nacional no Brasil. Eu estou num governo, no Brasil hoje, de direita, entendeu? É isso o que me move, uma questão ideológica. Não tenho nenhum interesse no governo de forma nenhuma. Jamais serei um personagem que transita dentro do governo. Jamais. Pode esquecer. Isso não é minha praia. Tenho uma vida feita, quatro filhos para cuidar, tenho uma família maravilhosa. Tudo o que estão te falando aí de negativo, eventualmente pode te dar problema, só isso. Entendeu? Mas se você for correto na sua apuração, você vai ver que não tem nada disso, entendeu? Não tem problema nenhum, aí você me bota como o futuro Marcos Valério de alguma porra, entendeu?

Há pessoas no entorno do presidente eleito que têm receio quanto ao seu papel no futuro governo.
Eu não tenho nenhuma intenção em participar do governo. A minha participação na campanha foi a pedido do capitão, durante o período da campanha. Ali se encerrou meu trabalho de ajudá-lo. Foi uma questão de natureza ideológica. Só para ficar claro: não tenho nenhum interesse, nenhuma intenção, nem próxima, nem longe do governo. Aliás, me desculpe, não é a primeira vez que eu tenho participação em projeto político-eleitoral. Eu ajudei a eleger o Moreira Franco governador em 1986. Atuo na política do Rio de Janeiro há muito tempo. Conheço todos os políticos do Rio. Nunca quis entrar na política. Então essa questão de preocupação em relação a mim — não há nenhum sentido lógico nisso.

O que o sr. pretende fazer, então, nos próximos anos?
No governo, nada. Eu pretendo continuar minha vida. A minha participação no episódio do capitão Bolsonaro se encerra para mim no final da campanha eleitoral. Eu não tenho nenhuma intenção. Não fui convidado para absolutamente nada. Prefiro ficar fora de qualquer atividade de governo, porque acho que estou na torcida aqui, como todos os brasileiros, para que o governo seja um sucesso, como eu acredito que vai ser.

Como se aproximou de Bolsonaro?
Sou amigo do Gustavo Bebianno (assessor de Bolsonaro) há 30 anos. Nós nos conhecemos no escritório do doutor Sérgio Bermudes, de quem eu sou irmão e amigo. Ele era estagiário, eu era empresário, já tratava de assuntos jurídicos com o Sérgio, e o conheci lá. Depois, em 2000, ele era diretor jurídico do Jornal do Brasil. Quando o Nelson Tanure comprou o Jornal do Brasil, eu cheguei e ele estava lá como diretor jurídico e nós trabalhamos durante um período juntos no Jornal do Brasil. E, desde então, a gente mantém um relacionamento social, de amizade, enfim. Há um ano, ele me procurou, me perguntando se eu estaria disposto a ajudar na campanha do capitão Bolsonaro, eu aceitei o convite e imediatamente fiz parte do grupo que estava ajudando o capitão na campanha. Foi isso.

Quais são seus negócios hoje?
Minha vida é calma. Tenho quatro filhos maravilhosos, uma família maravilhosa. Eu tenho uma empresa de consultoria comercial, tenho alguns clientes, trabalho, faço alguns negócios na área imobiliária, e é isso. A minha vida é isso. Exatamente como eu te contei agora.

O que diz sobre os relatos de que há diferenças entre o sr. e Gustavo Bebianno e os filhos de Bolsonaro?
Deixa eu te falar a verdade, tá? Para você ficar bem informado em relação a isso. Eu tenho uma ótima relação, recente, mas muito boa, com o Flávio, de quem eu sou suplente no Senado. E, aliás, só um registro: foi ele quem me fez o convite para que eu aceitasse a honrosa função de suplente dele. Então tem uma relação recente, mas muito boa com ele. Eu admiro muito o Flávio, um cara preparado, acho que ele vai fazer um belo trabalho no Senado. Em relação aos outros dois irmãos, o Eduardo eu praticamente não conheço. (Ele) foi uma única vez na minha casa durante o período da campanha, tá? E o reencontrei no dia da apuração na casa do pai, onde a gente se cumprimentou, mas não tenho nenhuma relação com ele pessoal. Com o Carlos, idem, eu não tenho nenhuma relação pessoal com ele. Assim, toda vez que eu fui à casa do pai dele, a convite do pai, e que eu cruzei com ele, sempre foi muito amistoso comigo, e eu com ele. Mas é uma coisa assim absolutamente formal. Nunca trocamos mais do que dez palavras. E não tenho nenhuma animosidade. Ao contrário, o Gustavo (Bebianno) se dá muito bem com os três, os três reconhecem o trabalho que o Gustavo fez para a campanha. Então eu acho que isso aí é uma coisa fruto da… Sabe aquela coisa da intriga palaciana? Aquela coisa do início do governo, botando uns contra os outros?

O sr. apoiou o João Doria antes de se aliar a Bolsonaro?
O Doria é amigo meu de longa data. E quando ele ensaiou que ia disputar a presidência, eu, de fato, achei que era uma boa alternativa. E eu comecei a ajudá-lo nos trabalhos. Fiz dois encontros no Rio para viabilizar esse apoio.

O sr. é tido como um abridor de portas no meio empresarial de Rio e São Paulo e no Poder Judiciário.
Eu deixei saudades e amigos por onde passei. Então, como me considero uma pessoa do bem, e eu já tenho 66 anos de idade… Eu tenho muitos anos de vida. Durante a minha vida inteira eu fiz isso, entendeu? Amizade. Eu conheço pessoas de todo o tipo. Empresários, jornalistas. Aliás, onde eu tenho mais amigos é no jornalismo.

Como foram seus anos em Brasília?
Morei três anos em Brasília. Fui muito feliz lá. Meus filhos eram pequenos, estudavam na Escola Americana. Eu na época aluguei uma casa muito boa, ali na Península dos Ministros (área nobre do Lago Sul). Fui muito feliz. Fui vice-presidente do Jornal do Brasil e da Gazeta Mercantil. Fiz um trabalho muito interessante para o jornal na época. Foi um período muito agradável da minha vida. Gostei muito da cidade.

O sr. fazia festas para convidados ilustres na sua casa?
Eu fiz muitas, muitas. Eu recebia muito, porque é uma cidade que tem um pouco essa característica, né? Mas eram todas reuniões, recepções voltadas para o interesse do jornal, entendeu? Como eu representava dois jornais importantes na época em Brasília, eu promovi vários encontros lá, seminários, palestras, coquetéis, jantares, enfim, eu recebia muito na minha casa.

Dirceu, Dilma e Sarney passaram por lá?
Exatamente. Todos esses que você falou passaram por lá. E eram pessoas com quem eu mantinha relacionamento. Na época que eu cheguei em Brasília, era no período do primeiro mandato do presidente Lula. E naquela ocasião o Zé Dirceu era ministro-chefe da Casa Civil e ele, enfim, era convidado para os eventos do Jornal do Brasil, sempre prestigiou o jornal na época. O presidente Sarney era o presidente do Senado naquela ocasião. Eram pessoas com quem eu mantinha uma relação institucional.

Com Lula também?
Não, o Lula, eu estive com ele uma única vez no palácio, acompanhado do Nelson Tanure, para uma entrevista… uma visita de cortesia do jornal.

Por que o sr. ajudou a arrecadar fundos para o filme do Lula?
Eu sou muito amigo do Luiz Carlos Barreto, e o Barretão foi produtor do filme do Lula. Naquela ocasião, eu ajudei a encaminhar alguns contatos para que ele pudesse apresentar o projeto. Mas não estive diretamente envolvido na produção do filme, não.

José Dirceu estava na sua casa na véspera de ser cassado na Câmara, e o sr. chamou parlamentares para tentar evitar que ele perdesse o mandato.
De fato eu mantinha relação de amizade… quer dizer, não uma amizade, mas enfim, tinha uma relação com o ministro Zé Dirceu, e ele naquela ocasião me procurou, porque eu tinha um grande amigo meu que era deputado, para me pedir para dar uma palavra com um amigo meu deputado, que era uma pessoa da minha amizade, que iria votar e provavelmente… acabou votando, infelizmente, contra ele, lá naquela votação da cassação. Mas foi exclusivamente (para perguntar) se eu poderia apresentar esse amigo meu, deputado do Rio de Janeiro, para ele. Foi isso.

Além de representar o JB e a Gazeta Mercantil, o sr. fazia lobby para Nelson Tanure, seu ex-chefe, em Brasília.
Trabalhei com o Nelson Tanure durante 17 anos, tá? E, além de trabalhar com ele, nós tivemos uma relação pessoal, de amizade. Inclusive ele é padrinho de batismo da minha filha. Além de trabalharmos juntos, nós éramos amigos. E obviamente que no período em que eu estive em Brasília representando o Jornal do Brasil, em algum momento ele me pediu alguma ajuda para estabelecer algum contato em Brasília, que eu não me recordo exatamente em que situação foi isso, mas enfim… Nada que eu tenha feito sistematicamente, entendeu?

O sr. ajudou Tanure no acordo milionário que ele fez com a Petrobras?
Ele tinha uma ação de realinhamento de preços de um navio que os japoneses construíram para a Petrobras, e essa ação foi herdada pelo Tanure. E tinha lá um contencioso em relação a isso, mas nada diferente do que eu estou te falando. Aliás, essa ação nem era do Tanure, originalmente era uma ação de um grupo japonês. Foi esse estaleiro dos japoneses, o Tanure comprou no Brasil.

O sr. fez lobby para que o acordo saísse? Pediu ajuda para Dirceu?
Não, eu não fiz… Imagina… Nem, pô, pelo amor de Deus.

Por que o sr. ganhou 20% do valor desse acordo de Nelson Tanure com a Petrobras?
Eu fiz um acordo com o Tanure, ele me pagou um dinheiro da rescisão trabalhista, e eu fiquei credor de uma série de ações judiciais que o estaleiro tinha contra algumas empresas, entendeu? Eu fiquei com um percentual de 20% do resultado dessas ações que transitavam na Justiça, contra várias entidades. Então é isso.

Restabeleceu relações com Tanure?
Restabeleci. Nós estamos concluindo um acordo naquelas ações, naquele contencioso que eu tinha contra ele e ele contra mim. Enfim, foi um período em que a gente esteve distante, mas que a gente está acertando agora. Eu fico muito feliz por isso, inclusive.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

Edição nova toda Sexta-Feira. Leia com Exclusividade!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

Deixar para mais tarde

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Não tive energia para sair de casa para votar no segundo turno das eleições presidenciais 2018. Não foi omissão. Um lado era a certeza de reeleger um grupo de mafiosos que saquearam e empobreceram o país, acabando com as expectativas de futuro dos jovens. Vemos pais de família desesperados sem saber como suprir o básico das necessidades familiares. O outro lado não me inspirou segurança. Analisei muito de quem estavam cercados. Pelo que leio na entrevista, minhas desconfianças têm sentido de ser

    1. Penso que o REINALDO tem razão. O Bolsonaro tem se mostrado consciente. Mas tem que ficar alerta. Esse cara, amigo de Tanure e ZDirceu, não é flor que se cheire e sendo próximo de um de seus filhos poderá influir no governo. Aliás, precisamos alertar nosso bom Bolsonaro que nosso voto foi para ele (não elegemos sua família), portanto, ele deve valiar bem suas decisões. E ter muito cuidado quando ouvir "sugestões" ...

    2. Vc está olhando apenas um deslize... comente os nomes como Sérgio Moro, Paulo Guedes, General Mourão, General Heleno, Marcos Pontes, Joyce Hasselman, Janaína Pascoal......

  2. Inicial. Comentei e não saiu. O amigo e inimigo e depois amigo novamente do lobista, que aqui não é profissão regulamentada. Aqui é picaretagem. As reuniões com Dirceu etc. era para resolver problemas da Gazeta Mercantil, Jornal do Brasil , Petrobrás e outros processos mais. O Tanure é a mola mestra da discussão que sempre esteve por trás de tudo. Nos EUA a profissão é regulamentada aqui não é , por isto mesmo é picaretagem. Ele tem de ter cuidado, e seus filhos parece têm razão...

  3. ,,,(continuando) A sua ligação com o Tanure, o escritório de advocacia, cuja chefe de escritório em Brasília é esposa de um Ministro, não recomenda muito. O Bolsonaro em uma linguagem popular vai entrar pelo cano. Muita gente foi prejudicada com a junção destes dois "amigos" e 'inimigos' de acordo com o momento. Para vocês fazerem uma bela reportagem é só frequentar os foros do Rio de Janeiro, Brasília e São Paulo e levantar processos.

  4. Qualquer governo, liberal, conservador ou socialista; democrata ou autoritário, terá que lidar com pessoas que transitam entre os vários grupos com poder. Variam apenas os títulos, se adequando à cultura política vigente, às leis e às instituições, de Estado ou da Sociedade Civil. Não tem jeito. Cuidado presidente eleito.!!

    1. Você tem razão, são sempre os mesmos "influenciadores", e é fato que os governos precisam do apoio de quem transita em todos os grupos, o problema é a que preço, cuidado mesmo presidente eleito.

  5. Sr. Juiz , cartáo vermelho, ante de comecar o jogo, senáo já comeca perdendo de goleada, é o que a torcida do outro time tá a-do-ran-do.

  6. Bolsonaro e filhos, lembrem-se dos ditados: 1) diga-me com quem andas e te direi quem és 2) Nāo adianta os filhos de Cesar serem honestos, eles tem que parecer honestos ( adaptaćāo própria para a ocasiāo) .

  7. NÃO tem luz própria. Se tivesse, não seria lobista. Esse fulano não é algo mais evoluído do que um parasita. Obviedade aristotélica.

  8. Meu Deus!!! Acabamos de saber que o Brasil "ganhou um novo Santo". Ele chama-se Paulo Marinho. Generais e Moro, abram o olho o Bolsonaro. Que Deus nos ajude.!!!

  9. "Não precisa de políticos" mas, se fizer um Raio-X do saco deles, tá lá voce, pendurado nas bolas dos caras, né? Desculpem o exemplo grotesco, mas minha paciência com esses mentirosos, que nos tomam por débeis mentais, já esgotou faz tempo.

  10. Fala muito, mais que o Villas Boas Correa. Bolsonaro se cuida que estáo armando, é vitamina mixta com leite tipo A vencido. O sr. Reitor , aquele deputado carioca , tá articulando , o negócio dele tá feio e o nome do Cabral tá no meio, de novo.

  11. Tá, entendemos muito bem! Ser um iluminado permite ter o feeling de perceber o potencial de alguém para ser ou vir a ser uma pessoa de destaque na sociedade. Entendido! Rs

  12. Bem que o Ir.'. tão bem relacionado poderia me dar uma ajuda profissional já que no momento estou no limbo. Escrevo muito bem e poderia ser útil editando textos na condição de copista. Aguardo um convite. Abraços Fraternos.'.

  13. Ele é um abridor de portas , ele faz contatos é o trabalho dele. E é óbvio que ele ganha por isso. Acho natural, isso vale muito no mercado, O cara dá toda uma acessória e isso tem um custo. Bolsonaro sabe o que está fazendo, e ele está cercado de militares estrategistas!!! Creio que sabe onde está pisando.

  14. Luz própria? Só se vier do plano astral. Que ser mais contravertido, se escamotea o tempo todo. Dá voltas, nega evidências. Como môscas de padaria ele sobrevoa o possível a ser pilhado. E cá pra nos: De boas intenções o INFERNO TÁ CHEIO! CAI FORA CAPITÃO ENGUANTO É TEMPO! PELO AMOR DE DEUS O BRASIL NÃO MERECE MAIS GENTE DESTE TIPO!

  15. Típica mistura de bagre ensaboado com ave de rapina mais pitadas de síndico de alcova . . . o recado está dado. CUIDADO BOLSONARO. A maioria dos que aqui escrevem já sentiram o cheiro de algo que não parece muito fresco!

  16. Interessante o cara nunca fez nada,como ele próprio coloca e é tudo isso??Ja fui questionado por uma amiga muito influente sobre esse Sr.Como não o conheço,nada disse,tampouco o apoiei.Única colocação minha foi q nada tem a ver com a Globo.Agora começo a ficar preocupado,me parece um JAW!!!

  17. Concordo com você, eu também estou um tanto decepcionada com a revista, não tenho conseguido achar boas as reportagens. Na Sexta Feira ela chega com notícias super conhecidas da semana Nem furos noticiosos eles conseguem. O máximo, biografias como a de este personagem Marinho.

  18. Não confio em escalador social ao parecer já com apenas 14 anos fazia isso esse linguajar de....tá...entendeu..golpeado com o repórter, parecem ameaças! Não passa confiança Só concordo com uma coisa.....conhece muita gente influente e um dado desses vale dinheiro. ele se relaciona bem e mantém isso, é um dom que não todo ser humano tem. Só que este personagem usa esse dom para se beneficiar financeiramente, ou seja , por puro interesse próprio.

    1. Bolsonaro, foge deste personagem. Você não precisa de esta pessoa que esteve do lado do PT que você e nós combatemos.

  19. Bolsonaro levou uma facada, então poderia não estar mais aqui. Então vou acreditar que ele realmente representa uma ameaça aos esquerdopatas! Agora como um amiguinho de Zé Dirceu é amigo de Bebiano e empresta a casa pra Bolsonaro. Por que Bolsonaro lhe recebe em casa? E o Adélio fica aonde nessa história?

  20. Então quero mais informações desse Bebiano que é conhecido de longa data desse Marinho! É a primeira vez que ouço falar desse cara (o tal Marinho). Penso que Sérgio Moro não iria aceitar ser ministro se tivesse muita corrupção envolvida! Essa é a minha esperança!

    1. Será que o Juiz Moro sabe? Acredito que não como todos nós que estamos só agora conhecendo este Marinho.Penso que até o Bolsonaro terá surpresas com esta reportagem.

  21. Esse lobista foi ou é amigo e sócio do bandido petista Zé Dirceu e ainda ser escolhido pelo filho do Bolsonaro Flávio como seu suplente e ajudou o Bolsonaro na campanha, isso não posso aceitar, se começar assim logo o povo vai se decepicionar, nem assumiu a presidência po rra.

    1. Pessoa perigosa.O Jair Bolsonaro deve abrir o olho com esta reportagem

  22. Para este sujeito não importa a amizade, mas sim o que ela poderá lhe render. É um típico representante da escória da sociedade.

  23. "Tudo que estão te falando aí de negativo, eventualmente pode te dar problema, só isso. Entendeu?" Não entendi bem, foi uma ameaça, uma tentativa de intimidação? Essa turma está muito mal acostumada.

    1. Claramente entendi como ameaça.....entendeu....tá... para mim foi ameaça

    2. Realmente não entendi. Só o jornalista pode nos dizer como interpretar tal frase.

  24. Sei não, não que eu queira meu voto de volta, mas , acho que tem alguma coisa estragada no rei no da Dinamarca. Torço para estar errado. Não gostei do tom hostil dele para com a Crusoé.

    1. no votei no Bolsonaro para se juntar a este tipo de gente

  25. Já no começo da entrevista Marinho afirma que é uma questão ideológica que o move. As respostas são duvidosas, deixam lacunas sobre a intenção desse senhor, que se diz sem intenção...

    1. ideológica? Hummm....É quando andava junto ao PT , o quê era? Pessoas assim são perigosas O Bolsonaro que fuja desta pessoa

  26. ATENÇÃO, FAMÍLIA BOLSONARO! Cuidado com estes caras que foram petistas, defenderam petistas, subiram na vida "fazendo amizades"... BRASÍLIA e o PODER são terríveis, sempre com punhais nas costas!

  27. Crusoé, por que não colocou esta matéria primeiro? Vocês levantaram suspeitas sobre a idoneidade de Bolsonaro, solapou o entrevistado, levou os leitores a chamá-lo de bandido, isto me cheira como má fé. Mais uma vez: ele sabe como fazer dinheiro , quem não iria querer conhecer pessoas que ajudasse a subir na vida? Eu adoraria, onde está a bandidagem? Houve roubo aos cofres públicos?Façam uma matéria bem grande da safadeza de ontem do Senado e STF. Isto é bandidagem.

  28. Uma pessoa normal conta os amigos que possui nos dedos de uma das mãos, entendeu?. O que o Paulo Marinho tem de "grandes amigos" é invejável, entendeu?. É mais fácil ganhar na mega sena algumas vezes do que ter todos eles, entendeu?

  29. A cada pergunta do jornalista sempre respostas evasivas e um "entendeu" no final da evasiva. Entendeu? Blá, blá, blá, entendeu? Bla, bla, blá, entendeu? Ninguem entendeu "pô" nenhuma. Entendeu? Caro Bolsonaro, cai fora destes entendidos do mundo das respostas evasivas. Só querem grana fácil. Entendeu? L. E. Simonassi

    1. O nível das entrevistas está péssimo. Só caras suspeitíssimos e totalmente inidôneos. Não tem por que entrevistar alguém que se presume que falará um monte de mentiras.

  30. Parece ter sido arrogante com o jornalista. Bolsonaro precisa se afastar deste senhor independente de qualquer coisa. O Tanure acabou de dar emprego para Eduardo Paes, diretor do Jornal do Brasil.

  31. Lá vem o pessoal do Sergio Cabral , Dirceu. Greenhalg, Ronaldo Cesar Coelho, Alexandre Accioly, Aécio Neves , se enfiltrando como hienas, fingindo como náo quer nada e no final NHAC ! Bolsonaro é escolher entre a corda bamba (sem rede de protecáo) e o cháo do Planalto.

  32. Pelo sim e pelo não, eu não daria espaço para este senhor; muito menos transito livre. E tem mais, dentre os preconceitos que não superei nem pretendo superar está a desconfiança que tenho com pessoas que iniciam uma resposta com "desculpa querido" ou vizinha que chega e fala "oi amiga/o" Imediatamente coloco minhas costas contra a parede .

    1. Concordo 100% A reportagem serve para nos alertar quem anda rondando Jair Bolsonaro a quem demos o voto é poder espernear e gritar TE CUIDA CAPITÃO! ABRE TEU 👁 e foge a 1000 por hora deste tipo de personagem entrevistado.

  33. Esse mundo dos lobistas é realmente de dar nojo! Esse Marinho senta à mesa com todos pela mesma razão...se dar bem! Espero que o Bolsonaro o deixe fora, no seu mandato Presidencial!

  34. A entrevista,me deixou mais preocupado.Uma Mata Hari do Dirceu.Falo como eleitor e torcedor da "Revolução Bolsonaro"(mudança rápida).Vejo ameaça ao "core" do projeto.

  35. Empresário de consultoria comercial que não tem nenhuma empresa em seu nome? complicado... se diz realizado financeiramente e o patrimônio declarado é de 720 mil reais?... complicado amigo de jose Dirceu, nelson tanure e luz carlos barreto...complicado. se afaste desse cancro Bolsonaro

    1. Chama-se "muleta" linguística ou gramatical . . . um saco!

  36. Simulacros de contenciosos judiciais com fins à lavagem de dinheiro e ao escamoteamento de toda uma trama de lobbies e corrupção - negócio manjado, ‘entendeu’!? Aliás, apenas um adendo: o ‘entendeu’ manifesta-se, curiosamente, em paralelo e igualmente como inflexão retórica ao ‘tá ok’!!?

  37. Ué cadé meu primeiro comentário. Resumindo, todos conhecem a técnica do Coelho, vai de "primas" a garagalhadas de piadas sem graca, Um Falastráo que se deu bem, é altamente perigoso, age meramente por $, e náo é confiável. olho vivo que cavalo náo desce escada (Ibrahain Sued)

  38. Parabéns a Crusoé e ao jornalista Caio Junqueira, pela bela reportagem com o Sr. Paulo R.F. Marinho. Se alguma coisa acontecer lá na frente, já temos o fio da meada, do que pode vir a acontecer no futuro governo. Sucesso sempre ao Crusoé e sua Otima Equipe.

  39. Qualquer pessoa que tenha seu nome colocado ao lado do nome do José Dirceu - excetuando o do juiz que assina o mandado de prisão - não deve ser lá grande coisa.

  40. Show de jornalismo, essa entrevista. Entrevistador cortês, mas direto; insinuante, mas bem informado; respeitoso, mas provocador. O entrevistado, certamente, não deve ter gostado de tantas "balas certeiras". Espetacular!

  41. Viajaram futuros Presidente e vice juntos no mesmo avião. Mudança de planos em cima da Represa de 3 Marias Parece que a segurança é a que esperamos. Vai que o Adélio tinha preparado alguma!!!

  42. Meio não notícia essa história. “Cidadão atua para destravar burocracia no pais mais burocrático do mundo”. Lobby existe e por isso que é formalizado nos EUA. E quer reduzir a necessidade de lobby? Reduza este mamute que é a burocracia infernal brasileira.

  43. "Diga-me com quem andas que direi quem tu és" Um verdadeiro malandro que nada sabe e que nada vê. Para tu tem uma justificativa simplória. Abra o olho presidente!

    1. Se tiver algo errado com esse cara Sérgio moro vai achar

  44. Fala de familia e quer passar um ar de frugalidade. Labio de bajulador e coração fingido. Discurso direcionado propositalmente para soar bem aos ouvidos do capitão. Um playboy bom vivant que é rico sem nunca ter produzido nada de concreto. Mal que precisa ser extirpado pela raiz.

  45. Lábios de bajulador e coração fingido. Um playboy bom vivant que só fala de familia e quer passar um ar de frugalidade. Escreveu tudo para soar bem aos ouvidos do Sr. Bolsonaro. Esse mal tem que ser extirpado pela raiz presidente!

  46. Quem está na chuva é pra se molhar. Na política tem de tudo, anjinho com certeza é que não tem. Bolsonaro, apesar das suas boas intenções, vai ter que lidar com todo tipo de gente. Interesseiros, quando alguém está no topo, é o que mais tem na volta. Mas o Capitão, com a experiência de 30 anos como parlamentar, deve estar vacinado contra esse tipo de gente. Enfim, vamos ver no que vai dar. Todo cuidado é pouco. Ainda bem que os Antagonistas e a Crusoé estão de olho.

    1. Parabéns Júlio também penso assim...mas essa amizade com o Bebiano me incomoda...

    2. Até que enfim encontrei quem pensa como eu. Júlio e Cleuza. O povo não entende que Bolsonaro é macaco velho.

    3. Concordo com vc julio, até n nossa família muitas vezes temos pessoas não gratas, a formação dos ministérios nos dá alívio e 28 anos como deputado ensinaram ao capitão contornar obstáculos.

  47. Um caboclo que vende até a mulher!!! Marinho você irá redimir-se abrindo mão da suplência no Senado, prá mostrar pros seus irmãos brasileiros que o seu negócio é só dinheiro. Por favor.

  48. Nenhuma resposta de forma direta, o famoso vaselina. Bolsonaro, se afaste enquanto há tempo. Lembre-se que o Moro está muito perto!

Mais notícias
Assine
TOPO