Adriano Machado/CrusoéQualquer cidadão pode representar ao TSE contra partidos que recebem dinheiro estrangeiro, diz o ex-ministro

O registro do PT sob ameaça

Carlos Velloso, ex-presidente do Supremo, diz que a lei é clara ao proibir que partidos recebam recursos estrangeiros. A punição é a perda do registro. Como mostrou Crusoé, Antonio Palocci revelou à Lava Jato que dívidas petistas foram pagas com dinheiro da ditadura líbia
19.10.18

A última edição de Crusoé revelou o que Antonio Palocci, na condição de delator, contou à PF sobre a transferência de 1 milhão de dólares do ditador líbio Muammar Kadafi para o PT em 2002, ano da primeira eleição de Luiz Inácio Lula da Silva. Depois de uma intrincada operação para ocultar sua origem, o dinheiro, segundo Palocci, acabou sendo usado para quitar parte da dívida do partido com o marqueteiro Duda Mendonça. Tudo sob a coordenação e a anuência do próprio Lula, o beneficiário direto da generosidade de Kadafi, seu “amigo-irmão” que acabaria morrendo nove anos depois. Nesta entrevista, o ex-ministro Carlos Velloso, que presidiu o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), explica por que a legislação brasileira proíbe que partidos recebam recursos estrangeiros. A penalidade para as agremiações que desobedecem essa regra está no artigo 28 da Lei dos Partidos Políticos, em vigor desde 1995. O texto diz que o TSE deve determinar o cancelamento do registro e do estatuto do partido “contra o qual fique provado ter recebido ou estar recebendo recursos de procedência estrangeira”.

“É necessário que os partidos políticos não estejam subordinados de qualquer forma a agentes internacionais. Nada é mais importante no país do que a soberania do povo”, diz Velloso. Aos 82 anos, ele atualmente se dedica a palestras e ao escritório de advocacia que mantém em Brasília, juntamente com os filhos e um neto. O ex-ministro era presidente do TSE quando as urnas eletrônicas passaram a ser adotadas no país. Incomodado com o clima conflagrado que tomou conta destas eleições presidenciais, ele torce o nariz para as suspeitas lançadas sobre as urnas, vê a boataria nas redes sociais como um foco perigoso de desestabilização da credibilidade das instituições, mas discorda de quem acredita que a democracia no Brasil esteja em risco. Na entrevista que se segue, o ex-ministro também fala sobre as cada vez mais frequentes crises na Suprema Corte.

Na última edição, Crusoé mostrou que o ex-ministro Antonio Palocci forneceu à Lava Jato detalhes de como dinheiro do ditador líbio Muammar Kadafi foi usado para bancar despesas eleitorais do PT. Isso é legal?
Falarei somente em tese, sem me debruçar sobre o caso específico. O partido político não pode receber recursos financeiros de procedência estrangeira, seja de governos ou entidades. Se isso ocorrer, é cabível uma representação pedindo o cancelamento do registro da legenda. Qualquer pessoa pode denunciar. Nossa democracia se realiza através dos partidos políticos, e é necessário que eles não estejam subordinados de qualquer forma a agentes internacionais. É uma questão de soberania. Nada é mais importante no país do que a soberania do povo. A Constituição determina isso. Essa questão das doações sempre foi preocupante. Eu sempre achei que era preciso aperfeiçoar os mecanismos de fiscalização de doações, de prestação de contas.

A fiscalização sobre a origem do dinheiro usado em campanhas ainda é falha?
Quando um partido presta contas à Justiça Eleitoral, entrega a nota fiscal, mas um órgão que investiga vai lá verificar se realmente aquela empresa existe, se o serviço foi prestado? O órgão fazendário tem condições de fazer isso. A Justiça poderia ter o apoio de tribunais de contas, Polícia Federal, Polícia Civil, para verificar se uma nota fiscal corresponde à realidade. No momento em que chegasse um fiscal para averiguar, qualquer fraudador iria ficar amedrontado, de cabelo em pé. As irregularidades poderiam até continuar acontecendo, mas com frequência bem menor.

Mesmo preso, o ex-presidente Lula tentou se candidatar e tem comandado a campanha petista da cadeia. Que mensagem isso transmite?
Isso não é bom. É outro fator de desmoralização das instituições, altamente danoso à democracia e ao processo eleitoral. A desmoralização de instituições é gravíssima, e se parte de alguém (que já foi) ligado ao governo é mais grave ainda. Houve uma decisão de juiz de primeiro grau, confirmada por juízes de segundo grau, apreciada em vários aspectos pelo Superior Tribunal de Justiça e o Supremo Tribunal Federal. Dizer que foi condenado sem provas? O candidato que faz as vezes desse cidadão dizer que vão utilizar todas as medidas porque ele foi condenado sem prova? Ora, isso é uma barbaridade.

Por que os ânimos estão tão acirrados nesta eleição?
Tudo corria muito bem até surgirem as redes sociais e o notável computador que nós todos temos em mãos, que é o celular. As redes sociais hoje controlam o estado emocional das pessoas, que recebem uma notícia com algum aspecto verdadeiro ou totalmente falsa, e aquilo circula sem possibilidade de esclarecimento, porque já atingiu milhões. Esse recrudescimento, até com violência, de ambos os lados, se dá em razão disso. A rede social é o novo governante, o novíssimo formador de opinião pública, que descontroladamente funciona para o bem e para o mal. Infelizmente, está sendo mais para o mal. Esse acirramento não é bom e pode causar danos. Vivemos realmente um novo mundo no campo das informações. As leis, autoridades, poderes constituídos são atropelados por essa nova forma de governo, em termos de informação e opinião. Agrava a situação o fato de muitas dessas postagens em redes sociais não terem tipificação penal precisa. A presidente do TSE, ministra Rosa Weber, recebeu uma ameaça em uma mensagem que pôs em dúvida a instituição, o que é lamentável. A democracia perde quando suas instituições são desacreditadas.

Adriano Machado/CrusoéAdriano Machado/CrusoéÉ uma barbaridade dizer que Lula foi condenado sem provas, afirma o ex-ministro
A lisura das urnas eletrônicas vem sendo questionada, inclusive por candidatos. O processo eleitoral fica em xeque com isso?
Lamentavelmente isso começou em 2014, não é? Com o PSDB, que fez pedido de auditagem, ficou um ano tentando encontrar algo e não achou nada. Tampouco fez questão de esclarecer ou pedir desculpas ao Brasil. A urna eletrônica foi criada, com esforço muito grande, na minha administração, em 1995. Eu presidi o TSE de 1994 a 1996. Ela foi imaginada porque a fraude era muito grande. Ocorria principalmente na apuração dos votos, como votos em brancos que eram preenchidos a favor de candidatos. Os mapas de votação eram alterados. Houve uma fraude no Rio de Janeiro em 1994 que anulou quase metade das eleições. Então nós indagávamos: “Se tudo isso acontece no Rio, que é um tambor, que repercute tudo no Brasil inteiro e tem os maiores veículos de imprensa, o que está acontecendo país afora?”. Era preciso afastar a mão humana da apuração com urgência. Então convocamos comissões de juristas, técnicos de informática, que a mídia chamou de comissão de notáveis. Depois, foi criado um grupo para formular o protótipo da urna eletrônica. Aí contamos com a colaboração das três Forças Armadas, que sempre tiveram um bom serviço de informática, universidades e órgãos públicos de tecnologia. Era um trabalho de brasileiros bem-intencionados, que custou apenas as passagens que mandamos para eles.

O senhor confia plenamente na urna eletrônica?
A urna é absolutamente segura. Foi algo feito com muito critério, muito cuidado. Não posso dizer que é 100% segura porque é obra humana, não é? Só a obra divina que é 100% perfeita. Mas ela se aproxima disso. Quantas vezes presidentes do TSE, como Nelson Jobim e Ayres Britto, colocaram a urna à disposição de hackers durante uma semana? O Jobim encomendou uma auditagem da Unicamp que durou vários meses. Tudo isso é ignorado. A urna eletrônica não está online. Então não há possibilidade dessa interferência que falam. Estão querendo novamente cédulas de papel. Meu Deus do céu! Cédulas de papel eram a origem de todas as fraudes.

Acredita que a Lava Jato, ao expor formas criminosas de financiamento de campanha, tornou o processo eleitoral mais limpo?
Aqui temos vergonha em perder a eleição. Uma candidata (a ex-presidente Dilma Rousseff) disse que na campanha eleitoral faz-se o diabo. Era o que pensavam realmente. Essa questão de caixa dois é algo que encontrou, felizmente, reprovação para valer com a Lava Jato. Até então, todo mundo fazia. Foi o que o próprio Lula, quando começou o mensalão, declarou numa entrevista em Paris. Felizmente encontramos condenação severa, pelo menos da Lava Jato.

O senhor vê riscos à democracia no Brasil?
Não vejo. Temos uma consciência democrática formada. Há uma parcela da sociedade que nunca se preocupou em indagar a respeito da democracia, e é até capaz de desejar que essa democracia seja jogada de lado e seja instalado o autoritarismo. Pode ser. Mas a maioria, não. Temos uma Constituição democrática, em que todos os setores colaboraram e influíram na sua elaboração e votação. Eu ia para o Congresso na época da Constituinte, me interessava, era professor de direito constitucional. Um dia, estavam os índios acampados. No outro, os homens do agronegócio. No outro, sindicatos. É por isso que, aos 30 anos, a Constituição processou dois impeachments e os presidentes se retiraram sem necessidade de caudilhos. Não acredito que a democracia esteja em risco, apesar dessa trepidação maior.

Adriano Machado/CrusoéAdriano Machado/CrusoéVelloso sobre as crises recentes no STF: “Se um juiz começa a aparecer muito, não está funcionando bem”
Candidatos à Presidência se acusam de tramar um golpe de Estado.
Os candidatos, dos dois lados, mudaram a forma de atuar. A sociedade brasileira não está mais indo na conversa. Declarações intempestivas já foram reconsideradas, de um e de outro lado. A Constituição precisa ser renovada. Mas uma nova Constituição? Jamais. Ela precisa ser observada, ser cumprida. E ela mesma, no artigo 60, dá a forma de como ser alterada, aperfeiçoada.

O Poder Judiciário tem sido atacado por políticos investigados.
Temos um Judiciário bom no Brasil. São cerca de 15 mil magistrados em primeiro grau, na linha de frente. Esses juízes entraram por concursos públicos duríssimos, com provas de títulos. Eu me lembro que, quando entrei para a magistratura, os juízes dependiam dos políticos locais. Acabou. A Constituição acabou com isso.

Há casos conhecidos de apadrinhamentos na Justiça.
É lógico que estamos falando de homens, e não de anjos, não é? Então há quem não honre a toga, claro. A imprensa tem acompanhado, põe o dedo, há órgãos de fiscalização, os apanhados são punidos. Alguns falam: “Mas a pena maior é a aposentadoria”. Não é, não. Tem um processo-crime em paralelo. Então, podem perder o cargo, sim. Se não honram a toga, é um problema de caráter individual. Isso ocorre em todas as categorias. Sou um otimista em relação ao Poder Judiciário.

Como o senhor, já há onze anos fora do STF, enxerga as atuais crises entre ministros na corte?
Há uma exposição muito grande dos ministros. Não é boa. Quando entrei para a magistratura, uma grande personalidade em Minas me disse: “Velloso, você sabe de que lado está seu fígado?”. Eu respondi: “Não sei”. Ele falou: “Você não sabe porque seu fígado está funcionando bem”. Juiz é como o fígado. Se um juiz começa a aparecer muito, não está funcionando bem. Essa exposição demasiada não é adequada para um magistrado.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. O problema, em torno da urna eletrônica, ñ reside na fidelidade no registro do voto, mas, sim, na apuração final, q pode ser maculada...

  2. Segundo o Sr. Velloso sobre o acirramento dos ânimos: "... tudo ia bem até surgirem as redes sociais ...". Sim tudo ia bem, até que o povo começou a participar ativamente do debate político com envolvimento e senso crítico como nunca havia acontecido. Dar voz ao povo dá nisso, o povo participa e cobra dos políticos uma postura mais clara, cobra mais coerência e honestidade. Na sequência cobrará também do judiciário que, há muito, está dissociado do cumprimento das leis.

  3. Basta desfazer a merda que fez o Sinistro Beiçola e colocar o voto impresso de volta conforme lei votada pelo congresso nacional. Quanto à cassação do registro da facção também conhecida como PT melhor esquecemos, o impoluto TSE não recusa prestação de contas, não cassa ninguém, quando cassa o cassado já morreu, não investiga nada, enfim...

  4. Excelente essa entrevista com o eminente Dr.Carlos Velloso.A Crusoé está de parabéns por mais esse trabalho.Recomendo a todos que gostam de um bom texto ou de uma boa aula.

  5. Prezado ministro. Aconselho a assistir ao filme " O jogo da imitação". Retrata a descoberta por um matemático inglês do código criptográfico da Enigma - máquina criptográfica - nazista. Se naquela época sem a tecnologia de hoje, a mente humana foi capaz. Que dizer da tecnologia de software em auxílio hoje. Não existe sistema inviolável. Além do mais esquece o Sr. Ministro, que o voto é secreto mas apuração é um fato público da administração eleitoral. Porque não se referiu ao voto impresso?

  6. Acho que a primeira missão do novo congresso após o dia 28, com a vitória do Bolsonaro, é buscar a extinção do PT. Tem que acabar com esse partido de bandidos!!!!

  7. Esse nunca é responsabilizado. Pode falar o que quiser que nunca dá em nada..um integrante fala até que "..sangue vai rolar..", outro diz que "...é uma questão de tempo e a gente toma o poder..". Agora uma declaração, que de fato foi infeliz, do filho do primeiro colocado é recebida com estridência. Vejo aqui as coisas tratadas com 2 pesos e duas medidas.

  8. Conheço o Ministro Veloso de longa data. Era funcionário do TRE em Minas, quando foi ele nomeado do juiz daquela Corte. Fui Juiz Federal e assim foi até o STF. Muito inteligente e competente, amigo do meu irmão falecido, professor Gerson Boson, por quem tinha grande admiração. Respeito as suas opiniões e manifestações, pois são sempre racionais e ponderadas.

  9. Prezado ex-ministro Carlos Velloso. Há que se render aos fatos. Diante dos avanços, vê-se claramente, testado e aprovado por especialistas, que as tais urnas podem ser violadas. Os adeptos da Orcrim esbravejam que não, mas essas urnas representam no Brasil aquele "excesso de democracia" da Venezuela. É tudo feito super-democraticamente, com lisura insuperável, só que garante sempre a vitória dos comunistas. Só veremos a vitória do Bolsonaro, porque a diferença é estrondosa, indubitável.

    1. Velloso diz que as urnas foram submetidas a testes do pessoal da unicamp, só esquece de complementar que esse mesmo cidadão da Unicamp gravou um vídeo juntamente ao Brasil Paralelo explicando que essas urnas não são confiáveis a despeito das correções feitas. Inclusive, propôs que a população tirasse fotos do extrato de todas as urnas e enviassem a eles para que se pudesse averiguar a possibilidade de ter havido fraude.

  10. Se o Brasil fosse administrado por gente honesta esse tal PT ja tinha sumido do mapa a muito tempo, mas como os nossos três poderes estão corrompidos nada acontece.

  11. Com todo respeito ao ilustre ex ministro, Como explicar a todos, a soltura de JD ao vivo e a cores , que já está condenado a 30 anos ?

  12. Nossa Constituição, eufemicamente chamada de cidadã, TEM MUITO POUCO DE CIDADÃ, uma vez que é centralizadora, não respeita o princípio da subsidiariedade e estimula o clientelismo quando trata de decidir invertendo o vetor social do ápice para a base da pirâmide social, quando a verdadeira democracia é aquela cujo poder está nas cidades e e nelas que as questões políticas e econômicas (e portanto sociais) têm que sere estabelecidas.

  13. Cabe discordar da afirmação de que o PSDB fez barulho em 2014 sobre a possibilidade de fraude naquele pleito e conseguiu executar, até certo ponto, uma auditoria das urnas eletrônicas e dos processos de totalização e transmissão dos dados de votação porém, no seu relatório final - com algo em torno de 250 páginas - deixou bem claro que o TSE criou inúmeras dificuldades ao processo de auditoria e criou sérias barreiras ao avanço da auditoria. Restou que não se pode comprovar que não houve fraude.

  14. Ele tem razão: na época em que a contagem de votos era feita cédula a cédula havia muitas fraudes. Mesmo em eleições sindicais nas quais, ainda hoje, há a contagem de cédulas.

  15. Amigos , O poder era sustentado por dinheiro sujo para apaniguá os companheiros e então difundir as mentiras . Tudo em troca de dinheiro .Os espaços criados no ESTADO foram para abastecer os militantes e servir de distribuição de favores , sempre visando o dinheiro. Estão vendo que pela VREDADE vindo à tona e que o desmantelamento da linha de corrupção com a condenação dos bandidos ,o poder de MENTIR ,acabou .E o VOTO VAI SACRAMENTAR .PORTANTO TODO CUIDADO É POUCO PARA QUEM PERDE MUITO.

  16. Isso já foi publicado a mais de um ano, porque não foram tomadas providências para investigar e cancelar o registro do PT e CONDENAR OS CULPADOS? OU OS INFILTRADOS CONTINUAM BLOQUEANDO A JUSTIÇA

    1. Não entendoporque até agora ninguém entrou com um pedido de cancelamento do registro do PT baseado na delação de Antônio Palocc.?

  17. o ex-ministro ao falar sobre a criação das urnas eletrônicas, foi claro, que ela foi elaborada por brasileiros...agora ela é controlada por Venezuelanos...isso ele não falou...o sistema inicial poderia ser bom, mas o atual é uma fraude...

  18. Como o PT partidarizou os Três Poderes , a Lei só é cumprida para os outros , no caso do afastamento da Dilma , rasgaram a constituição e ficou por isto mesmo, agora com o Capitão resolvendo enfrentar TODOS os Corruptos do País , esperar o que ? .

  19. Se é uma questão de soberania, é então incorreto o apelo à ONU, feito pela esquerda, para soltura de Lula. Trump há pouco tempo deu "uma banana" a esta organização.

  20. Primeiramente, meu total respeito ao Ministro Veloso. No entanto, me parece que sua confiança na inviolabilidade das urnas eletrônicas é um pouco exagerada. Afinal, como ele mesmo disse, estamos tratando com homens, não com anjos. Por outro lado, um dos mais seguros sistemas do mundo, o financeiro, é objeto de fraudes, apesar dos investimentos em segurança (segundo a FEBRABAN, mais de dois bilhões de reais ao ano). A impressão de votos, que possibilita auditoria, deveria ser praticada.

  21. Infelizmente, o ex-ministro tem uma visão míope a respeito das urnas eletrônicas. Em 2017, em uma convenção de hackers em Las Vegas (DEFCON), cerca de trinta urnas eletrônicas foram invadidas em menos de 90 minutos. Especialistas da UNICAMP aqui no Brasil já apontaram inúmeras vulnerabilidades em nossas urnas, o que culminou com o TSE restringindo o direito de publicar essas vulnerabilidades após os testes. Por fim, nem no "fucking" Japão, os caras usam essas urnas eletrônicas "incontestáveis".

  22. Com todo o respeito. NÃO EXISTE na área tecnológica, algo não passível de violação. Fosse assim, não haveriam as reiteradas "atualizações". Por mais que se aprimorem os sistemas, sempre haverá possibilidade de vulnerabilidade, mesmo porque os ataques também se aprimoram. Esta estória de o sistema das urnas ELETRÔNICAS serem "absolutamente" invulneráveis é uma mera alegação hipotética de inibir ataques e não uma realidade absoluta. Sempre haverá vulnerabilidade, mesmo que hipotética.

  23. Ele diz que qualquer um pode solicitar a extinção do partido, ante a investigação e comprovação da doação feita. Pois bem, a Crusoe poderia dar uma ajudinha, pois, eu como brasileiro e defensor da nossa democracia seria o primeiro a pedir, sendo em tese, ou não.

  24. Quem faz com que as instituições fiquem desacreditadas são os que nelas trabalham, principalmente os que estão no topo, o STF é o maior exemplo e seus puxadinhos como TSE.

    1. Você leu direitinho o que escrevi:"os que estão no topo", STF são onze, TSE não sei, mas não são muitos. Lembra da cassação da chapa Dilma e Temer, voto impresso, Gleise e seu marido libertos, bandidos soltos e por aí vai. Tem os excelentes como Sérgio Mouro, TRF4, Bretas e etc.....

    2. Marília, nem todo mundo não presta. Tem muito jurista e Ministro idôneo. A reportagem inclusive tenta demonstrar para quem lê com atenção, que as redes sociais propagam opiniões, que nem sempre são pautadas por comprometimentos com a verdade, senão, ideológicas. Dizer que todo mundo não presta, e que brasileiro é um povo preguiçoso por exemplo, é uma falácia que nos coloca a ambos dentro do mesmo pote imundo, e nem por isso é verídico, sabemos. Ainda assim, é como muito estrangeiro nos vê.

    1. Eis a questão. Nos governos do PSDB e do PT, eles trataram de aparelhar os poderes da república com seus "súditos" e "aliados ideológicos". Um exemplo disso é o STF e a PGR. Isto é fato, não simples alegação. Vejam o caso do Dias Toffili, Gilmar Mendes e Lewandowski no STF, e de todos os Procuradores da República no período. São todos compromissados ideologicamente com seus apadrinhados políticos, na maior "cara de pau". Eles não estão nem aí para nada. São soberanos impunes. Sem controle.

  25. As urnas eletrônicas eliminaram Dilma, Pimentel e outras figuras nefastas. Ganharam assim meu voto de confiança. Uma impressora ao lado aumentaria muito este grau de confiabilidade. Deixemos para o próximo pleito, pois agora no segundo turno não dá mais para fraudar um percentual sem causar o caos no país.

  26. O ministro e querido professor sempre brilhante, objetivo em suas respostas claro em seus pensamentos. Esse tem que viver mais 100 anos

  27. Ninguém se lembra mais dos R$5.000.000,00 que as FARC deram ao PT na eleição do Lula, entregues durante uma festa em Brasília.

  28. Digníssimo Dr Carlos Velloso, a inviolabilidade da urna torna-se irrelevante à medida em que os dados são transmitidos para outro meio ao final da captação dos votos. Esta transferência dos dados é que abre espaço para dúvidas. - Como é feita esta transferência ? - Existe um modo de se consistir os dados transmitidos e recebidos pelo novo meio de apuração ? Se o procedimento é completamente seguro não há porque não descrever a rotina, não concorda ? Meu respeito Ricardo von Linsingen

  29. Lamento que a Crusoé dê espaço para um cara como este, dar sua opinião sobre as urnas. Acharam que ele ia falar que a urna é 100% fraudável?

  30. O Velloso está correto. Juridicamente o TSE deveria ter cassado o registro do PT. Redigi a ação que foi para outras mãos e modificada. Mão vou citar nome. Ocorre que a cassação do registro envolve a cassação dos mandatos de todos os deputados e senadores, pois os mandatos não pertencem a eles mas sim ao Partido e fica difícil a tomada de posição do TSE. A lei é descumprida, embora as provas sejam fartas e bastante consistentes. Não é só o Kadafi, a Africa, e o dinheiro depositado no exterior.

    1. Faltam Homens comprometidos com o Brasil. Os membros dessa Organização Criminosa tratam todos os brasileiros como cidadãos de segunda classe enquanto a maioria das autoridades das várias instituições e mídia de um modo geral tratam-nos como coitada salvadores da Pátria. Haja vista a declaração idiota de Eduardo Bolsonaro merecer tanta repercurção, um atentado contra a democracia. Mas, mesmo fechamento do STF dito com alto grau de ódio, por Zé Dirceu, Lula e Vadih Damous, ninguém se manifestou.

  31. Velloso acha MESMO que a deaconfiança com as urnas começou em 2014? Como uma pessoa desinformada assim pôde ser presidente do STF?

  32. O PT não pode ser considerado como um partido político: é uma genuína e verdadeira "Organização Criminosa" com o intuito de se perpetuar no poder (tipo nazismo) e transformar o Brasil numa Cuba ou Venezuela tamanho gigante.

    1. Quanto dinheiro foi arrecadado pelo PT em suas campanhas ilegalmente? Milhões de reais vieram do exterior, pois o dinheiro de propina lá estava, e voltava para o Partido quando necessário. O imponderável é como este Partido de malandros não foi cassado até esta data.

  33. PT é facção criminosa ... se nosso STF não fosse aparelhado (e o foi pelo próprioPT), já não mais existiria esse partido da corrupção e lavagem de dinheiro. É seus membros principais estariam na cadeia com o líder Lularápio e com o mentor, o famigerado José Dirceu. STF é uma decepção ... quase todos os ministros corrompidos ... pobre Brasil! Quem sabe: Bolsonaro neles!!

    1. PT e o pior deles, mais todos os partidos políticos são facções criminosas. O governo sempre foi dividido entre incompetentes e mal intencionados. Só com uma lei rigorosa, pena de morte, execução teríamos governantes honestos. Com certeza nenhum desses que gastam milhões, sequer se filiariam a partidos políticos. A única esperança do Brasil e o capitão realmente mudar o rumo da política desse país. Onde ministro do supremo recebe 100 mil da esposa e transfere 5o mil pra ex. Onde um Gilmar......

  34. É impressionante como os juízes não dão ouvidos aos especialistas, todos, ou quase todos professores, profissionais e pesquisadores de elevada reputação internacional. Já está mais que demonstrado que o sistema não apresenta os requisitos necessários para a função.

  35. Só ficou uma dúvida sobre as urnas. Um partido não pode receber recursos externos, mas as urnas podem ser instaladas e administradas por uma empresa estrangeira?

  36. E o dinheiro roubado da Petrobras e de outros órgãos públicos nao seria motivo suficiente para o cancelamento do registro do PT?

  37. Há 99% de chance que a lei não será respeitada e investigação será arquivada. Há instituições intocáveis no Brasil, como o próprio STF.

  38. Questão de vaidade, só porque as urnas foram implantadas na gestão dele, crê que deve defendê-las, como uma autodefesa. Não tem noção do que se pode fazer com tecnologia.

  39. Estranho um cara desses, q afirma q a urna é praticamente inviolável, foi um dos q a implantou, critica a avalanche de informação da Internet, como se quisesse limitar a capacidade ou a possibilidade de disseminação das notícias pq ele acha mais danosa do q benéfica... É esse tipo de gente q ainda domina o país, q querem o cabresto, o controle de tudo e de todos conforme a sua maneira de pensar mesmo q vá na contra mão de toda uma Nação. O Brasil mudou e não terá espaço para esse tipo de pessoa.

  40. Se a lei valesse para todos indistintamente o partido seria cassado. Mas isso não ocorrerá, haja vista a soltura de José Dirceu e outros próceres da Orcrim. Quem tem padrinhos não morre pagão.

  41. Quanto às urnas, não são seguras não. Elas ferem a Constituição, que prevê contagem pública dos votos. O voto impresso resolveria a questão. Não dá pra entender por quê os juízes, autocraticamente, vetaram a lei, pedida pelo povo e aprovada por seus representantes. NInguém mais usa urna eletrônica sem uma contrapartida física para poder auditar. É o fim da picada!!! Voto impresso já!!!

    1. concordo e vou além, se não pode ser auditada, e se o povo acha que é insegura - ela não atende aos anseios do povo e a democracia é o governo do povo, pelo povo e para o povo. assim não são democráticas.

  42. Esse partido fez do país seu quintal, (leia-se onde tudo pode..) apropriando-se de tudo que pode. Essa é mais uma irregularidade do pt..assim como a missa-comício com Haddad o foi.. ferindo o cód. eleitoral. E assim eles vão fazendo o que querem pois a não penalização é convite para mais ilegalidades..esse é o Brasil onde até as urnas eletrônicas são "infalíveis" kk

    1. Verdade verdadeira. O voto impresso é indispensável. Todos os países que usam urnas eletrônicas, hoje em dia, já contam com a impressora de votos acoplada a ela. É o único modo que existe para que possam ser auditadas. O povo pediu, a Câmara aprovou, o judiciário, que se considera uma autocracia, vetou. É um absurdo! A apuração dos votos tem que ser pública. É o que estabelece a nossa Constituição, que o Supremo deveria proteger, e não violar. Voto impresso já!

  43. Nosso medo não é que hackers baguncem as urnas, e sim que o governo trapaceie, e disso não temos como ter provas que sim ou que não, com as urnas atuais, e quando tentamos consertar isso o supremo deu um verdadeiro golpe e nos impediu. P

    1. Exatamente. E que mãos humanas foram retiradas da apuração? As dos coitados como nós que participavam da contagem. E quais foram mantidas? As dos semi-deuses da burocracia, infalíveis, quase anjos...

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO