O candidato do PSL em visita à sede da Polícia Federal no Rio nesta semana: ideias no papel

O plano Bolsonaro

Crusoé teve acesso, com exclusividade, à íntegra do documento que serve de guia para os projetos de governo do capitão da reserva. Não faltarão polêmicas
19.10.18

Na última quarta-feira, a onze dias do segundo turno, o gabinete da Casa Civil no Palácio do Planalto recebeu mais uma ligação da equipe de Jair Bolsonaro. O interlocutor tentava costurar uma visita antecipada de membros da campanha presidencial ao gabinete de transição de governo, no Centro Cultural Banco do Brasil, onde o presidente eleito despachará até ser empossado, em janeiro. A conversa não andou, pelo menos por enquanto. Os funcionários do Planalto alegaram, sem jeito, que era preciso esperar o resultado da votação.

Bolsonaro ainda não detalhou o seu programa de governo. O plano protocolado na Justiça Eleitoral há dois meses é genérico. Desde que foi esfaqueado, 40 dias atrás, o capitão da reserva não vai a debates. Nesta quinta-feira, ele anunciou que não comparecerá aos próximos. Nem mesmo ao da Rede Globo, marcado para a próxima sexta-feira. Vez ou outra o candidato dá pistas, em entrevistas ou em manifestações na internet, sobre o que fará se eleito – o adversário dele, Fernando Haddad, também não é nenhum exemplo de clareza nas propostas.

Um documento a que Crusoé teve acesso, porém, ajuda a iluminar alguns dos planos do candidato do PSL. O cartapácio, de 111 páginas, tem servido de base para as discussões diárias no bunker dos generais que formulam ideias para um eventual governo bolsonarista, no subsolo de um discreto hotel em Brasília, bem como para o pessoal do núcleo econômico, comandado por Paulo Guedes, no Rio. Com detalhamentos inéditos, o material tem sido paulatinamente atualizado  — as últimas atualizações foram feitas dias atrás. O material foi concebido inicialmente para ser o plano de governo, mas a campanha preferiu mandar ao Tribunal Superior Eleitoral uma versão reduzida, em tópicos e slides.

Reação à vista: plano prevê redução do número de parlamentares
Supervisionado pelos generais, o documento promete “especial atenção” à própria classe militar, aumentando salários e incrementando as carreiras. Segundo o que está escrito, existe uma “premente necessidade de adequação da remuneração dos militares das Forças Armadas, notoriamente defasada”, com vistas a tornar a carreira militar mais atrativa, inclusive turbinando o sistema de previdência dos fardados. No ano passado, o déficit previdenciário de servidores militares bateu os 37,7 bilhões de reais. O dos civis chegou a 45,2 bilhões de reais. Em outra frente, a verba do Ministério da Defesa deverá engordar: o orçamento não é “suficiente”, argumenta o texto. Os militares também teriam mais protagonismo na execução de projetos de saúde e educação.

De 23, o número de ministérios cairia para 15, com fusões das pastas. Educação, Esporte e Cultura seriam um órgão só. O mesmo aconteceria com Cidades, Desenvolvimento Social e Integração Nacional. O Ministério da Economia, já prometido ao guru Paulo Guedes, seria composto pelas pastas da Fazenda e do Planejamento. No novo desenho, perderiam o status de ministério a Advocacia-Geral da União e as quatro pastas palacianas: Casa Civil, Secretaria de Governo, Secretaria Geral e Gabinete de Segurança Institucional. Os cargos de confiança também exigiriam “critérios objetivos” para as nomeações e a necessidade de “reputação ilibada”. Há, no documento, referências a cortes até mesmo do outro lado da Praça dos Três Poderes, no Congresso Nacional, algo que significaria um polêmico avanço do Executivo sobre o Legislativo. O texto fala em reduzir o número de senadores de 81 para 54 e o de deputados de 513 para 385.

O “plano Bolsonaro” defende ainda que só tenham foro privilegiado o próprio presidente da República; o presidente do Senado, que será eleito em fevereiro; e o presidente do Supremo Tribunal Federal. O restante do Congresso, os demais ministros da Suprema Corte e a quase totalidade dos deputados e senadores ficariam na planície, sujeitos à primeira e segunda instâncias da Justiça, como os cidadãos comuns. O documento fala, textualmente, em “exclusão da imunidade jurídica para todas as autoridades, com exceção dos presidentes dos Três Poderes”.

Foro privilegiado: só para os presidentes dos Três Poderes
A prisão após condenação em segunda instância será defendida “com ênfase”, diz o papelório. O plano também defende acabar com a audiência de custódia, que determina que todo preso em flagrante seja levado a uma autoridade judicial em até 24 horas, para que seja avaliada a legalidade da prisão. A audiência de custódia é prevista em acordos internacionais e visa a evitar prisões desnecessárias e abusos de autoridade. Para a campanha de Jair Bolsonaro, entretanto, o mecanismo faz com que “muitos infratores voltem às ruas após cometerem crimes graves e, em muitos casos, o prejuízo é repassado ao policial que efetuou o flagrante”. O texto prossegue: “Isso corrobora para o aumento da criminalidade nas ruas e provoca um desgaste da função policial perante a sociedade e sua profissão, pois o agente se sente desvalorizado”.

Não está claro quais das medidas Bolsonaro levará adiante caso seja eleito. Mas todas as propostas estão em linha com o discurso do candidato. O plano prevê, por exemplo, apresentar ao Congresso um projeto de lei que classifique como terrorismo invasões de terra ou outras propriedades por integrantes de movimentos de trabalhadores sem-terra ou sem-teto.

No capítulo de segurança pública, há menção ao tratamento a ser dispensado, na visão da equipe de campanha, a refugiados que, como os venezuelanos, tentem ingressar no Brasil. Sem mencionar tratados internacionais sobre o tema, o documento diz: “Promover uma política responsavelmente restritiva de acesso ao Brasil pelos estrangeiros de determinados países que não compactuam com os mesmos ideais de nação”. A Venezuela parece ser o sujeito oculto do texto. Para casos “específicos, em que se fizer necessário o empenho solidário da comunidade internacional”, o documento menciona a necessidade de “desenvolver de forma controlada campos de refugiados”.

Adriano Machado/CrusoéAdriano Machado/CrusoéO bunker dos generais, em Brasília: é lá que as ideias do plano têm sido detalhadas
Na educação, o pano de fundo também é militar. Autoridade, disciplina, amor à pátria e atividades físicas. De acordo com o documento, nas escolas haverá educação física ao menos três vezes na semana. Com uma ressalva: “Merece destaque o interesse dos brasileiros pela prática de artes marciais”. Cada turma da escola deverá montar equipes de futebol, vôlei, basquete e handebol, pelo menos, e participar de competições anuais “obrigatórias”. A quantidade de dias letivos ao ano saltaria de 200 para 230. Em “locais de risco”, assim entendidas zonas violentas, as escolas repetiriam o modelo de colégios militares. O Prouni, programa implementado por Lula e que concede bolsas de estudo, seria destinado “apenas aos alunos que realmente tenham méritos”. Ainda estão no pacote novas disciplinas para as salas de aula: “Civismo e Ética”, “Educação Moral e Cívica” e “Organização Social e Política do Brasil” — esta última, extinta há mais de duas décadas.

Muito receoso com a “doutrinação ideológica” nas escolas, o grupo copiou e colou trechos do polêmico projeto “Escola sem partido”. Um exemplo: “O professor não fará propaganda político-partidária em sala de aula nem incitará seus alunos a participar de manifestações, atos públicos e passeatas”. O projeto tramita na Câmara e deve voltar à pauta em breve, já que a bancada do partido de Bolsonaro, entusiasta da empreitada, tornou-se a segunda maior da Casa, com 52 deputados. O modelo defende que marxistas como o italiano Antonio Gramsci e o brasileiro Paulo Freire tenham suas obras retiradas da formação dos professores.  A escolha de reitores de universidades federais, por sua vez, deve ser modificada para que seja considerado o “interesse do Estado”. Atualmente, alunos, professores e funcionários elegem seus reitores, e a lista dos três mais votados vai para chancela do Planalto.

Capitaneada por Paulo Guedes, o Posto Ipiranga de Bolsonaro, a parte de economia prevê a implementação de uma reforma previdenciária para civis e a simplificação de impostos. Pelo texto, a reforma da Previdência a ser proposta pelo governo deverá estabelecer idade mínima de aposentadoria de 62 anos para mulheres e 65 para homens. Algumas categorias profissionais teriam regime especial: 60 anos para professores e 55 para policiais, bombeiros e trabalhadores em “condições prejudiciais à saúde”. As novas faixas etárias para se aposentar entrariam em vigor lenta e gradualmente, com transição até 2042. Quanto aos impostos, o plano prevê uma simplificação “brutal”. Já o programa de refinanciamento de dívidas, o Refis, deve sofrer um baque. “Os parcelamentos do Refis se tornaram frequentes e periódicos, servindo apenas para mascarar um sistema arrecadatório inviável”, diz o texto.

Mudanças no currículo escolar: de volta no túnel do tempo
Nas relações exteriores, ao menos no campo das ideias dos responsáveis pela campanha, há mudanças de eixo consideráveis em relação ao modelo vigente. Nessa parte, a Venezuela é citada nominalmente. O documento diz que é preciso “priorizar a tarefa de lidar” com o país de Nicolás Maduro para que o Brasil tenha “papel mais ativo”, “com cautela mas de modo incisivo”. Diz o documento: “A crise na Venezuela e a manutenção de governos de esquerda, que violam os princípios básicos da democracia e dos direitos humanos, trazem instabilidade para a América do Sul e afetam diretamente o Brasil”.

O cenário regional é usado para defender mudanças na forma como o governo lida com o orçamento das Forças Armadas. O texto lembra que o nível de ameaça na América Latina é “reduzido”, mas no tabuleiro global conflitos podem demandar a ação dos militares brasileiros. “Não podemos, a pretexto de sermos um país tradicionalmente pacífico, estar desmobilizados e despreparados militarmente”.

Em alguns trechos, o documento está em primeira pessoa, como se fosse o próprio Bolsonaro a bradar ideias: “Combaterei a corrupção dos políticos brasileiros com muita intensidade e rigor”. E segue: “Creio que a vontade maior da população brasileira vem ao encontro da minha”. Se for eleito presidente, o capitão da reserva terá de submeter boa parte de seu plano ao Congresso. Uma emenda à Constituição, por exemplo, demanda aprovação de 60% da Câmara e do Senado. A história dos últimos governos mostra que uma coisa são os planos dos ocupantes do Palácio do Planalto. Outra, bem diferente, é conseguir executá-los. Será um teste para Bolsonaro tanto no Parlamento como fora dele.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

Edição nova toda Sexta-Feira. Leia com Exclusividade!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

Deixar para mais tarde

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. a idéia de redução do custo parlamentar é muito boa, vai de encontro aos anseios da população e aos interesses do país. Só que a fórmula está errada. Esperar o fim da campanha para ver se acaba a blindagem e o cidadão comum tenha possibilidade de comunicar-se com essa equipe de transição. Em tempo! meu voto é para o candidato Jair.

  2. Equipe da Crusoé, por favor, ajudem os brasileiros a pressionar o futuro presidente a investir pesadamente em Educação ao nível do ensino fundamental, médio e superior. As crianças e jovens do ensino fundamental e médio precisam ser libertadas de todas as ideologias trevosas da esquerda e receber um ensino de Alta Qualidade e fundamentado na VERDADE, em princípios éticos e principalmente Humanos.

  3. Fazendo as correções necessárias e respeitando a constituição e as leis,é tudo que precisamos,só falta combinar com os russos sem o famoso toma lá dá cá e para isto, tem que estar na mais fina sintonia com o povo

  4. Fazendo as correções necessárias, respeitando a constituição e as leis é exatamente o que precisamos mas ainda tem que combinar com os russos, eliminando o toma lá dá cá.

  5. Não vi nada de ruim, apenas necessita de mais diálogo com a sociedade. E quanto ao Congresso, só aprova se o governo manter um diálogo com as ruas permanentemente e convencer primeiro o Brasil, depois os representantes.

  6. Fraquíssimo, tirantes a parte de economia a cargo do Paulo Guedes e alguma coisa relacionada ao resgate da ética na política. No mais, um desarrazoado de penduricalhos corporativistas, com base em visão estratégica novecentista e um alinhamento ideológico automático ao grande irmão do Norte.

  7. O número de deputados federais pode ser reduzido por lei complementar- maioria qualificada. Senadores precisa de emenda constitucional. So valerá a partir de 2022. A escolha dos reitores da ifes, no modelo atual, é uma aberração: só dá pt, psol e pcdob. Sobre o escola sem partido, é imperativo aprovar - apesar de ser óbvio e até deontológico. Sobre autores novos na formação dos professores, nada mais natural. Elles não gostam de diversidade? Por que não diversidade ideológica?

    1. Outra coisa: faz-se muito bem em se tirar Paulo Freire do currículo, pois é justamente ele quem ensina aos futuros professores sobre como doutrinar os alunos, fomentar a ideia de luta de classes, a tal "Pedagogia do Oprimido" e os fundamentos do Marxismo cultural... Foi esse "vírus" que contaminou a cabeça de muitos professores e, por tabela, a de nossos alunos nos últimos 30 anos! No entanto, acho mais eficaz apresentá-lo, sim, mas colocando-o em sua real perspectiva!

    2. Quando se fala em mérito, não há dificuldade alguma em se entender: significa interesse em estudar e em aprender; consequentemente, notas boas e ótimo comportamento em sala! Espero realmente que isso seja implantado, pois a coisa mais triste de se presenciar em escolas públicas são os raros alunos que têm esse perfil serem obrigados a estudar com uma turba totalmente desinteressada e barulhenta, ficando impedidos de aprender, seja pela bagunça, seja pela falta de preparo do professor...

    3. Lamentável é alguém valorizar Paulo Freire. Um comunista recalcado que só conseguiu implantar suas ideias aqui depois que a Esquerda assumiu o poder, reforma completa no ensino fundamental é necessário e urgente..

    4. Vc possivelmente é um professor que precisará de reciclagem. Lamento...

    5. É ridículo desmerecer os ensinamentos de Paulo Freire. " O Prouni será aplicado apenas para quem tiver mérito", porém não explica como será feito e identificaso esse mérito. Falar em mérito para quem nasceu em berço de ouro fica muito mais fácil.

  8. Vai ser um trabalho longo e cirúrgico para despetetizar nosso país, com a extinção sumária desta organização criminosa, bem como o desaparelhamento do estado brasileiro. Investigar e ter sob rígido controle as 820 mil ONGS existentes no país, origem do dinheiro que as mantém, e para que fim foram criadas. E, acima de tudo, não deixar Bolsonaro botar o nariz fora de casa e

    1. E para sua segurança, profissionais especializados e treinados nas melhores escolas.

  9. Entendo que o plano cobre parte do aparelhamento feito pelos governos do PT e PSDB, cujo o resultado todos nós sabemos. Reduzir o custo do congresso mostraria uma sinalização positiva para a sociedade. A educação tem de ser passada a limpo, pois hoje ela é péssima, resgatando o prestigio a a autoridade dos professores(as).

  10. A sociedade carece de ORDEM E ÉTICA. É incansável vermos dia a dia comportamento desonesto, sorrateiros e sem respeito uns para com outros em nossa sociedade sem escrúpulos. Prova disso é o espelho que temos em Brasília: Câmara dos deputados e Assembleia legislativa. Temos que resgatar o lado bom que vivemos nos anos 70 e 80.

  11. No meu tempo de "ginásio" tínhamos aulas de OSPB cantávamos o Hino Nacional, sempre em formação e não nos sentíamos constrangidos. Acho que hoje falta a nós brasileiros mais amor à Pátria.Eu confio no Jair Bolsonaro.

  12. Infelizmente não há previsão no plano de governo para tratar da segunda maior causa de mortes violentas no país. É preciso chamar a atenção para o fato de que a segurança pública também envolve a segurança viária. Não pode a segunda maior causa de mortes violentas continuar a ser tratada como matéria de segunda categoria, merecendo prioridade no plano de governo que possui como principal bandeira reverter o atual quadro se insegurança instalado no país. #trânsitotambémésegurançapública

  13. Reformas difíceis, só palpáveis com grande respaldo popular das urnas e encaminhadas logo no início do mandato, quando há a certeza do apoio do povo e de um apoio maior no Congresso.

  14. Quando não sabemos, temos que copiar de quem sabe, e bem! Para quê 37 partidos? Para quê 513 Deputados? Para quê 83 Senadores?

    1. Com certeza, os gastos com cada um, é maior do que cada um produz!!! Uma loucura!!! Esses partidos estão parecendo sindicatos!! Sempre aparece mais um, partidos custam caro ao país!!

  15. Concordo. A vitória eleitoral legitimará as medidas necessárias para uma mudança rápida e profunda. Seria aconselhável a continuação da grande mobilização da Nação iniciada com o processo eleitoral de apoio ao novo Presidente para contrabalançar as tentativas de desestabilização que certamente serão levadas a efeito por uma oposição sistemática e possuidora de táticas conhecidas

  16. Creio que nosso futuro Presidente será bem sucedido no seu governo, pois o povo está de olho. O congresso não está a vontade pra fazer o que quiserem, afinal, estaremos acompanhando de perto as votações e não daremos trégua

  17. Falar é fácil. Não vai conseguir fazer quase nada disso. Só se der o famoso autogolpe. Não existem soluções fáceis pra problemas difíceis. Se houvesse, todos os presidentes anteriores teriam resolvido. Pagamos para ver.

    1. Mas o fato é que os males apontados nunca foram percebidos com problema pelos presidentes anteriores. E isto por motivos mais do que óbvios, amiguinho...

    2. Oi, Carlos. Quais eram os comprometimentos dos presidentes anteriores e do Congresso? Nunca nem tentaram as reformas mais profundas.

  18. A aposta está feita. Vamos dar um voto de confiança. Nunca se viu um partido destruir um país de forma tão sádica e autoritário como o PT. Instituiçõe s se corromperam. Escandalos e politie e Bolsonaro não fará um governo ideologico. O estado querendo controlar nossos filhosm nossa e nossa biologia. bolsonaro foi eleito porque encontramos nele um pouco de nós. Estamos mais em casa. De volta para casa, depois de um longo inverno .

  19. A aposta está feita. Vamos dar um voto de confiança. Ele não fará um governo ideológico. Poucos dominaram e destruíram a nação de forma tão sádica e autoritária nesses ultimos anos como o PT . Instituição se corromperam. O governo será feito com valores necessarios para o pais não descambar. Isso é para garantir a democracia. Bolsonaro foi eleito porque encontramos nele um pouco de nós. Nos sentimos em casa. De volta pra casa, depois de um longo inverno

  20. De acordo com a constituição os poderes são harmônicos e independentes. Mas tem de haver harmonia orçamentária. Se há restrição orçamentária no Executivo o mesmo feve prevalecer para o legislativo e judiciário, que não podem prevalecer sobre os demais. O presidente tem que ter a coragem de dizer ao presidente do STF que o aumento salarial daquele poder não vai ser possível de ser concedido

  21. Uma das prioridades de Bolsonaro deve ser acabar, liquidar mesmo com o mecanismo chamado " carreiras de Estado uma falácia criada pelo ex presidente nefelibata FAC, que criou uma "ELITE" no serviço público no judiciário, que trabalha infinitamente menos que o pessoal do Executivo e paradoxalmente recebem os maiores salários da República.

  22. Se ele conseguir executar 30 % das propostas no primeiro ano do mandato, podemos considerar toda a equipe como genial. Estou torcendo por isso!

  23. está surgindo nosso Hugo Chávez versão bolsonariana... presidente era Amoedo ou Álvaro Dias...agora só resta rezar para não termos uma década perdida de bolsonariana assim como foi com o lulismo

    1. Luis acordo meu filho....você está no Brasil não está vendo que o país foi roubado??? Pagamos os mais altos impostos milhões de desempregados milhões morrendo nos hospitais e você vem falando de Hugo Chávez....rapaz acorda....ao menos levantou alguém que quer fazer algo para combater o crime organizado que roubou nosso país

  24. O Brasil precisa de reformas urgentes, como a da previdência, a tributária, a reforma política mais expressiva...ainda cortes drásticos nas despesas do governo para sanidade do orçamento e cargos públicos ocupados por mérito e não por conchavos políticos, inclusive o STF. Precisa mais articulação no comércio internacional, mais abertura para importação e estratégias mais arrojadas para apoiar exportações....espero que se inicie inicie um processo. Vamos em frente!

  25. A populacao sabe que o país precisa mudar. E vai apoiar o presidente. Se tentarem interferir nisto , ele deverá ser âgil em pedir apoio da populacao na cobranca dos parlamentares em quem votaram.

    1. José o que falta é os funcionários públicos serem administrados pela CLT. Planos de carreira, méritos, avaliação e investimentos em capacitação dos mesmos e quando incompetentes serem desligados como qualquer ser mortal que trabalhe em empresas.

  26. Reavaliar todos professores após cursos, submete-los a provas teóricas e práticas os aprovados continuam a lecionar os reprovados terão segunda avaliação e se reprovados novamente, demitidos.

  27. gostei da maior parte das idéias, acho que a previdência deve incluir todos, sem privilégio, falando nisso, será difícil tira-los dos políticos, mas a população está de olho e quer o fim dos privilégios! vamos continuar atuando contra eles!

    1. Olavo não tinha razão...quando disse que as tesouras eram PSDB e PT....na verdade as tesouras eram os militares e os partidos políticos

  28. Ótimas propostas. Uma pena que a redução de parlamentares exija a aprovação dos mesmos, como a redução dos privilégios. Essa é uma demanda da sociedade. A gente vem pagando caro por tudo isso e sem concordar!!!

    1. Sou contra reduzir o parlamento. Se isso acontecer e o PT retornar ficará mais facil comprar deputados pra aprovar medidas anti-democraticas

    2. Para isso, teria de correr um projeto de lei popular, que tem tramitação preferencial no legislativo. E também tem de pressionar os deputados e senadores para que este projeto seja aprovado o quanto antes.

  29. Com um bom trabalho nas redes sociais para dar suporte a essas mudanças, isto pode ser possível. Pois o recado da população foi muito claro nas urnas! O povo não elegeu Bolsonaro para que tudo continue como está. O trabalho de base, nas redes vai continuar. Como se viu, no Brasil, a maioria ainda é da direita!

    1. Oii? Já houve a eleição no segundo turno? Aumento para os militares? Nossa quanta mudança!!!!

  30. Eu como brasileiro independente de ideologia partidária, quero um BRASIL, LIVRE, ONDE VOCÊ DECIDE O QUE QUER FAZER, não quero o estado me “tutelando”, dizendo que é pra proteger este ou aquele grupo! Quero um país livre desta praga da CORRUPÇÃO, e quando encontrada que seja punida com penas altas de vários anos, e devolução ao erário centavo por centavo! CHEGA DE PT!

  31. O candidato Bolsonaro tem meu voto e a certeza de que toda mudança gera dor. Estamos num momento da política nacional que não temos escolhas. Temos q avançar e buscar as melhores cabeças p os piores problemas. Precisamos acreditar q é possível, depois de 16 anos de desmandos, encontrar um novo rumo p o nosso País. FORA PT

    1. Não sou militar e pouco sei sobre a previdência militar... mas há diferenças importantes em relação aos civis, como por exemplo: não tem FGTS, não tem horário de trabalho padrão, não tem horas extras, enfim a carreira do profissional militar é muito diferente do profissional civil... é leviano arbitrar sem conhecido profundo desse assunto.

  32. Muito bom. Ênfase na educação, na disciplina, na meritocracia e no patriotismo. Principalmente no campo político, redução de ministérios, das cadeiras no Senado e na Câmara já seria um sonho para a maioria dos brasileiros.

  33. Acho um bom começo, embora de dificil implantaçao. Talvez um certo exagero nas materias escolares. Sou a favor apenas de revolucionar o ensino de exatas, de forma a eliminar gradualmente a repulsa que os jovens desenvolvem por estas matérias em função de péssimos professores e métodos. Precisamos de muitos técnicos neste país.

    1. Bolsonaro está certo. Na pasta da educação deve-se fazer uma seria varredura, pois ali, é que nasce o patriotismo. O PT dominou esse setor.

  34. A batalha de Bolsonaro e seus aliados no congresso será árdua, mas já será o começo das mudanças necessárias para a organização do estado menor e mais eficiente. Excelente matéria!

  35. Acho que a inclusão de OSPB e Educação Moral e Cívica vão ser boas. Tá faltando resgatar coisas que fazem as pessoas serem cidadãos.

  36. Embora eu seja até favorável com maior parte dos pontos, esse é o tipo de notícia que poderia dar uma "facada" nas intenções de voto do candidato

    1. vamos decapitar e enterrar o PT e os partidos que o apoiam, depois administrar o País. uma coisa de cada vez, 'Calma".

  37. Vocês fizeram uma excelente matéria , mas no final tinham que deixar implícito que o congresso pode não aprovar este plano, tomem jeito, o povo brasileiro agradece.

  38. Meu voto é do Bolsonaro, voto útil.Mas desejo que tenha sucesso pois sou brasileira e quero que meu povo seja respeitado em todos os seus direitos.Curiosa para saber como Bolsonário lidará com o Congresso e como montará seu ministério sem o "da lá,toma cá".

  39. É um bom começo, está tudo certo, é por isso que sera eleito, para mudar completamente o pais. Se pudesse opinar, um segundo idioma, o ingles, desde o ensino basico, conectaria o futuro do pais ao resto do mundo. Tudo que puder ser feito para afastar de vez o atraso no pais é obrigatorio no novo governo. Essa coisa de Karl Marx, Antonio Gramsci, Cuba e correlatos parecem inscrições das paredes da idade da pedra, chegou a hora de soterrar essas asneiras.

  40. Discordo da inclusão nas escolas de "Civismo e Ética "e EMC eOSPB. Alunos têm que aprender Matemática, Português, Idiomas

    1. Uma coisa não exclui a outra. Inclusive o proprio Bolsonaro tem repetidamente dito que as escolas tem que focar em ensinar Matemática e Portugues, que é o que capacita pra vida profissional, e deixar de focar em Humanas que só servem pra formar militantes doutrinados. Mas a inclusão de disciplinas como Moral Civica e OSPB são importantissimas pra resgatar o sentimento patriótico das pessoas, que foi praticamente exterminado pela esquerda nesses 30 anos. Nos acostumamos a odiar o próprio pais.

  41. Porém, não se esqueça, Bolsonaro, que os animais selvagens e as árvores, arbustos e ervas das florestas também são criaturas de Deus e merecem ser respeitados e protegidos. Continuo anti-petista, mas o balde de água fria foi muito doído.

    1. A ideia de juntar Saúde com Meio-Ambiente é boa, melhor que juntar Meio-Ambiente e Agricultura.

    2. Espero que publiquem esse comentário. Se ele quer eliminar ministérios, o que acho bom, poderia juntar Saúde com Meio Ambiente. O país seria beneficiado, pois as duas áreas defendem interesses complementares (um ambiente são para uma população sã). Mas, não. Ele junta Meio Ambiente com Agricultura que possuem interesses antagônicos, visando, claramente, atropelar legislações ambientais e isentar de multas aqueles que poluem o ar e as águas e desmatam, caçam e pescam em áreas protegidas.

    3. Votarei em Bolsonaro pra derrotar o PT, mas me preocupa demais a ignorância dele com relação aos animais e natureza.

  42. Minha esperança é de que no “Deus acima de todos” estejam incluídos os animais selvagens e as árvores, arbustos e ervas de nossas florestas, uma vez que todos são criaturas de Deus, todos merecem proteção e cuidados, não matança e destruição. Balde de água fria é muito desmotivador. Mas, continuo anti-petista até meu último suspiro...

  43. Não se pode entender. Não pode ensinar política, mas vai ter OSPB, Moral e Cívica e bobagens iguais. Isso não é política? Querem trocar um erro por outro!

    1. Ivo existe muita diferença entre ensinar sobre política e propagandear / doutrinar alunos sobre ideologias esquerdistas. Eu tive essas matérias no meu tempo de escola e eram excelentes!

    2. Ivo, pode falar de política ao meu ver, desde que se mostre todos os lados, não como vem acontecendo, só esquerda, socialismo, comunismo.

  44. Propostas simplesmente espetaculares - se Bolsonaro implementar a metade delas já terá sido o melhor Presidente da história do Brasil.

  45. Todo artigo que trata o DEPUTADO (há 8 mandatos consecutivos) e mais votado no Rio de Janeiro, Jair Bolsonaro como ex-capitão da reserva, já começa tendencioso e não merece ser lido.

    1. Henrique, você que deve vazar, por que entrou na conversa? Pode discordar, mas com educação.

    2. Vaza então! Volte a ler o portal ggn, brasil247 e essas outras porcarias extremamente enviesadas e tendenciosas.

    3. Pois é. Tendencioso mesmo. Assinei Crusoé como uma alternativa às mídias esquerdistas que já existem por aí. Todavia, começo a entender que posso ter desperdiçado meu dinheiro.

    4. Bem observado, Paulo. Infelizmente, eu li o artigo até o fim, e posso confirmar que é tendencioso e malicioso do início ao fim. Também, o que esperar de um pobre coitado como Eduardo Barreto, que aprendeu jornalismo no Estadão e n'O Globo? Não será a Crusoé quem irá redimi-lo...

  46. Não há qualquer problema nas aposentadorias especiais desde que os beneficiários pagem por ela. Fazer toda sociedade pagar por ela é manutenção de privilégio. NÃO, NÃO E NÃO! Prender não é solução para a segurança pública e custa muito caro. Prender só quem comete crimes graves que atingem a sociedade (tipo homicídio, estupro e corrupção).

    1. Deve-se SIM prender quem comete crimes! Não se pode, a pretexto de ser caro, incentivar a impunidade! É essa impunidade que dá tanta ousadia aos criminosos! Essa conversa de que não se deve prender parece o FalsiHaddad falando..

    2. o pior é a aposentadoria deles não terminar nunca. Da viúva vai para a filha mais velha ad eternum e depois quem paga a conta é sempre o assalariado.

  47. 100% de apoio + combate à corrupção em todas as esferas + um projeto de governo para o nordeste, com parceria como a já mencionada de Israel. Dantas

  48. De verdade é melhor um plano que retire essas teorias Marxistas e dê aos jovens disciplina do que um que defende a ideologia de gênero! Todo resto parece bom, entretanto há que se detalhar tudo isso! Não concordo muito com o aumento a Militares do exército, entretanto acredito piamente que se não for valorizada a função e plano de carreira das policias- logo logo ninguém irá querer mais trabalhar nisso .... e daí como fica a questão da segurança pública..?

    1. não podemos deixar as mulheres por conta da CLT, se partirem pra justiça seram mandadas embora! é o povo que elege é não militares, justiça!

  49. Sei que as pessoas ao ver o plano de governo podem pensar " Aíhh mais é um plano que não vai passar" porém você tem que entender que um plano de governo não é feito para passar como ele está escrito e sim após as negociações ele ficar no 50/50.

  50. Gostei, concordo em tudo com esse plano. Precisamos de um choque de realidade, pra viramos uma nação de verdade. Parabéns Bolsonaro neles.

  51. Capitão isso vai dar merda ! Preste muita atenção porque os que hoje te carregam serão os que te apedrejarão no futuro. Nós vivemos em uma democracia representativa, ou seja, não é o cidadão que decide e sim aquele que o mesmo elege para lhe representar. Dessa forma é necessario ouvir as demandas daqueles que estão em contato direto com o problema, você não traça um plano de segurança publica conversando com professores, e também não ira resolver o problema da educação somemte com militares.

  52. Penso que faltou, juntamente com a redução dos Deputados - não concordo com a redução de Senadores, uma vez q nr de 03 traz o voto de desempate em situações que assim o requer, uma revisão em todos os benefícios e penduricalhos que os Deputados e Senadores têm, tais como ajuda terno, passagens aéreas, nr de assessores, aposentadoria especial, etc, pois é isso que estimula as pessoas que não pensam em servir ao país mas apenas se aproveitar do cargo, a não largar o osso.

  53. Provar que é possível fazer gestão ambiental com seriedade e ênfase técnica, com base nas melhores práticas internacionais, de outra maneira que não esse jeito "Marineiro", que o PT nunca abandonou.

  54. Aplausos para os planos de Bolsonaro; é por isso que os brasileiros de bem estão entusiasmados com ele. Claro que quem adentrou pela criminalidade declarada ou à sorrelfa, vive de privilégios e está em cargos, sem ter competência para tanto, vê a mudança de rumos no governo brasileiro como um absurdo, uma afronta a tratados e outras baboseiras que jogaram o país nesse caos que vemos. Temos esperança de que toda essa gentalha maléfica e suas utopias de becos imundos desapareçam para sempre.

  55. A primeira medida necessária, o país tem de voltar a crescer, é a reforma da previdência e logo em seguida a tributária, deixar os militares de fora da reforma da previdência é um erro que vai custar muito caro, o apoio popular que hoje o Bolsonaro tem vai minguar se ele privilegiar um pequeno grupo em detrimento de outros

    1. Exatamente! Se a reforma da previdência não for igual para todos, Bolsonaro perderá todo o apoio logo de cara.

  56. Junto à redução de congressistas, é imperativa a aprovação do VOTO DISTRITAL PURO, da modernização das urnas eletrônicas, não só com voto impresso como também com cópia impressa para imediata conferência PELO ELEITOR.

  57. Excluir o malfeitor paulo freire da formação dos professores e mandar para o lixo o método que leva o nome do malfeitor seria tão bom que parece bom demais para ser verdade.

  58. Aprovo, sem quaisquer ressalvas. Na hipótese do Congresso pretender não ratificar as reformas, impõe-se que Bolsonaro as apresente detalhadamente em rede nacional de TV, conclamando a população para lutar pela aprovação das mesmas. Só lamento que a mudança na escolha dos membros do STF não conste do rol, mesmo porque trata-se de cláusula pétrea. Contudo, o presidente - neste ponto - pode optar pela nomeação tão-somente de magistrados de carreira para ocupar as novas vagas que surgirão.

  59. Perfeito, ótimas idéias e os incomodados realmente são os que estão mamando nos bolsos do que sobrou do povão, já já só vai ter duros no país.

  60. O baixo nível de escolaridade e discernimento político da população mais jovem é tamanho que, tornou-se comum qualquer nativo mais ou menos letrado se dizendo "socialista" ou comunista como queiram, subir num caixote defender a democracia e ser aplaudido. Cena emblemática e deprimente!

  61. Um presidente não faz nada sem Congresso e, neste caso, terá que lidar com a sabotagem do PT e sua escumalha fantasiados de partidos políticos. Acho q o Capitão vai, agora de verdade, entrar em uma "guerra", guerra com a esquerda que está se lixando para o povo brasileiro. PS: acho q Bolsonaro devia vender boa parte dessas universidades que Lula criou, e olha sou professora universitária, mas não tem como negar: as universidades são um antro de militância política e não de formação profissional.

  62. Ele esta atendendo aos anseios do povo brasileiro. Eh exatamente isso que o povo quer. Ordem e progresso. Esse é o presidente que ama sua pátria.

  63. No papel, todo o plano de governo se torna ótimo, pq mostra o que queremos para o nosso país, mas na prática a realidade é outra, há uma interdependência de poderes e interesses diversos, que torna muito difícil a concretização do de boa parte dos projetos necessarios. Tomara que consigamos chegar lá...

  64. São reformas necessárias. É o início que colocará o país de novo no caminho da Ordem e do Progresso! Bolsonaro Presidente!

  65. Eu não acho nem útil, nem saudável, no contexto atual, comandar o país pensando que deve estar preparado para uma (altamente improvável) guerra. Temos questões urgentissimas a serem resolvidas na saúde, educação e segurança interna, que deveriam ser priorizadas na distribuição do orçamento. Com o endurecimento, eu concordo, mas não com a diretriz "se houver uma guerra". Agora, se a opção é isso ou PT...

    1. Ele não disse estar preparado para uma guerra, disse que nenhum país deve ter suas forças armadas sucateadas como as nossas.

  66. Quanto à doutrinação partidária, faço aqui o registro que ontem a minha filha, estudante de pedagogia na unb, foi convocada por uma coordenadora do diretório acadêmico a participar de uma "assembleia" onde os integrantes (alunos) possuíam adesivos do PT nas camisas. A pauta era a convocação para participar de uma marcha pela democracia e entregar panfletos contra o Bolsonaro em cidades próximas a Brasília em horário de aula. Para quem não sabe, a reitora da UNB é integrante do PT de longa data.

  67. Acredito que na situação de desastre que está o Brasil é preciso uma virada mais dura, que dê hierarquia a educação, não será c pão e manteiga que combaterão o crime especializado. Controverso mas necessário

  68. Chegou a hora para tentar arrumar o Brasil. Se não equacionar o fiscal com crescimento da economia, esquece. A carga tributária pode até ficar igual, nas tem que tributar corretamente, e simplificar drasticamente. Tem que reduzir muito o "CUSTO BRASIL". Consertar a situação de penúria fiscal das empresas atualmente achacadas por tudo que é tipo de extorsão apoiada pelo Estado, e tocar vida nova rumo a um futuro promissor para os negócios. Assim sairemos da pobreza, e da ignorância.

  69. Votarei em Bolsonaro. Minhas razões estão presas à compressão do PT e seus movimentos de apoio. Mas que calamidade ideológica!

  70. O fato de propor "civismo" na Educação já me agrada. Se queremos mudar o Brasil, a educação deve estar em primeiro plano. É preciso que amenos nossa Nação. É preciso que conheçamos e respeitemos os Símbolos Nacionais. E para isso DISCIPLINA nas escolas é fundamental. Também transformar a Educação Física nas escolas como disciplina concreta. O esporte é um grande instrumento disciplinador e corrobora para a vivência em grupos. Parabéns!!!

    1. Também gostei. Devemos apoia-lo para que tudo se concretize.

  71. 80% ou mais da essência do seu programa de governo e principais propostas que demandem revisão constitucional devem ser aprovadas já no primeiro ano.

    1. Sonho que está se tornando realidade, o PT está vazando da política, homens de bem entrando , os maus sendo expurgados(falta o safado do Renan), e vamos caminhando para um Brasil livre e riqueza dividida com todos.

    2. Fazia muito tempo que o Brasil não sonhava. O brasileiro precisava sonhar. Estava deprimido, inseguro, desamparado. O Brasil estava sendo apagado da nossa memória, por um critério de auto defesa...

    3. Sim, espero que aprove a essência disso já nos primeiros meses

  72. Acho desnecessário reduzir o tamanho do congresso, me parece uma medida meio vazia e até populista mesmo, que dificulta a representatividade e não faz diferença. Preferia que diminuíssem mandatos de senadores, que são grandes demais. Tirando isso e o fato de não terem citado a previdência mudando pra capitalização, tá ótimo, exceto que adicionar mais três matérias parece desnecessário

    1. Essa era uma proposta que tinha no plano do Amoêdo. Mas enfim, agora vejo faz muito sentido eles terem largado aquele powerpoint tosco, se eles soltassem o plano detalhado ia dar muita historinha pra oposição atacar

    2. Você tá falando sério mesmo quando fala que acha desnecessário diminuir o tamanho do congresso? Esse é um dos maiores anseios do povo. Sinceramente esse plano de governo me representa.

    3. Além da redução de parlamentares, deveria ter a união dos Estados do nordeste (RN, PB, PE,AL e SE) em um só Estado.

    4. Talvez porque deputados e senadores custem milhões aos cofres públicos?

  73. Prezados brasileiros, não se iludam, Bolsonaro vai encarar uma realidade muito mais cruel do que a que está se apresentando. Vai fazer o possível e não o que queremos, mas nenhuma das propostas dele me deixa preocupada. Já cumpriu grande parte da sua missão que foi tirar a ORCRIM do poder e estancar esta sangria desatada dos recursos públicos, o resto é lucro.

  74. Propostas excelentes, mesmo com o ceticismo e cinismo do jornalista em alguns trechos do texto. Lembrando que Bolsonaro terá maioria no congresso e a força popular no começo de seu governo.

    1. Acho que será um grande desafio, mas mto necessário. Porém, para conseguir concretizar precisará ativamente da participação popular... precisaremos fazer mta pressão para que os projetos sejam aprovados. É um absurdo não termos mais princípios nas escolas... quando falo princípios me refiro a princípios morais e éticos. Não existe mais certo e errado... isto tem que mudar. As escolas contam apenas um lado e uma versão da história. Nos tornamos um país sem memória, sem Ética e sem principios...

Mais notícias
Assine
TOPO