Jair Bolsonaro no Planalto: sob pressão dos congressistas, o presidente já começa a flexibilizar o discurso de campanha

O Congresso mostra os dentes

A ala fisiológica do Parlamento, empossado há um mês, já tenta emparedar o governo. E Jair Bolsonaro se mostra disposto a ceder
01.03.19

Na viagem que fez a Foz do Iguaçu na última terça-feira, 26, o presidente Jair Bolsonaro não queria muitas companhias. Da lista inicial da comitiva que o acompanharia no avião da Força Aérea Brasileira, constavam apenas os ministros do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno Ribeiro, das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e de Minas e Energia, almirante Bento Albuquerque.

Na véspera, porém, um grupo de parlamentares, formado eminentemente por paranaenses, protestou. Eles estavam indignados porque não tinham sido convidados para a visita de Bolsonaro às suas bases eleitorais — o presidente foi a Foz empossar a nova diretoria de Itaipu Binacional. Contataram então a Casa Civil, que acabou por viabilizar lugares no jato presidencial.

Um dos convidados de última hora ganhou uma cadeira privilegiada na ida e na volta: Ricardo Barros, cacique do PP, e ex-ministro da Saúde de Michel Temer. Barros viajou ao lado de Bolsonaro, separado dos demais. Nas mais de três horas em que ficaram juntos, o deputado perguntou se o presidente de fato levaria adiante a nova forma de relacionamento que pretendia impor ao Congresso, sem o consagrado toma lá dá cá.

Bolsonaro respondeu que foi eleito com esse discurso e não abriria mão dele. Barros rebateu dizendo que tinha dúvidas quanto à eficácia dessa estratégia. Depois, já de volta a Brasília, comentou com correligionários a frustração da conversa e da viagem em si, que concretizou a substituição de duas indicações políticas em Itaipu por dois militares. Decepcionado, o deputado do PP, partido cujas fileiras Bolsonaro já integrou, afirmou também estar fora de qualquer articulação política em favor do governo.

A reação de Barros ao que seria um privilégio no código de costumes da política espelha um sentimento cada vez mais disseminado no Congresso. Insatisfeitos com a forma com que Bolsonaro tenta conduzir as relações com o Legislativo no início da sua gestão, deputados e senadores começaram a mostrar os dentes ao Palácio do Planalto. A ameaça de ataque tem potencial para arranhar os projetos de maior interesse do governo. Mas Bolsonaro já começa a dar sinais de que, para não perder, vai ceder.

Os deputados, especialmente, ameaçam o governo à luz do dia com a promessa de que vão impor derrotas em votações de interesse do Planalto. Na semana passada, houve uma primeira amostra da fúria que costuma garantir a existência do velho fisiologismo. A Câmara derrubou o decreto assinado pelo vice-presidente Hamilton Mourão que ampliava o número de servidores que poderiam decretar sigilo sobre alguns dados públicos. Não foi por convicção, mas para demonstrar a sua contrariedade.

O resultado deu a medida do tamanho atual da base na casa e mostrou o ânimo do Congresso em desafiar Bolsonaro: foram 367 votos contra o governo e 57 a favor. Para evitar nova derrota, desta vez no Senado, o governo acabou revogando o decreto. Em outro movimento, o ministro demitido Gustavo Bebianno, candidato a homem-bomba do governo, foi convidado por uma comissão de senadores a prestar esclarecimentos sobre sua saída do governo.

Na mesma semana, houve a apresentação da reforma da Previdência por Bolsonaro, a prioridade das prioridades do Planalto e da equipe econômica. Mas até agora, o que menos se vê nos corredores das duas casas é gente disposta a se esforçar para aprová-la.

O motivo do descontentamento está na ponta da língua da maioria descontente: falta articulação política ao governo. É esse o discurso usado pelos congressistas sempre que a comunicação com o Planalto não vai bem. Um senador comparou a situação a um quadro de paralisia atetóide, quando o controle da cabeça é frágil e as respostas aos estímulos são instáveis e imprevisíveis.

Se nada mudar, dizem, a tendência é de piora na relação. Os dentes estão à mostra. A reforma pode ser esvaziada, assim como o projeto que estabelece a independência do Banco Central. O pacote anticrime de Sergio Moro, outra cria que o governo Bolsonaro quer ver ser tratada com carinho pelos parlamentares, está exposto ao mesmo risco de desconfiguração.

Outras maldades foram gestadas para constranger o governo. Uma delas, a convocação do ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, para explicar por que disse que os brasileiros, no exterior, se comportam como “canibais”. Parlamentares cogitam até criar CPIs incômodas. A carta na manga mais perigosa prevê a investigação das transações financeiras do filho do presidente, o senador Flávio Bolsonaro.

Adriano Machado/CrusoéAdriano Machado/CrusoéMaia catalisa a insatisfação dos colegas ao mesmo tempo em que se mostra fiador da aprovação da reforma da Previdência
Se Ricardo Barros tivesse esperado mais algumas horas, teria visto uma metamorfose no discurso de Bolsonaro no mesmo dia da viagem a Foz do Iguaçu. À noite, o presidente recebeu no Palácio da Alvorada 19 líderes de partidos da Câmara. Em sua primeira tentativa de formar de fato uma base governista, mostrou-se muito mais flexível.

Formal no começo, aos poucos foi se soltando e, por fim, se dobrou aos congressistas: disse que a reforma da Previdência não será nem a que ele quer, nem a que o Congresso quer, mas sim a “reforma possível”. Ouviu muitas críticas à falta de atenção aos parlamentares do governo e às falhas na articulação política.

Em resposta, anunciou a deputada Joice Hasselmann, do PSL de São Paulo, como líder do governo no Congresso. Também deu aval para que a liderança da maioria fosse concedida a Aguinaldo Ribeiro, do PP, que foi líder do governo Temer na Câmara e ministro das Cidades de Dilma. Ao final, declarou que anotou tudo o que foi falado, que tem a capacidade de se colocar no lugar dos líderes e que envolveria o governo em torno deles. Líderes presentes na reunião relataram que todos entraram receosos no encontro, mas saíram otimistas.

No dia seguinte, foi possível compreender o motivo do otimismo dos parlamentares. Após um encontro que reuniu Aguinaldo Ribeiro, os presidentes do Senado, Davi Alcolumbre, e da Câmara, Rodrigo Maia, e o ministro da Economia, Paulo Guedes, Joice disse que serão permitidas indicações políticas para cargos no Executivo, desde que com critérios técnicos. Ela já falava na condição de líder do governo no Congresso.

Além disso, em breve será liberado o dinheiro para as emendas parlamentares (o pagamento hoje é obrigatório, mas o governo costuma deixar para o final do ano). Mais tarde, a Crusoé, Joice falou sobre seu papel na articulação. “Vim para quebrar o gelo. Promover o amor. Só love, só love”, disse. Até mesmo a oposição, afirmou, será procurada para tratar de política.

Foi um claro sinal de que Bolsonaro está disposto a relativizar o discurso da campanha para conter a animosidade do Congresso Nacional. Sem isso, projetos enviados para as duas casas correm risco de não serem aprovados — ou, pior ainda, se transformarem no reverso dos objetivos buscados pelo governo.

A discórdia entre Executivo e Legislativo, que agora pode começar a arrefecer ante os sinais do Planalto de que teme a bocarra dentada do Congresso, começou cedo, apesar de haver elementos a favor da harmonia. O comando da Câmara e do Senado está nas mãos do DEM, partido que também tem três ministérios na Esplanada. Renan Calheiros, potencial fonte de problemas, sofreu uma derrota histórica na disputa pela presidência do Senado. Além disso, a oposição está fragilizada, com sua principal liderança presa por corrupção.

O problema está na força da tradição e nos meios escolhidos por Bolsonaro para quebrá-la. Deputados e senadores foram acostumados nos últimos 30 anos a votar com o governo em troca de cargos na administração e liberação de recursos para suas bases eleitorais. Veio a Lava Jato e mostrou como eram, de fato, as bases dessa relação. O presidente foi eleito com a promessa de quebrar essa lógica. Embalado pelas urnas, conseguiu rompê-la na montagem do primeiro escalão. Partidos foram excluídos das negociações para os ministérios, que por sua vez foram ocupados majoritariamente por militares.

Enquanto tudo isso ocorria, não se pensou em uma estratégia clara para lidar com a pressão. O novo governo avaliou que bastava a alta taxa de renovação do Parlamento e o recado de mudança nas práticas políticas dado pelas urnas para que tudo mudasse. Errou. Se há hoje uma bancada bem constituída e delimitada no Congresso, ela não é a governista. É a dos que se autodeclaram independentes. E estão todos, tal qual Bolsonaro, à direita no espectro político. Liderados pelo DEM, integram-na cerca de 50 senadores e 300 deputados de diversos partidos.

Um dos alvos preferenciais desse grupo são os militares hoje em cargos antes ocupados por políticos. Bolsonaro os distribuiu em postos-chave pela Esplanada para que freassem o ímpeto dos políticos por cargos e emendas. Para comandar essa tarefa, escalou o ministro da Secretaria de Governo, general Santos Cruz. Parlamentares que estiveram com ele afirmam que se trata de alguém capaz, objetivo, que anota tudo o que os interlocutores dizem e até elogia a classe política. Mas que, evidentemente, não tem o software da política.

Adriano Machado/CrusoéAdriano Machado/CrusoéDavi Alcolumbre: no Senado, clima é mais ameno do que na Câmara, mas não chega a ser tranquilo para o Planalto
Em um desses encontros, um parlamentar chegou a fazer um alerta ao general: “O senhor é um herói. Esteve no Haiti (ele comandou a missão de paz da ONU no país caribenho). Mas se prepare para enfrentar uma das maiores batalhas de sua vida, que será domar o Congresso”. Nesta semana, Santos Cruz não estava no jantar em que Bolsonaro acenou para a velha forma de fazer política aos líderes do Congresso. Havia viajado para o Quênia.

Atritos entre militares e políticos são frequentes. O deputado Sóstenes Cavalcante, do DEM do Rio, um dos principais líderes evangélicos da Câmara, contou que esteve no Planalto para uma conversa quando um militar o abordou questionando-o sobre a reforma da Previdência. Sóstenes respondeu: “Se continuar assim essa articulação política, não vai passar”. Ao que o militar respondeu: “Mas e o interesse nacional?”. Irritado com a cobrança, o parlamentar foi embora.

O deputado fluminense vocaliza um sentimento comum no Congresso: o de que os militares estão ali para intimidá-los. “Quando se enche o governo de militares, querem passar o recado de que todos aqui no Congresso são bandidos, e isso não é verdade”, diz. “É um governo com o qual temos medo de conversar e aí só vai nos sobrar cumprir o papel de fiscalizá-lo mesmo”, ameaça.

O atrito pode ajudar em um ponto da reforma da Previdência – incluir os militares, como uma forma de troco dado pelos parlamentares. A questão é saber se isso arrefecerá os outros problemas na relação, como o tratamento dispensado ao líder do governo na Câmara, Major Victor Hugo, do PSL de Goiás, um deputado de primeiro mandato egresso das Forças Armadas. Como foi Santos Cruz e Heleno que o escolheram, ele acaba recebendo o desprezo dos demais políticos da Casa. Sua estreia foi marcada por uma reunião que ele agendou com líderes partidários e que acabou amplamente boicotada.

Para tentar aliviar a situação, o governo começou a escalar outros deputados para auxiliá-lo na coordenação política. Recrutou um batalhão com representantes de diversos partidos para ocuparem os postos de vice-líderes. A ideia era agradar siglas que ainda não estão alinhadas às fileiras do Planalto. Mas, como não houve conversa antes, até essa tentativa de afago virou motivo de estresse. Alguns partidos, como o PR do notório Valdemar Costa Neto, reclamaram por não terem sido oficialmente consultados antes da indicação e ameaçam entregar os postos.

Ministérios comandados por civis também viraram alvo das queixas. Acostumados nos governos anteriores a indicar os ocupantes das pastas e, assim, ter acesso privilegiado aos principais gabinetes da Esplanada, os parlamentares reclamam que nem sequer seus telefonemas são atendidos. Pessoalmente, então, é mais difícil ainda. Tem sido problemático até encaminhar as demandas aos ministérios, reclamam. Pequenos gestos têm gerado revolta. Causou incômodo, por exemplo, um recado recente da ministra do Direitos Humanos, Damares Alves. Após receber pedido para atender um parlamentar, ela mandou dizer que o receberia, mas que ele só sairia de lá “com um cafezinho”.

Criticou-se muito o fato de o Ministério da Educação entregar ônibus escolares a municípios neste início de ano letivo sem que os congressistas fossem avisados, para faturar politicamente nas solenidades. Os bancos públicos também entraram no rol das reclamações. Um deputado pediu para ser recebido por um diretor da Caixa Econômica Federal, que recusou o pedido e pediu que a assessoria parlamentar do banco o recebesse. O parlamentar ficou revoltado e ampliou a artilharia contra o governo.

“Falta carinho com o Congresso. São gestos simples e sem custo financeiro que ajudam muito na relação”, disse um senador a Crusoé. Um exemplo: na semana passada, coube ao vice-presidente do Senado, Antonio Anastasia, do PSDB de Minas Gerais, toda a operação para aprovar o projeto de lei sobre criminalização do terrorismo no país. Uma demanda de ninguém menos que Paulo Guedes e Sergio Moro, as duas estrelas do primeiro escalão. Só que ninguém do governo ligou para agradecê-lo depois da aprovação. Outro senador que integra a Comissão de Relações Exteriores reclamou por não ter sido ouvido pelo governo sobre a questão da Venezuela. Para ele, isso decorre do fato de ser “um governo esquartejado, com vários setores distintos sem uma coordenação única para agregar esses interesses distintos”.

Como não existe vácuo na política, o vazio na articulação política do governo no Congresso acabou por ampliar o poder de figuras do próprio Congresso que passaram a catalisar o descontentamento geral. Na Câmara, o presidente Rodrigo Maia se fortaleceu como o maior líder da chamada “bancada dos independentes”. O deputado do DEM fluminense se tornou o depositário das mágoas da política tradicional e iniciou um jogo duplo com o Palácio do Planalto. De um lado, apresenta-se ao governo como fiador da reforma da Previdência, mostrando como credencial os 366 votos que o elegeram para o comando da casa (para aprovar a reforma da Previdência são necessários 308 votos). De outro, ataca em consonância com os rebeldes. Nesta semana, chegou a dizer: “O governo tem o PSL (partido de Bolsonaro) na base e não tem mais partido nenhum”.

Cleia Viana/Câmara dos DeputadosCleia Viana/Câmara dos DeputadosO líder do DEM, Elmar Nascimento, vocaliza a pressão sem meias palavras
Os aliados de Maia dizem que seu jogo é claro: ele quer garantias de que seu esforço para aprovar a reforma será posteriormente recompensado pelo governo. Entenda-se por isso reconhecimento político, mas, também, poder sobre a máquina. Afinal, ele pode liderar nos bastidores as rebeliões contra o Planalto, como vem fazendo, mas não tem a caneta presidencial para atender nem a si mesmo nem os independentes que o seguem. Se for agraciado com cargos, terá como manter bem alimentada a legião que o segue.

O líder do DEM na Câmara, Elmar Nascimento, tem sido ainda mais incisivo nas cobranças. Estimulado pelo próprio Rodrigo Maia, e no melhor estilo do antigo PFL, antecessor do DEM que dominou o Congresso por anos, ele dá a receita do sucesso para o governo: “Falta definir quem será o posto Ipiranga da articulação política. Esse é o grande gargalo do governo”. Para Nascimento, isso significa entregar a articulação de vez ao seu correligionário, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.

“Onyx é muito mais preparado do que um general para fazer isso. Há conceitos militares como hierarquia e disciplina que não se relacionam com a política. O Executivo não tem por exemplo hierarquia sobre o Legislativo: Precisamos conversar de igual para igual.”  Ele também é um crítico da restrição de indicações de cargos regionais por políticos. “Tem muitas indicações políticas que são boas e tem muitos burocratas com indicações questionáveis.”

No Senado, a situação também é ruim, embora não esteja tão inflamada quanto na Câmara. O presidente Davi Alcolumbre, igualmente do DEM, foi eleito com apoio do Planalto e graças a um grupo de senadores que se uniram para derrotar Renan Calheiros. Isso fez com que fosse criado um colegiado que hoje o ajuda a controlar a casa. Daí saiu a indicação para o líder do governo, o senador Fernando Bezerra Coelho, do MDB de Pernambuco. Ex-ministro de Dilma Rousseff, Bezerra foi a solução encontrada para que os problemas da casa vizinha não tivessem a mesma dimensão por ali. Habilidoso e com currículo muito mais vistoso que o de seu homólogo na Câmara, Bezerra é entusiasta de uma das soluções anunciadas pelo governo para tentar acalmar os ânimos: a permissão para indicações políticas desde que os ministros possam derrubá-las. “Os ministros terão uma espécie de poder de veto quanto às indicações”, diz.

O clima mais ameno no Senado não esfria o assento de Flávio Bolsonaro, hoje considerado pelo Congresso uma espécie de “reserva de luxo” dos políticos para o caso de as relações entre Executivo e Legislativo se esfacelarem. O senador submergiu após denúncias envolvendo um ex-assessor. Mas os colegas veem nele um alvo em potencial se for preciso atacar o Planalto. Por ora, o filho do presidente fala em “pactuar” a relação. “Bolsonaro quer mudar a forma de negociação com o Congresso. As coisas vão acontecer aqui. É o momento dessa relação ser pactuada”, diz. Embora fale da necessidade de mudar a relação com o Congresso, ele mesmo tem reivindicado alguns cargos. Segundo um aliado do Planalto relatou esta semana a Crusoé, Flávio Bolsonaro quer emplacar alguém de sua confiança na chefia do escritório da Receita Federal no Rio. O pedido foi apresentado ao Planalto junto com o do paulista Major Olímpio, também do PSL, que quer o comando da Receita em São Paulo.

No Planalto, o sentimento é de que o discurso em favor de uma nova relação com Congresso é necessária, até para manter acesa a chama dos eleitores que optaram por Bolsonaro acreditando nisso. Ao mesmo tempo, porém, a avaliação é de que há espaço para se chegar a um meio termo. A boca faminta do fisiologismo assusta. E, como se vê, aos poucos consegue morder o que quer.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Felipe Moura Brasil, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Um lado do cérebro diz: "deputados, calem a boca e vão votar os projetos visando o interesse do Brasil, ou fechamos essa m* de Câmara!" O outro lado pondera e diz: "o governo tem que ter muita fortaleza e temperança..."

  2. Se vasculharem a vida destes senhores canalhas, seus parentes, filhos, o que for... Vao encontrar mujitos podres. Senta cada um destes com suas "folhas corridas"e uma junta militar de frente e propõe. Vamos desenrolar isso na "democracia", ou teremos que meter a vara?! Logo, logo, sai a solução melhor para o país... Não suporto mais bandidos representando a nação... Não aguento mais.

  3. Ao ler este artigo, fica cada vez mais nítido como grande parte dos formadores de opinião se acostumaram com a ideia de que o errado é a regra e o certo é que tem que se adaptar a esta regra. Será que é tão difícil compreender que os interesses de uma sociedade sempre devem estar acima de qualquer interesse pessoal? Cabe sim a uma imprensa responsável e não comprometida com interesses escusos denunciar e combater tais práticas perniciosas e não, apresenta-las como normais.

  4. Acordem senhores congressistas, o povo já mostrou o que quer e se os senhores não estão acreditando: cuidado, mas muito cuidado: a execração pública é rápida e bem dolorida, seus "mal feitos", vícios e pequenos erros ou delitos, agora podem ser expostos nas redes sociais de forma tranquila e com muitos detalhes. As informações estão cada vez mais disponíveis e de fácil acesso! Pensem nos seus eleitores e no país: interesses que estão bem acima dos seus pessoais!

  5. O que vemos, é o de sempre. Os congressistas não se interessarem por aprovar algo que venha a resultar em que os menos favorecidos sejam mais favorecidos e estes percam um pouco de suas vantagens. Entra novos e saem velhos e sempre a mesma coisa: Aprovação de algo, sem importar a quem irá beneficiar que não seja a eles, somente com " o que recebo em troca ? ". Vergonha que deveriam possuir estes congressistas e nojo para nós que ainda os acreditamos em nossos votos!

  6. Esse é apenas o início das chantagens que políticos profissionais pretendem iniciar, falsos, hipócritas que vieram de carona com os anseios do povo por renovação, se acham os donos do Brasil, esquecem da maior prioridade que é o desejo do povo, poucos abriram mão de dinheiro público que era de direito por feita por eles mesmos mas, IMORAL em todos os sentidos. O fedor vai aumentar com o passar dos meses e o congresso voltará a ser o que sempre foi, um banheiro de rodoviária.

  7. A mudança de paradigmas, como está comprovada ao longo da história "do mundo" é difícil, muitas vezes necessita até ser dogmática. Agora mudar paradigmas políticos, arraigados no DNA político, seja do Brasil ou do mundo, será realmente uma "guerra sangrenta", nós brasileiros eleitores, temos que mostrar aos políticos que eles são apenas nossos empregados e não os donos do Brasil. Estou assinando esta revista, por estar alinhada a Maynard e a vejo como instrumento para defender nossos direitos.

  8. Esses congressistas com seus conceitos arcaicos devem por as barbas de molho. As urnas já deram o recado. Façam seu trabalho. Honrem seus votos.

  9. O Congresso sempre foi um ninho de cobras e oportunistas. Houve uma grande renovação, mas muitos desses parlamentares nocivos e oportunistas sobreviveu e já está mostrando os dentes em busca do "toma-lá-dá-cá". Não será fácil ao Presidente conseguir apoios sem que seja em troca de algo, mas isto não estava na "plataforma" eleitoral dele. Acho que o Congresso ainda tem boa parte de podridão difícil de ser limpa.

  10. O problema é que só tem bandido no Congresso. Políticos que não pensam no país é no povo, só pensam em manter e aumentar seus benefícios. Vergonhoso.

    1. Grupinhos de cá e grupinhos de cá também, criam uma frete bandida, em desfavor do povo e do Brasil. Esses grupinhos são liderados por bandidos, velhos conhecidos. Oi a novos parlamentares São capturados por esses velhos bandidos!!!

    2. Esse pensamento de que "só tem bandido no Congresso" é que é o problema, pois é falso. Bolsonaro se elegeu em cima disso, chamando qualquer articulação política de crime. Agora fica aí essa situação: não será surpresa se a reforma não passar ou for desfigurada - justamente por conta do despreparo do presidente e dessa atitude anti-política.

  11. Sabem o q irá acontecer ? Uma desidratação impecável de Reforma de Prev,um crescimento pífio em 2019 e todas as hienas de volta pouco a pouco..that s all folks!!!!!!!!

  12. Winston Churchill, durante a Segunda Guerra foi ao limite, negociando com seus pares a posição: sentamos na mesa para negociar com o nazismo um acordo? Ou vamos até o fim? Era ele contra os resto. Super estimando as forcas que tinha foi até o fim. O resultado é conhecido. O inimigo que atual governo tem pela frente, é um velho conhecido nosso, apodrecido pelo toma lá da cá, vive comendo restos, como as hienas, e sobra, dentro de sua compreensão, motivos para rir.

  13. Maia é a pior parceiria que Bolsonaro poderia ter. Um infiltrado com denuncias de corrupção fazendo juz ao legado do pai. Se mostrarem os dentes, quebre-os...

  14. Apesar de todo o nojo que este jogo político nos impõe, não adianta ignora-lo, tem que ser jogado. Os interesses particulares de cada um, são e serão sempre os mais importantes, dai a habilidade de um negociador que vergue mais não quebre.

    1. Temos que ter muito cuidado com o conceito de negociação. Não há problema em negociar com grupos antagonistas, desde que seja feito em torno de idéias e princípios afins, nos quais acreditamos.

  15. Onde está o Carlinhos pitbull do Presidente? Por que ele não usa toda a sua habilidade nas redes sociais e faz cada eleitor cobrar o voto que deu em cada deputado/senador? A única coisa que político respeita é a pressão popular! Mas se o fisiologismo começa na própria casa, aí fica difícil, né?

  16. O papel de uma imprensa verdadeira, que torce para a nação seguir em frente nesse caso é dar nome aos bois e da população cobrar de cada eleito, que cumpra com o papel a que se propôs em campanha.

  17. Muito boa a reportagem. Mostra com clareza a realidade da nossa classe politica. Presidente: Jogue o jogo, mas considere que estamos em guerra. Elimine cada inimigo definitivamente em cada oportunidade. Vai demorar prá limpar o lixo, mas vamos conseguir.

  18. Quem trabalha não precisa de favor do fisiologismo político..o governo tem que arregaçar as mangas e mostrar ao povo a que veio .. enxugar essa máquina pesada ..aumentar a receita . combater a sonegação.. depois mostre a a conta à sociedade. O toma lá dá cá só vai aumentar o buraco nas contas públicas.. sacrifício por NADA .. não vale à pena.. NÃO À REFORMA!!!

  19. Votei no Jair e repudio qualquer tentativa da volta do toma lá dá cá. Acredito que esta mentalidade que elegeu Jair é majoritária no Congresso e Jair deve expor os malandros publicamente. O Presidente deve convidar os parlamentares dos estados em que ele visitar, mas cada um que pague do seu bolso.

  20. Realmente não vai ser fácil agradar e atender a diversos corruptos, pessoas com fome de poder, ganância por dinheiro e por fama. O Congresso e o Senado até o momento se mostram um grande muro aos interesses do povo.

  21. É a parte camarilha que pouco se lixa para o país e os mais necessitados. Ninguém de sã consciência aceita o comportamento desses malandros de paletó e gravata.

  22. Nossos políticos sempre foram tratados como majestades, com todos os mimos, mesuras e mordomias, e fizeram o que fizeram com o povo que só lhes deu benefícios. Acho correto agora colocar os militares para os intimidar e colocar na linha. Só não se pode é cometer o mesmo erro (excesso de babação de ovo) com os militares.

    1. Esse entrou ! ? Tenho um outro es´perando há horas, que clico em enviar e nada acontece > Precisam melhorar e muito seus sistemas

  23. É necessária urgente reforma nas duas casas. Em 2018 a mudança foi pouco significativa. Outras eleições virão e precisamos "limpar" as cadeiras do parlamento.

  24. Porque o governo não expõe esses parlamentares???, fisiologistas, de nome aos bois??, caso não o faça, irá passar por mentiroso ele governo!

  25. O Congresso mostra os dentes, o "Botafogo" está com a boca arreganhada mostrando os dentes. o STF mostra as unhas...E a maioria que demonstrou querer combate à impunidade e reformas será estraçalhada por estas feras? É impossìvel aceitar este absurdo imposto por um sistema político e jurídico decadente, e sequestrado por corruptos em todos os níveis e poderes.

  26. É simples assim. Enquanto investigados, réus, condenados e até presos legislarem e participarem do processo politico estaremos fadados a constantes crises. Sem profunda reforma institucional que retire definitivamente esta gente do processo político, pouco ou nada mudará.

  27. Deveriam expor estes políticos que sao contra nossos interesses. E o povo deveria cobrar, se manifestar e puni-los sem o voto. O governo só conseguirá levar a frente a promessa de acabar com o toma-la-da-ca se o povo o apoiar.

    1. Com todo respeito, mas enquanto neste momento, nós aqui debatemos o problema, uma parcela do povo, pula, bêbada e jogando lixo no chão. Talvez seja em parte, os que colocam esta gente na política. Talvez. Aí eu fico em dúvida se este sistema que permite isto, a colocação de corruptos por irresponsaveis, não deve ser reformado. Partidos lançam corruptos, irresponsaveis os elegem, e todos têm que aguentar, em nome do quê?

  28. O fisiologismo desta gente não é nividade. o sistema é decadente e viciado, propiciando tais atitudes. Nada de inesperado. O surpreendente é que alguem tenha acreditado que com simples processo eleitoral dentro deste sistema corrupto, as coisas pudessem mudar.

  29. O presidente entrou no fisiologismo muito cedo.Caiu,por falta de competência,afinal,não soube escolher pessoas capacitadas para negociar com esse bando de acharcadores.E não soube assumir as rédeas em começo de governo.Depois,não há volta.Foi pressionado e ja cedeu.Uma pena.Fica a esperança daqui a 4 anos e assim vai.Sempre fica a impressão que uma hora dá!

  30. Já e tempo do Congresso reconhecer que os tempos mudaram. Não e possivel que fiquem criando barreiras para projetos que são de importância primordial para o Brasil se re-erguer.

  31. Essa ala fisiológica do Congresso não foi empossada há 1 mês. São aqueles da velha política que não querem perder nenhuma regalia e, portanto, não pretendem ajudar o Presidente a governar bem este país.

  32. Onde está o interesse nacional? Bando de gente safada, interesseira e com medinho de perder os privilegios do congresso! Não me conformo com isso! Vocês são brasileiros? 🤑🤑🤑

    1. Que não permitam colar lá no OAntagonista é aceitavel, mas aqui não ! Havia feito um comentário longo aqui e não era enviado, dupliquei, salvei e tentei de novo, o resultado está acima. DITADORES !

  33. O Brasil realmente deve fazer Montesquieu se revirar quase em convulsão no túmulo. Parece letra morta a independência entre os poderes cravada no artigo 2° da nossa atual constituição. Deve ser reflexo da promiscuidade e da miscigenação do brasileiro. Aqui tudo se mistura. Ou se faz um sopão ou se bate uma vitamina. Só no funk se prega que cada um se mantenha em seu quadrado.

    1. Caio: seu comentário me faz rir. Se há uma coisa que Bolsonaro não aprendeu em todo tempo que esteve na Câmara é o jogo político, infelizmente. Ele tem uma nova chance para aprender política com alguns dos militares que estão no governo. Espero que aproveite. Felizmente para o Brasil Bolsonaro foi eleito e o PT defenestrado, mas ele ainda está com os cacoetes da pequena quase-política que praticava na Câmara. Acho que até pior: antes, pelo menos, ele dava canelas; agora, quer agradar a todos.

  34. Acontece que todos querem aplausos. Ninguém é capaz de cumprir com seu dever, dar o melhor de si e sair calado. Todo mundo só pensa no que vai levar, na medalha que o beneficiará. nunca foram patriotas, mas interesseiros e oportunistas. Imorais, só isto.

  35. Caio Junqueira, em excelente artigo como sempre, comete um equívoco ao classificar os deputados independentes e o DEM como pertencendo ao "espectro" de direita. Essa gente nunca foi de direita e sempre foi, e continuam, OPORTUNISTAS. O militar no Palácio do Planalto que perguntou ao político sobre o interesse da nação estava correto. O político, oportunistas é claro, ficou irritado: às favas os interesses da nação...

  36. O deputado Sóstenes reclamou da presença de militares no Governo que sera com o objetivo de intimidar os políticos e passar a idéia de que estes são bandidos. É muito mais que isto: o brasileiro não tem "ideia" que os políticos são bandidos; a muito tempo eles tem a certeza que são bandidos. E a atitude dele só vem reforçar esta convicção. Bandido...

    1. Excelente, é isso mesmo. São bandidos, mimados e irresponsáveis. Querem afagos o tempo todo, e nenhum interesse da nação. Só olham o próprio umbigo. Fora com este tipo de gente.

  37. Pensamos que com a renovacao do Congresso teríamos menos chantagem dos Parlamentares e mais responsabilidade e altruísmo para aprovar os projetos que o País necessita. Mas a revista mostra o que esta acontecendo, é revoltante, nojento, asqueroso. É importante que a imprensa indepedente condene esta forma de fazer política.

    1. Realmente, não queremos "virar uma Venezuela da vida". Para evitar isto, devemos tomar consciência que foi este tipo de político apontado na reportagem que levou a Venezuela para este abismo onde se encontra.

  38. Em um país igual ao brasil? acostumado com corrupção !!! só HÁ um jeito, infelizmente, tenha pulso firme Sr. PRESIDENTE e faça o que tem de ser feito, nós como população não aguentamos mais tanta roubalheira, FECHE ESTES ÓRGÃOS CORRUPTOS, A POPULAÇÃO ESTA AO SEU LADO.

    1. Não há mais o espírito investigativo.isso tem haver com a cultura e como nosso país está;somos consumidores de assunto referente a política e aceitamos tudo de goela abaixo.A aparência é tudo que o povo brasileiro quer e não os valores morais éticos e respeitosos ... isso identifica um povo ... nós somos povo ??? Ou um bando de inuteis que se proliferam entre si ??? Hoje a extrema direita tem nas mãos o que precisamos para gerenciar o ponto de partida.

  39. Sugestão: lançar um “Pacote de Medidas Graduais de Restrições Decorrentes do Déficit Fsical” em obediência à CF e à LRF por decreto presidencial. Estipule os parâmetros de execução e gradação afetando proporcionalmente os maiores salários da ativa e da inativa. STF está próximo de golpear isso. Se a ADIN 2.238-5 derrubar o art. 23, 1º e 2º da LRF atrapalha essa estratégia. A oposição chamará de “pacote de maldade”. O governo chamará de “pacote da salvação contra o abismo”.

    1. É impressionante a forma de assédio dos senhores deputados, independente de partido, com a única intenção de obter vantagens ou cargos. É sabida a posição do presidente nestes casos. Eu chamaria de petulância entranhada nos poros desses eleitos que na verdade só procuram o interesse próprio mandando às favas toda e qualquer postura...

  40. País difícil o Brasil.Fala-se muito da baixa qualificação e corporativismo do legislativo mas as iniciativas para enfrentamento das suas manobras são vistas como criminalização da política inclusive pela imprensa. Mas nessa reportagem a revista mostrou o equilíbrio necessário para o leitor formar sua opinião.

  41. País difícil o Brasil.Fala-se muito da baixa qualificação e corporativismo do legislativo mas as iniciativas para enfrentamento das suas manobras são vistas como criminalização da política inclusive pela imprensa. Mas nessa reportagem a revista mostrou o equilíbrio necessário para o leitor formar sua opinião.

  42. O capita foi durante quase 30 anos deputado e, como sempre foi óbvio para quem tem um olhar crítico, nunca se articulou com os demais parlamentares. Sempre foi um “corpo estranho”. Não é de admirar a batecao de cabeças nesses 2 meses de governo.

  43. Muito simples deixa a previdência exatamente como está. Aí vamos ver como os senhores deputados iram conseguir verba para fazerem as suas obras duvidosas nos seus redutos eleitorais. E com os seus estados quebrados sem poder pagar os servidores, vamos ver quanto tempo eles aguentam. Super simples sem nenhuma negociação exdrúxula com esses ratos.

  44. Será mais difícil do que se acreditava. O congresso não mudou tanto como gostaríamos. Pena q a única novidade eleitoral a bancada do partido NOVO seja apenas 8 deputados. Eles representam na prática legislativa o que era pedido nos movimentos das ruas. Seriedade, racionalidade e competência. Faltou para o governo uma bancada maior do NOVO para agilizar as propostas de mudanças de Guedes e do Moro.

  45. Governo e Congresso cada vez menos Nacional dispostos a aprovar a PEC "proposta de esfolação constitucional" 6/19: vamos ver quem serão os Novos Coveiros do Sexagenário? O povo está insatisfeito esqueceram disso entreguistas golpistas e fantoches do mercado internacional.

  46. Na minha opinião os parlamentares que demonstrarem tendências de descomprometimento com o Brasil deveriam ter suas vidas de assadas pela receita. Com certeza absoluta não mereciam ocuparem uma cadeira no congresso nacional.

  47. A ilusão quando se desfaz dou no coração de quem sonhou, sonhou demais (verso de um samba canção). Cada povo tem o governo que merece (Legislativo, Executivo, Judicia rio, etc..). Os congressistas que estão emparedando Bolsonaro foram eleitos por quem??? Então, "AGUEENNNNTA!!" como dizia o humorista Paulo Silvino. A qualidade de um Pais que tenta praticar a democracia decorre da qualidade dos eleitores que escolhem seus representantes e governantes. Mas a culpa é do Bolsonaro!!!!!

    1. O povo brasileiro na sua grande maioria deve receber informações de quem não quer fazer o trabalho que deve ser feito em benefício dos cidadãos. O hoje Presidente Bolsonaro usou as redes sociais para se eleger. Então que as use para denunciar ao povo quem não está do lado do que é melhor para o Brasil de modo geral. Se não o fizer e ainda ceder as chantagens dos políticos inescrupulosos estará se transformando num político semelhante a esses e perderá o mérito de ter sido eleito.

  48. Existe um erro de princípio que mostra a metástase do legislativo nacional: o Parlamento também governa; sua função não é apenas dar apoio ou criar embaraços às ações do Executivo. É responsabilidade de cada senador e cada deputado eleitos. Não podem simplesmente encarar cada tema nacional como uma possibilidade de ampliar sua influência na máquina pública (atrás de dinheiro e poder). Suas excelências têm que ser expostas. Transparência já!

    1. Fechar o congresso. Aiaiai, não podemos... o mundo vai cair de pau. A onu e os direitos humanos vão interferir bravamente! Que desânimo, que preguiça. Estou pronta para ser abduzida, socorro!

  49. Tempos difíceis pela frente para o novo Governo. A aprovação da Reforma Previdenciária será trabalhosa e vai requerer muito toma lá da cá, infelizmente. O sistema é assim e assim ficará. Mudança não será possível, como sabemos, pois está implantado há muito tempo.

  50. Espero que o Presidente mantenha suas promessas e chame à responsabilidade do congresso com a população o presidenta da câmara não deveria ser reeleito, já demonstrou sua má vontade quando apoiou o pagamento de " mudança" para deputados que foram reeleitos e não precisavam sair de Brasília .

  51. Pelo que se entende, para conseguir as reformas que o País precisa, os políticos têm que receber benesses que nem sempre interessam ao interesse nacional. acerta uma parte e deteriora a outra. Se ogoverno não ceder, será responsabilizado pelo fracasso do que interessa ao País, e não is chantagistas?

  52. Espero que Bolsonaro cumpra sua promessa De campanha, ACABAR COM O TOMA LÁ DÁ CÁ. Se preciso for apele aos seus eleitores que certamente ajudará. Estamos de olhos abertos senhores deputados contrários às reformas e consequentemente contrários aos desejos da maioria dos brasileiros. Vão sabotar a PQP!

  53. Nós pagamos tudo, inclusive os implantes dentários , o clareamento dos dentes da família inteira, até os desdentados contribuem, o lema é sempre o mesmo, primeiro o meu depois o do país. Com raras exceções, são todos uns escroques.

  54. Esses 300 deputados que se colocam contra o governo sem sequer analisar o que está sendo proposto são bandidos. A política do "toma lá, da cá " é a única coisa que conhecem. Gente assim jamais abrirá mão de seus privilégios, preferem arrastar o país para um caos econômico e social. Mas hoje muitos brasileiros estão atentos e através de meios de comunicação como a Crusoé conseguem identificar esses pilantras. É a turma do "não comi e não gostei". A única bandeira que desfraldam é a do "toma lá dá

  55. O quanto antes politicos perceberem que o toma lá e dá cá MORREU..e o eleitor quer que continue morto, mais tempo permanecerao na vida pública! Tolerância 0 com ego, vaidade e o levar vantagem em tudo. 0 ZERO,!

  56. Fazer comentários nessa revista é um parto. Nunca consegui e não nos dão sequer o recurso de salvar o texto para não ter que redigitar tudo outra vez. É uma merda

  57. Eles contam e sempre contaram com a nossa "omissão/covardia".Enrolaram os militares na bandeira e os mais necessitados em bolsas miséria.A responsabilidade é nossa.Teremos que atuar de maneira mais efetiva(principalmente a Classe Média).Não podemos continuar reféns desse modelo perverso,atávico.Está em jogo o futuro da Nação/gerações.Em Freeente!....

    1. Concordo com você. Cidadania não se resume em votar e eleger alguém, mas em acompanhar e pressionar nossos representantes, para eles também entendam o significado de " ser votado". Vamos mudar nossa conduta para exigir que nossos representantes façam POLÍTICA, e não POLITICAGEM!

  58. Talvez o governo tenha errado muito por ler estas colunas e acreditar nelas. Aqui o Bolsonaro foi transformado em mito e ele acreditou nisso. Nada mais é do que um mi(n)to. Vocês endeusaram a atitude do governo de negociar com as bancadas e não com as lideranças. Fez água. Vocês escreveram que o Centrão havia morrido. Sobreviveu e veio com mais força. Vocês escreveram que as eleições de novos personagens acabaria com o toma-cá-dá-lá e o Bolsonaro também acreditou nisso. Vocês erraram muito.

  59. Vamos ver a valentia no futuro. Logo que a receita federal chegar em cada congressista, o dito cujo vai afinar. Se não afinar por bem, vai afinar pela pressão dos 60 milhões de eleitores do Presidente. Até a Globo vai arregar. Aguardem....

  60. Depois de 16 anos de PoTro governo, o Brasil emburreceu um pouco; o País não é burro, está burro. O Governo tem 60 dias e leva pau de todos os lados. A mudança é em graus, mas não há paciência para tal. Parece aquele personagem do folclore paraense, o CURUPIRA, um quase humano, mas que tem os pés virados para trás: anda para trás ou para frente? A esquerda para nada serve, a não ser querer retrocesso. Quando vão iniciar o processo da cassação do PT por ter recebido verbas no exterior?

  61. Será muito difícil para Bolsonaro governar, e isso não é novidade pra ninguém ... Entretanto, o povo encontra-se atento a essas manobras torpes do Congresso Nacional ... Sinto que estamos nos encaminhando para tempos muito difíceis .... O povo já está saturado de tanto roubo .....

  62. Interesse nacional? Bandidos que gastaram 10 vezes mais do que vão ganhar em 4 anos, estão preocupados com interesse nacional. Nem sabem o que é isso. Só seremos uma nação, no dia que fechar essa merda de congresso. Cheio de vermes. A política no Brasil e uma organização a serviço do crime. Do roubo, dos interesses escusos.

  63. A política como ela é. Não como grupos com um ou outro viés a idealizam. Muito elucidativo o artigo. Meu muito obrigado à Crusoé.

    1. Não acho que o governo esteja se mostrando ama os, Alexandre. Acho que está perplexo, estarrecido mesmo, com tamanho descaso pela vontade do povo. Na verdade o Congresso é pequeno para o tamanho dos egos dessas criaturas nojentas. Não tem jeito mesmo... Só se fechassem esse congressinho de merda. Aí seria aquela gritaria de merda, ditadura, etcetc. Eu pergunto, isso é democracia? Prefiro então os governos militares. Com eles, pelo menos o país cresceu.

    2. E o governo Bolsonaro está se revelando constrangedoramente amador... :-/

  64. É realmente VERGONHOSO! Pode parecer ingenuidade minha, mas o Presidente tem nas mãos a arma mais importante a seu favor: O POVO. Por isso deveria, em rede nacional de radio e TV, contar ao povo quem são os verdadeiros abutres da pátria. Peça ajuda ao povo, Presidente. Use da mesma sinceridade que o fea se eleger. Dê o nome aos bois e a pressão popular fará com essa corja entenda o que quer dizer Brasil acima de tudo!

    1. Ter acima dos interesses dos políticos, o que o Brasil precisa urgentemente, senhores deputados e senadores! Consciência com nossa Nação!

    2. O presidente não pode apontar o dedo para nenhum político safado. O filho "01" está tão sujo quanto os demais. O discurso da campanha está prejudicado.

  65. Será que o Bolsonaro não aprendeu com a derrota do Renan que aprovar o fim do voto secreto ( bastidores , escondidas ) será fundamental para todos os seus objetivos no congresso ? Cadê as reformas ? Não é só previdência e código penal não . O que justificaria um congressista esconder o voto do seu eleitorado , quebrando o país e mantendo impune a bandidagem ? Nada ... Nada mesmo . Acorda Bolsonaro .......... acorda Crusoé .......... alerta esses burros .......

  66. Não existe parlamentares indecisos ou contra qualquer proposta do executivo, mas sim parlamentares esperando levar vantagem. São os parlamentares do Brasil que atrapalharão qualquer movimento no sentido de melhorar o Brasil. Necessário fazer movimento para identificar esses parlamentares e fazer campanha contra eles para nunca mais serem eleitos. Poder-se-ia começar por Rodrigo Maia que não demonstra boa vontade com as propostas do novo governo.

    1. Tem que nomear os "abutres" ... o voto é nosso e o Presidente tem o povo ao lado. Tem que limpar o Congresso, eles tem que saber que queremos ter orgulho da nação e algo para oferecer a filhos e netos. Chega de sustentar "o mundo encantado dos politicos" Chega de VERGONHA!

  67. Caio Junqueira excelente. Voltei a ler para entender a dinâmica e o nó que o presidente se encontra. Você foi perfeito. O velho sistema não quer o novo e não querem aprender ou ceder, não sabem fazer política para o país, apenas para seus interesses. O presidente fez sua parte e tem que ser forte, o congresso está com tudo na mão e se não fizerem a parte fácil que é só votar o Brasil todo saberá que foram eles os culpados e poderá haver uma revolta e instabilidade devido caos na economia.

    1. Ricardo Barros, PP, imerso em corrupção,. Indiciado, condenado...evocando troca troca. Vamos dar um basta nisso. Fora deputado, vai ganhar tua vida em outro lugar, longe das tetas do dinheiro público lico. Lixo...

  68. Os congressistas estão mostrando sua faceta de sempre, qual seja a de, em sua maioria, de desonestidade e buscar chantagear o Governo, visando proveito para sí, e dando as contas para as necessidades da Nação Brasileira. Urge que o Poder Máximo se imponha, por sua justa demanda, e os vergue.

  69. Enjoei de ver que os políticos não se deram conta que o povo está querendo mudança na forma como atuam. Chega do toma lá dá cá. Quando forem xingados ou agredidos na rua não vão poder reclamar.

  70. Mande o Projeto pro Congresso e deixa o resto com povo. Venha em rede e fale o que está acontecendo sobre o toma lá da cá da velha política. Agora a Crusoé está do lado da velha política, isso não resta dúvida.

  71. Esse jogo requer muita habilidade política, o que o capitão não tem, tem 2 bons ministros (Guedes e Moro), mas o próprio presidente se esforça em solapá-los, esse governo esta se transformando numa ópera bufa e caminhando para uma triste derrocada.

  72. Como disse o.militar que atendeu o parlamentar no Planalto...o legislativo vai ter que ser " desapegar" das benesses e rapa-pés , e a se perguntar: " E o interesse Nacional?". Porque o povo apoiará o cabo e os 2 soldados , se necessário. Ah! E # ProjetoMoroSIm!!! Ou viramos a Venezuela!

  73. Amigos a velha e maldita política ainda vai durar por muito tempo,um país de analfabetos jamais terá políticos de boa qualidade.

  74. Jamais em tempo algum vi jornalistas torcerem tanto para o governo não dar certo e pela volta o toma lá dá cá.

  75. Dá nojo de ler a matéria, saltei partes, quanta sujeira. Bolsonaro deve ir para as redes clamar ao povo, quero ver se estes imundos continuarão , ou entregar o governo aos militares e fechar este congresso sujo, não dá para aguentar. É tudo ou nada, não ceda Bolsonaro.

  76. Mais uma vez mostra a necessidade do exército fechar esse congresso e Senado corrompido, senão NUNCA nos livraremos desses aproveitadores.

  77. O maior rival do Gov. Nessa reforma, chama-se Rodrigo Maia o bolinha da Odebrecht, ele atua em causa própria e do grupo do sogro/Temer.

  78. Infelizmente o Bolsonaro começa com o rabo preso em relação aos problemas dos filhos. O toma lá da cá deveria realmente acabar e cada representante do povo, defender o interesse dos eleitores que representa, sem buscar emprego ou cargos para apadrinhados. Todos continuaremos perdendo, não importa qual o partido no comando, até porque, de fato, não existem partidos e sim agrupamentos de interesse pessoal. Lamentável que toda expectativa de mudanças vá se dissipando tão rapidamente.

  79. É muito mimimi para adultos eleitos com votos de contribuintes, hoje mesmo debandada geral, aliás ontem, no Congresso: férias ligo depois do recesso.

  80. O Bolsonaro verificou se permanecia com a carteira após a saída do deputado?O congresso está com os dentes todos careados.Necessitando urgentemente de tratamento.Pela gravidade,talvez tenha que arrancá-los,por próteses mais resistentes ao que vai ter que mastigar e engolir.

  81. Kkkk os caras são os endeusados em suas bases foram por décadas costumases a esse fisiologismo barato que desde o fundo partidário até emendas.O Brasil é em segundo plano. Esta na hora do Bolsonaro chamar a população que o elegeu e chamar para o campo de batalha.Mostrar quem quer essa reforma pois ela não era promessa de campanha e sim a pauta da segurança não caia no jogo do congresso consulte seus eleitores pois estamos com vc presidente não com as cobras e hienas contra a sociedade.

  82. O app tem um problema de rolamento começo ler a matéria e se avança um pouco vai direto para os comentários.Cansa voltar !!!!

  83. Enquanto o ser humano não for ético e verdadeiramente cristão, nenhum governante terá que autonomia total. Muita inocência duvidar disso.

  84. Para o Brasil mudar realmente não basta mudança do Executivo. O Legislativo teria que mudar totalmente suas cabeças e pensar Brasil somente. Não é o que se vê .

    1. Só há um jeito de mudar efetivamente: uma passagem só de ida. Tudo isto que aí está, esteve e estará por muito tempo na política, é só uma amostra bem escolhida da sociedade que somos. Só lamento, mas é o que temos para oferecer... Já considero um milagre o que aconteceu nesta última eleição... Um milagre.

  85. Dito e feito. Votar em MDB, PR, PP, PSDB, PRB. .. Da é nisso. Não podemos votar nestes partidos bem pra síndico de prédio abandonado. Acorda galera.

  86. O governo não pode continuar com a mesmice e politicagem.Mande os projetos para o congresso, se estiver bem elaborado sairá vencedor do contrário pode perder,isso é o jogo da democracia,se os congressistas agirem de má fé apenas se importando com seus interesses mesquinhos nós vamos pra cima deles.Tanto eles quanto presidente foram eleitos para promover um país melhor do contrário vão amargar.

    1. E vc acha que todos os deputados se preocupam com os interesses nacionais?

  87. Que tal todos pensarem no Brasil e suas prioridades? Dentro de quatro anos teremos novas eleições, e aí novamente ... Um pouco de decência para os senhores parlamentares não iria fazer nenhum mal. Estamos de olho em vocês.

  88. RM,VCN,são raposas no galinheiro ,insuflam a discórdia e depois assopram,vilões é o que são,os nomes dos parlamentares chantagistas têm que ter seus nomes pública dos em toda mídia.Reeleição,never!!!!!

  89. Vale lembrar, gente, que, após o Carnaval, temos que nos envolver com as reformas e ajudar o governo. O povo precisa colocar os parlamentares fisiológicos no seus devidos lugares: de pessoas eleitas para ajudar o país. Aos traidores do povo, a sua não reeleição!

  90. Afinal, pra que serve esse Congresso? Para defender os interesses da Nação ou interesses pessoais? Nada mais do que usar os princípios democráticos para chancelar interesses escusos. Isso é democracia?

  91. O que eu entendo de tudo isso é que os parlamentares fisiológicos estão fazendo sua pressão. E isso cabe numa democracia; não é bom, mas faz sentido para eles. Claro que Bolsonaro terá que conversar com os parlamentares, mas isso não significa submeter-se a eles. E mais: só depois do Carnaval é que a Câmara E o Senado vão funcionar.

  92. Quando será que os maus políticos (han, quase todos, né? 😡) começarão a desconfiar de que “alguma coisa” MUDOU neste país?... Será preciso que em algum momento, algum deles (por certo mais afoito e sem nenhum pudor e vergonha), venha a sentar-se bem na ponta de uma estrela? Ou pior, nas pontas de umas “4 estrelas”? Será que não conseguem entender que as há, e são muitas, bem espalhadas em volta do nosso bem cercado Capitão, pô🤬!?... Nem mesmo com o Lula já preso, cambada de babacas? 🔒🔒🔒🔒🔒

    1. Não é só a nossa surda e lerda Justiça. O país todo também está CEGO... Nossa única luz tem vindo das ESTRELAS de um discreto herói...

  93. Isso não é o congresso nacional e sim um prostíbulo nacional, e cada um defendendo o seu lado e não o interesse nacional, por mim jogava esses vagabundos no mar.

  94. Essa deterioração das relações com o Congresso assusta. Receio que possa evoluir para soluções violentas de parte a parte, em detrimento dos interesses nacionais.......perigo a vista....!

  95. Então, eles deixam cada ve mais claro que fazem apenas e tão somente o que é de interesse DELES, e o BRASIL como Pais esta sempre em planos bem inferiores... Estão incomodados porque essas Hienas lazarentas não querem perder nada da parte que julgam ser deles... NOJO total deste congresso!!!!

  96. Por estas e outras continuo achando que a democracia no Brasil não funciona . Deputados e senadores são movidos a propina . Nada como uma boa junta militar para acabar com a safadeza do congresso, Senado e STF.

  97. Isso não passa de homens gananciosos pelo poder, espere que o dia deles vai chegar. O povo tem que está atento a essas cobras,pois os seus venenos está sempre pronto para injectar em suas vítimas. Se tivermos que ir para as ruas iremos, mas eles não podem destruir nossa nação, já que eles não as consideram deles. Avante brasileiros, não podemos recuar, o Brasil é nosso.

  98. Para que o Governo Bolsonaro tenha sucesso existe somente uma saída, fechar esta casa de prostituição chamada de Congresso, prender todos os bandidos e corruptos que frequentam aquele antro e tirar esta cambada de malandros debaixo de porrada. Quero ver o pilantra do Ricardo Barros e seus comparsas ficarem frente a frente com o povo e tomar uma surra com vara de marmelo. FORA DEPUTADOS E SENADORES CORRUPTOS VCS NÃO REPRESENTAM O BRASIL.

  99. Cada vez mais se vê terem tido razão os Presidentes Generais quando fecharam o Congresso! É impossível qualquer racionalidade e critério atender essa corja de vagabundos e picaretas!

    1. Infelizmente, estou ficando inclinada a concordar co isso. A maioria ali é pilantra e descompromissada com os eleitores e com o país.

  100. Todos esses problemas surgidos com um congresso fisiológico não mudarão sem interferência militar. Esses deputados federais, começando com seu presidente, pouco se lixam com as reivindicações do povo: segurança, saúde, educação e revisão da previdência social aprovada em tempo hábil.

    1. kkkkkkkkkkkkk........ conta outra, gostei dessa.....kkkkkkkk.......

  101. A disputa por poder e ou por certo espaço no poder, se inicia no ‘olho no olho’ entre os protagonistas (ou mesmo antagonistas, rs), em que se mede quem é QUEM!!! E aquele que “piscar” primeiro, ou sorrir, ou abaixar a cabeça, ou demonstrar qualquer indício de fraqueza, sinal ínfimo sequer de covardia ou ainda de pusilanimidade, começa mal! É assim na Natureza, no mundo real, animal... Han?...Não estou falando de política, apenas filosofando e quem sabe pensando também em passar o chapéu, né uai?

    1. Muito boa a matéria, focando o principal, as questões dialéticas, na maioria antiéticas que irão reger o embate entre o Poder de um e o ‘poder’ de outros. Pior que ambos embasados no voto popular, o de esperança num mito popular e os de inconsciência nos místicos populistas, rsrs. Por favor, fique bem alerta meu Capitão, tire as tais sandálias e a camisola do hospital e vista uma couraça, pois agora está na arena!!! Os sorrisos à sua volta são de fato rosnados, pior que de hienas, não de leões.

  102. Achei que ia demorar mais. Mas não. Bolsonaro é seu “governo” já se parecem com o Sarney. Serão iguais até o meio do ano. Ouvindo e seguindo os filhos, Joice e Ônix, B17 atesta ser burro, mas de boa índole. Um otário útil. Só isso que ele é.

    1. Ah, Caco, e você é muito do inteligente... por que não se candidatou? Ia arrasar!

  103. Cedendo Bolsonaro cria sua própria desgraça principalmente no relacionamento com o Congresso. Votei ele esperançoso mas está parecendo que o leão é mansoe o tigre é de papel. Já estou me irritando

  104. Preocupa-me ver que há tanta gente esperançosa, porém sonhadora, achando que apenas o desejo de mudança irá transformar o caráter político nacional, da água para o vinho, em um passe de mágica.

  105. Em outras palavras. A Corrupção faz parte do DNA político do país. Não será da noite para o dia que se irá mudar esse genoma. Levará muitos anos, desde que haja sempre um força poderosa tentando mudar isso tudo, sem cessar um dia sequer. Imaginem a viabilidade...

  106. Engano geral de quem acha que os parlamentares trabalham pelo país. Na política nacional o "Discutir a Relação" faz parte do quadro. Bolsonaro irá ceder, já que dificilmente conseguirá aprovar as reformas necessárias, em qualidade e em tempo. FHC, do hipócrita PSDB, que tanto denunciava o Presidencialismo de Coalizão, nomeou Renan seu ministro da JUSTIÇA, governou com o MDB a tiracolo, e ainda "cavou" um segundo mandato no tapetão. E acabou "elegendo" Lula. Esse é o Brasil. Encarem os fatos.

  107. A Crusoé e o Antagonista precisam compreender que imprensa fiscaliza os 3 PODERES, e não apenas o Executivo. Por isso, reportagens como esta, que lançam luzes sobre as trevas da Câmara e do Senado, são desesperadamente necessárias para o país. A imprensa precisa fiscalizar o fisiologismo e apresentar seu nomes! A reforma política passa também por novos óculos e valores na imprensa.

  108. O PODER LEGISLATIVO VAI DESAFIAR O GOVERNO PARA CEDER NO TOMA LÁ DÁ CÁ. O EXECUTIVO TEM AMPLO E SUFICIENTE APOIO DA SOCIEDADE PARA DESMASCARAR ESSES DEPUTADOS e SENADORES. SE NÃO APROVAREM AS REFORMAS QUE O PAIS ESTÁ PEDINDO ELES SERÃO OS RESPONSÁVEIS PELOS ACONTECIMENTOS VINDOUROS.

    1. Penso que a população que elegeu o presidente, bolsonaristas ou não, precisa de um canal de interlocuçao pra deixar claro o apoio às mudanças, mostrar indignação para com as práticas indecentes e institucionalizadas na política do país, e mostrar os nossos dentes! Onde estão os movimentos que ganharam as ruas nos momentos importantes do passado próximo, e que culminou com a impressionante eleição do Bolsonaro?

  109. A imprensa de todas as formas bem que poderia ajudar mais nosso país, sem ficar dizendo que um parlamentar fez tal coisa para o governo e não recebeu parabéns. Parlamentares trabalham para o país, para a nação brasileira e não para o governo. Coisas positivas, do bem é para o Brasil e não exatamente para o governo. Pronto falei.

  110. A política não é a caserna, ponto. O fisiologismo é algo com que o governo precisa lidar pois está entranhado na política, em especial na brasileira, até aqui nenhuma novidade. Se o governos não dialogar vai repetir a truculência do segundo mandato de Dilma Russeff, em que se isolou e afastou do congresso. Não há outro caminho que não seja a política e o consenso que esta pode gerar. Se o governo mantiver-se preso como a língua do presidente se tornará alvo fácil dos abutres da política.

  111. É necessário divulgar os nomes dos inimigos do povo. A transparência é uma promessa de campanha . Só assim faremos pressão e poderemos ajudar!

  112. É muito ego envolvido. Trabalhem pelo país, que é para isso que estão por lá. a frase do general resume tudo, "o interesse nacional".

    1. Como já foi dito, não se oferece flores e bombons a bandidos.

  113. "... um senador...", "...um parlamentar...", "...um deputado...", "... um militar...", "...um senador...", "Outro senador...", é muito artigo indefinido e poucos nomes aos bois. Tá parecido àquele jornalismo que, diante do fato comprovado e flagrante, noticia: "O criminoso, supostamente, ...", "O político, supostamente...", "O condutor, supostamente bêbado, ...". Feita a crítica, os Bolsonaros se fizeram e usufruiram desse fisiologismo. Ingenuidade de seus eleitores esperarem algo diferente.

  114. Essa bandidagem se esquece de que Bolsonaro não tem rabo preso e que, como ferramenta prevista na própria constituição, ele pode pedir uma intervenção militar, destituindo todo o legislativo e o judiciário, caso não seja possível a governabilidade e consequente quadro de insegurança nacional.

    1. Ô Luís Felipe, diz aí que droga horrorosa é essa que tu andas consumindo. Te livra dela velho e cai na real que é mais inteligente e producente.

    2. Não se esqueçam também de que ele conta com a esmagadora opinião pública...

  115. Bolsonaro foi eleito para acabar com a prática do toma lá da cá.Esses maus políticos ainda não entenderam a voz das urnas que defenestrou grande parte desses salafrários.O eleitorado está de olho através das redes sociais ou eles entram no padrão Bolsonaro ou também serão defenestrados nas próximas eleições.Os novos que tomem tento para não entrarem no mesmo sistema sujo de fazer política

  116. CEDER À SEDE SINTOMÁTICA DE PODER.... EM BRASÍLIA NÃO HÁ SALVAÇÃO... E O POVO QUE SE EXPLODA.... AFINAL HÁ POBRES DEMAIS NO PAÍS QUE AINDA AGUENTAM SER EXPLORADOS...

  117. O governo Bolsonaro não pode ceder. Acredito que esse embate terá um final feliz para o bem da nação. Afinal, nós o elegemos sabendo que ele seria o único predrador há ser lançado neste ninho de cobras. Se não conseguir, iremos para as ruas, ou, montaremos barracas ao lado oposto do congresso.

  118. A primeira coisa que tinha que cortar é essa quantidade de deputados e partidos, como negociar com esse povo que só pensa no seu umbigo, ou em ser resistência as nossas custas e a peso de ouro???

  119. O que falta aos parlamentares em geral é patriotismo, consciência de dever para com a sociedade e reconhecer o seu lugar de fiscal do governo e debatedor dos interesses nacionais. Simples assim. Vaidades e poder às favas.

  120. Ando um pouco confuso. Não sou "bolsonarista" mas antes das eleições existia o medo de que o cara "botasse um cadeado" no congresso pra conseguir governar...não fez isso e tá tentando da "maneira tradicional" (que todos fizeram)...tão criticando e tal... uma pergunta: Qual seria a maneira de fazer valer os projetos pra sofrido povo brasileiro?

    1. Digo há muito que o congresso deveria ser fechado. Não venham com argumento que seria um golpe na democracia. Esse congresso não se presta à democracia e nem ao bem da nação.

  121. Se essa velha politica podre, totalmente dissociada dos interesses dos brasileiros não mudar, aí desiste de vez deste país, por que isso não é democracia. É só um bando de parasitas drenando a riqueza do Brasil. Espero que Bolsonaro não esqueça porque foi eleito.

    1. mais ele depende do congresso, para aprovação de seus projetos, isso é democracia!

  122. Se Bolsonaro nao conseguir realmente mudar a maneira como se relacionam governo e congresso , nao mais nada a se fazer . Ficara provado que a " democracia" é uma farsa , um engodo , uma mentira . Ficara provado que nao tem solução. Se Bolsonaro nao conseguir , eu desisto.

  123. Se a mídia cumprisse com o seu papel denunciando a chantagem dos congressistas, parte do problema estaria resolvido. O que ocorre, contudo é que a mídia não apenas se omite mas está lado a lado com os deputados mercenário nesse jogo nojento . Enfraquecer o governo com sucessivas denúncias nem sempre consistentes , é a receita do sucesso da turma do mau...e o Brasil que se exploda!

    1. Concordo!!! Se a mídia não der suporte fica mais difícil, não acha Crusoé? Nós queremos os nomes desses chantagistas para não receberem nossos votos! Não estão nem ai para o interesse do Brasil! Só pensam nas regalias!!

  124. O Presidente deve vir a público para delatar os verdadeiros inimigos do povo, os que continuam fazendo a velha política do toma lá-dá cá, os que usufruem das benesses do Congresso e não pensam, em nenhum momento, em melhorar as condições de vida da população. São abutres que merecem ter os seus nomes revelados para que não sejam reeleitos.

    1. Bem, sempre há uma solução. Nesse caso seria o "enquadramento" dos governadores . Outra forma está em levar no "banho maria" as tais conversas até as próximas eleições, expondo, então, aos eleitores a canalhada, sempre ávida por dinheiro.

    1. Essa seria uma boa medida...acho até que o próprio Bolsonaro tinha que ir em cadeia nacional jogando tudo na mesa

    2. Quem precisa fazer é a mídia. A única forma do povo ajudar na pressão sobre os congressista para aprovação dessas reformas é ficar nitido quem está mais interessado no fisiologismo político do que nos interesses nacionais.

  125. Bolsonaro, não esqueça do art. 142 da CF. Não decepcione seus eleitores. É melhor não aprovar nada do que aceitar ser chantageado.

    1. Percebi Isso tb. A capa engrandeceu o conteúdo que já era muito bom.

  126. Ignoram princípios legais para sua atuação, expressos no art. 37 da CF:legalidade,moralidade,impessoalidade,publicidade, eficiência. Todas as decisões que tomam, v.g., votar contra certa matérias, tem que obedecer a esses princípios. Deveria ser obrigatória a fundamentação, suscinta que fosse, de cada voto dos deputados e senadores. Votos ilegais, imorais, contrários ao interesse público, etc., mera "pirraça" de quem não teve sucesso na barganha, seriam nulos, gerando processo administrativo.

    1. E quem decide isso? Se a Dilmanta tivesse forçado a aplicação desse princípio quando o congresso quis detonar o governo dela, Luladrão seria o presidente, e você estaria feliz, não estaria? Afinal, se defende essa medida, é porque ela é boa, e não porque o Bolsomáfia está no poder, não é?

  127. Cabe ao Sr. Presidente expor ao eleitor que confiou seu voto nele por querer mudanças, expor publicamente os políticos que estão pedindo, exigindo benesses em troca de apoio. Tenho certeza que Bolsonaro saberá, no momento certo, responsabilizar quem foram os culpados por eventuais insucessos nas votações do congresso.

  128. Quem que votou no Bolsonaro achou que seria diferente? Bolsonaro é uma figura colocado no poder pelo povo que estava cansado dos Petralhas! Podia ser qualquer um com o discurso dele que consegueria... O problema é que implantar o discurso com a quantidade de bandido que se elegeu é muito difícil... Boa sorte Bolsonaro, e que o povo entenda se ele mudar um pouco o discurso.

  129. Enquanto esses fisiologistas não forem expostos para a população cobrar cada um deles, ficará difícil para o governo conseguir aprovar as pautas importantes.

  130. Se quiserem "carinhos e afagos", que vão visitar as casas de suas mães, ou peçam às suas esposas, ou amantes. Quando os congressistas vão convencer-se que eles estão ali pra defender os interesses do povo, que quem merece o carinho é apenas o povo e não os egos das Vossas Excelências?

  131. Resumindo, constata-se o óbvio: o Congresso Nacional está ratificando uma perigosa e já consagrada imagem ao Povo Brasileiro: de ser o grande entrave à implantação de uma forma de governar que o próprio povo anseia, tornando aquela casa o grande câncer da Nação. O mal que esses senhores e senhoras fazem à democracia brasileira é criminoso: certamente a maior parte dos brasileiros faria festa se eles simplesmente tivessem a sua vendinha de comércio, que virou o Congresso, fechada.

    1. Pena que o Luladrão não fechou, né? Se tivesse fechado o congresso, nem precisaria se envolver nos mensalões da vida.

    2. Isso mesmo, José. Manda um soldado lá e resolve a situação.

  132. Bem, meus amigos, se o Congresso nacional quiser fazer prevaler o toma lá, dá cá, da velha política, certamente destituiremos todos dos seus cargos e nenhum deles voltará a vida pública. Este Ricardo Barros, investigado pela Lava jato, mostra quem é com sua conversa dissimulada. A vez destes corruptos chegará em breve. Aguentar conviver com estes corruptos não deve ser nada fácil. Bolsonaro tem que prevalecer para o que foi eleito. Nada de toma lá, dá cá!! Estamos de olho!

    1. e, se necessário, expõe publicamente, os reais interesses dessa corja de políticos que têm por único interesse a ocupação de cargos públicos por amigos pata deles se locupletarem. Em última instância fecha aquele parangolé.

  133. o congresso deve entender que sua função é zelar pelos interesses do pó o e não de seus próprios interesses. a única maneira de entenderem isso é a pressão popular, exercida das mais diversas formas. o congresso está viciado e mudar este modus operandi é difícil, mas não impossível. depende de nós cidadãos brasileiros.

  134. A pressão contra esse fisiologismo deveria vir inclusive dos meios de comunicação. Não aceitar essa forma de política e criticar essas necessidades de afago, deveria ser parte da ação da imprensa. Ou todos os setores atacam esses vermes ou o Brasil segue igual.

  135. Cadê o povo? Já está deitado em berço esplêndido? Tem que exigir seriedade dessas 2 casas de tolerâncias. Fazer pressão pela honestidade dos políticos.

    1. Tô contigo! temos que mostrar a força do povo Brasileiro. Se necessário lutar para derrubar esta cambada de prostitutas.

  136. O novo governo terá muito trabalho para corrigir os vícios deixados pelos partidos corruptos que estiveram no poder nos últimos 30 anos.

  137. A classe politica continua se comportando como criança mimada e não consegue se comportar de outra forma.Não governa para o povo.Só se fala em articulação..apoio...reinvindicação..onde entra o eleitor?o povo?os problemas nacionais do mundo real?

  138. Esse marginal do Ricardo Barros tinha que ser preso ao desembarcar. Onde já se viu chantagear um presidente da República? O miserável é pago com o nosso dinheiro para se contrapor às reformas que nos beneficiam porque quer roubar livremente? É sério isso? Pau nele. Vagabundo.

  139. O fisiologismo analógico foi atropelado pelos big-datas digitais, fato. Nem positivismo, nem roubo, quem tiver juízo se adapta.

  140. A grande verdade é que Bolsonaro se elegeu pelo tuiter e zap com dircurso de ódio esquerda e a corrupção. Ali no congresso é articulação, corpo a corpo. Como o Bolsonaro tranformou a mídia tradicional e a oposição em inimiga vai ter dificuldade em passar projetos, pois ele tem uns 60 votos certo o resto quer respeito e carinho. Lá eles sabem que o mito é limitado e não é tão santo quanto seus seguidores imaginam, por isso nem precisa oposição organizada(inexistente hoje) para ser derrotado.

    1. Não vale esquecer que a Dilmanta tentou peitar o congresso em 2015 e ele não só estrepou o país mais ainda com a aprovação de pautas-bomba que arruinaram qualquer tentativa de ajuste que ela queria fazer (e que era ruim), como a levou a sair pela porta dos fundos no começo de 2016. Esperneio no twitter não governa país.

  141. Prezado Caio, faltou dar nomes aos políticos que foram solicitar demandas ao governo, fica mais transparente para o leitor, porque ocultar nomes? E porque vocês só retrataram um lado da história? Ficaria menos parcial a matéria se após a reclamação de cada deputado ou senador, se escutasse o lado do governo também. O que vocês sugerem, como jornalistas políticos, continuar o toma lá dá cá? É óbvio que toda essa tentativa de boicote aconteceria, faz parte de uma transição.

  142. Como diria Putin , A AL é a larina do mundo . E não tem tratamento de esgotos que conserte essa gente. São todos podres. E a podridão está concentrada na clase política brasielira.

  143. É estranho pensar que um canal de notícias vê com bons olhos ou mesmo com naturalidade o tão criticado toma lá dá cá, como no Jargão do Paulo Maluf rouba mas faz, acho que isso tem que ser combatido como já demonstrado pela Lava jato é o que facilita a corrupção e também hoje temos a força das redes sociais pra publicar nomes de políticos que ultrapassem os limites do cargo, porque não for eleitos para benefícios próprios é sim para buscar melhorias para os brasileiros!!!

  144. As ruas já mostraram o que podem fazer (derrubada de RENÃO), basta o presidente colocar pulso firme, não cedendo nada por enquanto. Seguir o que havia traçado para fazer essa "barganha" com os fisiologistas (Verbas) e divulgar TODOS os que tentarem fazer o acharque. A Rua faz o resto, afinal foi exatamente para isso que o colocamos lá. Falta o próprio presidente acreditar nisso.

  145. Não devemos nos iludir e a revista presta um bom trabalho à NAÇÃO apontando os fisiologistas. Mas ninguém acredita que haverão mudanças e evolução utopicamente esperada pelos brasileiros, se não se mudar a forma, a maneira de funcionar. Foi dado um nó gordio desde 88, e temos que fazer uma revolução para desata-lo. Espero que estejamos a 1/2 caminho, e apenas fazendo uma última tentativa. Que a única instituição em quem confiamos neste país não demore muito. Gerações estão sendo massacradas.

  146. As jararacas continuam vivas! A declaração de Sergio Cabral expôs a crueldade dos interesses políticos. Tem que ser maquiavélico, quem sabe se o governo não mostrar tanto interesse pelas reformas ( Temer que não tinha nada a perder não conseguiu) e colocar outras propostas e dizer Congresso não se interessa pelo vem do país vamos governar com o que der. Deixe o circo pegar fogo entre eles, reclamam que necessitam $$$ para suas bases e cada município está pior que outr.

  147. Não gostei da matéria, sinto que o seu papel é desacreditar o presidente perante seu eleitor. Vai ter governabilidade sim e sem moeda de troca.

    1. Concordo.Desacreditar que não se pode fazer politica ou jornalismo decente sem ser fisiologista. Fazer transcrições de fala de políticos sem citar os nomes dos declarante não se trata de proteger a fonte, mas de usar os outros para expressar seus desejos. Percebe-se que há uma torcida torpe de tais jornalistas pela perpetuação do fisiologismo...acredito que eles mesmos não sabem viver sem isso...

    2. O povo está do lado do governo. É a governabilidade necessária. Uma ou outra articulação político-velho-fisiológica pode até haver, mas não como antes....Reitero meu total apoio ao PRESIDENTE e sua equipe!!!

  148. Constituiu-se dois tipos bem claros pós-eleição: os que estão na linha em de Bolsonaro apesar de qualquer coisa, os chamados, sei lá, bolsomínios; na outra linha de frente, o que são anti-Bolsonaro. Ambos causam mal, ambos sofrem da mesma doença. E existe uma terceira categoria, na qual eu me incluo obviamente (hehehe) que só querem o bem do país, um tipo de pessoa que presta atenção no dito, não em quem está dizendo. Deus salve o Brasil.

  149. Esses bandidos ficam achando que a nova previdência é do presidente, todos têm que ter a responsabilidade de lutar para que essa mudança aconteca, ou então o país vai quebrar, inclusive a imprensa que também está contra porque não estão recebendo dindim. O país para essa gente não tem a menor importância.

  150. É muito desolador ver tanto Lobo disfarçado de cordeiro tentando destruir uma nação!! Mas “Brasil acima de tudo e Deus acima de todos “

  151. A jornalismo de vocês pode ser muito mais eficaz para o país. É preciso cobrar atitudes dos deputados para transformar o país. Espero que o pessoal da Crusoé seja efetivo nas reportagens e cobranças aos parlamentares para termos um novo Brasil. A necessidade de uma nova política, sem toma lá dá cá, é evidente para melhorar o país.

    1. O problema que a imprensa não está nem aí para o que realmente é preciso ser feitô, o negócio deles é bater no Presidente para ter matéria. Eles precisam cobrar dos congressistas, mas isso não é conveniente né.

  152. O congresso continua tão espúrio quanto antes. Aprendam com os militares disciplina, amor ao trabalho e o bem do país. A sociedade precisa se mobilizar para para reduzir o tamanho do congresso tem muito vagabundo e corruptos que só servem para prejudicar o país. E o Capitão precisa ser mais firme.

  153. A sensação que temos é que será impossível governar sem ceder à velha prática política asqueroso, mas isso foi o que nos trouxe até o fundo do poço onde estamos.

  154. A forma como os deputados querem que ele governe é igual a que Lula fez. Mensalão! Petrolão! Esses deputados se elegem na maioria comprando prefeitos e o povo vota sem saber da responsabilidade. País lascado c uma constituição que não permite avanço

  155. Isso tudo so confirma que o nosso maior problema é essa corja de bandidos que forma o Congresso. A renovação foi pequena, deveria ter sido 100%. O Congresso deveria ser fechado ou ter seus membros totalmente expostos a opinião pública.

    1. O lixo vai voltar sem nenhuma reciclagem. Quem viver verá.

  156. Mas e o interesse nacional? Realmente, é assustador. A nova forma de fazer política que Bolsonaro sempre pregou, parece ser quase impossível, o governo vai acabar cedendo a pressões, aí vem as pedras. A sorte do Presidente é que ele tem uma legião de eleitores muito fiel e que ainda que ele derrape, estarão todos lá para segurar. Vai ter muito o que sambar.

    1. Ele apareceu! Manda um abraço para o Presidente. Força e coragem para encarar essa quadrilha.

  157. Crusoé joga lenha na fogueira pra ver o circo pegar fogo e dá uma dimensão acima do normal aos "anseios sem custo financeiro " dos parlamentares do PP, PR e MDB. Ora...

  158. Nao consegui ler nem metade da belíssima reportagem. Náuseas! Asco! Fechem este covil chamado congresso. Legislativo unicameral com 121 parlamentares está bom até demais. Abaixo essa quadrilha grande e cara.

    1. Eu digo há muito, um congresso desse que temos, nada tem a ver com democracia. É puro corporativismo, a começar pelo custo que impõe ao povo que o sustenta. Excesso de mordomias.

    2. Não precisamos DESSAS casas legislativas. Se preciso voltamos às ruas e faremos a revolução.

    3. E lamentável! Temos muita luta ainda pela frente....Nosso foco tem que ser agora os congressistas e senadores....Tem que mudar...vai demorar....não vai ser fácil...mudar número de parlamentares...modo de atuarem e benefícios....não vai ser fácil...

    4. Não consegui ler a matéria toda, dá nojo esse congresso.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO