Nomeado por Bolsonaro é investigado pela PF por desvios no Dnocs e Incra

26.11.20 19:30

O ex-deputado federal Benjamin Maranhão (foto) foi um dos alvos do mandado de busca e apreensão da Operação Poço Sem Fundo, deflagrada pela Polícia Federal da Paraíba na quarta-feira, 25. O ex-parlamentar do MDB chegou a ser nomeado, em abril de 2019, para o cargo de diretor-executivo da Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural, a Anater, pelo presidente Jair Bolsonaro, mas foi exonerado em 28 de maio deste ano para concorrer às eleições municipais.

Maranhão disputou a prefeitura da cidade de Araruna, na Paraíba, mas não conseguiu ser eleito. Ao lado de sua mãe, a ex-prefeita da cidade, Wilma Maranhão, e do atual coordenador do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas, o Dnocs, Alberto Gomes, o ex-parlamentar do MDB é suspeito de participar de um esquema de desvio de dinheiro destinado à perfuração de poços e instalação de sistemas de abastecimento de água na Paraíba.

Segundo a PF, a investigação começou em 2016 e mostrou como os servidores públicos e empresas direcionaram os contratos com o Dnocs, com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária, o Incra, e com a prefeitura de Araruna, à época comandada pela mãe de Maranhão. Eles teriam se valido de dispensa de licitação em procedimentos licitatórios no valor de 54 milhões de reais.

Ainda de acordo com a apuração, o grupo criminoso teria superfaturado contratos e recebido propina dos empresários beneficiados. Os valores amealhados teriam sido lavados, diz a PF, por meio “contas bancárias de empresas interpostas para dissimulação de movimentações financeiras.”

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

Edição nova toda Sexta-Feira. Leia com Exclusividade!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

Deixar para mais tarde

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. o traira coloca seus pastores generais e não tem diferença para o PT , politica e miliciano alimentados por religião só nesse pais das bananas

  2. É o governo da corrupção. Começa na família, junta-se os novos aliados (ministro do turismo e do meio ambiente, por exemplo) e culmina com o centrão. Governo de petralhas II

  3. Fábio, diga aí uma novidade pra gente, pois nós já estamos cansados de saber que o Centrão, esse amigão do peito de Bolsonaro, é desse jeitinho aí...

    1. O BOZOBOSTA SÓ SE JUNTA COM BOSTAS IGUAL A ELE. IMA VERDADEIRA DIARRÉIA.

  4. o Presidente estar perdendo à alcunha de honesto, que ele mesmo se entitulou. O DNOCS e o Instituto da reforma agrária, sobre gestão do Centrão, estão aí para comprovar à corrupção ali reinante.

  5. Pela informação trazida a público, é outro bandido desmascarado. O presidente é pródigo nessas escolhas péssimas.

  6. Eeeeeeeeeeeee Presidente! Não anda dando uma bola dentro mesmo. Inacreditável. Está valendo afundar o país para salvar os 3 porquinhos.

Mais notícias
Assine
TOPO