Adriano Machado/Crusoé

PGR retarda criação de grupos de combate ao crime organizado

02.08.21 07:01

Apresentada pelo procurador-geral da República, Augusto Aras (foto), como uma alternativa ao modelo das extintas forças-tarefas da Lava Jato, a criação de grupos especializados no combate ao crime organizado ganhou um obstáculo dentro da própria PGR que deve retardar o início da atuação dos chamados Gaecos.

Aras assinou recentemente portarias criando “comissões provisórias” em procuradorias regionais de sete estados que ficarão encarregadas de promover a “instalação definitiva” dos Gaecos até o fim deste ano. A medida surpreendeu muitos procuradores porque alguns Gaecos, como o grupo de São Paulo, já estavam prontos para começar a atuar.

Agora, os procuradores terão de apresentar um planejamento de “objetivos e resultados” à Câmara Criminal do Ministério Público Federal para que o órgão avalize a criação de cada Gaeco. Um fato que chamou a atenção dos investigadores é que a portaria de Aras determina que a comissão provisória apresenta um “plano de ação, diretrizes e planejamento de operações a serem deflagradas”.

Para procuradores ouvidos por Crusoé, o PGR quer saber antecipadamente quais serão as operações que os Gaecos pretendem deflagrar a partir do ano que vem, o que na visão deles é algo inédito e inviável.

“Ninguém entendeu direito o que ele quer com isso. Os Gaecos existem para auxiliar os procuradores nas investigações de crimes complexos. Como é que você vai prever agora uma operação que será deflagrada no ano que vem? Não faz o menor sentido”, afirma um dos procuradores, que falou sob reserva.

Procuradores do Rio Grande do Norte já questionaram a PGR sobre as dúvidas envolvendo a criação da comissão provisória e as condições impostas para a instalação dos Gaecos e aguardam esclarecimentos. As exigências também valem para Ceará, Espírito Santo, Mato Grosso, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

A instalação do Gaeco de São Paulo, por exemplo, já estava pronta para ser avalizada pelo Conselho do Ministério Público Federal, em agosto, mas agora terá de cumprir as exigências. O conselho deve discutir as portarias do PGR nas próximas semanas.

Os Gaecos são responsáveis por grandes casos e por investigações complexas. Os integrantes têm mandato de dois anos e podem receber um valor adicional no contracheque caso acumulem o trabalho exercido no grupo com as funções de seus cargos de origem.

A criação dos grupos especializados já foi usada pelo MPF para substituir recentemente as forças-tarefas da Lava Jato em Curitiba e no Rio de Janeiro, cujo modelo de atuação era criticado por Aras. Outros quatro estados também têm grupos especializados, entre eles Minas Gerais e Pará

Para o PGR, o Gaeco tem uma atuação mais “institucionalizada” dos que as forças-tarefas e foi a saída encontrada por Aras para desmontar a Lava Jato sem ser acusado de enfraquecer o combate à corrupção.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Regredimos de forma absurda no combate aos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. E o maior culpado é do STF que poderia ter colocado um freio nas investidas do sistema político corrupto, mas não o fez e o pior de tudo se alinhou ao sistema corrupto. Hoje não dá para crer em instituições brasileiras. Todas estão apodrecendo. Uma vergonha.

  2. O STF é o guardião da impunidade. O PGR quer ser um CONTROLADOR DAS INVESTIGAÇÕES. O ex-presidiário Lula, quando percebeu que a Lava Jato chegaria a ele, tentou se blindar. Aras agora vai blindar todos os criminosos de colarinho branco. Bolsonaro está atrás do PEGASUS. Imagina o Brasil distópico q podemos ter em breve. Ainda temos uma imprensa independente, como é o caso da Crusoé, para nos alertar. Mas se ñ agirmos, teremos menos liberdade como povo, e os corruptos poderão agir sem nada temer.

  3. O paspalho geral da república é um rolando lero, com medo é do dono dele e dele mesmo, serem enquadrados pelos próprios procuradores!!!! 😆😆😆😆😆😆 O traste é um pilantra-babaca completo!!!!

  4. Este capacho geral da república do capitão , deve ter visto ontem que a batata deles está assando, fiasco de presença da Gadolandia, ficou provado que o tempo destes genocidas ,ladroes e desgoverno está acabando !!!!! Tanto o Bozobosta e o Lulaladrao se forem um pouco inteligente viram que o povo verdadeiro , Acordou , terceira Via Já!!!!

    1. O pasto tá secando, pode causar morte por entalamento.

  5. O capacho geral da República está cumprindo seu papel de blindar o pangaré sociopata e perseguir os adversários desse mesmo pangaré sociopata.

    1. Fiasco total do gado. Brochanaro está tremendo de medo. Vai surtar de vez.

    2. Kd os comentários das manifestações de ontem? Essa revista...

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO