MP denuncia ex-corregedor-geral da Fazenda de SP por receber propina para barrar fiscalizações

30.11.20 16:15

O Ministério Público de São Paulo denunciou o ex-corregedor-geral da Secretaria de Fazenda do estado Marcus Vinícius Vannucchi e quatro de seus familiares em razão de um milionário esquema de corrupção operado na pasta. Ele é acusado de cobrar propina de empresas para não fiscalizá-las. Seus parentes teriam sido usados para a lavagem do dinheiro. No total, seu clã movimentou 21 milhões de reais em seis anos.

Vannucchi ficou conhecido após a Polícia Civil encontrar uma sala secreta no porão de sua casa em Itatiba, no interior de São Paulo, onde foram apreendidos 180 mil dólares em espécie. Ele chegou a ser preso em flagrante em junho de 2019, mas acabou solto pela Justiça. O fiscal era investigado por cobrar propina de agentes corruptos para arquivar processos administrativos contra eles.

O ex-corregedor-geral, hoje afastado, chegou a ser denunciado por lavagem de dinheiro em razão dos 180 mil dólares encontrados em sua residência. Na nova peça, o promotor Marcelo Mendroni o acusa de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Ao longo de seis anos, Vannucchi teria depositado 13 milhões de reais em suas próprias contas.

Se somadas as movimentações da sua ex-mulher, filho, mãe e padrasto, a cifra chega a 21 milhões de reais. Em todo o período investigado, o clã adquiriu 37 imóveis, e o patrimônio deles cresceu em 9 milhões de reais.

Na denúncia, o promotor lista seis empresas que repassaram centenas de milhares de reais a Vannucchi e seus familiares. Elas teriam escapado do escrutínio dos fiscais da pasta. Também chamou a atenção dos investigadores o fato de ele ter constituído empresas ao lado de outros agentes.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

Edição nova toda Sexta-Feira. Leia com Exclusividade!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

Deixar para mais tarde

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. O esquema dos fiscais de SP é de as próprias empresas chamarem eles para a fiscalização a cada 2 ou3 anos. Faz-se o acerto e vida que segue. O que precisamos fazer é refiscalizar as mesmas aí sim veriam o que existe neste esquema gigantesco.

  2. Isso é só um exemplo do que passamos como empreendedores aqui no Brasil. Um país que tanto precisa de empresários, o tratam sempre com intenção de saquea-los.

    1. É só reduzir a carga tributária desse patamar absurdo em que se encontra, tirando a corda do pescoço dos contribuintes. Aí não vai ter fiscal pra cobrar o que o contribuinte não pode pagar e não vai sobrar dinheiro pra gastar com corrupção

  3. Engraçado (revoltante) ver como a justiça sempre solta os bandidos que praticam esse tipo de crime. Roubar biscoito no mercado da uma pena maior e não tem quem o livre da prisão; mas 21 milhões não é um saco de biscoito, aí pode.

Mais notícias
Assine
TOPO