FelipeMoura Brasil

Como governos compram apoio de veículos de comunicação

31.07.20

1. A distribuição de verbas de publicidade de governos, inclusive de estatais, a veículos de comunicação tem consequências (que a maioria da população desconhece) no próprio mercado de comunicação e no debate público e eleitoral de um país, ainda mais quando é feita sem transparência, nem critério técnico, nem fiscalização.

2. Emissoras de rádio e TV, algumas até mais voltadas ao entretenimento e por isso mesmo de grande alcance, usam sua área de suposto jornalismo, ou a desenvolvem, para negociar com governos federais, estaduais e/ou municipais as verbas que seus donos desejam receber.

3. Esse tipo de empresário prefere se aproximar dos governos de turno a desenvolver um setor comercial capaz de gerar assinaturas, trazer anunciantes privados e manter a independência editorial, o que demanda planejamento e competência administrativa.

4. A área de suposto jornalismo conta com uma base de profissionais técnicos, usados para que o jornalismo pareça real: apresentadores, repórteres, produtores e operadores, bem ou mal remunerados, mas geralmente temerosos de perderem o emprego. Chamemos de equipe 1.

5. Emissoras contam também, cada vez mais, com âncoras e comentaristas atuantes em talk-shows e programas de opinião, de debate, de humor, de jogos, ou policiais, além de quadros em telejornais (onde a equipe 1 se faz mais presente). Chamemos de equipe 2.

6. Para o governo de turno, muito mais eficaz que fazer a própria propaganda pelas vozes de seus membros é ter sua propaganda terceirizada em veículos tradicionais, ainda mais se disfarçada de jornalismo ou na voz de influenciadores de outra área.

7. O empresário de rádio e TV, quando não tem contato direto com o governante, tem como interlocutor o chefe da secretaria ou do ministério de comunicação, de modo que ambos se aproximam, interessados em estabelecer uma troca de favores benéfica para a emissora e o governo.

8. Basicamente, a emissora mostra que pode fazer uma cobertura positiva ou defender o governo; e o governo mostra que pode ajudar financeiramente a emissora, pagando-lhe com dinheiro público para, oficialmente, exibir ações e campanhas da atual gestão, bem como das empresas estatais sob seu controle.

9. Nem sempre a relação começa ou transcorre em paz. A emissora insatisfeita com a verba (não) recebida pode bater mais no governo, com o propósito deliberado de obter dele (mais) verba, passando ou voltando a defendê-lo quando a consegue.

10. Na emissora, ordens pontuais para bater no governo ou defendê-lo vêm do dono, geralmente não como comunicado oficial, nem orientação geral. Ele manda membros de sua confiança, geralmente mais antigos na empresa, providenciarem ou suspenderem a exibição de matérias e/ou comentários incômodos ou elogiosos ao governo.

11. Quando a emissora consegue a verba, o dono determina a gestores de confiança a omissão de notícias incômodas ao governo, aumenta o espaço para passadores de pano e reduz (ou tira) o dos críticos. Há, também, os âncoras e comentaristas que simplesmente mudam de postura conforme o desejo do patrão, não raro expresso com todas as letras.

12. Emissoras com públicos mais escolarizados mantêm um ou dois críticos do governo (a “cota”, como se diz nos bastidores), normalmente em programas de debate, para afetar “pluralidade”. Quando o governismo excessivo gera desgaste, aumenta para três. A menos que a emissora seja nova e queira afetar um maior equilíbrio, os críticos, se são bons, costumam ser colocados fora dos picos de audiência para debater com passadores de pano, enquanto estes falam sozinhos nos horários nobres.

13. As emissoras mais dissimuladas sempre deixam, assim, uma margem para alegar, caso venha a público o recebimento de dinheiro do governo, que elas também sempre tiveram críticos do governo e que, portanto, nunca venderam apoio; mas a presença controlada de críticos é justamente uma forma de maquiar a propaganda embutida em noticiários e nas maiores, e mais ouvidas e assistidas, partes da programação.

14. Para o governo, interessam tanto a vassalagem completa de grandes emissoras populares quanto a vassalagem maquiada de emissoras influentes em outras faixas do eleitorado. O importante para o governo é garantir a legitimação de suas narrativas por meios diversos e se blindar contra a circulação de verdades inconvenientes.

15. Caso a cobertura de determinada emissora soe insatisfatória, o governo pode ameaçar cortar (ou de fato cortar) verbas e até a concessão pública da emissora, além de negar-lhe entrevistas e mobilizar sua militância para atacá-la real ou virtualmente. Também pode, sem jamais admitir, pedir cabeças de profissionais incômodos.

16. “O telefone tocou” é o jargão no mercado para o momento em que o governo reclama de algo ou alguém de uma emissora que ele possa prejudicar ou deixar de beneficiar. Há emissora que até suspende edição de telejornal depois do toque.

17. Como privilégio, o governo oferece prioridade em entrevistas com o chefe do Poder Executivo, os ministros ou secretários, e demais membros e aliados. Chefes do Executivo geralmente escolhem os programas mais amigos, onde sabem que não serão devidamente confrontados em temas sensíveis.

18. As verbas de publicidade incluem a opção de merchandising, o que significa que âncoras de emissoras beneficiadas podem ser pagos pelo governo para fazer propaganda não declarada de alguma medida do Executivo. Presidentes, em geral, preferem dar entrevistas a âncoras pagos pelo seu governo.

19. Nas emissoras que vendem apoio a governos, há profissionais mais conscientes, sobretudo na equipe 1, que lamentam a guinada publicitária, mas que precisam do salário; e há, em menor número, os que lutam internamente para fazer jornalismo, mas que geralmente acabam saindo para um veículo que faz.

20. Em emissora que vira agência de publicidade de governo, nenhum jornalista sério suporta ficar num cargo de gestão de fachada, quando o dono (não por ideais, mas manifestamente para receber dinheiro público) quer multiplicar passadores de pano e/ou omitir informações incômodas, principalmente sobre o secretário que negocia as verbas.

21. Para identificar emissoras que vendem apoio a governos, um dos truques é buscar em seus principais telejornais notícias sobre os primeiros escândalos envolvendo o eventual secretário de comunicação, na data em que foram noticiados pela imprensa de verdade. Se não há, é porque o dono determinou a omissão.

22. Na equipe 2, a tropa de passadores de pano reúne economistas, advogados e demais “especialistas” sem grandes realizações em suas áreas; profissionais aposentados em outras (da política ao esporte, passando pelo cinema); e, sempre, jornalistas decadentes de opinião, conhecidos por já terem participado de algum programa ou trabalho jornalístico no passado, geralmente como apresentadores ou repórteres.

23. O governo que compra apoio de emissoras com verbas de publicidade naturalmente quer combater grandes veículos que, bem ou mal, fazem jornalismo; de modo que o objetivo casa com o ressentimento de ex-jornalistas demitidos desses grandes veículos e demais profissionais que nunca tiveram neles o espaço que julgam merecer.

24. Emissoras financiadas pelo governo pagam altos salários a passadores de pano, que, cientes disso, capricham para serem contratados ou ganharem mais. Passar pano para o governo em emissora financiada pelo governo é altamente rentável, de modo que só picaretas e suas massas de manobra acusam de “vendidos” os que se recusam a fazê-lo.

25. Como o governo eleito conta, de saída, com o apoio da maior parte do eleitorado e, com frequência, com um núcleo inabalável de fiéis, o governismo garante um nicho de audiência à emissora e um mercado consumidor fixo a passadores de pano, que abrem cursos, lojas, revistas, opções de investimento e consultorias, voltados a esse nicho.

26. O espaço do(a) passador(a) de pano em emissoras financiadas pelo governo, portanto, passa a ser utilizado por ele(a) para angariar clientes em outros negócios. Com isso, cada um evita ao máximo desagradar seus consumidores (e potenciais eleitores, quando existe um planejamento de carreira política) com informações ou opiniões incômodas ao nicho, nem que para isso precisem alegar gripes, crises alérgicas e demais enfermidades passageiras quando o noticiário do dia complica a passagem de pano.

27. Empresários governistas de outros ramos, que financiaram a chapa e/ou apostaram no governo para obter vantagens em seus negócios, ainda se dispõem a financiar esses passadores de pano com doações e patrocínios diretos e indiretos. Eventualmente, promovem jantares com palestras para estimular os pares a fazerem o mesmo.

28. Empresários governistas também pagam altos cachês a famosos passadores de pano para “entrevistarem” o chefe do Executivo e demais membros do governo, ou os próprios empresários, em eventos empresariais. Há passadores de pano que se tornam “entrevistadores oficiais” de chefes do Executivo em eventos periódicos e pagos.

29. O oportunismo dos passadores de pano diante de variadas formas de lucro, visibilidade e poder leva invariavelmente cada um deles não somente a contorcionismos para eximir o chefe do Executivo de responsabilidade por atos nocivos, mas também a incorrer em contradições com seus próprios posicionamentos passados – estas que são percebidas e/ou expostas, atualmente nas redes sociais, por pessoas decentes e independentes, ou por adversários que também lucraram com o governo anterior.

30. Os bons princípios e valores que supostamente embasavam o repúdio à sujeira dos adversários revelam-se inexistentes quando a sujeira é do esquema de poder de turno, de modo que aqueles bons princípios e valores de fato não existem como medula moral do indivíduo, mas apenas como fonte de discursos adotados conforme a conveniência.

31. A exposição das contradições, assim como a refutação da desinformação que passadores de pano disseminam, porém, não atinge o mesmo público alcançado por eles nos horários nobres de emissoras que este público nem sequer sabe serem financiadas pelo governo. Para que atinja, é necessário que o próprio público acesse outros meios e, considerando a natureza mais longa da refutação que da mentira, despenda uma atenção maior do que a necessária para absorver as sínteses da propaganda política.

32. Quando o governo compra apoio de muitas emissoras de TV e rádio (inclusive comunitárias) de grande capilaridade e alcance – e ainda usa seus próprios canais virtuais e os da militância paga em outros cargos no estado para propagandear e disseminar o conteúdo dos passadores de pano dessas emissoras –, o dinheiro público desequilibra o debate, o processo eleitoral e a disputa democrática.

33. A sabotagem a veículos independentes, por meio de alianças estatais com empresas que monopolizam parte do mercado real ou virtual onde esses veículos operam, também pode ajudar a neutralizar o alcance da vigilância exercida, em benefício da sociedade, por jornalistas de verdade sobre o poder de turno.

34. Em nome do combate a todos os males que, real ou alegadamente, os governos anteriores geraram e legaram, uma parcela significativa da população ainda é suscetível a acreditar cegamente nos passadores de pano (sobretudo de governos populistas), a entender a desinformação como a exposição de ideias contrárias às do establishment, a exaltar como “coragem” a vassalagem ao poder, e até a defender que o governo financie seus porta-vozes com dinheiro dos pagadores de impostos para combater seus inimigos.

35. Intelectualmente, é muito mais fácil ser contra todos os declarados inimigos do governo e a favor de todas as suas decisões, atitudes e narrativas que analisar as nuances de cada situação específica com base num conjunto de princípios e valores milenares, além da experiência histórica acumulada, preservando a decência e a coerência.

36. Moralmente, o comportamento tribal e maniqueísta de passadores de pano, que contaminam o público mais fanático ou ingênuo, também exige muito menos que a força necessária para contrariar o poder, a maior parte do eleitorado e parte do próprio público do comentarista, se cativado com vigilância e críticas a governos anteriores.

37. As parcas exigências intelectuais e morais para ser passador de pano da sujeira do poder resulta na ascensão de profissionais de baixa qualidade humana a posições de destaque, nas quais afetam uma autoridade indevida. Entre eles, destacam-se aqueles com maior talento para a enganação, cujas carreiras geralmente deixam, nos bastidores do mercado, um rastro de sujeira que não chega ao conhecimento do público.

38. Tudo somado, às vezes só uma força-tarefa perseverante de combate à corrupção consegue furar a hegemonia instituída, mostrando ao povo as sujeiras do governante beneficiado pela compra estatal de mídias que as varriam para baixo do tapete.

39. Ciente disso, o governo subsequente atua para evitar esse obstáculo, sabotando o combate à corrupção ao mesmo tempo que compra o apoio de emissoras tradicionais, reduzindo assim a possibilidade de que seus podres apareçam aos olhos do eleitorado.

40. Com mandatos de quatro anos, o governo pode construir, portanto, uma máquina de propaganda dissimulada que detém muito mais força, durabilidade e tentáculos que uma campanha adversária pode enfrentar em menos de um ano de corrida eleitoral.

41. A existência da reeleição e de mecanismos publicitários estatais, que o governo de turno pode utilizar para permanecer no poder sob a impressão de ter respeitado o processo democrático, são uma combinação danosa aos cofres públicos, à saúde mental do povo e à democracia de qualquer país, agravada pela complacência dos tribunais de contas, dos ministérios públicos, dos políticos e de boa parte da própria imprensa.

42. Tão grave quanto a absoluta falta de transparência dos governos sobre os nomes das emissoras que eles beneficiam, os valores das verbas e os períodos correspondentes, bem como os critérios aplicados, é a absoluta falta de cobrança de transparência.

43. Parte dessa omissão se deve ao fato de cargos de tribunais de contas serem ocupados por indicação ou aprovação política, assim como a chefia de ministérios públicos, o que torna suas atuações mais sujeitas ao jogo do poder. Já os políticos, mesmo de oposição, temem bater de frente com emissoras influentes, que podem retaliá-los fechando espaço para entrevistas e providenciando uma cobertura negativa de sua atuação.

44. Boa parte dos veículos de comunicação que topa receber dinheiro público (O Antagonista e Crusoé não topam) evita expor publicamente esses mecanismos, seus beneficiários e os valores, seja em razão do próprio interesse, seja por corporativismo.

45. É sintomático que parte dos veículos de comunicação cobre de governos a transparência com os gastos públicos, exceto com os gastos públicos dos governos com a própria imprensa. Obviamente, trata-se de hipocrisia que vem de cima, já que os profissionais contratados não podem revelar no veículo o que os donos preferem omitir. Alguns jornais, revistas e sites, porém, publicam planilhas e dados obtidos sobre campanhas específicas, quando conseguem furar o sigilo que os governos tentam impor.

46. Governos e passadores de pano que se dizem liberais mostram sua própria hipocrisia quando atacam quem cobra transparência com os gastos públicos, assim como faz a militância quando ataca veículos que recebem ou receberam de governo adversário, omitindo que o governo que defendem também financia outros veículos amigos.

47. O ápice da hipocrisia ocorre quando uma militância ataca um veículo por receber verba de governo adversário e, depois que seu governo de estimação passa a financiar este mesmo veículo (às vezes com muito mais dinheiro público e influência editorial), ela então passa a aplaudi-lo, divulgá-lo e participar alegremente da programação.

48. Um ambiente político-cultural de tal modo degradado moralmente e reduzido a um embate de facções, onde os fins justificam os meios (e os meios incluem usar contra os adversários todos os expedientes que neles se critica), marginaliza ou até impossibilita o debate sério, honesto, racional e minucioso sobre temas de interesse público.

49. Se não quiserem “enxugar gelo”, porém, cabe a jornalistas, membros de ministérios públicos, juízes, ministros de tribunais de contas e demais profissionais que não se vendem (nem praticam atividades incompatíveis com a independência que deles se espera) expor como podem, e em todas as suas nuances, problemas permanentes, cujos efeitos nocivos são sentidos difusamente por uma população alheia a suas causas.

50. Entre um governo divulgar uma campanha de vacinação para conter uma pandemia, por exemplo, e usar as verbas de publicidade para comprar apoio de emissoras capazes de influenciar o eleitorado a seu favor, vai uma distância que só a transparência sobre o tema pode ajudar a estabelecer, regrar e fiscalizar, a despeito da gritaria de todos os interessados em manter o status quo e das carapuças que vestem espontaneamente.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. É o que estou vendo na Jovem Pan. Augusto Nunes e bancada dos Pingos nos Is se tornaram passapanistas do governo e tem participação nas lives das quintas-feiras de Bolsonaro sempre com perguntas mornas.

  2. Não devemos esquecer que rádio e tv são concessões do governo e como tal as emissoras tendem a puxar o saco dos governos de plantão. Vide SBT que é o exemplo maior. Quem tenta sair da linha acaba sendo boicotado pelas verbas do publicitárias do governo. "No Vem pra Rua" a Globo News foi ameaçada de ter verbas cortadas pela Dilma. No dia seguinte diminuiram a cobertura das notícias.

  3. Bravo! Manifestação corajosa. Isso o coloca em confronto com um monte de colegas quando não vendidos, obnubilados. O MP e a PGR (Aras, bolas!) deveriam investigar melhor esse pessoal. E as unidades jornalísticas sérias denunciarem mais amiúde os casos mais acintosos, pelo menos.

  4. Lembro do grande "Profeta da Águia de Haia", quando disse: "Chegará o dia em que o homem, em sentido genérico, por mais honesto que seja, ao gritar em praça pública: eu sou honesto será vaiado". Esta é a realidade do nosso país. Contudo, tenho esperança que um dia a HONESTIDADE se entranhe no Brasileiro, como a COVID-19.

  5. Felipe, este seu artigo merece ser encadernado. Uma verdadeira aula de bom jornalismo. Destaco, também, a sua delicadeza em não citar nomes. Mas, eu tomo a liberdade de dedicar este artigo ao Augusto Nunes, José Maria Trindade, Guilherme Fiuza, Paulo Figueiredo Filho e Rodrigo Constantino. Dos três últimos nunca esperei um jornalismo decente, aliás, nem jornalistas são. Mas, a decepção com os compadres Zé Maria Trindade e Augusto Nunes, é enorme.

  6. SBT é você? desenhou perfeitamente o que o SBT faz, mandaram embora a excelente ancora Raquel Sheherazade e agora é só passação de pano, principalmente pelo Ratinho e Cia. Band é outra com o Datena, vergonhoso.

    1. Ficou claro que: Panico, Zuckerman e Zureta, sao o elo da JP com o Secretario Comunicacoes, alias, estudaram juntos na escola ( Bialik ).

  7. Item 2. Reinaldo Azevedo. Do item 3 ao término podemos colocar 99% das emissoras de radio e televisão. Isso é fruta que já caiu do galho fax tempo e apodrece.

  8. Realmente muito interessante !Mas isso só ocorre agora? Ou sempre aconteceu? Porque só agora a denúncia jornalista ? Se vocês tem as palavras nas mãos pra denunciar. Porque permitir que isso acontecesse desde sempre e tomasse a proporção escandalosa de hoje? ????????????????????????????????????????????????????????!!!!!!

    1. Diante de uma matéria tão esclarecedora você só tem isso pra falar, essa matéria é pra pessoas como vc, para refletir e ver q esse e outros governos fazem para nos enganar e usando o nosso dinheiro.

  9. Super exclarecedor seu texto Felipe! Muito triste assistir jornalistas de credibilidade e seriedade de tempos atrás submeterem-se à política subserviente de seus veículos de comunicação .Um triste fim para bons analistas , que sempre fizeram o bom jornalismo , e hoje contorcem-se em seus comentários ...triste fim de suas biografias...

  10. Devido a pandemia, o convívio social diminuiu muito. Mas esta semana foi prazeroso um rápido bate papo com casal amigo. Lógico que o assunto deste governo mentiroso 🤥 , oportunista foi pauta. Fiz a propaganda dos canais de notícia dos antagonistas e houve o comentário .... eu não consigo gostar dos pingos nos is ... não me convence ... e eu falei ... mudou muito o programa, também não assisto mais ! Resumindo , nada como um dia após o outro . As pessoas vão mostrando a cara.

  11. Bela explanação! Sobretudo, o comentário do amigo Bruno, é prematuro. Vejo os comentários do citado Augusto Nunes, por exemplo, e por vezes me vejo alinhado ao seu discurso. E não venha me chamar de alienado como resposta a minha afirmação. Pq procuro me informar por diversas fontes. Mas por hora, Belo texto!

  12. CrusoÉ e Antagonista não recebem dinheiro público. Mas será que não recebem dinheiro privado oriundo de esquemas de corrupção do PSDB ???

  13. Incrivel como os governos conseguem impor sua conduta corrupta em todos os setores. Como um toque de midas ao contrario. A maneira descrita lembra a conduta politica de nossos governantes em todos os setores . Na comunicacao. Na administracao publica. Nos gastos do nosso suado dinheiro. E assim vamos indo. Com sucessivos governos dilapidando nosso Brasil. Que poderia ser um dos maiores e melhores paises do mundo para se viver. Mas devido a corrupcao desenfreada nao andamos a frente.

  14. Aprveitando que a PGR parece estar acompanhando nossos comentarios nesta exelente revista, peço que o Procurador Geral da República se atente mais no uso do nosso suado dinheiro que não só paga seu salario mas os gastos em propaganda e também exerça melhor as suas funções, defendendo a sociedade brasileira dos corruptos e não defendendo o presidente e sua familia. Pelo amor de Deus, que o meu querido Brasil não vire uma Venezuela! Defenda a democracia! Defenda a imprensa livre!

  15. Fiquei estarrecido ao tomar conhecimento de tatas formas e contorcionismo para "comprar" uma emissora ou mesmo um jornalista. Falta transparência nas despeas dos governos com publicidade (mesmo escondida).

    1. Só você não enxergou que a dupla , que saiu e/ou foi saida da emissora não aceitou ser "passapanista" do governo ...e temos a sorte de tê-los nas lives do Villa e suas entrevistas, bem como o Felipe aqui , na Cruzoé e Antagonista , ( sigo desde o início esta proposta de jornalismo independente) , que nos ajudou a ter senso crítico e "abastece " de informações e "furos" , vários outros jornalistas e seus veículos de comunicação.

    2. Será que algum dia o Moura Brasil nos ajudará a enxergar claramente como o professor Marco Antônio Villa, então contratado da Jovem Pan, foi colocado em “férias”, sem conhecimento prévio? O atual colunista da Crusoé era o chefe de jornalismo daquela emissora, na época do fato... conta aí prá gente, Felipe!!!

  16. Felipe Neto tem que ter acesso ao artigo do seu xará Felipe Moura Brasil !! No domingo passado, em entrevista para a Globo News, ele foi preciso quando falou dos jornalistas ... Mostrou até uma grande e bonita inocencia... Fazia tempo que não via na tv alguém falando realmente o que pensa , independente das consequencias que possa receber ( e já estão querendo que não participe mais das conversas com Rodrigo Maia na câmara )... Até me inscrevi no canal dele no youtube ...Parabéns aos FELIPES !!

  17. Felipe, todos os dias agradeço a Deus seu retorno aO Antagonista. AQUI é o seu lugar. Elegantemente, vc não citou nomes; nem precisaria para quem, como eu, acompanha o noticiário político. CNN Brasil, o avesso da original, quem diria... Record e SBT, surpresa pra ninguém... e a Jovem Pan(O), que se deixou comprar por 30 dinheiros... Conceituados jornalistas como Augusto Nunes e JR Guzzo, ao final de suas gloriosas carreiras, permitiram-se enxovalhar suas biografias. Triste.

    1. Ricardo, Sônia prefere discutir ideias a discutir pessoas. Quem sabe um dia te inspire. Concordo contigo, Sônia.

  18. Felipe, parabéns pelo artigo. Fico imaginando se o "telefone tocou" para você e para o professor Vila na JP. Infelizmente, creio que sim

  19. Obrigada Felipe pelo texto impecável e elucidativo . Ouvia todas as manhãs o jornal de uma rádio famosa até perceber um aumento de contradições , mudança progressiva do quadro de jornalistas (com a saída daqueles que insistiam em manter uma visão crítica sobre os acontecimentos envolvendo o governo da vez ) enfim, sinais de jornalismo chapa-branca ... Passei a buscar informação na Crusoe e no Antagonista e o seu texto confirma que fiz a coisa certa !

  20. Excelente texto! Consegui ler nas entrelinhas: CNN, RECORD, SBT, JOVEM PAN(OS). E sobre nomes dos passapanistas, já que foi muito educado e não os citou nominalmente, faço questão de os elencar: Rodrigo Constantino, Fiúza, Ana Paula do Volei, Gado Coppolla, Alexandre Garcia, Lacombe, Fontenelle, Jorge Adrilles, Augusto Nunes e Zé Maria Trindade. Vergonhosa a atitude passapanista e vendida desses...

    1. Nem Dias Gomes, quando escreveu "O bem amado" imaginava que o Brasil se transformaria em uma imensa Sucupira, onde um Odorico Paraguaçu piorado cometeria desatinos livremente com o apoio de uma legião de Cajazeiras delirantes a aplaudir defensores de absurdos que povoam a mídia chapa branca. É o Brasil em transe. Muitos sentirão vergonha de si mesmos no futuro.

    2. O artigo ficou perdido com a euforia de indicar nomes sem citar nomes, além de não se referir aos comentários de quem o faz por acreditar nas ações de determinados governos. Porém, o Guilherme citou gente muito boa, que sabe pensar e isso é interessante. Sinto-me mais tranquilo, não é o caos.

    3. Graças ao bom Deus temos jornalistas, comentaristas do naipe dos que você enumerou...senão, teriamos de aguentar a Globo, imoral e irresponsável como só ela sabe ser: a revista Época, com todos seus integrantes doidos para receber uma recompensa de George Soros...enfim, agradeço, Guilherme, pela lembrança dos melhores!!!

  21. Uma das rádios atuais passadoras de pano, num passado não muito recente, era por mim acompanhada em diversas horas do dia, especialmente no trânsito ao ir para o trabalho diariamente. Seus principais âncoras começaram a divulgar textos, em tom de editorial, mensagens contra todo tipo de jogos de azar ou envolvendo apostas como são as loterias federais. A campanha durou que um dia em que ouvi uma propaganda da CAIXA. A partir daquela manhã nunca mais se ouviu uma crítica a qqr tipo de jogo.

  22. Felipe, você acaba de proferir uma aula magna sobre jornalismo. Como não sou do ramo, não saberia adjetivar essa palavra. Que seria melhor: mau jornalismo, jornalismo real, ou ambos? Na verdade nem sei se cabe o termo jornalismo...

  23. Muito esclarecedor o seu artigo, parabéns pela coragem e pelos princípios. O que você descreve é muito claro e escancarado para quem tem um pouco lucidez. Tomara que consiga abrir os olhos de muita gente.

    1. Na expressão "jornalistas decadentes de opinião", a meu ver.

  24. Percebi isso claramente em relação a um programa q gostava de assistir, mas parei. Mas tem um outro lado q percebo de muitas emissoras que tem seus bandidos de estimação. São incapazes de fazer um jornalismo sério sobre alguns temas. Usam tbem essa cota de "criticos" como maquiagem. Esta semana foi cheia de canais e sites se escondendo atrás da covid para não repercutir o que deveria ser destacado. Está dificil achar bons profissionais da informação. Ainda bem que temos vcs.

  25. Deixar citar o Toffoli, diante das novas denúncias, com provas em HD do Marcelo Odebrecht assim como não criticar o STF quanto ao cerceamento de opiniões ( classificando o que querem de Fake News). Mostra que a Crusoé e o Antagonista também não faz jornalismo independente, talvez pela negação de financiamento ou quem sabe por medo do STF.

    1. Márcio e Zé Mané , bolsobovinos , vieram dar uma voltinha aqui na Cruzoé ?

    2. Não se pode julgar toda a instituição (STF) pelos malfeitos de um ou outro de seus membros. Há pessoas sérias lá. Desmoralizar a instituição como um todo é leviano e só serve aos interesses antidemocrática dessa extrema direita aloprada que vê comunismo (de forma mal intencionada) em tudo que a ela se opõe. O pior é saber que tudo gira em torno de um idiota.

    3. Márcio, vc bebeu ou anda comendo capim estragado? A Crusoé e O Antagonista foram CENSURADOS no inquérito inconstitucional aberto por Dias Toffoli, q escolheu Alexandre de Morais p/ a relatoria. Portanto, foram si as PRIMEIRAS VÍTIMAS — por haver publicado um artigo, baseado em documento público, q atinge Toffoli em cheio. Eles não refrescam pra ninguém. Apontam malfeitos e desmandos de TODOS, indistintamente. Publicam FATOS e os comentam de forma isenta, quase cirúrgica. Sem ódio ou insultos

    4. Isso mostra que você ou não lê A crusoé ou tem má fé. No mais, o capim tava gostoso hoje?

    5. Depois que saiu da Jovem Pan passou a ser anti-bolsonaro! A Crusoé paga mais?

    6. Marcio, saia da bolha bolsopetista em que se meteu. O nível de acefalia e idiotice é hard.

    7. Pelo seu comentário dá pra ver que você não é leitor da Crusoé/Antagonista, mas vem aqui só pra emporcalhar a área de assinantes. Crusoé foi a primeira a denunciar (e continua sustentando) como inconstitucional o processo contra "fake-news" aberto pelo Dias Tofoli e entregue para o Moraes relatar. Naquela época, nenhum bovinarista se posicionou. Só agora que estão sendo atingidos, provavelmente porque estão encontrando a sua indústria e fake-news e destruição de reputações, o gado reclama.

  26. Excelente matéria. Bem didático, cada item a gente consegue visualizar as emissoras de TV Passa Pano, como exemplio a Jovem Pan que mudou radicalmente de postura nesse governo. Augusto Nunes e Ze Maria, antes jornalistas críticos e admiráveis , hoje fico constrangida vê los justificando o injustificável. SBT e Record super parciais. A compra da opinião elogiosa é vergonhosa!

    1. Exatamente! O ex-cumpadre do escritor deste texto. O texto explica porque o 3 em 1 é mantido num horário café-com-leite. P evitar audiência a Josias de Souza, Thais Oyama que não passam pano em ninguém. Mas mantendo como um coringa na manga.

    2. Deixei de ouvir o programa porque é nojento ouvir o Augusto Nunes e Zé Maria babando ovo no goveeno

  27. Felipe sou dia que comentam quase nunca por aqui. Sempre vou respeitar sua seriedade mas penso que vc faltou na aula do Olavo sobre Senso das Proporções .

    1. O errado deve ser criticado sempre. passar o pano na cabeça de políticos JAMAIS os fará melhores. Aliás, vale pra qualquer ser humano isso.

    2. Com essa matéria, fica bem claro porque uma emissora briga e só fala de 2 coisas, hj não recebe mais nada do atual governo..Felipe já fui seu fã lamentavel essa sua mudança..

  28. Muito elucidativo o texto... Consegui entender o que estava ocorrendo em uma emissora de rádio que ouço desde a minha infância. Uma pena... Mas, ainda tenho "O Antagonista" e "Crusoé"!

  29. Boa matéria, só esqueceu dos jornalista e meios de comunicação, que por simpatia, preconceito ou interesse adversos a estes da reportagem, são mais enfáticos e firmes com alguns candidatos e partidos do que com outros, exemplo clássico são as matérias light com caciques do PSDB (Marconi Perilo, Beto Richard, Aécio Neves, Geraldo Alckmin, José Serra.....). OBS: Sempre fui simpatizante do PSDB e já votei em membros deste partido.

  30. Felipe, obrigada por compartilhar sua experiência do "sistema" conosco. Somente assim que podemos escolher bem nossos fontes. Minha assinatura do Antagonista e Crusoé foram escolhas felizes!

  31. 👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏😆😆😆😆😆Já foi dito tudo pelo amigo pelo que postou o último coment... 🤝

  32. Artigo muito esclarecedor, detalhado, fundamentado e didático. Só não entende quem não quer. Fica evidente a importância de assinar e apoiar revistas e jornais como Crusoé e Antagonista, independentemente do fato de nem sempre coincidirem as opiniões de seus jornalistas com as do leitor. Aliás, sabendo que aquelas não decorrem de viés estimulado por interesses baixos como os descritos no artigo, fica mais fácil para o leitor rever suas próprias certezas e muitas vezes mudar de entendimento.

  33. O Felipe não esgotou o assunto mas deve ter deixado muito pouco de fora, para quem nunca prestou atenção nas relações mídia/poder é uma aula.

  34. Fantástico Felipe, um verdadeiro tratado de como é a relação dos meios de comunicação e poderes para tocar a manada. Nossa sociedade depende desta independência. Se não preservada é uma sociedade fadada à mediocridade e ao crime endêmico.

    1. idiota! qualquer texto mediocre te encanta! kkk bolsonaro abriu a caixa preta da globolixo e de toda midia podre, do stf e do congresso! hoje nos conhecemos esta turma a fundo!

  35. Eu também deixei de assistir os pingos nos is. A manipulação da notícia e o controle dos comentários é o que pode haver de mais assustador na imprensa.

    1. e so para pessoas com um pouco de inteligencia! nao te cabe!

    2. Foi com muita dor no coração, mas depois de alguns meses me vi obrigado a desinscrever do canal e nunca mais assisti nada. Piorou com Guilherme Fiúza

    3. Também deixei de ouvir os Pingos aliás é uma pena o que virou a Jovem Pan!

    4. Felipe, parabéns pelo artigo. Não ouço mais a Jovem Pan

  36. Também deixei de assistir os pingos nos iIs depois que você saiu Tudo que você escreveu aqui a gente percebe lá acontecendo! Da vergonha a gente ver tão claramente a passada de pano e até uma visão trocada do que já foi colocado em termos de valores em outros tempos Da nojo!!!!

  37. Felipe, só digo uma coisa: deixei de assistir ao Pingo nos Is depois que você foi expulso e o pessoal de lá passou a defender o indefensável. Lixo q ficou.

  38. Excelente Felipe!!! Você é um que não se deixou corromper pelo sistema, quando deixou um cargo excelente de Diretor para não “passar pano” para um governo que deixou de lado todas as suas promessas de campanha!!! Tem o meu respeito!!!

  39. Como diria aquela personagem (ou aquele personagem, como preferem alguns) da série Tin-Tin, com mil pingos e respingos, não é que é verdade?

  40. Quando um veículo bate, bate, bate no governo, sem dó e o tempo todo é por que não recebeu dinheiro ou por que tá querendo?

    1. Eduardo, eu também. Me lembro do Augusto divergindo do Felipe quando disse que "não se abre uma matéria com uma mentira" no caso do Bolsonaro induzir a edição do JN a publicar uma alegação falsa de um porteiro (quando não desmentiu ao ser procurado para dar sua versão, esperando a matéria para culpar a emissora pelo erro). Naquele momento também achei Felipe parcial. Mas o tempo é senhor da razão.

    2. Augusto Nunes vive dizendo "Não tenho compromisso com o erro." Podemos completar: "Só com quem me paga." Que decepção.

    3. Eu sinto tanta pena de ver no que o Augusto Nunes se transformou!

    4. Interessante, eu gostava bem mais do Augusto do que do Felipe no Pingos nos Is. Foi só o Felipe sair, deixei de assistir. Não foi intencional, apenas fiquei incomodado. Esse artigo ajudou a entender porque.

    5. E eu até cheguei a admirar tal jornalista. Quanta decepção!!!

  41. Quando um veículo bate, bate, bate no governo, sem dó e o tempo todo é por que não recebeu dinheiro ou por que tá querendo?

  42. Ótimo tema para uma reportagem de capa, com números, dados e dando nomes aos bois. Dados dos gastos governamentais com a imprensa, quando opacos ou sonegados, são acessíveis pelos meios legais.

  43. Quando você, Felipe, fez aquela matéria sobre o gabinete do "amor" do planalto foi contestado e hoje, todas as máscaras cairaram!!! Só restaram os jornalistas decadentes incompetentes e delinquentes !!!

  44. Todas as notícias, quando editadas e publicadas tem viés. Não existe jornalista isento, existe jornalista dissimulado. Gosto mais do modelo americano, o viés é explicito. É mais honesto. A publicidade não corrompe a noticia, ela treina o senso critico do leitor. Seu artigo demonstra que você precisa amadurecer muito para ter o ceticismo e cinismo, imprescindíveis à profissão que escolheu. A mágoa com a JP é muito evidente. O Tutinha que o diga.

    1. A JP que faz entrevista com "jornalista sério" que ficou rico depois da última eleição e agora fugiu do país e faz "denúncia grave" de espionagem de embaixadas? Patético!

  45. Na atualidade, a Jovem Pan está bem desenhada nesse contexto. Nunca houve tanta defesa do governo federal por lá. O programa Pingos Nos Is, chega a dar nojo. #wakeupdeadman

  46. Excelente artigo, digno de um grande jornalista! Pelos argumentos expostos é que não acredito que nossa frágil Democracia consiga manter nossa República em pé.

  47. Incrível. Ainda ontem ouvi um podcast de um jornal conhecido, em que brilham dois notórios passadores de pano da JP. O tema não era este da coluna, mas lá pelas tantas, falaram em passadores de pano. E não é que se entregaram? Parecem outras pessoas quando falam do governo atual. É hilário. Procurem, é fácil de achar.

  48. Muito bom, muito obrigado ... Esse artigo tem que ser " revelado " para todos ... Falta vergonha na cara nesse nosso Brasil... Será que alguns desses caras ficam vermelhos lendo essas verdades ? Será que riem de nós ? Não sei o

  49. Gostaria de saber quando você Felipe e a crusoé foram comprados pela esquerda? Gostava do seu trabalho mas se perdeu pelo caminho!

    1. O cara tem que ser muito fora de órbita ou mesmo um fiel ao seu deus político pra associar o Felipe, Crusoé e O Antagonista à esquerda. Se não suporta isenção e coerência, cancela a assinatura e fica só lá no Pingos Nos Is ouvindo canção de ninar.

    2. kkkkkkkk, vc é alienado mesmo né? se não jumento bolsopetista, então é de esquerda? vc não consegue entender que existem outras pessoas que pensam diferente da bolha bolsopetista ou lulopetista, seu asno?

  50. É uma medida complicada, e sem respaldo na classe política, mas o ideal era secar as verbas de comunicação praticamente por completo! E não adianta também tomar tal decisão, mas manter as contas da estatais e seus gigantes orçamento de publicidade ativos.

    1. Sempre haverá empresa privada disposta a arcar com esses custos em nome do "bom relacionamento com o governo".

  51. Análise super completa e altamente esclarecedora, no passado houve o Observatório da Imprensa mas a análise que vc produziu agora rasgou o verbo, expôs a realidade como jamais eu tenha visto. Que sua voz jamais se cale!

  52. Excelente artigo Eu diria que esses 50 tópicos são 50 redpills, mas o gado prefere a pílula azul da ignorância (ou da conivência)

  53. Longo, muito longo. Não chegou a ser cansativo. Modestamente, se fosse menos comprido, teria a mesma eficiência na informação, pelo bom conteúdo. Desculpa-me, se fui inconveniente.

  54. Infelizmente você não superou seu problema psicológico. A tecla e o rancor continuam iguais! A “mídia do bem e transparente “ é igual! Quem não reza pela cartilha está fora!

    1. Verdade, o gado toma a pílula azul (será que é de cloroquina?), entra no Brasil Paralelo e não tem mais problema psicológico. Só cognitivo.

  55. A propósito, cômoda e conveniente a declaração de emissora sobre o texto de passador de pano: “essa não é a opinião da emissora...” rsrs

  56. Fatos relatados são verídicos e incontestáveis, como se sabe e se vê... Com esse andar da carruagem, apenas os veículos mais execrados pelo poder de plantão merecem credibilidade e audiência das pessoas que priorizam a informação real e precisa. Parabéns, Felipe!

  57. dicas dos passadores de pano: AN lá de Taquaritinga, JMT lá da terra do JK, RC lá das areias da Garota de Ipanema e mais algumas outras decepções por aí a fora!

  58. Excelente!!! Sem citar os veículos norteou os pontos cardeais!!! Continue cobrando do TCU a transparência, precisamos saber pra onde vai nosso dinheiro. Pra esses "jornalistas" vendidos só lamento.

  59. O pior caso é a jovem PANOS. deu cavalo de pau com cara de pau. ver zé maria falando as estultices que fala , a gente pensa: CHE CAZZO ??

  60. Felipe, brilhante! Sua lista me fez lembrar de uma certa rede de comunicação iniciada pela letra J, que de ferrenha defensora da democracia e da luta contra a corrupção, passou subitamente a defender o governo de plantão pelas táticas enumeradas aqui. Quando me dei conta, procurei mais isenção em outras frequências. Viva o jornalismo independente de O Antagonista e da Crusoé, vida longa aos jornalistas que não se vendem.

  61. Excelente artigo! Vale a leitura e releitura! O 4o. Grande Poder, Os meios de comunicação (Pois Executivo, Legislativo e Judiciário são os primeiros), não podem estar concentrados em poucos canais de TV aberta, recebendo generosos honorários de governos, para encobrir as suas falhas!

  62. Pensei na Jovem Pan, SBT, Record, Band, CNN, Folha, Globo, Gazeta do Povo, Revista Oeste, Conjur, Datena, Narloch, Constantino, Ana Paula Henkel, Copolla e todos os blogs bolsonaristas.

  63. Caro Felipe, você focou nos órgãos governamentais NACIONAIS. Seria interessante uma pesquisa sua sobre a influência dos organismos INTERNACIONAIS. Já viu quanta propaganda destes organismos na Rede Globo? Lembro de você entrevistando do Dr. Felício. Aquecimento global é terra redonda para a Globo. Entre nessa questão nestes tempos de ataques ao globalismo (perdoe as aliterações)? O seu país é a Terra?

  64. Extraordinário! Obrigado por mostrar como se fazem as salsichas na mídia tradicional de rádio e tevê. Pensei em ser jornalista, mas decidi me prostituir só uma vez na vida prestando concurso público. Parabéns, Felipe.

  65. Muitos nomes e emissoras vêm à cabeça ao longo do texto, mas faz falta uma lista de todos eles, sem nenhum espírito mackartista

  66. Identifiquei muitos e infelizmente gente que considerava profissional de qualidade e moral ilibada. Felipe, você sempre nos trazendo a reflexões importantes. Parabéns!!

  67. Muito boa a sua análise. continue assim com está qualidade a equipe Antagonista/Crusoé e terão minha assinatura por muito tempo, como de muitas outras pessoas sensatas e terão recomendações a respeito da qualidade.

  68. Que pancada hein! Pegou meio mundo, parece ter falado até o Pânico! Sami divulgando direto a corretores, humoristas parceiros, apresentador biruta de aeroporto...tb foi vindo a mente os VELHOS jornalistas saíram da TV e se tornaram verdadeiros lacaios, gente que tanto admirei...lembro bem qdo surgiu o caso do malandro da SECOM e o Pingos ignorar..aí o FMBRASIL(q critiquei muito na época) já percebia o golpe...agora é desmascarar esses cúmplices do PRESIDENTE TRAIDOR DA PÁTRIA!

  69. Gostei muito! Muito esclarecedor de nuances q já imaginávamos, mas ñ tínhamos certezas, mas agora, vindo de um profissional de dentro dos meios de comunicação só vem confirmar!

    1. Incrível!!! Está justamente acontecendo debaixo de nossos narizes.

  70. SÉRGIO MORO em 2022 será nosso “PRESIDENTE LAVA JATO PURO SANGUE”! O Brasil finalmente terá Um Governo Fundado no “IMPÉRIO DA LEI”! Triunfaremos!

  71. Excelente artigo . Também sugiro divulgar publicamente , não apenas a assinantes . Seria um grande serviço à democracia do Brasil .

  72. Felipe, você como eu elegemos o Bolsonaro, e, sejamos honestos fora as pieguices do Bozo - que já eram previstas - tem tentado e não o deixam cumprir as promessas de campanha. Não dá pra esconder isso. A mídia é toda contra o governo com o intuito de destrui-lo e não de consertar eventuais erros. Hj, penso que o Brasil não tolera é um governo conservador...Ex. Soltaram dezenas de corruptos mas o Cunha( conservador) continua enjaulado.

    1. É isso mesmo? Os bovinaristas já estão insinuando que não seria um problema um corrupto ficar solto, desde que seja "conservador"?

    2. Ayr, logo se vê que você é muito ingênuo ou muito bem remunerado para passar pano.

  73. Vc ainda nao assimilou o pé-na-bunda q tomou da JP. Eu e muita gente do meu entorno sabiamos q vc nao tinha competencia profissional pra ser diretor de jornalismo. Continue escrevendo colunas (nisso vc sobrevive) e nao tente ser diretor da Crusoe.

    1. Uma dica: vc escreve colunas, nao seja tao prolixo. Suas colunas parecem um livro.

  74. Parabens Felipe pela coragem e lucidez !!! Tb ouvia todos os dias a JP, Pingos nos Is, como muitos de nos, mas a cada dia os malabarismos do Augusto Nunes e do Jose M. Trindade para defender o indefensavel governo Bolsonaro me decepcionavam mais... torco para que possam voltar a comentar de forma independente.

    1. Concordo. Pingos nos Is nunca mais. Tristeza sem o Felipe.

  75. Enquanto lia seu excelente artigo, os veiculos que me vêm a cabeça foram: Jovem Pan, Record TV, SBT, Rede TV, CNN Brasil, Revista Oeste entre outros. A resposta ao vendidos é a audiência dessas emissoras. Continue sua luta

    1. Em relação a CNN Brasil foi ponto chave em relação aos quadros só para ganhar audiência

  76. Um monte de gente que conheço vai dormir de carapuça essa noite. Tem de todas as cores e combina com o friozinho que está fazendo esses dias. Apesar de nos EUA ser verão...

  77. Parabéns Felipe - Você descreve um mecanismo que eu suspeitava globalmente. Dando alguns nomes aos bois. A guinada da Jovem Pan foi surpreendente. Alguns “grandes” nomes como Nunes, Trinidade entraram na dança sem falar do juvenil garota de propaganda Alexandre Garcia e até o Mestre Guzzo estaria vacilando. O que me deixa perplexo é a grosseria com que as viravoltas são feitas, nem tentam disfarçar! Isto denota que consideram os ouvintes como boçais e não estão preocupados com a audiência.

  78. Eu sempre ouvia a jovem pan.agora não dá mais. jornalista com extrema credibilidade passaram a ser passapanista como Augusto Nunes, Rodrigo Constantino. Até o José Maria. não dá mais.sugiro um programa isento só com jornalistas que não se vendem

  79. Excelente Felipe Moura Brasil. Seu artigo me chamou a atenção a uma determinada emissora, na qual alguns comentaristas idolatravam Moro. Mas quando ele simplesmente expôs os podres do atual governo, saindo, foi apedrejado e criticado pelos mesmos que o elogiavam. Ainda bem que você teve dignidade e foi para um veículo independente. Parabéns por informar aos incautos. É tudo dinheiro.

  80. Só aqui pra nós. Ser discípulo do ridículo Olavo, por si só, revela pouca inteligência, ou melhor, inteligência nenhuma. Daí.. o resto é "dor no cotovelo" do sucesso alheio.. e só. apscosta/df

    1. Crítica sem nenhum argumento racional. Não tem a menor noção do Patrimônio de conhecimentos do Olavo e do Felipe.

  81. Felipe meu caro, sempre fui seu fã, desde tempos imemoriais. Agora, mais ainda. Decepcionei-me demais com Augusto Nunes, JR Guzzo e Alexandre Garcia. Ainda bem que temos você aqui, no Youtube temos Nando Moura, Diego Rox, Moscoso... Todos que não se venderam pelo passapanismo.

  82. Disse Assis Chateaubriand: jornalista que quer ter opinião própria, cria um jornal. Esse parecia ser o caso da Crusoé até virar mais um grande divulgador, não dos fatos, nas das versões.

  83. Excelente reportagem! Tudo faz sentido! O item 26 chega até ser engraçado, mas a tal atitude nas grandes emissoras, é notável. Parabéns Felipe!

  84. O texto do Felipe parece um quadro de Leonardo da Vinci ou um filme. Retratou com maestria a situação. Consegui ver os personagens retratados com nitidez

    1. Verdade, a cada situação ou personagem descrito, vinha a imagem de episódios e pessoas que se encaixavam perfeitamente à descrição.

  85. Passadores de pano: Jovem Pan News (programa "Pingos nos Is"), Rádio Bandeirantes (programas "Primeira Hora", "Jornal Gente" e "Bastidores do Poder"), SBT, TV Record, CNN Brasil. Observem.

  86. Será que foi por esse motivo que o Marco Antônio Villa saiu da Jovem Pan? Ou não chegaram no preço dele? Agora só da pau no Bolsonaro; não tem outro assunto a tratar?

  87. Excelente! Bastante esclarecedor! A cada item lido eu ia identificando um emissora de rádio, de tv, "jornalistas" passadores de pano, enfim, pessoas q impedem o desenvolvimento do país. A Crusoé deveria permitir o compartilhamento desse artigo. É fundamental para o esclarecimento dos amantes da verdade.

  88. Muito bem Felipe!!!! Infelizmente, até a imprensa, que deveria fiscalizar e estar ao lado do Brasil, também se vende. Não temos mais esperanças...

  89. Eu tinha um grande respeito pela Jovem Pan, mas dia a dia ela perde a credibilidade. O "Pingo nos Is", parece um programa estatal. Na quinta-feira um comentarista chegou a ser interrompido na sua análise, pois a "live do Bolsonaro havia começado". Augusto Nunes, que eu admirava tanto, passou a ser um árduo defensor do Governo e José Maria Trintade está no mesmo caminho. Rodrigo Constantino é um caso a parte, tudo, absolutamente tudo que o Governo faz (certo ou errado) ele defende. Lamentável !!!

  90. Se ficar atento pode-se ver um passador de pano na rádio e logo depois na TV que mais recebe verba. Jornalista (?) até há pouco tempo imparcial. O dinheiro comprou . Impressionante ver a contratação de escritor em programa que se diz jornalístico tão é só para passar pano .

  91. Excelente Felipe! Disponibilize para nao assinantes,essas informacoes tem que chegar a milhões de brasileiros. Nao éum textao é um Super Texto Analítico. Brilhante análise!

  92. Textão contra ex-colegas, certamente. Pra mim, inútil e desnecessário, pois são obviedades que poderiam ser resumidas a três parágrafos. O Felipe provavelmente foi o maior "idiota útil" do Olavismo e Bolsonarismo, não desconfiou que a esmola era muita. Cabe ao Felipe aprender a lição: quem o via em 2018 achava que ele era um dos líderes dos que ele acusa agora. Se foi por inocência, bom, errar é humano, mas alguns erros são muito caros e impossíveis de consertar.

    1. ÊÊ... ôô... vida de gaaado.... povo marcado... povo feliiiiiizzzzz...

  93. Os Pingos nos Is é o exemplo da ‘mudança’. Quando as falcatruas eram do Lula, pau nele. Agora que os pilantras são os Bolsonaro, está tudo bem. Augusto Nunes, José Maria Trindade fazendo um papel ridículo de desinformação. O Constantino no Três Em Um, dá dó! Mas quem vai prevalecer é o jornalismo de verdade como Antagonista e Crusoé.

  94. Uma vergonha! Mais um texto afetando decência em tom didático para tutelar o que considera a “audiência inocente”. Tenta construir uma imagem de jovem e puro no jornalismo. Não consegue enganar ninguém. Demonstra que tornou-se apenas mais um difamador da infame imprensa brasileira. Hoje é um desprezível “atirador de pedras”, corroído pelo indisfarçável ressentimento. Vive de atacar dissimuladamente os velhos companheiros que agora são considerados “passadores de pano”. Procure apoio terapêutico.

    1. quem precisa procurar um terapeuta é você. embora no seu caso isso não vai adiantar. ainda não inventaram terapia para mau caráter

    2. ÊÊ... ôô... vida de gaaado.... povo marcado... povo feliiiiiizzzzz...

  95. Parabéns! Pode divulgar o tamanho dos acordos em moedas e identificar a empresa? Nenhum problema com a justiça se os dados coletados forem extraídos de fontes verdadeiras, ditas oficiais. Pode ampliar ainda mais esse meticuloso e inteligente trabalho?

    1. Pelo texto ressentido é de se imaginar que a Globo está louca por uma verba, como nos tempos do PT. E que o autor do texto tb quer uma boquinha. Será só imaginação?

  96. Excelente artigo. Há muito que a Jovem Pan virou uma piada, principalmente os Pingo nos Is. O Rodrigo Constantino no 3 em 1, é uma vergonha.

    1. Felipe o Lula deve ter adorado essa matéria...que tristeza era seu fã...ja fui PT, acorda ai meu amigo, o que fizeram com vc???

    2. Felipe, com o seu artigo, verdadeiro, porém os fatos relatados são tão antigos quanto ao velho testamento. Isso é uma das facetas do poder, agora desacreditar jornalistas da forma que você fez em nome da pureza jornalística também é duvidoso amigo!

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO