O peso da caneta

27.09.19

Com a aprovação de Augusto Aras no Senado para chefiar a Procuradoria-Geral da República pelos próximos dois anos, arrefeceu de vez a disposição dos opositores ao novo chefe de se rebelar contra a nova gestão. Até mesmo a Associação Nacional dos Procuradores da República, a ANPR, responsável por organizar a eleição da lista tríplice da categoria encaminhada ao presidente da República, se desmobilizou. A entidade chegou a organizar uma manifestação no começo de setembro, logo após Aras ser indicado pelo presidente Jair Bolsonaro, mas desde então não tomou nenhuma iniciativa mais enfática contra ele. O motivo do silêncio dos opositores é um só: o poder da caneta do novo PGR, responsável pelo orçamento do órgão e pelas nomeações de cargos-chave, como as chefias das unidades do Ministério Público Federal nos estados.

Agência SenadoAgência SenadoCom a confirmação, Aras passou de rejeitado a aceito pelos opositores na PGR
 

 

 

 

 

 

 

 

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

Edição nova toda Sexta-Feira. Leia com Exclusividade!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

Deixar para mais tarde

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
    1. Claro que não. Já declarou que reabrirá as investigações do caso Adélio, como é o desejo do bozo. E em total desrespeito ao excelente trabalho da pf

  1. Sinceramente eu também estou cansada. Quando parece que algo vai mudar , tudo volta ao ponto zero e piorado. Bolsonaro me decepcionou muito . Ele põe os filhos na frente de tudo , é o país que se lasquei. Não da, chega.

  2. Mas, não vamos entregar os pontos. Diogo, fica firme . Estamos juntos desde vc na Veja quando eu lia a revista de trás para frente . Alguém já disse que este País não e para principiantes, e nós não somos. Alguma coisa vai acontecer. Este jogo vai mudar. Tem que mudar.

  3. Definitivamente, o Brasil não é um país para cidadãos honestos e éticos. A bandidagem impera de cabo a rabo na esfera dos três poderes.

  4. No discurso de Haras, entre outras coisas afirmou o respeito entre os Poderes Legislativo, Executivo, e,,,,, Judiciário do ministro Toffoli ??? Ja se sabe de que lado o vento vai soprar,

  5. Pra mim deu, não tenho ânimo de estar ouvindo tantas safadezas. O máximo vou ler Cruzoé. O STF só trabalha para soltar os corruptos! Não deixam O presidente aprovar nada . Já estamos em outubro e O Brasil parado!!!!

    1. ser honesto, cumprir as leis e ser gente boa... realmente você deve estar morando no país errado. ninguém mais ensina o filho a ser correto e sim a ser esperto.

    2. O Brasil é um lugar extremamente hostil pra quem é honesto e segue as leis.

  6. Quem tem. Tem medo. E se não existem fatos que desabone o novo PGR que pelo visto é muito articulado e político. Torna necessário que os procuradores tenham personalidade para se manterem dentro de suas funções em defesa da cidadania, vão ter? Só o tempo dirá!

  7. O Brasil é um bordel gigante . Nele as prostitutas mais poderosas ocupam os principais cargos no Executivo , Legislativo e Judiciário . Podem conferir , nos 3 poderes não escapa ninguém . Só fechando para balanço essa zona de bordel chamada puteiro Brasil.

Mais notícias
Assine
TOPO