Adriano Machado/Crusoé

A primeira boiada

Como secretário de Meio Ambiente de São Paulo, o hoje ministro Ricardo Salles beneficiou empresa da família de um deputado amigo
24.07.20

Quando foi comemorar a nomeação de Fábio Faria para o Ministério das Comunicações em uma badalada festa no Lago Sul, em Brasília, no mês passado, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, conhecia muito bem o terreno onde estava pisando. Como Crusoé revelou há uma semana, a portentosa casa cedida para o evento em junho e usada para uma série de encontros secretos entre as mais altas autoridades do país é bancada pela família do deputado Guilherme Mussi. Mais do que amigo de Salles, o dirigente do partido Progressistas é o principal responsável pela ascensão do ministro na vida pública. Foi Mussi quem indicou, ainda em 2016, o desconhecido advogado paulistano para comandar a pasta ambiental no governo de São Paulo, a estreia dele em um cargo executivo. Um gesto político que Salles tratou de recompensar tão logo assumiu o posto, quando tentou passar a sua primeira boiada, para usar a expressão adotada por ele próprio na famosa reunião ministerial de 22 de abril, ao defender que o governo aproveitasse a pandemia para tirar do papel medidas polêmicas sem o risco de ser criticado ou questionado judicialmente.

Documentos inéditos obtidos por Crusoé mostram que uma mineradora da família Mussi está entre as empresas que seriam beneficiadas pelas alterações feitas diretamente por Salles, em apenas quatro meses de gestão como secretário em São Paulo, no texto de um plano ambiental que havia sido elaborado e aprovado em órgãos técnicos ao longo de cinco anos. Todas as mudanças promovidas por ele flexibilizavam a proposta original para permitir a expansão industrial e minerária na várzea do Rio Tietê, incluindo os negócios da Indústrias Brasileiras de Artigos Refratários, a Ibar. A empresa é controlada pelo industrial Carlos Henrique Ferreira, pai de Guilherme Mussi, e tem duas fábricas na Grande São Paulo, além de campos de extração de minério na Bahia e no Ceará. Ferreira é quem costuma financiar os convescotes na casa secreta frequentada por Salles, onde uma SUV registrada em nome da Ibar estava estacionada na garagem na semana passada.

ReproduçãoReproduçãoO deputado Guilherme Mussi é “padrinho” e amigo do ministro
Classificadas pelo Ministério Público paulista como “manobras maliciosas e fraudulentas” para defender “interesses obscuros”, as alterações feitas clandestinamente por Salles no plano ambiental, em 2016, renderam ao ministro uma condenação por improbidade administrativa no fim de 2018. Ele recorreu da sentença e a decisão em segunda instância deve sair nas próximas semanas. As modificações foram feitas no gabinete do então secretário, sem nenhuma justificativa formal e sem discussão e aprovação nos órgãos técnicos, rito necessário antes de ir para votação no conselho estadual do meio ambiente, que acabou aprovando o texto adulterado com os mapas fraudados. O plano, contudo, foi suspenso pela Justiça estadual.

Todas as mudanças foram fruto de um lobby feito pela Federação das Indústrias de São Paulo, a Fiesp, que também foi condenada na mesma ação civil. Segundo a investigação, as alterações foram solicitadas por meio de anotações a caneta em post-it e em e-mails enviados por representantes da entidade presidida por Paulo Skaf a assessores de Salles. Na Fiesp, a ofensiva para rever regras mais restritivas na área de proteção ambiental foi conduzida pelo departamento de meio ambiente, que tinha como um dos dirigentes à época justamente o industrial Carlos Henrique Ferreira, pai do padrinho político e amigo do peito de Salles. Agora, um segundo inquérito aberto pelo MP paulista investiga se as empresas beneficiadas participaram da fraude. Um parecer da Promotoria obtido por Crusoé apresenta uma relação com o nome de 37 companhias tratadas em reunião da Fiesp com a secretaria de Salles. Na lista aparecem gigantes como a Suzano Papel e Celulose e a Gerdau, além, é claro, da Ibar.

A casa no Lago Sul bancada pela família Mussi: Salles esteve lá
A indicação de Salles para a Secretaria do Meio Ambiente, em julho de 2016, foi uma moeda de troca exigida por Guilherme Mussi do então governador Geraldo Alckmin, do PSDB, para colocar o PP, atual Progressistas, na coligação do tucano João Doria, que venceria naquele ano a eleição para prefeito da capital. À época, Salles estava filiado ao partido, que Mussi passou a controlar em São Paulo após a derrocada política de Paulo Maluf. Naquele período, os dois amigos circulavam juntos em festas abastadas na Bahia e em passeios de iate no litoral paulista. Dinheiro nunca faltou para o cacique do “novo PP”. Mussi já foi casado com uma das filhas do apresentador Silvio Santos e declarou gastos de 698 mil reais em espécie na sua primeira campanha, em 2010. Quatro anos depois, a mineradora do pai dele aplicou 2,9 milhões em dinheiro vivo em sua candidatura à reeleição, segundo registro da Justiça Eleitoral.

O plano frustrado de Salles em 2016 parece uma versão regional da polêmica estratégia política exposta na fatídica reunião ministerial do dia 22 de abril, quando ele sugeriu que o governo Jair Bolsonaro deveria aproveitar a “oportunidade” gerada pela pandemia do coronavírus, que atraiu toda a atenção da imprensa, para “ir passando a boiada”, flexibilizando normas ambientais que seriam alvo de críticas de ambientalistas e que poderiam ser contestadas na Justiça. “Tudo o que a gente faz é pau no Judiciário no dia seguinte”, disse Salles naquele dia, diante do presidente da República e dos colegas de Esplanada. A julgar pela “primeira boiada” em São Paulo, a condenação que ele sofreu na Justiça estadual não surtiu efeito.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Obrigado pela matéria. Este foi mais um ministro cujo discurso me encantou no começo. Afinal, ainda é indestrutível a afirmação que o maior problema ambiental brasileiro está nas áreas urbanas. Entretanto, as relações com quem de fato o alavancou politicamente mostram mais um que não se importa com os meios para se chegar onde quer. Disto já estou farto e creio não estar só.

    1. Sempre houve uma agenda ambiental nas cidades. Entretanto, ela sempre esteve a cargo dos estados, municipios e ministério da infraestrutura. O MMA sempre foi tímido. O Salles é incompetente e ladrão. Foi escolhido a dedo pelos grileiros para deixar a boiada passar.

    1. Concordo integralmente! O novo sempre será ligado a este cafajeste, infelizmente!

  2. Não vou falar de Ricardo Salle, que por sinal é um excelente Ministro. Vou falar da denúncia que os esquerdopatas fizeram em Haia chamando o presidente de Ginocida, será que esses bispos sabe o que se passa e passou na Venezuela e o que Haia fez a favor daquele povo? que vergonha dessas pessoas esquerdopatas doentes, quem são os genocidas são os governadores que escondem os remédios da farmácia para o tratamento precoce , se não tem uma vacina ainda vamos procurar alternativas e o que eles f ?

    1. Processar o genocida em Haia e a coisa certa a fazer. O genocida e seus aliados mataram mais de 85 mil pessoas. As provas são inúmeras:1) desqualificar o próprio governo, 2) incentivar contaminação em massa, 3) distribuir informações erradas para a população, 4) segurar criminosamente o dinheiro aprovado pelo congresso para combate à doença, 5) minimizar o risco da doença, et, etc. A lista é longa. Cadeia para o Bozo e os bozistas.

  3. Que esse Salles é um cavalo de tróia dentro do ministério do meio ambiente, eu já sabia. Que a politicalha que o rodeia é corrupta também. Agora eu to é impressionado com o dedo podre dessas filhas do Silvio Santos. Tá parecendo tudo papa fortuna. Parece que a família não se contenta com o que tem. Querem mais, querem o Poder.

  4. Este sujeito é um dos piores ministros deste governo de Jair Bolsonaro. A sua gestão frente ao Minist. do Meio Ambiente fez do Brasil um pária internacional na questão do meio ambiente. Não custa lembrar que este sujeito deletério para o meio ambiente conta com total apoio do famigerado presidente Jair Bolsonaro. A política ambiental do governo Bolsonaro é predatória e nefasta para as nossas florestas e para o meio ambiente. Ricardo Salles não tem credibilidade junto à comunidade internacional.

  5. Numa reunião secreta, nem tudo o que se fala é real, por isso não deveria ser divulgada. Mas essa valeu para que Sergio Moro e o mundo conhecesse os 39 palavrões que o Bolsonaro falou!

  6. Pergunta que não se cala: Porque o atual governo se cerca de tanta gente cheia de interrogações e simplesmente se cala e não dá explicação convincente para a sociedade!!!!

  7. País nada republicano. Políticos e poderosos mesmo condenados ficam fora da cadeia. É fácil, nada é pior que a impunidade.

  8. Nojento o Salles e todos os envolvidos que o cercam, inclusive os comentaristas que o apoiam cegamente. Tenho vontade de vomitar. Parabéns a revista por expor essa nojeira.

  9. Estou com náuseas.Passando mal! Após leitura dessa reportagem, quero vomitar! Sabe-se da corrupção no Brasil, mas o que essa história expõe é a nojeira dessas “relações” de amizade interessada, para avançar na vida, nos negócios, mas vantagens, sem que sequer se leve em consideração o país, o bem estar do povo e, até mesmo, o crescimento da nação. É tudo em interesse próprio; vantagens próprias. Minhas náuseas pioram ao ler os comentários dos que apoiam Salles e criticam a revista! Lamentável!

  10. Quando veremos este cara na Papuda? Já está passando da hora. A lista de crimes do bozista é extensa e o prejuízo para o Brasil é imenso. Papuda já para falastrão corrupto!

  11. Um dos piores ministros, já com histórico de condenação por fraudes para beneficiar os amigos empresários que bancam sua nomeação. Um fantoche a serviço de maus e corruptos empresários. Achei que este governo iria escolher ministros técnicos, mas não técnicos corruptos. Triste futuro teremos emquanto a boiada passa pano.

  12. Nem estou lendo mais os artigos da Crusoé ! Não sabem diferenciar o que é bom para o país ! Torcem por uma Marina Silva e atropelam o mais ponderado ministro do meio ambiente que está país já teve !! Estão com saudades do filho do Sarney ? O imprennsazinha sem vergonha que nos temos !! Fofoqueiros de plantão !!

    1. Volf MS — E não é verdade! Creio que até uma pedra faria um trabalho melhor do que esse corrupto que aí está!

    2. Incrivel mas até o Sarney Filho é menos pior que o atual.

    3. Rui tu tens alguns problemas, mas eu, em respeito à tua pessoa, vou citar apenas um: quem disse que ser contra o BolsoNADA tem que ser do PT, do PSDB, dos Partidos outros partidos e políticos corruptos. Sai pra lá Rui, vê se cresce.

    4. Você não lê mais os artigos porque você não sabe ler. Simples assim. Agora volte para o seu esgoto bozista!

    5. Pera aí.. se tu nào estás mais lendo nada na revista, como é então que tu "adivinhastes" que este, especificamente, se reportava ao tal ministro? Ou tu és um mentiroso declarado ou és um hipócrita juramentado. Cara, esta revista tá com um novo time de comentaristas que "sai de baixo". apscosta/df

  13. Laranjal do Ministro do Turismo, improbidade de Salles, falta de transparência da Secom, Casa da Moeda, cartão corporativo, contratos com ex de Wassef... que tal fazer uma lista dos escândalos do atual governo?

  14. Até quando a BANDIDAGEM vai reinar impunemente no Brasil? Como e possível tanto bandido se dar bem???Agem contra a lei e se dão bem.É frustrante ser honesto. É frustrante ser trabalhador.Essa impunidade e injustiça tem q acabar.

  15. O s brasileiros detestam arvores, flores e plantas em geral. Quando constroem uma casa, metem concreto em tudo para não terem que ver o desagradável verde, ou água abastecendo os lençóis de água. Quando caminhamos por um bairro em qualquer cidade da Europa ou USA, vemos a diferença. O Brasil, com exceção das matas que preservamos com muito trabalho, é um país pelado, com cidades desarborizadas e horrendas. Temos, sim, que ficar de olho no meio ambiente. Ou acordaremos em um deserto.

    1. Maria Goiaba, sugiro estudar os dados acerca do percentual do território nacional destinado à área de preservação permanente, à área de reserva legal bem como às reservas indígenas e quilombolas e garanto que concluirás o quão inocente fora até o momento. Com efeito, criminoso é a ação das organizações não governamentais bem como dos organismos internacionais cuja influência mitiga a oportunidade de os brasileiros tirarem benefícios dos seus recursos naturais. Hoje, vigora as fake ambientalista

    2. Aldaiza, meu bem. Pense um pouco, só um pouquinho. Mas com a própria cabeça. Bjs

    3. Maria! Quanto bobagem falastes, sabia que nós somos o país com maior área de Floresta preservada no MUNDO? A Crusoe só trabalha para derrubar o Brasil e por interesses próprios. É um vergonha. França campanha 2022 Moro. Querem derrubar o Ministro pq ele não aceita maracutaia! Lamentável! ANTIPATRIOTAS TUDO PELO PODER! CADÊ O AYAN? CADÊ O BANESTADO QUE CONTA OS PODRES DA LAVAJATO ? Rabo preso não é Cláudio Dantas e Tiozão? Lamentável!

  16. Como sempre, tudo de ruim que acontece no Brasil tem o dedo da FIESP. Na época da Dilmanta, a fiesp obrigou a presidente em declínio adotar um plano econômico baseado em subsídios que salvou a vida dos empresários paulistas, mas jogou o país no caos. Agora, descobre-se que a fiesp está por trás da indicação do Salles, o pior ministro deste governo ruim, que até agora manchou a reputação ambiental do país e gerou um prejuízo de bilhões de dólares para a nação.

  17. O Ministro Ricardo Salles, é o mais lúcido que vi passar pelo Ministério do Meio Ambiente de um país de miseráveis enganados e explorados pelos sucessivos governos.

    1. Uma pauta legal para vocês. Banestadoleaks? Não ouvi um palavra por que será? Moro/22 urgente!

    2. Exatamente, o mais lúcido. Ele está fazendo exatamente o que pretendia e pretende fazer, o desmonte do ministério do meio ambiente e passar a boiada para fins escusos. Isso está tão claro que só mesmo o gado pra não enxergar.

    3. Deve ser o mais lúcido na grande roubalheira que se quer fazer no país: transferir terras públicas para grileiros. Precisa mesmo de muita lucidez para fazer tal crime de lesa pátria.

    4. Estou contigo Mauro!!!!! O resto é empulhação que a Crusoé Adora!!!! Diogo Mainardi para Presidente!!!!! Esse sim Sabe Tudo!!!!!! É o que pensa o Cordão dos puxa-sacos!!!!!

    5. Se esse é o mais lúcido calculo o resto, Salles trabalhou contra tudo o que o bom senso e regra ambiental prega, como apoio aos grileiros, ao desmatamento, seção de reservas públicas para agricultura, decreto possibilitando o preenchimento de indicados para cargos chaves no Ibama. afrouxamento nas fiscalizações contra garimpo ilegal, com punição aqueles que estavam autuando madereiros e garimpeiros, legalização das áreas griladas e desmatadas ilegalmente. Tem certeza que esse é o mais lúcido?

    6. Todo país tem Ministro do Meio Ambiente, o BRASIL tem ""ministro contra o meio ambiente""!!! Sujeito horroroso em tudo por tudo!!!

  18. E o ministro deveria beneficiar quem um inimigo? um amigo do Lula, do Ciro, do Dória, do Moro ? qual é Crusoé!...O ministro está no caminho certo, vai lá ministro, continua seu trabalho e deixa essa "boiada" falar, esperniar, fuxicar , mimi prá lá, mimi prá cá.

    1. Eledeveria beneficiar NINGUÉM!! Beneficiar amigos não trabalho para Ministro nenhum. É por causa desse seu pensamento que estamos nessa m..., atolados em corrupção.

    2. Ainda bem que os planos do Salles não vão vingar, tamanho o absurdo e cara de pau.

    3. O último comentário lembra bem o conceito exposto na lapidar e antológica frase do Paulo “ lutfalla” Maluff. “ estrupa mas não mata”. Assim é que os brasileiros vão (des) construindo o Brasil.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO