Câmara dos DeputadosLira prepara novos lances na ofensiva contra o MP

Por que Lira pode dissolver a comissão que discute o novo Código de Processo Penal

16.05.21 18:25

Os líderes partidários pressionam o presidente da Câmara, Arthur Lira, para prorrogar as discussões sobre o novo Código de Processo Penal. Os deputados temem que, faltando apenas cinco sessões para o encerramento dos trabalhos na comissão especial criada para debater o assunto, Lira dissolva o colegiado, como fez com a reforma tributária.

Em reunião da comissão na sexta-feira, 14, a deputada do Progressistas Margarete Coelho, braço direito de Lira para temas jurídicos, teceu uma série de críticas à metodologia adotada até agora pelos parlamentares durante a apreciação do novo Código de Processo Penal. Os comentários foram vistos como uma sinalização de que o presidente da Câmara pode realmente enterrar o que foi feito até agora, nomeando um novo relator para reiniciar os trabalhos.

Lira também seria contra vários pontos do relatório que está sendo elaborado pelo deputado João Campos, do Republicanos. Entre eles, o que limita o alcance da expressão “autoridade policial”. Campos é delegado de polícia e defende que apenas policiais civis e federais possam ser enquadrados nesse conceito, que define quem pode atuar em investigações. Existe um lobby, entretanto, para que policiais militares também possam ter o poder de investigar. O presidente da Câmara estaria sensível a essas pressões.

A comissão especial instalada para revisar a legislação retomou suas atividades em março, após um ano de paralisia em razão da pandemia. A proposta de revisão do código tramita na Câmara desde 2010.

Já é assinante?
Assine a Crusoé ou nosso combo e ganhe o novo eBook de Mario sabino

Assine a Crusoé

*válido até 30/06/2021

Assine a Crusoé ou nosso combo e ganhe o novo eBook de Mario sabino

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. LIRA O ficha suja do PP (partido podre ) blindado por Mendes e apoiado pelo genocida .NÃO FARÁ NADA PELO PAÍS ,só para os cor RUPTOS do centrão

  2. Neste sistema de governo híbrido, do faz de conta, quem tem o maior poder de governar o país são os senhores inquilinos do Congresso. Uma confraria que se serve para se beneficiar do poder. Não há espírito público. As propostas de interesse do país, primeiramente, tem que satisfazer interesses políticos partidários.

  3. Na minha opinião, os parlamentares deveriam era realizar um plesbiscito no País para verificar a possibilidade do povo escolher se aprova ou não a pena de morte. Já passou da hora.

    1. Marcelo, foi o que eu go também. Uns poucos muares zurrando e sujando as ruas. Estavam cabisbaixos e sem rumo. Um exemplo perfeito de patetismo coletivo.

    2. Houve uma aglomeração de meia dúzia de cabeças de gado mugindo e bufando, nada de novo. O mesmo rebanho, o mesmo capim, o mesmo vaqueiro.

    3. As manifestações ocorreram no sábado 15/05 e foram amplamente divulgadas praticamente "ao vivo" pelo O antagonista+.

    1. Tem sim Carlos! Só que não vale a pena falar antes pq A canalhada de ambos extremos inventa FakeNews, arruma um ministro pra chamar de meu e sái atacando seja lá quem for! Teremos paciência e na hora certa, aparecerá um nome que não seja #NemLulaNemBolsonaro! E aí a gente (maioria silenciosa) vota e volta a prender os canalhas de sempre! #CHEGA!

    2. Infelizmente Marcos não tem. Só tem mais dos mesmos, CangaCiro, Geraldo Picolé de Chuchu Alckmin, João DesAmoedo, Guilherme SodaBoulos. etc.

    1. Aglomeram sem máscaras e mugiram como sempre. Nada de novo.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO