Reprodução

Até que ponto a eleição no Peru indica uma onda de esquerda na América Latina

11.06.21 17:31

Mesmo antes do final da contagem de votos no Peru, governantes e ex-presidentes de esquerda da América Latina parabenizaram o candidato Pedro Castillo, que aparece 0,4 ponto percentual à frente de Keiko Fujimori.

O presidente argentino, Alberto Fernández, e o boliviano, Luis Arce, enviaram mensagens festivas para Castillo, assim como os ex-presidentes Lula, Dilma Rousseff, o boliviano Evo Morales, o equatoriano Rafael Correa e o paraguaio Fernando Lugo.

Mas a perspectiva de que uma vitória de Castillo marque o surgimento de uma nova onda de esquerda na região é duvidosa. “Castillo pode se considerar um marxista-leninista e contar com a simpatia de outros políticos de esquerda, mas há diferenças importantes entre ele e todos os outros“, diz Christopher Mendonça, professor de relações internacionais do Ibmec, em Belo Horizonte.

Nas questões de comportamento, Castillo é conservador. Ele é contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo e a legalização do aborto. Vai na contramão de todos os demais, principalmente do argentino Alberto Fernández, que tem forte apoio da comunidade feminista e LGBT.

No plano social, Castillo promete um sistema de saúde integrado, semelhante ao brasileiro SUS, algo que não existe no Peru. Também fala em facilitar o acesso à educação pública. “A grande incerteza é que as promessas que ele tem feito são grandes demais para o caixa que ele terá à disposição. Sem recursos, ele pode acabar como o argentino Alberto Fernández, que prometeu muito e não fez nada“, diz Mendonça.

Mesmo ganhando a eleição, o apoio de Castillo entre a população não chegará ao mesmo nível que presidentes bolivarianos como Hugo Chávez e Evo Morales tiveram no início de seus mandatos. Ele terá quase a mesma quantidade de votos de Keiko Fujimori. No Congresso, Castillo não terá a maioria necessária para mudar a Constituição, nacionalizar empresas e privatizar o sistema de aposentadoria.

Se confirmada, a vitória de Castillo pode até se tornar um ponto negativo para a esquerda na região, porque ele não conseguirá entregar tudo o que prometeu“, diz Mendonça.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Bolsonero poderia copiar o modelito do presidente peruano, combina com o estilo populista e endeusamento dos dois pelo gado cego

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO