Em posse, Ciro Nogueira diz que prepara terreno para 2022 e será ‘amortecedor’

04.08.21 17:17

Um dos principais expoentes do Centrão, Ciro Nogueira (foto) tomou posse na tarde desta quarta-feira, 4, como ministro-chefe da Casa Civil. O senador afirmou que assume a função com a missão de auxiliar o presidente Jair Bolsonaro e os demais integrantes do alto escalão a “preparar o país para chegar às eleições de forma certa.

Realizada no Palácio do Planalto, a cerimônia foi marcada pela pompa. Nas cadeiras próximas ao púlpito, estavam nomes graúdos da política brasileira, a exemplo do presidente da Câmara, Arthur Lira, correligionário de Ciro, e Valdemar Costa Neto, presidente do PL e condenado no Mensalão. Governadores, como o do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, também marcaram presença.

Temos agora, até o final do atual governo, um período que conduzirá às eleições de 2022 e é nosso dever preparar o país para chegar às eleições da forma certa, com a economia no prumo certo, com a política ajustada da maneira certa, com a vacinação garantida para todos os brasileiros, com um programa de assistência social certo para que os brasileiros não vivam momentos incertos e, principalmente, com os indicadores econômicos cada vez mais mostrando que o Brasil está no rumo certo“, discursou.

Ex-aliado de Luiz Inácio Lula da Silva, Ciro Nogueira fez questão de frisar que a verba do governo Bolsonaro prevista para o auxílio emergencial corresponde a cerca de 10 anos de Bolsa Família, principal programa de transferência de renda da era petista, e atribuiu a gestões anteriores a responsabilidade pela desigualdade social no país.

Fome e miséria. Não tenho vergonha de falar essas palavras. Temos vergonha de que elas continuem existindo e que tenham se ampliado na crise econômica que o senhor [Bolsonaro] herdou, iniciada em meados da década passada“, prosseguiu Ciro. “Não temos vergonha de falar em desigualdade social. Temos vergonha é que apesar dos que nos antecederam, ela continue existindo. E por isso que o governo lançará um ambicioso e amplo programa social com valores ainda mais altos“, completou, em tom eleitoral.

Em meio à escalada da tensão entre Bolsonaro e as instituições, Ciro Nogueira alegou que a política, por vezes, provoca “choques, tremores e abalos” e, assim, pediu que Bolsonaro o veja como um “amortecedor” de um carro. “Eu quero contribuir tal como aquele equipamento que pode estabilizar, diminuir as tensões, ajudar para que esta viagem seja mais serena, estável e confortável para todos“, pontuou, acrescentando que seu nome é “temperança” e o sobrenome, “equilíbrio“.

O líder do Centrão que, em 2017, chamou Bolsonaro de fascista e declarou que Lula foi o melhor presidente do país não citou as duas passagens em seu discurso de posse, mas usou o microfone para dizer que não vê problema em “mudar de opinião“. “Mudar de opinião não é contradição, desde que seja para melhor“.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
    1. Masmorra, que masmorra? a masmorra foi aberta pelo Moro e fechada pelo STF.

  1. Ciro Nogueira apoiará, qualquer presidente que abra as torneiras dos recursos públicos. O centrão não te ideologia, tem fome de dinheiro e poder. O pior de tudo, tem gente que vota e defende estes corruptos.

  2. Ciro "Nojeira" é o cara do Bolsonaro. Sabe fazer conta, já que é verdade que o auxílio emergencial corresponde a 10 anos do Bolsa Família do ex-presidiário Lula. O Lula corrupto, mesmo num cenário de bonança, preferiu roubar ainda mais, do que destinar mais recursos aos pobres. Mas Nojeira, co-presidente do Brasil, DEMOCRACIA LÍQUIDA E CERTA é incognocível. Bauman cunhou o conceito de "modernidade líquida", em que as relações sociais são frágeis e maleáveis, como os líquidos. É liquida ou certa.

  3. Não quero comparar a cena ao circo . Os artistas circenses trabalham duro , tem dedicação ao ofício , sabem agradecer aos aplausos e respeitam o público se são vaiados , transmitem alegria e os palhaços geralmente exibem nas caras maquiadas mais dignidade consigo mesmo, do que a falsidade oficial engalanada , que busca de repaginar-se entregando mais do mesmo .Vergonhoso ... Viva o circo !!!!!

  4. Discurso bonito, até parece que esses tralhas não participaram da construção da pobreza e desigualdade que existem no país.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO