Carlos Fernandodos santos lima

Um já foi…

13.11.20

“Políticos e fraldas devem ser trocados de tempos em tempos, pelo mesmo motivo.” Essa máxima, ora atribuída a Eça de Queiroz, ora a Benjamin Franklin, encerra uma verdade quase universal. A ela se junta outra também bastante famosa: “O poder corrompe, o poder absoluto corrompe absolutamente”. As duas mostram a essência da natureza humana e o quanto, justamente por isso, é preciso cuidar da institucionalidade da democracia, não a confundindo jamais com caudilhismo ou messianismo. O que importa são instituições e não pessoas. O poder não pode jamais tornar-se carne, sob pena de se tornar injusto.

Entretanto, temos dificuldade de perceber instituições da mesma maneira que vemos, cheiramos e ouvimos pessoas. Para serem percebidas como boas e necessárias, as instituições precisam se consolidar no imaginário social de modo que sejam consideradas como se sempre tivessem existido, fazendo com que a sociedade não compreenda outra estrutura social que não aquela que essas instituições representam. Mas a democracia brasileira ainda está longe dessa institucionalidade, pois é recente e incompleta, tendo muito a ser aperfeiçoada para que se torne efetivamente sólida.

Os exemplos de democracias consolidadas ao redor do planeta, inclusive, têm sofrido imensos ataques. O obscurantismo sempre existiu entre boa parte da população, que prefere recorrer ao preconceito, ao pensamento mágico e a um sentimento de pertencimento a um grupo, do que pensar sobre entidades abstratas como liberdade, justiça ou igualdade. Infelizmente, a internet deu voz a todas essas emoções negativas, permitindo a manipulação desses sentimentos por demagogos e populistas. Muito do que é certo em termos de políticas públicas e economia é contraintuitivo, e a ciência, para muitos, é uma questão de crença, não de método. É difícil navegar racionalmente nestes novos tempos, mas as instituições são a garantia de que desvios graves não serão aceitos.

Assim está acontecendo agora nos Estados Unidos, pois a tentativa de assalto às instituições democráticas por Donald Trump está fadada ao fracasso. Biden é o novo presidente americano e tomará posse em janeiro de 2021, independentemente do desejo de seu adversário, mesmo porque a democracia não depende da vontade de um eventual detentor do cargo de chefe de governo. Infelizmente, o egocentrismo de Trump o torna incapaz de ver que sua retórica do ódio perdeu as eleições. E não só a eleição majoritária, mas também a do Colégio Eleitoral; e perdeu por uma margem significativa em ambos. Tenta agora espernear, o que é livre, mas demonstra apenas a sua pequenez pessoal e seu desapreço pela democracia. Esse comportamento encontra eco nas hordas de seguidores fanáticos, estressando ainda mais um país bastante dividido.

Mesmo com tudo isso, a eleição de Biden traz ventos de esperança para o Brasil. Mas primeiro é preciso reconhecer a força política do pensamento conservador, tanto aqui quanto lá. Não se trata de um pensamento liberal clássico, respeitoso com a liberdade pessoal e defensor intransigente do livre mercado. Trata-se mais de uma negação ao pluralismo, centrando-se em supostos valores únicos da sociedade ocidental, essencialmente nacionalista e cristã, combinado com um antiesquerdismo obscurantista e rotulador. Enfim, temos aí um extremismo de direita que se contrapõe como num espelho ao seu simulacro de extrema-esquerda.

Mas, apesar dessa situação, fica claro que há muito espaço para um candidato de centro, capaz de conciliar um pensamento econômico mais moderno com a percepção de que o Brasil é extremamente injusto e desigual. Aliás, nem sequer esses pensamentos são exatamente opostos entre si. Um estado menor e que custe mais barato para os contribuintes, uma base de impostos mais justa, um sistema político partidário limpo com eleições mais baratas, distribuição direta às famílias de auxílios temporários para superar a pobreza extrema, educação pública de qualidade para equalizar oportunidades profissionais e um sistema de saúde informatizado e preventivo, tudo isso é moderno e pouco importa se de direita ou de esquerda. Precisamos de políticas que funcionem para a população. Não importa se a vaca é branca, preta ou malhada, mas sim que dê leite.

Também precisamos, depois de dois monumentos intelectuais que foram Dilma e Bolsonaro, de um presidente capaz de formar uma frase completa com sentido, baseada em dados técnicos e na melhor ciência. Alguém capaz de reconciliar a política com a moralidade pública, desfazendo essa relação incestuosa entre o interesse público e o privado. Não se trata ainda de estabelecer um candidato centrista, mas de discutir, como recentemente fizeram Moro e Luciano Huck, o futuro deste país. Tudo o que não precisamos agora é novamente um embate entre extremistas como foi na última eleição. Não podemos mais precisar tapar o nariz para votar no candidato menos malcheiroso.

A escolha de Biden foi justamente essa busca pelo centrismo. Foi a de uma figura que, se lhe falta carisma, transmite segurança, se lhe faltam arroubos retóricos, inspira confiança, se lhe falta o vigor da juventude, traz a experiência. Como ele mesmo afirma, é um político de transição para uma nova geração, mas principalmente é um político da reconciliação com as instituições democráticas, republicanas e com a ciência, tudo aquilo que também sempre inspirou a república brasileira. Um candidato centrista pode não entusiasmar, mas agora precisamos mais de políticos que sejam confiáveis, inteligentes, capazes de ouvir e ponderar opiniões diversas — e que, principalmente, sejam moralmente íntegros, qualidades que de nenhuma forma se aplicam a Jair Bolsonaro.

A mensagem que fica é que precisamos da mesma vacina aqui no Brasil, e não estou falando da vacina da Covid, tão necessária. Precisamos de uma vacina contra o ódio e contra o preconceito. O Brasil tem que se curar dessas doenças que colocam em risco a democracia e a saúde pública — incluindo a saúde mental dos brasileiros. Não se trata de transigir com o errado, nem aceitar a realidade política como ela é, mas de caminhar para mudanças dentro do sistema, mesmo que mais lentamente do que gostaríamos. Para isso, como nos Estados Unidos, é preciso demitir o presidente. Jair Bolsonaro, assim como seu reflexo na extrema-esquerda, Lula, não podem voltar a governar em 2023, pois suas retóricas são de exclusão e revanchismo. Precisamos voltar a ter diálogo e esperança: um já foi, e agora cabe aos brasileiros demitir o outro e colocar uma pessoa centrada no lugar.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Vau te catar esquerdista! Realmente muita coisa no mundo é contra intuitiva e vc não percebe isso. Inclusive o momento político atual (pois não se trata de obscurantismo e sim das elites intelectuais q se deformaram “mentalmente” em suas bolhas). Dizer q o discurso de ódio perdeu nos EUA é ignorar deliberadamente todo discurso de ódio CONTRA o Trump ao longo dos últimos 4 anos (s/ entrar no julgamento do Trump em si... apenas observando os fatos... ou ódio do bem pode?).

  2. Carlos Fernando tem ideias políticas claras, bem sedimentadas e as expressa valendo-se de metáforas bem ao ponto. Suas crônicas amenas e muito adequadas ao momento atual e nos ajudarão a fazer uma boa escolha do próximo presidente do Brasil. Ajudemos a divulgá-las.

  3. É verdade. Infelizmente não gostaria de dizer isso, mas, nosso presidente não tem condições psíquicas de se manter no cargo. Não apenas devido ao seu transtorno mental (muita gente capacitada é ativa mesmo com uma doença mental porque se cuida). O problema de Bolsonaro é que vive em constante negação de sua incapacidade. Por isso, adota postura, irresponsável, imoral, antiética, inconsequente. Um perigo à nação!

  4. não me canso de pensar, o MPF perdeu um grande procurador, mas nós assinantes ganhamos um fabuloso colunista parabéns pra nós

  5. Vivemos dias de perplexidade,desorientação diante de fatos lamentáveis da postura do ch do nosso executivo.Nossa democracia saberá expor seu grau de indignação em 2022.Por isso que,nós eleitores devemos dar prioridades a candidatos que tenham preocupações universais e não apenas a um determinado grupo,elegendo governos que respeitem as liberdades politicas e civis básicas,isso já engradece a democracia e por tudo isso vamos reunir o fortalecimento da nossa democracia, a métrica é Dr Sérgio Moro.

  6. estou achando que engrossou o time dos lulistas em termos de comentários de críticas injustas. Pra mim, bolsonaristas e lulistas são filhos da mesma mãe, porém com pais incógnitos diferentes... E quem está criticando, numa terceira via está seguindo o mesmo compasso de ódio e fora da casinha.

  7. Com licença Plinio e os demais: Um dos textos mais lúcidos..., Bolsonaro e a maioria dos congressistas tem que ser demitidos... e todos os outros excelentes comentários. Aprendemos, tomara, a não ir atrás de conversas de mentirosos e conhecer a fundo a biografia dos próximos candidatos.

  8. Sempre concordo com seus artigos! Hora de buscar equilíbrio e seriedade , vimos que o extremismo só nos prejudicou. Temos 2 anos de lutas e consensos para achar uma chapa ética e competente. O Sr.juntamente com Moro poderiam fazer parte desse time...

  9. precisamos demitir não só o Bolsonaro, como pelo menos a metade dos que ocupam a Câmara e o senado para que a coisa funcione. Nenhum presidente por mais centrado e bem intencionado que seja consegue governar verdadeiramente para o povo com esses corruptos que estão aí

  10. Um dos textos mais lúcidos e bem escritos que já li sobre o panorama atual e o que se avizinha. O desafio é, não só encontrar um nome centrado (e não do Centrão!), mas conseguir que este nome tenha um suporte poderoso de indivíduos alinhados ao seu perfil decente para o proteger e fazer frente a todos os ataques poderosos que vai enfrentar.

  11. Perfeito esse raciocínio. Difícil é transmitir essa mensagem aos eleitores tão cansados e maltratados pelos últimos eleitos. É uma verdadeira batalha que teremos que travar juntos para principalmente plantar ideias de pacificação e união...Parabéns e sucesso...

  12. Concordo com seus comentários. Depois de Dilma e Bolsonaro, será que já não é hora de termos um presidente que tenha um mínimo de preparo e tenha condições de governar sem macro amarras, como as corrupções da gente do PT, ou as micro amarras, como os malfeitos dos filhos do atual presidente? Bastaria fazer o simples: governar com eficiência, honestidade e transparência. Seria pedir muito?

    1. >> Defender o CORRETO, ser correto, com sempre diz o Dr. Sergio Fernando Moro. ... Basta isso pra ter autoridade pra enfrentar o que vier pela frente.

  13. Parece-me meio prematuro cravar uma análise política do resultado das eleições americanas do tipo “centrismo ganhou” numa corrida apertada, que os institutos diziam que seria com folga. Especialmente porque não apresentou nada que sustente a conclusão em questão. Nenhum dado do eleitorado, comparação com dados dos eleição passada, paralelo com os resultados para o legislativo, contexto da peculiaridade dos estados revisores, nada. “Pulled that right out of your ass “, como eles costumam falar.

    1. Não exatamente. Acho que ele incorreu em erro ao qualificar os EUA com extremistas de direita. Nada a ver com a realidade americana. O anti-esquerdismo a que ele se refere é na verdade uma repulsa generalizada, entre os americanos, aos regimes totalitários de qualquer matiz. A sociedade americana é pluralista e diversa. Os resultados da eleição devem ser vistos por esse prisma. Não se espera um “salvador da pátria “ mas alguém que tenha capacidade gerencial. Biden é Trump são capazes.

  14. Excelente seu comentário. Única dúvida: Luciano Huck. Ele tenta se aproximar ao Sergio Moro para tirar vantagem própria? Não confio num entrevistador da TV Globo sem experiência política. Quanto ao Sergio Moro como candidata ao PR, é de esperar que ele aceite. Pode ser a solução mais sensata para mudar esse circo brasiliense lastimável, corrupto e oneroso.

    1. Cancela nada. Você vai continuar aqui enchendo o saco. Bozomerdas não passam sem O Antagonista!

    2. Democracias levam tempo pra amadurecer. Estamos no caminho , haja paciência .

    3. Quem vai sair perdendo é você, meu caro... Aqui, você encontra verdade e lucidez. É preciso encarar a realidade, por mais dura que ela seja! Nós votamos em Bolsonaro pra evitar a volta do PT. Infelizmente, ele também se mostrou leniente com a corrupção e nós não precisamos aceitar isso só porque votamos nele! Agora, se você quer viver na ilusão, "Os Pingos nos Is" oferece um discurso esquizofrênico sobre um presidente lindo, maravilhoso e inexistente de graça. Qual "pílula" você quer tomar?

  15. Brilhante o texto de um dos principais Procuradores da lava jato. Eu já o acompanhava em suas entrevistas quando ele estava na ativa na PGR. Acompanho a Crusoé quase desde o seu início, muitos escrevem bem e com tanta lucidez e conhecimento mas esse Dr.Carlos está demais. Temos que transformar as suas palavras num CARTILHA a ser seguida para termos um país melhor.

  16. Excelente análise, perfeita.Parabéns Dr Carlos Fernando, ilumina um pouco a minha desesperança e a de muitos brasileiros honestos.

  17. Já temos um candidato à Presidente: Moro e outro para Ministro da Justiça: Carlos Fernandes! Somente assim este país irá minimizar a governança da Orcrim.

    1. Super apoiado, Dr Carlos é muito gabaritado e no nível do nosso favorito Dr Sérgio Moro

  18. Comecei a tomar doses de vacina quando comecei a assistir vídeos de audiências do então Magistrado Sergio Moro. ... Continuei com 'doses' quando ouvi suas palavras em várias ocasiões. ... Quando o mesmo chamou o jornalista Augusto Nunes de Senhor - civilidade. ... Quando também disse: 'Não estou à venda'. ... Seus textos aqui na Crusoé. .. Quero continuar precisando de vacina. ... Sergio Moro e Santos Cruz - não por este ser militar, mas por sua integridade. ... uma chapa "sanitária" ...

    1. Sim, excelente texto! Viva a Crusoé! Vamos ajudar a divulgar essa revista!

  19. Falou. E disse muita coisa. Meus cumprimentos ao Dr. Carlos Fernando dos Santos Lima, que muita falta faz ao Ministério Público Federal.

    1. Raimundo, você me desculpe, mas não concordo com Álvaro Dias nessa lista... Eu acompanhava as Plenárias do Senado em 2004, quando estourou o escândalo do mensalão. Esse senhor fazia discursos eloquentes contra a corrupção, mas nunca fez nada pra tirar Lula do governo! Nunca protocolou um pedido de impeachment, e, como resultado, tivemos a reeleição do bandido, ao invés da cadeia... Álvaro Dias só tem conversa, discurso, mais nada a oferecer ao Brasil...

    2. Essa chapa tem meu apoio, com a inclusão do - Santos Cruz na Chefia do Gabinete Civil, com a troca de todos os deputados, senadores, prefeitos e vereadores corruptos e ímprobos.

  20. O texto é perfeito , lava a alma ! Só que todo o imbróglio em que estamos envolvidos não se resolve só com um Presidente e seu Vice !Nem que fossem super homens ! A participação política deve ser maciça , de todos .. nos diversos segmentos , de baixo pra cima e não o contrário ! Há que haver um começo , um ponto de partida . Envolvimento . Porque não há mágica possível ! Que de conta de tanta precariedade . De tudo. Mãos à obra portanto . Depende também de nós .

  21. Como disse o filósofo, “ Políticos e fraldas devem ser trocados de tempos em tempos, pelo mesmo motivo. “ Precisamos fazer isso.

  22. "Eleições mais baratas.." taí algo em q ninguém fala.. e precisa.. É imoralzinho o gasto em quase tudo q diga respeito à política e políticos aqui neste br. Quanto a não precisar tapar o nariz pra escolher.. o senhor cita huck.. o apagador de "fotos inconvenientes".. q se diz da tchurma de maia.. Nariz continuaria num mundo adverso.. Não creio, nem quero, um salva pátria perfeito como sempre aparece.. socorro.. mas, tbém não precisamos começar tão errado.

  23. Um já foi. Pra acabar com aquele risco, assumimos outro. Agora, em 2022, que surja uma alternativa de paz pra ajudar o país a se desenvolver em harmonia com o mundo, sem corrupção, sem impunidade, e com um pouco de respeito e educação pelo sofrido povo brasileiro.

  24. É um alento ler seus artigos. Direto ao ponto. Mais uma vez reitero:- o senhor deveria contemplar a possibilidade de concorrer a um cargo eletivo . Estou em busca de gente centrada, com espírito coletivo , pragmática e bem intencionada. Que tal pensar nisso? Se é que já não tem esse objetivo

  25. Pena que, no Brasil, o povo gosta é do quanto pior, melhor. Não tem nenhum povo que idolatra políticos como os brasileiros. Dá dó.

    1. Exatamente. Estou gostando muito destes artigos que vão direto ao ponto m

  26. Caro Fernando, com todas as informações que os senhores tinham acesso, com o Exército tendo trabalhado na segurança do Rio de Janeiro, com os colegas de trabalho de vocês, como puderam ajudar a eleger esse indivíduo. Os senhores foram nossa primeira experiência de justiça. Como o Sr Sérgio Moro se prestou a fazer parte desse grupo. Repito os senhores nos trouxeram esperança, alegria, valores, cidadania, é triste imaginar que vamos retroceder.

    1. Na verdade, Moro foi enganado, assim como nós. Que Bolsonaro era ignorante, incompetente, destrambelhado, mal-educado, limitado e truculento, eu já sabia... Só que eu achava que ele era honesto, diferentemente do PT. Eu só votei nele por isso... Pois ele mostrou que nem honesto ele é! Fomos todos enganados! Vamos pegar nossos votos de volta em 2022!

    2. Moro se enganou. Não imaginava que estaria no governo de um miliciano paranoico. Cometi o mesmo erro......

    1. Com certeza! Já basta de aventuras e figuras dúbias no governo...

  27. Será que terei tempo de ver estas mudanças? Precisamos mesmo de um novo Brasil. Excelente artigo; que se faça eco suas palavras.

    1. O senhor fala, analisa e condena como um rei!! Aguarde o governo do bidê nos USA é depois conversaremos!! Rei Sol!!

  28. Excelente reflexão.Lula ou Bolsonaro resume a estupidez, baixo nível, corrupção, mentira, psicopatias e tudo que não presta no seu entorno. O Brasil merece um Presidente que fale o Português correto, respeite as diferenças e que sua família seja íntegra, pra começo de conversa! Chega de ofensas! Fora Bolsonaro! PR vergonha pra todos brasileiros de bem!!

    1. 👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼

  29. No que se refere as eleições dos EUA, minha opinião é que se existe indícios de falcatrua, isso deve ser apurado. Democracia não é aceitar qq coisa. É preciso haver lisura no processo. Se nada for provado, vitória do Biden; mas se crimes foram cometidos, deve haver punição exemplar para que os EUA continuem sendo o benchmark do mudo democrático.

  30. Sua coluna ê a melhor atualmente na Crusoé. Sua visão do problema maior do Brasil é tão lúcida e transparente que qq pessoa honesta com QI > 1 não poderia descordar. Precisamos de pessoa como você na nossa política. Proponho que concorra ao senado e serei seu cabo eleitoral. Precisamos de gente honesta e séria no comando desse país. O Moro deveria fazer o mesmo, assim como outras pessoas preparadas e bem intencionadas do nosso país. Salim Mattar, por exemplo. Pessoas boas para mudar o Brasil.

  31. O articulista está eivado de razão - ela, a razão, haverá de triunfar! Basta de salafrários despudorados, panfletários, boquirrotos, estelionatários eleitorais...vaza Bolsonada!

    1. Lucidez, equilíbrio, honestidade, bom senso e vontade de fazer. Simples assim para começar. Apoio a dupla, para um recomeço. VIVA O BRASIL. O Brasil é muito maior q esta escória q está dominando o poder público.

  32. Falou tudo! O duro é sonhar com 2022 em que não haja extremismos, com um provocador que é como um bombeiro permanentemente com a mangueira de uma bomba de combustível, ao invés da do caminhão-pipa. Tomara que as pessoas cansem e pressionem - através dos números - por abandonar essa odiosa estratégia.

    1. Eu acho que termina... Precisamos cuidar, porém, para que ele não continue depois de 2022! O Brasil não aguenta mais outro governo como o dele ou do PT: CHEGA, pelo amor de Deus!!!!

  33. Em 2022 SÉRGIO MORO “PRESIDENTE LAVA JATO PURO SANGUE” é nossa resposta ao ACORDÃO de BOLSONARO com o ESTABLISHMENT! Não seremos LUDIBRIADOS com o “velho plano de MELHORAS NA ECONOMIA!” Triunfaremos!

    1. Pode ser que o artigo, muitíssimo bem escrito e nem mesmo de difícil compreensão, não consiga se fazer entender por algumas cabeças. Das duas, uma, Franciscoi, inveja profunda ou analfabetismo funcional. Só pra traduzir resumida e rasteiramente é mais ou menos disso que trata o artigo. Entendeu?

  34. E Procurador Carlos Fernando, que boa notícia seria a sua participação nas eleições em 2022, disputando uma vaga no Senado. Pense nisso.

    1. Magna excelente sua observação em relação a Francisco. É difícil aceitar que exista gente como o cidadão citado. Parabéns Dr. Carlos, brilhante seu comentário.

    2. Pelo RJ? Teria meu apoio. Aqui os senadores são sofríveis há décadas.

  35. Parabéns! Mais uma vez, na mosca! E esse texto especialmente, devia ser lido e reproduzido semanalmente nos veículos de comunicação sérios; até entrar no entendimento dos brasileiros, cada vez mais! Nos futuros comícios, esse texto será novo e atualíssimo! UMA VERDADEIRA BOA NOTÍCIA!

    1. Perfeito, vamos compartilhar em tudo. Várias vezes. Concordo em tudo.

  36. Dr Fernando, você nos mostra a luz no fim do túnel, nos dá esperança; ADORO sua coluna. São os itens mínimos e necessários se quisermos ter um país melhor.

  37. Muito obrigado, o seu artigo mostra que o equilíbrio e a sensatez são o melhor caminho, sempre. Política é a arte de encontrar uma solução por meio do diálogo, e o melhor diálogo oferece as melhores soluções.

  38. Chato é o Moro não querer. E é necessário agora uma pessoa com cultura. Coisa que o outro aceita com um pouco de maionese.

    1. Quem lhe disse que Moro não quer? Ele, e ninguém sério em torno dele, disse nada sobre isso. Mas os adivinhômetros sabem melhor.

  39. Enquanto não demitirmos nosso sistema político parasitário e não educarmos a população, muito pouco de fato ocorrerá. Torcer pelo Brasil é estar sujeito a uma eterna decepcao.

  40. Caro Carlos Fernando: toda vez que leio sua coluna fico pensando que candidato entusiasmante o senhor seria e como o senhor gabarita todos os quesitos discutidos no seu artigo. Grande abraço e parabéns.

    1. Kkkk, os comentários demoram alguns minutos pra entrar, é só isso, Cristiane! Tenha calma e equilíbrio, que você vai ver seus comentários publicados.

    2. Só "fake news" meu comentário anterior contrário, claro, não apareceu...

    3. Assunto tratado de maneira esquerdopata, guarde e aguarde 21 de janeiro. Vergonhosa manipulação.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO