A guerra de Doria

15.03.19

O desconto no pagamento de ICMS que o governador de São Paulo, João Doria, vai dar às montadoras automobilísticas que se instalarem no estado foi visto por outros governadores como uma declaração de guerra fiscal. A medida, idealizada para compensar o fechamento da Ford em São Bernardo do Campo, já sofre ataques em Brasília. O governador goiano, Ronaldo Caiado, levou a questão ao ministro da Economia, Paulo Guedes. Caiado teme que a Mitsubishi deixe Goiás e se instale em São Paulo. Ele tem falado até em retaliação política. O governador é do DEM, mesmo partido do vice paulista, Rodrigo Garcia. O partido é estratégico para o projeto presidencial de Doria em 2022.

Agência BrasilAgência BrasilA ousadia do tucano Doria tem incomodado até aliados aliados

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Taí, nessa eu concordo com ele. Tem estados com ICMS menores, então é isso mesmo, a concorrência é boa pra quem ganha menos, sempre tem uma oferta pra pobre aproveitar.

  2. Concorrência é sempre bom para os clientes. Melhora qualidade e preços. Neste caso, reduz impostos, o que é SEMPRE bom. Essa concorrência fiscal entre unidades da federação tem que existir e ser incentivada. E entre municípios também.

  3. Igor, voce melhorou neste assunto. Trouxe-nos a informação. Isto nos basta........comentários, análises de jornalistas.......mamma mia ! não precisamos......agora é ridículo dar-se vantagens fiscais para industrias continuarem fazendo as mesmíssimas coisas.....isso se justificaria com projetos para carros movidos a eletricidade , projetos para carros autônomos e assim por diante...Dória , no caso, é a vanguarda do atraso.

  4. Incentivos fiscais é bom, mas manutenção da”coisa publica”é melhor. Respeito aos eleitores, melhor ainda. Pontes enferrujadas, ruas esburacadas, bairros sem cuidados; cidade de São Paulo com “macarrões” de cabos estreitando o céu. Quando conseguir instalar alguma montadora no lugar da Ford, vai reinstalar os operários? A cidade vai comportar mais habitantes ? Isso para começo de conversa. Não é só atrair alguma industria com incentivo. Precisa vender o produto.

  5. Aqui não é o 5ºdos infernos, é uma panela de pressão com a válvula entupida. ICMS,PIS,CONFINS,IPI, IOF, e tantos isss . Não irão resolver, porque irão perder o pixuleco, mesadinha, aposentadoria suíça. O que os mercenários não sabem, é que o Paraguai é nosso vizinho, e os soldados só irão sair, quando a população decidir.

  6. O Doria está certo. O governo tem de criar incentivos fiscais para as empresas e são elas que trazem emprego e desenvolvimento, e no final das contas quem ganha é o consumidor com essa concorrência. Claro como água de rocha.

  7. Que não nos esqueçemos de nada !!!! Nós,pobres mortais, não temos acesso às " informações de gabinete Somos diuturnamente " "presenteados " com novidades,que visam - sempre - presentear algum nicho político.Para nóis - povo - na,na,ni,na,na,não!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  8. São Paulo está perdendo indústrias em todos os setores. Se a produção estivesse aumentando mas não está o Brasil está com a indústria estagnada. A guerra é pior que uma guerra fiscal é para sobrevivência.

    1. São Paulo está perdendo, e no Brasil...acabou. Graças aos 16 anos de desgoverno petista.

    2. TANIA: Eis alguns fatores: 1 - Sindicatos; 2 - Malha de impostos enormes; 3 - Economia industrial estagnada; - 4 - Real problema é a Politica; 5 - Enorme capacidade ociosa automobilística e muitos fabricantes; 6 - Argentina em crise afeta exportações; 7 - Ford já vinha com obsolescência de alguns produtos (caminhões, p.ex.), etc...

  9. Está certo o Doria. Caiado reclama , mas esquece que o estado dele tem ICMS de valor menor que sp. Isso também não é “guerra fiscal” ?

    1. Aleluia! Tem mais gente no planeta Brasil que enxerga isso! Tá mais do que na hora de abandonar essa terminologia enganadora de "guerra fiscal". Estado mais eficiente, que cobrar menos impostos, leva! Competição saudável por eficiência. Obrigado, Juliano.

  10. O ICMS é tributo estadual, portanto, cada estado da Federação tem a discricionariedade de criar incentivos fiscais, ou não, com base neste tributo. Dória, por outro lado, é empresário, e como empresário, sabe que atrair grandes montadoras irá trazer dividendos para seu estado. Ele está certo. Se os outros estados da Federação acham injusto, então que criem incentivos fiscais também. Obviamente que muitos deles, como por ex. RS e RJ estão falidos, mas isso é problema deles e não do Dória ou de SP

  11. Há muitos anos que as montadoras do país recebem incentivos fiscais e redução de impostos em troca de "gerarem empregos" e "riqueza".Pois bem,isso na verdade não ocorre.A maioria das fabricas são automatizadas e geram muito menos empregos do que prometem.É hora de cortar essa mamata.Querem sair do país?Saiam

    1. De acordo. De quebra, zerem o imposto de importação sobre carros. Estou cansado de pagar para encher os bolsos de montadoras multinacionais ineficientes.

Mais notícias
Assine 50% off
TOPO