RuyGoiaba

Gosta de cultura, jovem?

01.02.19

“Quando ouço falar em cultura, saco logo meu revólver” deve ser uma das frases mais creditadas ao autor errado em todos os tempos. Se vocês jogarem na busca do Google, provavelmente vão encontrá-la atribuída a Goebbels, Himmler ou ao próprio Hitler –e parece, de fato, o tipo de coisa que só um nazista bem nazistão diria.

A frase também é bastante parodiada –no filme “O Desprezo”, de Godard, um produtor de cinema diz que ouve falar em cultura e saca logo o talão de cheques. Na verdade, é um trecho de “Schlageter”, peça de Hanns Johst, dramaturgo ligado ao nazismo –e o original é ligeiramente diferente, algo como “quando ouço a palavra ‘cultura’, solto a trava de segurança da minha [pistola] Browning”.

Tudo isso me veio à cabeça quando li, na coluna de Sonia Racy, que a Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo terá um “assessor de hip hop”. Parêntese explicativo: o prefeito Bruno Covas, que é tucano, nomeou para o cargo Alê Youssef, “agitador cultural” do Baixo Augusta, ex-colaborador do programa de Regina Casé e, provavelmente, mais haddadista que a mãe de Fernando Haddad.

Em seus primeiros dias na secretaria, Youssef já chamou a jornalista e clubber Erika Palomino para dirigir o Centro Cultural São Paulo –o que faz supor que o próximo passo será chamar Facundo Guerra, outra figura da “night”, para transformar a Biblioteca Mário de Andrade numa balada— e instituiu o tal cargo de assessor de hip hop, para o qual convidou o rapper Xis, autor da obra-prima “os mano pow, as mina pá” (infelizmente, não é “os mano Poe, as mina Plath”).

A pergunta é óbvia: por que só o hip hop ganhou uma assessoria? É por causa da “importância do hip hop na periferia”? Ora, e o assessor especial para assuntos de pagode? Para a capacitação do sertanejo universitário? Para os tocadores de “Tears in Heaven” na flauta boliviana? Que discriminação é essa? E, se é para gerar emprego, por que não um assessor para o hip e outro para o hop?

Na verdade, não é que eu saque meu revólver nem meu talão de cheques quando ouço falar em cultura (não ando armado, muito menos com dinheiro). É que, quando esse pessoal hipster e descolado do Baixo Augusta e adjacências –região que uma amiga chama de Vila Blaselândia—chega pra mim gritando CULTURA!, a única reação possível é sair correndo, como a gente faz com aqueles caras da Vila Madalena que nos abordam perguntando “gosta de poesia, jovem?”.

Vou adotar como padrão a reação de um conhecido que certa vez, abordado por um desses “dramaturgos de rua” querendo vender suas criações, respondeu que não gostava de teatro. O Nelson Rodrigues da Mercearia São Pedro tentou argumentar algo como “teatro é cultura, hein, amigo?” –ao que meu conhecido respondeu “eu não gosto de cultura também!”.

Ninguém aqui gosta de cultura, talquei? A gente só finge.

***

A GOIABICE DA SEMANA

O vídeo da palestra que Damares Alves deu numa igreja em Mato Grosso do Sul em 2013 é uma overdose de goiabices. Além de se apresentar como “mestre em educação, direito constitucional e direito da família” sem ter mestrado –alegou depois que era um “título bíblico”–, disse que os pais na Holanda são instruídos a “massagear sexualmente” seus bebês (o que indignou os holandeses) e falou em hotéis-fazenda de “fachada” para quem quer “transar com animais”.

É o amor que não ousa zurrar, latir ou cacarejar seu nome.

ReproduçãoReproduçãoDamares adverte: nada de assediar as cabras quando você for ao hotel-fazenda

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Nossa, vc leu meu pensamento, Ruy. Fiquei passando mal quando li que Bruno Covas colocou o Baixo Augusta no comando da Secretaria da Cultura Acredito que nosso prefeito tenha se inspirado em Alckmin e queira colocaborar para o processo de extinção da tucanagem- que é o que ocorre quando tucano se comporta como petista, afinal, não há nada que possa irritar mais os eleitores do PSDB do que esse tipo de coisa

  2. A cultura dessas bestas do PSDB (Bruno Covas) é uma perda de tempo tão grande, que sugiro eessas bestinhas vão lamber sabão.

    1. Na dúvida sobre o conceito que tens do vocábulo "literatura", meu caro Ophir.. recomendo-lhe a leitura do texto "Longa noite", no livro recomendado à página 431. Ah! E não passes batido pela apresentação do organizador Moura Brasil... Lá ele espeta: "Se você quiser obedecer ao comando e maldizê-lo sem ler ou fugir, fique à vontade. Olavo de Carvalho não é para frouxos." (pág.20).

  3. É aí que eu recomendo Olavo de Carvalho e o seu " O mínimo que você precisa..." E aviso aos incautos: é literatura para quem sabe ler...

    1. com todo respeito ao felipe moura brasil, isso nem livro é, um catado de textos desconexos que sai de lugar nenhum e chega no nada, pura verbogarragia pretenciosa do filoso brasileiro.

  4. No Brasil criaram a Lei Rouanet para incentivar a cultura dos amigos do Rei.Deu filme "Lula o filho do Brasil",exposição de "O cú é lindo"e homem nu em palco para ter genitálias tocadas por crianças.Teatros vazios e Museus incendiados.No Brasil quando ouço falar cultura grito:pega ladrão!É herança da esquerda de Granscci.Pode não gostar da Ministra Demares,mas pedofilia,assassinato de crianças vivas pelos indígenas,zoofilia,estrupo de crianças pelos padrastos,só não vê cínicos,bispos e cúmplices

    1. Vi no seu texto mais do que "estrupo" e "cú". Os "cúmplices" demonstraram conhecimento de ortografia, mas você está certo no que disse... pelo menos na minha opinião e na de quem é avesso à "esquerdalha onipresente"...

    2. O cu pode estar no assento, mas não tem acento, caro escritor.

  5. Diante do que se fez no Brasil na era lulo-petista, prefiro eventuais exageros conservadores da Ministra Damares, do que continuar a ver uma lenta e degradante inversão de valores sociais.

    1. Não é exagero não, é a mesma coisa que os Petistas faziam, só troca o lado da charlatanice!!

  6. cargo de Ministro não é para qualquer um. O Brasil não carece de tanta desinteligência. O custo ao Governo está aumentando.

    1. Tá mais para se correr o bicho pega, se ficar o bicho come. Estamos irremissivelmente perdidos..., não há esperança que sobreviva a Damares, Gimares, Rennas, Maias, Toffolis, e tantos mais

  7. Essa Damares foi o primeiro tiro no pé do Capitão. Despachem logo essa pessoa, antes que cause estragos maior na imagem do governo.

    1. Concordo em gênero,número e grau. Demissão p Damares, não tem QQ envergadura p assumir um cargo de ministra. É um contrasenso!! Essa senhora me dá vergonha alheia!!

    2. Pode até ser bem-intencionada, mas a conduta espalhafatosa não ajuda em nada. Também concordo que foi um tiro no pé dado pelo capitão. Infelizmente não vislumbro um modo dela ser afastada. Ministro de Estado precisa demonstrar seriedade e não ficar pulando e gritando "menina veste rosa e menino veste azul"!

    1. "Quase uma Dilma" ..hahaha! Ótima essa. É serve pra muitas outras que estão por aí.

  8. ELA PARECE SER BEM LOUCONA MESMO, MAS PODE SER QUE O BRASIL ESTEJA PRECISANDO DE UNS MALUCOS PARA VER SE MELHORA UM POUCO KKKKKK

  9. As vezes acho que a Damares foi nomeada para criar uma cortina de fumaça, tipo deixa ela criar polêmica, e o pessoal esquece um pouco do presidente, seus garotos, etc.etc

  10. As afirmações dela, citadas, não são incorretas. Holandeses não devem ter ficado irados não; isso existe, sinto desmentir a goiabice. O mais importante não são os fatos, na visão destrutiva do goiaba, mas acusar a ministra de ter se intitulado mestre sem ser. O que importa é desprestigiar a pessoa dela, desimportando o rumo de decência que quer imprimir à sua Pasta. Que enganação; ficar sobre o muro seria menos desonesto com os leitores, que compraram gato por lebre.

    1. Terrível esse seu amor pela desequilibrada. Coitado! Onde vc foi amarrar o seu burro hein?

    2. Na verdade você é um goiaba cascão , quando fala de Damares , que realmente se importa com a infância...

    1. Defina ignorância. Tem a ver com a "cultura" idiotizada do artigo?

    2. A cultura, tal como é tratada neste caso, é uma questão desimportante. Portanto deixá-la nas mãos de ineptos e incapazes faz todo sentido. Sou da geração que estudou português gramática matemática geometria física química biologia história e geografia.

  11. Eu nao entendo o que deu no Bruno Covas pra nomear um Psolista pra pasta da cultura. Esse Youssef já veio palestrar no ano 2000 na minha escola quando foi candidato a vereador pelo PT (escolas particulares adoram dar espaço pra esquerdistas), só que naufragou nos votos. Quando eu acho que nunca mais vou ouvir falar num imbecil desses (o lema de campanha dele era: "qual é a sua tribo?"), aí vem o prefeito, que só está no cargo por conta do voto anti petista, e começa a esquerdar a administração.

  12. A primeira coisa que faço ao acessar a Crusoé é ler sua coluna. A tirada "os mano Poe, as mina Plath" foi genial. O termo cultura não significa mais nada. Nossos teatros e museus e bibliotecas, quando não ardem em chamas, são digeridos por ratos, os roedores e os engravatados.

  13. Se o Bolsonaro queria um ministro pra desviar o foco da imprensa marrom e represar as possíveis crises vindouras, conseguiu, e com mérito!

    1. As citações de autores estrangeiros sao mesmo necessárias? Está mais do q na hora de alguém tomar uma atitude com respeito a Damares.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO