Marcos Corrêa/PRBolsonaro e Braga Netto assistem ao desfile ao lado dos comandantes militares: ideia tresloucada

O general aloprado

Jair Bolsonaro encontra no ministro da Defesa, Walter Braga Netto, o parceiro que faltava para dar vazão a suas fantasias antidemocráticas. O perigo está evidente
13.08.21

Ao assumir o Ministério da Defesa em abril deste ano, o general Walter Braga Netto virou o tarefeiro predileto de Jair Bolsonaro. A relação com o presidente vai além do “um manda, outro obedece” personificado pelo ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello. Hoje, no Palácio do Planalto, Braga Netto obedece ao presidente antes mesmo de ele mandar. O desfile dos blindados fumacentos na terça-feira, 10, foi um exemplo dessa, digamos, subordinação sem reservas. Calculada para afrontar simbolicamente o Judiciário e intimidar o Legislativo, que votaria horas depois a PEC do voto impresso, uma pauta bolsonarista criada para lançar dúvidas sobre as eleições do ano que vem, a carreata mostrou que o presidente não está sozinho na alopragem.

Não foi a primeira tentativa do presidente de dar uma demonstração de força com tanques na Esplanada dos Ministérios. Em março do ano passado, Bolsonaro levou a proposta ao então comandante do Exército, Edson Pujol. Só que o general se negou a obedecer a ordem, e foi bancado pelo então ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva. O restante da história já é conhecido: por não capitular a esses e a outros devaneios do comandante em chefe, Azevedo e Silva acabou exonerado em março deste ano. Em sua nota de despedida, disse ter atuado com o objetivo de preservar “as Forças Armadas como instituições de Estado”.

Parecia um prenúncio do que estava por vir. Na sequência, os comandantes do Exército, da Marinha e da Aeronáutica decidiram colocar seus cargos à disposição, mas foram surpreendidos ao saber pelo recém-anunciado ministro de Defesa que já estavam sendo exonerados. Por causa do mesmo personagem, Braga Netto, a história foi diferente nesta semana. A chamada Operação Formosa é realizada anualmente pela Marinha desde 1988, com o objetivo de preparar os fuzileiros navais para eventuais combates. As tropas e os veículos são deslocados do Rio de Janeiro até o município goiano de Formosa, a 75 quilômetros de Brasília, onde funciona um campo militar com espaço adequado para as simulações. Ninguém nunca deu muita trela para o treinamento nem para os tanques antiquados que eram utilizados lá. Até que Braga Netto resolveu executar a ideia que povoava as fantasias de Bolsonaro, mudou o percurso do comboio e ordenou uma volta pela Esplanada, no que foi um dos episódios mais patéticos da história recente do país.

A ordem para a Marinha desviar os tanques e lançadores de mísseis partiu do Ministério da Defesa ainda na sexta-feira, 6. Falando em nome do presidente, Braga Netto determinou ao comandante da Marinha, o almirante de esquadra Almir Garnier dos Santos, que o roteiro fosse alterado. Garnier abraçou a causa de pronto e fez circular a versão de que a ideia partiu dele. Àquela altura, os veículos com motores a diesel descalibrados já estavam em Formosa e tiveram de dar meia-volta. Ao mesmo tempo, como num jogo combinado, o presidente da Câmara, Arthur Lira, fazia sua parte: desconsiderava a derrota do voto impresso na comissão especial que havia debatido o tema e jogava a decisão para o plenário.

Adriano Machado/CrusoéAdriano Machado/CrusoéOs tanques entre o Planalto e o Congresso: fumaça no ar
Coube igualmente ao ministro da Defesa, de novo falando em nome do presidente, acionar os comandantes do Exército e da Aeronáutica, forças que nunca haviam participado da operação, para que se juntassem à patacoada. Quando os tanques passaram em frente ao Palácio do Planalto, Braga Netto posava sorridente ao lado de Bolsonaro, no topo da rampa, ao lado dos chefes militares.

O efeito da pretensa exibição de força, como era de se esperar, foi exatamente o oposto do desejado. Os veículos, muitos deles fabricados na segunda metade do século passado, acabaram por compor o retrato da fragilidade presidencial. Bolsonaro conseguiu a proeza de afrontar ainda mais as instituições e virar piada nas redes sociais. Na Câmara, a proposta do voto impresso foi rejeitada. O texto elaborado pela deputada bolsonarista Bia Kicis teve o apoio de 229 deputados – para ser aprovada, a PEC precisava de, no mínimo, 308 votos.  A derrota só não foi acachapante porque Lira se prestou ao papel de passar o dia em seu gabinete cabalando votos para evitar o vexame. Mesmo assim, foram contabilizadas traições no Centrão, incluindo o Progressistas do próprio Lira e do novo ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira.

Para as Forças Armadas, o desfile significou uma desmoralização e mais uma demonstração da enrascada em que muitos fardados se enfiaram ao apoiar Bolsonaro e integrar seu governo. No Alto Comando do Exército, a pantomima na Praça dos Três Poderes recebeu uma enxurrada de críticas. A opinião quase unânime nesta semana era a de que o comandante Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira não deveria ter ido ao evento. O chefe do Exército até cogitou não comparecer, mas acabou dissuadido por Braga Netto, segundo relatos ouvidos por Crusoé.

A contragosto ou não, o fato é que não só Paulo Sérgio de Oliveira como os demais comandantes militares – Garnier, da Marinha, e Carlos Almeida Baptista, da Aeronáutica – seguem se dobrando aos voluntarismos do ministro da Defesa e do presidente. Em Brasília ainda ecoa a ameaça que Braga Netto fez no início de julho a Arthur Lira, por meio de um interlocutor político, de que, sem voto impresso, não haveria eleição. Ao mandar o recado, o ministro estava acompanhado dos chefes das três forças, que aparentemente assistiram a tudo calados.

Um dia antes do aviso, a pretexto de repreender o presidente da CPI, Omar Aziz, por suas declarações sobre “membros do lado podre” da caserna, uma nota com todas as digitais do ministro da Defesa já havia deixado no ar outra ameaça: a de ruptura institucional. O texto afirmava que as Forças Armadas constituíam “fator essencial de estabilidade do país”.

Cleia Viana/Câmara dos DeputadosCleia Viana/Câmara dos DeputadosA sessão que enterrou o voto impresso ocorreu horas após o desfile
Antes de transformar o Ministério da Defesa em puxadinho do Planalto e de virar um dos mais influentes ministros da Esplanada dos Ministérios já no comando da Casa Civil, Braga Netto passou por cargos estratégicos na hierarquia militar. Promovido a general em 2009, atuou como chefe do Comando Militar do Leste, com sede no Rio de Janeiro, e chegou ao posto de chefe do Estado-Maior do Exército, um dos mais importantes da força. Sua aproximação com o meio político começou em 2011, quando virou adido militar na Embaixada de Washington, nos Estados Unidos, e se consolidou com a sua escolha para coordenar ações do Exército na Olimpíada de 2016.

A preparação para os Jogos abriu as portas para que o general ocupasse em seguida o cargo de maior visibilidade de sua carreira, o de interventor federal na segurança pública do Rio de Janeiro. Braga Netto assumiu a função em 2018, por determinação do então presidente da República, Michel Temer. Com um orçamento de quase 1 bilhão de reais, a intervenção foi celebrada à época por ajudar a reduzir os índices de criminalidade no Rio e aumentar a sensação de segurança, mas teve ações polêmicas, como o crescimento do registro de práticas policiais violentas, sobretudo em favelas. “Muito tiroteio, pouca inteligência”, resumiu um relatório realizado pela entidade Observatório da Intervenção. Houve também controvérsias orçamentárias. Ao analisar a aplicação da verba destinada à ação, técnicos do Tribunal de Contas encontraram sinais de desvio de finalidade em 80% dos gastos analisados. Encontraram até a compra de camarão e bacalhau.

Àquela altura, ainda como deputado, Bolsonaro repudiou a intervenção militar no Rio e classificou a medida como “política”. As críticas públicas, entretanto, jamais se estenderam ao comandante da intervenção com quem já cultivava boas relações. Braga Netto e Bolsonaro se conhecem desde os tempos da Escola de Educação Física do Exército, onde ingressaram no final dos anos 1970. “Eles são da mesma turma e têm relação há mais de 45 anos”, diz o general da reserva Roberto Peternelli Júnior, contemporâneo dos dois no mesmo curso e hoje deputado federal pelo PSL.

“O general Braga Netto é um bom militar e um cumpridor dos regulamentos”, garante Peternelli, a despeito dos episódios recentes. Militares que conviveram com o general no Rio o classificam como um “linha dura com jeito mineiro” – uma figura de linguagem para explicar a mistura de rigidez militar com o jogo de cintura típico dos políticos de Minas. Foi justamente essa a característica, segundo colegas de farda, que determinou a ascensão de Braga Netto.

A tarimba política desenvolvida nos tempos de intervenção federal foi determinante para que o general ascendesse à Casa Civil, em fevereiro de 2020. Ao substituir Onyx Lorenzoni, ele herdou um ministério esvaziado. Com a troca de comando, a pasta perdeu as áreas de assuntos jurídicos, articulação política e o programa de parcerias e investimentos, o PPI. Aos poucos, o general foi conquistando espaço e ganhando ainda mais a confiança de Bolsonaro.

Luis Macedo/Câmara dos DeputadosLuis Macedo/Câmara dos DeputadosLira: deputados querem reação institucional à provocação bolsonarista
A proximidade com o presidente e a postura submissa fizeram com que Braga Netto embarcasse em uma desastrada missão: a coordenação do combate ao coronavírus. Como a CPI da Covid já mostrou, os equívocos e as omissões do governo federal durante a crise sanitária causaram centenas de milhares de mortes. Na Casa Civil, o general chancelou boa parte das ações de Bolsonaro, como a prescrição indiscriminada de remédios ineficazes e o pouco caso com o uso de máscaras.

Em conversa reservada com a cúpula da CPI, o ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde Roberto Dias chegou a dizer que teria um dossiê contendo provas de que Braga Netto pressionava os integrantes do Ministério da Saúde a receber intermediários suspeitos das vendas de vacinas. O papelório nunca veio à tona. De todo modo, a comissão de inquérito requisitou informações sobre a atuação do general no combate à pandemia. A cúpula da CPI também tem a intenção de convocar Braga Netto para depor, mas só vai colocar o requerimento em votação quando houver segurança de que ele será aprovado, porque parte do colegiado ainda resiste à ideia.

Contribuiu para aumentar a pressão em favor da convocação a postura do ministro durante o episódio da parada militar desta semana. Mas não só isso. Uma denúncia apresentada na semana passada à CPI pelo senador petista Rogério Carvalho sugere que Braga Netto cometeu excessos de outra natureza. O senador sustenta que um coronel da reserva e um oficial da ativa foram escalados pelo ministro da Defesa para bisbilhotar sua vida. A suposta espionagem, diz Carvalho, teria sido ordenada em retaliação ao pedido que ele fez à comissão para quebrar o sigilo telemático de Braga Netto.

O coronel da reserva a que Carvalho se refere como possível espião é um ex-colega do ministro da Defesa na Academia Militar das Agulhas Negras, a Aman. “Eu quero dizer ao senhor Braga Netto que eu não tenho medo, que eu não abrirei mão das minhas convicções. A gravidade é grande, porque eu estou sendo espionado por conta do exercício da função”, disse o senador, sem, no entanto, apresentar provas da espionagem. O parlamentar alega que não fala mais, a fim de proteger as pessoas que foram abordadas pelos militares. Instado pelo petista, Omar Aziz enviou um ofício ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, pedindo que Braga Netto seja interpelado oficialmente pela casa. O ministro da Defesa nega que tenha determinado a ação.

Ante o recrudescimento da tensão institucional nas últimas semanas, é de se esperar que o ministro da Defesa deixe de lado sua face linha-dura e recupere o “jeito mineiro” tomado pela alopragem bolsonarista. Afinal, alguém precisa dizer para o chefe que a cadeira presidencial não é um bom lugar para cometer fantasias.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. A boa e velha desonestidade da imprensa nacional: o voto impresso ficou muito longe de uma derrota acachapante; pelo contrário, GANHOU considerando a maioria simples (mas a jornalista omite intencionalmente a informação). E a maioria simples não garantiu pois era uma PEC (e teve q ser PEC pq nas APROVAÇÕES anteriores, o supreminho DESONESTAMENTE “melou”). No mais, o Aziz reclamar da invasão de privacidade é piada pronta depois desses bandidos pedirem quebra de sigilo de meio Brasil e desde 2018.

  2. Os veículos com problemas foi mandado a proposito pelo verdadeiro exercito brasileiro como forma de mensagem de não concordar com o comando, só isso, a fumaça foi a assinatura.

  3. As ações referentes ao uso do dinheiro público durante a intervenção no RJ deveria ser esmiuçada, demonstrar claramente como o dinheiro foi usado, para onde foi e, principalmente, qual o real legado para o Estado e seus cidadãos.

  4. O desfile dos blindados serviu apenas para três coisas: - Escancarar o cooptação das Forças Armadas, expor interna e externamente a precariedade e fragilidade dessas instituições, e para diversão da oposição, que não deixou por menos: - Derrubou o voto impresso e estimulou o STF a impor autoridade. O ponto alto do patacoada ficou mesmo por conta do "Carro Fumacê passando na sua ruaaaaa"...E haja peste para combater!!!!

  5. Parabéns, HELENA MADER, parabéns CRUSOÉ, pela excelência do trabalho investigativo, pela consistência e excelência das reportagens muitíssimo bem fundamentadas e, muitíssimo obrigada por nos contarem e descortinarem a nossa própria História, completamente ao contrário dos ""agentes que se comportam como pseudo-públicos"" escondedores e encobridores dos fatos de total interesse e direito de conhecimento da NAÇÃO, em razão de condutas completamente inapropriadas, comprometidas e comprometedoras!!!

  6. Vergonha! assim se define esse puxadinho de "políticos fardados" sem noção de governabilidade. o Brasil está uma sucata moral, ética e cívica. em 2022 vamos colocar cd um em seu lugar: fardados na caserna, pastores e padres nas igrejas, delegados na delegacia, imbecis no ostracismo e corruptos na prisão.

  7. Resumo da "ópera bufa" da semana e do que se pode concluir: "toda instituição tem mesmo suas ""ovelhas bestas"" e algumas exageram"!!!!! Que coisa vergonhosa essa conduta ""capacho-puxa-saco"" de elementos de uma instituição na qual depositava-se a crença na existência de outra mentalidade, acreditando-se que - majoritariamente - a nova geração, depois dos anos de extremo e estúpido obscurantismo, tivesse evoluído!!!!

    1. E que os """formosos""" "organizadores de desfiles extemporâneos", ao menos daqui pra frente, se dêem ao respeito e o inspirem, majoritariamente.

    2. E que os """formosos""" "organizadores de desfiles extemporâneos", ao menos daqui pra frente, se dêem ao respeito e o inspirem, majoritariamente.

    3. Salva-se entretanto a instituição por evoluídos e responsáveis icones de lucidez, sensatez, seriedade, integridade e competência, que não deixam desabar os pilares atacados por """alegóricos""" inconsequentes!!!!

    4. Salva-se entretanto a instituição por evoluídos e responsáveis icones de lucidez, sensatez, seriedade, integridade e competência, que não deixam desabar os pilares atacados por """alegóricos""" inconsequentes!!!!

  8. É lamentável que um General se preste a esse papel, mas o que esperar de quem apoia um ignorante, malandro e mentiroso, atualmente na Presidência?! ...

  9. Com tanto leite condensado skol beats, chicletes, whiskyes , nao sobrou uma graninha para regular essas maria fumaças. agora o Equador disse que vai por sua marinha para nos aniquilar.- AQUELA FORÇA MOSTRADA DE FATO SERVE APENAS PARA ASSUSTAR A NÓS CIVIS QUE PAGAMOS A CONTA.

    1. O exército e demais forças armadas resolveram cair na folia,para não dizer no ridículo. Que vergonha…

    1. Orgulho eh o seu ladrao mor né, Lulinha ladrao. Brasileiro é o povo mais corrupto do mundo. Por isso não gosta de militar.

  10. Lamentável as críticas da Crusoe. A ordem é criticar maldosamente e de forma irresponsável as pessoas, tentando denegrir a imagem de outras que não estão jogando em seu time. Respeitem a vida e carreira militar de um General Do Exército.

    1. Vitoria, essa é a tática bozista da idiotização e desconstrução de imagem dos seus adversários imaginários. Não meça a revista e os brasileiros pela récua bozista viciada em mentiras.

  11. onde é que existe " fantasia antidemocrática " , ó repórter? vcs alimentam um momento de terror, de anarquia.C certeza querem "tomar" p poder ", p se fazer valer a ideia de que socialismo, comunismo é o q vale.....esse é um desejo muito cruel. Vejam exemplos pelo mundo !!

  12. Sabem que vai tomar o peder desse país medíocre que nos transformamos.?... Os traficantes, pois são mais organizados e mais armados que este exército patetitico que nos foi mostrado. Ao ver as imagens de sucatas aliados a pessoinhas na rampa compreendi porque a batalha do pó travada nas favelas do Rio de Janeiro saíram os traficantes vencedores. Estão lá até hoje se deleitando e prontos para assumir este país se os PE De COUVE tentarem algo.. É a Micheque no cabeleireiro.

    1. Então o que o Exército foi fazer lá nas favelas do Rio???? Se o problema era do estado deveriam ter ficado nos quartéis dando manutenção nos motores fumacentos.

    2. que resolve problema de bandido , é cada Estado! Não é tarefa das Forças Armadas . Agora se cada governante fizesse o seu papel de proteger o cidadão, não estaríamos nessa. O q se vê, especialmente no Rio, é ou era essa " sociedade LTDA"

  13. Braga Neto além de incompetente é covarde. Os fatos mostram que várias ações coordenadas por ele fracassaram, incluindo o combate a Covid-19 e o desfile fumacento dos blindados. Ele é um FANFARRÃO que deveria pedir para sair.

    1. Péssima matéria. O bom é os corruptos do pt e seu líder Lula corrupto.

    2. vc está muito distante de conhecer melhor as pessoas e fatos.Nos mostra essa falha nas suas ações.? ...as provas !

  14. Os militares que estão ao lado de Bolsonaro neste governo de aloprados não representam a verdadeira FA. Um militar de carreira estuda muito para chegar ao topo e jamais se prestaria a esse papel ridículo de recruta do Bolsonaro. As Forças Armadas deveriam ser mais respeitadas pelo povo brasileiro, pois atuam com muito mais importância e eficiência do que a maioria dos leitores aqui pensa. Um oficial brasileiro é muito respeitado no meio militar estrangeiro, pela bravura e conhecimento técnico.

    1. Ficamos nessa situação, c tds Bradileiros com constrangimento, devido uma situação de: políticos c processos c medo do supremo ( =minúsculo), os da toga , partidários e despreparados,sem competência p tal função( e veja os raros casos de ministro do supremo q seja de carreira). Queria q houvesse 2 Bolsonaro no Governo, p ter essa coragem,ter peito p enfrentar a bandidagem q se locupleta dos bens públicos . O establishment dessa natureza,está implantado

  15. li vários comentários idiotas aqui que vão além desta matéria cega tendenciosa. Legal para vcs hipócritas é o STF legislar, repreender livre expressão, perseguir, é Barroso fazer reunião com 11 deputados.. é condenado solto ser presidenciável em 22, é inquérito de fraude STE ser sigiloso. vcs são uns idiotas que não enxergam além do próprio umbigo. hipocrisia pura..banda podre da sociedade

    1. MINISTÉRIO DA SAÚDE ADVERTE: Excesso de ozônio por via retal causa confusão mental e desejo de submissão.

  16. Ótima matéria. interessante notar que alguns têm a narrativa de que determinados militares desonrar as grandes forças armadas...É de se perguntar, nos últimos 100 anos, qual foi o grande ato ou feito dessas FA? Medo que o Paraguai invada o Brasil. Com essa escumalha nos altos comandos, morreremos todos.

    1. O Brasil teve um papel bastante importante na Segunda Guerra Mundial, se informe à respeito do seu país antes de falar bobagem!

  17. O flagrante despreparo e incompetência desses militares salta os olhos. Vergonhoso mesmo, ainda mais que o Brasil bate recorde mundial de generais por soldado quadrado.

    1. Tem mais General aqui que a China e Estados Unidos juntos.

  18. É inacreditável a incompetência e falta de inteligência do alto comando militar representado nesse governo. E olha que estudam por décadas em escolas de excelência pagos com o nosso dinheiro e recebem salários enormes.

    1. Generaiszinhos de 4 estrelas,ficam atrás da mesa com o C....mão...Muito bem pagos,diga-se de passagem.Grande Renato Russo.....Esses "militares" q babam os ovos do ASNO,não representam a grandeza das FA....

  19. Como não existem mais leis pra punir ilícitos dos poderosos, eles se prestam a qualquer negócio em benefício próprio, não acredito em punições. Muito preocupante…

  20. Me impressiona como um jornalista consegue escrever tantas páginas de ilações e narrativas sem nenhum sentido! Essa fase está muito difícil para vocês! Quanto à pandemia , excepcional é o Dória, lobista da Vachina , a qual com a quantidade de idosos que já faleceram, apesar de duas doses, deixa flagrante que não passou de um excelente “negócio” para alguns. Depois o nosso PR, o MS e o Exército é que não tiveram ações efetivas no combate à pandemia. Nos poupe!!!

    1. Bovinos insistem em desvirtuar tudo para tentar emplacar uma narrativa que enalteça os valores nobres do Bolsonaro e seus capachos corruptos. Isso é pior q enxugar gelo. Ainda verei esses seres dementados fazendo o coro de "Bolsolula Livre"!... patéticos.

    2. Miliquinha Tarcila, é a jornalista Helena Mader. Você nem leu a matéria. Só escreve bobagens. Mas isso é compreensível. No dia que bolsonarista e milico souberem argumentar, os porcos vão criar asas.

    3. Deve ser uma bostonarista,da lista de fantasmas,q devolviam até o VR,nos gabinetes da FAMILICIA METRALHA....

    4. mais uma jumenta,q ainda bate palminha pro ASNO 171....Desgoverno cheio de "militares",mto bem pagos,diga-se de passagem.Agora abraçado ao puríssimo CENTRÃO....Todos juntos e misturados pra devorar as entranhas do POVO. Bando de VERMES da pior espécie.

    5. Você não entendeu a matéria, pois teve bilhões dos neurônios mortos, por uso excessivo de crack bolsonarista. Atacar João Doria e a Coronavac é uma covardia. A Coronavac salvou milhares de vidas e a postura do Doria, pressionou o Bolsonaro a comprar vacinas, já que a estratégia dele era a imunidade de rebanho pela contaminação e o uso de medicamentos ineficazes. ISSO É FATO.😝

  21. Respeitosamente, se procedente, a cooptação das Forças Armadas a projeto de poder do Sr. PR da república é algo que depõe contra a neutralidade própria de uma Instituição de Estado. Cabe ao Congresso aprovar EC dispondo que os cargos de ministro da defesa seja privativo de civil, aprovado pelo Senado e os de comandantes das três Forças sejam exercidos por militares p/mandato de 2 anos(renovável), tb com aprovação do Senado. As Forças devem ser modernizadas e diminuído os seus contingentes.

  22. O general está certo que, como aconteceu com Lula &Cia, ele sairá impune dessa aventura. No fundo isso tudo é palanque, o objetivo é se eleger pra continuar na deliciosa mamata que sempre viveu.

  23. A politização do ministério da Defesa está evidente. São muitas confusões alinhadas com o discurso do presidente. Situação incompatível com o papel das forças armadas. Lamentável

  24. Uma minoria dos militares não merece nem a graxa das botas paga por nós contribuintes. O "mau soldado" não pode fazer escola. A maioria deveria preservar as conquistas de profissionalismo, disciplina e honradez obtidas após a restauração democrática. Fora do estado de direito só resta a lata de lixo da história...que já tem muita coisa acumulada desde 1889...

  25. MILITARES BOLSONARISTAS: os EXEMPLOS EXECRÁVEIS que uma SOCIEDADE tão CORRUPTA é capaz de produzir! São DEGENERADOS MORAIS que IMPEDEM o BRASIL de AVANÇAR! Em 2022 SÉRGIO MORO “PRESIDENTE LAVA JATO PURO SANGUE!” Triunfaremos! Sir Claiton

  26. Enquanto isso, o inquérito em que o ex Juiz e ex Ministro da Justiça alerta sobre o APARELHAMENTO do Governo Bolsonaro fica adormecido em alguma gaveta... É assim que o STF demonstra sua preocupação com os rumos do país, preferindo anular a merecida punição de Lula e IGNORANDO os esforços de Sergio Moro em favor da Democracia e da correta aplicação da Lei.

  27. Nojo dessa "Ilha da Desinformação", que foi tomada pelas emanações da "Mamata Conection". Comentadeiros que parecem frustados pseudos jornalistas "Full range", não tem sugestões ou ideias que melhorem a condição de vida dos nossos Irmãos menos afortunados desta Nação, apenas comentários ácidos e opiniões fatalistas. Pessoal.... Sejamos oposição, mas... precisamos também demonstrar ajuda e um mínimo de inteligência.

    1. Para melhorar a condição de vida dos cidadãos brasileiros, o impeachment do Bolsonaro, é um primeiro passo. Se pegar uma folha A4 e escrever todos os problemas do Brasil, usando o tamanho da letra para destacar os maiores dos menores, BOLSONARO vai ocupar metade da folha. E riscando Bolsonaro, os demais problemas são resolvidos ou diminuídos, como por exemplo a credibilidade do país e o risco da volta do ex-presidiário Lula ao poder.

  28. Militares da sabujice de um Braga Neto enojam a todos aqueles que cursaram a AMAN, ESAO e ECEME, e por aprenderam, as custas do dinheiro do cidadão contribuinte, o que é governo e o que é Estado. Aprenderam o que cidadão e o que é marginal. Braga Neto envergonha o Exercito Brasileiro e, quando se olha ao espelho, a si mesmo e a sua história.

    1. Vc tem a liberdade de postar sua opinião, certo? Se a sua queridinha esquerda vendida e corrupta tomar, novamente, o poder, duvida que vc possa! À não ser, é claro, que compactue com a ditadura corrupta deles!

  29. Quantos créditos de carbono serão necessários para compensar o fumacê causado pela passagem dos cacarecos blindados do exército em Brasília? Acredita-se que o desmatamento da Amazônia interrompido em 53,47% neste ano de 2021 sejam Necessários para esta compensação! #vivaocacarecofumacêdoBragaNetopateta!

  30. Se o Brasil tivesse de fato, um "Alto Comando", nas forças militares, um general Braga Pato Donald não se criava. O que fez o Duke? Nomeou os três sobrinhos para a Marinha, Exército e Aeronáutica. Daí, fazer pequenique na Esplanada é óbvio.

  31. Não trata-se de um general aloprado. Trata-se de um general pateta arapongueiro. Que sai às mais altas patentes do exército brasileiro!. Acima desta patente só mesmo o de duque da propina.!

  32. Bem, está claro que o general de pijama em questão é cúmplice do bozogenocidio. Portanto, prisão imediata para ele. Lugar de genocida é na masmorra!

  33. E por falar no """bloco do fumacê""", desta vez o ""menino maluquinho"" *acertou no alvo*, feito gente grande: 👉👉👉👉👉 https://www.em.com.br/app/noticia/politica/2021/08/12/interna_politica,1295386/ciro-gomes-militares-nao-podem-virar-milicia-a-servico-do-bolsonarismo.shtml?utm_source=onesignal&utm_medium=push

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO