RuyGoiaba

Saudades do ‘inimigo suez’

26.03.21

É tanta desgraça acontecendo no mundo e principalmente no Brasil que a gente chega a ficar feliz quando acontece um problema sério, mas de potencial letal muitíssimo menor — e, sobretudo, perfeito para fazer piada. Estou falando, é claro, da manobra mais malfeita da história, graças à qual o navio Ever Given simplesmente trancou a passagem pelo canal de Suez. Eu mesmo sou ruim de baliza, mas o máximo que consegui foram umas raspadas na lateral do carro. Juro que nunca fechei a rota naval entre o Mediterrâneo e o mar Vermelho, se bem que esse é o tipo de barbeiragem que eu faria se fosse capitão de navio.

Na data em que concluí este texto (quinta-feira, 25), o bloqueio do canal pelo Ever Given completava quatro dias, sem perspectivas de se resolver, e o engarrafamento marítimo — com cerca de 200 navios — era considerado o maior da história. Nas redes sociais, as melhores piadas sobre o assunto já foram feitas: um amigo disse que o Waze estava sugerindo dar a volta pelo cabo da Boa Esperança, um site de humor escreveu que o congestionamento em Suez já se refletia no trânsito da marginal Tietê e corriam pelos grupos do WhatsApp frases do tipo “chama o Vasco da Gama para resolver!” (o navegador, óbvio: mais fácil ressuscitar o “heroico português” que o time de futebol com seu nome).

Como sou velho, a história de Suez me fez lembrar de um dos meus absurdos favoritos publicados em jornal: o caso do “inimigo suez”. Em outubro de 2001, em visita a Tabatinga, na tríplice fronteira com Colômbia e Peru, o então presidente Fernando Henrique Cardoso deu uma entrevista dizendo que, se preciso, mandaria as Forças Armadas abaterem aviões que ameaçassem o Brasil com atos ilícitos, como terrorismo — na época, o 11 de Setembro tinha acabado de acontecer nos EUA. A Folha reproduziu assim as declarações de FHC: “Precisamos fazer um esforço grande para controlar o terrorismo, que é um inimigo suez”.

A isso o jornal acrescentou o chamado parêntese didático: o presidente brasileiro, notório erudito, referia-se “aos combatentes egípcios que lutaram contra os israelenses na região de Suez, em 1973, e atacavam seus oponentes por meio de túneis subterrâneos abandonados, de surpresa”. Mas não era nada disso: com seu sotaque peculiar, FHC disse simplesmente que o terrorismo era um inimigo SOEZ (segundo o Houaiss, “barato, sem nenhum valor; desprezível, reles, vulgar”; por extensão de sentido, “que não tem bom caráter, baixo, vil, ordinário”). A aula de história foi bacana, mas em momento algum os tais túneis dos combatentes egípcios devem ter passado pela cabeça do grão-tucano.

Já dediquei uma coluna inteira a grandes batatadas jornalísticas, mas Deus me livre de cuspir para cima nesse quesito: errei, erro e errarei, e nada impede que um dia eu publique uma besteira mais ou menos equivalente a encalhar um navio no canal de Suez. Na verdade, quando inspirados, esses erros abrem as portas para outros mundos possíveis, geralmente mais interessantes que o nosso. Nesta semana mesmo, saiu uma reportagem dizendo que Marcelo Queiroga, o novo ministro da Saúde, seria recebido por Adib Jatene ao visitar o InCor, o que estaria muito bem se Jatene não tivesse morrido em 2014; outro site informou que “seis ex-presidentes vivos (do Brasil) foram imunizados” contra a Covid, o que me fez imaginar quão difícil deve ser vacinar ex-presidentes mortos.

Os erros foram corrigidos rapidamente na internet. Mas me digam se não seria muito mais legal Queiroga ser recebido no InCor pelo fantasma de Adib Jatene — que aliás poderia assombrá-lo toda vez que o ministro cedesse a idiotas cloroquiners, puxar o pé dele à noite etc. Ou Getúlio Vargas (com aquele pijaminha listrado hoje exposto no Palácio do Catete), Jânio Quadros (com as pernas tortas) e outros mortos ilustres esperando na fila por sua dose de vacina. Sem dúvida seria um universo paralelo bem melhor que nosso mundo real repleto de fake news, em que Jair Bolsonaro defendeu a vacinação desde o comecinho da pandemia e Lula é um inocente injustiçado.

Dá até saudade do inimigo suez e outros erros não letais. Como diria o igualmente saudoso Lilico do Bumbo: tempo bom, não volta mais.

***

A GOIABICE DA SEMANA

Nesta semana, não houve competidor possível: o troféu tem de ir para Ivo Cassol, ex-governador de Rondônia, e o vídeo em que ele “testa” a fumaça de solda elétrica como tratamento contra o coronavírus. Reproduzo aqui as aspas do gênio ao G1: “Não sou cientista (jura? Não tem quem diga!), mas eu quero deixar claro que a solda, no meu ponto de vista, aquela claridade dela pode, de repente, transmitir vitamina D (ao corpo) ou a claridade em si, e ela de repente mata o coronavírus. Portanto, vai depender dos pesquisadores daí pra frente”.

Faltou só Cassol testar a solda em cima do voluntário do vídeo, o que faria efeito ainda melhor, matando a cobaia antes que ela morra de Covid. Solução um tantinho radical, admito, mas inegavelmente tiro e queda — ou alguém acredita que a decapitação não resolve em definitivo o problema da caspa? É essa má vontade de vocês que ESTRAVANCA o POGREÇO da ciência.

ReproduçãoReproduçãoIvo Cassol e a ‘solda anti-Covid’: audaciosamente indo aonde a ciência jamais esteve

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Felipe Moura Brasil, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. se Stanislau Ponte Preta ( Sérgio Porto ) fosse vivo,ao seu livro Festival de Besteiras que Assola o Pais não faltaria matéria.PQP.😆😆😆

  2. Boas risadas,amigo Goiaba. Tava precisando depois de ler acima os últimos acontecimentos do país A coisa tá desoladora. Obrigada pelo bom clima! Ótimo texto. As usual!

  3. Não é o país da piada pronta? Lá vem o Ivo "Coá solda". Será que ele já tentou se imunizar com chá de comigo-ninguém-pode (Dieffenbachia amoena)? Uai, não vale a ideia? Pelo jeito ele acha que a ciência é feita com isso, chutar por chutar qualquer hipótese até dar uma dentro. Lamentável.

  4. Na verdade ele deve ter ouvido o galo cantar que a luz UV pode ser usada como desinfecção de ambientes com Covid. Mas diretamente no ser humano, alguém precisa explicar pra ele dos efeitos estocásticos e deterministicos. Melhor não, ele não vai entender...

    1. Siiiimm! É o único fantasma que nnnãaaoo morrrre! Impressionante!

    2. Siiim, é o único fantasma que nnnãao morrre! Impressionante!

    1. E por estarem vivos a manchete deveria ser apenas "Seis ex-presidentes brasileiros imunizados".

    2. Vivos antes de presidentes e mais vivos depois com o pixuleco oficial dos ´pagadores de impostos. Ai de mim. Um assinatente da revista do Vilão e nativo da ilha da Crusoé. Abs para a minha turma de jornalistas.

  5. Ruy, você sempre me faz literalmente chorar de tanto rir. Já havia visto o vídeo de Ivo Cassol, mas seus comentários impagáveis sobre o assunto foram a chave de ouro desta edição da Crusoé. Obrigada!

    1. Tudo muito bem pensado , genial, deixar a coluna por último.

  6. Durante um tempo, Osmar Trevas foi apresentado no pelos bolominions no zapzap como Adib Jatene, "o maior cardiologista do Brasil" (ou seu fantasma). Tudo pra dar credibilidade a seu charlatanismo rasteiro.

  7. Ruy, adoro seus textos, mas a frase correta é: “é a inguinorança que astravanca o pogressio”, segundo Adoniram! Abraço!

    1. Excelente, sem dúvida . Agradável, a leitura leva a uma catarse. E mais, vejam o privilégio de podemos ter uma imprensa livre e honesta.

    1. É realmente um pedante. Mas tem o mérito de, involuntariamente, acabar dando a deixa pra pérola humorística do jornal, com o mico que pagou. E ainda por cima dando uma interpretação super forçada!

    2. Isso é pra posar de superior, enquanto a podridão exalava no seu partido e no seu governo. Até hoje, mantém a pose. E a podridão, graças a Bozo, está prestes a se generalizar novamente.

  8. O troféu vai para quem entra em fila de vacina, sem assinar termo de consentimento livre e esclarecido e diz que é porque acredita na ciência!!! Sem um único estudo CIENTÍFICO sobre efeitos adversos no LONGO PRAZO, no MUNDO.( Ah! Não temos o longo prazo, ainda!!!! ) Acredita, mas não sabe bem o que é!!! Homens de muita fé!!!

    1. Os medicamentos do tal tratamento precoce também não dispõem de estudos de longo prazo, Maria. Até porque não deu tempo ainda. Porém, temos uma situação de emergência e o que está aí é “o que temos pra hoje”, como se diz. Cada qual é livre pra fazer suas escolhas: tomar vacina e correr o risco de uma reação adversa, tomar os medicamentos e correr o risco dos graves efeitos colaterais, não tomar nada e correr o risco da doença. Peguem suas balanças, pesem, decidam, e arquem com as consequências.

  9. Para mim o troféu vai para o Ônix Lorenzoni, não pelo nome mas por deduzir brilhantemente que pulgas e ratos podem transmitir a Covid portanto não adianta isolamento total.

    1. Confundiu com peste bubônica, decerto? Teve a deputada que falou que a vacina de RNA mensageiro alterava o DNA, o político de Canela-RS que sugeriu aspergir a cidade com álcool gel usando avião pulverizador, e o catarinense que recomendou a aplicação de ozônio colorretal. Essa é a nossa classe política. Tamos bem arranjados com ela.

  10. Para mim o troféu vai para o Ônix Lorenzoni, não pelo nome mas por deduzir brilhantemente que pulgas e ratos podem transmitir a Covid portanto não adianta isolamento total.

  11. Hihihi.no brasil para não morrer de desgosto,nojo,humilhação e horror só pingando umas horas de colírio alucinógeno.como diz macaco Simão

  12. Kkkkkkkkk. Essa do Cassol eu não tinha ouvido falar. É cada absurdo! O pior é que tem quem acredite nisso. Quero ver é ele com covid debruçado numa solda pra se curar e não ir de jatinho ambulância se enfiar entre os lençóis macios do Sírio Libanês, sob as mãos capazes do dr. Roberto Kalil. Talvez não, ele já deve estar aspirando doses diárias de fumaça sabor vitamina D.

    1. Eu também havia lido matérias com o nome Evergreen. Mas agora estão escrevendo Ever Given mesmo, acabei de ler na BBC Brasil.

  13. Ditadores corruptos não ligam para anseios do povo, desde que possam contar com a resguarda das FFAA (ex.: China, Rússia, Venezuela). O que eles realmente temem: protestos do povo COM APOIO MILITAR! As FFAA devem garantir que a CF não seja aniquilada por corruptos no poder! Resta saber em que lado estão os Generais.

    1. Os Generais estão do lado do dinheiro. Se venderam a Bolsolula. Alguém tem dúvida ?

    2. Ô seu hans.. escreve assim: sou um imbecil! E copia e cola em todos os buracos do seu corpo.. c.u inclusive.

  14. A eliminação de Moro, como candidato para PR, é primordal para facilitar a candidatura do Lula. A CF está sendo aniquilada pelo STF. Obrigação das FFAA é defender os dreitos do povo e garantir a CF! Povo na rua, pedindo intervenção! Resta saber: de que lado estão os Generais?

  15. Se você acompanhasse futebol teria destacado a gafe do ge.com segunda ou terça feira quando noticiou, com destaque, a morte de Pepe, ex-jogador do Santos e companheiro de Pelé. De Covid, é claro.

  16. Seu texto me fez hoje pela manhã. Valeu alegrou o meu dia. Acho que deveriam invertya ordem. Ser o primeiro artigo da revista. Primeiro vc adoçã e depois vem com a desgraça. ( os outros arto).

  17. Obrigada, Goiaba! A vida é dura, o Brasil é uma praga, mas essa do canal de Suez foi dose 🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣

  18. Boa Goiaba , sorrir até pode ser o melhor remédio , mas nosso fim lento e doloroso, está ou nas mãos de corruptos ou incompetentes

  19. Só há uma explicação!! Desde a morte do Maurício Sherman a nossa realidade está menos lógica que um episódio do Zorra Total. Ele certamente foi colocado na direção celestial do nosso "Ever Given" só que com a missão de reinventar o "nonsense". Tanto exagero que tá quase perdendo a graça

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO