Tia Dufour/Official White House

O que resta do poder de Trump no Partido Republicano e entre seus eleitores

18.01.21 08:54

Na votação do impeachment de Donald Trump (foto) na Câmara dos Deputados nesta quarta-feira,13, dez deputados republicanos se juntaram aos 222 democratas e chancelaram a acusação de “incitação à insurreição” contra o ainda presidente dos Estados Unidos. Os votos republicanos foram comemorados pelo presidente eleito Joe Biden, que disse se tratar de uma “votação bipartidária“.

Falou-se até em um racha no Partido Republicano. De fato, é possível dizer que Trump perdeu poder e prestígio entre seus pares. Na confirmação dos votos do Colégio Eleitoral, ele foi confrontado até pelo vice-presidente, Mike Pence, antes seu aliado de primeira hora. Pence se recusou a seguir as ordens de Trump e retomou a sessão após a invasão ao Capitólio por apoiadores do presidente. Na sequência, o senador Mitch McConnell condenou a confusão estimulada por Trump.

Outros números mostram, no entanto, que Trump não pode ser considerado uma carta fora do baralho na política americana. Se é verdade que dez deputados republicanos se juntaram aos democratas na votação do impeachment, outros 197 não o fizeram. Horas depois da invasão do Capitólio, dois terços dos deputados republicanos votaram contra a confirmação dos resultados dos estados no Colégio Eleitoral.

O fato de que apenas dez republicanos votaram pelo impeachment de um presidente que instigou e encorajou uma insurreição mostra que muitos republicanos ainda se sentem atraídos por Trump e pelo que ele representa. É surpreendente que outros membros do Partido Republicano não o tenham repudiado completamente“, diz o cientista político Martin Geoffrey Cohen, professor da Universidade James Madison e especialista no Partido Republicano.

No geral, a desaprovação de Trump subiu para 60% na última semana. Mas entre os eleitores republicanos, ele ainda tem bons números — cerca de 64% dizem apoiar seu comportamento e 57% entendem que ele deveria se candidatar em 2024. Além disso, 36% se autodenominam trumpistas.

Trump é quem dá vazão à ansiedade econômica, ao ódio, ao racismo, à misoginia e ao antissemitismo na base republicana. Enquanto essas patologias existirem na nossa sociedade, ele será a expressão humana disso. Trump certamente perdeu uma quantidade significativa de apoio, mas é chocante que não tenha perdido mais“, diz Cohen.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Felipe Moura Brasil, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
    1. o Bozo tem de sair, é muito incompetente e insignificante!

  1. Está errado o cientista social quando considera o voto contra o impeachment dos republicanos. Com exceção dos bozotrumpistas de lá, uma minoria, a maioria deles condenou a ação do Trump. Eles votaram contra o impeachment, entretanto, para proteger o que resta do branding. Afinal de contas eles precisarão se reinventar muito depois de terem contribuído para quase destruir o país. O Trumpismo, tal como o Bozismo é aqui, é a válvula de escape dos seres bestiais da sociedade americana.

    1. Concordo Jose. Não é pelo fato de republicanos terem votado contra o impeachment que são a favor do Trump.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO