Adriano Machado/Crusoé

Em audiência no Congresso, Guedes diz que sistema tributário é ‘um manicômio’

05.08.20 11:45

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Para calar a boca da canhotada, o Paulo Guedes deveria apresentar o esboço da Reforma Tributária completa. De forma transparente, mostrar para cada atividade o que vai acontecer. Equipe preparada para isso ele tem. Assim todos iriam para as ruas apoiar, como foi feito com a Previdência.

  2. Concordo: o manicômio tributário tem a conivência desse governo... Por outro lado, a nova CPMF é o IMPOSTO DO CARTÃO, enquanto a antiga era o IMPOSTO DO CHEQUE...

  3. A classe média vai ser penalizada para benefício das empresas.Espero que gerem muitos empregos pois a economia vai sentir falta do dinheiro que será extorquido pelo estado.A parcela que vive com dignidade vai bancar isso

    1. Discordo a confusão tributária atual tira da classe média, o que tem poder econômico e político não paga, entra na justiça e enrola. Tem que simplificar um imposto jnico sobre movimentação financeira todos vão pagar e não poderão fugir.

    2. Tem razão, sempre arrebenta no lombo da classe média, faz muito tempo que falam em diminuir a alíquota, mas nem para corrigir a defasagem esse povo presta.

  4. Concordo com o Guedes. Entretanto, o manicômio é o governo do Bozo. Só tem doido! Mataram mais de 90000 pessoas e ainda acham que nada aconteceu!

  5. Em 1984, fui aluno do professor Paulo Guedes. À época um liberal, ele criticava fortemente a duplicidade de autoridades monetárias no Brasil. Hoje, não mais tão liberal, ele quer aumentar impostos. E dizem que o passar dos anos nos deixa sábios.

  6. Pior que o Guedes quer aumentar imposto para o programa Renda Brasil. Tirar a dedução de despesas médicas, a gente ja nao tem retorno nenhum do governo, melhor falar a vdd, q quer aumentar impostos.

  7. Concordo plenamente com Guedes: Quem tem poder posterga e/ou não paga impostos. O assalariado é quem mais sai prejudicado. É óbvio que dinheiro na mão do trabalhador gera consumo e consequentemente impostos. Outra coisa que precisa acabar são os penduricalhos que não incidem IR

  8. Concordamos, todos, com o Ministro, que infelizmente ainda não indicou um candidato forte para exercer função de liderança no BID. O caos, notem, não se cinge ao sistema tributário, que encontra na geleia real da impunidade e no Estado obeso e disfuncional nutrientes essenciais à sua preservação. Tem razão o Ministro. No Brasil se ataca a Lava Jato -- que consegue recuperar dinheiro público roubado por larápios fantasiados de políticos. Ao mesmo tempo, os "Pudê" afagam bandidos impenitentes.

Mais notícias
Assine
TOPO