Marcos Brandão/Senado Federal

‘Demonstração de independência’, diz Pacheco sobre devolução da MP das redes

17.09.21 14:42

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (foto), voltou a justificar nesta quinta-feira, 17, a devolução a Jair Bolsonaro da medida provisória que limitava a remoção de contas e conteúdos nas redes sociais. O parlamentar afirmou que tomou a decisão com base em critérios técnicos, jurídicos e políticos e disse que a iniciativa demonstra a independência do Congresso.

Pacheco falou à imprensa após participar do seminário “O Brasil da Segurança Jurídica“, na Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais. O senador declarou que o Congresso é a “expressão da vitalidade política” do país e assegurou que o parlamento seguirá aprovando leis, quer o governo goste ou não.

Vamos continuar na mesma linha de independência porque esse é o nosso papel. Agora, independência não significa hostilidade nem interrupção do diálogo“, pontuou o parlamentar, que chegou ao comando do Senado com o apoio do Planalto.

Quando se devolve uma medida provisória é porque se identifica que a MP não é instrumento hábil para tratar determinados temas. Esse tema relativamente ao marco da internet mesmo já está em discussão através de um projeto aprovado no Senado e hoje objeto de um grupo de trabalho na Câmara dos Deputados. Portanto. Minha decisão foi técnica, jurídica e política, obediente à Constituição“, emendou.

Indagado se acredita na trégua proposta por Bolsonaro ao recuar nos ataques ao Supremo Tribunal Federal, Pacheco limitou-se a dizer que os poderes precisam confiar um no outro. “Nesse momento, temos que confiar, sim, e, obviamente, permanecermos nessa linha de busca de pacificação, sem afrontar e, ao mesmo tempo, sem deixar de tomar as providências que precisamos tomar”.

O presidente do Senado pregou a estabilidade política para atrair investimentos ao Brasil e movimentar a economia. Pacheco disse ser preciso ter “otimismo“, mas admitiu que o país ainda vive “um momento de instabilidade institucional“.

Essa semana já foi uma semana em que se estabeleceu uma melhor relação, mais calma, entre os poderes da República — Executivo, Legislativo e Judiciário — e é isso que temos que imprimir no dia a dia. Buscar pacificar, identificar consenso e convergências. Obviamente que divergências sempre vão acontecer. Mas, se você respeita a divergência, se entende que esse é o papel do outro e que é possível corrigir dentro das linhas da Constituição e da lei, tudo se resolve.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Prova que Zezinho e muito burro ,continua achando que grileiro é que cria grilos,e está em dúvida se é gripado ou grilado…….

  2. Muito bom. Deixou o Joãozinho Necrófilo irritado. Se ele fica irritado, então a coisa é boa para o país. Muares anti-patriotas são a coisa mais comum nos pastos gripados pelos bozogenocidas.

Mais notícias
Assine 50% off
TOPO