Divulgação Band

Democrático na bronca e na bondade

11.02.19 15:11

Antes da queda de helicóptero que o vitimou nesta segunda-feira, 11, Ricardo Boechat havia sido notícia na sexta-feira, 8, por um vídeo em que ele estrilava com a produção da BandNews por um problema durante a entrevista de um oficial do Corpo de Bombeiros do Rio sobre o incêndio no Ninho do Urubu do Flamengo — mais uma tragédia que marca este início estranho de 2019, com estouro de barragem e chuvas que matam além do habitual.

Olhei o vídeo da bronca, que a muitos pareceu “polêmica”, essa palavra cujo sentido a hipersensibilidade de hoje já alargou tanto que acredito já não significar mais nada. Em vez de me impressionar, fiquei com a sensação de familiaridade: era o mesmo Boechat com quem convivi como vizinho, dele e de sua equipe de coluna, no Globo. Tão expansivo e direto na bronca quanto nas brincadeiras.

A franqueza era uma característica de uma mentalidade democrática que Boechat aplicava no dia a dia, e não era de fachada: ele dava espaço e atenção tanto ao porteiro como ao dono da empresa ou ao presidente. Foi moldado na convicção de que todas as pessoas têm os mesmos direitos. Inclusive o de serem ouvidos, e de serem uma boa fonte de informação. E esse comportamento democrático também se estendia para as broncas — afinal, foi levando muitas do colunista social Ibrahim Sued que ele consolidou sua forma de fazer jornalismo. Nada pessoal, era apenas parte do jogo.

Foi graças a esse espírito aberto que nos conhecemos. Eu tinha acabado de entrar para o jornal e contei para ele uma história que havia achado engraçada, de uma então celebridade que havia achado que a Divina Comédia era um livro de humor. Para contar isso para Boechat, demorei mais tempo do que normalmente me dou. Ele ouviu, gargalhou, publicou, e dois dias depois me abraçou por causa da repercussão da nota. “Eu fico lutando para tentar antecipar queda de ministro, índice de inflação, mas você é que conseguiu dar leitura”, disse. Claro que era um exagero. Boechat era exagerado nas celebrações e nas irritações, e é por isso que ainda lembro dessa história de 18 anos atrás. É por isso que ele será sempre inesquecível.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

Edição nova toda Sexta-Feira. Leia com Exclusividade!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

Deixar para mais tarde

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Um jornalista brilhante, um ser impar, extraordinario. Dificil assimilar essa perda, que deixou a todos nos aturdidos e, de certa forma, orfaos. As manhas jamais serao as mesmas sem as suas analises e comentarios, sem aquela voz tao querida e respeitada por todos. Desolador... Que continue a brilhar em outra esfera.

  2. Grande jornalista, triste fim. Acredito que todos nós somos insubstituíveis, mas sempre tem uma pessoa competente para tocar o barco. Descanse em paz!!

  3. Vai com DEUS, ainda que seja ateu Boechat. Pêsames à família e à todos nós a quem o cara procurava ser a vós. Início de ano terrível. Dá até pra desconfiar que é pesadelo ou terrorismo tudo o que está acontecendo.

  4. Gostaria que a Bandnews contratasse o William Waack ou Jose Neumanne no lugar dele, mas aposto que vai ser um petista tipo Leonardo Sakamoto ou Ricardo Kotscho

    1. Se a Band contratasse o Waack, eu voltaria a assistir TV aberta.

  5. Uma perda imensurável. Crítico ácido dos maus elementos e perseguidor incansável de justiça. Fará muita falta e já nos deixa saudades. Dia triste...

  6. O homem comum perdeu a sua voz! Ele dizia na lata o que todos nós queremos dizer e não temos como. É uma grande perda pra todo cidadão brasileiro de bem, porque ele era nosso aliado - um aliado diário - na luta contra o mau-caratismo e a corrupção.

  7. Exemplo nítido de quem amava o que fazia e era extremamente dedicado. Fará muita falta, também por não dar a menor guarida para a cara-de-pau reinante no Brasil.

  8. O Brasil ficou mais pobre e ainda mais triste. Estamos pagando um preço muito caro por nossas desmedidas. Dá até medo! Boechat vai deixar muita saudade.

  9. Me tocou fundo a tristeza desta perda. O Brasil perdeu um grande homem cuja postura e talento todos nós admiramos. Descanse em paz. Amém!

  10. Eu o assistia todos os dias. Pela manhã na rádio, de noite no telejornal. Estou me sentindo órfã de um jornalista sincero, competente e íntegro. Boechat era de uma espécie em extinção.

  11. 3 Horas antes de morrer , Boechat desabafou na Band , sobre o caso de Brumadinho , Samarco e do total abandono pelo qual passa o Brasil Vou sentir saudades ! Foi a Campinas dar uma Palestra. Passou por depressão e ficou 2 meses afastado . Era convidado a dar Palestras de conscientização e Apoio, de que depressão tem cura ! Vai fazer muita falta Grande admiração por Boechat Deus te acolha meu querido amigo !

  12. Muito triste, uma perda imensa para o jornalismo Brasileiro e do mundo. Homem claro, transparente, direto e com um conhecimento e sensibilidade humana incomparável.

  13. Uma perda inestimável para o jornalismo brasileiro. Ele estava no seu auge de audiência e era inigualável em suas críticas sempre cultas e perfeitas. Mais um desastre em que o jornalismo nacional fica de luto, bem como todos os brasileiros e especialmente a Band.

  14. Muito triste. Quando a gente há muito tempo, ouve o cara toda manhã, a intimidade fica tão, que parece que perdemos um ente querido. Ele nos contava os nomes da esposa, das filhas, da mãe. Contava história da família, dos amigos. Um convívio tão longo, todos os dias. Perdemos um amigo, um pai, filho, irmão, um ídolo. Boechat, me perdoe, mas sua hora não era agora. Há um complô contra nós.

  15. Ō, Boechat!!!! Q. saudades!!! Que lacuna nesse jornalismo único, q era o seu! Íntegro, franco, ético, bom humor, ia fundo nas notícias , seus comentários irônico e alegre . Como vai fazer falta!!!! Que Deus conforte sua família e amigos!! Fica com Deus, Boechat!!!!

    1. Fuck. Estou em lágrimas por esta ilastimável perda.

  16. Saiu o Laudo da ANAC Nenhuma irregularidade com o helicóptero Tá tão difícil acreditar na seriedade desse País Mas em sendo SP , o segundo lugar onde mais se utiliza esse meio de locomoção , fica difícil acreditar que foi mera casualidade O primeiro , é Nova Yorque . Tô realmente muito desolada. Uma grande perda !

  17. Estou consternada. Minhas manhãs não serão mais as mesmas, acostumada que estou a despertar com os pertinentes, sensatos e imparciais comentários desse competente, bem humorado, simpático e agradável jornalista. Hoje fiquei muito, muito triste ...

    1. Se a gente pudesse escolher quem deveria partir, a minha lista já está pronta há muito tempo: Renan, Gilmar, Lewandowski, Toffoli, Gleisi, Boulos e outros mais. Mas Boechat, não! Tristeza doída.

  18. triste, num momento de grande carência de bons profissionais. Para quem o acompanhava no jornal diário, fará muita falta. Wanderley Campos.

  19. Elogio após a morte é sempre fácil. Registra a existência, quase sempre com algumas boas lembranças. Para ser melhor compreendido, o elogio deveria ser praticado em vida. Com a morte prematura do Boechat, perdeu-se uma voz corajosa. Não tive tempo de dizer isso para ele.

  20. Muito triste, mais uma perda incomensurável para o Brasil. Um jornalista muito honrado! Logo agora que isso e coisa rara nesse país !!😢😢😢😢😢😢😢

Mais notícias
Assine
TOPO