Rogério Cassimiro/FolhapressMarcos Camacho, o Marcola, chefão do PCC: a facção, assim como as milícias, também quer ter lugar nas instituições públicas

O PCC e a milícia querem seu voto

Como o crime organizado comum - aquele que trafica drogas, rouba e mata - está se infiltrando cada vez com mais força na política. Representantes da maior facção criminosa do país e milicianos também disputam os votos dos brasileiros neste domingo
13.11.20

As eleições municipais do próximo domingo podem ser analisadas sob diferentes perspectivas. No campo estritamente político, o resultado das urnas servirá de termômetro para a disputa presidencial de 2022 e testará as preferências de momento dos brasileiros. Há um outro aspecto, porém, que não é tão visível para o eleitor comum, mas que atrai a atenção de uma parcela das autoridades cuja missão é monitorar a atuação de grupos criminosos pelo país afora: o avanço das facções criminosas e das milícias sobre o poder constituído, apoiando candidatos e até injetando recursos em campanhas. Investigações recentes e informes de inteligência apresentam um cenário preocupante, em que os chefões de diferentes organizações consolidaram a diretriz que prega o aparelhamento das instituições, nem que para isso seja preciso entrar na disputa direta pelo voto. Como resultado dessa estratégia, além de ampliar seus tentáculos com o objetivo de obter proteção, as organizações miram outros tipos de vantagem, incluindo a obtenção de contratos milionários no serviço público – em um sinal eloquente de que os criminosos comuns resolveram avançar também sobre o mercado dos criminosos do colarinho branco.

Nos últimos dias, duas ações da Polícia Federal mostraram o tamanho do problema. Na quarta-feira, 11, uma operação deflagrada no Mato Grosso prendeu uma mulher que seria responsável por organizar a candidatura de um vereador na cidade de Barra do Garças para o Comando Vermelho, a quadrilha de narcotraficantes que nasceu no Rio de Janeiro e se espraiou pelo Brasil. Para ter uma ideia do nível de planejamento, antes de a candidatura ser oficialmente adotada, houve uma “prévia” em que integrantes da facção, incluindo os presos, votaram por meio de mensagens de WhatsApp. O “escolhido” recebeu ajuda financeira para a campanha – em contrapartida, se eleito ele deveria representar os interesses do grupo. O caso ainda está em andamento, mas a suspeita da PF é que o mesmo modus operandi tenha se repetido em várias cidades do estado.

Um dia depois, no Rio de Janeiro, os policiais federais também bateram à porta de candidatos a cargos públicos nas eleições do próximo domingo, para cumprir mandados de busca e apreensão e levar adiante a apuração sobre o financiamento de políticos pela Liga da Justiça, uma das maiores milícias do estado. Foram alvos os irmãos José Guimarães Natalino e Jerônimo Guimarães Filho, o Jerominho, fundadores da organização. Uma filha de Natalino é candidata a vice-prefeita do Rio pelo PMB, na chapa de Suêd Haidar, e uma filha de Jerominho disputa uma vaga na Câmara de Vereadores pela mesma legenda. As duas também são investigadas.

De acordo com os policiais, os milicianos escolhiam seus candidatos por meio de enquetes em grupos nas redes sociais. O método era similar ao usado pelo Comando Vermelho no Mato Grosso: uma vez “eleitos” pelos criminosos, os candidatos recebiam verbas para campanha e outros tipos de ajuda que incluíam até a disseminação de notícias falsas. Relatórios de inteligência do Coaf revelam a movimentação de mais de 1 milhão de reais em empresas ligadas aos investigados. A PF suspeita que ao menos uma parte das transações, realizada durante o período eleitoral, esteja relacionada com as campanhas.

Depois de alçadas ao cenário nacional pelas relações da família presidencial com alguns de seus integrantes – o filho 01 de Jair Bolsonaro, o senador Flávio Bolsonaro, não só empregou parentes do miliciano Adriano da Nóbrega em seu gabinete como o condecorou na Assembleia Legislativa do Rio -, as milícias cariocas passaram a integrar, ao lado das facções criminosas, em especial o Primeiro Comando da Capital, o PCC, o rol de organizações criminosas sob suspeita atuarem com o objetivo de infiltração nas instituições públicas.

José Lucena/FolhapressJosé Lucena/FolhapressNa operação desta quinta, a PF mirou a interferência de milicianos na campanha eleitoral no Rio
A Polícia Federal monitora esses grupos criminosos e sua relação com a política a partir da Coordenação-Geral de Repressão a Entorpecentes, baseada em Brasília. Além de mapear o possível financiamento direto por meio de doações, os policiais têm procurado identificar empresas ligadas aos criminosos com contratos públicos e acompanham possíveis casos de uso de força para influenciar voto em territórios comandados por eles. Embora estejam no radar, as milícias são vistas ainda como um problema menor por estarem mais concentradas no Rio de Janeiro. O problema principal, afirmam os investigadores, é o PCC.

Em uma operação recente que identificou uma rede de empresas utilizadas para lavar dinheiro para integrantes da facção, entre eles Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, os policiais produziram um organograma com a teia de suspeitos de atuar no esquema a mando do líder máximo da organização. O documento é a prova, para a PF, da proximidade da cúpula do grupo com agentes políticos. Logo abaixo da foto de Marcola está a de Ney Santos, do Republicanos, prefeito de Embu das Artes, cidade da região metropolitana de São Paulo. O motivo para Santos estar ali é o fato de um posto de gasolina em seu nome ter o mesmo contador de uma empresa vendida por familiares de Marcola para seu principal lavador de dinheiro. O prefeito, que chegou a ser preso, é candidato à reeleição. Desde o início da campanha, ele recebeu três repasses da fatia do fundo eleitoral destinada ao seu partido, o Republicanos. Os valores alcançam a cifra de 1 milhão de reais – sim, 1 milhão de reais dos cofres públicos foram parar nas contas do comitê de um candidato que aparece em uma investigação da PF ao lado da cúpula do PCC.

Mas o caso mais exemplar descoberto até agora dessa nova frente de atuação do PCC é o da cidade de Arujá, também na Grande São Paulo. Uma investigação da Polícia Civil de São Paulo mostrou como a facção financiou o prefeito José Luiz Monteiro, do MDB, e seu vice, Márcio José de Oliveira, do Republicanos, em 2016, com dinheiro do narcotráfico. Após a vitória da chapa, a prefeitura passou a gestão de um hospital municipal para uma entidade “comprada” por um megatraficante parceiro de André do Rap, o chefão do PCC solto em outubro por um habeas corpus do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal.

Adriano Machado/CrusoéAdriano Machado/CrusoéO delegado Secco: a PF acompanha as tentativas de infiltração
É um exemplo bem acabado de como o PCC agora também procura faturar naquela seara onde antes só os políticos bandidos atuavam: assaltando os cofres públicos. Em apenas dois anos, segundo a apuração, o grupo teria recebido 77 milhões de reais em contratos da prefeitura de Arujá. Os recursos eram desviados por meio de contratações superfaturadas e por empresas de fachada pertencentes à organização. Uma delas, uma padaria que fornecia comida para o hospital da cidade, tinha como endereço uma residência a 500 metros da casa do prefeito. “O esquema com as prefeituras começa aí. Márcio (o vice) pediu apoio financeiro ao traficante na eleição e, em troca, deu a ele o controle de serviços públicos na cidade”, afirma o delegado Fernando Santiago, responsável pela apuração. “Com alto número de empresas e entidades criadas, a gente acredita que eles tenham se infiltrado em serviços públicos de outras cidades, como gestão de saúde, coleta de lixo, tapa-buracos, provavelmente com métodos parecidos de financiar campanhas políticas”, segue o delegado. Em São Paulo, a capital, suspeita-se que o setor de transportes públicos está contaminado pela facção.

Na Polícia Federal, a descoberta dos braços políticos financiados pelo PCC e por outras facções, além das milícias, se deu no curso de investigações cujos alvos eram os responsáveis por cuidar das finanças das quadrilhas. Segundo o coordenador de Repressão a Entorpecentes, delegado Elvis Secco, um dos objetivos do esforço dos policiais para identificar responsáveis por cuidar da lavagem de dinheiro para esses grupos é, justamente, “identificar toda e qualquer tentativa de infiltração de membros no poder público”.

Antes de se mudar para Brasília, o delegado atuou em Londrina, onde, ainda em 2013, uma investigação já indicava o interesse de uma facção em financiar candidaturas de vereadores. Sete anos depois, é consenso na corporação que a situação piorou. “As investigações policiais devem cada vez mais buscar se aprofundar na questão financeira, identificar os núcleos responsáveis pela lavagem de dinheiro, descortinar as empresas e os sócios que servem aos líderes. É através da estrutura empresarial que as facções encontrarão o caminho para concorrer em certames públicos e bancar campanhas políticas”, diz Secco.

Tanto as milícias quanto as facções, segundo as investigações, buscam interferir nas eleições de formas diferentes: além do financiamento direto de candidaturas, elas influenciam o resultado das urnas pelo domínio do território e pelo uso da violência a favor ou contra as campanhas de determinados políticos. Um caso ainda sob investigação, mas que aponta para a atuação de facções via controle de território e uso da violência, é o da candidata a prefeita da cidade paulista de São Vicente, Solange Freitas, do PSDB. Ela foi alvo de um atentado a tiros na quarta-feira, 11. Em outubro, o PCC divulgou um “salve” — como são chamadas as mensagens da cúpula da facção para baixar ordens para subordinados — proibindo a campanha de determinados candidatos em áreas comandadas pelo grupo. Fontes a par da investigação disseram a Crusoé que, semanas antes de ser alvo da tentativa de assassinato, Solange esteve em uma comunidade e recebeu o alerta: não poderia continuar a fazer campanha por ali. Ela deu de ombros, e a ameaça foi cumprida.

A mesma tática dos criminosos de usar a violência para impor suas vontades é usada de forma escandalosa no Rio de Janeiro. Levantamentos recentes mostram que milícias e facções têm algum tipo de influência em 96 dos 163 bairros da capital do estado. As facções dominam cerca de 25% dos bairros onde mora quase um terço dos 7 milhões de habitantes da cidade. O resultado do controle territorial, segundo investigadores e estudiosos do tema, é uma espécie de “voto de cabresto”. Em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, um candidato a vereador pelo PHS, Domingos Barbosa Cabral, foi morto no início da campanha. Uma das linhas de investigação indica que ele teria ligação com uma milícia rival da que controla a região e, por isso, não estaria autorizado a pedir votos em certas áreas.

Divulgação/Prefeitura de ArujáDivulgação/Prefeitura de ArujáEm Arujá, na Grande São Paulo, o PCC conseguiu até contratos públicos
Se para os investigadores a nova frente de atuação das facções e das milícias é a prova da necessidade de sufocá-las financeiramente, para estudiosos do assunto a movimentação em busca de infiltração no poder público é o último passo para que organizações como o PCC passem a ser classificadas como máfias. Como explica o ex-desembargador Wálter Maierovitch, estudioso do crime organizado e presidente do instituto que leva o nome do juiz italiano Giovanni Falcone, morto pelos mafiosos sicilianos da Cosa Nostra, a facção nascida nos presídios paulistas na década de 1990 preenche boa parte dos requisitos para mudar de patamar. “Já é uma máfia. Essas organizações são parasitárias. E eles ainda têm controle sobre o território, como as máfias italianas”, diz Maierovitch. Já as milícias, para o ex-magistrado, estão um estágio atrás. São pré-máfias, afirma ele, porque ainda atuam apenas em suas regiões e não têm características transnacionais.

Para Maierovitch, assim como as organizações criminosas ligadas aos últimos grandes casos de desvios de dinheiro público, as facções e milícias querem influenciar nas decisões dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário como forma de manter e aumentar o lucro dos seus negócios. Além disso, elas querem se proteger. “Da mesma forma que aquelas organizações formadas por empresários e empreiteiros, as facções e milícias precisam ter políticos e agentes públicos dispostos a ajudar seus interesses”, afirma.

Autor do livro “A República das Milícias” e integrante do Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo, o pesquisador Bruno Paes Manso vê diferenças entre o velho modelo de atuação do tráfico em campanhas eleitorais e aquele adotado agora pelas milícias no Rio, por exemplo. “No caso do tráfico, era mais a cobrança para atuar no território. Já as milícias, além da cobrança, começaram a lançar candidatos para dar respaldo a esses grupos nos parlamentos. Além de proibir oposição, passaram a deixar saírem, nos seus territórios, somente candidatos com algum tipo de aliança com os grupos”, diz. Quanto ao PCC, Manso afirma que ainda faltam dados concretos e estudos sobre a relação da facção com o poder público, mas observa que as recentes investigações têm apontado para um nível de profissionalização cada vez maior. “Ao que parece, pelos esquemas de lavagem de dinheiro, estão se profissionalizando.”

Na mesma operação em que descobriram a atuação das empresas ligadas ao PCC em Arujá, os investigadores fizeram gravações ambientais de integrantes do grupo. Em uma das conversas, eles falam sobre o suposto pagamento a um magistrado, sem dar detalhes, em troca de um habeas corpus para um traficante ligado à facção. Como mostram as fartas provas colhidas até aqui, em várias frentes a criminalidade comum organizada está caminhando a passos cada vez mais largos para atuar nos mesmos padrões das grandes organizações criminosas desarticuladas em investigações como a do petrolão. Envergando terno e gravata ou não, os diferentes tipos de bandidos nunca estiveram tão alinhados em seus objetivos.

Colaboraram Fabio Leite e Luiz Vassallo
Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Moro em Arujá, citada na matéria. O eleito prefeito está sendo processado por ter desfiado dos cofres públicos, do Estado de São Paulo, 500 milhões de reais. E foi eleito com mais de 40% dos votos válidos.

  2. Se vocês investigarem as relações entre PCC, grileiros de terra e o Bozismo, o presidente cairá em menos de uma semana. Saiam do sul e viajem para a Amazônia. É lá que o dinheiro é gerado!

  3. KKKK , Membro do STF soltando membro do PCC tu queres o que? vocês estão alarmados do que? oras bolas nesse país funciona o dinheiro, poder, do México até o Uruguai os Narcotraficantes são aliados com a justiça, empresários e bandidagem comum que são as mulas ou as formigas do sistema.

  4. o PCC está avançado. As milícias, um passo atrás. E a imprensa, 5 passos atrás... Não é de hoje q se suspeita da influência de organizações criminosas no governo. Desde o filme "Tropa de Elite 2" até o HC emitido pelo Marco Aurélio Mello... não vê quem não quer. o Brasil está dominado pelas facções, desde Rio, SP até Brasília.

    1. Na minha opinião, em Brasília já existem várias facções criminosas especializadas em roubar dinheiro público e se perpetuar no poder. Desde 1985 que essas quadrilhas vêem se especializando cada vez mais em extorquir esse país ao máximo, criando e alimentando fortunas bilionárias no exterior (é onde eles investem o que roubam aqui). E a nós, cidadãos nos resta sonhar com a diminuição da ignorância via investimentos em educação para haver uma mudança de cenário.

  5. Estarrecedor !!!! Abram este reportagem a todos os brasileiros , que precisam saber disto para votar correto em 2020 e 2022 ......!!!!!!

  6. A arma ao nosso alcance hoje é o voto de todos os BRASILEIROS sem omissão....!!!! Esses omissos são cerca de 30% ...!! Faz toda a diferença..! Ja' vale pra amanhã..! Escolha com bons critérios seus candidatos..! Isso fará toda a diferença..!! Vamos lá.. Sem omissão amanhã..!!

  7. E qual político nesse país não é bandido? 99% estão visando enriquecer as custas dos idiotas quem acreditam em papai noel. Votar cociente, seria votar no Marcola, Fernandinho Beira Mar. Um país que os ministros só STF soltam traficantes e chefes do PCC a toque de caixa. Filhos de desembargadores e esposas de ministros do Supremo enriquecem desavergonhadamente em 2 anos. So matando, explodindo esses vermes, pra mudar alguma coisa um dia.

  8. A verdade? Novelas filmes e produções teatrais. Tão ensinando tudo aos delinquentes. Exemplo? Logo q a Lava Jato apresentou resultados, foi comparada a Operação Mãos Limpas, na Itália. Resultado ? A vamdidagem Usou os mesmos mecanismos pra destruir a Lava Jato. A palavra "facção", antiga em nosso vernáculo, tornou-se obrigatória entre a bandidagem e os meios de comunicação após certa novela global. Antes eram "quadrilha" e "gangues". Objetivo? Orientar a malandragem a evitar "danos colaterais".

  9. Pobreza , corrupção , legislação criminal benéfica , colocaram a Nação nas mãos das multinacionais do crime. André do Rap tá vivo e solto porque é da N'Draghetta. Onde vamos parar se não pará-los ? MORO deve ser protegido e preservado... No ataque direto Bolsonaro não perdeu a vida. No "político sorrateiro" perdeu Moro e a moral. Não mais representa perigo. Pra quem ?.

  10. O próprio sistema eleitoral com a concorrência tal como a MEGA SENA facilita esses métodos criminosos de angariar votos. Se no sistema houvesse filtros tal qual o sistema eleitoral americano a coisa poderia oferecer menor campo para a criminalidade do voto. Há candidatos que participam ardilosamente desse esquema de banditismo, prometendo ajudar a essas organizações criminosas de modo direto ou indireto e até com influência no Parlamento Nacional para sugerir leis que possam auxiliar bandidos.

  11. PC. Enquanto isso, o Congresso Nacional está agindo para fragilizar a legislação, visando a facilitar as atividades criminosas.

  12. b) Marcola importa mercadoria proibida,trafica,vende e revende,por isso tem que controlar imensa organização sempre sediciosa. Tem que cuidar da própria segurança. Não se acastelou no Estado. No frigir dos ovos ganha menos que seu antípoda “homem da lei”. Ambos têm o mesmo caráter, criminoso, delinquente, desonesto, malsão. Do ponto de vista estritamente negocial Marcola está em desvantagem.

  13. O Brasil está contaminado pela chaga da impunidade e corrupção, graças ao esquerdopatas com apoio resiliente de políticos patrimonialistas com amparo constituicional da CF 88, dita cidadã.

  14. A solução: "tolerância ZERO"; "prisão em 2° instância"; já q ñ temos prisão perpétua, "aumento de bons manicômios judiciários" p/ q psicopatas como esses fiquem isolados da sociedade pelo resto das suas nocivas vidas; "duplicação automática das penas p/agentes da lei e políticos corruptos". Claro q são medidas p/ os efeitos, pq as causas majoritariamente se resolvem é c/ nível elevado de educação plural, c/ educação multidisciplinar de qualidade, c/ empregos, saúde e combate racional à miséria.

    1. E evidentemente, administrativamente, sobretudo com o Dr. SÉRGIO FERNANDO MORO, COMO UM EXEMPLAR, DECENTE, CONSCIENTE E INQUESTIONAVELMENTE COMPETENTE PRESIDENTE!!!!

  15. Excelente reportagem. Informativa, esclarecedora, corajosa. Devemos entretanto colocar algumas questões para aprofundar as análises: 1) Quais as diferenças - estritamente negociais- entre BEIÇOLA e MARCOLA ? a) Beiçola ganha milhões com uma simples canetada. Quanto está cobrando por um HC? Quanto recebe permanentemente de propinas para influenciar processos? Como age para acossar políticos, (como ele próprio) , corruptos? Como legisla em proveito próprio consoante interpretação monocrática?

  16. Quais os planos do candidato à prefeitura de São Paulo, Jilmar Tatto, PT, sobre o combate do crime organizado no comando do transporte público.

  17. O criminoso precisa de cobertura. Desde o suborno ao policial local, passando pelas colunas sociais dos jornais e revistas e até aos escalões mais altos do poder judiciário, a cadeia do crime sempre compra e conta com a ajuda oficial.

  18. Parece que descobriram que roubar como político é mais lucrativo e menos perigoso. Se eu fosse mais jovem, iria embora do Brasil o quanto antes...

  19. A reportagem é bastante oportuna. Penso que a ligação entre tráfico de drogas e política seja bem mais antiga do que sugere o texto. Basta lembrar que os bicheiros na década de 1980 também eram empresários que prestavam serviços aos governos.

  20. O fim do foro privilegiado pode conter esses avanços criminosos. Juntamente com a prisão em 2ª instância eu diria mais em 1ª instância seria ideal.

  21. Eu deveria me preocupar, mas estou velho demais para isso. Sem filhos, por qual motivo devo ficar pregando no deserto para que as pessoas tirem a bunda do sofá e passem da indignAÇÃO para a AÇÃO? Ademais, fica a pergunta: QUAL A DIFERENÇA A ENTRE PCC / MILÍCIAS E ESSA TURMA QUE HJ OCUPA A PÇ DOS 3 PHODERES?

    1. Marilua, eles são mais perigosos e destruidores da sociedade porque eles fazem a leis e tem as leis nas mãos.

    2. A diferenca é que os bandidos de colarinho branco são muito mais hipócritas.

  22. Ou os brasileiros criam vergonha e aprendem a votar ou então vou começar a torcer para que o PCC chegue logo a presidência, a assim vai ficar mais na cara a impotência dos homens de bem deste país (homem bom sem potencia é dominado pro malignos com armas na mão, simples assim). Aí depois vem um maricas falar de maricas.. pois é assim que anda a masculinidade deste país:: emasculada, lamentável.

  23. Por falar em Orcrim... já temos uma organização criminosa no congresso liderada pelo Nhônho e Álcoolumbre, respaldada pela Segunda turma da Suprema Vergonha e, diga-se de passagem, apoiada pelos "brasileiros". O Marcola é só mais um concorrente.

    1. Caro Sr. Hélio você esqueceu de incluir em sua listagem os nomes do pessoal do PT e do PSDB, principalmente O LULADRÃO, a DILMANTA, o Zé Dirceu, o Aécio Neves, o Zé Serra, os eternos corruptos do MDB Michel Temer, o Renan Calheiros, etc.etc. são tantos que não cabe Aqui e vc só lembrou dos filhos do Bolsonaro. Porquê? Se esqueceu desses todos que eu citei. Foi lapso de memória ou foi propositalmente.

  24. "Envergando terno e gravata ou não, os diferentes tipos de bandidos nunca estiveram tão alinhados em seus objeticos" Parabéns Fábio Serapiao. A melhor definição que eu li a respeito desse país na política (podre).

  25. Viva México!!! igual as famílias q dominam o tráfico no México, ZAPATA é outros têm prefeitos, delegado, governador é até presidente....

  26. Essa constatação é muito preocupante... Aí se explica o perfil corrupto de muitos políticos. Mas reportagem como essa nos dão esperança, pois denuncia e nos mostra que há gente séria investigando e analisando essa prática abominável. Há ainda uma grande Esperança: Moro na Presidência da República em 2022, com um excelente Ministério e grande capacidade de diálogo com os outros poderes da República.

    1. Não é difícil deduzir quem foi que soltou esse lider do PCC. Foi há pouco que isso ocorreu...

  27. Fiz uma assinatura anual faz seis meses. Hoje ao tentar abrir a edução semanal aparece que minha assinatura está atrasada. Atrasado está sua mãe! Não tem nenhuma alternativa para entrar em contato a não ser pagar outra vez. Favor regularizar minha assinatura. Alexandre Chamma.

    1. Os Editores de fato poderiam começar uma faxina ética arrumando a própria cozinha. Se é verdade o relato, isso é INADMISSÍVEL, UMA VERGONHA! Fiz assinatura por dois anos e ESTOU DE OLHO!!!! Inclusive meu pacote era Crusoé + Antagonista, e eu não consigo comentar em notas de O Antagonista... pelo menos recebo os e-mails. Seriedade, aí, pessoal...

    1. Lucianu Huck NÃO!!!!!!! Decepção total. GENERAL SANTOS CRUZ PRESIDENTE 2022.

  28. Com ex presidente condenado e pedindo votos, um presidente dando show de disparates , qualquer lider criminoso se encoraja. Por que não?

  29. Ilustres Fábio Serapião, Fabio Leite e Luiz Vassallo, ambos também sabem que alguns dos envolvidos na corrupção sistêmica, também tem ligação e apoio (até financeiro) com facções criminosas e milícias. Certo?

  30. "Viver é muito perigoso... Porque aprender a viver é que é o viver mesmo... Travessia perigosa, mas é a da vida. Sertão que se alteia e abaixa... O mais difí­cil não é um ser bom e proceder honesto, dificultoso mesmo, é um saber definido o que quer, e ter o poder de ir até o rabo da palavra." Guimarães Rosa não tinha ideia do que viria...

  31. Enquanto avançava na leitura dessa matéria, martelavam em minha mente a boa vontade, a simpatia e a tolerância com que o Poder Judiciário e, de resto, os poderes em geral tratam a cúpula da criminalidade no país. Os exemplos dessa relação de protecionismo estão estampados em veículos de comunicação (sérios) pelo país. E não é só o episódio da soltura do tal André do Rap pelo min. Marco Aurélio - talvez esse seja o momento em que a sociedade se sentiu ainda mais esbofeteada, humilhada pelo STF.

  32. Encontram respaldo (pagando caro) em advogados sem escrúpulos e magistrados vendidos em todas as instâncias. A impunidade é garantida e a população não tem a quem recorrer.

    1. Perfeito Gilberto! O sistema judiciário é totalmente disfuncional, caro e incapaz de reduzir a impunidade.

  33. O financiamento público e a proibição de doações empresariais, levaram o caixa dois aumentar. Quem tem caixa disponível ? Igrejas e tráfico . Vamos o caminho do México se não liberarmos doações oficiais e acabar com uso de dinheiro publico para políticos profissionais. VOTO DISTRITAL E FINANCIAMENTO PRIVADO, como em todo país livre.

  34. Não sei o que comentar... 2022 temos que eleger Moro e , Moro, precisa nomear toda a Lava Jato para seu governo. Juro, não vejo um caminho mais viável que esse. Por favor, Sergio Moro, se vc lê comentários daqui, ouça-nos! Ninguém mais merece a confiança e respeito do povo. Que matéria mais triste, desoladora e estarrecedora.

    1. Embora eu apoie Moro, infelizmente Presidente não resolve tudo, aliás muito pouco. Consegue apenas compor seus quadros com gente séria, se deixarem. Os tentáculos se espraiam em todos os setores. Mas se tiver habilidade política (a boa), e pra isso precisa evoluir também e liderança para conduzir o país no rumo certo, já é um bom começo. E ter um passado e família de reputação ilibada, pra não ficar refém dos acordos espúrios. Mas isso creio ele tem.

  35. Estarrecedor . Os milicianos também querem roubar os cofres públicos e passar por bons políticos que visam o bem do país . Eles também querem legislar em causa própria : trocar a sandália por terno e gravata. E o Brasil .. continua descendo a ladeira .. desce .. desce

  36. Que essa gente já está infiltrada na CMSP, é sabido há anos. Houve alertas de vereadores sobre sua atuação, foram inclusive ameaçados de morte. Alguém duvida q membros do Congresso Nacional estejam envolvidos, em maior ou menor grau, com milicianos e traficantes do PCC, CVC e outras máfias? Basta ver o esforço de parlamentares em bloquearem as investigações da Lava Jato, perseguirem Moro e outros agentes públicos à frente do combate ao crime organizado. Vivemos numa República de Criminosos...

  37. Não falta nada para ser declarado que a máfia controlão Brasil. Baste ver que são as mesmas “famílias” no comando político de vários territórios. Agora se junta a elas o bandido comum, o traficante de drogas e de armas e as milícias, que já dominam pequenos territórios, querem avançar para o domínio de municípios e estados, antes dominados pelas famílias de políticos. Em breve veremos as forças legais, a serviço das famílias mafiosas de políticos do poder enfrentando as forças ilegais do tráfico

    1. Isso (voto facult.) é o mínimo que se espera de uma democracia.

  38. Pois é... quanto será que Marco Aurélio levou para soltar o André do Rap e os outros centenas de bandidos que ele mandou soltar durante a pandemia?

  39. Essas facções vão ascender cada vez mais à política, pelo simples fato que os brasileiros adoram votar em ladrão. Vão continuar tendo o governo que merecem.

  40. Parabéns pela matéria! Deixo como sugestão que o Antagonista também divulgue amplamente com comentários e entrevistas, incluídos, os especialistas ouvidos pela Crusoé.

  41. quem nasceu primeiro o ovo ou a galinha.enquanto tivermos este pluripartidarismo tupiniquim com entrada de quem tiver dinheiro ou votos nos diretórios municipais sem qualquer controle da sua ideologia partidaria, da sua "folha corrida", conduta e ética. o mal está na raiz! reforma séria na legislação eleitoral. Vide is representantes das camaras estaduais ferederal e senado.

  42. Em Novo Hamburgo - RS, o vereador Fernandinho, ligado à violenta facção Os Manos, foi eleito em 2016 e mesmo tendo sido brevemente preso em 2017, está concorrendo novamente e tem chance de ser reeleito. Inacreditável.

  43. No 1o da série Poderoso Chefao, aparece Don Corleone dizendo ao filho Michael que ele poderia ser Senador Corleone, Governador Corleone e até Presidente Corleone. Aqui conseguiu. Quem seria???

    1. Excelente lembrança! Pena que na vida real não tem a trilha sonora do filme e as interpretações dos "atores" brasileiros são pífias...

  44. MORO PRESIDENTE em 2022 e o povo renovando, ao máximo, as Câmaras Legislativas, elegendo pessoas honestas. Aí sim a mudança vai começar.

    1. OS MILICIANOS JA ESTÃO NA POLÍTICA REPRESENTADOS PELA FAMÍLIA BOZOBOSTA. E TEM MAIS. O SUPREMO SOLTANDO OS CHEFÕES.

    2. Maria parabéns pelo excelente comentário essa é própria realidade brasileira compartilhando o mesmo pensamento

  45. Por que o crime organizado comum está se infiltrando na força política? Talvez porque bandidos se sintam bem entre seus pares, os políticos.

  46. Assustador!!!E a maioria de políticos criminosos não vai interferir no avanço destes criminosos que querem ser políticos e em futuro. próximo serão "irmãos contra irmãos" e vencerão os "armados", né Bolsonaro???

    1. o ministro Marco Aurélio Mello já deu asas pra mais um. Eta gentalha!

  47. Renovar o Congresso, Moro na Presidência, exigir um PGR isento e avançar sobre a corrupção no Judiciário devem ser os objetivos para 2022.

    1. Nestes últimos tempos só surgiram PGRs meia boca, pra não dizer, lixo...

  48. a politica está cheia de representantes por isso somos uma republiqueta das bananas o povinho vota nesses caras por um pacote de bolacha

  49. É urgentíssimo mudar a composição do Congresso Nacional. Qualquer que seja o presidente eleito em 2022, sem um congresso renovado, é enxugar gelo. Moro precisa se candidatar! Conte com o apoio do brasileiro honesto.

  50. Aparentemente já estão atuando na política há muito tempo. Basta ver o que fizeram com o as leis anti-crime: só aumentaram as dificuldades de investigação, em vez de facilitar. Esse tal de juiz de garantia é um exemplo. Conseguiram tirar o Moro, uma ameaça à corrupção e a criminalidade comum

  51. Os políticos criminalizaram a política e agora os criminosos estão politizando o crime, e nós viramos miolo de sanduíche dessas quadrilhas.

    1. infelizmente ainda temos uma corte favorável a bandidos , Brasil um país bom para bandidos. Lena

  52. O Brasil tomou um rumo perigosíssimo! Temo pelo futuro dos nossos filhos e netos. Como estará esse país daqui a dez anos? Seremos uma Venezuela?

    1. Assustador! Se bem que, com o nível dos nossos políticos não surpreende...infelizmente!

    2. Agora entendi o que PMB significa: Partido Miliciano Brasileiro.

    3. Agora entendi o que PMB significa: Partido Miliciano Brasileiro.

    4. Estamos mais para Tijuana e Ciudad Juárez no México.

    5. Parabéns à Policia Federal! Só espero que consigam dar conta de evitar que eles tomem conta desse pais. É assustador o poder deles, PCC, milicia...

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO