ReproduçãoOs indicados por Biden já tiveram experiência prévia no governo e seguem linha moderada

O establishment no poder

As primeiras nomeações de Biden mostram que a esquerda radical não terá lugar na Casa Branca, a diplomacia climática deve ser cautelosa e o novo governo gastará mais, o que terá consequências para o Brasil
27.11.20

O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou nesta semana os nomes dos seus principais assessores nas áreas de política externa e segurança nacional e na Secretaria do Tesouro. Ainda que o Brasil não esteja, nem de longe, entre as prioridades do próximo governo, a escolha dos ocupantes dos principais cargos em Washington manda sinais poderosos para a economia brasileira, para a política ambiental do governo de Jair Bolsonaro e para os que pretendem viver ou trabalhar nos Estados Unidos.

A notícia que mais repercutiu foi a indicação da economista Janet Yellen para a Secretaria do Tesouro. Chefe do Banco Central, o FED, entre 2014 e 2018, ela já conduziu a política monetária e cambial do país. “A indicação de Janet deixou o mercado mais tranquilo e confiante. Ela é uma pessoa previsível, transparente e que se comunica muito bem”, diz a economista Simone Pasianotto. Janet tem defendido um pacote para ajudar a economia a americana a se reerguer após a pandemia. Como é esperado que senadores republicanos se oponham a gastos exagerados, a conta não deve ser tão alta. Janet também já disse que é preciso tomar cuidado com a dívida. Além disso, espera-se uma boa coordenação com o FED, mantendo os juros baixos por mais tempo. Essa combinação de fatores poderá servir de combustível para a economia, o que alegrou as bolsas em todo o mundo.

FEDFEDJanet Yellen irá para a Secretaria do Tesouro
Para o Brasil, uma recuperação americana impulsionaria o consumo de produtos brasileiros. A credibilidade de Janet deve segurar o dólar no mundo. Uma queda na cotação da moeda poderia facilitar as importações brasileiras, principalmente as de petróleo, de bens de capital e de produtos eletrônicos. “Com o dólar menos arisco, o Brasil gastará menos com as importações, enquanto as exportações de commodities não devem ser afetadas, porque a demanda continuará alta”, diz Simone Pasianotto.

Outra escolha, a do cubano-americano Alejandro Mayorkas para o Departamento de Segurança Interna, mudará o perfil da política de imigração dos Estados Unidos. Mayorkas deve retomar o trabalho feito no governo de Barack Obama, quando ele ocupou o segundo posto do departamento. Nessa época, os Estados Unidos ampliaram os vistos de trabalho e impulsionaram a imigração legal. Com ele, muito da burocracia e das restrições implementadas pelo governo de Donald Trump deverá ser removida no próximo ano. “Mayorkas é conhecido no meio advocatício como um ex-promotor que segue fielmente a lei. Com isso, deve revogar muitos dos decretos emitidos por Trump que contrariavam a legislação e buscavam dificultar a imigração legal, incluindo a de profissionais brasileiros”, diz o advogado Witer DeSiqueira, especialista em imigração para os Estados Unidos.

Diálogo InteramericanoDiálogo InteramericanoJohn Kerry, ex-secretário de estado, será o czar do clima
A área mais sensível para o Brasil é a ambiental. Biden escolheu John Kerry, que foi senador e secretário de estado, para ser o seu “czar das mudanças climáticas”. O cargo será inserido no Conselho Nacional de Segurança, o principal grupo de assessores presidenciais. Kerry ajudou Obama a assinar o Protocolo de Kyoto e esteve envolvido no Acordo de Paris. Suas prioridades serão a reentrada americana nesse acordo e uma aproximação com a União Europeia. No segundo plano, Kerry também deverá estar atento ao Brasil. “Biden e Kerry conhecem a importância da economia e da democracia brasileira e tentarão uma abordagem cuidadosa, respeitosa, procurando iniciar um diálogo”, diz o embaixador Roberto Abdenur, conselheiro do Centro Brasileiro de Relações Internacionais, o Cebri. “Eles não virão com um tacape na mão prontos para agredir o Brasil. A coisa só ficará complicada se essa primeira proposta de diálogo for repudiada.”

Em teoria, a área ambiental é aquela em que Biden mais pode agradar a ala radical do Partido Democrata. Mas Kerry, uma autoridade no assunto, não representa esse pessoal. No ano passado, ele chegou até a formar um grupo de democratas e republicanos para pensar medidas para amenizar as mudanças climáticas. Ambientalistas da ala mais à esquerda do Partido Democrata elogiaram educadamente a opção por Kerry, mas cobraram novos postos na nova administração para desenvolver projetos mais intervencionistas a favor do uso de energias renováveis e contra os combustíveis fósseis. É esse também o grupo que menos tolera as queimadas na Amazônia e pede ações enérgicas do governo americano. Ao preencher mais cargos nas próximas semanas, Biden terá de calcular um equilíbrio entre a ala moderada e a radical dentro do seu próprio partido. Por enquanto, são os primeiros que estão no controle.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Enquanto isso o Brasil segue sendo um dos países que possuem das menos poluentes matrizes energéticas do mundo. Ao redor de 80% de nossa energia é de fontes renováveis (hidráulica, eólica, solar) enquanto os US geram a maior parte de suas necessidades energéticas a partir da queima de carvão mineral, este sim, um processo altamente causador de gases do perverso efeito estufa! E, no Brasil, a exploração de geração eólica e solar está só no começo, com um potencial quase incomensurável!

  2. Gostaria que o nobre jornalista me informasse desde quando Sr. Biden e os americanos querem esquerda radical?????? Estariam os americanos com inveja da Venezuela, Cuba, Coreia do Norte, Vietnã, etc democracias exemplares???????

  3. Também achei tendenciosa..Muito desse ódio, divisão vem da própria midia e começou com o Obama e sua campanha de vitimizacao e divisão. Não sou gado e também não sou Trumpista, mas a mídia sempre defende os democratas

  4. Discordo neste artigo somente na observação feita de que o Kerry virá com um Tacape nas mãos para dialogar com o Bozó, e sua prole “Rachid” Corrupta . O que esperamos que Kerry venha é com uma equipe de Snypers bem treinada (com experiencia no Iraque, Afeganistão e Irã) para liquidar rapidamente. Este câncer metastático chamado Bozó.

    1. Vote no Luladrao na próxima eleição...... e seja mais roubado com sucesso🙌🏻.

  5. Biden e Kerry tentarão um "diálogo respeitoso " ... Sei! Com quem? Salles, Bozo, Ernesto, Carluxinho, Duduzinho, flavinho???? Eles não viram o vídeo da reunião ministerial do Mito. Melhor conversarem com nossos índios na Amazônia . Ana Cristina

    1. Muito bom! O BOÇAL de PLANTÃO no Brasil, juntamente com os pés de chinelo e incompetentes que compõem o seu "governo", que prepare a sua Espingarda de "carregá pá boca" com PÓLVORA e CHUMBINHO, porque os "caras" de lá não brincam em serviço nem são IDIOTAS.

  6. Minha sensibilidade me impede de retrucar no mesmo naipe .Mas ..Duda , ótima resenha dos fatos ! Parabéns !!. Biden venceu nos maiores colégios eleitorais dos estados em números absolutos de votos . Idem se olharmos os 306 votos além dos 271 necessários entre os representantes do conselho eleitoral . As ações propostas por Trump , qual ele venceu ? Portanto , no dia 14/12 a vitória será só homologada , festejada que está por todos que já a celebram a alguns dias , quer queiram ou não .

  7. Com Biden e Kamala políticas de bem-estar social serão definitivamente implementadas, contribuindo para a diminuição dos níveis de violência nos grandes centros, dos conflitos de origem racial e da desigualdade econômico-social.

    1. Mário, então toda aquela contagem de votos, discurso da vitória, era tudo mentira. Que Trump afirma que deixará a Casa Branca se Colégio Eleitoral confirmar Biden, o que ocorrerá. Realmente o homem não pisou na lua, a Terra é plana. O vírus* é o maior presidente que o país teve... * O Bozo pode ser encarado como uma espécie de praga violenta, egoísta e insensível aos outros. Uma espécie de vírus.

    2. Biden venceu a eleição com 306 dos votos do Colégio Eleitoral –muitos mais que os 270 necessários para garantir a vitória–, contra 232 de Trump, e a reunião do Colégio Eleitoral está marcada para o dia 14 de dezembro para formalizar o resultado. Biden também lidera Trump por mais de 6 milhões de votos na contagem de votos populares.

  8. James Madison comemora. A arquitetura da Constituição americana foi um projetada para se ter uma aristocracia sobreposta à democracia. Os revoltados da massa, das esquerdas (sanderistas) e das direitas (trumpistas), foram postos de lado. No Brasil movimento parecido se arquiteta. O problema é que nossa aristocracia é a cara do Rodrigo Maia ou do Roberto Freire.

  9. Que Biden consiga fazer um bom governo, e consiga reverter todas as ações anti democráticas do Trump. Consiga a união do povo americano novamente.

  10. Só falta esclarecer que establishment são as forças interessadas em manter o “status quo”, que se beneficiam das coisas como elas são, sobretudo as elites econômica e política.

    1. Manoel - Se o Brasil recusar a primeira proposta eles vão deitar o sarrafo, é isso?

  11. Coitado do Kerry. Tão competente, tão inteligente e ter que negociar com o bando de asno do governo Bolsonaro... What a pity!

  12. vamos iniciar o carteado.De repente o jogo nos favorece e podemos até ganhar alguns importantes pontos. sejamos mais ouvintes, mais comedidos e menos afoitos.

    1. Tem gente por aqui que está esperando papai Noel fazer Trump virar o jogo que já perdeu. Só rindo!!

    2. Biden venceu a eleição com 306 dos votos do Colégio Eleitoral –muitos mais que os 270 necessários para garantir a vitória–, contra 232 de Trump, e a reunião do Colégio Eleitoral está marcada para o dia 14 de dezembro para formalizar o resultado. Biden também lidera Trump por mais de 6 milhões de votos na contagem de votos populares.

    3. HELLO, BIDEN NÃO FOI ELEITO??? ALÔ , ALÔ MARCIANO AQUI QUEM FALA É DA TERRA! TRUMP WAS FIRED BY USA, BABY! E TRAMP BOLSONARO E FILHOS TERÃO O MESMO DESTINO DO AMIGO TRUMP. MORO 2022, O PRESIDENTE QUE O BRASIL PRECISA E MERECE.

    4. ???????????? Biden não foi eleito????????? Como assim????????

    5. tendenciosa reportagem e consequentes comentários, Biden ainda não foi eleito, aguardem.

Mais notícias
Assine 50% off
TOPO