Nas asas alheias

08.11.19

Convidado a participar nesta semana de um congresso em Goiânia, o presidente do Superior Tribunal de Justiça, João Otávio de Noronha, viajou à cidade a bordo de um jatinho do ex-piloto e empresário Nelson Piquet. No mesmo voo, que saiu de Brasília, estava o também ministro Ives Gandra Martins Filho, do Tribunal Superior do Trabalho, outro palestrante do evento. Noronha não foi localizado por Crusoé para responder sobre os motivos pelos quais voou a bordo do avião de um empresário. Gandra afirmou que a aeronave foi providenciada pelo MP goiano, que organizou o congresso. Nelson Piquet, por sua vez, disse que é amigo de João Otávio de Noronha e que emprestou o jato a ele. “Eu que ofereci meu avião para levá-lo”, afirmou. As empresas do ex-piloto, vale dizer, têm processos em curso nos tribunais de Brasília.

Alan Marques/FolhapressAlan Marques/FolhapressNoronha: o amigo Piquet emprestou jatinho para a viagem

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

Edição nova toda Sexta-Feira. Leia com Exclusividade!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

Deixar para mais tarde

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Essa "promiscuidade" que precisa acabar pelo Brasil afora. Autoridade deveria viajar em avião comercial como qualquer cidadão normal.

  2. Tudo igual como sempre foi e continuará sendo pois a justiça é tão corrupta qto os outros órgãos públicos brasileiros. Que pena, a natureza bandida dos brasileiros foi avalizada pelo supremo. Agora é oficial e corruptos e corruptores estão em festa!!!

  3. Trata-se de garantir decisões favoráveis, obviamente. Quem disse que a Justiça é cega? Conversa. Sabe muito bem diferenciar o quê decidir e a favor de quem. Só depende de umas coisinhas.

    1. Antonio pena que você não tem um jatinho. Carona chique.

  4. A distância entre as cidades é de pouco mais de 200 km. De carro dá umas duas horas. Honestamente, não era necessária essa péssima demonstração de desdém pela opinião pública. É de enojar qualquer cidadão a percepção clara da derrota do cinismo pelo escárnio.

Mais notícias
Assine
TOPO