RuyGoiaba

Basta de otimismo!

29.03.19

Quando escrevi meu texto sobre os 200 milhões de tudólogos do Brasil, duas semanas atrás, tinha plena consciência de que estava cuspindo para cima – e aqui estou eu mesmo exercendo a tudologia, não pela primeira vez, com a boa e velha desculpa “é uma coluna de humor”.

Hoje resolvi falar de artes plásticas, área em que sou no máximo um leigo interessado que leu aquele livro do Ernst Gombrich (aliás, recomendo a História da Arte dele a quem quiser se iniciar no tema. Há edição recente em português). Está em cartaz no CCBB de São Paulo, até o fim de abril – depois disso, seguirá para Rio e Belo Horizonte –, uma bonita exposição do pintor suíço Paul Klee.

“Bonita” se você, leitor, gostar de arte moderna, e Klee foi o que os manuais chamam de “pioneiro do abstracionismo” — embora muitos de seus trabalhos sejam figurativos. A exposição inclui pinturas, gravuras, fantoches que Klee produziu para o filho e até desenhos que ele fazia quando criança, iguaizinhos àquelas garatujas que seu filho pequeno traz da escola às vezes. E um documentário de 50 minutos com obras interessantes que não estão na mostra.

Como não sou um tudólogo picareta o suficiente para me aventurar pela crítica de arte, chamo a atenção para dois aspectos mais ou menos laterais. O primeiro é que Klee, que também era violinista, não queria saber de coisas modernas quando colocava seu chapéu de músico – o negócio dele era Bach, Haydn, Mozart e Beethoven, como comprova sua lista de músicas favoritas no final da exposição. Modernidade demais cansava até um cara 100% modernão como ele.

O segundo é que a mostra no CCBB inclui “Angelus Novus”, desenho que rendeu um dos textos mais conhecidos de Walter Benjamin, o menos chato dos frankfurtianos. Transcrevo aqui a tradução brasileira de Sérgio Paulo Rouanet (sim, o mesmo que deu nome àquela lei lá):

“[O quadro] representa um anjo que parece querer afastar-se de algo que ele encara fixamente. Seus olhos escancarados, sua boca dilatada, suas asas abertas. Tal deve ser o aspecto do anjo da história. Seu rosto está dirigido para o passado. Onde nós vemos uma cadeia de acontecimentos, ele vê uma catástrofe única, que acumula incansavelmente ruína sobre ruína e as joga aos seus pés.

Ele gostaria de deter-se para despertar os mortos e reunir os vencidos, mas uma tempestade sopra do paraíso e prende-se em suas asas com tanta força que ele não pode mais fechá-las. Essa tempestade o impele irresistivelmente para o futuro, ao qual ele dá as costas, enquanto o amontoado de ruínas cresce até o céu. Essa tempestade é o que chamamos progresso.”

Sim, também penso que o Benjamin viu coisas em excesso nesse quadro do Klee – sabe-se lá o que ele fumou antes de escrever. Mas, no Brasil, acho que o amontoado de ruínas testemunhado pelo anjo da história é uma imagem elevada demais, “europeia” demais – em suma, otimista demais. Estamos mais para aquela velha capa da Casseta (anos antes do programa na Globo) em que um sujeito com cara de muito pobre aparece sorridente diante de um prato de cocô.

A manchete era “Basta de otimismo! Não vai dar para todo mundo!”

ReproduçãoReproduçãoEsse é o “Angelus Novus” do Klee. O que será que Walter Benjamin fumou?

***

A GOIABICE DA SEMANA

Como ficou impossível dar conta, num pé de página, do latifúndio de goiabices produzido diariamente pelo governo Bolsonaro, meu destaque vai para Geraldo Alckmin como o novo astro do programa de Ronnie Von na Gazeta. Eu não sei se a intenção de Ronnie é jogar a audiência do seu programa para baixo do traço ou oferecer aos telespectadores insones uma opção para o Stilnox – sem necessidade de receita médica. Se for a segunda hipótese, serei fiel usuário.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. O cara escreveu um texto sobre uma parte da biblia. O apocalipse, por exemplo. Não foi publicado. Mais tarde, solicitaram um texto sobre o quadro. Ele já tinha um texto pronto mesmo. Se não tem tu, vai tu mesmo!

  2. Infelizmente com um discurso ruim, sem empolgar náo se tornou presidente......com certeza náo estariamos aqui discutindo asneiras como as diariamente cuspidas pelo governante mor

  3. Também sempre achei que Benjamin viu coisas demais no angelus novus do Klee. Apesar de gostar de muitas coisas do crítico. Gostei de saber que não estoy sozinha.

  4. Demorei 2 horas pra ler está coluna. É que dormi no meio dela. Deu bastante sono. Quando acordei de meu cochilo retomei a leitura.

  5. Ronnie "Fon Fon" vai anunciar assim: "Agora, o momento é Todo Seu , meu chuchuzinho!" E aí o Alckmin entra no estúdio a bordo de uma Brasília amarela de portas abertas fazendo sua pré -campanha para a prefeitura de Santos!

  6. O Ronnie Von é uma pessoa legal e tem um grande coração. Contratou um cara que está desempregado, no mínimo, pelos próximos quatro anos. Ajudou nas estatísticas de desemprego.

  7. Ruy Goiaba, o programa do Von tornou-se uma seção de terapia: ele liga o Alckmin na tomada e aqueles que sofrem de insônia começam a roncar, sem o uso de medicinais. Excelente. O risco é o próprio Von e o cameraman cairem em sono profundo....ZZZZZZZZZZZZZZ......

  8. Cá para nós, Paulo Klee deveria ter se concentrado no violino. Chamar aquilo de arte é forçar a elegância (paciência) da gente. Vejam van Gogh, Caravaggio, Monet, Manet, Vermeer, Rembrandt, até Portinari e Malfati, e muitos outros.

  9. A figura não lembra um anjo lembra o espanto ao sair do papel e ver quem o desenhou. Arte moderna cada um sente e expressa o que quiser assim como as palavras denúnciam às vezes como está o escritor.

    1. Exigimos otimismo porque estamos famintos e sedentos. Acreditamos que podemos opinar tudo sobre tudo para nutrir a resiliência do dia dia Brasileiro e assim dormimos com a esperança que o amanhã será melhor. ( e nas sextas teremos Crusoé.)

  10. Ruy, li o teu texto sobre Arte por "entre as linhas e por trás das linhas." Que "baita" ( em bom gauchês) capacidade de fazer um texto metafórico! Muito bom, justificando o título Basta de Otimismo. Vamos ver no que dä! Abs

  11. Não entendi essa contratação. Gosto do Ronnie, mas o q o ex governador poderia comentar q fosse interessante? Medicina? Está afastado há tanto tempo dela, deve estar desatualizado!

    1. Quem tem o privilégio de conversar com p Alckmin não político, sabe o prazer que é conversar com alguém inteligente, sábio e intelectualmente honesto. Não vejo TV aberta, mas vou me inteirar das datas e dar uma espiada para conferir.

  12. Eu gosto de arte moderna. Então achei bonito o anjo bode do Klee. Não parece bode? A mim pareceu. Então talvez eu desse uma interpretação bem diferente desse Benjamin. "Assim é se assim lhe parece ".

  13. Geraldo o ex-governador que fala soletrando, das duas uma os telespectadores não terão insonia e as crianças aprenderão português, kkkk

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO