Aliados queixosos

29.03.19

Suplente de Flávio Bolsonaro, o empresário Paulo Marinho tem reclamado, à boca miúda, do tratamento que passou a receber do presidente da República após o resultado da corrida presidencial. Durante a campanha, Marinho cedeu a própria casa, no Rio, para a gravação dos programas de televisão de Jair Bolsonaro. Familiares do empresário, que tiveram de conviver com o tumulto durante semanas, dizem que não houve sequer um telefonema de agradecimento. Aliás, na praça não faltam apoiadores de Bolsonaro se queixando de que foram esquecidos por ele depois da vitória nas urnas.

ReproduçãoReproduçãoPaulo Marinho e o filho com Bolsonaro na campanha: os tempos mudaram

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

Edição nova toda Sexta-Feira. Leia com Exclusividade!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

Deixar para mais tarde

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. “Desassinei” a Veja, parei de assistir à Globo e seus repetidores, mas deparo com essas vozes por aqui. Onde vou ter notícia isenta de peçonha?

  2. Assinei ha 6 meses com a ideia de um jornalismo imparcial e diferente dos demais, mas certamente isso aqui é mais do mesmo... Renovação da assinatura, sem chances!!!!!

  3. Ninguém foi esquecido, não dá para ficar chaleirando esse povo o tempo todo, aliás, todos já sabiam que o Presidente Jair Bolsonaro não é do toma lá da cá. Não ficou claro?? O objetivo sempre foi devolver o poder ao povo.

  4. Estou começando a achar que vamos acabar numa intervenção. Pela atitude do Presidente de a cada crise se cercar de mais militares, me inspira a sensação de que ele está percebendo o cerco se fechar. Os traidores podem ter uma surpresa desagradável...

    1. Verdaaaaddee! O tiro vai sair pela culatra! Eles vão se lascar na cadeia! Melhor seria no paredão, como fazem os "camaradas" COMUNISTAS!!

  5. Será que eu estou louca? Acredito que li nesta mesma revista, meses atrás, uma reportagem dizendo que Bolsonaro deveria tomar cuidado com Paulo Marinho, que PM era o capeta e coisa e tal. E agora, vcs estão dizendo que Bolsonaro cuspiu no prato em que comeu😀😀😀.Seria bacana se vcs pudessem esclarecer o que pensam sobre PM.

  6. Estratégia de guerra. Obrigado CRUSOÉ por não me sentir, eu, tão bosta. Até vocês acabaram se rendendo ao factível? Parabéns. Vai dar certo. Já deu certo. Até dentro de casa tem inimigos, e temos q conduzi-los junto p o nosso sucesso

  7. Paulo Marinho é um conhecido lobista brasiliense que disponibiliza sua mansão para que empresários façam "contatos" com políticos promissores. Prática corriqueira. Teve bastante sucesso financeiro nessa atividade. Assim conseguiu inserir a si mesmo, bem como o futuro ministro Bebbiano, nas hostes bolsonaristas, se aproveitando da ingenuidade do presidente. Mas com o tempo a armação ficou evidente e a máscara caiu. Um já foi afastado, agora é a vez do outro. A limpeza tem que continuar.

  8. Caro Sr. Marinho. O Sr. não é militar e tampouco faz parte da família. Portanto, es uma bananeira que já deu cacho. Te cuida Sergio Moro.

  9. Tá certinho, se ficasse perto desse Paulo Marinho, lobista, poderia facilmente entrar em diversas encrencas. Ele agora precisa governar o Brasil e não ficar mandando mensagem e ligando para colegas. Há problemas maiores a serem solucionados, temos pressa.

  10. Paulo Marinho, já experiente na vida, ainda não aprendeu que político não tem amizades, tem interesses. Enquanto for útil, tapinha nas costas. Deixou de ser, pontapé no traseiro. Simples assim!

  11. Paulinho : Por que você emprestou sua casa? Você queria algo em troca ? Meu caro você esta venda o que está acontecendo com nosso Presente? acho que não deixe passar a tempestade, não reclame do Pai ou do Filho !?

  12. Se o sr não fosse tão zoiudo por cargos e relações econômicas com o dinheiro público talvez recebesse mais a atenção. Mas o seu aliado Bebbiano foi fazer merda. Deu no que deu.

Mais notícias
Assine
TOPO