Adriano Machado/CrusoéJair Bolsonaro: o Planalto cria as próprias crises

Governo contra governo

Como as crises deflagradas pelo próprio Planalto e por seus aliados podem comprometer a presidência de Jair Bolsonaro
29.03.19

Havia mais de duas horas que o ministro da Economia, Paulo Guedes, estava sentado diante dos integrantes da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado tentando convencê-los da importância da aprovação da reforma da Previdência quando, a pouco mais de mil quilômetros de Brasília, nos estúdios da Band em São Paulo, o presidente Jair Bolsonaro roubou-lhe a cena no noticiário político-econômico. Era a tarde de quarta-feira, 27. Ao vivo, o presidente discorreu sobre temas bem diferentes da pauta que Guedes desfiava no Congresso — e que é apontada como caminho primordial para o governo dar certo. Bolsonaro não só voltou a atacar o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, peça-chave nas negociações para aprovar a reforma, como provocou deputados e senadores em geral ao dizer que, em 1964, o Congresso “foi fechado porque não produzia leis”. Era mais um de muitos sinais trocados emitidos nestes três meses desde que o ex-capitão do Exército sentou na cadeira de presidente da República. Os principais atores do governo – incluindo o próprio Bolsonaro – falam e agem como querem e, muitas vezes, entram em rota de colisão. O mesmo tem acontecido dentro do partido do presidente, o PSL. Falta alinhamento. E o que é prioridade, quase sempre, acaba se perdendo em meio a pequenas e grandes confusões que o próprio Palácio do Planalto e o seu entorno deflagram. É o governo jogando contra o governo, como se verá a seguir.

***

Guedes fala sozinho

Paulo Guedes definiu com precisão a situação. “O opositor dele (o governo) é ele mesmo. Então algo está falhando do nosso lado”, disse o ministro aos senadores na tarde de quarta. Na véspera, Guedes precisou cancelar sua ida à Comissão de Constituição e Justiça da Câmara para defender a reforma porque se tramava uma longa sessão de ataques a ele e à proposta. Não havia nem sequer a garantia de que, lá, deputados fiéis ao governo o defenderiam. Além de ainda não ter montado uma base aliada no Congresso, o próprio presidente não demonstra ser um entusiasta da reforma. O ânimo presidencial acaba contaminando quem deveria estar defendendo a proposta com vigor. Nesta semana, por exemplo, o líder do partido de Bolsonaro criticou o texto. São muitas as manifestações do presidente que se mostraram em desacordo com o discurso de seu ministro da Economia. Jair Bolsonaro já disse, por exemplo, que reforma boa “é a possível”. Depois, com a proposta já na Câmara dos Deputados, defendeu reduzir ainda mais a idade mínima para que mulheres se aposentem — dos 62 anos, conforme consta do texto, para 60 anos. A postura tem levado muita gente no meio político, e também no mercado, a duvidar do real interesse do presidente na aprovação da reforma.

Para piorar, em conversas reservadas, Bolsonaro admite desidratar a proposta que ele mesmo foi levar ao Congresso. Na manhã de quarta-feira, em uma reunião no Palácio do Planalto, o presidente afirmou que Paulo Guedes só colocou no texto a redução do Benefício de Prestação Continuada e as mudanças no sistema de aposentadoria rural para ter o que retirar na negociação com os parlamentares. Era um sinal claro de que o governo já abriu mão de aprovar a íntegra do texto que enviou ao Parlamento. O resultado: fiador do governo com o mercado, Paulo Guedes, está cada vez mais isolado na operação política para aprovar a reforma. E dá sinais de que pode pedir o boné mais adiante. Em um encontro com parlamentares na tarde de terça, o ministro explodiu. “Eu sou do mercado financeiro. Se for preciso, vou embora. Não preciso ficar aqui”, disse, segundo relatos dos presentes. Afirmou também que “apaga incêndio em um dia e aparece outro no dia seguinte”, e que está “levando tudo nas costas”. Foi justamente naquele dia que ele decidiu cancelar a ida à Câmara. No dia seguinte, no Senado, Guedes voltou a tangenciar a possibilidade de deixar o governo. “Não tenho apego ao cargo”, disse. A Bolsa de Valores atingiu seu pior índice desde 1º de outubro e o dólar subiu. Depois, ele tentou se corrigir. Disse que não deixará Brasília na primeira derrota. Mas o clima segue pesado.

Um partido em transe

Na terça-feira à noite, o governo sofreria sua maior derrota no Congresso desde a posse de Jair Bolsonaro. Em uma votação relâmpago, foi aprovada em dois turnos na Câmara uma proposta que altera o texto constitucional e engessa mais ainda o orçamento, uma vez que obriga o governo a pagar as emendas das bancadas dos estados. Na prática, ela aumenta em 3,5 bilhões de reais os gastos do governo com emendas e restringe a 3% do orçamento (algo próximo a 45 bilhões de reais) a margem de manobra para cortes e remanejamento de verbas. A proposta foi idealizada em 2015, ainda no governo Dilma Rousseff, para diminuir o poder da já fragilizada presidente. Acabou aprovada neste início do governo Bolsonaro, depois de ser tirada às pressas da gaveta em meio à troca de farpas entre o presidente da República e o presidente da Câmara dos Deputados. Foram 448 votos a 3 no primeiro turno e, no segundo, 453 a 6. O partido do presidente, que tem 55 deputados (a maior bancada, ao lado do PT), votou a favor da proposta. Para evitar que a derrota parecesse o que era, uma derrota, houve até comemoração entre os correligionários de Bolsonaro. A encenação não durou muito. No dia seguinte, o óbvio ficou evidente: governo nenhum gosta de perder a capacidade de manejar o orçamento. Foi, sim, uma derrota acachapante. Coube ao presidente do diretório paulista do PSL, senador Major Olímpio, traçar o diagnóstico do caos que tomara conta do partido na votação: “Qual foi a estratégia de até mesmo o PSL fazer a indicação e votar com esta PEC? Eu não entendi a lógica ainda. Às vezes eu fico confuso o que é situação, oposição. Não sei mais”.

A votação foi apenas mais um episódio em que o partido de Bolsonaro jogou contra o governo. As condições para que isso se repita estão dadas já há algum tempo. É evidente a falta de sintonia entre os três responsáveis pela articulação política do partido. Joice Hasselmann, líder do governo no Congresso, Major Victor Hugo, líder do governo na Câmara, e Delegado Waldir, líder do partido na Câmara, se odeiam. E já deram mostras públicas de seu descompasso. Waldir, por exemplo, disse haver privilégios na proposta governista para reformar o sistema previdenciário dos militares. Joice o atropelou e anunciou que a bancada votaria em peso a favor das mudanças. Victor Hugo fecha acordos sem consultar os dois (e nem o governo). Mas não é só isso. Nas últimas semanas, o PSL reforçou o coro dos partidos do chamado Centrão, aquela velha massa fisiológica capitaneada pelo notório PP, por cargos na administração federal. Dias atrás, Crusoé presenciou uma conversa de pé de ouvido na área em que é servido o café para os deputados: Bia Kicis e Eduardo Girão, ambos do PSL, cobravam Hasselmann por cargos. A bagunça inspira os outros partidos na estratégia de fustigar o Planalto. Afinal, se o partido do presidente joga contra, por que os outros devem jogar a favor?

A guerra santa de Olavo contra os militares

Foi o escritor Olavo de Carvalho quem começou. Depois de influir na escolha de ministros como Ricardo Vélez Rodríguez, da Educação, e Ernesto Araújo, das Relações Exteriores, e de inspirar outros tantos bolsonaristas no governo e nas redes sociais, ele percebeu que os militares trabalhavam para limitar o raio de atuação dos seus pupilos. A começar pelo próprio Ernesto Araújo. Quando o chanceler, impulsionado por Olavo, ensaiou defender uma ação mais ostensiva para derrubar o ditador venezuelano Nicolás Maduro, coube aos militares, avessos à ideia de um conflito que sobraria para eles, contê-lo. Ante essa e outras atitudes da turma da farda que ocupa postos importantes no atual governo, Olavo estrilou. E passou a atacar os militares nas redes. O primeiro alvo foi o vice-presidente, general Hamilton Mourão. “Por que, durante a campanha, o general Mourão jamais mostrou sua verdadeira face de desarmamentista, de adepto do abortismo, de protetor de comunistas, de inimigo visceral do bolsonarismo, de amante da mídia inimiga? Ele fingiu-se de companheiro fiel até chegar ao cargo”, disparou. Dias depois, aumentou a carga: “Mourão é um idiota”. No início, o vice ignorou. Ante o recrudescimento dos ataques, começou a reagir.

Nos dias que antecederam a viagem de Bolsonaro aos Estados Unidos, Olavo ampliou o alcance de seus petardos. O alvo passou a ser a caserna, em geral. Ele disse que os militares do governo têm “mentalidade golpista”, “são um bando de cagões” e que, se nada mudar, o governo acaba em seis meses. General da reserva, o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Alberto Santos Cruz, respondeu. Chamou Olavo de Carvalho de “desequilibrado”. Do estado americano da Virgínia, onde vive, o escritor partiu para a tréplica: “Meus dois livros (um com 23 aninhos de idade) continuam na lista de best-sellers da [editora] Record. Ficarão lá até o Santos Cruz desaparecer da memória nacional”. Nos bastidores, os militares continuaram a trabalhar contra chamados “olavetes”. Nesta semana, Ricardo Vélez, o ministro da Educação, voltou a balançar no cargo. Sua queda, ao que tudo indica, é questão de dias. Em meio à disputa entre Olavo, tido como guru do bolsonarismo, e os militares que auxiliam o governo, chama atenção a postura do próprio presidente. Em Washington, quando o professor já estava na posição de franco-atirador contra os generais do governo, Bolsonaro posou para fotos ao lado dele. “Se eu sou presidente e alguém ataca o meu vice, eu não deveria nem me encontrar com essa pessoa”, diz um observador privilegiado da cena. Não foi o que o presidente fez. Mais um sinal que mais confunde do que esclarece.

O levante do assessor

O quadro é estranho a ponto de um assessor presidencial, em uma manifestação pública, admitir que o governo está cindido em alas. Foi o que fez o jovem Filipe Martins, auxiliar do presidente para assuntos internacionais e um dos mais destacados discípulos de Olavo de Carvalho com assento no Planalto. Queixando-se do que enxergava ser uma ofensiva da velha política contra o governo, Filipe foi ao Twitter e, em uma sequência de nove mensagens, registrou a existência de uma “ala anti-establishment” no governo. O que pareceu uma contradição em termos, porque governos naturalmente são parte importante do establishment, independentemente de quem os integra, acabou se transformando numa admissão da existência de alas dentro do time do presidente que nem sempre jogam alinhadas entre si.

“Há uma flagrante tentativa de isolar a ala anti-establishment do governo Bolsonaro, lançando sobre ela uma série de adjetivações maliciosas e acusações infundadas que não cumprem outra função senão a de torná-la tóxica e mal-vista (sic) pelas outras alas que compõem o governo”, escreveu o assessor do presidente. Na sequência de tuítes, ele deixava claro que, entre as “outras alas”, supostamente expostas à influência da velha política, estariam a equipe econômica e o ministério da Justiça de Sergio Moro. E, em uma iniciativa ousada ante a sensível relação entre o Planalto e o Congresso, conclamava “as diferentes alas do governo” a sair a campo em busca de apoio popular para aprovar à força as propostas que os parlamentares, aparentemente, não estariam dispostos a aprovar de bom grado. Em suma, era um manifesto em favor de um levante. Algo inédito na história recente. Não se sabe, até hoje, se a posição do assessor foi previamente avalizada pelo gabinete presidencial. Certo é que houve, dentro do governo, quem se assustasse com a iniciativa – e com o tom.

***

Até agora o presidente não pareceu se importar com as consequências das crises originadas em seu próprio governo. Ainda há dúvidas, até mesmo entre seus apoiadores, se as seguidas confusões são uma tática minimamente planejada ou se são, simplesmente, produto da desorganização. As cabeçadas com o Congresso são exemplo de um vaivém que torna imprevisíveis os próximos lances. Há um mês, quando as insatisfações começaram a tomar corpo entre os parlamentares, Bolsonaro se reuniu com lideranças da Câmara e prometeu diálogo. Não cumpriu. Nos últimos dias, a situação degringolou, com as trocas de farpas entre ele e Rodrigo Maia – algo que desagradou enormemente Paulo Guedes, que vê no presidente da Câmara um aliado imprescindível para aprovar suas propostas para a economia (leia a entrevista). A semana terminou com acenos de parte a parte. Ao que tudo indica, foi selado um armistício. Mas os protagonistas da guerra do governo contra o governo seguem firmes em suas trincheiras. E, por tudo o que se viu de janeiro até agora, nada garante que o quadro não possa mudar de novo, e repentinamente.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

Edição nova toda Sexta-Feira. Leia com Exclusividade!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

Deixar para mais tarde

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Concordo com o General Santa Cruz. Olavo de Carvalho, embora tenha um papel importante no recrudescimento da direita brasileira, é realmente uma figura tempestuosa que tende ao desequilíbrio. Deve ser observado e seguido com muita cautela pelos simpatizantes da direita. E antes que digam que sou alguém de esquerda infiltrado, quero declarar que sou de direita.

  2. Infelizmente tenho que concordar com a Cruzoé, neste ponto. Nosso maior problema é o desemprego, que para diminuir depende de uma economia forte. Sou a favor do liberalismo. Votei neste Presidente, certo de que seria esta a pauta e que ia dar prioridade no combate ao desemprego e ao excesso de estado na vida dos investidores. Infelizmente essa não é a prática do governo. O Presidente valoriza mais com coisas pequenas, fruticas, melindres, que terminam irritando a todos e as coisas não andam.

  3. Isto tudo, é briga de ego. Gente querendo aparecer mais , do que merece. Gente querendo poder, dinheiro, prestígio e mídia. Essa briga histórica sempre existiu e existirá em qualquer governo e país. Há que se ter saco, paciência e disposição para fingir que tudo passa.

  4. De um lado vemos os interesses pessoais não aceitarem perderem suas forças ( velha guarda e gurus ), de outra nosso Presidente que não define uma postura de Presidente agindo de forma que nos causa espanto!

  5. Onde eu estava com a cabeça ao assinar Cruzoe? É tudo a mesma coisa, o mesmo embrulho. Também pudera, os jornalistas são os mesmos da extrema imprensa.

    1. Começou quando apoiaram o Bebiano. essa Crusoé pode muito bem ser a esquerda infiltrada para garanti que a direita não levante.

  6. Falta organicidade ao governo para amalgamar todas essas correntes de pensamento em unívoca atuação. A liderança eleita, sem admitir a relevância da antítese visto que impele à síntese orgânica, prefere a posição pré concebida, despida da dinâmica vital exercida pelo contraditório. É como se fosse: ‘pra não roubar, não joga’; não conhece que é possível jogar sem roubar, e ainda por cima ganhar com louvor. O episódio Ilona Szabó foi o ápice desse sintoma.

  7. A Revista Crusoé parece que nasceu p/ substituir a Veja. Começaram bem mas agora a única coisa que importa é ganhar o espaço que a grande mídia esta perdendo. Indo pelo mesmo caminho da mentira e textos tendenciosos. Mais uma mídia que parecia ser séria mas já esta mostrando a sua verdadeira face e a quem serve, infelizmente. Assim que vencer a anuidade, vou cancelar essa assinatura

  8. O país precisa sair de uma de suas mais profundas crises e que vemos? Um Presidente perdido, sem capacidade de focar e deixando a imprensa contrária tomar todos os espaços disponíveis. A recuperação econômica e a reforma na justiça são URGENTES, há dois ministros do melhor time disponíveis e o que o Presidente faz? Usa o capital político para apoia-los? Não, deixa eles soltos para servir de boi de piranha. E vai viajar para cuidar de futilidades ao tempo que seus filhos semeiam tempestades....

  9. Crises criadas pela imprensa! Parece até que vcs também estão interessados nas verbas publicitárias, o Antagonista e a Crusoé sempre fizeram um jornalismo independente, infelizmente estão entrando no efeito manada criado por Globo/G1, Estadão e Folha.

  10. Não vejo nada disso, o problema aqui é a própria imprensa com a bola de cristal imaginando e relatando coisas que não existem. O presidente estava com dor de barriga porque demonstrou com um esgar, mas na verdade uma mutuca ferroou sua perna. Pelo amor de Deus, não atrapalhem ainda mais, não inventem.

  11. É incrível, criminoso e nojento, mas parece que essa campanha geral contra o governo é mesmo medo de que seus propósitos para o país possam dar certo e Bolsonaro saia fortalecido para a eleição de 2022. Que o país se exploda, que o navio naufrague desde que o adversário seja eliminado. Coisa de dementes.

  12. A indisciplina, a falta de compromisso com o país, o desejo descarado de sabotar, o cinismo, a trapaça, os conchavos medíocres, estão cada vez mais fazendo o brasileiro achar que a única saída é um jipe, um cabo e um soldado! Depois não reclamem da "sorte".

    1. Votei nas propostas desse novo governo. Aviso: não quero a velha política do toma-lá-dá-cá. Se fosse para manter isso, eu teria votado em outro dos candidatos. Há crise no governo?! Serio?! A única crise é das instituições para com a população, porque ainda pensam com a cabeça da rejeitada velha politica que, consentida, conduziu-nos à miséria ética, moral e política em que nos encontramos, e que continua a lutar, de modo desleal, para garantir sua perpetuação. Ao inferno, os que a defendem!

  13. "Além de AINDA não ter montado a base aliada no congresso"?!? É este o problema, babacas? Havia uma tentativa de articulação em andamento, sem o velho toma lá dá cá! O velho establishment de ORCRIMs no congresso foi respaldado pelo STF com o envio dos processos para a justiça eleitoral, babacas! Se fortaleceu, babacas! Embolou de vez o psdb, babacas! Alexandre de Moraes e Celso de Melo inverteram a balança, babacas! O Maia partiu prá cima do Moro... A cronologia, babacas!

    1. E se querem criticar o Olavo, babacas, o problema dele não está na sua filosofia, o problema dele é que foi do partido comunista e também foi jornalista! Impossível não ter sequelas!

    1. Caro, Sandro, já disse o mesmo para muita gente. O Poder Executivo deve fazer sua parte. O Congresso, a que é de sua competência. Se este se recusar, nele é onde se dará a cobrança popular dos mais de 57?5 milhões de votos, e, talvez, sem as paciencia e brandura atuais. Espero que eles não paguem para ver. Quando ao STF, este já qualificou-se de vez. Alguém acredita na seriedade dos da toga? Sério?! Brincadeira. Fiquemos alerta! O grito pode ser dado!

  14. Cruzes, que matéria negativa. Sai, Satanás! Bolsonaro sabe em que terreno está pisando. Foi Deputado Federal por 28 anos. Conhece o chiqueiro.

  15. O observador que viu no gesto do presidente Bolsonaro permitir em ser fotografado com Olavo de Carvalho uma contradição, não tem o menor sentido. A própria liturgia do cargo impõe certas concessões, ora! Ademais, Olavo de Carvalho não pode ser descartado baseado na visão míope de um observador, mas deve ser levado a serio no mesmo patamar que os militares, em razão de sua influência e confiabilidade para colocar a impressa em seu devido lugar. O filosofo Olavo de Carvalho é figura que contribui

    1. A única incompetência aqui é a da tua análise. Deixa de mimimi.

    2. Olavo contribui para acabar mais rapidamente com o mandato desse presidente completamente incompetente e despreparado. Se arrependimento matasse...

  16. Ouça o vídeo do Alexandre Garcia a respeito deste fato. A análise dele é exatamente o contrário. Prefiro fontes idôneas.

  17. Esse cenário já era esperado, dado as características desse "partido" PSL que não difere da maioria. Acreditar que esses políticos profissionais se tornam-se republicanos de fato, na virada do ano, é brincadeira de crianças, sem querer ofendê-las. Desde o primeiro império, pouca coisa mudou.

  18. Eduardo Varanda e Sheila estão certos, abaixo. Este folhetim elétrico está dia a dia sabotando o Governo JB. Em benefício da ORCRIM. Fofocas, futilidades, críticas cáusticas, muito rancor do Parlador de Veneza Mainardi e abobrinhas. O importante é desprestigiar quem lhes deu inclusive sobrevida, ao destronar os petralhas. O Governo tem o time certo e os jogadores certos em cada posição. JB é e sempre será um centroavante; Moro e Guedes os meioarmadores geniais e Mourão um zagueiro intransponível

  19. Concordo com Eduardo Varanda. Desde o episódio Bebiano não tenho apreciado a postura do O Antagonista e Crusoé, excluindo os comentários do Momento Antagonista.

  20. Caio Junqueira, com jornalista comunista palpitando jogando contra o Brasil , como você vem se revelando, a Crusoe vai perder seus assinantes ! Agora, nosso Presidente segue firme com seus ministros , nos orgulhando cada vez mais!

  21. O governo tem feito muita bobagem sim. Mas o q se quer é derruba lo? A crise com o congresso é ruim se comparada ao passado onde desde fhc q pra conseguir a reeleiçao se vendeu essa ideia de governabilidade. Agora com tudo engessado em termos de $ precisa fazer acordos pra q? Basta o governo cumprir com o q o congresso empurra. Se esse congresso quer destruir o pais, q o faça com a ajuda do judiciário. E, estao fazendo bem feito com a ajuda do próprio governo q era mas é eleito

  22. Votei em Bolsonaro com um único propósito: tirar o PT do poder, para tentar diminuir o descalabro e a roubalheira. Mas intuitivamente eu sabia que Jair Bolsonaro era um homem extremamente limitado, incapaz de governar um país do tamanho e da complexidade do Brasil. Infelizmente os fatos mostram que eu estava certa.

  23. Sim, mas, a meu ver estes ministros tem a obrigação pois eles possuem o direito de acesso, ir ao Presidente e falar o que acham que está ocorrendo, o que eles discordam, o que acreditam ser melhor para todos e evitar-se assim, comentários que só vem para tentar diminuir o que com falhas sim, o nosso Presidente deseja fazer pelo Brasil.

  24. A quem interessa fazer a população encarar o governo como o problema, quando o problema são nossos congressistas? Inversão total de valores. Duas Boas propostas de reforma foram entregues (previdência e anti-crime), e NÃO SE FAZ UMA CRÍTICA AO CONGRESSO POR ATRASAR O ANDAMENTO DAS MESMAS. Vocês têm interesses por trás dessa narrativa, são comparsas dos políticos que assaltam o povo brasileiro.

    1. Eduardo, impossivel nao concordar com voce. O unico ainda rigoroso com os fatos chama-se Claudio Dantas em seu MOMENTO ANTAGONISTA. Os demais sao a rale do jornalismo. Renovar esta revista? Jamais!

    2. Muito bem colocado. Tudo começou com o atrito entre o Rodrigo Maia querendo jogar areia na lei anti-crime. Interessante, é que o presidente continua na linha de pensamento que o elegeu, quer dizer, demonstra cumprir o que prometeu, mas a escol da imprensa o taxa de idiota, parece que esta elite fomenta políticos desonestos.

  25. Igual ao primeiro ano do governo Trump.Confusão planejada sim.Única estratégia para confundir a velha política.Que vcs querem?Governar com um congresso comandado pelo "genro do genro"eleito para proteger os ameaçados de cassação?Com um Supremo que é uma vergonha e investigado pela Receita e P.F.?Com uma imprensa sem dinheiro público?Vai articular com a mãe,babaca.B17 tá certíssimo.País tá podre só resolve com confronto.E aí ganha quem tem mais força!Trump ganhou o muro na marra.E Empíricus sifu!

  26. O título correto desta matéria deveria ser Desgoverno contra Desgoverno. Afinal, ninguém está governando nada. O presidente é pusilânime. Fraquíssimo. Não sabe nem por onde começa. Aliás, nem se vai começar o governo. Tem predileção por viagens internacionais totalmente desnecessárias no momento; cinema; churrascaria, coisas de menor importância. As reformas que esperem até ele ter vontade de realizá-las. Se tiver. E mostra que não tem. E seus líderes? Existem só no papel. A derrota mostrou.

    1. Cirval, Vc é mais um babaca esquerdista com dor de cotovelo. Pq não vai a Curitiba gritar para seu ídolo.... "Lula eu te amo"?????

  27. A crítica é válido se for honesta, a imprensa não tem sido honesta, acabei ver a entrevista. Não sei o que quer dizer com atacar o congresso. Sinceramente.

  28. Aparentemente Bolsonaro, na presidência, está na mesma situação do leão que pulou nas costas de um elefante, gritou "Peguei!" e ouviu o elefante perguntar "E daí?". Chegou lá, mas não tem a menor idéia do que fazer.

  29. Capa da Veja no ano passado, Paulo Guedes, cotado como ministro da economia em futuro governo Bolsonaro, naquele momento me decidi que este capitão do exército poderia receber meu voto. A imprensa serve para isto, lendo diversas correntes, formamos opinião, nos orientamos, decidimos. Recentemente como assinante da Crusoé, decepcionado estou com uma grande parte dos assinantes, que parecem não se conformar com os fatos relatados pela revista, pois não traduzem aquilo que querem ouvir.

    1. Estou decepcionada com a Cruzoé. Não são reportagens e sim comentários.

    2. Isso mesmo, José. Comportam-se como os petistas negando a realidade e sendo agressivos com as pessoas que não concordam com eles. O que é mais chocante é o desconhecimento total dessa gente com o jornalismo sério e imparcial da Crusoé. Acostumados a ler só fofocas no Facebook, assinaram a revista achando que teriam o mesmo tipo de conteúdo. Quando se deparam com uma análise nua e crua dos fatos dão birrinha, são deseducados porque não conseguem argumentar racionalmente sobre nada.

  30. Interessante, as pessoas querem que seja escrito só o que lhes agrada. São essas pessoas que botaram esse governo lá, é agora estão agindo como avestruz, com as cabeças nos buracos, para não reconhecê-las!

  31. Análise lúcida do momento. Como estamos dependente do Paulo Guedes que tem se superado e surpreendido muitos que achavam que não teria a habilidade para esse papel.

  32. E vocês jogando contra vocês mesmo! Crusoé virou a revista "capricho" Chega logo outubro de 2019 para me livrar desta revista digital tendenciosa! Vocês sabem quais partidos esperavam por Guedes! Tenham paciência!

  33. Tenho visto nos comentários das matérias, que muita gente nutre esperança nos trabalhos de Guedes e Moro, mas se esquecem do belo trabalho que está fazendo o Tarcisio, na infraestrutura. Existem mais oásis neste deserto. Se o governo afundar, será uma pena perder esses ministros.

    1. Perfeito, seu comentário, há um Brasil real fazendo muitas coisas boas. Inclusive na justiça. Infelizmente para a mídia o que importa é desenformar.

  34. Seria melhor deixar o Presidente jogando vídeo game com o Tonho da Lua e deixar a equipe econômica fazer a articulação política pra aprovar as reformas, não atrapalhando já tá ótimo.

  35. Eu entendo o desespero de vcs porque perderam a fonte, mas daí entrar nessa de "crises", "polêmicas", "ain Presidente de tweeter"... Péra lá! BOTEM A MÃO NA CONSCIÊNCIA !! JOGUEM NO LADO CERTO !!

  36. Partido em transe - a princípio achei que a confusão foi instalado pelo fato da câmara ter sido rápida no gatilho, e foi. Rodrigo Maia buscou nos escaninhos de maldade o projeto que adormecia. Contudo, quando vi que o filho do Presidente votou pela aprovação entendi que Jair aprovava. Afinal, eles são bons de comunicação, sobre isto acho que ninguém tem dúvidas. Na verdade esta destinação de verbas no orçamento é pequena, se olharmos o valor trilhonário do seu total.

  37. Pela vdd, Guedes disse não ter apego + não desiste na 1a derrota. Maia defende seus interesses. Vocês esqueceram o fim do foro q ele não pauta? Escolheram salvá - lo.

  38. Cada vez mais vocês continuam a coloca a lenha na fogueira, alinhando-se à mídia que inicialmente combateram em busca de assinaturas. Cuidado, porque o tiro pode sair pela culatra. E... BUM !

    1. O salário da Globo passou a dominar. Nem falam mais do fim do foro que o canalha do Maia engavetou. Viva STF,será que jornalista quer ser julgado no STF.

  39. Mais um "MOMENTO IMBECIL" CRUSOÉ. Caio meu filho, meu filho, o quadro que pinta não existe e o que vemos hoje é o resultado da queda de braço entre Maia e Bolsonaro, onde Nhônho e a câmara piscaram e acabaram tendo que tratar com os ministros conforme deterinação de Bolsonaro. Nem a jogada da PEC do Orçamento Impositivo foi interpretada como derrota já que o próprio Bolsnaro era a favor. Em contagem regressiva para NÃO renovar a assinatura.

  40. Sempre apregoo aos meus amigos: leiam Crusoé. Veja só a seção de cultura e a coluna daquele educador (aliás porque não botam ele no Ministério da Educação?). Rolha de São Paulo só meteorologia, fofocas de famosos,

  41. A Democracia não sugere mas admite farpas, que, quando inteligentes e criativas chegam a ser divertidas. Uma coisa é certa: os tempos são outros. O povo está atento e, conforme reza a Carta, é dele o Poder dos Poderes, enquanto se cogitar de Estado Democrático de Direito. Parece-me que o maior de todos os problemas em Nosso País, é a insana VAIDADE. Que Deus nos ajude!

    1. Assinei essa revista acreditando ser independente e imparcial, ledo engano. Nas entrelinhas percebe-se claramente a intenção tendenciosa da matéria. Caro redator, na sua faculdade de jornalismo não te ensinaram sobre eloquência na redação?

  42. Crise? Vocês golpistas vendem uma crise que não existe. o governo vem realizando feitos maravilhosos dia após dia e vocês só pensam em derruba-lo. Não li sua reportagem, pois é longa e enfadonha.

    1. Pois deveria tê-la lido. Constataria, pelos fatos narrados e conhecidos, que a Crosué não está contra meu presidente. Somente alerta às performances atabalhoadas.

  43. Infelizmente o quadro apontado é por demais verdadeiro e,a curto prazo, a bagunça governamental continuará, sem que seja necessário que a oposição se organize.

  44. Difícil entender. Qualquer trabalho de gerenciamento ou supervisão mais volumoso consome todo nosso tempo. Preocupação com metas a atingir, demandas rotineiras, emergências, quadro de pessoal, planejamento, orçamentos de gastos, investimentos, imprevistos, reuniões, contratações, segurança, demandas institucionais, avaliações, etc, etc, que mal sobra tempo para assuntos particulares. Como é que o presidente do Brasil acha tempo para se envolver com questões menores e ainda tuitar o dia inteiro?

  45. Que matéria grande e sonolenta. Zzzzzzzz. Crise? Algum desentendimento em início de governo, tudo bem, mas chamar de crise, é forçar a barra demais. Crise sim nos governos anteriores, maior escândalo de corrupção do mundo , ex presidentes na cadeia, etc. Acordem a crise acabou já estamos no governo BOLSONARO. Tão de brincadeira...

  46. Essa reportagem é um ótimo diagnóstico dos atuais acontecimentos políticos. Se acrescentarmos a isso a entrevista de Maia na Crusoé desta sexta e a notícia do site Infomoney replicando o Estadão, veremos que a dupla Maia-Guedes é o governo no que tange à Previdência. O Presidente parece ter se retirado da condução do projeto. Considero isso inexplicável. Ainda mais, parece-me que a fratura exposta ocorrida com Maia não cicatrizou de fato. Preocupante.

  47. Não tive saco pra acabar de ler. Eu votei no Bolsonaro mas deixei de gostar dele. Ele montou um governo admirável mas não tem jogo de cintura. Tem.uns filhos fora do lugar. Está Crusoé chegou tarde. Não está gostososa de ler. A entrevista com o Rodrigo Maia e os Pingos nos is do dia 28 esconde o belo papel do Paulo.Guedes no legislativo. Esse devia ser o assunto da revista.

    1. Max, acho que você trabalha para a Cruzoé. Ou para o PT.

    2. Não gosta de ler a verdade por quê? As cagadas do governo são cristalinas e vc quer fechar os olhos? Gado!

  48. Nunca vi/ouvi algo semelhante. Um cara de quem muito poucos ouviram falar, que nem mora no Brasil, dar palpites e fazer comentários atrevidos sobre personalidades do governo. Nem se discute se tem ou não razão mas o atrevimento de faze-los. E ainda pior, ser ouvido e sabe lá Deus, Atendido? Chega. É a desmoralização completa deste governo que infelizmente por medo do PT ajudei a eleger. Até já desejo que não chegue ao fim, tamanhas as asneiras comprometedoras que pode vir a causar.

  49. É uma pena que seja exatamente isso ,descrito com exatidão pelo Caio Junqueira , o que está acontecendo . Chego , como outros tantos brasileiros esperançosos, a duvidar que tenhamos feito a escolha certa ! Agora só nos resta esperar ,com ardor, que esta dúvida desaparece e que o governa realmente governe ! Excelente exposição !!

  50. Senhor Caio Junqueira ate agora não vi crise nem uma!!!oque vejo são jornalistas ou comentaristas seja lá como se intitulem,tentando criar crises....(creio que alguns só para vender materias e outros para prejudicar o BRASIL mesmo).oque vejo é um enfrentamento de dialogo diferente,sem medo de dar a cara a tapa!!!o tempo dos isentões ficou para traz!!!

  51. Entre esgoto sanitário e lama optei pela lama, mas as duas coisas são ruins não é mesmo?Algumas vantagens tem a lama, mas igual emporcalha.

  52. Eu torço p esse governo dar certo. Assim o Brasil dará certo tb. Mas pelo andar a carruagem... Seria muito bom se o presidente pedisse p seus filhos ficarem calados, bem como o próprio. Pelo menos medisse as consequências das suas falas

    1. Bolsonaro nao precisa nem de pisica, ele mesmo se destrói.

  53. Já sabíams que Bolsonaro era um incompetente completo. Vinte e oito anos no parlamento e nada produzido, a menos de estupidezes, grosserias e impropérios. Lamentavelmente só nos resta esperar que o capitão formado em educação física veja a luz de Moro, Mourão, Gudes e generais, cale os truculentos filhos e esqueça Olavo. Bolsonaro fica na conta do pt, que acabou de destruir e corromper a política no país. Só sobrou ele...

    1. Amplo apoio popular não significa PN, significou já, mas eleições. Hoje não. Foi como Maia disse tempos atrás, no congresso quem manda são os congressistas, não o povo.

  54. Conscientizemo-nos que a luta será dantesca e lenta.Nso nós iludamos que esse cais vai mudar rapidamente...não existe essa possibilidade. Na imprensa é só blá blá blá...dizem uma coisa e fazem outra. Não sejamos ingênuos a mudança como queremos levará muiitosss anos.

  55. Lembrem o que foi a eleição do presidente do senado...tudo será assim...uma guerra ferrenha para qualquer mudança. Eles não tem interesse algum que mude...está tudo perfeito.

  56. Para termos idéia do País que somos basta analisar nossa classe política e nossa suprema corte. Sinto por quem pensa que a mudança será rápida e fácil. A corrupção política é institucionalizada por praticamente toda classe política ( com rarissimas excessões) sem excesso de partidos. Como podem acreditar que eles ajudarão a aprovar o que precisamos...que deixarão suas mordomias e todas possibilidades de negociatas. Estão todos mancomunados para estabelecer o caos...tentando fazer o governo cair.

    1. Você não sabe ler? Ou se faz de cego? Na materia, Crusoé não é contra nem a favor do governo. A redação foi redigida com base no que os fatos se apresentaram e no que seus interlocutores disseram. Esse é o mal de quem distorce as coisas.

  57. Cada dia mais difícil ler e verificar se as informações te levam pro lado certo da história ou não. Recentemente descobri que a Empiricus é dona do site O Antagonista, que tem a mesma linhagem da Crusoé. A Empiricus possui um marketing agressivo, mente nos anúncios, usa asteriscos em contratos, promoções e etc. Um dos fundadores está preso, o atual CEO já deu uma cabeçada no CEO da Suno, enfim, não curto nem um pouco a Empiricus, foi um grande choque saber da participação deles aqui.

  58. O Lula e o PT é só aguardarem sentados (no caso do Lula na cadeia)... não precisam fazer nada para recuperar o poder... Bolsonaro & Cia só fazem trapalhadas...

  59. Bolsonaro e família ainda não se deram conta que a eleição acabou, venceram, e agora são vidraça, e não são mais oposição!!! será que nem a psicóloga, noiva do Eduardo pode fazê-los cair na real ??

    1. Emiliana, a Crusoé não inventa fatos e os fatos nos mostram que o atual governo é fraco, sem projetos e sem um rumo definido. Tenho muita pena do Guedes e do Moro...

  60. Não existe governo contra governo. O que existe é uma incapacidade crônica da imprensa de entender o que se passa hoje no Brasil. Bolsonaro está lutando contra a infiltração do crime organizado no estado brasileiro. É uma luta difícil, longa e sangrenta cheia de batalhas perdidas e vencidas. O que importa é ganhar a guerra.

  61. O VIGIA DA TORRE informa: Até o momento (13:06 horas) tudo continua calmo em Brasília. Parece que a trégua está funcionando. Até o cão-de-guarda da Torre está em sono profundo. Estávamos acostumados a uma crise por dia. QUE TÉDIO !!!

  62. kkkk quem controla essa nação agora e Deus e ele e especialista em confundir vcs da imprensa a partir do meio do ano vcs verão as coisas andares só fico observando o desespero. kkkkk

    1. Oi Mizael, Do jeito que está o Bozzo não chega ao meio do ano. Nem Deus salva...

    2. Não ví nada além de fatos narrados. Nesse caso, culpar a imprensa é tão insano quanto esperar que deus de jeito nessa bagunça chamada Brasil... independente de quem esteja no poder. Ps S. Antes que digam abobrinhas, sou eleitor declarado de Bolsonaro.

  63. O poder está vazio! Ou seja, por falta de convicção nas propostas de sua equipe o presidente não consegue impingir um sentido ao país. Com isto, o que se vê é um amontoado de pessoas competentes, cada um buscando, desesperadamente, mudar a cara do país em suas áreas, mas que são líderes sem poder, sem prestígio popular e sem condições de avalizar junto ao Congresso Nacional e a opinião pública os rumos que o país deve seguir. A facada que elegeu Bolsonaro, pode matar a democracia neste país.

  64. O governo Bolsonaro, PSL, 50% da Câmara renovada...todo mundo sabia que iria ter inexperiência no começo. Os políticos tradicionais, profissionais, certamente fariam a "articulação" melhor e a imprensa já estava acostumada a isso. O absurdo é a Crusoé dar a capa da semana para este assunto e deixar a escandalosa manipulação da agenda da câmara, ressucitando pautas-bombas, não para o governo, mas para o Brasil, como evento secundário.

    1. Bolsonaro tem 30 anos de Congresso Nacional, falar em inexperiência neste sentido é, no mínimo, questionável. Além disto, a frouxidão com que defende as propostas de seus auxiliares não tem correlação nenhuma com inexperiência. É falta de vontade mesmo.

  65. Se buscarmos pela memória veremos que todo início de governo foi assim, a não ser aqueles de reeleição, aí incluído o de Dilma, que nada mais foi do que a continuidade do governo lula. Os desacertos são naturais e terão conserto. Por outro lado, a imprensa tem que se esmerar em perceber mais a fundo o novo estilo de governar, que mudou radicalmente. Lendo-se o artigo acima é fácil constatar que vossas senhorias tentam ler nas entrelinhas aquilo que não lhes é disponibilizado facilmente.

    1. Concordo plenamente e mais, a política brasileira não é para jornalistas amadores.

  66. Excelente abordagem. Resumo claro do que foi o governo até aqui. Várias promessas, governo sem coesão e com várias alas que não vem conseguindo convergência. Articulação política HONESTA existe internamente e externamente. Esse governo não conseguiu aplicar nenhuma.

    1. Discordo. O assunto é tratado com superficialidade e miopia. São precisos novos modelos de análise para entender o que se passa no Brasil hoje. Não há precedente. Bolsonaro é um caso peculiar.

  67. Bomsonaro mesmo se mostrando um completo idiota e divergindo cada vez mais da direita liberal , ainda consegue ser melhor que o PT. Coitado do Olavo , Guedes e Moro que ligaram seus nomes ao queimado bolsonaro .

  68. Essa abordagem já temos na Folha e no Estadão. Não que a matéria esteja ruim, mas é mais do mesmo. O que Cruzoé precisa é entender melhor o atual presidente e que tipo de política busca. A partir daí analisar o que está dando certo e o que está dando errado.

  69. A mídia em geral gosta do toma-lá-dá-cá, e dos interesses particulares. Sem corrupção, como produzir notícias? lAchacar o Executivo quando os dois principais projetos para o PAÍS (não são para o Presidente, são para o país!) estão nas mãos do Congresso, e incitando a que o Presidente se torne refém de "diálogos" e "articulações" nada republicanos, mostra mesmo que a ilha no jornalismo foi incorporada ao continente.

  70. Crusoé subestima seus leitores assim como toda imprensa. Onde está a indignação de vcs contra o fisiologismo do nosso congresso. Bolsonaro quer mudar o jeito de se fazer politica e de se administrar o País.

    1. Uma coisa é "o que" ele quer, ou diz que quer Outra coisa é o "como" ele pretende atingir isso. Um reino dividido não subsiste. Não estamos em campanha política nem em guerra. Porque tanta beligerância? O Brasil que trabalha duro para sustentar políticos, juízes, funcionários públicos e demais classes que não produzem bens e serviços está exausto e quer soluções ao invés de brigas de egos e por interesses, nem sempre republicanos. Chega desse chove e não molha.

  71. Eu posso dizer o seguinte, e sei que sou da maioria que apoio o Bolsonaro na eleição passada: Eu já não sei mais nada. De tudo que se escreve por aí eu diria que estou 35% achando correto o que o presidente faz. Os meus outros 65% acham que ele está fazendo merda. É isso!

    1. Olavo de Carvalho é um destemperado boca suja com apenas uma ideia fixa: combater esquerdistas. Isto é importante, mas há outros times no campeonato a serem também derrotados. Gastar energias com um inimigo só vai dar vantagens aos demais.

  72. Quanto a pontos da reforma que serão cortados pelo congresso é óbvio que o projeto é exagerado para ser cortado. Qualquer cidadão, por mais idiota que seja quando vai a feira livre sabe que o preço pedido é mais do que vale o produto, faz uma contra proposta e leva. Realmente todos vcs da imprensa são mais idiotas que o cidadão oligofrênico que vai a feira livre.

  73. Tempestade em copo de água, é isso que a imprensa canalha (inclusive a Crusoé que nasceu com uma proposta diferente faz). Bolsonaro nunca brigou com a besta do Maia, este sim ficou inconformado com a atitude correta do governo que falou, o projeto é esse, discutam, modifiquem, melhorem e votem. O inconformismo de Maia é que o governo não foi "negociar" com a câmara. foi muito engraçado a imprensa apoiando a negociação que o governo deveria fazer, de com a câmara.

  74. Temos mais uma vez um presidente ignorante, despreparado e infantil tudo, isso que está acontecendo no governo dele é por falta de noção do papel que tem que assumir. O cara não entendeu que lider é um gestor de conflitos e não um criador, continuar assim esse babaca vai afundar de vez com o país.

  75. Felizmente minha assinatura já vai expirar e eu não vou renovar. Isso não é jornalismo, é distorcer os fatos para caber numa narrativa. Já vi isso antes na Folha e no Estadão. Que pena!

    1. Já cancelei a renovação! O cenário já mudou mas a revista porque tem magoa do governo federal não fala mais a Verdade!

    2. Crusoé perdendo a credibilidade ,distorcendo as informações,fazendo uma leitura errônea sobre a real situação.

  76. Que pena o que estamos assistindo, Bolsonaro tinha e ainda tem tudo virar o jogo politico instalado, esta precisando de uma boa consultoria que o oriente sobre os caminhos a trilhar neste lamaçal em que se encontra. Precisa se concentrar na aprovação da reforma da previdência, e em seguida focar outras importantes reformas e deixar de lado estas picuinhas que estamos presenciando no dia a dia, precisa assumir o protagonismo e agir com um estadista.

  77. Tavez seja esse o assustador plano! Fracassar e abrir caminho pros militares assumir geral, sem gopi!!! Mas como solução! Até a mídia tem preferido isso!

  78. Reportagenzinha meia/boca. esta PEC do orçamento impositivo, não é relevante do ponto de vista orçamentário, como quer dizer. Representa 15% do que foi economizado até agora e pode sim, ser uma moeda de troca com os parlamentares. A questão é velha e nova política e parece que a imprensa, inclusive Crusoe, querem a fofoca e velha politica. Se não aprovar a Previdência, em 2021, será inaugurado o governo de escolhas de Sofia, onde pagar e onde não pagar, por absoluta falta de recursos! Simples.

    1. Dez vezes o valor da economia que será feita com o aumento dos militares e a reforma deles. Então se isso não é nada, imagina a reforma da previdência militar.

  79. Fugindo dos devotos petistas esbarramos nos devotos Bolsonaristas. Parabéns a Crusoé/Antagonista. Jornalismo como deve ser. E rezemos para que Bolsonaro pare de queimar navios.

    1. Comparar devotos petistas com devotos Bolsonaristas... é no mínimo ridículo!

  80. Sinceramente Caio Junqueira está fofocalizando. Há erros cronológicos perceptíveis nos acontecimentos que narrou, ou seja, inventou parte da história.

  81. Caro Caio, ou nós ocupamos a mídia, ou ela nos ocupa. Quem tem que votar agora são os congressistas, alvo dos ministros. Para fora de Brasília, o PR vai continuar dominando a narrativa e pautar a imprensa a justificar até o injustificável.

  82. "Foi, sim, uma derrota acachapante." Ou se faz uma reportagem, ou se faz um artigo opinativo. Não existe o híbrido. A "reportagem" tinha obrigação de citar que o presidente enquanto deputado era a favor da Pec, e que o Eduardo Bolsonaro votou a favor dela, inclusive elogiando o Maia pela pauta. Poderia ter explicado isso. Fiquei confuso. Crítica construtiva.

    1. além de que, agora os deputados não podem mais chantagear o governo pedindo verba, está nas mãos deles mesmos. Isso seria simples de falar também.

  83. Parabéns Crusoé, pela excelente exposição dos fatos que estão ocorrendo. O governo deveria analiza-la e melhorar sua articulação política. Precisamos de reformas, mas para isso o governo e o povo precisa do Congresso em harmonia!

  84. Parabéns Crusoé, vocês não têm obrigação de dizer o que nós eleitores do Bolsonaro queremos ouvir, a verdade é essa mesmo. O presidente fala pelos cotovelos as bobagens que os twiteiros querem ouvir, enquanto o Paulo Guedes luta sozinho na trincheira com enorme desvantagem!

    1. Concordo com vc . Percebo nos comentários, o mesmo comportamento da militância petista por aqui. Atacam a revista por ela mostrar a realidade que não querem enxergar...governo confuso com excesso de pitacos do Olavo de Carvalho e dos filhos do presidente. Elegemos Bolsonaro e seu ministério de notáveis ( sobretudo Paulo Guedes e Sérgio Moro) para alavancar o país, dizimado pelo lulopetismo, mas é preciso reconhecer que a campanha já acabou e o país agoniza.

    2. Queremos ouvir a verdade e não notícias persecutórias em relação ao Bolsonaro!

    3. corrigindo: Paulo Guedes e Sergio Moro lutam sozinhos na trincheira!

  85. Tá, qual a novidade da reportagem? Dizer que estão contra o governo como alguns falam nos comentários não irei, porém, creio que ficou muito a desejar a capa. Parece que tô só vendo um resumo dos últimos capítulos...

  86. Também já pedi p não renovar. Acho que o governo está indo mal, mas a Crusoe é feita por quem só se importa se o governo vai ajudar o mercado financeiro.

    1. Sem contar que divulga fofocas que podem prejudicar ainda mais o país. Infelizmente, o que parecia um jornalismo sério, descambou para o mais do mesmo. Jornalistas inconsequentes preocupados em fabricar notícias.

  87. Crusoé, não renovarei minha assinatura com vocês. Vocês foram inicialmente cordeiros mas hoje só mostram que não passavam de lobos com dentes e garras afiadas contra o governo recém formado. Vocês são tão lixos quanto Globo, Folha, Estadão, Uol, Istoé, Veja e demais da mesma laia de vocês. Vocês são o atraso e a desgraça do país. Que joga contra o atual governo joga contra o país, bem como contra o povo. Vocês não são tão somente um lixo, vocês são camarilhas fervorosas por recursos públicos.

  88. Reportagens como essas são úteis, em especial para o Governo. É, também, função da imprensa profissional ( e não aquelas porcarias da Globo, Band, Folha , Uol e etc) mostrar, baseado em fatos reais ( não inventados ou ilações) o que ocorre. Parabéns à Crusoé.

  89. A única coisa boa da eleição do Bolsonaro é que os militares estão atrás dele como u'a mãe cuidadosa tentando limpar a bagunça do filho desastrado... Até quando... não sei...

    1. Ana; eu sei. Será até terem certeza que que as esquerdas morreram; depois de 70 anos agonizando apenas no Brasil.

  90. Desencontros existem e isso não é novidade, em qualquer governo que se instala. Há um outro fator que não pode ser desconsiderado que é a máquina ocupada pelo grupo que deixou o poder. Sabotagens flagrantes ocorrem diariamente, mormente na Educação, um imenso foco dessa corrente ideológica. Procuro filtrar e me fixar nas ações positivas que vem ocorrendo e cumprimento das propostas de campanha que vem indiscutivelmente ocorrendo. Ouçam a "live" do Presidente às quintas, 18:30. O resto e fofoca.

    1. Concordo com vc, além dessa tem também a velha política, exercida pelo partido do próprio presidente e dentro do congresso como um todo. Lembro que qdo. votei nesta eleição, optei em votar em deputados e senadores do NOVO, exatamente por saber o pensamento deles em relação a uma Brasil novo.

  91. Bolsonaróides tentam se convencer dos 'métodos' do governo. E apelam sempre para "o Olavo tem razão" quando o professor vem a público jogar mais lenha na fogueira de vaidades do Governo do Espantalho. De fato, está bem mais tumultuada a situação. Mas, na santa igreja dos bolsonaroides dos últimos dias o entendimento é de que se o governo cria as próprias crises e faz o papel da oposição, logo ele está tornando a oposição petista totalmente inútil, e propensa a desaparecer. Fé de mais cheira mal.

    1. Até a Gleise Hoffmann está defendendo o Bolsonaro! Fim de linha...

  92. Independente de qual governo, nossa torcida deve ser que o Brasil retorne os rumos do crescimento. Estamos no primeiro meses de governo após as eleições renovou parte do cenário, esses novos integrantes tem idéias interessantes mas não experiência política, então é natural que de início ocorram atritos, afinal é o novo contra o velho. Lendo só a Crusoé, ótima revista, imagina-se que o Brasil nada avança, está um caos, no entanto há outras pautas evoluindo, mas foco aqui são as más notícias.

    1. Decepcionante a matéria, muito claro o foco de ataque, será que não tiveram acesso a nada de importante que o governo vem fazendo? Essa crítica de apoiadores da velha política já caiu... essa vontade latente de desestabilizar o governo me enoja.. vão errar sim, mas tentando acertar, só que os erros não serão cirurgicamente precisos, como os anteriores que já sabiam exatamente para onde iriam levar o país, e o inconsequente apoio da imprensa...

    2. Pois é Natanael, se nenhuma imprensa, fala das coisas boas, só mesmo a família,TEEEEM que falar. Aí é um Deus nos acuda. Se Nosso Presidente fala, Ele é assim: Expontãneo!.. Não é político. Não dissimula, aí sim a imprensa,acha tuuudo para criticar. Se fica calado, está calado porquê ?? Misericórdia, aguentar gente,só mesmo com PACIÊNCIA DE SANTO!.. Como dizia uma tia minha. MAS vamos dizer assim: "OS CÃES LADRAM MAS A CARRUAGEM PASSA"" E que o STF pense bem no que pretende fazer.

  93. A imprensa dá muita margem pra fofoca. No mundo real 3 leilões em 3 semanas. Todos com ágios enormes. Isto é real. Estabelecer infraestrutura para crescer.

  94. O governo como um todo tem que pensar em Política econômica e também em Economia política, não necessariamente nesta ordem, mas de maneira mútua e com foco no desenvolvimento dos cidadãos, suas famílias, das empresas e do país como meta principal. Os ministros Guedes, Moro e Onix estão no caminho. Precisam do apoio de todos. O Brasil que reiniciou em 2.019 pode dar certo. Ordem e progresso.

    1. Sou favor do Presidente eleito, mas acho que chega de postar inutilidades nas redes sociais, a campanha para eleição acabou. Agora é hora de seriedade, e de acabar com essa pouca vergonha no governo. É o STF, é o presidente da Câmara, é o presidente do Senado, são os partidos políticos, são os filhos, onde está o Presidente da República, no qual votamos. Por acaso está tuitando?

Mais notícias
Assine
TOPO