Carnaval no Canadá

01.03.19

Enquanto o Corpo de Bombeiros segue em busca de corpos das vítimas da tragédia de Brumadinho, diretores da Agência Nacional de Mineração, o órgão responsável por fiscalizar as mineradoras em operação no país, já voltaram à rotina de viagens internacionais. Tasso Mendonça Júnior e Eduardo Araújo de Souza Leão viajaram nesta semana para Toronto para participar da convenção anual da Associação dos Mineradores e Desenvolvedores do Canadá (PDAC, na sigla em inglês). O evento começa no domingo, mas eles preferiram viajar com alguns dias de antecedência. Embarcaram na quarta-feira. Um assessor acompanha a dupla na viagem. A burocracia da agência costuma se queixar da falta de verba para ações de fiscalização que poderiam evitar tragédias como as de Brumadinho e Mariana. Mas para as viagens, aparentemente, não faltam recursos.

ReproduçãoReproduçãoO antigo DNPM, agora ANM: viagens liberadas

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

Edição nova toda Sexta-Feira. Leia com Exclusividade!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Comentário míope da Crusoé. O PDAC é o maio evento de mineração do mundo (25 mil congressistas) e o Brasil, pela primeira vez, é patrocinador como país, ao lado do Peru, Canadá e Chile. O Brasil não poderia deixar de enviar representantes, neste caso pelos dois diretores da ANM e também por seu ministro. Decisão acertada do governo brasileiro. O comentário maldoso da Crusoé ignora o fato que os participantes dos países patrocinadores realizam reuniões bilaterais antes do evento.

    1. Obrigado por elucidar os fatos Carlos. Mostrou a outra face da moeda.

    2. Ambiente bem adequado para explicarem os eventos de Mariana e Brumadinho. Brasil passando vergonha outra vez.

  2. Infelizmente, o "inchasso" da máquina pública é quem inviabiliza qualquer reforma ou ponto positivo nos programas de governo. São mais de três trilhões em impostos arrecadados por ano neste país e, as conversas são sempre as mesmas. O que este Estado, edemaciado e doente precisa, é ser enxugado e, a máquina estatal deve deixar de ser moeda de troca para os interesses dos poderosos.

  3. E o Conselho da Vale, antagonistas? Por que até agora vocês não escarafucharam essa questão se já chegaram no podólogo do General- o gde furo da temporada!!!

  4. PDAC talvez seja um dos eventos mais importantes da mineração no mundo. A ANM tem que se fazer presente. Acho que vocês erraram nesta notinha podre.

    1. Todos se dão ao direito de dar parpite sobre qualquer açunto. Mas neste cauzo seria bom pesquizar. Escrevi no nível dos parpite. PDAC não é para o Brasil ficar de fora.

    1. Os Resíduos são menos podres que estes cavajestes, devido aos inocentes ainda soterrados.

  5. É um vilipêndio às vítimas e suas famílias, cada dia que os responsáveis passam soltos, um escárnio diário ao vê-los se deslocando impunes, livres, leves e soltos para países onde, se algo semelhante houvesse acontecido, estariam encarcerados no primeiro dia.

    1. Às vezes tbm chego a pensar assim... q desânimo desse país de corruptos...

    2. ... Excelente, César !!! ... ... Eu também acredito que tudo no Bananal só tende a piorar. ... ... Sou um bananeiro que vive num Bananal, "otimista" por natureza ....

    1. Não Rafael, nós os eleitores é que estamos vigilantes. As idéias dos diferentes foram derrotadas na eleição e o espaço dos derrotados é a oposição.

    2. O governo está preocupado mesmo é com a nomeação por parte do Min. Sérgio Moro da Suplente do Conselho Penitenciário, só porque a mesma pensa diferente.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO