Jair Bolsonaro discursa para prefeitos em Brasília: plano de ampliar as verbas para os municípios (Adriano Machado/Crusoé)

O fator Bolsonaro

O deputado e ex-capitão do Exército que lidera a corrida presidencial se equilibra entre o estilo que o colocou na dianteira da preferência do eleitorado e a necessidade de suavizar a própria imagem para ampliar suas chances de chegar ao Planalto
25.05.18

Jair Bolsonaro vive dias de celebridade. Na última quarta-feira, ele chegou apressado para a tradicional marcha dos prefeitos a Brasília. Entrou escondido, por uma porta lateral. Estava acompanhado do também deputado Onyx Lorenzoni, do DEM, e de um auxiliar que faz as vezes de segurança. Descoberto nos bastidores, foi logo abordado por prefeitos em busca de selfies. Por um corredor lateral, seguiu em passos firmes até uma saleta reservada onde encontraria os organizadores do evento. Onyx, alçado à condição de conselheiro do pré-candidato, tentava agradá-lo de todo jeito. “Quer um suco de laranja?”, perguntou. “Quero natural”, respondeu, à vontade em meio à bajulação geral. Nos dez metros de trajeto entre a sala e o amplo palanque em que falaria para 4 mil pessoas, Bolsonaro ouvia atentamente as orientações do colega. Onyx sugeriu que ele criticasse o Ministério Público, uma conhecida pedra no sapato de prefeitos por todo o país. Era um atalho fácil para agradar a plateia. Propôs também que Bolsonaro anunciasse que, se eleito, trabalhará para extinguir uma taxa cobrada pela Caixa sobre os repasses da União aos municípios – outro motivo de queixas frequentes de prefeitos em geral. Bolsonaro ouviu atentamente as sugestões. E, em nova fase, tentando se mostrar um pouco mais leve, as acolheu integralmente. Durante seu discurso, chegou a ser vaiado por alguns prefeitos, mas na sequência ganhou aplausos da maioria. Saiu satisfeito.

Com cerca de 20% nas pesquisas de intenção de voto, Jair Bolsonaro vive hoje sua terceira e melhor fase na pré-campanha presidencial. Há um ano era considerado o candidato folclórico da disputa, como tantos outros o foram em todas as eleições desde a redemocratização. No início de 2018, conforme crescia nas sondagens, os críticos diziam que ele tinha um teto. Agora, já é considerado por muitos um nome certo no segundo turno. São vários os fatores que explicam a ascensão do pré-candidato. O primeiro deles guarda relação com a maneira com que ele surfou na derrocada do PT, atolado em denúncias de corrupção, para atrair o eleitorado antipetista. Aos poucos, construiu um personagem com discurso eloquente contra bandeiras tradicionais da esquerda. Sem se importar com a pecha de machista, homofóbico e racista que viria junto. Outro elemento a explicar seu sucesso nas pesquisas foi ter explorado o fato de não ter figurado como parte em escândalos de corrupção, especialmente na Lava Jato. Ele se vende como um político diferente, a despeito dos sete mandatos como deputado federal e um como vereador no Rio. Mas não é só. Bolsonaro também atrai o voto de protesto que outrora era comum em eleições legislativas, como na que elegeu deputado o palhaço Tiririca, em 2014. Tamanha é a frustração do brasileiro com a política e a economia que ele virou uma espécie de refúgio dos indignados. “Ele atende aos descontentes com o Brasil atual, principalmente os descontentes com a corrupção”, diz David Fleischer, professor de ciências políticas da Universidade de Brasília. “A figura que ele encarna é quase ideal. É um personagem de um drama, comédia ou tragédia política”, afirma Roberto Romano, professor aposentado de Ética e Filosofia da Unicamp.

Com o pé no segundo turno, o debate que se impõe é: se eleito, Bolsonaro terá condições de presidir o país? Além disso, qual Bolsonaro seria presidente? O Bolsonaro mais radical, com forte discurso contra a política, contra o sistema, ou aquele que agora começar a vestir um figurino um pouco mais flexível para atrair um eleitorado que ainda duvida da sua capacidade para conduzir o Brasil em um dos períodos mais conflagrados da história?

O deputado avança sobre a petista Maria do Rosário no plenário: papel de antípoda do PT o projetou (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Capitão da reserva do Exército, Bolsonaro sempre voltou a sua atuação política para assuntos caros a seu eleitorado original, os militares. Foi erguendo bandeiras de interesse dos colegas de farda que ele se elegeu pela primeira vez. Era um rebelde nos quartéis, lutando por melhorias nas condições de trabalho de soldados e cabos, o baixo clero da caserna (leia, nesta edição, reportagem especial sobre a ficha militar de Bolsonaro). Da Câmara de Vereadores do Rio, levou a bandeira para a Câmara dos Deputados, em Brasília. Foi eleito pela primeira vez deputado federal em 1990. Passou os anos 90 com uma apagada atuação parlamentar, focada no atendimento de demandas corporativas das Forças Armadas. São dessa época as suas primeiras frases de efeito, em geral relacionadas à defesa de regimes militares. Disse, por exemplo, que “Pinochet deveria ter matado mais gente” e que na ditadura “deveriam ter fuzilado uns 30 mil corruptos a começar pelo (então) presidente Fernando Henrique”.

A chegada do petista Luiz Inácio Lula da Silva ao poder, em 2003, daria ao deputado um inimigo de peso para combater — e aparecer. Foi a partir daí que se deu a primeira guinada política da carreira de Bolsonaro. Na era petista, ele ampliou o foco de sua atuação. Passou a falar não apenas para os militares de baixo coturno, o que se comprova por uma redução significativa no número de projetos corporativistas apresentados por ele, e adotou bandeiras conservadoras para rebater as políticas públicas propostas pelo PT. Focou na segurança pública e em assuntos ligados a comportamento – se os petistas defendiam a diversidade sexual, por exemplo, ele falava na linha oposta. Aos poucos, foi se consolidando como um dos mais virulentos críticos do petismo e ganhou protagonismo. Ainda no governo Lula, disse a Maria do Rosário (PT-RS) que ela não merecia ser estuprada, depois de ser abordado agressivamente pela deputada. O debate, se assim pode ser chamado, era sobre redução de maioridade penal e rendeu a Bolsonaro um processo por ofensa à honra. No começo do governo Dilma Rousseff, em 2011, comprou a briga contra o chamado kit-gay, uma espécie de cartilha contra a homofobia que o Ministério da Educação queria distribuir às escolas. Ao deputado Jean Willys (PSOL-RJ), assumidamente homossexual, disse que não teria orgulho em ter um filho como ele.

Cada polêmica era bem explorada pela equipe de Bolsonaro nas redes sociais, o que fez com que seu nome passasse a ser admirado (e também odiado por grupos mais simpáticos às bandeiras de esquerda) pelo país afora. Os vídeos foram viralizando — e, paulatinamente, ajudando o deputado a fidelizar o eleitorado anti-PT. Foi durante o governo Dilma, com o recrudescimento da crise econômica e o avanço da Lava Jato, que ele conseguiu multiplicar sensivelmente os seus apoiadores. O número de eleitores do deputado saltou de 120 mil em 2010 para 464 mil em 2014, quando foi reeleito para o sétimo mandato na Câmara. O terceiro deputado mais votado do país começou, então, a pensar em voos mais altos. O Palácio do Planalto entrou no seu radar.

Com pesquisas à mão indicando seu potencial, Bolsonaro já havia considerado a ideia anteriormente. Levantou a hipótese ainda em 2014, mas não encontrou apoio no partido que o abrigava àquela altura, o PP. Na tentativa, ele fez algumas abordagens ao presidente da sigla, o notório senador Ciro Nogueira. Ciro sempre fugia do assunto. Mas Bolsonaro não desistia. Um certo dia, foi até o Senado e o pegou desprevenido no Salão Azul, o grande hall acarpetado contíguo ao plenário. Passou o braço em volta do pescoço do senador e cobrou, em tom firme: “Olha aqui, Ciro, tenho chance”. Foi ignorado. Na convenção para decidir o rumo do partido nas eleições daquele ano, Ciro apenas anunciou apoio à reeleição de Dilma. Bolsonaro abandonaria o partido seis meses depois. Foi para o PSC, que também não garantiu legenda para seu projeto nacional. Em 2017, já projetando que em uma sigla menor teria mais chances de se candidatar a presidente, aproximou-se do nanico PEN, o Partido Ecológico Nacional, mais tarde rebatizado de Patriota a pedido do próprio Bolsonaro. Não deu certo. Acabou ingressando no PSL.

As cotoveladas para garantir um lugar entre os postulantes ao Planalto deram certo. Os grandes institutos de pesquisa começaram a incluir o nome de Bolsonaro em suas sondagens. No Datafolha, ele começou a aparecer com 4% das intenções de voto em 2015, 7% em 2016 e, em 2017, já havia atingido 15%. O carimbo de sectário, porém, continuava a ser um problema a resolver, juntamente com a crítica frequente de que era mau conhecedor de temas importantes para alguém que pretende comandar o país. Foi então que, no final do ano passado, começou a modular o seu discurso e a terceirizar a elaboração de propostas em algumas áreas cruciais. Para tentar uma aproximação com o mercado, ator relevante em eleições presidenciais, Bolsonaro escalou o economista Paulo Guedes, fundador e ex-sócio do Banco Pactual, hoje BTG Pactual, e doutor em economia pela Universidade de Chicago, umas das principais referências liberais do mundo. A ideia de convidar Guedes para coordenar o programa econômico de sua campanha teve efeitos positivos. Ali, em meio ao deserto de opções que se desenhavam, Bolsonaro começou a ser um pouco mais bem visto por empresários e operadores de mercado.

Ao votar a favor do impeachment, Bolsonaro homenageou Brilhante Ustra, “o pavor de Dilma Rousseff”(Marcelo Camargo/Agência Brasil)
O deputado passou, então, a participar de sabatinas organizadas por bancos e associações empresariais. Em discurso já incorporado em parte (frise-se, em parte) por Bolsonaro, o economista Paulo Guedes defende, por exemplo, a privatização das estatais como forma de reduzir a dívida pública. Também advoga que os recursos hoje utilizados para pagar juros sejam destinados aos prefeitos, para investimentos em educação e segurança. Disse o economista a Crusoé na quinta-feira: “A economia terá um novo eixo, o federalismo fiscal. O dinheiro tem que ir aonde o povo está. Mais Brasil e menos Brasília”. Guedes também defende foco nas reformas. “A fiscal para descentralizar os recursos, a tributária para simplificar impostos e a previdenciária para reduzir a dívida”, emenda. Ocorre que Bolsonaro sempre quis o oposto. Suas posições ao longo da carreira eram mais próximas do nacional-desenvolvimentismo e não do liberalismo. Seus projetos de lei na área econômica partem do mesmo fundamento adotado pela esquerda quando ela governou, como a concessão de benefícios ao setor privado. Na era petista, por inúmeras vezes, ele acompanhou o governo em votações econômicas. Um consultor do deputado que concordou falar sob reserva disse que, em longa conversa recente, notou que Bolsonaro ainda mantém posições muito estatizantes e nacionalistas no que se refere à economia. Esta semana, por exemplo, titubeou quando perguntado sobre a proposta de privatização da Eletrobras. “Tem que ver o modelo. A princípio eu reagiria a isso aí. O Brasil não pode ser um país em leilão”, disse Bolsonaro após um encontro na Associação Comercial do Rio de Janeiro.

Outro ponto do programa é a redução da estrutura do governo. A ideia é que o número de ministérios, 29 atualmente, caia para 14 ou 16. O Ministério das Cidades seria extinto. O do Meio Ambiente seria anexado ao da Agricultura. O da Segurança, criado por Temer, seria mantido, mas ocupado por um general — provavelmente o general da reserva Hamilton Mourão, que no ano passado fez barulho ao defender uma intervenção militar no país. Para outras áreas cruciais, ainda não estão claras as ideias de Bolsonaro. Vez por outra, em discurso, ele tangencia algumas delas. A viabilidade dessas ideias varia a depender da área (confira quadro). O pré-candidato se recusa a revelar os nomes de quem o ajuda a traçar seu programa nas áreas social, de saúde, educação. A justificativa para o segredo: ele diz que, se conhecidos, esses conselheiros seriam perseguidos por apoiá-lo. Bolsonaro cita o exemplo de dois irmãos que o ajudam na campanha, Abraham e Arthur Weintraub. Segundo ele, ambos estariam sendo alvo de patrulha administrativa na Universidade Federal de São Paulo, onde lecionam – a Unifesp nega haver qualquer processo administrativo aberto “contra esses ou outros membros da comunidade acadêmica em função de posições político-partidárias”.

As propostas de Bolsonaro

 

Na política, coube ao deputado Onyx Lorenzoni, aquele do suco de laranja do início desta reportagem, a tarefa de organizar um grupo de parlamentares para tentar mostrar que, a despeito de todas as declarações de Bolsonaro contra a política, ele conseguiria assegurar a governabilidade. O novo partido do ex-capitão, o PSL, tem apenas 8 dos 513 deputados. Para aprovar uma emenda constitucional como necessário para as reformas defendidas pelo auxiliar econômico de Bolsonaro, Paulo Guedes, são necessários 308 votos. Tendo por base a chamada ”bancada da bala”, grupo com o qual Bolsonaro tem maior intimidade no Congresso e que tem como principal bandeira liberar o uso de armas pela população, Onyx começou a organizar reuniões suprapartidárias em Brasília para montar uma rede de apoio. Os encontros geralmente são quinzenais e ocorrem no apartamento funcional do próprio Onyx ou na casa de outro parlamentar do DEM, Alberto Fraga (DF), um dos pontas de lança da “bancada da bala”. Nesses encontros, são apresentados planos gerais de como se dará a relação entre um eventual governo Bolsonaro e o Congresso.

Embora tenha construído sua candidatura em cima de um forte discurso avesso à política tradicional, Bolsonaro já cede em alguns pontos. Um deles é justamente o que, desde sempre, define a relação do Planalto com os parlamentares. Já admite até ceder aos deputados mais do que eles têm hoje, por meio de uma reformulação do tradicional modelo consagrado, o chamado “presidencialismo de coalizão”, em que o governo libera emendas parlamentares e oferece cargos em troca de apoio nas votações de projetos prioritários para o Executivo. Sua ideia, ao fim e ao cabo, é ampliar o acesso dos parlamentares aos recursos públicos. Além da liberação de emendas, cujo pagamento passou a ser obrigatório em 2015, seriam utilizados recursos do Tesouro para financiar diretamente projetos de desenvolvimento regional que os parlamentares levarem ao presidente da República. Se um deputado leva o projeto de uma ponte no Piauí, o governo libera o recurso, se responsabiliza pela obra e ganha o apoio do parlamentar. Outra medida prometida é descentralizar os recursos da União, repassando-os em maior volume, e também diretamente, para prefeitos indicados por deputados da base governista.

Nesta semana, a lista de parlamentares-apoiadores tinha 63 deputados. Os deputados são separados em três tipos. Os “rasga-bandeira” são aqueles que estão em campanha aberta por Bolsonaro, apesar de integrarem outros partidos. Os “contidos”, por sua vez, compõem o grupo dos que perceberam que estar ao lado de Bolsonaro pode ser importante em suas bases eleitorais, mas aguardam as definições das cúpulas de suas legendas para decidir como irão se equilibrar. E há finalmente os “parlamentares de segundo turno”, aqueles que irão apoiar outro candidato na primeira etapa da campanha, mas garantem fazer campanha para Bolsonaro caso ele vá para o segundo turno. O objetivo é chegar a 100 deputados até agosto, quando começa a campanha de fato.

As reuniões também funcionam para debater estratégias eleitorais. Recentemente, começou-se a cobrar de Bolsonaro um estilo mais leve para conseguir a simpatia da fatia do eleitorado que o vê com desconfiança. Na casa de Alberto Fraga, ele foi aconselhado a, em vez de falar em “dar fuzil para a população”, dizer “liberar o porte de arma”. Em outro encontro, no apartamento de Onyx, os deputados pediram que ele passasse a falar menos sobre “militarismo” e centrasse mais seu discurso em áreas como saúde e educação, sob pena de virar um candidato monotemático.

Hoje a força de Bolsonaro está no eleitor masculino urbano e jovem, das classes A e B e de parte da classe C. Um levantamento feito pelo Instituto Paraná Pesquisas, com base nas sondagens de maio, mostra que, dos eleitores que dizem votar em Bolsonaro, 63,6% são homens e 66,4% têm entre 16 e 44 anos. A metade deles estudou até o ensino médio. E 25% têm diploma universitário. Aparentemente, a incontinência verbal atrapalha na adesão feminina. Algumas pesquisas tentam medir o chamado voto “envergonhado”, aquele do eleitor que pretende optar por Bolsonaro, mas, para não ser repreendido por amigos, parentes e colegas de trabalho que podem reagir à opção, não manifesta a sua preferência. Para alguns analistas, a parcela dos cidadãos que se encaixa nesse perfil pode alavancar ainda mais o candidato.

O grande dilema da campanha de Bolsonaro hoje é conseguir dosar a flexibilização em curso de sua imagem com o risco de perder aquele eleitor mais antigo e fiel que o levou ao topo das pesquisas. Vender-se como liberal sem de fato ser, passar a ideia de antipolítico incrementando sugestões oriundas da política mais tradicional e contendo seu ímpeto figadal quando claramente o faz de modo forçado são opções que podem ser malvistas pelo adepto mais tradicional do deputado. Mesmo assim, ele tem se testado. No evento dos prefeitos nesta semana, fugiu de polêmicas e tentou passar a imagem de que está em constante aprendizado. Usou expressões como “no meu humilde pensamento”, “eu, como leigo”, “não tem pergunta fácil de responder” e “desculpe se não respondi”. Nem as vaias que tomou, ao declarar que o serviço prestado pelas prefeituras é de baixa qualidade, fizeram com que ele mudasse o tom. “Meu pavio foi curto no passado, mas cresceu agora”, disse. Dois dias antes, porém, não conseguiu se segurar. Durante o encontro na Associação Comercial do Rio, disse ser necessário usar “mais violência para combater a violência”, “chumbo” para reagir a invasões de sem-terra e “lança-chamas” contra defensores de métodos esquerdistas na educação.

Enquanto isso, seus adversários começam a elaborar estratégias para realçar essas contradições. Bolsonaro é o homem a ser abatido. A equipe de Geraldo Alckmin (PSDB), o pré-candidato que mais perde eleitores para o ex-capitão do Exército, tem na ponta da língua os tópicos que pretende começar a explorar brevemente. O rol inclui provocações relacionadas ao patrimônio da família, avaliado em mais de 15 milhões de reais e ao que chamam de “desvios éticos” do pré-candidato, como o fato de ter empregado a ex-mulher e parentes dela em seu gabinete. E Ciro Gomes, no polo oposto, já o chama abertamente de “fascista”.

Bruna Prado/Apex-BrasilO economista Paulo Guedes, escolhido para ser o guru de Bolsonaro na economia (Bruna Prado/Apex-Brasil)
Outro dilema de Bolsonaro diz respeito ao tamanho da estrutura que irá acompanhá-lo daqui até outubro. A equipe do pré-candidato, se comparada às dos principais adversários, é amadora, e a pressão para profissionalizá-la começa a vir de aliados e correligionários. Hoje, os filhos-políticos são seus principais auxiliares. O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), 33 anos, é quem acompanha o pai em seus compromissos em Brasília. Funciona como uma espécie de ajudante de ordens de luxo. Do Rio, o vereador Carlos Bolsonaro cuida das redes sociais. O presidente do PSL, Gustavo Bebianno, é o advogado do candidato. O custo estimado da campanha é de 3 milhões de reais, um orçamento compatível com a disputa para deputado federal em um estado pequeno como Sergipe. Bolsonaro rejeita marqueteiros e consultores. Quer alugar um estúdio pequeno em Brasília, para gravar o horário eleitoral a partir de um roteiro que, garante, será redigido por ele próprio.

Tamanha modéstia de meios é desproporcional com a sua estatura nas redes sociais. Especialistas dizem enxergar a ação de uma estrutura profissional trabalhando a favor do pré-candidato. É justamente na internet que Bolsonaro aposta para chegar ao segundo turno. Se a campanha começasse hoje, ele teria apenas 8 segundos no horário eleitoral gratuito na televisão. Em um eventual segundo turno, as condições melhorariam: como o tempo é dividido igualmente, cada candidato tem dez minutos. O apoio de uma ampla rede de entidades militares espalhadas pelo país é outro ponto considerado vital por sua campanha. Na seara das possíveis alianças, Bolsonaro espera atrair o senador Magno Malta, do Espírito Santo, para ser seu vice. O parlamentar é estrela entre os evangélicos. A desejada aliança, porém, é outro ponto em que Bolsonaro terá necessariamente de ceder em relação a seu velho discurso: Magno Malta é do PR, partido comandado por Valdemar Costa Neto, condenado no mensalão. Para fechar o acordo, as conversas precisam necessariamente passar por ele. Nesse debate sobre a escolha de seu vice, aliás, há uma curiosidade que explicita o grau de desconfiança de Bolsonaro. Ele quer escolher a dedo o ocupante do posto, temendo ficar vulnerável caso seja eleito. Teme repetir o drama de Dilma com Michel Temer.

A campanha de Bolsonaro rejeita a ideia de que ele representa a extrema-direita, embora enxergue no cenário brasileiro semelhanças com disputas recentes ao redor do mundo, como a que elegeu Donald Trump nos Estados Unidos – o próprio Bolsonaro diz ver similitudes entre ele e o presidente americano (leia aqui). A leitura é de que o fracasso de políticos e partidos tidos como progressistas mundo afora e no Brasil fez surgir um movimento favorável à eleição de candidatos mais conservadores. Bolsonaro seria o beneficiário desse movimento. O próprio candidato e seus assessores torcem, e trabalham, para uma polarização contra a esquerda. Na hora de colocar as peças no tabuleiro, a campanha avalia ser melhor enfrentar um candidato do PT ou do PDT no segundo turno. Contra um petista ou pedetista, o debate que deverá predominar é se vale a pena a esquerda voltar ao comando. Se for do outro campo, é se valerá a pena o risco de eleger um presidente com o perfil de Bolsonaro. Nesse sentido, um candidato como Ciro Gomes, por exemplo, é menos temido pelo ex-capitão do que o tucano Geraldo Alckmin. A avaliação é a de que Alckmin conseguiria agregar mais setores, como o financeiro e o produtivo, na reta final. Enquanto isso, Bolsonaro vai tentando se equilibrar entre seus estilos.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Após 35 anos de desgovernos (com exceção talvez de Itamar Franco), sucessivos escandalos, institucionalização da corrupção descarada e deslavada envolvendo os três poderes, total abandono da saúde, da educação, da segurança, um Brasil economicamente arrasado, querer mais do mesmo é um completo suicídio. Então fica óbvio o porque do crescimento de Jair Bolsonaro. Ou tentamos um novo regime, novas ideias ou nos enterramos de vez nesse lamaçal em que temos vivido. Excelente reportagem.

  2. O Novo é o que mais representa meu ideário político (a despeito do Amoêdo ser fraco na defesa das teses liberais e ainda precisar lapidar sua oratória), mas o Bolsonaro não deixa de ser uma opção para segundo turno

  3. Parabéns Caio Junqueira...gostei da excelente matéria!! ...concordo com os que já se manifestaram, de que diante das péssimas opções que se apresentam comprometidos com o atual esquema de politicagem de interêsses,... a figura determinada e bem assessorada do Bolsonaro,... ainda é a nossa melhor saída p/... jairmos nos acostumando...!!

  4. Isso é jornalismo, parabéns pela isenção e honestidade. Os rótulos de homofóbico, racista, machista e por ai vai, não foram mencionados, pelo simples fato de que o Bolsonaro não é, e muito menos corrupto.

  5. É sensacional a maneira como os temas e entevistas são abordados aqui. Sem dúvida alguma, foi uma EXCELENTE aquisição a assinatura de Crusoé. Parabéns aos redatores e repórteres.

  6. Ninguém agrada a todos, mas inteligência emocional e ética firme tem que ser a linha mestra a ser seguida por qualquer candidato. Lembrando que o Brasil é celeiro de 171para nosso desespero.

  7. Ótima reportagem. Bolsonaro não é uma pessoa muito afinada com economia. Sem dúvida, ser-lhe-á muito importante o economista Paulo Guedes, e também o deputado Onyx Lorenzoni.

  8. BOM DIA, BOA MATERIA, MAIS SINCERAMENTE QUALQUER COISA QUE VENHA DO BOLSONARO PRA MIM NÃO INTERESSA, COMO DIRIA UM FILOSOFO FAMOSO DA ATUALIDADE...""A CADELA DO FACISMO ESTA SEMPRE NO CIO """

    1. Bolsonaro é um remédio amargo pr'um país acostumado a tomar placebo.

    2. Bolsonaro é um remédio amargo prum país acostumado a tomar placebo.

    3. Qualquer coisa que venha dele não te interessa e leu a matéria a ponto de comentar!

  9. Se não cair um cometa no Brasil até outubro, Bolsonaro estará no segundo turno. E aí , ou teremos uma opção viável ou será bom, Jair se acostumando!!

  10. Confesso que não sou eapecialita em assuntos tão complexos em relação a politica caótica em que se encontra o país. Entretanto, tenho notado que a Crusoé não tem simpatia pelo pré candidato Jair Bolsonaro, cuja bandeira que atrai o povo é a luta pelas necessidades básicas contidas na Constituição que não cumpridas: direito a educação, segurança, moradia, saúde e valores morais. Meu voto será para os compromissados a apoiar as 10 Médidas Contra Corrupção, que resume o que precisamos.

  11. FHC (aprovação continuada) e o PT (aparelhando a educação) criaram a geração nem-nem e alimentaram a violência com seus "raciocínios" marxistas esquizofrênicos. A constituição de 88 criou um universo kafkaniano de leis e direitos. Para ser empresário aqui, só louco ou corrupto. Agora, com os corruptos indo presos, sobram cada vez menos loucos! A economia patina e flerta com a Venezuela da vez. Quem não tem rabo preso e tem voto para dar uma guinada à direita para tentar evitar o pior?

  12. Realmente incrível a capacidade de ilusão que esse sujeito tem. Ele e sua família vivem exclusivamente da política há algumas décadas, porém se diz um anti-político. Única e exclusivamente atuou em defesa de interesses corporativistas do funcionalismo público ao longo de sua atuação como deputado, porém se diz defensor de um Estado menor. Sempre se posicionou como nacionalista e agora prega um discurso liberalizante na economia. Fraco, oco e falso. Essa é sua verdade!

  13. Excelente reportagem! Me ajudou muito a consolidar o que eu sempre pensei a respeito de Jair Bolsonaro: se trata de um perfeito cavalo de troia que, se eleito, irá arrancar um exército conservador e absolutista de suas próprias entranhas.

  14. Achei equilibrada a reportagem Caio! Se formos verificar as reportagens feitas pela maioria dos veículos de comunicação, elas são abertamente contra um e escancaradamente a favor de outros. As ponderações valem para o próprio avanço do candidato.

  15. Gostei ,bem esclarecedora. Gostaria de saber mais do candidato João Amoedo. Tenho visto entrevista e o acompanhado, mas gostaria de saber mais. Boa noite e obrigada.

  16. A reportagem é tendenciosa ao tentar desmoralizar o candidato ao ter recebido um copo de suco de laranja do deputado Onix, como se isso fosse um puxasaquismo. Vamos fazer uma discussão séria CRUSOÉ. Ou voces vem com cartas marcadas?

  17. Balela este Sr é um perigo ao Brasil primeiro porque um néscio de pai e mãe ,me admira muito que uma revista que se diz responsável fale sobre uma besta fera desta ,um homem que em trinta anos de vida legislativa nada contribuiu ao Brasil,única coisa que fez foi acomodar numa vida boa seus filhos mulheres e amantes gastou verba publica como ele mesmo diz para comer gente ,uma piada de mal gosto de todo lado que se veja e o A Crusoé não contribui em nada para um Brasil melhor .Errou feio .

    1. cai fora então... você quer ler só o que te intessa? vá lá pra folha de são paulo ou carta capital, se é que essa ainda existe(zerou a fonte) que vai ler o que agrada.

  18. Aqueles que não acreditam no discurso do Bolsonaro, irão voltar em quem "Alckimin", este atolado na denúncia da Lava-Jato, sendo este manipulador do MP Paulista, amarrado com Paulo Preto (arrecadador do PSDB). Alckimin que diante do flagrante do acharque do Aécio contra a JBS, manifestou-se que o fato não está claro, sem falar nas denúncias das Concessões das estradas paulista. Ou, votar nos candidatos que apoiam Lula, diante dos crimes provados no Mensalão e na Lava-Jato. Vou de Bolsonaro.

    1. Bem é isto mesmo, vou votar em Alckmin porque não sou louco e quero o melhor para o Brasil .

  19. Muito boa a matéria. Bastante elucidativa sobre a personalidade do candidato Bolsonaro. No entanto, peca o articulista ao referir-se de forma jocosa ao Deputado Onix, taxando-o de bajulador no início do texto e, mais adiante, de "aquele do suco de laranja".

    1. Infelizmente é verdade Onix é um bajulador de uma besta fera chamada Bolsonaro um dos maiores perigos a democracia Brasileira um vagabundo que ficou trinta anos na câmara e não fez bosta nenhuma para o Brasil a não ser para sua família e amantes .O Onix Lorenzoni tinha meu respeito ,mas a partir de agora vejo como um lambe botas vulgar .

  20. Somente após as análises dos demais candidatos, poderemos medir a imparcialidade do sr. Caio Junqueira. Ao que parece, o candidato possui, como pessoa normal que é, muitos defeitos e poucas qualidades. Deve-se, portanto, pôr na "balança" da ética e ponderar a real importância de suas qualidades ante aos seus inúmeros defeitos. Eu ainda vejo maior peso nas qualidades do Bolsonaro.

  21. Querendo ou não, gostando ou não, conclui-se que o Bolsonaro deve ser levado a sério. Subestimaram o Trump e ele ganhou a eleição.

  22. Só fico desejando que ele fale sem usar os palavrões, od mesmod que o Lula usava em seu telefonemas grampeados; isso o enobreceria, ao meu ver.

  23. Boa matéria. Torna explicável o "fenômeno" Bolsonaro. É inegável que sua postura firme e explícita em razão desse ou daquele tema, conquista admiradores e oponentes, sempre pelo que foi exposto, nunca pela omissão. Isso está em falta no Brasil.

  24. Bolsonaro passa a impressão de ser ainda muito influenciado pelas políticas econômicas do período militar, quando as estatais eram fundamentais para implementar políticas que pareciam corretas na época, principalmente nas áreas de energia e petróleo. O foco do pensamento dele tem que ser alterado para a adoção das políticas liberais do Paulo Guedes. Acho perfeitamente possível.

  25. Bela e objetiva apreciação de um candidato. Sem qualquer preconceito ou favor.Desnuda o sujeito e deixa que o leitor e possível eleitor observe o candidato sem os rendilhados dos humores ideológicos ou políticos.

  26. Texto longo e bem elaborado. Mas se o propósito é mostrar os pontos fracos, aguardo semelhante avaliação sobre os demais candidatos. Afinal, é importante conhecermos o lado negativo de cada um.

    1. Bolsonaro para mim, eh muito ruim, porem terei que votar nele porque os outros sao muito pior. Qualquer outro candidato que ganhe as eleicoes, vendo suas coligacoes se formando me da a impressao que se ganharem terao que blindar os outros da Lava-jato.

  27. É apenas uma matéria pra pegar os furos do bolsonaro. Ótimo, Que se pegue os furos de todos os presidenciáveis. No meu entender, os mesmo erros que ele cometeu estamos sujeitos a cometer. Ele é confiavel. Na hora de votar, ele pesa quem o elegeu. nessa logica ele fará o mesmo com quem votar nele. Se o comparar ao dória, o bolsonaro ainda não se mostrou incongruente no curto prazo. Se tivesse alguma mentira na revista, o proprio bolsonaro ja teria feito um video pra desmentir. Segue o jogo

    1. Matheus e todos os outros que comentaram algo semelhante: muito bem pontuado! Este "post" do autor até lembra uma reportagem bem escrita, mas, de firmeza duvidosa. Uma pesquisa extensa foi feita pelo jeito. Que bom! Mas, de ENVIESADA intencionalmente; compare aos ditos na capa. Parece que as palavras são escolhidas jornalisticamente para dar má impressão e medo. Quem será o último a ser analisado? Ante às últimas linhas da reportagem se tem ideia. Crusoé, por Caio Junqueira ! Esperava mais.

  28. Sem comprometer a essência da moralidade e do Patriotismo natural há necessidade de uma adequação da política econômica que venha permear um desenvolvimento necessário para arrancar o Brasil deste fosso da imoralidade e da Corrupção que os últimos desgovernos nos jogou. O importante é saber que hoje não se pode dar um cheque em branco para que os políticos façam o que bem entendam e o contribuinte- povo que se lasque.O Deputado Bolsonaro não poderá governar sozinho.

  29. Vou votar em Bolsonaro e vou fazer campanha prá ele, vou pedir votos na família e aos amigos e vou explicar para convencê-los porque o Capitão Bolsonaro é o melhor candidato para o país no momento! Simples assim!

  30. Já está " de fato" no segundo turno,,agora com quem ? Do jeito que a população esta revoltada,,tem grandes chances de ser com Ciro Gomes...

  31. Realmente não consigo ler a matéria inteira. Não é culpa do Caio Junqueira nem da Crusoé, é o protagonista mesmo. Bom, se for preciso um voto útil no segunda turno, prometo ler toda a matéria.

    1. As matéria e os assuntos que vc gosta está lá na carta capital, se é que ela ainda existe(a fonte secou) ou tem a fôia de sun paul também...

    2. Pelo seu nome, vê-se que é incapaz de ler a matéria bem escrita do jornalismo da Crusoé! Mas, paciência, tem idiota prá tudo!

  32. Gostei da repostagem, traçou um perfil honesto do Bolsonaro, ele é truculento sim. Eu pessoalmente não gosto de seu estilo, mas entendo que os militares por motivo de treinamento na farda em geral são pessoas mais truculentas tal qual Bolsonaro, isso não o torna mal caráter, apenas difícil de lidar e na presidência precisamos de alguém com traquejo, a Dilma tinha essa incapacidade e deu no que deu, no entanto ele é o único honesto com chances de ganhar e afastar a esquerda do poder. Veremos...

  33. A matéria não é das piores. Mas o que mais me impressiona é o fato das pessoas quererem mudanças votando nos mesmos nomes que já conhecemos. Pela primeira vez na minha vida poderei votar em alguém que pensa em dar solução, a este lixo que virou o Brasil, da forma como eu penso. É difícil não concordar com maior parte das bandeiras que Bolsonaro levanta. Ou será que há brasileiros tão ingênuos a ponto de acharem que velha conversinha fará a diferença? Precisamos de um país que proteja seu povo.

  34. Várias incorreções. Vou citar duas: O embate com a Maria do Rosário deu-se quando ela defendia a impunidade para um estrupador e Bolsonaro ao contrário, pregava inclusive castração química. Nessa discussão ela o chamou de estrupador e foi bem depois, após o governo Lula, que ele disse na tribuna do congresso que ela não merecia ser estrupada. A tal "cartilha contra homofobia" na verdade era uma clara apologia à homossexualidade para crianças. Tendenciosidade contra o Bolsonaro, como de costume!

  35. Os senhores da CRUSOÉ poderiam informar quais características um candidato ideal no pensamento de vocês, deveria ter para se candidatar a presidente ? Seria as de um anjinho ? Ou as de um lobo com pele de carneiro ? Gostaria de ouvir críticas reais e não as fabricadas para cumprir a matéria do dia. Santo só no céu, aqui são pessoas normais com seus defeitos. SE TIVER CARATER JÁ É MUITA COISA. Então, quais as informações sérias que desabonam o candidato citado ?

  36. Na semana passada o Bolsonaro foi entrevistado pela rádio Joven Pan e, desculpa é impossível votar nesse candidato. Não sabe falar sobre economia, usou exemplo de como o avó fazia para tratar porcos em sua fazenda, usa termos inadequados para um candidato a presidência da republica. Lendo essa matéria até achei que estavam falando de outra pessoa. Espero o mesmo nível de reportagem com os demais candidatos.

    1. O Lula sabe de economia? E a Dilma? Quer saber nem o FHC sabe. Aliás, pega a história do Brasil e veja qual presidente entendia de economia. E sua grande maioria foram advogados. Responsáveis por criar estas leis que só beneficiam o sistema. Não vejo nenhum problema e ter um presidente humilde a ponto de reconhecer que não conhece de economia. Humildade faz bem. Deixe a economia para Dr. Paulo Guedes. Ou há alguém mais capacitado? Regra número um de qualquer governo: proteja seu povo.

    2. Até aí tudo bem, o importante é ter caráter, inteligência e bons assessores. Será que ele tem ?? Também estou querendo formar uma opinião .....

  37. "Ao deputado Jean Willys, assumidamente homosexual, disse que não teria orgulho em ter um filho como ele." DEVERIA TER????

  38. ...ceder aos deputados no "presidencialismo de coalizão", revela a insegurança e fraqueza de Bolsonaro, isso seria contra o seu "estilo"...parece ele que não conhece essa praga de deputados que se acadelam diante de quem tem a força do voto e a possibilidade de mandar. Acho que ele não tem noção mesmo do que o país precisa institucionalmente.... provavelmente votarei nele pra ver se sangra esse congresso, que deveria ser o elemento mais importante do governo

  39. É interessante chamar a esquerda, que é inépta, ineficiente, elitista, cartorária e altamente corrupta, de 'progressista'! Eu nunca conheci um comunista, socialista ou social democrata que seja probo, honesto ou ético. Efetivamente Bolsonaro não é o ideal de político que imagino. Mas sem dúvida alguma, hoje, é o único que pode tirar o Brasil dessa situação que se encontra desde idos de 1.984. Qualquer outro desses pré-candidatos que seja eleito nos levará à Venezuela em dez a quinze anos.

  40. Muito bom artigo, parabéns! Votei no PT desde 89. A partir do mensalão e petrolão tomei asco pela esquerda e comecei a acompanhar Bolsonaro, e isso faz dois anos. Hoje ele é meu candidato a Presidente.

  41. QUEREMOS UMA REPORTAGEM QUE CONTE MAIS SOBRE O CANDIDATO. QUEREMOS CONHECÊ-LO MELHOR. LULA JÁ MOSTRAVA O QUE ERA DESDE SEUS TEMPOS DE SINDICATO. NEM PRECISOU DE APRESENTAÇAO. A CARA JÁ MOSTRAVA QUE NÃO ERA CONFIÁVEL.

  42. Não é segredo que estamos mal de candidatos para a presidência, mas, que dizer do Congresso? As pautas do economista Paulo Guedes são as que o Brasil necessita. Entretanto, que candidatos ao legislativo apoiaria, sem a maldita contrapartida? Aliás, a ruína do país começa por aí. Não se vêem como cidadãos que seriam beneficiados como o resto do povo. Querem mais, onerando assim, a massa contribuinte, que paga cada vez mais e recebe cada vez menos. Até quando?

    1. Bom dia Sra. Luiza,a Sra. bem sabe assim,como eu,que quem faz o filtro para o congresso é a Sra. eu,todos que se manisfetaram neste espaço com seus comentários,e todos o brasileiros convocados a irem as urnas para votarem.Farei este filtro dos candidatos,aconselho o mesmo à todos eleitores pq já conhecemos o “modus operandi” dos que estão no congresso há anos,e estão lá,pelo poder e não pelo país,pois,no congresso se trilha o país aos cidadãos.Votos:Útil,protesto,Tiririca,nos pôs nesta situação.

    2. bem isso, um balcão indecente. O estilo natural de Bolsonaro poderia ser contrário a isso

  43. Parabéns Crusoé! Ótima análise, muto equilibrada. Matérias como essa ajudam muito no processo necessário de desvendar os candidatos.

  44. Tenho curso Superior com Pós-graduação a nível de Mestrado. Penso que Pinochet estava certo e a população tem k andar armada. Os bandidos sempre estarão armados.

  45. Bolsonaro é a resposta do eleitor a tudo de ruim que vem acontecendo na política brasileira. É a esperança em ver uma posição firme a favor da brasilidade, da seriedade, e da ética . Tudo vai depender da escolha que fizer do seu Ministério . Paulo Guedes é uma boa escolha, esperemos que seja uma escolha técnica e não política.

  46. O eleitor tem que se conscientizar que ele pode mudar este pais com seu voto, principalmente não votando em corrupto e nem em corruptor deveras conhecido. De 4 em 4 anos podemos mandar os ruins pra casa, não os reelegendo.

  47. Parabens Crusoé pela reportagem sobre o candidato Bolsonaro, sugiro que façam o mesmo com os demais candidatos, Alckmin, Ciro, Etc.

  48. Bolsonaro 2018. Em relação aos políticos que temos, acredito que o candidato é o único que realmente pretende fazer mudanças.

    1. Com certeza não lemos ao mesmo artigo. Excelente análise, aconpanjo a carreira e a trajetória de Bolsonaro há muito tempo. Nada donwue foi falado foi mentira ou distorção. Até o faricdico imbróglio entre ele e a Maria do rosário foi tratado com a devida isenção jornalística. Sendo possível ek até encheegar alguma simpatia pelo deputado. Enfim, menos.

  49. Diferentemente do resto do serviço público, os militares levam a sério a avaliação dos seus integrantes. Sim, o atual deputado, não estava contente com a situação na época em questão, oprimidos que estávamos pelo revanchismo do FHC e Cia. Ele tomou a atitude correta, pediu sua baixa, não foi reserva. Diferente também, dos deputados que ocupam a posição por 18 meses para receberem por toda a vida a aposentadoria, UM ABSURDO. Que tal uma reportagem sobre o passado dos demais candidatos?

  50. Equipe Crusoé. Matéria boa. Entretanto, será que vocês usariam esta mesma visão com outros possíveis candidatos? Acho que não. Vamos ver quem será o proximo. Aí poderemos avaliar melhor. Também não gosto de Bolsonaro ficar falando que não gostaria de privatizar a Petrobras. Acho que TEM que privatizar TUDO! A ver...

  51. Artigo excelente e detalhado. Mesmo antes de ler só com um pouco de bom senso e perspicácia dá para saber que tipo de pessoa é Jair Bolsonaro. Homem violento e demagogo. Ele nunca me enganou. Nem ouço o que ele fala. Meu voto será para Álvaro Dias. Pena que quase ninguém o senador e a mídia não o menciona.

  52. Artigo excelente e detalhado desse homem que, mesmo antes ler, só pelo bom senso e um pouco de perspicácia, já dá para saber que tipo de pessoa é o Jair Bolsonaro. Demagogo, violento, nunca me enganou. Nem ouço o que ele fala. Meu voto será para Álvaro Dias. Pena que a maioria não o conheça e a mídia nada fala a seu respeito.

  53. Que parcialidade heim!!! kkkkk...se a intenção foi desconstruir a figura do Bolsonaro, ao menos sob minha ótica, o tiro saiu pela culatra!

  54. A partir do caos instalado com os desgovernos petistas e, já a partir da guinada à esquerda do segundo mandato de FHC, é natural e extremamente desejável que o pêndulo se volte para a direita, para equilibrar-se no centro, restabelecendo desse modo uma unidade nacional. Somente desta maneira vejo possibilidades de se diminuir o ódio entre os diferentes segmentos sociais, implementado pela outrora “jararaca”, hoje um presidiário em tratamento restritivo de alcoolismo,

    1. É a proposta da revista. Quer ler resumo, volte pra Veja 🙂👍🏼

  55. O famigerado esforço da tal intelectualidade socialista somada a quase totalidade da mídia, em desconstruir o Bolsonaro é indicio eloquente que estamos diante de um fato politico novo. A novidade é justamente a mudança de paradigma explorando um rumo que o pais nunca se atreveu, a liberalização da economia e respeito a fé judaico -cristã. Votarei com minha família no senhor Bolsonaro.

  56. O famigerado esforço da tal intelectualidade socialista somada a quase totalidade da mídia, em desconstruir o Bolsonaro é indicio eloquente que estamos diante de um fato politico novo. A novidade é justamente a mudança de paradigma explorando um rumo que o pais nunca se atreveu, a liberalização da economia e respeito a fé judaico -cristã. Votarei com minha família no senhor Bolsonaro.

  57. Me encontrem uma viva alma acima de qquer crítica e sem reparos....o q vejo em toda matéria do bolsonaro é uma flagrante intenção, ainda q indireta, de morde-lo no calcanhar....a crusoé tem seu viés mais liberal e por isso, naturalmente, oferece um bolsonaro desfigurado...eu gostaria q não fosse assim....mas...fazer o q? Mídia independente não é isenta de ideologia própria...crusoé: meirelles não será...para tristeza de vcs e dos bancos, não será....bjs

  58. Há algum tempo o Olavo de Carvalho disse que não acha que o Bolsonaro esteja intelectualmente a altura do desafio que virá, caso seja eleito. Isso é o que mais me preocupa. Por outro lado, confio mas nele do que nós outros candidatos. No fim das contas, teremos que torcer para ele fazer um bom trabalho.

  59. Faz um tempo que não via os comentários aqui, democracia plena! Parabéns Brasil! Mas alguns dos comentários usam português rebuscado, quase direto da escola de direito, tentando chegar a Guimarães Rosa, mas fica estranho num site de notícias!

  60. Caro Caio Junqueira, Uma reportagem que descreve um pouco do perfil e trajetória do pré Candidato Bolsonaro, eu diria morna até certo ponto, porem com características, e particularidades que reafirmam meu voto. A pequenez dos jornalistas ao entrevistar o Pre candidato é triste, a democracia diante de um forte candidato a presidência prefere não exercer seu escopo de liberdade, vinculando ao mesmo sempre suas características pessoais, ai você conhece mais quem pergunta do que quem responde!!!

    1. Então vamos comentar também que o Diogo Mainardi era da DIREITA e estudava no Mackenzie. E fazia bagunça e soltava pum na sala de aula.

    2. Parabéns! Deveria ser uma revista isenta... mas não é

  61. Discordo em alguns pontos! Bolsonaro sempre denunciou o PT e Lula! Sempre denunciou o Foro de São Paulo e o embuste da esquerda! Não “surfou na onda”! Ele tem batido na mesma tecla todos esses anos, não muda de lado e não é corrupto! Acho que já sai na frente de alguns, não acham? 🧐

    1. Quando falei da expressão liberal, me referi ao Paulo Guedes, não ao Bolsonaro. Gosto das posições do Bolsonaro e espero que ele seja o próximo presidente do Brasil, mas seja autêntico e se afaste das ideias “liberais”.

  62. Gostei muito da reportagem, mas muitos brasileiros não tem muito conhecimento da expressão “liberal” usada aqui e que é o termo americano pra uma pessoa de ideologia de “esquerda” no termo brasileiro. Podia ter sido um pouco mais direto, sem dizer que o cara é Petista!

  63. Boa reportagem! Uma das poucas que li que não apelaram para esteriótipos para retratar o Bolsonaro. Acredito que se ele encontrar o ponto certo entre o conservadorismo de alguns de seus posicionamentos e o liberalismo de que o Brasil precisa após tantos anos de "culto ao Estado" estará praticamente eleito.

  64. Quando pensávamos que Dilma seria o fundo do poço, vemos o eleitorado se empolgar com Bolsonaro e Ciro, antigos aliados com fortes demonstrações de histeria. Incrível. Não há a menor chance ao Brasil.

  65. Matéria segue o padrão descritivo-fático tradicional, o que lhe retira a credibilidade necessária ao convencimento do leitor. Em tempos de revolução comunicativa, faz-se cogente a narrativa de fatos, não a de sensações do agente descritivo, com o objetivo de concretizar o abstrato. Melhor JAIR se acostumando.

  66. Cristo, onde o país foi parar tendo um candidato do naipe de Bolsanaro?!!! Ele é fraco, inculto, arrogante, oportunista, violento, leigo em política, etc., etc. Enfim, jamais daria o meu voto a esta criatura.

    1. Vê-se que nunca ouviu o candidato...nas tem seguido os recortes que sao feitos dele pela mídia. Faz parte da parcela da população que acredita na GLOBO....

  67. O Bolsonaro demonstra autenticidade no que diz. Já os seu rivais agem como atores e por isso convencem pouco. Tentam o politicamente certo. Da boca pra fora.

  68. O difícil não é se eleger. Difícil mesmo será governar o país com o Congresso atual e que, ao que parece, será reeleito em sua grande maioria. Solução para isso? Quem sabe se conseguisse fazer as eleições legislativas juntamente com as eleições majoritárias do segundo turno. ter-se-ia tempo para propaganda eleitoral (15 ou 20 dias) já sabendo quais os candidatos concorrentes. Aí poderíamos eleger 2 bancadas. Uma a a favor e uma contra e a partir disso cobrar fidelidade.

  69. Creio que não deve haver quaisquer acordos com os Poliiticos e com a politica vigente. Há que varrer a canalha do mapa. Mais do mesmo? O agora "meia-esquerda" Alkmin? Ou será o "tiro gomes" o sugerido pela CRUSOÉ? Quem sabe a melancia? Espero aqui comentários isentos. Meu voto aqui do exterior vai para BOLSONARO.

  70. Apesar de votar no Bolsonaro, pelas razões que explicitei no comentário anterior, faço algumas restrições em posicionamentos, que espero mudanças, nacionalistas e de reação a privatizações, em parte obcecado por falsas questões de segurança nacional, mas, a escolha de Paulo Guedes na assessoria econômica e como futuro Ministro da Fazenda, relativizou minhas críticas.

  71. Em condições normais do país, estaria propenso a votar em Alckmin que, para mim, é um homem honesto e moderado, mas acredito que a situação atual, com corrupção extremada e criminalidade a níveis que impressionam o Brasil e o mundo, creio que precisamos um choque de ação vigorosa contra esses males, além de que o Bolsonaro representa o político de direito capaz de asfixiar a esquerda retrograda que dificulta a recuperação do pais, após os desastrados governos petistas.

  72. Críticas, veladas ou não, são bem-vindas e, se surtissem efeito negativo ao Bolsonaro, este já estaria liquidado há tempos. Um candidato antifrágil não teme críticas, se fortalece com elas.

  73. Dentre as pessoas q convivo, existem eleitores de Bolsonaro em grande número, e de Amoêdo em pequeno número. Nada mais. Tudo bem q eu estou no sul do Brasil, mas penso q isso é bem ilustrativo de como será a campanha.

  74. Pra sorte do capitão, "nunca antes na história deste país" alguém irá concorrer contra tantos ladrões, corruptos, investigados, vagabundos e/ou ineptos.

  75. Até que apareça um pré-candidato mais forte do que Bolsonaro, na linha do moralismo pela educação, segurança e saúde e um liberal econômico e ao mesmo tempo tenha ficha limpa referente a corrupção, estarei com o Bolsonaro. Como ele existe bom nomes como o João Amoedo e Álvaro dias, más dificilmente emplacará nas intenções de voto. Henrique Meirelles também é um bom nome mais escolheu um partido que está atolado em corrupção e complacente com a velha política.

  76. Achei excelente esta analise, imparcial e cuidadosa ao avaliar as alternativas e possibilidades de um candidato tão polemico e temido como o Bolsonaro. Mas acredito que está o caminho para que o João Amoedo apareça e desponte.

  77. Acontece que, se o Alckmin for pro 2°turno com Bolsonaro, vale lembrar, principalmente, a antipatia adquirida pelos tucanos, nos mandatos de FHC, nas regiões norte e nordeste. Isso, sendo bem esplorado pela coligação do PSC, pode se tornar um fator de desequilíbrio em favor de Bolsonaro.

  78. Apesar das críticas (veladas) aqui mostradas, somos todos Bolsonaro, aqui em casa e na maioria dos familuares e amigos. Talvez por completa falta de confiança nos demais candidatos.

  79. Nos meus 69 anos, formado eng. civil em 1972 conheci todo o desenvolvimento do Brasil, participando de projetos para obras como aeroportos do Galeão, Manaus e Florianópolis, ferrovia do aço, Cindacta e outros e todas estas obras tinham prazos e custos cumpridos. Encerrado o período dos presidentes militares, o que vimos? Da carga tributária de 16 a 18% passar a 28%, 36% e agora beirando os 40%. Este sistema não dá mais e por isso apoio Bolsonaro. É a última tentativa antes do aeroporto.

  80. O candidato está chegando ao topo de sua campanha. Vai ser triturado pela mídia imperdoavel do sistema Globo (cobra muito alto $$$) e pelo establiment de outros candidatos, já enfraqueidos pela corrupção.

  81. Não temos um canditado de peso! O Brasil está acabado! Será que Bolsonaro conseguiria se cercando de bons assessores,governar este país desgovernado?

  82. Na minha visão, o pre-candidato Bolsonaro chegará ao segundo turno, sim. Caso ele vá, e enfrentar Ciro Gomes, como diz a matéria, o quê não creio aconteça, pois esse último não chegará a tal patamar, ele vencerá. Quanto a candidatos do nível de Alckmin ou Álvaro Dias, se esse chegar, será mais dificil. Taxar Bolsonaro, como Ciro o faz, de Fascista, o ajudará. Comparar Bolsonaro a Donald Trump, não tem nada a ver. As eleições neste ano continuam sendo uma incógnita.

  83. A matéria fala somente de posições político-ideológicas e econômicas. Mas para entender o fenômeno Bolsonaro é preciso uma outra abordagem. Sua campanha é baseada em VALORES, que a esquerdalha tem feito tudo para destruir, no seio da sociedade brasileira, especialmente nas duas últimas décadas. É isso que o povo quer: honestidade, ética, probidade, família, liberdade e bons costumes. O resto é negociável. Valores, não. Pensem nisso, e irão entender porque muitos apoiam Bolsonaro, como eu.

    1. Exatamente Raul, ninguém hoje em dia menciona valores, só importa a vida como cálculo.

  84. Com o todo pré candidato exta tentando achar seu caminho para o segundo turno. Gosto da ideia de colocar um tubarão no meio dos atuns...isso é Bolsonaro..

  85. Somos capazes de compreender o que seria o "risco Bolsonaro"? É diante dele, seríamos corajosos em assumir essa "aventura"? Na certa, o que mais depõe a favor de Bolsonaro é a má qualidade de seus adversários. O "espantalho-caricatura" não ganha essa eleição, mas deve impedir que alguém mais à esquerda eeja o eleito.

  86. Poxa pessoal da Crusoé! Até vcs tem que se rebaixar e usar o truque sujo e canalha de usar uma foto ruim de quem não gostam? As pessoas não são idiotas, não se achem os "gênios" da subliminaridade. Essa foto da capa foi muito estudada pra passar uma má impressão do Bolsonaro. Cresçam idiotas!

    1. O povo brasileiro já se cansou desses discursos políticos eloquentes e repletos de bravatas usadas para ludibriar a boa fé de quem os ouve. Isso já não cola mais! #Bolsonaro é o único desses pré-candidatos à Presidência da República, que fala abertamente o que pensa, de maneira direta, dizendo a respeito do que os eleitores querem ouvir. Sem meias-palavras engabeladoras, costumeiramente usadas por esses políticos "rapineiros". Por isso é: #BolsonaroPresidente2018

  87. Um pouco decepcionada, porque esperava uma entrevista, não uma reportagem. Enfim...Para um país que escolheu Lula e Dilma, eleger Bolsonaro agora vai ser um avanço de mil anos.

  88. Me recordo de duas coisas sobre Bolsonaro, que me fazem ser ele o meu candidato (moro nos E.U. e faço questão de ir votar a cada 4 anos). 1) Foi mencionado no Mensalão - pelo ministro Barbosa - como o único do partido dele, PP, que não havia recebido propina. 2) Era o único deputado que por anos, anos, mostrou as falcatruas do PT durante seus discursos na tribuna.

    1. Sou Bolsonaro.Moro em SP e por aqui tem mtos com curso superior, executivos de gdes empresas, que votam Bolsonaro.

  89. Bolsonaro é quase uma certeza no segundo turno. Creio que sem maioria no Congresso, para evitar um loteamento do futuro ministério, ele deveria escolher, de imediato, um grupo de “notáveis”, sem telhado de vidro. Aumentaria sua credibilidade, daria alguma esperança e entusiasmo ao eleitorado (tarefa bem difícil) e impulsionando sua campanha no segundo turno rumo a uma provável vitória. Preferiria que o Amoedo tivesse chances reais. Como não me parece viável... Bolsonaro neles!!!

  90. EXISTEM APENAS 2 "instituições" realmente organizadas, uma é o Crime Organizado seja do colarinho branco, do aparelhamento do Estado ou de facções criminosas, inclusive em algum momento misturadas entre si, a outra, são as FORÇAS ARMADAS, chegamos num ponto que não dá para votar em nenhum outro candidato, pois sacanas de sempre, continuaram aí. É justamente o que não queremos. Bem ou mal, acho que está mais para xucro mas sem ter rabo preso, é BOLSONARO.

  91. Até agora não ouvi nada que desabonasse a idoneidade de Bolsonaro. É firme em suas idéias, valoriza muito a família, não tem medo de tomar atitudes antipáticas, defende o Brasil e não sabe tudo como nenhum grande administrador mas está mostrando que sabe escolher bem sua equipe, como Paulo Guedes

  92. Apesar das colocações aqui postadas representar uma realidade muito próxima da avaliação feita pelo eleitorado há uma forte possibilidade de mudar os enfoques ditos negativos por uma postura pró-ativa junto ao eleitorado descontente com os atuais políticos.

  93. Voto em Bolsonaro. Sem Bolsonaro votaremos no General Ozório. Queremos o Capitão no Planalto e os Generais em todos os Ministérios no Brasil. Fim dos Corruptos.!

  94. Depois que o Alckmin chamou o Cristóvão Buarque para seu time , deixei de ter dúvidas: votarei no Paulo Guedes! Mesmo que, para isso, tenha que vir junto essa figura tosca, burra e primitiva do Bolsomito. Embora - fato - , Bolsonaro seja o presidente que o Brasil merece! If you know...

  95. Mesmo não sendo "bolsominion", não vejo com qualquer preocupação, uma inesperada (será mesmo?) eleição do capitão. Ora, um país onde os eleitores (e eu até me enquadro entre esses) conseguiu eleger um falsário instrumentalizado por Golbery (se não sabiam disso, pesquisem jovens..) e que "passou a perna em todo o mundo", por que não poderiam eleger um ex-capitão pra continuar a comandar esta bagunça em que se tornou este país? Ninguém, mas ninguém mesmo, conseguirá por esta República nos trilhos!

    1. Preciso aduzir mais um pouquinho: parafraseio meu velho pai "portuga" e hoje acho que ele tinha razão absoluta. Assim dizia há 50 anos : - "Só tem um jâito (jeito) pro Bresil (Brasil). É devolver(e) pra Portugal, embrulhado em papel de pão, e ainda pedir desculpas pelos "estragos"!

  96. Pela primeira vez leio na mídia um artigo que não é "bolsonarófobo". Análise objetiva, fatos e crítica na medida do bom jornalismo. Parabéns. Dois dedos de ressalva: no caso da Maria do Rosário, não se pode omitir que o que ela ouviu foi resposta ao insulto dela de que Bolsonaro "é um estuprador". No caso do "kit-gay", "combater a homofobia" é apenas um álibi da militância esquerdista. A meta não declarada é "trabalhar" a ideologia de gênero nas escolas.

  97. O Presidente BOLSONARO é apoiado por HOMENS educados, cultos, maduros, livres, cristãos, trabalhadores bem sucedidos, e que compreendem que o materialismo histórico de Marx comunista socialista sempre fracassou e está destruindo a EUROPA. BOLSONARO NO PRIMEIRO TURNO!!!!!

  98. Considero que o articulista foi hostil em relação ao candidato. Prova da hostilidade está na frase: "Ainda no governo Lula, disse a Maria do Rosário (PT-RS) que ela não merecia ser estuprada, depois de ser abordado agressivamente pela deputada". Quem são David Fleischer e Romário Romano na ordem das coisas para serem mencionados no artigo??? Ainda sobre o articulista, gostaria de salientar que Jair Bolsonaro é capitão. Não existe ex-capitão!!!!!!

    1. Muito boas as observações, principalmente sobre os nomes mencionados, DF e RR!

    2. Isso mesmo Angela...entrou na roda tem que dançar !

  99. Estamos de fato caminhando para o abismo! Até simpatizo com Bolsonaro ; mas eleito nao aprova nada / nada .... e segundo turno ;?? Bolso e Ciro ?? Amigos ; preparem se ! Dias dificeis virao...

  100. A revista, não chegou a falar mal do Bolsonaro, mas ficou claro que não tem simpatia nenhuma por ele. Se não tem por ele, tem por quem então, tá na hora de descer do muro, né não?

  101. Mais dinheiro para os prefeitos é uma péssima proposta. Conheço bem os municípios Brasil afora, e afirmo com conhecimento de causa: o desvio de verbas, o roubo descarado, os mensalinhos aos vereadores, etc, é prática consagrada em 99% dos municípios brasileiros. Já têm dinheiro demais, e o usam muito mal, são verdadeiras ratazanas do tesouro municipal. Enquanto o povo da cidade não fiscalizar o prefeito e os vereadores, e os func. públicos municipais não denunciarem os malfeitos, nada mudará.

  102. O Temer convocou as FFAA. Abriu o precedente antes do Bolsonaro que ficou muito confortavel para repetir o ato, se necessário for.

  103. Que texto enorme. Não vou até o fim. Muito chato textão. A maioria dos relatos já é do conhecimento do público , e Bolsonaro já debateu todos, em suas extensas entrevistas, mas, a mídia continua a explorá-las. A revista Crusoe não deu a oportunidade para o candidato se explicar, em cada decisão do candidato, e seus discursos . Bolsonaro, nunca diz que saiu do PP porque não conseguiu apoio, mas, SIM, porque o partido estava afundado em Corrupção , e assim, estaria contrário aos seu discurso.

  104. A quem pergunto só escuto que vai votar em Bolsonaro. Pra mim, ele já tem eleitorado para, talvez, ganhar em primeiro turno. A minha explicação é simples: o povo brasileiro vê nele a ascensão ao poder das, cada vez mais prestigiadas e populares Forças Armadas. Este fator está se acentuando na medida que lideranças militares como o General Mourão ou o próprio comandante do Exército, General Villasboas, vem se manifestando publicamente contra a corrupção ou contra a continuidade da impunidade.

  105. A vice ideal para Bolsonaro seria a senadora Ana Amélia. É mulher, muito objetiva, centrada e corajosa. Seria o contraponto perfeito para o, às vezes estabanado, candidato a Presidente da República.

  106. Igualzinho a 2002, quando Lula se transformou para conseguir engambelar a classe média. Brasileiros adoram ser enganados. Bolsonaro é um bufão, sem nenhum tino administrativo comprovado. Vai ficar nas mãos dos políticos, brigar com meio mundo e acabar empichado. É uma Dilma de calças.

    1. Bolsonaro 2018. Nem se compara Bolsonaro com Lula, é totalmente oposto. Lula é anti patriota, odeia nossa bandeira. Bolsonaro patriota, conservador, é rígido quando precisa, e principalmente, não fez parte de nenhum sistema de corrupção . Sou mulher e voto Bolsonaro.

    2. QUEM VIVER, VERÁ...!!! - Vai vencer no 1º turno e será reeleito em 2022. BOLSONARO 17 EM 2018...!!!

  107. Não existe candidato perfeito, depois de um anafabelto funcional e uma terrorista ensacadora de vento, pelo menos temos uma pessoa que conhece Brasil, estudou para ser alguém na vida, tem experiência política, mas não de conchavos, sendo portanto, o oposto do PT.

  108. Artigo debochadinho e birrento de jornalista que, a contragosto, já que está numa revista que se diz plural e isenta (espero que sim, do contrário cancelo a assinatura), reconhece Bolsonaro como candidato de relevo.

  109. Lida corretamente, a matéria revela que, ao menos em economia, a diferença entre Bolsonaro e a esquerda que nos arruinou é próxima de zero. Apesar das vestes oportunistas, Bolsonaro não é um liberal, diz a matéria. Crusoé avisou, depois não digam que foram enganados - mais uma vez, parabéns, Crusoé - sinto que o nível da revista está-se elevando.

    1. Totalmente de acordo. Uma Dilma de calças, Vai brigar com meio mundo, incomodar quem tem poder e acabar empichado. Atenção total ao vice!!!

  110. Vejam a pesquisa divulgada hoje pela Infomoney, já aponta Bolsonaro com 24% de intenções de voto. No cenário espontâneo já ultrapassa Lula, em 2%. Nos quatro cenários pesquisados, ganha no segundo turno no embate com todos o demais candidatos.

  111. Falar de um patrimônio familiar de quinze milhões leva Crusoé a se igualar ao sofisma da revista Veja. Ora, são quatro chefes de família independentes. Qual o problema? Digam o valor dos bens de cada um.

  112. Achou ele uma figura diferente, tem estilo, pode ser agressivo, já experimentamos muitos e realmente nos demos muito mal, ele pode ser o Homem que o pais precisa. Votaria nele, não tem nada melhor no momento.

  113. Boa matéria. Texto preciso, isento e tão somente esclarecedor sobre o perfil do candidato. Suponho, no entanto, que outras matérias, ao longo da campanha, abordando e avaliando cada programa dos candidatos, nos sejam oferecidos. Parabéns!

    1. Você não avaliou bem a matéria. Muita informação e totalmente isenta. Se não apontou pecados mortais do candidato, talvez seja porque eles não existam.

  114. Atenção, Crusoé, você nos deve uma matéria de capa sobre a caixa preta em que a Petrobras calcula o aumento do preço da gasolina. O Brasil produz 2,5 milhões de barris de petróleo por dia, investindo real nisso. Importa 600 mil barris/dia pagando em dólar. O preço da gasolina, portanto, não pode estar integralmente atrelado ao dólar.

  115. Reportagem eivada de mensagens subliminares e meias verdades que poderiam confundir um público menos atento a maneira de agir e pensar dos esquerdistas. Até lembrei do Guga Chacra quando da eleição de Trump (não conseguia esconder o seu desalento). O pior mesmo é saber que talvez o competente repórter não tenha feito por mal ( todos nós ainda temos sequelas na lavagem cerebral sofrida por quem foi (fomos) alfabetizado nos anos 70-90, pelo menos). Somos assinantes Crusoé: Mais cuidado na próxima!

    1. Concordo com o Fernando, Crusoé deve atentar ao perfil dos eleitores de Bolsonaro e a de seus assinantes. Qualquer semelhança não é mera coincidência!

    2. Concordo! Senti exatamente isso, informações entrecortadas por mensagens às vezes maldosas como "aquele do suco de laranja". Não senti o"jornalismo de primeira" nessa reportagem.

  116. Não votarei nele. É muito reacionário, não tem propostas claras e não fez nada no Congresso enquanto parlamentar, em prol dos seus eleitores.

    1. Votarei no Capitão justamente por ele ser reacionário. Se for para continuar essa zona toda, prefiro não votar.

    2. Reacionário é quem reage à mudanças. Bolsonaro e seus colaboradores querem mudar TUDO o que a esquerda teimou em tentar eternizar neste país.

  117. Muito ridícula essa reportagem infantil do sr Caio Junqueira. Não falou nenhuma novidade, aliás só disse aquilo que nós, leitores da revista e do Antagonista, já sabemos e continuaremos apoiando Bolsonaro. Vcs estão escrevendo para pessoas esclarecidas e que querem uma faxina geral no Brasil. Na minha opinião somente Bolsonaro tem, atualmente, condições de fazer está faxina pq a podridão é mto grande. Por que vcs não deixam o Felipe Moura Brasil fazer uma reportagem sobre Bolsonaro? Vale a pena!

  118. E lamentável que se considere o Bolsonaro candidato preparado para ser Presidente da república, Mais um discurso populista mesmo que diferente do PT, populista sem base firme, sem experiencia em Administrar nada. O único candidato serio e preparado é Geraldo Alckmin, administrador, com experiencia , com trajetória de anos na administração pública.

    1. Acredito que muitos aqui como eu, fomos eleitores do PSDB, mas ao mostrar que o partido é tão envolvido em corrupção como os que ele apontava e ainda para agravar, ver a cúpula do partido se fechar para apoiar Temer em troca da manutenção do mandato do Aécio, foi o fim do partido.

    2. O problema do Alckmin é que ele é frouxo e também tá envolvido com a lava jato.

  119. Acho que a equipe de Cruzoé soube falar da candidatura e seu potencial sem parecer parcial. Não vi ataque ao querido capitão Bolsonaro que ao meu ver, a única solução viável para o Brasil. Paulo Guedes encanta e como disse recentemente em entrevista: que Bolsonaro evolue o pensamento "na velocidade da luz" (ou coisa assim). Comparar a Cruzoé à Veja é uma injustiça. Bolsonaro 2018!

  120. Vão ter que engolir o Bolsonaro SIM; e ainda podemos dar uma boa melhorada no legislativo; muitas lagartas e cobras não serão reeleitas. Agora com certeza haverá a maior coalizão de esquerda, centro e pseudo direita contra ele. Geraldinho já esta babando pra apoiar o Cirão.

    1. Boa!, Zeni, Primeiro Turno e já matamos a fatura!

    1. Concordo. Foi para isso que assinei a Crusoé. Para ter uma visão neutra. Não tenho político de estimação. Apenas desejo dias melhores para o Brasil. Aprendam a defender propostas e projetos, não pessoas!

  121. Vi a entrevista de Paulo Guedes a Joice Hasselmann e se Bolsonaro demonstrar um mínimo de adesão ao pensamento e propósitos do projeto dele ele ganha meu voto. Paulo Guedes demonstrou conhecer os problemas, ter a solução para eles e que teria a oportunidade de implementá-las com Bolsonaro presidente.

  122. Existem inúmeras formas de se descrever um fato. Onde se ler: "Durante seu discurso, chegou a ser vaiado por alguns prefeitos, mas na sequência ganhou aplausos da maioria. Saiu satisfeito." (Caio Junqueira) - Trecho do texto desta edição. Já foi lido: "Na sequência, outros aplaudiram o pré-candidato. Constrangido, Bolsonaro disse: " se alguém tem uma boa ideia, me apresente"" (Caio Junqueira) - Trecho do texto publicado no Diário. Importante nos ater aos detalhes. São de suma importância.

  123. Pelo conteúdo poderia ser um ótimo artigo, mas concordo com a Maria quando ela diz que a matéria é tendeciosa contra o Bolsonaro, além de ser irônica e depreciativa como no comentário sobre o Onix. Sinceramente fiquei decepcionado, achei que tivesse assinado uma revista diferente das "Vejas" que temos hoje no Brasil. Bolsonaro 2018, gostem vocês ou não.

    1. Bolsonaro precisa aprender a falar como administrador pois o cargo que pleiteia pede isso. Mas vejo que ele tem uma visão estratégica formidável. Precisa ser porém modernizada e o discurso tem que acompanhar isso. E por favor, senhores jornalistas: vejam o caderno de teses do PT de 2015 onde está expressamente recomendado tratar o Bolsonaro como um alvo a ser abatido. A menos que vocês subscrevam essa tese, a forma como estão tratando o Bolsonaro como petistas fazem. Cuidado com a arapuca.

    2. Continuando... Contras: - Ele ainda tem um comportamento defensivo terrível, o que abre a porta para ataques - Por causa disso, o estilo bateu-levou o torna facilmente vítima de erros de interpretação - Ele é muito fiel ao seu eleitorado, o que pode ser bom para o cargo de deputado mas pode ser uma arapuca para concorrer ao cargo de presidente - Ele PRECISA deixar o período militar que passou no passado e focar no que acontece aqui agora - Ele tem que diversificar a pauta

    3. Eu também. Tenho assistido tudo o que posso sobre o Bolsonaro e os jornalistas fariam bem em fazer o mesmo. De tudo que vi até agora, aqui estão o que considero prós e contras do Bolsonaro: Prós: - Ele não é corrupto. - Ele não é populista, muito pelo contrário, se fosse daria uma de “pai dos pobres” ou de “rei magnânimo”,o que ele não faz de jeito nenhum! - Ele é sincero, talvez até demais. - Ele não tem um projeto de poder, mas sim um de nação - Ele é bem intencionado

    4. Carlos,não achei a matéria tendenciosa. Gostei de ver a "evolução do Bolsonaro" que ninguém mostra.Está havendo um período de transição,não apenas com ele,mas com todos nós brasileiros, e a matéria foi muito feliz em mostrar isso. Bolsonaro 2018!!! Vamos com tudo!!!

  124. Se ele aprender a ouvir o Paulo Guedes, nao imagino dupla melhor no Planalto. Honestidade, competência e liberalismo. O Brasil nunca viu isso.

    1. Também acho. Voto no Paulo Guedes para presidente com Bolsonaro de vice. Ou o contrário. Ou mesmo o Magno Malta na vice e o Guedes na economia. Colocaria o Moro na justiça e no final o nomearia para o STF.

  125. Artigo abrangente, seletivo e tendencioso. Nem todas as propostas do Bolsonaro foram expostas, principalmente referente a segurança que é a mais relevante. A revista vai fazer o mesmo que a imprensa veem fazendo a dois anos atrás? Apontando falhas e não exaltando virtudes? pensei que tinha assinado uma revista seria e informativa. Quero saber o que vocês irão dizer se ele ganhar em primeiro turno? Foi sorte de principiante?

  126. A melhor e a mais isenta cronica sobre um político, que se diz não político, mesmo tendo sido eleito uma vez vereador, e sete vezes deputado. O juízo de valor fica por conta do leitor, como deve ser. Na minha avaliação, o Bolsonaro é muito parecido com o Lula no começo de trajetória. Ambos fizeram da honestidade e das boas intenções um cartão de visitas. Ambos são nacionalistas, estatistas e corporativistas, adeptos do macro Estado. Ambos são chucros, mediocres e boquiorrotos.

  127. Muito boa a descrição/análise do CAIO JUNQUEIRA. Pena que, assim como os CIENTISTAS POLÍTICOS ou "POLITÓLOGOS", também esqueceu do "irrelevante" FATOR POVO. Difícil entender que numa narrativa desse porte NÃO conste uma linha sobre a RECEPÇÃO em AEROPORTOS de todo o BRASIL, com os gritos de "EU VIM DE GRAÇA", e também a instalação de MILHARES de OUTDOORS em todos os pontos do país. NÃO CONSEGUI ENCONTRAR "A VIDA DO BOLSONARO NA CASERNA" e as "similitudes" com TRUMP. No "clique aqui"... NADA.

    1. OUTDOOORS instalados pelo povo, fazendo VAQUINHA...!!!

  128. É um artigo disfarçadamente "tendencioso" contra Bolsonaro!! Que pena, isso não é o que eu esperava da Crusoé...Será outra VEJA???

    1. Perfeito! concordo com você! não toca no ponto mas importante de seu crescimento: a preocupação com a segurança publica que é o ponto chave de sua aceitação.

  129. Belo artigo em termo de abrangência; dele se deduz que o risco de eleição do Bolsanaro é concreto! Meu temor é que "salvadores da pátria" são muito palatáveis nas lastimáveis circunstancias em que o pais se encontra! Precisamos encontrar um candidato mais bem equipado do ponto de vista global para levar ao segundo turno! Ciro a meu ver não é e tao pouco i é o Alkmin. Quem será?

  130. Ótima matéria sobre o candidato Bolsonaro! Fortaleço meu voto: Jair Bolsonaro para Presidente da República!! Como disse o futuro Min. Paulo Guedes: "Mais Brasil, menos Brasília"...essa é a cara do nosso Bolsonaro.

  131. No Brasil já estamos acostumados a chegar no 2o. turno escolhendo entre a MORTE e a DOENÇA. Acabamos escolhendo a doença, na esperança de algum novo tratamento que surja. Até agora essa "medicina" não nos salvou de nenhuma doença.

  132. Estadista nesse país convertido em latrina de larápios, despreparados, incultos? Vai ser difícil encontrar. Os que têm capacidade sabem que se entrar nessa estão perdidos, ou são censurados, massacrados, como um Dom Bertrand de Orleans e Bragança, tretraneto de um dos maiores estadistas brasileiros - e talvez o último - Dom Pedro II.

    1. Fellipe de Orleans e Braganca se filiou recentemente ao PSL e declara seu apoio a Bolsonaro. Ou voce esta do lado limpo ou do lado corrupto...

  133. Lamentável o tom preconceituoso e depreciativo ("Onix do suco de laranja") da reportagem (sic). Mais um militante travestido de jornalista que mistura meias verdades com críticas subliminares sem base nos fatos

  134. As vezes penso que fui "abduzida"; jamais imaginei Marum à frente da solução uma crise ou um Bolsonaro ser "sequer" cogitado como Presidente! O q me assusta? Os votos envergonhados sim! (acima daquela média de idade), como meu pai? critica até o Papa Francisco por ser muito "liberal" ....

    1. Na minha também, já está bem encaminhado. Sou Bolsonaro. O Brasil precisa de seriedade.

  135. Bolsonaro não é meu candidato no primeiro turno. Mas é líquido e certo, que num eventual 2o turno contra qualquer candidato, principalmente desta esquerda que arrasou nosso País, cravarei nele meu voto e de quem mais conseguir arrastar.

  136. Só jornalistas cultos e atualizados podem orientar e manter um Povo informado. Carlos Lacerda foi o político brasileiro mais culto e preparado para dirigir nosso Povo. Não entendo porque atacou Getúlio - por dolares ?. Watergate e arquipelago gulag mostram a força da palavra escrita. "Pasquim" : Cabral poderia não ter tido filho.

    1. Não confundir Lacerda com Bolsanaro! Lacerda era culto, de direita mas bastante lucido e com larga experiencia administrativa!

  137. Só o que ele disse do Fernando Henrique; ¨ valeu o ingresso¨. Foi o pior Presidente que o Brasil já teve, sendo superado por nada menos que o Lula. Bolsonaro tem meu voto e de toda minha família.

  138. O Brasil nas mãos de um maluco criado para combater uma praga e um desgoverno. Ele não tem culpa, mas nós os eleitores que referendamos esse caro circo que nos sufoca.

  139. Se Bolsonaro bate Lula, bate qualquer candidato da esquerda. Não é meu candidato, mas tendo que escolher entre ele e qualqueroutro candidato apoiado pelo PT voto em Bolsonaro, Antes um candidato ruim do que uma tragédia.

  140. Mais um do mesmo. É adepto do " vamos ver quem grita mais alto " mas uma vez eleito vai dançar no ritmo de um congresso corrupto. Coitado de nós brasileiros. Qual a solução? Simples, chama o BATMAN. ( Ah! O Roben também).

  141. O redator ainda está com os vícios da velha imprensa ao afirmar que Bolsonaro disse que Maria do Rosário não merecia ser estuprada, como se fosse uma afirmação direta. Quem viu o vídeo sabe que essa frase foi solta no meio de uma discussão em que ele defendia a redução da maioridade para crimes de estupro e assassinado enquanto ela o chamava de estuprador (detalhe que ela defendia manutenção a impunidade). A forma como está posto no texto beira a má fé. Pra isso eu ficaria na assinando a Veja.

    1. B🔥LS🔥NAR🔥 2🔥18 EU VOTO LANCA-CHAMAS PARA PRESIDENTE Voces estao discutindo sobre estadistas e subversivos. Bolsonaro pode se tornar um estadista pois tem lideranca, porem subversivo nunca. O Brasil esta em uma guerra. Guerra esta entre a total falta de seguranca publica onde PCC domina o maior Estado do pais (S.Paulo). Os outros Estados da federecao tambem estao dizimados com total invasao de traficantes e assassinos,que matam sem a nenhuma cerimonia. Ademais ha que se falar da corrupcao

    2. Não vi no vídeo Bolsonaro chamando Maria do Rosário de feia.

    3. Exatamente! Em nenhum momento ele afirmou que era porque ela era feia. Isso continua sendo colocado na boca dele de forma canalha. A expressão lança-chamas já está mais esclarecido que foi figura de linguagem, ainda que inapropriada. A reportagem claramente demonstra, porém refinada, suavizada e camuflada, que continua contaminada pela repulsa e intenção em prejudicar a figura e o homem que compõe o candidato. Faltou imparcialidade ao tratar as circunstâncias em que se deu as "falas" polêmicas.

  142. Bolsonaro 2018. Não tem outra solução para o Brasil. O país virou um circo dominado pela esquerda. O único candidatado com perfil para mudar isso se chama Bolsonaro. Em que pese as pequenas incongruências, somente ele é capaz de mudar esse estado de coisas.

  143. No caso da Ma. do Rosário há vídeo com ela chamando Bolsonaro de estuprador, mas isso vcs não falaram...O erro dele foi não a ter processado por isso, e ter perdido a linha depois... o resto é história...

    1. Exato, esperava mais Crusoé. Se é pra ler esse tipo de afirmação enviesada, melhor ficar na Veja.

  144. Gostei da reportagem e aos meus 68 anos vou votar no Bolsonaro, pois sinto firmeza nas suas propostas para um Brasil melho, principalmente na SEGURANÇA.

  145. 9. Alckmin e o PSDB estão acabados. O povo já entendeu que PT, PSDB, etc. são todos farinha do mesmo saco esquerdista. 10. A grande estrutura de Bolsonaro está nas redes sociais e no homens de farda de todo Brasil. 11. Para a esquerdalha, todo mundo que não concorda com eles é "extrema direita". Para eles direita é o PSDB, que também faz parte da esquerdalha. 12. Ciro Gomes é uma mistura de Juan Domingo Perón com o Coronel Heráclio do Limoeiro.

  146. 5. Ser "mal visto" pelo mercado pode significar que os parasitas do Estado disfarçados de empresários estão com medo. 6. Alguém acredita que a patrulha esquerdista nas universidades não patrulha as pessoas que discordam deles? 7. Bancada da bala é a bancada da esquerda que é a favor das balas que os bandidos atiram contra os cidadãos! 8. Todo candidato tem que ceder porque todos governo é uma coalizão de ideias. Menos o PT, que é totalitário.

  147. Ótima análise. Considero o Bolsonaro um bom candidato, levando em conta o quadro atual do Brasil. No entanto, o que me deixa em dúvida quanto a merecer o meu voto é uma pergunta que não quer calar: - O que ele fez, ou que projetos de relevância apresentou para justificar os 30 anos que "mamou" as gordas verbas parlamentares?

  148. Com exceção da adição da fala "muito feia", a matéria não foi tendenciosa em nenhum sentido, a matéria está muito boa... Todavia, por enquanto, o Brasil efetivamente está precisando de um Bolsonaro e todos aqueles citados que o apoiam diretamente e indiretamente...

  149. Pütz Antagonistas focar em suco de laranja?? Ridículo, Ônix foi um bom anfitrião, acham isso demérito?? Fala sério? Gosto demais de voces e da Revista e fui um dos primeiros a assinar, sejam menos tendenciosos. Não ofereceriam água ou suco ao próprio Lulladrão em uma eventual entrevista?? Menos por favor, voces são muito Melhores que isso!!!

    1. Concordo plenamente...foram "disfarçadamente" tendenciosos . Feio...que pena!

  150. Reportagem, no fundo, tendenciosa. Se querem mostrar quem é o Bolsonaro, sugiro que faça comparações com os outros pretensos candidatos. Sei que vocês sabem, mostrem quem é Ciro Gomes, quem é Ciro Gomes, quem é Marina Silva e todos os outros. Sejam mais imparciais em suas reportagens.

  151. 1. As previsões da Mãe Dinah têm mais credibilidade do que esses tais "cientistas sociais" (todos esquerdistas). 2. Bolsonaro será o Presidente de todos os brasileiros, como deve ser e o PT nunca foi. 3. Essas opiniões relativas a Pinochet e ao regime militar são as mesmas da grande maioria da população que só não dizem isso abertamente por medo da fúria da imprensa e do judiciário militantes. 4. É natural que qualquer pessoa honesta, inteligente e patriota combata as aberrações esquerdistas.

  152. Achei ótima a matéria embora pense que poderia perder 1/3 sem prejudicar o conteúdo. Outra coisa dispensável é usar "advoguês" como , num determinado ponto, o Caio Junqueira escreve " ao fim e ao cabo". Porra. Isso é, data vênia, frase de advogado véio. Nunca vi, por exemplo, o Moro ou os desembargadores do TRF4, ou seja, juristas modernos e oxigenados por novos ventos, usarem expressões que eu me lembro da PUC-SP onde tinha até um professor monarquista. Desculpe, Caio, vc é um puta jornalista.

  153. O Ciro Gomes é esperto. Não vai fazer o modelito Cirinho Paz e Amor, mas vai deixar claro que não fará nenhuma loucura. Poderá usar a macheza e o destempero para dar a entender que vai enfrentar os políticos desonestos. Ele pode fazer isso, porque a ficha dele é bem melhor que a do Alckmin.

    1. O CIRO É UM CARA DIVERTIDO, GENTE. ELE NÃO VAI EMPLACAR MAS PERMITIRÁ BONS MOMENTOS DE RISADAS POIS ELE TEM A LÍNGUA MAIOR QUE A BOCA, É TIPO "NERVOSINHO" COMO UM CARA PERMANENTEMENTE SOFRENDO DE DOR DE DENTE E HEMORRÓIDAS. UMA MÍNIMA PROVOCAÇÃO E ELE SE PERDE . É UMA DELÍCIA TIRAR SARRO DE UM SONSO DESSES.

  154. Infelizmente o Brasil chegou ao fundo do poço, em grande parte pela forma como nossa imprensa/jornalistas distorcem e "cretinizam" a informação. Bolsonaro hoje é o único candidato que está no lado oposto da sujeira e podridão que dominou o País nos últimos 30 anos. Bolsonaro dará certo como presidente? sinceramente não sei votarei nele pois simplesmente éo único que merece meu voto Apesar de tudo isso jornalistas como esse que escreve acima preferem políticos como Alckmin, Ciro,Marina etc,

  155. Esse cara finge que é liberal. Se bobear, é mais socialista que o Ciro Gomes. Pelo jeito vai governar igual ao PT. Realmente, está bem difícil decidir.

  156. O pior que pode acontecer ao Brasil é ter que escolher entre Bolsonaro e Ciro. Os brasileiros são (literalmente) uns coitados ..

  157. Até o momento, Jair Bolsonaro é o único candidato com proposta necessária de unir as duas vertentes da direita política que são a conservadora e a liberal. Essa base é fundamental para a reconstrução da nação, sob alicerces realistas.

  158. Uma sugestão. Essa escrita corrida sem abertura de novos parágrafos torna a leitura muito ruim . A formatação do texto está simplesmente horrível. Tente abrir mais parágrafos, pelo menos a cada 5 linhas, 6 linhas

    1. Concordo. Tamanho da letra também é exagerado e desconfortável de ler.

  159. Quanto ao artigo, o autor se esforçou para apresentar uma imagem negativa e não conseguiu. Conseguiu mostrar que não é confiável e muito menos digno de escrever aqui ...

  160. Pela primeira vez, durante o período pré eleitoral, uma estrutura, leia-se Crusoé, ocupa sua atenção para cretinizar e redicularizar abertamente um candidato, ignorando o que é a política. O cinismo que molda a estrutura do texto beira a tecitura das fofocas, explicita os objetivos: reduzir e ridicularizar o alvo. Expõe abertamente a estratégia, combater a candidatura que não se vende nem teme esse tipo de crítica. Sugiro, que esse textículo seja usado para com os demais candidatos.

  161. Eu, como a maioria dos brasileiros somos conservadores. Voto nele e faço campanha de graça para ele. Dos cerca de 50 membros de minha família somente uma não vota nele. E essa que não vota nele conseguiu recursos da Lei Rouanet. O único problema são as roubatrônicas do TSE, sem possibilidade de auditoria

    1. Eu, sou mulher nordestina e voto Bolsonaro. É conheço muita gente que vai votar nele mesmo sabendo dos seus defeitos.

  162. Qualquer brasileiro mediano, incluindo o Jair Bolsonaro, tem condições de se cercar de pessoas bem intencionadas e competentes (como o economista Paulo Guedes que assessora o Bolsonaro) e governar este país. Mediante os imbecis, canalhas, escroques, comunistas e ladrões de Brasília, qualquer um faz muito mais pelo Brasil. Literalmente, qualquer um. Essa discussão de Bolsonaro é radical, militarista ... babaquice. Vira-latas discutindo 'verve' política. Precisamos é de socorro urgente.

    1. Criticar é fácil. Por favor sugira algum outro ... Acho que os vira-latas que vc citou são os da esquerda, que somente são capazes de destruir todas as nações por onde passaram prometendo direitos e logo depois acabando com os direitos civis, ou estou errado ?

  163. Considero as ideias que erigem um Bolsonaro exatamente as mesmas que desaguaram em Lula. O ataque raivoso com olhos embaçados de sangue quente, o oportunismo de vendedor de carro usado ou de carga vencida (nesses tempos carroçaveis para ideias pesadas). Esse rapaz é um desastre certo cuja octanagem incautos tentam aumentar à beira da fogueira. A capacidade destrutiva e de longo prazo é muito grande. Um Lula com sinal trocado. Um sem base parlamentar fingindo ter exercito. Piada burra!

    1. Aponte por favor um menos pior que ele? Olhos de sangue ????? Acho que isso se aplica a esquerda que matou milhões pelo mundo. Não a direita, da qual eu sou, que defende a vida. E o Bolsonaro também quer impedir assassinato de bebes, dar oportunidade de defesa ao cidadão comum, etc e tal, bem como eu quero

  164. Terei 74 anos em outubro, não sou obrigada a votar, mas irei. Tenho uma neta de quatro anos. Tenho aversão ao PT, é medo desse lado militarista e agressivo do Bolsonaro. Essa adequação de comportamento aos vários segmentos da sociedade não inspira minha confiança. Está difícil.

    1. Estamos em guerra minha senhora, 60.000 homicídios por ano de brasileiros sem direito a legítima defesa. Qual seria a sua sugestão de combater isso sem usar a força?

  165. Onde foi que Bolsonaro disse que não estupraria aquele extrato de chorume pq ela é feia? Não encontrei também ele dizendo que Pinochet matou pouco, o vi dizendo que "fez o que tinha que ser feito". O Kit-gay não é uma "cartilha contra homofobia", mas uma apologia ao gaysismo e erotização precoce em crianças de 6 anos de idade. Isso me cheira a preguiça de investigar e seguir o caminho fácil dos detratores. Bora lá Crusoé estamos no começo, não precisa fingir isenção, basta a verdade... (^_^)

    1. Concordo com voces. Por estarmos acostumados a credibilidade do Antagonista, nao estamos reconhecendo em Crusoe a mesma linha de seriedade que diz ter. Ja ponho em duvida ter feito uma assinatura anual.

    2. Exato Alain Nossa imprensa SEMPRE distorcendo para manter seus interesses Com certeza esse jornalista deve apoiar Alckmin, Ciro, etc..... só M... I

    3. Com certeza. A idiota da Maria do Rosário o imputou de estuprador. Isso é calunia. Ele simplesmente respondeu. Sou mulher e feminista, mas tive que concordar com que o Capitão respondeu. Quanto ao Pinochet, não sei como ele se manifestou, mas naquele país, após a redemocratização, os carabineiros ainda são respeitados pela população, e tráfico de drogas exemplarmente punido. E a nossa democracia? Cartilha contra homofobia? Não. Apologia à libertinegam. Fala sério antagonistas!!!

    4. Assinei a Crusoe esperando uma ilha de seriedade e ja estou comecando a me arrepender de ter gasto 160 reais suados nisso.Voces estao no começo,nao voto no Bolsonaro mais 50 por cento do que escreveram nao sao verdade ou sao meia verdades ou meias mentiras como queiram. Galera da Crusoe e do Antagonista, quem assina e le o que vcs escrevem sao pessoas que pensam.Respeitem seus leitores pq aqui a maioria e conservador e patriota e quer um país melhor. Repito quem esta aqui pensa

    5. Percebi do mesmo modo, mas como está na Crusoé, fui verificar, e também não encontrei. Fiquei preocupado, não por ser sobre Bolsonaro. Só queremos a verdade.

    6. Concordo. Perdi a confiança no artigo quando o autor se referiu ao onyx como “suco de laranja” embora tenha lido o artigo até o fim.

    7. Muito bem descrito ,Alain ! Bolsonaro presidente pelo bem dos nossos filhos e netos ! O Brasil precisa de um presidente honesto ,o que não tivemos desde o Figueiredo !

  166. Achei o artigo bastante rico em informações, mas infelizmente tendencioso. É lamentável algumas referências pejorativas ao Deputado Ônix Lorenzoni. Não há necessidade disso. Espero que não nos decepcionem como o meio de informação que esperamos que vocês sejam: imparcial e isento.

    1. Concordo. Não gostei da referência “suco de laranja” ali eu perdi a confiança no artigo, embora tenha lido até o fim.

  167. O Brasil precisa de mudanças profundas na política. O velho método cleptocrata do toma lá dá cá FALIU. É preciso que haja uma aliança política baseada em ideais que interessam ao país e ao desenvolvimento e bem estar de seu povo. Somente se gerando renda que é possível fazer uma melhor distribuição de renda.

  168. Bolsonaro vem com uma proposta liberal na economia (Paulo Guedes) e conservadora nos valores morais, sempre forte na questão da segurança pública e valorização das instituições. Tem me voto, e, se colocar o Magno Malta de você, tem ótimas chances de levar!

  169. So gostaria que o jornalista mostrasse a filmagem do episódio da Maria do Rosario e destacasse na fala de Jair Bolsonaro a parte onde ele diz “ por que é muito feia “. Por favor fassa isso! Ou peça desculpas por faltar com a verdade !

    1. Bem observado. O vídeo está no YouTube. É, mais ou menos, assim: a deputada interrompe uma entrevista de Bolsonaro afirmando: 'o senhor é que promove estupradores'. Ele responde: 'então eu é que sou estuprador'. E ela, continuando o que dizia, repete: 'é, sim'. E aí vem a fala mil vezes difundida: 'eu não te estupraria porque você não merece'.

  170. Não sou político, mas me enquadro no “rasga-bandeira”. Não há a menor hipótese de votar em outro candidato nessas eleições. Acredito que haverá um choque de gestão, talvez não tão rápido quanto o próprio Bolsonaro deseja - e nós precisamos. Mas que a mudança vai ser forte, isso vai.

    1. Amei seu comentario! Quando o Brasil comecar a mudar sob a "nova direcao" de Bolsonaro ai sim, vamos ver um STF melhor, um judiciario mais respeitado. Caca as bruxas dos corruptos e um choque na mudanca de Seguranca no pais. Vislumbro tempos muito melhores!

  171. Desde 2014 j´s havia comentado entre colegas que votaria em Bolsonaro para presidente, fui taxado de louco, principalmente por todos serem petista, nunca tive receio de expressar meu repúdio ao PT e demais "vermelhinhos". Agora estou mais convicto, assim como cristão oro para que Deus ilumine nosso presidente. Vejo que daqui para frente os embates ideológicos serem grandes, meus valores não permitem acreditar em partidos de esquerda, todos são contra Israel e contra valores universais.

  172. Renato, achei ótima sua avaliação sobre a Crusoé querer pousar de "isentão"!! Kkk Mas acredito que os leitores aqui gostam de "definição "!! Estejais atentooooss....!

  173. Parabéns à Crusoé pela matéria de folego - e por deixar bem claro que Bolsonaro não é liberal, mas um nacional-desenvolvimentista, mais próximo dessa esquerda fajuta que nos afundou.

  174. Finalmente uma reportagem descente sobre meu provável candidato. Amém. PT é uma seita maldita a ser extinta, assim sempre pensei. Bolsonaro apareceu.

  175. A próxima eleição presidencial será fundamental para o futuro do Brasil. Portanto, matérias que auxiliem , com a verdade, a desvendar o histórico de cada candidato, merecem ser elogiadas. O eleitor estará mais atento. A história política e pessoal de cada candidato precisa ser conhecida. Se continuarem nesta linha, na verdade, serão publicamente reconhecidos como uma imprensa respeitável. Continuo assinante. Parabéns!

  176. Bolsonaro é o candidato ideal para o momento, recebeu na fase de formação o aprendizado de defesa e guerra e assim agir quando necessário, modo operantis, desde o início da formação da sociedade. Tem a religiosidade com a qual a sociedade deu um grande passo para a modernização que é a cristã , que separou a religião do estado e agora vem de uma experiência parlamentar que não deu certo, que é a socialismo infiltrado em nossas instituições. Ele é o único candidato que tem condições de reverter.

  177. Excelente artigo. Uma definição ponderada do Jair Bolsonaro expondo os diversos caminhos traçados pelo pre/candidato que passa por um momento de maturação de suas idéias e as arestas que tem de aparar para chegar as eleições de outubro.

  178. Corajosamente, a Crusoé saiu na frente e tentando mostrar quem é Bolsonaro, ainda bem desconhecido da população. Se ele tem chances vai depender de sua capacidade de defender suas propostas. Muitas delas agradam os eleitores. Não estar na Lava Jato já é um grande diferencial, visto que os outros bem conhecidos estão comprometidos com a corrupção. Teremos um longo caminho pela frente. Vamos acompanhar e certamente a Crusoé nos dará informações atualizadas e corretas, como vem fazendo.

  179. Fica patente o viés tendencioso da reportagem quando denomina de “defensores de métodos alternativos na educação” a doutrinação marxista nas escolas, triste Crusoé, apenas mais um náufrago....

  180. Procurando no video da treta do Bolsonaro com a Maria do Rosário a parte que ele fala que ela é "muito feia", como foi dito na reportagem.

  181. Textos longos demais como este, tipicamente do jornalismo de revista, embora de abrangente qualidade, ficam muito cansativos em ambiente digital. Mais sintetizados, seriam lidos com maior interesse e seriam mais bem assimilados.

    1. A preguica de ler textos longos denota o nao costume em ler livros. Textos grandes sao os melhores.

    2. O texto foi muito bem eleborado de qualidade incontesti. Deixa para seus leitores o gostar ou não gostar de artigos longos e curtos.

    3. De acordo. Embora interessante, parei no meio. Por outro lado, não me anima o uso de "tijolinhos" de um parágrafo, como a CRUSOÉ tem utilizado na maioria de seu espaço.

  182. Não adianta esperneat! Se Lula eDilma foram Presidentes eu não tenho duvida que um cara com Academia Agukha Negras, oficial do Exercito Brasileiro e Deputado por 27 anos, pode e será o Presidente do Brasil.

  183. Os outros candidatos são otimos? Ciro talvez? Todos comprometidos com Foro de SP e favoráveis a manter a população derrotada pela Justiça e sem meios de se defender ou ser defendida por polícias incapazes e estatuto que a desarma? Muito triste esse artigo.

  184. A revista está de parabéns! Encontrou uma forma justa de descrever o candidato a presidência mais polêmico do Brasil. Tem leitor que vai reclamar, mais nem o reclamante faria melhor.

  185. Minha posição em relação a Bolsonaro é de caminhada. Um pe a frente e outro atrás. Pronta pra mudar de rumo ao menor Epa.

  186. Bolsonaro representa uma postura nova que não existe nos outros candidatos que representam o mesmo sistema político que não deu certo no Brasil. Não é 100% pois isso não existe, mas é o que melhor representa os anseios da maioria da população. Certamente vai se ajustar, mas não abrir mão dos fundamentos que o levaram até aqui. Com o que tem aí....certamente é a melhor opção.

    1. Acho o amoedo muito melhor que o Bolsonaro no quesito economia, porem nao acredito que alguem como ele teria pulso para lidar com deputados e senadores. Quem quer continuar como esta, com os mesmos que estao ai a 30 anos e que nos trouxe ao fundo do poco, vote em PMDB/PSDB/PT/PDT, se querem tentar algo novo, por enquanto e com chances de vitoria nesse momento soh temos Bolsonaro.

    2. Concordo com seu comentário. Se existir alguém melhor que se apresente. Não tem mesmo.

  187. Estava esperando falarem do Bolsonaro para compreender o posicionamento político ideológico da Crusoé, infelizmente mais do mesmo, mesmo viés parcial da mídia tradicional manipuladora, apenas mais leve para posar de isentão, bem ao gosto de Reinaldo Azevedo e Deus admiradores, não pretendo renovar minha assinatura.

    1. Não concordo com a crítica, pois, como eleitor de Bolsonaro, achei que o exame de sua personalidade e de seus posicionamentos refletem o que pensava no passado e a flexibilização de determinados posicionamentos que se apresentavam muito radicais. Foi razoável.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO