Para o país andar, é preciso privatizar a Petrobras

25.05.18

Há uma extensa lista de casos de ineficiência, corrupção e erros estratégicos na Petrobras, se analisarmos a empresa desde a sua fundação até os anos Lula-Dilma (2003-2016). Muitos deles foram denunciados, ao enorme preço de ataque à reputação e ao patrimônio pessoal, por gente como Roberto Campos ou Paulo Francis.

Essas críticas seguem atuais. Patrimonialismo, compadrio e corrupção atravessam a sucessão de décadas no Brasil. A Petrobras concentra e amplifica essas mazelas. Num balanço objetivo e intelectualmente honesto, é preciso reconhecer que a empresa tem gerado mais ônus do que bônus aos brasileiros.

O mal causado ao País pela natureza estatal da empresa pode ser classificado como “endêmico” — de 1953, ano da sua fundação, até o advento da coalizão política liderada pelo PT a partir de 2003. O que aconteceu a partir daí não deve, contudo, inspirar desculpas do tipo “sempre houve influência política na Petrobras”, ou “não foi o PT e seu grupo que inventaram a corrupção na empresa”. Os erros administrativos e os níveis de corrupção se vertebraram e cresceram com as alianças gestadas pelo lulopetismo. O mal teve um upgrade. Tornou-se epidêmico — e, então, sistêmico.

Muito disso está relacionado ao modelo de economia política — uma modalidade de “capitalismo de Estado à brasileira” — capitaneado pelo PT. Nesse ecossistema de negócios, a Petrobras ocupou espaço central. A empresa foi coração, sangue e músculos de um projeto autárquico de política industrial e protecionismo comercial . Gosto de chamá-lo de “Industrialização por Substituição de Importações 2.0” ou “ISI 2.0”. A sua implementação se deu contemporaneamente à descoberta de petróleo em águas profundas e às necessidades de geração de caixa para financiar as ambições políticas do PT e os seus associados. Isso exponenciou o impacto da Petrobras na economia e na política.

A “ISI 2.0”, ferramenta do cleptodesenvolvimentismo petista, disseminou-se, é verdade, para além da Petrobras. Alastrou-se no poder de indução de autarquias, empresas estatais, bancos oficiais, municípios, estados e União. Foi motor e filtro da interpretação que seus formuladores faziam do que deveria ser o interesse brasileiro na economia global. A ISI 2.0 estabeleceu o parâmetro de como o Estado no Brasil protege, incentiva e compra.

Tal modelo de economia política, de que a Petrobras tem sido epicentro, implica empregar elevadas alíquotas de importação e outras barreiras para blindar grupos nacionais e fomentar prioridades industriais brasileiras. À semelhança de sua matriarca dos anos 1950, a ISI 2.0 foi manifestamente “nacionalista”. No entanto, reinterpretou e atualizou o conceito de nacionalismo.

A ISI 2.0 convidou à “brasileirização” de empresas que quisessem aproveitar o potencial de nosso mercado. Toda a malha de incentivos-indução, como mostra o exemplo concreto da Petrobras de 2003 a 2016, foi posto a serviço dos que quisessem instalar-se no Brasil e aqui gerar impostos e empregos. Sua face mais poderosa foi a robusta ferramenta de indução de compras governamentais que ganhou plena expressão no período Lula-Dilma. No setor naval, por exemplo, a Petrobras poderia comprar um navio do tipo “Aframax”, com capacidade de transporte de 750 mil barris, na China ou na Coreia do Sul, por US$ 50 milhões. Preferia no entanto pagar mais de US$ 100 milhões por embarcação, desde que 70% do bem adquirido fossem produzidos no Brasil.

Wilton Junior/Estadão ConteúdoWilton Junior/Estadão ConteúdoLula, o artífice do cleptodesenvolvimentismo petista (Wilton Junior/Estadão)
Ainda que implementado por anjos incorruptíveis, esse modelo é bastante vulnerável ao longo do tempo. Precisa que poupança internacional na forma de IEDs (investimentos estrangeiros diretos) transfiram-se de forma volumosa e sustentada por muitos anos. Seus riscos poderiam ser mitigados, no entanto, por uma espécie de “hedge do pré-sal”: a noção de que efeitos multiplicadores das novas descobertas de petróleo para o Brasil e os que aqui estiverem seriam tão grandes nos próximos 30 anos que tal perspectiva “ancoraria” a decisão de montar operações no País.

Para que tudo isso funcionasse, além das reformas estruturais, seria preciso gerar rápidos ganhos de produtividade por ciclos de aprendizado mais curtos e assim promover a harmonização da capacidade brasileira de competir globalmente num setor como o da construção naval. Não foi nada disso o que se observou. O tal modelo apenas hipertrofiou a escala de ineficiências e fomentou condições laboratorialmente perfeitas para a sistematização da corrupção.

Os efeitos negativos disso tudo para a Petrobras e a nação jamais podem ser subestimados. A Petrobras lesionou a imagem do Brasil. Pior, ela dificulta a inserção internacional do País e de suas empresas. Para além do campo jurídico, onde a companhia teve de celebrar pesados acordos compensatórios, a capacidade da Petrobras em levantar recursos no exterior para planos de investimentos foi severamente mutilada. Fundos se veem restringidos em alocar recursos à empresa por seu alto nível de endividamento, investigações e processos legais.

Quando as atribulações jurídico-financeiras internacionais da Petrobras se agudizam, outro efeito colateral é o do emburrecimento do debate público no Brasil. Ganha tração o discurso nacional-populista de que o exterior sempre formula investidas para “enfraquecer a Petrobras” de modo a que seja “privatizada”, para que “potências estrangeiras explorem nosso petróleo”.

Muitos que defendem a continuação da Petrobras como estatal o fazem por considerarem o petróleo como bem “estratégico” — uma riqueza nacional para o bem de todos os brasileiros.

Duas perguntas, então. A primeira: será que neste alvorecer da Quarta Revolução Industrial ainda podemos considerar o petróleo como algo “estratégico”? A segunda: se nessa economia 4.0 em que estamos ingressando a informação e dados são mais estratégicos do que petróleo, não seria o caso de recomendarmos aos EUA a estatização de Apple, Google e Amazon?

Colocar Petrobras e essas gigantes da tecnologia num mesmo quadro comparativo parece despropositado. Nem tanto. Protagonistas na economia de Brasil e EUA, todas são “estratégicas” para os dois países.

A Petrobras responde à tradicional noção dos brasileiros (e latino-americanos) de que seu futuro assenta-se em riquezas naturais, cuja gestão soberana cabe ao Estado. Já o futuro das três gigantes de tecnologia reside essencialmente no caos perene da inovação. Por importante que seja, o petróleo não é mais estruturante do futuro do que tecnologias da informação. Já se disse que um ataque realmente devastador nos EUA não deveria ser endereçado ao Pentágono, mas ao Vale do Silício.

Adriano Machado/CrusoéPiquete de caminhoneiros na BR-040, em Goiás: eles emparedaram o governo exigindo redução no preço do combustível (Adriano Machado/Crusoé)
O leitor consegue imaginar se o critério para a escolha do responsável pelo planejamento logístico fosse a indicação de um apadrinhado da coalizão política que sustenta o titular da Casa Branca? E se a divisão de computação em nuvem do Google fosse delegada à “reserva pessoal” de outro cacique político do Estado de Kansas? Ou se contratos com fornecedores independentes dos hoje milhões de aplicativos do iOS — o sistema operacional móvel da Apple — fossem inflados de modo a fazer caixa para políticos?

A atual pressão de caminhoneiros é exemplo recente — e ínfimo — das corporações que se valem da sensibilidade política da Petrobras na condição de estatal para obter vitórias setoriais. Ganha a empresa e a maioria da sociedade? Não. E mesmo a terrível praga da corrupção tem efeito menos dilacerante para a economia da empresa e do Brasil do que seu modelo de negócios conducente a um anacrônico capitalismo de Estado.

Num sucesso musical dos anos 1980, Grace Jones cantava “I’m not perfect (But I’m perfect for you)”. Talvez um processo de privatização não seja perfeito — mas é perfeito para a Petrobras e a modernização do ambiente de negócios no Brasil.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. A vantagem do capitalismo é que há milhões de cérebros pensando na direção mais abrangente. No socialismo estatal sóuma direção (quase sempre burra de uma única cabeça) para seguir sem pensar

  2. É incrível que este capitalismo de estado ainda vigore na mentalidade populista no Brasil. Se continuar assim o país vai virar “ o parque humano” descrito pelo filósofo alemão Sloterdjeik.

  3. Não acredito na privatização da Petrobras, exatamente porque os possíveis investidores não teriam a segurança jurídica com relação à independência da política de preços. Acredito mais na liberação das importações de derivados pelas distribuidoras atuais que, com o tempo, poderiam vir a construir suas próprias refinarias.

  4. Preciso eh pesquisar o niobio em recarregamento de baterias, carros, onibus, caminhao etc... e sair do petroleo o mais rapido possivel.

    1. A estrutura molecular exótica do grapheno pode e está sendo estudada no dieletro de conservadores de energia eletrica. Abs

  5. Talvez o argumento não seja pelo caminho do que é ou não estratégico, porque mesmo a informação, os dados, que são o negócio da Apple, Google e Amazon, precisam de regulação como acabamos de ver no caso do Facebook. Então, independentemente de ser ou não o dono -e sou a favor do Estado NÃO ser dono - a questão é qual é o papel, qual é o negócio do Estado? É cuidar do bem comum e para isso ele tem que regular, e não gerenciar os servicos ou a produção . Privatiza, mas controla, por favor!

  6. O Grande Hotel - Termas de Araxá pertence ao Estado de Minas Gerais (Codemig) e por ele era administrado. Há tempos, a administração passou às mãos de Tauá Participação. Parece que ganhou vida nova, mais bonito e bem conservado. Falando em privatizações, imagina o Estado administrando um hotel? E as estradas de ferro, então? O Estado deixou quase todas irem à falência, tão péssima a administração! Estamos à mercê de rodovias perigosas, muitos veículos caindo de velhos, caminhoneiros grevistas.

  7. A revista digital Crusoé poderia traçar para nós, seus leitores, o perfil aproximado de um candidato ideal à Presidência do Brasil? Sabemos deduzir, mais ou menos, o que vocês pensam sobre isso. Porém temos muito interesse em ver escrito ou desenhado (hehehe) um protótipo de candidato com as características principais necessárias para minimizar tantos problemas. Fica a sugestão para a próxima Crusoé.

    1. Marci, concordo com você, mas é sempre bom saber como mais pessoas pensam, não é?

  8. A Vale do Rio Doce foi vendida (?) por pouco mais de 3 bilhões de reais e naquele mesmo ano obteve um lucro de quase 5 bilhões de reais. Grande privatização! Se com dar que o BNDES entrou com uma grana qual foi a vantagem dessa mutreta? O que fizeram com o dinheiro da venda? Educação? Saneamento? Investimentos? Sumiu.

    1. Interessante esse comentário. Sua intenção é criticar as privatizações, apontando a da Vale como exemplo, porém o que ele faz é justamente defender a venda das empresas estatais. Primeiro, porque ao apontar o crescimento do faturamento da empresa, embora o autor tenha escrito que era lucro, ele demonstra o aumento da eficiência da gestão privada. Segundo, porque apresenta o resultado quando é o Estado que administra os recursos: eles desaparecem sem trazer benefícios.

  9. Que tal vender a Petrobras para o chineses? Ela passaria a ser privada aqui, mas o dono seria o governo chinês. Por que não aparece um empresário sério e apresentasse um projeto para captar água na região Norte e distribuisse pela região Nordeste? Se o governo fizesse tal empresa resolveria grande parte da daquela demanda. Mas, dado ao compadrio vigente, em pouco tempo todo mundo torceria por sua privatização. Poucos empresários têm peito para enfrentar grandes projetos.

  10. Vamos aprofundar mais esta matéria...precisamos ser didáticos para causar raiva com contribuinte! Listar os diversas erros estratégicos, como deixar a MEGA reserva de Gas de URUCUM parada em detrimento do gás da bolivia! Porque não tirar petroleo da Foz do Amazonas (mesma formação geologica do Orinoco e aguas rasas), que muita gente conhece décadas! Agora tá insustentável e estão apelando para o Green Peace falar dos coralzinhos coitadinhos! Sem falar de diversas outras bacia CONHECIDAS!!!

  11. Não tenho a menor dúvida da importância em privatizar a Petrobras. No entanto, na cabeça de muita gente, é importante manter a Petrobras. Ok, mantenha a Petrobras estatal e então só tirem o monopólio e abram a competição. A Petrobras não irá aguentar muito tempo. Por falar nisto, porque o CADE não intervém na Petrobras como faz com uma série de empresas?

  12. A concorrência seria salutar para diminuir o preço dos combustíveis e se a Petrobtrás fosse privatizada acabaria com os roubos seguidos de políticos e favoreceria este processo de aumentar a concorrência no setor petrolífero

  13. Um artigo a ser lido e compartilhado com brasileiros que amam a nação, cujo rumo esta perdido, em razão da cobiça de nossos governantes desde a sua fundação!

  14. Brilhante artigo! A venda da Petrossauro (ou no mínimo a quebra de monopólio) irá secar a maior fonte de corrupção do país. A depender dos 'arautos da soberania nacional' - justamente os parasitas que mamam sem cansar nas generosas tetas da estatal - é preferível que o país se torne a Venezuela do que venham a mexer em suas injustas regalias bolivarianas. Basta de corrupção e de privilégios estatais que só geram desigualdade!

  15. Esse artigo deve ser enviado urgente para a MPF para orientar os embargos que eles devem aparelhar para 2a. Turma, mais precisamente puxando a percepção dos três ministros que votaram contra a existência do crime de lavagem. Eles não conhece o mundo e o avanço da corrupção no mundo empresarial e politico brasileiro 4.0

  16. Se em quase 70 anos o governo brasileiro não aprendeu a gerir as empresas estatais, pelo contrário, deu fartas provas de que é um péssimo gestor em todos os sentidos, então pra que serve um estado empresário? Só para interesses escusos. O único direito que o brasileiro tem em relação à Petrobrás, é pagar por dos combustíveis mais caros do planeta. Qualquer coisa que se diga ao contrário, é utopia.

    1. Carlos Lima funcionário da Petrobras, ou o filho dele, fala aí marajá!! Essa moleza irá acabar!! O novo governo privatizará a Petro em 2 anos!!

    2. Se dependesse da Petrobras você pagaria $2,50 no litro da gasolina. Este é o valor do litro quando ele sai da refinaria. No câmbio de hoje, isso dá menos que um dólar por litro. Se você paga 5 reais no litro da gasolina no posto, tenha certeza de uma coisa: a menos culpada é a Petrobras.

  17. O mundo se livrando do Petroleo e nós discutindo se privatiza. Zera o imposto de carros e caminhões elétricos e vamos ver o que acontece com a Petrossauro.

    1. Onde que "o mundo está se livrando do petróleo"? Petróleo, gás natural e carvão mineral seguirão respondendo por mais de 50% da matriz energética mundial em 2050, segundo o cenário de referência da Agência Internacional de Energia. "Zera o imposto de importação de carros e caminhões elétricos" e vamos ver como que o Brasil vai fazer para gerar a energia elétrica que abastecerá estes veículos... Cheio de "especialista de botequim" nisso aqui.

    1. Parece que vocês estão sofrendo de amnésia grave e esqueceram de onde a Lava Jato surgiu. Se a Petrobrás é tão boa assim, por que vocês tremem tanto de medo da concorrência?

    2. Carlos, Bolsonaro fala sobre isso. Vender a Petrobrás para a China, por exemplo, não seria privatização, mas estatização, segundo ele, que lembra sempre que esse país está comprando terras agricultáveis aqui no país.

    3. Exatamente isso. Mas há uma campanha orquestrada, principalmente entre os que se julgam "liberais", para detonar a Petrobras. Incrível. Hoje as únicas empresas de energia que estão nadando em dinheiro, com bala na agulha para fazer uma aquisição desse porte, são as estatais chinesas. Querem tirar a coordenação de ativos estratégicos (petróleo e gás) do Estado brasileiro e transferi-la para o Estado chinês. O sr. Marcos Troyjo age por interesse próprio, lobista que é da expansão chinesa.

  18. O mesmo Congresso americano que, este ano!, impediu a Qualcomm de ser adquirida pela chinesa Broadcom. Na verdade, as intenções do articulista são claras: como Diretor do BRICSLab da Columbia University é um defensor ferrenho da Governança Global (Globalismo) e defende que o Brasil "se abra aos investimentos chineses". Não passa de um lobista trabalhando em prol de seus clientes: o governo chinês, ávido por mandar suas estatais de petróleo e gás aqui no Brasil para comprarem a Petrobras. Touché!

  19. Fiz questão de assinar a revista apenas com o intuito de ler este artigo. Classifico-o como sendo CRIMINOSO. Pega toda a história de uma empresa fundada em 1953 e, numa peça porca, julga o todo por um período de 13 anos de governo corrupto. "A empresa tem gerado mais ônus que bônus aos brasileiros"? Para o autor, fonte energética não é setor estratégico. Precisa dizer isso aos EUA, cujo Congresso impediu a Unocal de ser adquirida pela China em 2005. (continua)

  20. Esse articulista desconhece as principais fontes de exportação da America. Em nenhum estado figura TI ou indústria 4.0. Em vários estados, o principal item ainda é o Carvão. No topo da manufatura, está a indústria da aviação e eletrônica. São péssimos argumentos para a privatização. Se a Petrobrás precisa ser privatizada, certamente isso não tem nada a ver com indústria 4.0. Matéria, energia, transporte, comunicação e indústria pesada continuam sendo o que realmente importa.

  21. Excels the Excelente matéria, expoe a fragilidade desta politica carterizada que domina toda a cadeia econômica , principalmente nas estatais, e que só beneficia aos grupos politicos de plantāo no planalto

  22. ... só em juros da dívida. 400 milhões de reais por ano só em juros. Hoje essas estatais pagariam apenas 20% da dívida. Ainda é melhor do que nada, além de acabar com a galinha dos ovos de ouro desses políticos malditos ... PRIVATIZAÇÃO 100% JÁ!!! Bolsonaro 2018.

  23. O camarada é do BRICLab (pesquisa dos BRICs, onde nos incluímos) e tem gente que vem questionar a qualidade do artigo. O brasileiro é mesmo um invejoso dos infernos. Basta um outro brasileiro ser reconhecido como algo além de um vira-latas, pronto! Invejosos começam a estrebuchar. O artigo é ótimo, atual e verdadeiro. Como afirma Paulo Guedes, se tivéssemos privatizado tudo na época em que Afif Domingos se candidatou à presidência, hoje não estaríamos gastando um Plano Marshall por ano...

    1. O BRICSLab é uma instituição globalista e o autor não passa de um lobista da China. Visite o site do BRICSLab e veja o tipo de publicação que ele escreve lá e os eventos que patrocina.

  24. Eu acho que a diferença entre "Petrobras privada e Apple, Google e Amazon", é que nos EUA há leis de obrigação das empresas privadas com o País, já aqui no Brasil se a Petrobras for adquirida com capital totalmente estrangeiro, não teria nenhum compromisso com o Brasil.

  25. A argumentação desse artigo é absolutamente falsa. Os preços absurdos dos derivados de petróleo no Brasil se devem à desastrosa política de Pedro Parente de atrelá-los ao mercado internacional e ao dólar. Por que isso, se o Brasil produz mais de duas vezes o petróleo que consome? Por que tem que vender esse insumo, para ser refinado no exterior e comprar os derivados a um preço escorchante, quando as refinarias nacionais que os produzem mais baratos estão ficando cada vez mais ociosas?

    1. Há algum equívoco sobre sua afirmação quanto ao número da nossa produção de petróleo. É oficial, site da ANP, que produzimos 2,09 milhões de barris/dia. Mesmo incluindo a produção de gás chega a 2,68 boe. E nosso CONSUMO é de 3 milhões/dia. Sem estatais, os EUA produzem em torno de 9 milhões de bpd e CONSOMEM em torno de 20 milhões/dia. Carregamos nas costas há muito tempo governos corruptos e uma Estatal do petróleo. A conta chegou! Privatização já!

  26. Como a educação é fundamental para um povo. Fico imaginando o que o nosso pais seria se 30% da população fosse capaz de ler entender essa matéria 🤔🤔🤔🤔. Até agora não vi nenhum candidato focado no tema educação.

    1. Educação é poder contra a manipulação. Pode acreditar que isso é a última prioridade dos políticos.

  27. Excelente artigo. Um dos melhores que li nos últimos anos sobre um assunto tão importante. Esclarecedor e sensato. Ótimo nome que a Crusoé agrega a revista. Tomara que seja semanal. Abraços

  28. Os nossos políticos quebraram a Petrobrás. O senhor Pedro Parente colocou ela no caminho da recuperação. Se não for privatizada vai quebrar novamente, porque os políticos brasileiros atuais, só querem ficar mamando nas tetas dela.

  29. Desde 1953 os brasileiros pagaram e pagam impostos altíssimos para a construção e fomento da PETROBRÁS, e os sucessivos Governos escolheram investir na empresa o dinheiro público dos impostos, ao invés de investir esse dinheiro em saúde, educação ou rodovias, ferrovias, etc. Agora, já estruturada, com inúmeras refinarias, campos de exploração de petróleo, tudo com o dinheiro público, a PETROBRÁS deverá servir para dar lucro para seus acionistas apenas? Para os brasileiros não? Absurdo.

    1. O Estado tem mais de 50% das ações, então os brasileiros estão sendo servidos sim, por meio da distribuição de lucros (e prejuízos) da empresa. Ou seja, os políticos privatizam o lucro e socializam o prejuízo com toda a sociedade. Fica a dica.

    2. Exato Cristina. Todos nós carregamos a Estatal nas costas e ela só atende aos acionistas. A conta chegou para o povo pagar! Que essa greve possa ter ensinado a lição para a necessidade de privatizar urgente a Petrobras e demais estais tb.

  30. Caro Marcos, concordando com suas colocações pediria que vc complementasse seu comentário com o papel do presidente do BNDES à época.

  31. A Petrobrás não precisa do governo, na verdade o governo é um entrave ao seu sucesso como empresa. A privatização passou da hora.

  32. Pobre Petrobrás, sempre sofrendo ingerências políticas. Conheço algumas pessoas que trabalham/vamos lá através de um tio que trabalhou lá durante toda a vida e os funcionários ali são qualificados, comprometidos e trabalham duro, se chateiam com essa roubalheira, aquela sensação de impotência. Frequentemente esses meus dois colegas vão para o exterior, em plataformas de petróleo, especialmente no Canadá, para troca de aprendizado, pago pela Petrobrás. Um deles, inclusive, saiu e trabalha lá.

  33. Não basta privatizar, tem que quebrar o monopólio para estabelecer uma livre concorrência, do contrário teremos mais uma empreiteira distribuidora de propinas.

    1. Se for privatização à moda brasileira, melhor deixar como está, pois aí vem mais uma propineira.

  34. Não entendi qual o custo da Petrobras pra o Brasil, a empresa paga impostos, royaltes, dividendos, o tesouro não dá um centavo para a Petrobras, o mercado e livre, aberto a investimentos, não é existe monopólio.

  35. Continuando... Além disso não existe mais monopólio de petróleo.. Qualquer empresa pode investir e explorar o mercado, mas por que não o fazem? Na verdade fazem mas muito timidamente, pois as empresas internacionais investem no mundo todo, se no Iraque, por exemplo, de melhor retorno, tchau Brasil, simples assim. Nenhum pais do mundo se desenvolve sem energia, terceirizar algo vital para a economia não me parece logico.

  36. Vamos imaginar que não existisse a Petrobras, a politica de reajustes diários do combustível começou com o barril de petroleo de 40 e 50 dólares, hoje com o barril o 80 veja o caos para a economia. Imagina se o barril volta aos 120, ou se avança a 200, vcs acham que a economia aguenta o repasse integral? Pois eu acredito que não. Pois bem, caso não exista a Petrobras qual empresa internacional vai se sensibilizar com os brasileiros? Nenhuma. Querem ficar refém das variações internacionais?

  37. Marcos ,boa noite Não obstante a corrupção é inegável Que a Petrobras tem relevância na Economia NACIONAL O Fato importante é o monopólio Inicialmente não se deve privatizar a Petrobras, seria muito traumático, Penso que abrir o mercado de exploração ,refino e distribuição seria uma forma De dar competitividade ao mercado Agora dar a grupos interessados a efetiva Oportunidade na exploração de Campos Petrolificos com reais possiblidades De exploração. Não é entregar Campos inviáveis

  38. O governo precisa assumir sua função: Saúde, Educação e Segurança Púbica. Fazer regras para todos, com a participação de todos. Estimular a criação de novas tecnologias, como veículos elétricos. Governo não pode ser proprietário de empresa nenhuma, pois o que vê é somente corrupção. Exemplo é a Petrobras.

  39. Excelente análise! Temos que reduzir enormemente o tamanho do Estado brasileiro. As estatais são as grandes consumidoras desta carga tributária mastodôntica que nos sufoca! Ineficiência, incompetência e nepotismo regiamente remunerados! Parabéns, Marcos Troyjo pelo enfoque lúcido dado à matéria.

  40. Petróleo mesmo mal gerido é um ótimo negócio, se for bem gerido melhor ainda. Não precisa privatizar, basta os acionistas se contentarem com menos e o governo se contentar com menos impostos.Cest´fini

  41. Menos Estado=menos corrupção=menos ineficiência. Brasileiros amam o Estado=o elefante branco continua na sala de estar.

  42. A Petrobrás é a síntese do pensamento retrógrado do brasileiro, seja qual for sua ideologia. Será que vamos aproveitar para abrir as cortinas e mostrar o regime de escravidão tributária montado em cima do cidadão?

  43. Bom Dia ! A solução do preço dos combustiveis começa em suspender toda e qualquer venda de combustivel para outros paises .Dai considerar o total dos impostos arrecadados entre consumo interno e exportaçao e dividir entre o totade litros disponivel a partir da soma do que era destinado ao mercado interno, mais o destinado a exportação.A arrecadação ficará inalterada e os preços cairão.Reação proporcional ao problema . Obrigado

  44. A LIÇÃO q aprendemos com a greve: os combustíveis não são uma mercadoria qq, por isso não devem incluir nos seus preços impostos abusivos! Os combustíveis devem ser CONSUMIDOS de forma abundante, porque são pilares estratégicos de crescimento do país. Os países desenvolvidos têm alto CONSUMO de combustíveis. Vale ressaltar: um país não CONSOME combustíveis por ser desenvolvido, mas ao contrário, só alcança o status de desenvolvido se, e somente se, o CONSUMO de combustíveis for abundante.

  45. Não haverá progresso enquanto prevalecer a tacanha xenofobia ao capital internacional. É utopia tupiniquim pensar que paquidermes estatais possam ser eficientes, gerar riqueza e bem estar social.

  46. Uma questão central quando se levanta a bandeira desse ou aquele ser estratégico para a nação e que precisa ser lembrada: existe para a humanidade algum setor mais estratégico que a produção de alimentos? E essa vai muito bem, ajudando o Brasil a arrastar-se porque não tem o estado empoleirando apadrinhados, mas ainda assim sofrendo para ajudar a pagar a conta do estado ineficaz.

    1. Concordo plenamente Marly! O negócio é acabar com a falácia que o estado precisa ser o dono ou só regulamentar.

    2. Mario, a produção de alimentos é estratégica, sim, mas em primeiro lugar vem os combustíveis, pois sem eles nada funciona para produzir, estocar e transportar os alimentos produzidos. Vc concorda? Os combustíveis são pilares de qualquer atividade, por essa razão têm de ter preços baixos. A maior lição que aprendemos com essa greve, e o governo faz que não vê, é que os combustíveis não podem ser taxados como uma mercadoria qualquer, porque os preços altos travam o crescimento.

  47. Parabéns ao articulista pela forma precisa com que trata o tema. Digo mais. É preciso privatizar todas as 170 estatais federais e todas as estatais dos demais entes da Federação. É preciso também extinguir corporações como os tribunais de contas e os feudos representados pelos conselhos que controlam as profissões de advogados, médicos, economistas etc, que arrecadam verdadeiros impostos, já que as contribuições são obrigatórias sem uma adequada prestação de serviços aos profissionais.

  48. Para evidenciar a diferença que faz no crescimento de um país a questão da pesquisa e produção de petróleo com a livre iniciativa atuando, vamos ver o exemplo dos EUA pelo fato de termos extensão territorial semelhante. Em 100 anos de história (1859-1969) furaram 2.225.410 poços. No Brasil, há poucos meses comemoramos 30.000 poços, enquanto os EUA já passaram os 5 milhões.

  49. Troyjo, sempre inteligente, claro, objetivo. A edição número 4 da Crusoé para mim, é a melhor de todas até agora. A reportagem com o Bolsonaro tá perfeita.

  50. Nunca é demais lembrar que, enquanto Apple, Microsoft, Google, Amazon, Facebook (para citar as maiores) têm sede nos EUA e nem cogitam minimamente abandonar o País, a JBS, empresa que vicejou e cresceu à custa de nossos impostos quase deu uma banana para nós brasileiros quando firmou o acordo de delação premiada com a PGR: ela decidiu vender todos os ativos no Brasil e mudar a sede pros EUA. Só não tiveram sucesso porque a farsa foi denunciada. Se é para privatizar, que seja para EMPRESÁRIO.

  51. Bem apropriada sua análise. Gostei de ler. A propósito, eu, uma completa leiga em economia, à época da megalomania de Lula em relação à Petrobras e ao incensar desmesurado do pré-sal, tive uma epifania e uma luz se acendeu no meu desconfiômetro. Questionei:_ Por que os grandes acionistas, mormente os estrangeiros, não estão se manifestando se, ao que parece, a companhia será prejudicada e seus acionistas surrupiados em suas ações? Até hoje não tenho resposta para isso. Mistééério!

  52. A hora da privatização ja passou. Continuamos nas mãos de corruptos que exploram a crendice do”petróleo é nosso”. Quando é qual será o próximo escândalo?

  53. Maravilha! Agora só falta entrar um NOVO governo para colocar isso em prática, além de tantas outras empresas estatais que só dão prejuízo.

    1. Amoedo ou alguém que definitivamente defenda a liberdade econômica, só ela salva uma nação !!

  54. Complexidade é imensa, mas o óbvio disso tudo, é a lástima perda de poder do partido que é capaz de tudo para continuar no "poder". Embora derrotado tem hoje no Brasil os principais cargos de comando ocupados e indicados sem um mínimo de coerência com a economia do bem comum ... Não pegam em armas, mas sabem parar o País. Podemos comparar muito bem sobre essa "política": Pura Engenharia Social, Puro Coletivismo, Puro Totalitarismo Juridíco. #VerdadeEscondida #EducaçaoNegada #RevoluçãoCultural.

  55. Resumo da ópera, o cachaceiro e a anta da Yolanda Dilma roubarão tanto que chegamos a essa situação, tendo como cumplicies o congresso nacional na pessoa do coronê cangaceiro Renan, e sem o fim das mordomias, dos penduricalho, das benesses, nos não apoiamos a mudança que é necessária da previdência. Só como exemplo, é um absurdo um desembargador receber milhões em um único mês com a desculpa de ser verbas atrasadas.

  56. Concordo com meu xará em genero, grau e numero. O governo não tem cacuete nem missão de se envolver com negocios seja em que area for. Ele governo tem que cuidar da saude, educação e segurança de seu povo, facilitando ao máximo o uso de seus recursos naturais com noção clara de sustentabilidade e renovação.

  57. Perfeito! Não poderia ser melhor descrita a situação do Brasil e dessa empresa que, espoliada por políticos, esgotou o Brasil! Privatizem a Petrobras para o Brasil não acabar!

  58. 1) Quebrar totalmente o monopólio; 2) Fatiar a Petrobras; 3) Privatizar com regras que evitem cartéis ou novo monopólio. Não há motivo algum para que o cidadão brasileiro continue sendo espoliado por essa máquina de corrupção, apadrinhamentos e incompetência.

  59. Quem disse que a greve dos caminhoneiros não foi um sucesso? Um sucesso apoiado por toda a população, pacífico e eficaz. Mas o maior resultado é ter colocado na mesa a causa do problema, a falta de concorrência. Nem tanto a estatização mas o monopolio do refino, essa tem que ser nossa luta. As refinarias das grandes empresas devem ser liberadas para em igualdade de condições disputar com a Petrosauro. A privatização não dará visibilidade a incompetência, corrupção e omissão que é o mote da PTBR

  60. A privatização da Petrobras seria a verdadeira quebra de paradigmas e preconceitos sobre privatização, oxigenação de negócios, nova era econômica para o Brasil. Enquanto este monstro ideológico (patológico?) pairar sobre nossas cabeças não faltarão atemorizantes presságios de fim do mundo caso a empresa passe à iniciativa privada. Nada disso. Nos veremos livres enfim de uma camisa de força que tem nos mantido presos e inertes diante de um mundo que está ao menos um século à nossa frente.

  61. Como é bom ler um artigo lúcido. Obrigada por me fornecer argumentos para as discussões com os nacionalistas. Amei a comparação com as empresas de TI.

  62. Excelente artigo, salvo engano, Monteiro Lobato, que era lutador pela nacionalização do Petróleo, desejava que a exploração fosse feita por empresas privadas e não por um gigante estatal

  63. O articulista aborda com bastante clareza a necessidade da privatização da Petrobrás. É muito comum se falar que a idade da pedra passou, não por que teriam acabado as pedras, assim, como a idade do petróleo vai passar, antes que essa fonte de energia se esgote. Se o País não se preparar com um planejamento estratégico, nos próximos anos, para a tomada de uma posição quanto a privatização da Petrobrás, corremos o risco de ver essa empresa causar um brutal prejuízo pela perda de valor no futuro.

    1. O que vc falou é mais do que certo, é tão óbvio que não acredito que não saibam.

  64. M, Troyjo Seu artigo foi perfeito. Um estado menos empregador, menos inchado, com PIB abaixo de 20%, de carga tributaria, seria um pais mais justo, o liberalismo traria o progresso, inovacoes, mais empregos, aumento da renda per capita. O pais a pleno emprego, seria o suficiente para garantir a seguranca. A saude seria privatizada, a educacao teria prioridade na qualidade de seus docentes, as dotacoes orcamentarias garanteriam gratuidade no ensino em todos os niveis.

  65. Excelente artigo. Muito interessante essa comparação com as big techs americanas. Espero que o autor se torne um colunista fixo da revista.

  66. Eu achou que a Petrobras deveria ser vendida ou não deixar que o governo indique um funcionário, mesmo que seja o da limpeza. Isso teria que estar no Estatuto da companhia, somente pessoal de carreira dentro da Cia. subiriam por méritos.

  67. Avaliação clara e bem fundamentada. É curiosa a postura de que o país deve preservar o petróleo para o futuro, quando no futuro o uso será bem mais restrito, defendida pela esquerda. Usar o petróleo, enquanto ha mercado, faz muito mais sentido . A participação governamental, através de royalties, participação especial, partilha da produção, impostos, etc. é sempre a mesma, seja o produtor nacional ou estrangeiro . É esta participação que gera benefícios para o povo e não a limitação da produção

  68. Enquanto a maioria dos brasileiros julgar que seus filhos (e netos) poderão entrar nos quadros de funcionários das estatais, não privatizaremos nada. Como a esperança é a ultima que morre, continuaremos a carregar esses elefantes brancos (sujos ou lavados) pelo resto de nossa existência.

  69. Artigo para ser compartilhado um milhão de vezes! Parabéns, Marcos Troyjo, por apresentar razões consistentes para privatizar esse monstro chamado Petrobras. Hora de acordar, Brasil! Vamos fazer o que certo - ingressar no liberalismo e nas cadeias produtivas globais. Hora de matar o Brasil patrimonialista que só nos trouxe atraso ao longo de séculos. Acorda, Brasil!!!

  70. O que chateia a muitos anos, são estes tipos de matérias, sempre antes das eleições! Vender estatais é uma questão vital para o Brasil, principalmente para evitar o uso das mesmas pelos políticos! Mas não vemos qualquer campanha neste sentido! Porém, como um comentarista lembrou, ninguém até agora colocou isto como programa de governo! Além disto, precisamos nos debruçar a pergunta de 1milhao que todos fogem de responder! “Porque tantos impostos, para onde vão, há possibilidade de corte?”

    1. Com licença, João Amoedo e o Novo defendem a privatização da Petrobras, Correios, etc.

  71. Perfeito! Sou absolutamente a favor de qualquer privatização no Brasil. É sabido que as estatais são um antro político e reconhecidamente sem gestão, ou melhor, é prejuízo certo. Portanto, o Estado deve ser somente o regulador e fiscalizador , e, como em qualquer lugar do mundo civilizado, a segurança e justiça é que devem ser e estar na mão do Estado, tão somente, e basta de incompetência, ineficiência e corrupção, basta de estatais...

  72. Vale ressaltar a diferença entre um país que usa a livre iniciativa para pesquisar e produzir petróleo e o nosso país. Os EUA têm extensão territorial semelhante ao Brasil , por isso será comparado. Em 100 anos de história (1859-1969) os EUA furaram 2. 225.410 poços em terra. Hoje, já passaram dos 5 milhões, enquanto nós comemoramos 30.000! O que isso representa na geração de empregos, renda e crescimento para os EUA nós sabemos. É preciso cobrar essa mudança de rumo para o nosso Brasil.

  73. A conversa mole de que "a Petrobras está sob ataque dos interesses estrangeiros", não ganha tração entre a população. Só esquerdistas e petistas alardeiam essa falácia. O consumidor sabe que algo vai mal qdo dói no bolso. E é impossível dissociar a Petrobras do Estado ineficiente e seus governos corruptos. O fim do monopólio estatal será o início de uma economia de mercado competitiva e positiva para a Nação. Que se dane o Estado e a curriola de vagabundos do serviço público.

    1. Privatizaram a telefonia no Governo Fernando Henrique e está péssima.

  74. A Petrobrás nunca foi orgulho nacional. A Petrobrás como disse o ex-presidente condenado "a Petrobrás é uma mãe" o todos os corruptos presentes caíram nas guagalhadas.

  75. JJá que a privatização se parece com um certo "tabu", não entendo a razão por que nenhum candidato a presidente fale em começar a privatização da estatal pelo desmonte do monopólio do etanol, cuja produção é inteiramente privada e --em absolutamente nada-- depende da estatal. Uma nova abordagem do assunto, faria com que o etanol fosse concorrer, DE VERDADE com a gasolina, com ganhos evidentes para o consumidor, para as usinas de etanol e para a propria estatal, em face da concorrencia ,

  76. Não basta privatizar a Petrobras e manter o monopólio! Antes, é necessário dividir a empresa em diversos blocos autônomos e, aí sim, leiloá-los.

  77. Muito bom. Em resumo, como sabemos, governos não sabem (ou não têm condições) de administrar empresas. Não é vocação política. Portanto, a privatização é a solução mais sensata para esses paquidermes econômicos.

  78. Muito bom texto. Impressiona que alguém ainda diga que a Petrossauro é "estratégica", quando todos os fatos, aqui e no resto do mundo, o desmentem.

  79. A propaganda da Estatal ao lançar o pré-sal fez lavagem cerebral de quase todos os brasileiros como o "salvador da Pátria". Poucos desconfiaram que era uma propaganda enganosa, pois a Lava Jato mostrou a quem o pré-sal serviu. A discussão que nenhum jornalista coloca para o governo é sobre os obstáculos que a Petrobras coloca para a pesquisa e produção d petróleo em terra pelos pequenos/ médios empresários. Nossa produção está ao redor d 2 milhões de boe, é vergonhosa! Ninguém comenta. Por quê?

  80. A privatização é necessária. O país não tem que ser gestor de empresas. O custo é sempre cairmos na situação de « lavas jato » ainda falta ir fundo na corrupção dos bancos (BB/caixa/BNDS), fundos de pensão, eletrobras, portos, e todas as empresas estatais para verificarmos que o « custo » é alto », e que o estado so tem que cuidar de educação, saúde e segurança.

  81. A dúvida do petróleo ser bem estratégico parece estranha, qdo sabemos q a produção de alimentos é dependente de máquinas, equipamentos e insumos que usam petróleo. Mas, nossa discussão é sobre Petrobras! E quanto a isso quero dizer que acompanho a pesquisa de um geólogo, estudioso da questão técnica dos mapas geológicos usados pela Estatal para guiar investidores."Os mapas obsoletos escondem o petróleo abundante e barato q existe em terra". Além d corrupção existe esse fato. Privatizar é urgente

  82. É simples assim. A Petrobras está em cima da terra e é papel (contratos) e o petróleo está em baixo da terra. Ninguém carrega os buracos dos poços pra casa de ninguém. A tragédia está em quem cuida da Petrobras que fica em cima da terra.

    1. Concordo com a primeira frase "8 refinarias..." mas todos nós sabemos que, quando isso de fato acontece, elas se articulam e mantém o preço sob controle visando o lucro total e não concorrendo entre si com preço mais acessíveis. Mesmo porque, nossa atual carga tributária não permite.

    2. Esse é o PROBLEMA: uma estatal tem praticamente o monopólio do refino. Ninguém mais entra nesse mercado para concorrer com uma estatal que aceita tomar prejuízos por ordem de um governo. E é por isso que temos uma das piores e mais caras gasolinas do mundo.

    3. Privatizar e abrir mercado pra concorrência amigo, já pensou 8 refinarias no país, cada uma vendendo mais barato o combustível pra consumo nacional? Agora se a única refinaria do país é incompetente e estatal, quando ela quebra (ou é assaltada) advinha quem paga a conta? VOCÊ !

  83. Com a experiência histórica de como a politização da gestão de uma empresa estatal é nefasta ao interesse público é evidente que este ciclo, considerado virtuoso por muitos, precisa ser interrompido e substituído por um modelo que privilegie a competência de seus quadros, em todos níveis. Para isso surge a ideia da privatização de forma salvadora. Contudo, face às implicações, nacionalistas e conservadoras, acho que se deve estabelecer um cuidadoso plano de ação estratégico de longo prazo.

  84. Não tenho dúvidas sobre os benefícios que a privatizar traria para a Petrobras e todos os brasileiros. Como garantir que a privatização não transferiria o monopólio para o setor privado? Como garantir mais do que 4 concorrentes neste mercado?

  85. Perfeito! O estrago no Brasil não é maior por conta de algumas privatizações feitas no governo FHC (Vale e outras empresas). Urgente a privatização da Petrobras, BB, CAIXA e por aí.

    1. Não é o momento de privatizar nada. A Petrobras,o BB e a caixa Federal só precisam serem bem administradas. Quantas empresas privatizadas do FHC até hoje? O que o Brasil ganhou?

  86. Sem a pretensão de discutir a conveniência ou não da privatização, ela não resolveria situações como a observada no momento. Pelo contrário! Imagine discutir política de preços de uma commodity com uma empresa privada defendendo seus legítimos interesses em oposição à pressão social (ou de parte dela). Quem arbitraria? Com quais critérios? Como seria garantida a segurança jurídica dos investidores?

  87. Basta simplesmente verificar que se o petróleo nas mãos do Estado fosse bom a Venezuela seria o melhor país do mumdo. Porém há um traidor entre vocês do Antagonista criticando a greve dos caminhoneiros. Ela é importante justamente para provar que governo deve se ater a saude educação transporte segurança pública o que aliás é uma porcaria neste país embora tenhamos uma imensa carga tributária. Assim sugiro que passem a assinar os artigos no Antagonista.

  88. Na visão de muita gente, todas as estatais são "estratégicas"! Mais um dos muitos grilhões que nos mantém presos ao atraso, a ser o eterno país do futuro.

  89. Uma pena que a visão do articulista seja tão estreita e anacronicamente pró-mercado. Indago: que pensar da Noruega, que em 40 anos saiu de nação mais atrasada da Europa para um dos maiores índices de qualidade de vida do mundo, criando um fundo soberano e uma estatal de petróleo (Statoil)? Por que então todos os últimos conflitos de guerra da humanidade tiveram a disputa comercial pelo petróleo como pano de fundo? Por que das 25 maiores empresas do mundo, 19 são estatais,e as 6 restantes são...

    1. Gostei dos argumentos, embora eu tenha uma ideologia um pouco mais liberal. Gostaria de ler a opinião do Marcos Troyjo sobre esse ponto

    2. ... privadas, de nações importadoras? Mentes brilhantes, a serviço da desinformação... Comparar Google com Petrobras, me poupe!

    1. Não gostei, porque desconsidera tudo o que os brasileiros investiram em impostos desde 1953 até hoje nessa empresa. A PETROBRÁS não foi construída com dinheiro privado. E hoje, depois de tantos gastos do dinheiro público, só servirá para dar lucros aos acionistas e ao setor privado? Os brasileiros que foram preteridos em educação e saúde em seus impostos não podem se beneficiar de nada? O que tem que ser controlado é a corrupção. E o cabide de empregos.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO