CrusoéA mansão de 12 milhões de dólares que sediou o convescote noturno das excelências: o anfitrião era um advogado estrelado

Halloween supremo

Hotel de luxo, charutos, carro do Itamaraty, jantar em mansão, vinhos e compras, muitas compras: Crusoé acompanhou o animado feriadão de ministros de tribunais superiores brasileiros em Nova York
09.11.18

Um homem de terno acende um cigarro embaixo da marquise do Plaza Athénée, luxuoso hotel a dois quarteirões do Central Park, em Nova York. Ele está sob o toldo da fachada. O segurança pede, com um “please”, que ele saia dali e vá para perto de um cinzeiro a céu aberto. É a lei da cidade, explica. “Oh, you don’t like me here? You don’t have to like!”, diz o fumante, com sotaque brasileiro: “Você não gosta de eu estar aqui? Não tem que gostar mesmo!”.

O concierge sai do hotel para apaziguar a pequena confusão. Mas, antes que o climão se resolva, um veículo utilitário para na frente do hotel. É um carro oficial do Consulado do Brasil, dirigido por um funcionário cujos salários são pagos pelo contribuinte brasileiro. Dele desembarcam Gilmar Mendes e sua mulher, Guiomar, acompanhados de uma assessora. “Vamos trabalhar, ministro?”, diz, em português, o homem que estava fumando, também ele uma figura ilustre no Brasil: é Luís Felipe Salomão, ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), a segunda mais alta corte do país. Enquanto isso, o concierge ajuda a desembarcar as malas do casal Mendes.

CrusoéCrusoéA chegada de Gilmar: com a mulher, e em carro oficial do Itamaraty
É quinta-feira, dia 1° de novembro de 2018. O ministro do cigarro, assim como Gilmar, integrava uma comitiva de duas dúzias de pessoas que passaram quatro dias em Nova York. O motivo da viagem foi profissional: ministros do Supremo Tribunal Federal e do STJ, além de outros magistrados, funcionários de tribunais e advogados viajaram para a cidade no feriado de Finados, a convite, para participar de um seminário organizado pela Fundação Getúlio Vargas e pela Universidade Columbia, com apoio do jornal Financial Times, da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos e da CLS Brazil, uma associação de brasileiros que estudam ou já estudaram na prestigiosa instituição universitária americana.

Além de Gilmar Mendes, ficaram no Plaza Athénée, cuja diária parte de 500 dólares (cerca de 2 mil reais), o presidente do STF, Dias Toffoli, e os ministros João Otávio de Noronha, Ricardo Villas Bôas Cueva, Luis Felipe Salomão e Mauro Campbell Marques, do STJ. Cada ministro levou um acompanhante ou dois – eram familiares ou assessores.

Mala de vinho

O único compromisso marcado para a quinta era o jantar de abertura do evento. Então, menos de meia hora depois da chegada da comitiva, os brasileiros já saíam. Estavam livres para bater perna. As famílias dos meritíssimos aproveitaram o veranico que na quinta-feira deixou Nova York com 20°C de temperatura em pleno novembro, quando a média fica abaixo de 10°C. Mulheres, filhos e filhas e sobrinhos dos ministros saíram do hotel à tarde e voltaram só à noite – com muitas sacolas, claro.

CrusoéCrusoéAs mulheres de Gilmar e de Mauro Campbell saem para comprar: o ministro do STJ ministro observa
Já na manhã de sexta, o início do seminário atrasa. O ministro João Otávio de Noronha, presidente do STJ desde o fim de agosto, chegaria apenas às 9 horas, quando a mesa de que participaria, marcada para as 8h30, já havia começado.

Enquanto esperam, participantes brasileiros conversam no fundo do auditório. “Suas compras chegaram no hotel?”, pergunta um deles. “Chegou quase tudo, falta uma coisinha ou outra. Os vinhos chegaram todos.” O animado servidor do Judiciário reservou até uma mala especial para transportar garrafas. “Cheia de compartimento. Não quebra.” Um assistente de ministro conta que teve de pagar 512 dólares na Alfândega, em viagem recente, porque tinha comprado três telefones. O outro saca do bolso o seu aparelho e passa para os interlocutores, que constatam ser um iPhone XS Max, modelo lançado semanas antes, que custa de 1.099 a 1.449 dólares. “Mas o seu é diferente, né? É coisa fina”, diz a colega, mostrando o seu iPhone 8, que já há algum tempo deixou de ser de última geração.

O evento começa. Enquanto um juiz americano fala, um brasileiro na plateia usa o livreto com a programação do evento e um lápis para fazer contas. Um outro pede a programação emprestada. Folheia e diz: “Não vai fazer muita conta, hein?”. O dono do papel ri e se explica: “Tô calculando quanto vai ter que pagar de imposto. Deu duzentos e poucos [dólares]”.

Nas poltronas distribuídas no pequeno palco, os palestrantes discutem a judicialização da medicina no país. Dias Toffoli diz que se sente tentado a começar o discurso saudando menos pessoas, como fez o médico Claudio Lottenberg, presidente do grupo UnitedHealth, sentado a seu lado. “Imagina se o médico chega na sala de operação e diz ‘excelentíssimo anestesista’, ‘excelentíssimo instrumentador’. O paciente já morreu antes de ele terminar.”

Era a segunda vez de Dias Toffoli e de Lottenberg no evento. A primeira edição do seminário Law and Economics se deu no feriado de 12 de outubro de 2017. E contou com vários dos mesmos participantes: os ministros Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Ricardo Villas Bôas Cueva. O médico-empresário Lottenberg, interessadíssimo no que pensam as excelências sobre as questões que dizem respeito aos negócios que comanda, também estava lá na edição do ano passado. Em 2017, a programação completa do evento foi publicada na internet, incluindo os dois jantares de recepção. Já em 2018, o site da faculdade de direito de Columbia apenas indicava que “vários juízes” brasileiros participariam do evento.

As palestras preenchem toda a sexta, 2, em que no Brasil se comemora o Dia de Finados, com pausa de uma hora e meia para almoçar. Gilmar Mendes é o primeiro a voltar, depois do almoço. O ministro se senta sozinho na primeira fileira. Logo se forma uma pequena fila de estudantes e de outros participantes que querem dar uma palavra. Esse tipo de evento, explica um advogado presente, serve para ensejar uma aproximação com os juízes supremos do Brasil. “É um networking que não tem preço.”

CrusoéCrusoéA palestra de Toffoli: descontração e companhia de empresário do setor de saúde
Se a excursão tivesse um guia, ele seria Sidnei Gonzalez. Diretor de mercado da FGV, Gonzalez supervisiona a viagem. Enquanto os ministros palestram, fica em pé no fundo do salão filmando com seu celular. Gonzalez é figura repetida nesse tipo de evento. Figura muito bem relacionada nas cortes superiores, ele se encarrega de organizar seminários e congressos assim de tempos em tempos. Desde 2010, a FGV e o IDP, de Gilmar Mendes, já realizaram ao menos onze eventos conjuntos. Gonzalez e Gilmar, por sinal, compraram apartamentos no mesmo prédio em Lisboa. Em junho, quando O Antagonista publicou a notícia, o diretor da FGV afirmou que a proximidade dos imóveis, avaliados em 600 mil euros cada um, não passava de coincidência. Sobre seu amigo do Supremo, ele disse: “A relação com o ministro Gilmar é 98% profissional”.

“Benefício colateral”

O seminário termina perto das 20 horas. Na noite de sexta, há só um integrante da comitiva comendo uma salada de 34 dólares no restaurante do Plaza Athénée. A maioria está num jantar ali perto.

No número 10 da rua E 62 fica uma mansão construída em 1910. O prédio de três andares tem duas salas — os ornamentos das paredes de uma delas são em talha dourada, como nos palácios europeus. O valor de mercado da casa beira os 12 milhões de dólares (cerca de 42 milhões de reais). Até 2015, ela estava registrada em nome de uma offshore. Depois, foi transferida para outra empresa, cujo nome não é revelado em documentos públicos americanos. Em sites imobiliários, seu aluguel é estimado em 60 mil reais mensais.

É nessa casa que acontece o jantar da turma que organiza o evento com os convidados especiais do Judiciário. Três chefs com chapéus de mestre-cuca cuidam da comida — massas, canapés e uma opção de carne. Uma trupe de garçons abre as garrafas de vinho, da adega da casa. A música ambiente é ao vivo, tocada por um trio com violão, violoncelo e percussão.

A comitiva brasileira está em peso no evento. Os últimos saem às 23h20 e esquecem a porta da frente aberta. Alguns decidem percorrer os dois quarteirões até o hotel a pé. Outros chamam carros do Uber. Um dos últimos a sair é o advogado Marcus Vinícius Furtado Coelho, ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), dono de uma requisitada banca de Brasília e amigo do peito de ministros de tribunais superiores.

Três homens se referem ao encontro noturno como “o jantar do Arnoldo”. Arnoldo é Arnoldo Wald, um dos advogados tributaristas mais conhecidos (e caros) do país, que estava na platéia do seminário e fora mencionado em uma das mesas.

O “jantar do Arnoldo” é mencionado como parte imperdível da programação. Na verdade, imperdíveis são seminários e convenções como esse, quase sempre em feriados, e quase sempre uma oportunidade para as excelências confraternizarem com advogados e viajarem com as famílias sem ter que gastar com passagens e hospedagens – os custos, normalmente, são bancados pelos organizadores. Um dos presentes disse a Crusoé, pedindo para não ser identificado, que os promotores de seminários assim “não pagam honorários” pelas palestras, mas em contrapartida custeiam a viagem.

“É o que a gente chama de benefício colateral”, diz um funcionário do Tribunal de Justiça do Distrito Federal que, desta vez, não estava entre os convidados. Uma funcionária do STF confirma que os seminários são um “plus” para magistrados, familiares e assessores — algo que não é salário, mas vem embutido com alguns cargos relevantes na estrutura das cortes.

CrusoéCrusoéO fim da festa na noite de sábado: buffet estrelado para convidados especiais
O tal benefício colateral está em todas as esferas do Judiciário. Em 2016, ministros do Tribunal Superior do Trabalho (TST) e do Superior Tribunal de Justiça participaram de um seminário numa sexta-feira no Hotel Jatiúca, em Maceió. O evento foi curto. Durou apenas uma sexta, apesar do nome longo: “Os Efeitos da Desconsideração da Personalidade Jurídica à Luz dos Entendimentos Consolidados nos Tribunais Superiores”.

Em março de 2017, Luiz Fux emendou dois eventos nos EUA, com três dias de distância um do outro. O ministro participou de um jantar em sua homenagem oferecido pelo Council of the Americas, em 21 de março. No dia 24, esteve no seminário “Direito e Economia: Diálogos Brasil x EUA”, na Faculdade de Direito de Harvard.

Outros encontros acontecem nos dois meses de férias dos supremos juízes, em janeiro e julho. O seminário “Cidadania em um Mundo de Transição”, por exemplo, ocorreu em julho e levou uma dúzia de ministros a Coimbra, em Portugal. O vice-presidente do STJ, Humberto Martins, foi para palestrar. Do STF, Ricardo Lewandowski e Dias Tofolli estiveram lá para realizar o que a programação classifica como “intervenções”. O quórum de ministros foi alto nas férias: a lista de participantes incluía ainda Marco Aurélio Mello e, do STJ, João Otávio de Noronha, Mauro Campbell, Humberto Martins, Jorge Mussi, Marco Buzzi, Raul Araújo, Marcelo Navarro, Sebastião Reis, Benedito Gonçalves e Rogério Schietti.

Charuto e bagagem

O voo de volta da maioria dos convidados ilustres brasileiros está marcado para as 16h30 do domingo. O que não os impede de aproveitar a última manhã do passeio em Nova York. Ao meio-dia, o ministro Luís Felipe Salomão sai sozinho do Plaza Athénée de gorro – esfriou e a temperatura está abaixo dos 10°C. Ele anda três quarteirões, passando pela boutique do estilista Roberto Cavalli, e entra no Club Macanudo.

 

CrusoéCrusoéO ministro deixa a charutaria depois de três horas: viagem na faixa
O “clube” é, na verdade, uma das melhores charutarias do mundo, e permite a entrada de não-sócios, desde que respeitem a norma estampada em uma placa dourada na entrada: “temos um código indumentário”. O ministro passa. Rudolph Giuliani, ex-prefeito de Nova York e atual advogado do presidente Donald Trump, já disse em três entrevistas que vai ao salão de mogno escuro sempre que pode. Há consumação mínima de apenas 15 dólares em charutos para cada pessoa que entra. Mas, evidentemente, a conta costuma passar disso.

Trinta minutos depois do ministro, outros dois brasileiros entram no Macanudo. Salomão gastou três horas por lá. Ele sai da charutaria ainda fumando. Anda até o hotel, a duas quadras. Abre, ele mesmo, a porta para entrar – à diferença dos protocolos de Brasília, em que poderosos não precisam colocar a mão na maçaneta.

As excelências brasileiras talvez não fossem a maior preocupação do hotel. O Plaza Athénée havia hasteado a bandeira da Arábia Saudita para uma comitiva bem mais numerosa que a dos magistrados e seus acompanhantes: membros da elite saudita haviam reservado a suíte presidencial e alguns dos quartos mais exclusivos. Estavam na cidade para uma festa de casamento realizada no The Plaza, outro hotel estrelado a três quarteirões dali.

Salomão não teve oportunidade de se despedir do colega Mauro Campbell Marques, que saiu para o aeroporto mais cedo do que ele. No porta-malas da SUV que foi buscar o ministro amazonense do STJ e sua família, há uma grande sacola com o nome Rebag. A grife, na Madison Avenue, é um brechó de bolsas de luxo. Uma Chanel modelo Bi Coco Flap, pequena e (pouco) usada, custa 2.330 dólares na loja. O chofer bate a porta e o carro leva Campbell e seus acompanhantes para o aeroporto JFK, de onde voariam para o Brasil a tempo de dar expediente na terça. Acabou o feriado. Agora só restam outras 87 folgas para os ministros do Judiciário brasileiro – algumas, certamente, com convescotes semelhantes ao marcado para a semana do Halloween na Big Apple.

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Vergonhoso. Tem que surgir alguém que impeça, definitivamente, esse tipo de conduta. Ou que motive o povo a se sentir na obrigação de ir às ruas para protestar e cobrar providências das autoridades competentes. Chegamos ao fundo do poço.

  2. Fico pensando o que passa pela cabeça de um diplomata brasileiro que se presta à motorista das Excelências. Judiciário, um dos poderes mais corruptos do Brasil.

  3. Não é à toa que os ministros precisem umentar seus salários. Que firma boa essa., não? Eu não daria . Quem não está contente que se demita. DUVIDO!!!!!

  4. Imagino as conversas em paralelo. Aliás, não fossem por elas não haveria nenhuma necessidade desse "turismo extemporâneo" de suas excelências em "Big Apple". Nosso Direito nem sequer se aproxima da consuetudinariedade do Direito Estadunidense, infelizmente!

  5. Excelente título e reportagem, digna de filme de terror, toda vez que relatos desses surgem, sempre me levam a refletir como é assombroso a qualidade do atendimento médico da população que depende do SUS. Indignado em ter que manter essa classe de pessoas como representantes de nossa nação, a constituição é distorcida, fatiada e ignorada.

  6. A sociedade civil precisa se organizar e despejar uma enxurrada de ações populares em cima desses caras, para discutir desde "carros consulares" até remunerações acima do teto, passando pelas relações espúrias deles.

  7. Crusoé assume o posicionamento da VEJA dos bons tempos. Somente ela nos traz os bastidores do Poder com todos os descalabros contra a Nação brasileira. Continuem assim, tenho muito orgulho de der assinante dessa revista. No meu entendimento a única sem "rabo preso".

  8. Isso é incrível, estou impressionado de ver como somos feitos de idiotas todos os dias. infelizmente ficamos nas mãos desses "Ministros" que nunca pensam no pais, somente na boa vida que nós brasileiros pagadores de impostos proporcionam. São bandidos que jugam bandidos. Que Deus nos abençoe.

  9. Esses pilantras são os donos do Brasil, pelo menos é isso que pensam. Daí não tem nenhuma vergonha, respeito ou outro valor moral que o cargo deveria exigir. Até quando?

  10. parabéns pelo trabalho de vcs. É o que me resta dizer. Em outros tempos, jamais saberíamos quão podre é o nosso judiciário.

  11. Na verdade a viagem de V.S.as Excelências não custou muito ao Estado, além da atenção dos funcionários e uso dos carros da Embaixada. O pior é saber que juízes frequentam bocas livres como esse com suas famílias e todo mundo acha normal, faz parte do pacote. Se isso não é no mínimo Lobby, não sei o que seria. Vergonha esse nosso judiciário, de cabo a rabo.

  12. E AINDA QUEREM FALAR DO USO DE 3 MIL REAIS PELO MAGNO MALTA PARA IR AO HOSPITAL NO DIA DO ATENTADO AO BOLSONARO...FICARAM COM INVEJA DO CABRAL E REPETIRAM A DOSE EM NOVA YORK...ENQUANTO ISSO CABRAL E FAMÍLIA CONTINUAM A VONTADE

  13. Agradeço por toda esta informação.... difícil de digerir; nós brasileiros da classe média, " trabalhadora", pagadora dos impostos, que se negam a dar o" jeitinho brasileiro" já não temos mais "estômago" náuseas e vômitos nos acompanham anos "à fio"....vamos continuar na luta, criar um novo paradigma. Insuportável, desrespeitoso é a conduta dos "Magistrados"!

  14. Agradeço por toda esta informação.... difícil de digerir; nós brasileiros da classe média, " trabalhadora", pagadora dos impostos, que se negam a dar o" jeitinho brasileiro" já não temos mais "estômago" náuseas e vômitos nos acompanham anos "à fio"....vamos continuar na luta, criar um novo paradigma. Insuportável, desrespeitoso é a conduta dos "Magistrados"!

  15. Quando vejo isto, percebo que a revolução e sacrifícios de Tiradentes devido ao "quinto dos infernos" foi em vão.... Este fardo sobre a nação será impossível de se libertar.

  16. Isto tudo é uma vergonha para o povo brasileiro. Até quando teremos de suportar isto? Cada ministro deveria pagar do seu bolso esta despesa. É isto que esperamos dos juizes brasileiros?

  17. Sabe do ditado popular, quando a ignorância é uma benção, que falta me faz após ler esta matéria. Os detalhes da sordidez do cigarro/charutaria me intoxicou, que nenhum "benefício colateral" se dilui.

  18. vejam só de onde surje a promiscuidade entre o judiciário e os empresários e advogados, simplesmente o cidadão brasileiro esta perdido com esse nosso judiciário.

  19. Espetacular reportagem . Chico e a Crusoe estão de parabéns . Não existe nenhum outro periódico com a qualidade jornalística da Crusoe , hoje , no Brasil .

  20. Esses Jecas, representando o Brasil em NY, esse Salomão, falando grosso com o empregado do hotel, é a mais explícita face da cafajestagem brasileira, tipo exportação. Dando tapinhas costas do corrupto Gilmar. Imaginem a conversa dos funcionários do hotel depois, devem achar que somos uma espécie de Guiné, capitaneados por mafiosos baratos que viajam para desfilar seu orgulho arrogante de corrupto. Fomos e ainda somos, mas não mais.

  21. Estes sāo os safados que cuspiram na cara dos cidadaos contribuintes se auto outorgando um aumento brutal de salario enquanto quem paga a conta está comendo o pāo que o diabo amassou,. Quem eles pensam que sāo? Sábios ungidos por Deus? Nāo sāo nossos empregados, funcionarios publicis se locupletando com nosso dinheiro graças a uma constituiçāo feudal que eles chamam de cidadā! Está na hora do novo presidente liderar uma revolta nas leis para colocar esta turma no seu devido lugar.

  22. Quando era acadêmica de direito lembro de uma grande comoção porque um banco patrocinara um congresso da magistratura. Hoje estas coisas são feitas as claras. Benefícios colaterais não custam nada ao povo brasileiro? Desculpe, mas não é só o que sai do erário que nos custa. Estes benefícios colaterais nos causam incomensuráveis prejuízos colaterais.

  23. Uma relação espúria de quem se entende acima da moral e da lei. Por um STF composto de juízes de carreira, sem penduricalhos! Querem fazer eventos de estudo? Façam-no por meio de suas associações e SEM PARTICIPAÇÃO de ADVOGADOS. Será que é tão difícil? Não é aceitável que presumam que a sociedade deva servi-los! Já se vai longe o tempo de que homens probos se ocupavam do múnus público na polis. Agora, além de todas as benesses, mesadas de escritórios são "necessárias"

  24. Somente uma pergunta; os magistrados da mais alta corte americana também fazem essas convenções em outros países? Por favor se alguém souber e puder me informar eu agradeço. Obrigado.

  25. Além de não cuidarem corretamente do judiciário Brasileiro, mostra que não cuidam nem da própria saúde, com essa fumaceira que foi informada na reportagem. Parabéns pela reportagem, bastante investigativa, apesar de por um breve minuto ficar feliz pela informação que não estavam gastando dinheiro público, lembrei da máxima "não existe almoço grátis", logo, pode ser que essas viagens pagas por outras, gerem solicitações de favores posteriores que podem custar muito caro ao povo brasileiro.

  26. Um acinte, absolutamente vergonhoso. É um mundo paralelo bancado pelo dinheiro público e inacessível aos verdadeiros donos do dinheiro, mas que importa isso? O importante é se esbaldar. Um presidente de fato comprometido com a sociedade e sem nada a temer vetaria sem pestanejar a aberração cometida por um congresso irresponsável.

  27. Querem que a gente se informe, esteja atento ao que acontece em nosso País. Pergunta : para que? ficar PUTO DA CARA e ver que a PUTARIA CORRE SOLTA e NINGUÉM FAZ NADA ?? É isso ??

  28. Acho que poucos entenderam aqui que as despesas são pagas pelos organizadores, aem troca de palestras gratuitas. Não são despesas pagas pelo governo brasileiro.

    1. O problema não é esse... e sim a indecente relação incestuosa entre esse ministros e as grandes banca de advogacia.

    2. em parte sim, visto que usaram veiculo oficial da embaixada brasileira.

    3. E creio que todos entenderam também que isto não influencia em nada as decisões dos meretíssimos 🧐🤐

  29. São os guardiões da constituição!!! Acima deles só Deus!!! Isso é democracia??? Esses velhotes sugam os brasileiros!!! Tem que mudar isso, não podemos ficar nas mãos dessa gente!!!!

  30. E o povo desempregado morrendo na fila do SUS !Essa gastança é assassinato!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Essa gente por mim morreria na fogueira!

    1. Infelizmente vc tem toda razão.....são os sanguessugas da Nação e do Povo tbm...pois é...tem quem transpire a camisa pra eles...

  31. Claro que não vai acontecer mas, devia. A dissolução de uma corte que de relevante tem apenas o nome, supremo, Talvez se o povo conseguir expulsar o gilmar mendes os outros ficarão com o cu na mão e a bagunça e desrespeito ao povo diminuirá. Os "onze", definitivamente não fazem falta ao País, ao contrário nos envergonham"

  32. Algumas boas PECs aprovadas no Congresso-2019, é o que o Judiciário merece. De preferência acabando conta essa absurda, e única no planeta, 4a. instância, o STF.

  33. Varias contradições, começando pelo fato de um país pobre bancar estes que se acham e são uns bregas. Se o judiciário brasileiro é americano conversam tanto, por que o brasileiro não aprende nada com o americano, pra começar pela ética, indo até os HCs para bandidos amigos.

  34. Podemos considerar que Atibaia e Guaruja são benefícios complementares para o Lula? Caso positivo, os convivas de NY não deveriam lhe fazer companhia em Curitiba?

  35. Pobre o país que tem uma corja como esta de ministros de um tribunal que deveria ser superior, mas que não passa de um lupanar com quengas da pior laia.

  36. Com altos salários e tantas benesses as custas da nação e trabalhar pouco pelo cidadão comum isso é um verdadeiro deboche!!

  37. .....em nenhuma democracia do mundo o judiciário goza de tantos privilégios.......é um acinte !!!! Nos EUA a mais alta corte é muito mais sóbria........

  38. Ora pois, penduricalhos de cá, penduricalhos de acolá, diria um Português. Imposto de renda free... Êita vidão bommmmm tem esses poderosos do judiciário, sô, diria o humilde caipira daqui. Hehehehe

  39. Pena que o locutor desta matéria pronuncia "Financial Times" literalmente em português ... pensei estar ouvindo algo relativo a times de futebol ... risos

  40. Quase perto de minha "mansão" de 2 quartos na East 65 esquina com Park. Toda semana em NY tem graudos do governo, Congresso, Judiciário, "trabalhando pelo bem do Brasil".

  41. Tudo o que foi relatado, é legal. Mas para um País tão carente, injusto e desigual, fica a pergunta. Onde suas excelências estão com a cabeça exigindo e defendendo aumento de salário, já contando com uma vida que 99,9% dos brasileiros jamais terão.

    1. são imorais , só isso é eles nem se importam em serem vistos assim pela população

  42. Tenho uma idéia de castigo para servidores públicos que se aproveitam do dinheiro e das mordomias do Estado. Fazerem uma temporada anual obrigatória de realidade miserável brasileira, morando, cozinhando, limpando, vivendo e trabalhando como a maioria dos brasileiros e usando os serviços do Estado. Nunca mais seriam os mesmos. Viver só de salário e trabalhar para conquistar essa miséria todo dia os transformaria.

  43. Sempre aprendi em casa (na pequena Rio Claro-SP) em família e depois em muitos anos trabalhando em uma grande empresa multinacional, que devemos seguir exemplos e sermos exemplos de educação (tratar bem todas as pessoas), de caráter, de honestidade, de ética, de comportamento e isso sempre funcionou e ainda funciona na minha família! Mas pelo visto para suas excelências isso não existe, se acham seres superiores, acima do bem e do mal... eles ainda não perceberam que as coisas estão mudando..

  44. Por essas e outras é que o falecido ACM dizia que era preciso "abrir a caixa preta do Judiciário". Ele sabia bem do que falava, embora o fazia por motivos chantagistas...

  45. Enquanto a Justiça brasileira não for investigada a exemplo dos outros poderes,teremos que engolir esses fatos.Espero que nossos juízes não amarrem guardanapos na cabeça.

  46. Sabia que era assim. Mas vocês descrevendo essa imoralidade parece pior ainda. É de um descaso tão grande pelo povo que paga esses seres horrorosos, indignação e raiva é pouco. Precisamos fazer alguma coisa.

  47. Parabéns Crusoé pela reportagem, só vocês para mostrarem a verdadeira notícia sobre esse bando de togados que só vivem para extorquir nosso dinheiro. E quem pode conter esse bando?

  48. Me deu tanto nojo destes "Supremos", quanto estou tendo de certas Excelências, frutos de um aulicismo concurseiro. Precisamos urgentemente de uma profunda reforma do Judiciário brasileiro!

  49. As pessoas não têm noção da promiscuidade desse pessoal e da extensão do chamado "benefício colateral". Uma patifaria só em que todos estão envolvidos a tirar o máximo de proveito.

  50. Supostamente o Ministro deveria ser o primeiro a cumprir a lei, mas vai lá para fora e dá esse show de arrogância! Tudo tãooo brega! Indicados para cargo de Ministro deveriam ser concursados e ainda teria que ter recall! No Executivo há eleições, no Legislativo tb... Até os servidores públicos podem perder o cargo após processo administrativo... P q os Ministros devem ficar por lá até a "expulsória"?

  51. Que MORAL esses CANALHAS TEM para dizer se A B OU C está errado, se está roubando ou desviando?! GENTE ISSO É UMA PUTARIA! É FAZER O BRASILEIRO DE IMBECIL! É CUSPIR NA CARA DO POVO QUE PAGA SEUS SALÁRIOS! Aliás esses salários precisam ser revistos e DIMINUÍDOS! CANALHAS

  52. É de uma breguice o comportamento dessas incelênças, que eu fico envergonhada daqui... E vai lá para NY desrespeitar a lei local?!?!

  53. Que lambança mais porreta hein meu amigo Diogo Mainardi. Depois chegam aqui impondo respeito e tudo o mais e l[a fora soltam as lebres dos desejos. Comenta isso por favor Diogo, vc que conhece bem essa escumalha.

  54. É simplesmente repugnante ver esses "reis" tripudiando com toda essa cena nababesca, à custa do contribuinte. República de bananas, sem dúvidas.

  55. Dá nojo..Uma pessoa disse que eles podem fazer o quê quiser com o dinheiro deles. Já parou para fazer as contas dos gastos..das propriedades. E pior?? Ministros, Juízes, Advogados, todos juntos...( Ah vc vai dizer que não pode??).Sendo os personagens juntos, dá para imaginar, que para ajudar o Brasil, não é!!! Hoje com tantas notícias assim...Eu estou quase desistindo e voltando a alienação....sofro menos...O STF+O Congresso+Senado... não irão facilitar, em 2019....E tbm a grande mídia..

    1. Não o fazem com o próprio dinheiro, mas por meio do prestígio associado ao cargo público exercido -- ao qual não ascendem necessariamente por mérito, mas decerto por interesse político. Não à toa, a sabatina no Senado é uma PIADA semelhante à conversa de comadres.

    2. esse é o problema. Não fazem com o dinheiro deles. Salvo as comprinhas. outra coisa é essa relação entre grandes bancas de advogados com os ministros. Só isso já é motivo de observação.

  56. Quanto mais ignorante o povo de uma nação mais fatos como esse se tornam comum. Porque será que as outras mídias não noticiam isso?

  57. Há Ministros que confundem vitaliciedade com um título de preguiça e fausto remunerados. Não podemos generalizar. A polícia da imprensa da própria profissão fiscalizando a seleção das competências, a investidura nos mais altos cargos judiciários, alcança algumas vezes verdadeiras vocações prêmio ao estudo, à probidade e ao caráter. As exceções, contudo ainda são em grande número e berrantes, sobretudo onde o processo seletivo obedece a influências perversoras da política. É o nosso caso.

  58. Essa gente tem a mentalidade dos escravocratas do partido "Democrata" na Guerra Civil Americana (na verdade, a mentalidade deste partido nunca mudou). Socialistas, Social-Democratas, Trabalhistas, Desenvolvimentistas, Confederados, Fascistas, Nazistas, o resumo da mentalidade é um só: Es-cra-vo-cra-tas.

  59. Eu soltaria fogos de artifício se as palavras de Eduardo Bolsonaro fossem concretizadas: "FECHAR O STF COM UM CABO E UM SOLDADO". Fala sério? Isso não é música no ouvido do povo brasileiro? Além do STF e Gilmar serem as coisas que o povo mais odeia, aquele chiqueiro é a 'instituição' que o povo não somente despreza, mas não respeita! Quem não gostaria de ver aqueles urubus serem chutados de dentro do STF, saindo corridos com as togas ao vento?

    1. Fechar o stf com um cabo e um soldado não "pode". Mas que tal uns 60 milhões de brasileiros? Aí acho que pode, não?

    2. Ah, se todos os políticos brasileiros fossem de alto nível como o Eduardo Bolsonaro.

  60. Talvez, uma parcela considerável da população tenha bronca dos militares brasileiros. Mas, essa bronca deveria ser única e exclusiva do poder judiciário, um poder que tudo pode, mas está apodrecido no Brasil. Fazem o que querem e os incomodados que se mudem. Vergonhosa a atuação das cortes superiores. Gastam nosso suado dinheiro sem qualquer constrangimento. De uma maneira ou de outra teremos que acabar com o abuso e desvios desses canalhas que só mancham a bandeira do Brasil. Fora canalhas.

  61. A vida desses vermes é semelhante à de ditadores. Precisa ser feito uma faxina no Judiciário e isso é muito fácil, só comparar o padrão de vida de cada um com suas rendas e qualquer um Juiz de Tribunal Superior não pode ter parente próximo advogando.

  62. A descrição da imagem da primeira cena do fumante já resume tudo: ‘o vício em não se cumprir a lei!’ Com o adendo de que, ao final, um mero cigarro ter-se transformado em charutos e mais charutos. Tudo bastante simbólico. Narrativa cirúrgica! Uma peça de arte com a acuidade capaz de descortinar todo um emaranhado paralelo de poder, camuflado por meras amenidades é coincidências! Obrigado, Crusoé, realmente sensacional.

  63. Nós, brasileiros, cobramos muito pouco, não fiscalizamos nossos servidores públicos e eles, perdem a noção de ética quando tem o poder e o dinheiro.

  64. ...E ainda vão receber aumento? Vida boa. E nós, simples mortais, aqui na terrinha aguentando o dia a dia pavoroso que o PT criou. Justiça é justiça!!!

    1. Fico eu cá pensando: será que até quando, 200 milhões de brasileiros, pagadores de impostos, assistirão passivamente a este tipo de esbórnia da elite do judiciário brasileiro?

  65. É muita mordomia para não fazerem ABSOLUTAMENTE nada nesse encontros, que parecem mais como desculpas para "darem um rolé" pelo mundo, usando aquilo que não é deles: o nosso dinheiro.

    1. Sem duvida, vida comparada a ditadores que usurpam dinheiro do seu povo para viver na riqueza. Precisamos de uma verdadeira faxina nos tribunais superiores que de superiores não condizem nem com a letra maiúscula.

  66. Primeiramente, acabaria com a farra do 1/5 constitucional, só me representa aquele ministro que sentou a bunda na cadeira, estudou e mereceu o cargo(continuo com a minha amassada)! Quando esses homens vão se autogovernar com o respeito ao cargo que ocupam?! Minha esperança está quase, juntando -se aos finados!

  67. H'a muito que se sabe que esses canalhas advogados e juízes dos chamados tribunais superiores dividem essa mordomia bandida. Se acham acima de tudo e de todos. Sao prepotentes e se aproveitam do dinheiro publico para chafurdarem na mordomia nojenta e desaforada. O unico pais do mundo em que juízes de 2a. instancia e dos tribunais superiores da corte de brasília são chamados de desembargadores e de ministros respectivamente. Com esses títulos afrontam os cidadãos de bem e honestos. Uma vergonha!!

  68. E pensar que teremos que amargar uma conta pesada para aumentar os salários desses "coitados" que estão sem os devidos reajustes. Esse aumento deve mesmo estar fazendo falta a essa elite. Já o povão brasileiro não precisa, né? Pra que se não faz compras em New York...

    1. Vou ser vulgar ! Como esses ministros cagam na cabeça do povo brasileiro

  69. Tudo é um deboche, e ainda debocham daqueles que sustentam suas vidas. Estes encontros servem também para acertar as sentenças ou a falta delas com advogados enriquecidos por criminosos. É muito nojento, asqueroso.

  70. Estou procurando uma palavra para definir estas pessoas e não consigo. Todas são muito leves. Mas a hora delas chegará!!!

  71. Quanta imoralidade, vergonhoso e dar asco, náuseas, nojo, repúdio. Seria interessante uma reportagem, se possível, sobre os juízes da Suprema Corte dos Estados Unidos.

    1. Gostaria de ver isto.Num jornalismo sério, um comparativo: salários, gastos, custos, estruturas de apoio de ambas Cortes, custo total para os contribuintes, atributos necessários, etc.... Se Crusoe pudesse nos trazer este comparativo.

  72. A canalhada se reune em nome de um seminário chapa branca para combinar estrategias futuras para libertar seus clientes. Eventos da FGV podem ser realizados em SP. Mas como poderiam se encontrar todos estes abutres para confabularem sobre temas nada republicanos - para dizer o mínimo - e definirem estrategias para libertação dos presos de sempre . Como minar a lava jato ??? Sem dúvida foi um Halloween e tanto, no encontro destes vampiros nacionais .!!!

  73. Asco dessa gente! Nos enxergam como um bando de "zé-roelas" e estão tal qual o cavalo de 7 de setembro em desfile, para o que pensamos deles. Já disse o sr. Gilmar do alto de sua onipotência citando Quintana: "...eles passarão... Eu passarinho!". Lamentável...

  74. Fala-se muito da caixa preta do BNDS, mas ao que parece, esquecemos de abrir a caixa preta do Judiciário. Os escândalos são inúmeros, temos um Judiciário moroso, ineficiente, sem nenhum controle externo. Em nome de uma "política judiciária" inexplicável e injusta, várias demandas são abortadas em sede monocrática e em vista de não preencherem pressupostos e filigranas jurídicos, tudo para negar a prestação jurisdicional e abreviar o trabalho dos "supremos" e "superiores". Uma vergonha!

    1. Será que se fizermos uma campanha pra que o novo presidente crie um órgão regulador e com ampla liberda de para fiscalizar os órgãos de Justiça afinal ninguém deveria estar acima da lei muito menos esses que dizem gua diaos da constituição, algum órgão tem que pôr limites nesses que julgam deus

  75. Outro absurdo. Que vergonha de ser brasileira tive agora ao ler essa matéria e saber como funciona as nossas CORTES SUPREMAS. Nojo é a palavra. Enquanto milhões de brasileiros passam fome,vivem miseravelmente e milhares deles estão desempregados.É ,de fato, o STF precisa de aumento salarial. É piada que chama.

    1. O aumento do Judiciário e a sua votação às pressas pelo Senado é mero expediente de chantagem da banda podre de Brasília, junto ao novo governo. Holerite no Brasil de S.s. Exas. é vale refeição e teto do funcionalismo é plataforma de voo!

  76. É a Nomeklatura brasileira. Uma seleção de membros bem acima da lei e de qualquer suspeita com todos os previlégios que sabem usufruir. As despesas do evento são pagas pelo governo brasileiro com dinheiro dos contribuintes e, certamente, as contas pessoais e as estravagâncias são pagas com cartão corporativo e com as ricas diárias que recebem..

  77. É um escárnio a conduta dos nossos juízes. Verdadeiro deboche. E não há instância que dê jeito. Só a Divina, que ainda há de conduzir a todos eles direto pro inferno, sem escala no purgatório.

  78. Não consegui chegar ao fim da reporta gem me fez mal, saber que somos nós que pagamos por essas mordomias, nada contra se tivéssemos homens honrados. No entanto....e depois desse aumento onde temos um país endividado, desem prego... não é a toa que querem se dar esse presente, afinal pra manter esse esti lo de vida alguém tem que pagar a conta e parece que mais uma vez seremos nós os otários é pra cabaaaaaaa

  79. Uma verdadeira afronta ao cidadão brasileiro.E o pior:sentem-se intocáveis.Que se aplique a Lei,também, sobre o Judiciário.O "novo" Congresso tem essa "responsabilidade".

  80. Parabéns pela reportagem, acho muito salutar escancarar as mordomias dos nossos funcionários públicos. Isso é jornalismo de verdade!

  81. ...e ainda por cima aprovam o próprio aumento de salário em 16%. Mas vão ficar em prisão domiciliar quando não estiverem nos tribunais. Vaias nas ruas e restaurantes serão constantes, para não falar da possibilidade da comida vir com uma cusparada como tempero especial.

  82. Parabens ao jornalista pela reportagem.Fiquei estarrecido ao lê-la. Inacreditável. Incrível. Repugnante.Não existem palavras para descrever. Sinto-me enojado.

  83. VAMOS SUPER DIMENSIONAR ESSES EPISÓDIOS, FAZENDO CHEGAR ÀS MÃOS DO NOSSO SUPERMINISTRO SÉRIO TAMBÉM, PAULO GUEDES, PARA ELE POSSA, ASSIM QUE ASSUMIR SEU MINISTÉRIO, JÁ TER EM MÃOS, MATÉRIA RELEVANTE COMO ESSA, PARA SEM COLOCADAS EM COBRANÇA. ASSIM, ESPERO, QUE CRUSOÉ POSSA DEMONSTRAR A QUE VEIO

  84. Uma sugestão minha: Que a próxima reunião dessa "comitiva" ocorra no cume de um dos morros do Rio de Janeiro. Local mais que adequado para esse tipo de convescote.

  85. Dá dor no peito tomar conhecimento dessas regalias para essa elite do Judiciário. Vivemos dias difíceis, num país carcomido pela corrupção e descaso público. Bom seria se a Crusoé liberasse as informações contidas na reportagem para todos, assim, muitos teriam a noção do que é a elite do Judiciário Brasileiro.

  86. Nesta mesma viagem, em evento privado com agentes do mercado financeiro, organizado por celebrada corretora brasileira, o Ministro Dias Toffoli vociferava, cheio de orgulho, a respeito das facilidades que a toga proporciona na conquista de mulheres. Mais um exemplo do surrealismo brasileiro, mais do que bem representado no Supremo.

    1. Se a Toga é, para ele, investimento junto às mulheres, essas são para si uma grande Financeira! Adepto das triangulações mais literais de ‘O Triângulo no Ponto’, de Eros Grau! Um verdadeiro ‘ménage’ em série, com seu dinheiro, mulher e ex-mulher.

  87. Quando leio uma notícia dessas me da vontade de vomitar sem parar.... da nojo ver essa corja FDP se divertindo com o nosso dinheiro 😡

  88. Parece que 99% dos comentários é de gente que não leu a matéria direito e não entendeu que a viagem dos digníssimos foi custeada pelos organizadores do evento.

    1. Igualzinho as palestras de Lula, sitio de Atibaia etc

    2. E parece que apenas 1% não entendeu as relações promíscuas que isso possa ter implicado!

  89. Hora de gritar no ouvido de Bolsonaro. Isso dá nojo. Meu Deus esses caras pensam que vao ficar eternamente aqui na terra .

  90. O Olimpo ficou desfalcado de seus deuses no feriado!!! Estou cansada de bancar o luxo insaciável de funcionários públicos, e agora mais 16% vai pra nossa conta. Passou da hora de cortar privilégios de servidores públicos e trata-los como trabalhadores comuns.

  91. Quando leio uma notícia dessa! Faço um questionamento. Será que o Brasil tem alguma chance de dar certo? Até onde os interesses pessoais sobre põe os da pátria Brasil? Muito decepcionante!

  92. O Brasil ainda mantém privilégios para algumas classes de servidores públicos como se estivéssemos numa monarquia. A indignação popular com tudo isto é outras mazelas da nação foram manifestadas nestas eleições, esperamos do novo governo uma mudança de paradigma como desejam os brasileiros, quem sabe estes e outros intocáveis entendam o que queremos para o nosso país.

    1. « L'État, c'est moi » é o lema do beiçola e sua corriola.

  93. O tema central das palestras versava a visão econômica do direito. O próprio Dias Toffoli, querendo demonstrar erudição em meio a críticas aos juízes de 20 e poucos anos, teria dito que, em um primeiro momento, as fórmulas e cálculos herméticos da Revista de Direito da Un. de Chicago lhe causaram espanto, como se corroborasse a tese de que com mais ‘experiência’ decifram-se enigmas jurídicos. Por essa esfinge não seremos devorados. Os vícios escondidos nas firulas estão sendo descortinados!

    1. como já falei, um bom concurso público faria bem ao Sr. Dias. concurso para juiz.

  94. O que chamou a minha atenção são os detalhes relatados por alguém que a tudo isso descreveu de uma situação/localização muito próxima das diversas cenas.

  95. O pior é ver pessoas tirando sarro de monarquias para apoiar repúblicas presidencialista. Com certeza monarquias parlamentaristas são mais baratas do que essas repúblicas onde qualquer autoridade é mais importante que qualquer nobre! Vergonhoso!

  96. Vergonha para quê, afinal trabalham pensando apenas no próprio umbigo, são poderosos, fixam os próprios salários, soltam e prendem quem quiserem, o cidadão se arrasta na lama da miséria para que os Juízes se refestelem sem nenhuma vergonha, honra ou moral. A nossa sede de justiça será saciada. Ficamos a mingua para sustentar canalhas inescrupulosos.

    1. Só faltou ele dizer a célebre frase: "sabe com quem está falando?".

  97. E assim a pobre sociedade brasileira que compõe uma República mastodôntica na sua estrutura, atrasada nos seus conceitos e com gerência essencialmente patrimonialista, ainda pode ser denominada pelo velho e desgastado clichê xcce "república das bananas". Parece não havermos aprendido nada com a modernidade do mundo desenvolvido. Mas, claro!, aqui, do lado de baixo, todos entendemos o porquê de um ministrinho de um supreminho, constantemente, adotar atitudes permissivas com o crime.

    1. Eles são intangíveis. Não é à toa que estão no Supremo. Portanto o "rei" é inimputável.

  98. Dá vontade de vomitar... quando este povo dar exemplo???? Quando???? E ainda se dizem os guardiões da constituição e dos direitos do POVO!!! Façam-me rir!!!! Duro viu???

    1. Simplesmente nojento. Que Deus os tinja de muita dor é tudo wue podemos desejar.

    1. Sim, mas o iPhone está ficando cada vez mais caro. Salário de ministro não paga mais.

    2. Acorda! É tudo na faixa. E tem mais, o aumento é troco de pinga.

  99. É de desanimar e de perder a esperança . Viver no meio de “ simples “ juízes e promotores e ver que nn trabalham , que vivem de férias e compensações e se acham poderosos pois fizeram concurso e o -“ resto “ não vale não merece nada - é duro , é de adoecer . Hoje principalmente depois do “ aumento “ , acordar e ler esta reportagem nn dá vontade de sair da cama e trabalhar .

    1. Tb sinto isso...é uma vergonha e um escárnio sem precedentes...são um bando de aloprados se lambuzando do dinheiro e interesse públicos

    2. Ehhh, tem um beiçola que adora mordomias e dar pitacos na política, posando de "professor de Deus".

    3. Quem disse que fizeram concurso? A grande maioria são comissionados indicados pelo PT.

  100. Uma verdadeira orgia com dinheiro do contribuinte !!!! Compatível com a imoralidade da “ excelências “ das cortes superiores . Verdadeiras prostitutas de quem os alçou a essa “ boquinha “ arranjada .

    1. Eles não sentem o mínimo pudor de esbanjar do dinheiro público assim, nem ficam corados

  101. Enquanto isso, os delegados Felipe Pace e Cleyber Malta Lopes das operações da Lava Jato têm de atuar como escrivães, por falta de pessoal. Esses amam o Brasil. Os outros da reportagem se vendem por qualquer benefício torpe. E os processos prescrevem ou são engavetados.

  102. A offshore, titular do palacete nos arredores do Central Park, deve estar sediada na Ilha Fiscal. Os rega-bofes, decerto, guardam inspiração no famoso baile, com as consequências podendo tomar os mesmos rumos - o da queda de um império. As semelhanças entre os chapéus dos mestres cucas e os guardanapos na cabeça da gangue do Cabral saltam à mente. NY irmana-se a Paris muito mais do que em uma mera estátua.

  103. Só equiparável aos movimentos de magnatas russos por Londres. O Min. amazonense afunda-se em gastos na charutaria, após ter sido advertido de que era proibido fumar na frente de seu hotel. Frustração, recalque e compulsão Freud é capaz de explicar. Foge à alçada médica, entretanto, o interesse intelectual do Dr. do plano de saúde americano. Isso, só o L. F. C. - Lobby Futebol Clube - poderia dar a resposta. Aliás, como a todo o enredo desse Halloween Jurídico da ‘SINCITY’!

  104. Já na introdução se denota o apreço que têm pela lei tais homens de ‘estado’ à brasileira. ‘É a lei, cara pálida’, não há que se gostar ou não para cumpri-la. Teodorin, pelo visto, também é brasileiro!

    1. Agradeço por reportar essas coisas que Themis não pode ver.

    2. Parabéns pela reportagem. A famosa grande imprensa não divulga absolutamente nada

Mais notícias
Assine
TOPO