Alckmin e a ‘PM federal’ no Nordeste

24.08.18

Um dos principais pontos da área de segurança de Geraldo Alckmin, a Guarda Nacional seria uma espécie de Polícia Militar Federal para fazer a segurança pública sem, necessariamente, ter o aval dos governos estaduais para atuar em rodovias e zonas rurais. O plano pretende montar uma força de 5 mil policiais, subordinados ao Ministério da Defesa, só para atuar no Nordeste. A base seria em Recife. Antes, contudo, Alckmin precisaria alterar a Constituição para criar a guarda.

Adriano Machado/CrusoéAdriano Machado/CrusoéAlckmin: a ideia é colocar 5 mil homens armados no Nordeste

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

Edição nova toda Sexta-Feira. Leia com Exclusividade!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

Deixar para mais tarde

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. O que dá enjoo nesta eleição são os políticos que estão ai prometendo tudo.O Alckmin o santo, não para de fazer promessas de trazer o céu a terra, o Ciro com propostas fantasiosas e populistas, o pt não promete nada, apenas a de soltar o lula, Marina já falou de fazer turismo em massa para o nordeste, ninguém nem sabe bem o que é isto, mas de concreto mesmo parece que ela quer fazer populismo de fachada, temos tudo do mais e do mesmo.

  2. O Alkmin não quer ser Presidente. Está mal assessorado. Ele não tem DNA de " cabra macho " para invadir a autonomia dos Estados nordestinos. Esta ideia tem objetivo final suspeito. Acompanho o desenvolvimento dos cartéis mexicanos há muito tempo e estou " escutando seus sinais " por aquí. Vejam de quem partiu esta ideia. Parabéns à Crusoe por nos manter bem informados.

    1. A grande característica dele é sumir ao primeiro sinal de encrenca e só reaparecer depois que tudo tiver se acalmado, sem ter se comprometido com nada. Fraco demais para ser presidente de um país tomado por bandidos de toda espécie e que precisa de um cabra muito macho e não um ma- xuxú.

  3. Usurpar as competências Estaduais é quebrar o pacto federativo. Isto me parece uma tática já usada no México para beneficiar os cartéis " amigos ". Investiguem de onde partiu esta ideia. O PCC , paulista, nasceu , cresceu e fortaleceu-se em São Paulo e está em guerra para dominar outros Estados. Federalizar a Segurança é ter nas mãos as " torneiras do propinoduto " que sustenta os permite a atuação livre dos cartéis " aliados " ?

Mais notícias
Assine
TOPO