Alan Santos/PRNem o próprio Gentili leva muito a sério a brincadeira: o Brasil já foi longe demais nas aventuras

O país da piada

O que o lançamento jocoso da candidatura do humorista Danilo Gentili diz sobre o Brasil neste momento
16.04.21

Brasília nem existia quando uma rinoceronte de cinco anos e 230 quilos recebeu quase 100 mil votos na eleição para vereador de São Paulo, em 1959, dez vezes mais do que o candidato mais votado. Naquela época, a política paulista vivia uma década de polarização entre duas lideranças populistas – Jânio Quadros e Adhemar de Barros – e o eleitor demonstrava enorme frustração com o desempenho de seus representantes. Batizada de “Cacareco”, a rinoceronte tinha sido emprestada pela prefeitura do Rio de Janeiro para uma temporada no novo zoológico paulistano e fez um estrondoso sucesso na cidade. Foi Jânio, governador na ocasião, quem primeiro lançou a piada, dizendo que o animal seria “um forte candidato” a sua sucessão, em 1958. No ano seguinte, a brincadeira foi levada adiante por um grupo de amigos, que fez um jingle de campanha e até distribuiu santinhos pedindo voto em “Cacareco” para uma cadeira na Câmara Municipal, transformando o episódio em um dos mais folclóricos exemplos de voto de protesto no país.

Não foi a primeira gozação eleitoral produzida pelo brasileiro. Antes de “Cacareco”, um tal “Bode Cheiroso” já havia sido lançado candidato a vereador em Jaboatão dos Guararapes, em Pernambuco. Trinta anos depois, na eleição para prefeito do Rio, em 1988, uma campanha criada pelo tablóide humorístico Casseta Popular rendeu cerca de 400 mil votos para o “Macaco Tião”. Com o slogan “o único político que já está preso”, o chimpanzé do zoológico carioca foi o terceiro mais votado na disputa pela sucessão de Saturnino Braga, prefeito que havia decretado a falência da cidade na véspera do pleito. Votar em animais era possível naquele período porque o voto era registrado a mão, em cédulas de papel. Se o nome escrito pelo eleitor não fosse o de um candidato oficialmente reconhecido pela Justiça Eleitoral, o voto era considerado nulo, como ocorreu com os mais de meio milhão de votos no bode, na rinoceronte e no chimpanzé.

Com a implantação das urnas eletrônicas em 1996 – as mesmas que hoje são contestadas pelos bolsonaristas –, os votos de protesto passaram a ser endereçados a candidatos reais, que ganharam fama fazendo troça com a tragicômica crônica política brasileira. O maior fenômeno desde então foi o do palhaço Tiririca, eleito deputado federal em 2010, com 1,3 milhão de votos, em uma bem-sucedida estratégia adotada pelo notório Valdemar da Costa Neto, o dono do PL, para ampliar sua bancada e o poder de barganha mesmo depois do escândalo do mensalão petista. Mais de uma década se passou e o bordão que ajudou a eleger Tiririca – “pior que tá não fica” – se mostrou uma falsa profecia. A mazela política hoje reunida na Praça dos Três Poderes, em Brasília, colocou o Brasil às voltas com uma nova piada eleitoral, que acabou repetida nas redes por eleitores incomodados com a polarização que se avizinha em 2022, entre Jair Bolsonaro e Luiz Inácio Lula da Silva.

Acervo UH/FolhapressAcervo UH/FolhapressCacareco: rinoceronte fez sucesso nas eleições em São Paulo nos anos 1950
A piada sobre a candidatura presidencial do comediante Danilo Gentili, apresentador do SBT, surgiu com força nas redes sociais no mês passado, depois que a Câmara dos Deputados pediu ao Supremo Tribunal Federal a prisão do humorista por causa de um tuíte publicado por ele contra a votação da chamada PEC da imunidade parlamentar – aquela que pegava carona na prisão do deputado Daniel Silveira, por ameaças a ministros do STF, para ampliar a blindagem aos congressistas. “Eu só acreditaria que esse país tem jeito se a população entrasse agora na Câmara e socasse todo deputado que está nesse momento discutindo PEC de imunidade parlamentar”, escreveu Gentili na ocasião. A Câmara recuou do pedido de prisão, mas a Procuradoria-Geral da República defende que Gentili seja banido do Twitter.

Em mais de uma oportunidade, como em entrevista para O Antagonista na semana passada, o próprio comediante caçoou da candidatura presidencial. “Não sei se eu quero ser essa piada”, afirmou. Mas nunca deixou de dar vazão, como ele mesmo diz, à brincadeira. Em uma live do Movimento Brasil Livre, há cerca de um mês, ele até admitiu entrar para a política. “O pessoal começou a levar a sério mesmo”, disse. “Eu falo que daria para entrar nisso se tem uma equipe forte por trás, que você se identifica, pessoas em que você acredita, porque você não vai chegar lá para virar um boneco”, completou. A declaração empolgou algumas lideranças do MBL, de quem o humorista é amigo desde 2014, quando foi fundado o grupo que coordenou grandes protestos de rua pelo impeachment de Dilma Rousseff. Além de antipetistas, Gentili e o MBL se tornaram inimigos do bolsonarismo quase que simultaneamente, em 2019, depois que começaram a criticar as contradições de Jair Bolsonaro, para quem haviam pedido voto no ano anterior.

O coordenador nacional do MBL, Renan Santos, decidiu, então, testar o potencial eleitoral do comediante. Uma sondagem foi contratada junto ao Instituto de Pesquisa e Estratégia, que ouviu dois mil eleitores por telefone. Danilo Gentili apareceu com 4% das intenções de voto, mesmo percentual alcançado pelo governador João Doria, pelos ex-ministros Luiz Henrique Mandetta e Ciro Gomes e pelo apresentador Luciano Huck. João Amoêdo, do Novo, tem 3%. Ou seja, com um mês de piada sobre sua candidatura, o humorista aparece empatado em terceiro lugar com todos os outros nomes de centro considerados fortes na corrida ao Planalto. Bem à frente do bloco estão Lula, com 36%, e Bolsonaro, com 31%. Renan classificou o desempenho de Gentili como uma “esperança” para a terceira via, que vê hoje todos os demais candidatos patinarem.

“Estamos sem pai nem mãe no debate nacional. O centro não tem discurso e tem um comportamento político errático. O Danilo é hoje, sem dúvida, o maior influenciador nesse caminho do meio, entre petistas e bolsonaristas. O discurso dele tem aderência. Se você tem um candidato como Lula de um lado, ex-presidiário, e um cara como Bolsonaro do outro, por que não o Danilo? É possível construir essa candidatura e nós colocamos essa provocação na mesa”, diz Renan Santos. Para ele, a eleição de Bolsonaro em 2018, centrada nas redes sociais, ferramenta que tanto Gentili quando o MBL dominam, mostra que o que hoje é visto como piada é algo politicamente viável. O MBL já demostrou força eleitoral via redes, ao eleger o deputado Kim Kataguiri em 2018 e colocar o deputado estadual Arthur do Val, o Mamãe Falei, à frente do petista Jilmar Tatto e colado no bolsonarista Celso Russomanno na eleição para prefeito de São Paulo no ano passado.

Vinícius Loures/Câmara dos DepuadosVinícius Loures/Câmara dos DepuadosO palhaço Tiririca funcionou como puxador de votos para o PL
A Crusoé, Gentili disse que a brincadeira da “candidatura presidencial”, por si, já contribui para o debate político. “Se de alguma forma o meu trabalho no humor ajuda as pessoas a pensarem sobre o tema e movimenta a vigilância popular em cima dos políticos, eu acho que, apenas isso, já é uma grande coisa para um simples humorista”, afirma.

O cientista político Humberto Dantas, coordenador do Centro de Liderança Pública, enxerga o desempenho do “presidenciável” Danilo Gentili, tanto nas redes sociais quanto na pesquisa do MBL, como um reflexo da incapacidade dos partidos de centro de construírem alianças sólidas em torno de um projeto de país que seja sério e, ao mesmo tempo, minimamente palatável e compreensível ao eleitor. “Com a devolução dos direitos políticos ao Lula e a aliança do Bolsonaro com o Centrão, esse chamado centro democrático se viu inviável para 2022. Se ninguém surge com força, como uma alternativa competitiva, as pessoas começam a pensar que qualquer coisa vale para derrotar Lula e Bolsonaro”, explica. Para Dantas, a história política brasileira ensina que os chamados “balões de ensaio” devem ser levados a sério. “Tratar isso como brincadeira pode até ser parte da estratégia. Hoje, da forma como as coisas estão, nossa política parece capaz de aceitar qualquer coisa”.

O Movimento 5 Estrelas na Itália é um exemplo de como humoristas e política podem dar match eleitoral. Fundado em 2009 pelo comediante Beppe Grillo, o movimento ascendeu rapidamente com um discurso antissistema, bradando contra os vícios da velha política e defendendo uma renovação com nomes de fora do establishment. Em quatro anos, o M5S conquistou praticamente um quarto das cadeiras na Câmara e no Senado italiano e chegou a governar o país por dois anos, com Giuseppe Conte. Em 2019, o ator e comediante Volodymyr Zelenskiy, completo novato na política, foi eleito presidente da Ucrânia, desbancando o então presidente Petro Poroshenko. Para o cientista político Ranulfo Paranhos, professor da Universidade Federal de Alagoas, o exemplo italiano mostra que usar comediantes ou comunicadores populares pode funcionar. O alerta que ele faz, e que o próprio Danilo Gentili admite quando responde seriamente sobre o assunto, é que não basta discurso atraente para ganhar uma eleição sem um projeto de país.

“Uma coisa é simplificar a forma de expor as ideias e engajar a população. Outra coisa é vulgarizar as coisas a ponto de alimentar uma extrema rejeição às instituições. O comediante caminha nessa linha limítrofe, pela própria origem do ofício dele. Se ele rompe essa linha, as instituições ficam enfraquecidas e perde a democracia. Vimos isso com o próprio presidente Bolsonaro, que se apresentou como um candidato antissistema e vive atacando as instituições. É tentador querer combater um populista fazendo populismo. Eu costumo dizer que, para a política, é muito melhor ter um burocrata sisudo do que um populista cheio de boa vontade, porque o burocrata ao menos vai respeitar as instituições”, afirma Paranhos. De qualquer forma, não deixa de ser salutar ter vozes que explorem as piadas prontas da nossa política. No caso de Danilo Gentili, até Sergio Moro entrou na brincadeira. Na sua coluna publicada na semana passada na Crusoé, ele disse que o humorista “teria o seu voto”.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Tratar isso como brincadeira ou piada é irresponsabilidade, isso quer dizer que é uma piada querer tirar Nero e Lula do jogo? Comediantes subiram ao poder na Itália e Ucrânia e deu certo, por que não daria aqui? Quando Lula ou Nero estiverem no poder em 22, vocês irão olhar para trás e se arrepender de tratarem esse assunto como uma mera "piada".

  2. Em 1997, em Vila Velha (ES), a população, cansada de ser infernizada por nuvens de pernilongos, votou maciçamente no Mosquito. Ele teve mais votos que o prefeito eleito...

  3. Um País que tem como instituições desmoralizadas como um Supremo Tribunal da Farsa e um Congresso Nacional da Lama, nada como termos um Humorista inteligente na Presidência da Republica da Falsilândia!!!

  4. Gosto do Danilo como comediante mas não seria uma boa escolha pra presidente, porém num debate com Lula e Bolsonaro, ele os destruiria. Na última eleição tive q escolher um candidato do centrão, sem nenhuma contribuição real em 27 anos de congresso, q prometeu uma agenda liberal m boa mas q nos traiu. Então, se sobrar Lula ou Bolsonaro contra gentili, vou de gentili, sem dúvida.

  5. Observando os dois principais players, Lula (maior traidor e ladrão que esse país já viu) e Bolsonaro (outro traidor e um dos piores gestores que passaram pela Presidência), ainda os chamados centros (Ciro, Dória, Mandetta), realmente Danilo seria uma excelente opção. Até aqui se mostrando honesto, correto e integro, apoio Bolsonaro e, rapidamente, se indignou com os sucessivos erros. Sempre se pauta pelo correto, especialmente em suas críticas. Precisamos de alternativas, palavra e retidão!

  6. Gentili teria meu voto também. Comparado à comédia pastelão do palhaço Bozo, qualquer comediante de stand-up soa muito mais inteligente e sábio.

  7. Já percebi que currículo político é sinônimo de encrenca certa. Por que não um nome como Gentilli?

  8. Piada mesmo é ter lula ou bolsonaro. Eu apoio o Gentil. Pode montar uma equipe forte com Moro e Amoedo entre outros. Acho que seria uma ótima opção.

  9. O fato de Gentili, assim como Moro e Amoedo, terem uma carreira, uma profissão e não terem passado a vida parasitando o povo através de sindicatos, associações ou como politico de carreira, já é uma enorme vantagem.

  10. Realmente o Twitter do Gentile não foi legal. O brasileiro ainda nao percebeu q voto de protesto beneficia Lula e Bolsonaro. Precisamos de alguém com perfil urgente...terceira via

  11. Não gostei deste artigo. Achei preconceituoso. Comparar candidatura de Danilo a candidatura de Tiririca ou de algum animal é no mínimo não compreender o cenário atual. Danilo se ofereceu para ajudar no debate, sem pretensão alguma. Ele é o comediante com carreira mais sólida do país e pelos seus méritos. Nunca se vendeu ao petismo ou bolsonorismo. E foi aliciado mas não cedeu. Ele tem a minha admiração.

  12. Desde sempre na nossa democracia quem manda são os deputados e as negociatas e os brasileiros sempre procurando O Candidato. Cegueira política crônica.

  13. Longe de ser o ideal, se Danilo, no entanto, construir um governo com Amoêdo como vice, Moro na Justiça, Mandetta na Saúde, André Trigueiro no Meio Ambiente, Bernardinho na Secretaria do Esporte, Lobão na Cultura e outros notáveis nos demais cargos, o Brasil deslancha! O principal, Danilo tem: honestidade, bom-senso e humildade!

  14. Ah, que saudades da época em que a gente podia escrever o nome dos candidatos! Na falta de candidatos reais que merecessem voto, eu ficava livre pra demonstrar todo o meu desprezo por eles e escolher Margaret Thatcher, Gandhi, Winston Churchill, Ludwig Von Mises... E ficava só imaginando a cara de pastel dos candidatos ao se verem mais uma vez preteridos por grandes nomes da História, kkkk!

  15. Meu voto em 2022 já está pronto: Presidente LULA, Senador Eduardo Suplicy, Deputado Federal Tiririca. Falta só o Deputado Estadual. Espero que apareça alguém com a inteligência, ética, honestidade, cultura e educação dos que eu já escolhi para os demais postos.

  16. Eu voto Danilo 2022. Me identifico com ele. Sou anti Lula, anti Jair, acredito que a Lava Jato foi desmembrada por seus próprios réus, e que Moro e Deltan precisariam ter continuado seus trabalhos. Precisamos de alguém se passado criminoso, que possa escolher nomes técnicos para o STF e a PGR. Nosso país está perdido neste momento. O STF e a PGR estão uma vergonha. Os últimos alicerces que tínhamos, já não temos mais.

  17. Infelizmente, no desespero, as pessoas terminam levando a sério uma simples piada. Isso não ajuda, só atrapalha, E MUITO.

    1. Maurício, que parece piada, parece! Mas senhores formados em universidade, currículo Lattes invejável, sérios; populista de porta de fábrica; senhora imponente que impressionou só porque usou um "notebook" numa reunião com um presidente, mas que se tornou uma governanta... enfim! Quem sabe um jovem artista, humorista de "talk show", "stand up", escritor, cartunista, repórter, publicitário, empresário... quem sabe??? Ás vezes, é isso que está faltando! Contra bolsolulismo, voto no cão!!! Abraço.

  18. Parlamentarismo já!! Basta de impeachment de presidente maluco ou ladrão! Não importa, o que importa é o país se livrar de figuras nocivas à nação!

    1. Parlamentarismo só com voto distrital. Mas seria a melhor ideia.

  19. Presidencialismo é este lixo e esta irresponsabilidade do parlamento. Chega de eleger psicopatas e bandidos que 1 dia após as eleições não tem mais compromisso com o que disseram e são difíceis de serem defenestrados ... Parlamentarismo é bem melhor...

    1. No parlamentarismo, como o nome diz, o poder maor fica com o congresso. Imaginem um governo parlamentarista COM ESSES PARLAMENTARES QUE TEMOS! Imaginem a farra do Centrão...

  20. Brincadeiras à parte, Danilo pelo menos é mais honesto do que os dois extremistas que estão se apresentando. É claro que os desafios que se avizinham requerem um político com bastante experiência, visão, capacidade de gestão e desenvoltura para conduzir projetos de grande complexidade. Existem uns 5 ou 6 presidenciáveis que atendem a esses requisitos. Difícil mesmo é convencê-los a se unirem em torno de um grande projeto de resgate dos nossos valores, da ordem e do progresso. Esse é o desafio!

    1. Pois é, Romeu: "político com bastante experiência, visão, capacidade de gestão e desenvoltura para conduzir projetos de grande complexidade"... Só que o Brasil está nesta lambança não seria, também, por causa de políticos com esse perfil que, chegando lá, tornam-se marionetes corruptas? Quem sabe, se se mudar 180 º, a coisa, pelo menos, não piora. Contra bolsolulismo voto no cão! Abraço.

    1. Disse sim. Você não leu o artigo escrito pelo Moro na última edição? Então leia.

    1. Bolsonaro da “tiro no pé” e “cospe para cima”

    2. Quem abriu o caminho para a volta do Lula foi o próprio Bolsonaro ao enfraquecer o Moro.

    1. com toda certeza Bolsoraro é o grande culpado pela volta do Lula......ao enfraquecer Sergio Moro.....o tiro saiu pela culatra..... afffff

  21. Se o Lula se apresenta como candidato e depois de toda a roubalheira e má gestão ainda tem apoiadores, tudo é possível. Mas enganam-se os vigaristas que estão trabalhando para sua volta: o povo trabalhador responderá à altura em 2022.

  22. Se lançarmos uma pesquisa de uma nova chapa presidencial com Moro e Gentili resultado será maior que 40% no primeiro turno.

  23. Diante do nosso histórico em que os políticos não nos representam. Votaria no Gentili sim, que é inteligente íntegro e quer um país menos corrupto e que o básico funcione. Been diferente do Cacareco, macaco Tião e do Tiririca que a meu ver passou em branco e ajudou o partido do Mensaleiro a arrebanhar umas cadeiras

  24. Uma candidatura tipo Moro e Danilo seria o melhor antidoto contra esses populistas, um é paizão genocida e outro larápio e falso trabalhador.

  25. Quero um candidato de centro viável, que consiga reunir todos (exceto Bolsonaro, PT/PSOL), para um governo de reconstrução institucional. Se não aparecer ninguém, acho bom Gentille participar. Prefiro ele aos 2 trágicos.

  26. PARA QUEM JÁ TEVE COMO PRESIDENTE LULARÁPIO, DILMANTA E O PALHAÇO ASSASSINO VEJO A CANDIDATURA DE GENTILI COMO UMA OPÇÃO É CLARO APESAR QUE ATÉ O JOGO COMEÇAR PRA VALER AINDA PODEREMOS TER MORO E MANDETTA NO ATAQUE MAS NADA IMPEDE QUE O DANILO SEJA A REVELAÇÃO DO CAMPEONATO⚽️🥅. TUDO PODE ACONTECER MAS NEM PENSAR EM RETORNO PARA A PIOR ESCALAÇÃO DE TODOS TEMPOS COMO LULA🐭 E BOZ🤡🙈🙈, AÍ É PRA ACABAR DE VEZ... JAMAIS!! É SINÔNIMO DE JOGO SUJO E GOL CONTRA COM CERTEZA.🚔⚔🔪☠

  27. Gentili e Moura não merecem esse sacrifício, claro! Eu votaria neles, de olhos fechados, só se alguém da dupla lubol chegasse ao 2º turno. Aliás, voto até no cão para nunca mais revivermos o passado recente desta nação infeliz. É desanimador pensar que, em 150 milhões de eleitores, não há um que sirva! Pelo menos até agora...

    1. Gentili e Moura - é porque o Gentili convidou Nando Moura para vice e este último disse que, se o Danilo for mesmo, ele aceita... rs,rs,rs... Nando Moura é "youtuber", com milhões de seguidores (siga-o no "Youtuber"), músico, professor de música desde os 16 anos, aluno de grandes professores, formou-se na Universidade de Rotterdam. Ele também é como eu, acho: contra bolsolulismo voto no cão!

  28. Excelente reportagem. Procuramos, desesperançados um candidato do centro, mais que partido lançaria um nome íntegro? ? Precisamos de um fi há limpa, e que de quebra tenha o voto do Moro. Ele é uma alavanca poderosa para fortalecer a terceira via.

  29. O centro não consegue ter um candidato viável, para a disputa presidencial, porque tem muito muitos políticos corruptos, que só pensam em si e no poder...

    1. complementando... Se a eleição fosse hoje, e o Moro, não estivesse no páreo, eu votaria no Danilo!

  30. Pra mim é bem simples: sem a candidatura de Danilo Gentili em 2022 o Brasil certamente ficará nas mãos de Lula ou Bolsonaro. O brasileiro precisa de um elemento EMOCIONAL para votar em presidentes e Gentili é o individuo que seria capaz de usar isso a favor do próprio país.

  31. Moro disse que apoia Danilo! Tá. Se Moro definitivamente não se candidatar, sou Danilo, pq sou Moro e ... Danilo vai balançar este país... haha Se o Nando Moura estiver no governo, vai dar samba! ;) Ana Cristina

  32. o problema no Brasil é que parye da imprensa fica anabolizando o Lula e Bolsonaro. Não teremos futuro assim. esses dois names são vírus terríveis.

  33. Se o Gentilli se mostrar capaz e conduzir sua candidatura com sobriedade, teria sim o meu voto. Vou na onda do Sérgio Moro. Mas, em LULA ou Bolsonaro , não voto mesmo.

  34. A SUB-RAÇA QUE VOTA NESSA CANALHADA TODA QUE TEMOS NA POLITICA NACIONAL, DE RENAN A DILMA. SARNEY A LULA, VOTA EM QUALQUER MERDA. LOGO O STF SOLTA MARCOLA E BEIRA MAR. AI SIM UMA CHAPA DE PESO. QUE E O QUE A SUB-RAÇA MERECE.

  35. Sim, a ironia para o brasileiro de bem contra os analistas sérios que cravam o futuro como repetição do passado é que o Danilo Gentili não é a maior piada do cenário traçado para 2022.

  36. Em 2022 SÉRGIO MORO “PRESIDENTE LAVA JATO PURO SANGUE!” O Brasil finalmente terá Um Governo Fundado no “IMPÉRIO DA LEI!” Não seremos LUDIBRIADOS com o “Velho Plano de MELHORAS na ECONOMIA!” Triunfaremos! Sir Claiton

    1. "Império da lei"??? Como um presidente sério conseguiria governar COM ESSE CONGRESSO PODRE E CORRUPTO??? Seria triturado pelo "sistema" e teria que unir-se a um "centrão" de merda para governar...

  37. Como uma simples frase, perdida no contexto, revela a tendencia do articulista: "...a mesma contestada pelos bolsonaristas". Até na Crusoé abunda a esquerda.

  38. As instituições brasileiras não estão enfraquecidas , estão completamente apodrecidas , então eu até acredito que sem Moro , como terceira via , Danilo seria mesmo uma opção no meio da podridão , ele pelo menos é honesto nas suas ideias e opiniões, e num país tomado por marginais , onde tudo só piora , meu voto é dele .

  39. Como os políticos brasileiros jamais permitiriam a candidatura Moro (alguém consegue ver ratos contratando dedetização?) capaz de travar um sério combate à corrupção e inaugurar no Brasil a respeitabilidade institucional, voto em Danilo Gentille, com a maior convicção. Além de desmoralizar o stablisment político nacional, sua candidatura representa a ascensão de grupos políticos renovados, comprometidos com as mudanças ha muito sonhadas.

  40. Entre a rinoceronte, o macaco, o bode e o papagaio do Gentili, melhor ficar com a rinoceronte, em tese, traria menos despesas para o cartão corporativo da presidência.

    1. Porque não? Chega de sempre os mesmos. Este país vau mudar quando tirarmos tidos estes políticos de carteirinha. Vai lá Gentilli,

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO