RuyGoiaba

O Brasil é o português da casca de banana

29.01.21

Prever o futuro — com a triste exceção dos números da Mega-Sena — não é difícil. O problema é que as pessoas olham para os lugares errados: “sensitivos”, jogadores de búzios, astrólogos e picaretas variados que, para citar o exemplo mais fácil, nem se deram conta da pandemia de Covid-19 chegando. (São todos como aquele esquete dos Trapalhões em que Renato Aragão bate a uma porta com a placa “vidente”. Lá de dentro, uma voz feminina pergunta “quem é?”. Ele joga a plaquinha longe, dá de ombros para a câmera e sai.)

H.L. Mencken (1880-1956), por exemplo, previu o futuro. Em 1920, o grande jornalista americano, uma espécie de Paulo Francis on steroids da sua época, escreveu isto: “À medida que a democracia é aperfeiçoada, [a Presidência] representa cada vez mais a alma das pessoas. Caminhamos em direção a um ideal elevado. Em algum dia grande e glorioso, o povo simples desta terra finalmente alcançará o que seu coração deseja, e a Casa Branca será adornada por um completo idiota”. Avançamos um século, ou pouco menos, e voilà: Donald Trump. Mencken não precisou ler folhas de chá para chegar a essa conclusão: era só ter um sentido aguçado para o “vai dar merda” — que aliás deveria ser um ministério com o mesmo status de Saúde e Educação em qualquer governo.

No Brasil, Dias Gomes (1922-1999) também previu o futuro. Circulou recentemente pelas redes sociais um trecho de “O Bem-Amado”, novela escrita pelo dramaturgo para a Globo em 1973, no qual Odorico Paraguaçu (Paulo Gracindo), o prefeito de Sucupira, discute com seu assessor Dirceu Borboleta (Emiliano Queiroz). Odorico quer impedir que uma vacina chegue às mãos do doutor Leão, único médico da cidade e líder da oposição. Dirceu diz que o prefeito é “desumano” e o médico não terá como impedir a epidemia. Chega até a falar — é sério, podem conferir o vídeo no YouTube — em “genocídio”.

“E daí, seu Dirceu?”, responde Odorico, acrescentando que o auxiliar “não entende de política”. “O que eu não admito, de jeito nenhum, é que o doutor Leão se transforme num herói. Eu não vou dar essa vitória de mão beijada pro inimigo. Se há vaga de herói nesta terra, essa vaga é minha!”. O prefeito prossegue dizendo que vai interceptar as vacinas, “mas a população não vai ficar sem ser vacinada”: Sucupira vai ter “vacina de sobra” em um posto de saúde que ainda não existe, mas ele vai abrir. “Odorico Paraguaçu vai salvar esta cidade!”

Igualzinho à briga política pela vacina contra a Covid-19 quase 50 anos depois, não é? Até nos trechos do “e daí?” e do “genocídio”. Só que o Brasil — que sempre foi, debaixo de uma casquinha de civilização e no fundo da sua alma, a Sucupira de Dias Gomes — hoje é ainda pior: Odorico, afinal, não era um negacionista de epidemias como Jair Bolsonaro. E Dirceu Borboleta, embora fiel ao prefeito, de vez em quando conseguia dizer a ele verdades desagradáveis. Isso jamais acontecerá com o entorno do presidente, composto exclusivamente de pessoas escolhidas pela capacidade de dobrar a espinha e puxar abjetamente o seu saco: o “capitão”, esse homúnculo, não suporta nada que não seja claque.

Eu poderia citar ainda os tuítes antigos de Eduardo Cunha, o maior oráculo da rede social, como provas de que não é difícil prever o futuro. Já o passado é imprevisível, como diz aquela frase atribuída a Pedro Malan. O problema, meus caros amigos, é que o futuro ser previsível aqui não adianta nada: vejam as enchentes, aquele fenômeno para o qual as cidades nunca estão preparadas apesar de ele acontecer TODO ANO na mesma época. Somos como o português da piada, que está andando pela calçada, vê uma casca de banana lá na frente e diz “ai, Jesus, lá vou eu escorregar de novo”. Olha lá, vamos votar num idiota populista de novo; ih, votei no idiota; ai, meu Deus, me estabaquei mais uma vez.

Quanto a mim, prevejo que a frase clássica de Paulo Mendes Campos — “antigamente as coisas eram piores; depois foram piorando” — jamais perderá a validade. Não é a Mega-Sena, mas é a previsão que temos para hoje. Paciência.

***

A GOIABICE DA SEMANA

Um portal de assuntos médicos, certamente preocupado em evitar o uso do termo transfóbico e excludente “mulheres”, informa que a candidíase “atinge até 75% das pessoas com vagina em alguma fase da vida”. Não apenas dou total apoio como, daqui por diante, só vou me referir a namorada, cunhada e amigas como PCVs. Defendo inclusive que os clássicos do cancioneiro brasileiro sejam reescritos levando em conta essa nova perspectiva: por exemplo, “olha que coisa mais linda, mais cheia de graça/ é ela, pessoa com vagina, que vem e que passa”, ou “mirem-se no exemplo daquelas pessoas com vagina de Atenas”. Nada como desconstruir o preconceito e a métrica com uma bordoada só.

Divulgação/Acervo TV GloboDivulgação/Acervo TV GloboOdorico (Paulo Gracindo) e Dirceu (Emiliano Queiroz) são eternos nesta Sucupira

Já é assinante?
Assine a Crusoé ou nosso combo e ganhe o novo eBook de Mario sabino

Assine a Crusoé

*válido até 30/06/2021

Assine a Crusoé ou nosso combo e ganhe o novo eBook de Mario sabino

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Vi esse vídeo e compartilhei com amigos, alguns inclusive bolsonaristas. Acredite, esses viram Doria ba figura de Odorico! Pior cego... ... Morri de rir com as pessoas com vaginas. Que tempos!

  2. Oh, grande sábio! Oráculo do Matrix, versão tupiniquim. Mais uma excelente final pra me fazer rir em meio a tanta tragédia. 👍🏻👍🏻👏🏻👏🏻👏🏻

  3. Também dou total apoio ao Dr. Dráuzio. Mesmo que ele usasse expressão mais elegante como, por exemplo, "mulheres stricto sensu", o enorme contingente das mulheres lato sensu ficaria justamente indignado com a exclusão.

  4. O velho Stanislaw criou o Febeapa, e nunca mais acabou o festival!!! Essa é apenas uma das novas criações! Adorei o PCV e como uma representante do grupo, vou espalhar a sigla

  5. Os nobres medicos, para se sentirem mais descolados, poderiam ter feito estatisticas separadas: com mulheres e com pessoas com vagina que não são mulheres. Meu Deus...

  6. Sua conclusáo sobre o PCV é ótima. Ultimamente, estou indignada com certa grande empresa de streaming que quer que usemos "ile/dile/iles/diles" para designar a terceira pessoa do verbo. Pode? Uma empresa estrangeira ditar regras de gramática para a Língua Portuguesa? Os termos sao totalmente desconhecidos do espectador, nas dizem que a lingua já evoluiu e os incorpotou. Onde?

  7. No sul do país há um ditado que diz: O PORTUGUÊS INTELIGENTE ENRIQUECE EM PORTUGAL, O BURRO VEM ENRIQUECER NO BRASIL! E nós ainda debochamos deles..

  8. Seu texto sofreu uma apropriação total. Levarei por toda vida essa casca de banana... espero levar na mudança de país tb... 🤷‍♀️

    1. Essa não cola mais por aqui. Inventa outra... ...ou pede pro Carluxo te ajudar a inventar.

    2. Enfim, menos um comentarista chinfrin..i la nave va..apscosta/df

    3. Tchau, querido. Vai continuar a ser claque imbecil, cego, estúpido e burro e adorador de político que se lixa pra vc em outro lugar. Aqui é só para pessoas com senso crítico afiado, sem serem cegas e tacanhas para o que acontece na política nacional. E que a cloroquina esteja com você.

    4. ... Pula fora daqui rápido, rOBeRTo. ... Vá pra outras bandas.

  9. Goiaba, eu amo a Crusoe inteira, mas só você consegue me deixar assim: dando gargalhadas em plena pandemia!

    1. Pois está feita a partida de quem por aqui nunca esteve. Vai tarde

    2. Ministério VDM , o politicamente correto "pessoas com vaginas" , ainda não parei de rir.

  10. Homunculo..genocida..ignorante ..estúpido..gastando bilhões para comprar políticos bandidos ,prostitutos dispostos a dobrar as costas, puxar saco, deste ser abominável .FORA CORJA!

  11. Ruy, certa vez, o saudoso pintor Gustavo Rosa deu um depoimento sobre o Inos dizendo o seguinte: " Inos, desejo que você viva e trabalhe muito. Você é necessário ". O mesmo digo pra você : Ruy. VOCÊ É NECESSÁRIO!!!

  12. Bela citação de Mencken. No Brasil é normal que um gentil homem com ares de fidalguia (ao menos na aparência) coroe um jumento como sucessor, como um gesto de mangnanimidade democrática, como quem diz assim: devolvo o poder ao povo em pessoa... Foi assim a passagem de bastão de FHC para Lula e de Temer para Bolsonaro.

  13. O humor é ainda a melhor vacina contra a prepotência mal caratista e ignorância benéfica aos contestadores da ciência que nos assolam.

  14. Vidente e futurólogo era o pai da minha vizinha que batizou sua filha com os nomes de suas "idolas", Ava (Gardner) e Gina (Lollobrigida) . Não sei onde vamos "todes" parar !

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO