ReproduçãoBiden apresenta escolhidos: seu governo pode ser o com mais mulheres no primeiro escalão

Todos os homens e mulheres do presidente

Quem são os integrantes do primeiro escalão de Joe Biden, cuja composição foi marcada pela previsibilidade
24.12.20

O empresário Donald Trump venceu as eleições de 2016 prometendo “drenar o pântano” de Washington sem contar com o apoio do establishment do Partido Republicano. Depois de vitorioso, ele penou para preencher os principais cargos no governo. Uma das suas escolhas, Reince Priebus, que foi chefe de gabinete, ficou impressionado ao testemunhar como Trump “frequentemente oferecia para pessoas, muitas das quais ele nunca tinha visto antes, posições cuja importância ele não entendia”, narra Michael Wolff no livro Fogo e Fúria, Nomes de possíveis candidatos eram ventilados pela imprensa após visitas à Trump Tower, mas as notícias frequentemente acabavam sendo desmentidas pelos fatos. Centenas de cargos permaneceram vazios por meses e muitos foram preenchidos por empresários sem experiência no mundo da política ou da diplomacia.

O presidente eleito Joe Biden é a antítese de Trump. Suas nomeações são feitas de forma individual ou em grupo. Nos casos mais relevantes, discursos de agradecimento preparados de antemão são divulgados nas redes sociais logo após os anúncios. Dependendo da situação, a equipe de Biden vaza os nomes um dia antes para a imprensa americana, que nunca é pega de surpresa. Até agora, todos os nomeados demonstram ter experiência governamental, às vezes já tendo trabalhando diretamente com Biden, e contam com o consentimento do Partido Democrata. A previsibilidade é total.

O contraste entre os dois presidentes pode ser medido pela escolha do secretário de estado, o posto mais alto da diplomacia. Em 2016, Trump indicou o diretor-executivo da petroleira Exxon Mobil, Rex Tillerson. Conhecido por suas boas relações com a Rússia, ele durou apenas um ano no cargo. Biden nomeou Antony Blinken, que foi o número dois do Departamento de Estado durante o governo de Barack Obama, quando Biden era vice-presidente. Blinken iniciou sua carreira diplomática no governo de Bill Clinton, e nunca se afastou do partido. Em 2017, ao deixar o poder, ele fundou uma empresa de consultoria, a WestExec, com outros ex-membros da gestão Obama. A empresa, cujo nome remete à rua West Executive Avenue, que passa pela Ala Oeste da Casa Branca, atuou fazendo lobby em Washington e funcionando como um governo em espera. A eleição de Biden agora permitirá que eles retornem para a Casa Branca. Outros de seus funcionários e colaboradores também já foram selecionados por Biden ou aguardam indicação. Entre eles, está Avril Haines, que será diretora nacional de inteligência.

Departamento de Estado dos Estados UnidosDepartamento de Estado dos Estados UnidosBiden nomeou Antony Blinken, que montou consultoria com outros democratas
Rival de Biden durante as primárias do Partido Democrata, Pete Buttigieg comandará a Secretaria de Transportes. Buttigieg, que é gay e serviu na Marinha, foi prefeito da pequena cidade de South Bend, em Indiana. Aos 38 anos, ele tentou se tornar o candidato do Partido Democrata e passou a ser visto como um nome promissor dentro do partido. Mas sua candidatura patinou por falta de recursos e porque seu nome não era conhecido nacionalmente. Com a nomeação para a secretaria, ele poderá tentar alçar voos mais altos no futuro.

Entre todos os indicados até agora para o primeiro escalão do governo, que contém 25 cargos, dez são do sexo feminino. Se todas forem confirmadas, será a maior quantidade de mulheres a servir no gabinete presidencial na história americana. Linda Thomas-Greenfield foi chamada para ser embaixadora dos Estados Unidos na ONU. Janet Yellen, que foi diretora do Banco Central, deve comandar o Departamento do Tesouro. Os principais cargos no setor de comunicações também devem ficar com elas. A depender dos próximos nomes, Biden poderá ser o primeiro presidente a chamar mais mulheres que homens para a Casa Branca.

O governo de Biden também pode ser o primeiro a incluir uma mulher indígena no primeiro escalão. Para o Ministério do Interior, que cuida dos parques naturais e dos povos nativos, ele nomeou a indígena Deb Haaland, deputada pelo Nova México e membro da tribo Laguna Pueblo. Seu nome tinha sido sugerido por mais de 50 deputados democratas na Câmara dos Representantes. Embora o cargo seja totalmente voltado a assuntos domésticos, Haaland já criticou o presidente Jair Bolsonaro duas vezes. Em 2019, ela publicou um artigo no Washington Post condenando o descaso do governo brasileiro com a questão climática. Ela também assinou uma carta para o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, pedindo a rejeição do projeto de lei 2633/2020 sobre regularização fundiária, conhecido como “PL da Grilagem”. Ou seja, nessa área a relação com o Brasil não deve ser nada amistosa.

ReproduçãoReproduçãoA indígena Deb Haaland foi indicada para o Ministério do Interior
O general aposentado Lloyd J. Austin III foi escolhido para ser o Secretário de Defesa, primeiro negro a ocupara o cargo. Ele já trabalhou com Joe Biden quando esteve à frente do Comando Central dos Estados Unidos, entre 2013 e 2016. Para secretário de Educação, Biden escolheu o professor Miguel Cardona, filho de porto-riquenhos. Ele ocupava o cargo de secretário estadual de educação em Connecticut e substituirá a bilionária Betsy DeVos, que foi nomeada por Trump e cuja principal plataforma era criar alternativas à escola pública. Cardona foi o terceiro latino escolhido por Biden, depois de Alejandro Mayorkas, para o Departamento de Segurança Interna, e Xavier Becerra, para o Departamento de Saúde e Serviços Humanos.

Dos 1.250 cargos que exigem confirmação do Senado, Biden já nomeou pessoas para 21. Alguns comitês da Casa já começaram a enviar questionários para os pretendentes. A próxima legislatura, que ficará a cargo da seleção, assumirá no dia 3 de janeiro. As sabatinas devem ficar para depois do dia 5, quando ocorrerá o segundo turno de duas disputas para vagas do Senado na Geórgia. Só então se saberá qual partido terá o controle da Casa. Dos 100 senadores, os republicanos já garantiram 50. Para manter a maioria, eles precisam de pelo menos mais um. Se os democratas virarem o jogo e conquistarem as duas cadeiras a que a Geórgia tem direito, eles também somarão 50. A decisão final nas votações, então, ficaria com a vice-presidente Kamala Harris, que teria o voto de minerva. As votações derradeiras no Senado para aprovar os nomes indicados acontecerão após a posse de Joe Biden, no dia 20 de janeiro.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

Edição nova toda Sexta-Feira. Leia com Exclusividade!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

Deixar para mais tarde

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Vamos melhorar essa “censura” prévia aos comentários! Toda hora temos q repostar comentários (ou colocar outro para o anterior aparecer).

    1. O grande problema da Cruzoe é manter idiotas do tipo de “LSB” esmerdearem os comentários . #vaisefuderLSB

  2. Matéria tão chapa branca que deve ter sido lavada com Omo!!! No mais, o viés político é indisfarçável: o tom depreciativo no trecho que diz q a antiga secretária de educação tinha o objetivo de criar alternativas à escola pública é extremamente revelador do vezo estatista/socialista/coletivista.

    1. Isso. Tão santo q já substituí poster de Jesus Cristo pelo do Biden. Uma vida inteira na política e ainda é limpo!! Pena que alguns são cegos!!

  3. A questão está em saber se está previsibilidade do Biden é boa ou nafa mais é do que preencher cargos para os amigos do rei. Além disto vazar a informação para a imprensa é mostrar que o novo fraco presidente já é pau mandado dos novos ricos americanos que especulam com a China. Dificil saber quem é pior, mas é notório como a democracia americana vem elegendo sujeitos ruins. Imagino como líderes fortes como Putin devem saborear estes jantares

    1. A conspiração agora é aquela q diz q há tantos idiotas no mundo q mentir descaradamente é a forma mais fácil de conseguir credibilidade!

    2. Líder pé na cova. Pelo menos é o que dizem os jornais europeus. Parkinson e câncer. Se for verdade, do meu lado, não haverá nem choro nem vela, que o diabo o carregue pros quintos dos infernos e leve os 230 bilhões de dólares que ele ganhou "honestamente" com seu trabalho. Dizem que já está preparando a filha, dançarina e blogueira, para assumir seu lugar. Pobre Rússia!

    3. Quanta asneira, cara! Qual a conspiração do momento?

  4. O diabo veio pra matar, roubar e destruir. Não pensemos que ele vai começar o reinado dele com a verdade. Por isso todas as fraudes eleitorais que são fabricadas nessas máquinas no mundo inteiro estão mudando o rumo do mundo para um tempo de perdição, distanciamento dos princípios bíblicos, e independência do homem do seu criador, levando-o ao abismo eterno, o lago de fogo, que já está preparado para o diabo e seus seguidores. Cuidemos do nosso espírito, pois ele é eterno.

  5. Impressionante, como existem adeptos de Trump, influenciados por JB. A reportagem de Duda Teixeira é excelente! Falta desejar muita sorte ao novo Presidente, Joe Biden que, obviamente, terá que enfrentar a vingança de um ignorante, narcisista e egocêntrico, cujo nome é Donald Trump.

    1. Hans, adeptos de Trump influenciados por JB? Santo Deus! Só mesmo sendo uma cavalgadura para afirmar isso. Essa mesma ótica caolha serviria para explicar sobre os milhares de idiotas seguidores de um velho caquético e pedófilo, exclusivamente pela influência da extrema imprensa brasileira, que há anos vem acobertando o que a esquerdalha maldita faz no Brasil. O Duda só escreve merda, como essa de que é a Khamala que vai decidir se houver empate na eleição da Georgia para o Senado. É o Pence!

    2. Só sorte não será o suficiente, e cada dia à frente será cada vez vez mais insolúvel, humanamente falando. Espero que ele confie em Deus como está escrito nas notas de dólar americano.

    1. Muita calma nessa hora porque ninguém vence na véspera

  6. Para provar a bestialidade do Duda Teixeira, basta se informar e pesquisar um pouco. Se houver empate na nova eleição para o Senado na Georgia, quem decide mesmo? Ao que consta o atual governo termina no dia 20/01. O resultado da eleição , dia 05/01, sai no máximo até o dia 7. Se houver empate (50 a 50), quem decide é o atual vice-presidente, Mike Pence, e não a vice do Biden ( se ele assumir). E essa decisão não pode ser revertida. Duda Teixeira, isso é burrice ou má fé?????

  7. Eu acredito que a maioria das pessoas que votaram no presidente Bolsonaro são aquelas que repudiavam a corrupção vigente durante os governos petistas. Se, no futuro surgir alguém mais preparado intelectualmente e conservador do que o atual presidente, poderá ter êxito.

    1. tambem acho. tem muita água para passar por baixo da ponte

  8. É em matérias como essa que a Crusoé mostra a sua verdadeira vocação. Criticar governos de direita e elogiar governos de esquerda. Feliz Dória pra vocês!

  9. O "deep state" reconhecido. A imprensa prevenida. Após Trump, nihil novis sub solis. O car que batia de frente capotou...

  10. Só podia ser matéria do Duda Teixeira. PURA MERDA! Ele escreve o que quer e bem entende, mas não apresenta uma única prova disso. Esse sim é um blogueiro travestido de jornalista da #CrusoLIXO. Jornalista de verdade (e por direito, já que é formado), é o que está ilegalmente detido por um imbecil sem moral. Seu nome? Oswaldo Eustáquio. O imbecil sem moral? Alexandre de Moraes.

    1. Ronaldo li três vezes sua resposta e não entendi patavina.Coisas desconexas você escreveu, use vírgulas ,meu caro, porque assim tá difícil

    2. Oswaldo Eustáquio? (a grama ingerida estava contaminada?) desde quando jornalistas, de verdade mesmo, vivem de criar fake news? aliás até isso feito de maneira imbecil, já que são desmentidas quase instantaneamente. Alberto, o pastador.

    3. leve não uma cadeira de rodas pra Osvaldo Eutaquio.leve camisa de força .Alexandre de morais ,está enjaulado o grupelho caladinho ,igual o Bozo tá ficando .ele só livra os filhotes bomba.

  11. A Georgia, como os demais estados, envia ao Senado Federal dois representantes. No Brasil, país rico, são três os senadores por estado da federação. Cabe tb notar que a câmara baixa do Congresso Americano totaliza apenas 435 membros, enqto a do BR pródigo soma 513; vale frisar que os EUA têm população e renda per capita MUITO maiores que as do BR. A Suprema Corte, que atua como COLEGIADO, tem só 9 Juízes e menos de 600 servidores. O STF exibe 11 ministros e uns 2.800 empregados. Eta BR obeso!

    1. É desesperadora a nossa situação. E a deputada criminosa que promovia bacanal entre os adolescentes que ela dizia cuidar? E que mandou matar o marido? Só nesse país jogado às traças!

    2. Sempre que ouço alguém comentar sobre “entulhos da ditadura”, me pergunto por que a constituinte que nos presenteou com a constituição “cidadã” não removeu o entulho do terceiro senador. Outro exemplo americano que seria bem interessante por estas plagas é o de “mid term elections”. Nos anos em que há eleições apenas municipais, deveríamos inserir metade do congresso e do senado, assim, de dois em dois anos, faríamos uma faxina no Congresso.

    3. O número reduzido de deputados nos EUA têm razões históricas. Depois de um longo período de aumento, proporcional ao da população, colocaram um breque, pois o prédio não comporta mais. Isto é alvo de severas críticas.

    4. Eventualmente o BR elegerá um governo que valorize a modernização política e o desenvolvimento econômico-social. A modernização passa pela drenagem da pocilga partidária e por um esforço muito sério para desaparelhar o Estado obeso e disfuncional, que aleita a corrupção política de cunho sistêmico, prelúdio da cleptocracia. A ladroagem institucionalizada tem na geleia real da impunidade, típica de repúblicas bananeiras, incentivo crucial para assaltar o contribuinte inerme, que a todos remunera.

Mais notícias
Assine
TOPO