Além-mar

25.09.20

Logo após o surgimento dos primeiros sinais de que a Lava Jato poderia estar no seu encalço, o advogado Eduardo Martins, filho do presidente do STJ, ministro Humberto Martins, foi passar uma temporada em Portugal. A ideia era sair do foco por um período. Havia em Brasília a certeza de que a investigação dificilmente prosperaria por envolver bancas poderosas, ligadas a políticos conhecidos e a juízes de cortes superiores. Não era uma expectativa desarrazoada. Mas, justamente por isso, os procuradores que atuam no caso agiram com estratégia. Temendo que a qualquer momento chegasse uma liminar interrompendo o trabalho, eles redobraram os cuidados para que os investigados não tivessem ideia de onde a apuração já tinha conseguido chegar. Funcionou.

Reprodução/OABReprodução/OABEduardo Martins, filho do presidente do STJ: temporada fora

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Porque será que a PGR queria todas as informações da PF? Está aí um dos motivos? Se vai dar alguma coisa eu não sei... porque quando cai na mão do STF tudo prescreve, engaveta-se.

    1. Sob a ótica portuguesa, origem da expressão, ele está aquém mar, lentamente, ao contrário das terras além mar.

  2. A resposta está no no tópico Alem Mar. Já estão fazendo os arranjos para que o indefectível Beiçola determine a suspensão da investigações. Ele jamais perderia uma oportunidade dessas. O butim é muito tentador.

    1. Mais uma leva de corruptos que será aben çoada com as graças de uma decisão monocrática de um ministro do STF.

  3. Somos 210.000.000 de patetas dominados por meia dúzia de bandidos poderosos. Quem nasce no Brasil não é brasileiro é PATETA.

    1. Esse é o sentimento, infelizmente. Pelas vias democráticas só nos resta fazer barulho, enquanto o judiciário não cassa o nosso direito de liberdade de expressão.

    2. sim, concordo. Vamos enfrentá-los. Eu estou fazendo minha parte, junto à imprensa, nas redes sociais, manifestando toda minha insatisfação nos legislativos e no judiciário, quando aparece uma brecha. Mais do que isso, só pegando em armas.

  4. Somos 210.000.000 de patetas totalmente dominados por uma quadrilha de meia dúzia de bandidos poderosos.Quem nasce no Brasil não é brasileiro é PATETA.

  5. A lava-jato precisa chegar ao judiciário com urgência e diligência, todos somos chamados a defender e apoiar o maior combate à corrupção do mundo

    1. Carlos tu acredita nisso mesmo? com esse Senado? STF,STJ daqui uns 200 anos quem sabe

    1. Eduardo Martins reencontra os amigos do judiciário que vão frequentemente a Portugal.

    1. A corrupção se propaga no judiciário como um vírus

    2. Todos do judiciário que escondem os delitos seus pares tornam-se cúmplices. Daí é possível fazer as contas.

  6. Vamos todos votar em políticos que defendam aberta e apaixonadamente a Lava Jato. Do contrário estaremos 'sodidos'.

  7. Em 2022 SÉRGIO MORO “PRESIDENTE LAVA JATO PURO SANGUE” é nossa resposta ao ACORDÃO de BOLSONARO com o ESTABLISHMENT! Não seremos LUDIBRIADOS com o “velho plano de MELHORAS NA ECONOMIA!” Triunfaremos!

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO