A acusação de Marcelo

03.07.20

Em mais um lance da conhecida contenda familiar na cúpula da Odebrecht, Marcelo Odebrecht voltou à carga contra seu pai, Emílio, e os aliados dele que hoje estão no comando da empreiteira. Em um documento entregue dias atrás à Justiça de São Paulo, Marcelo afirma que o atual presidente da companhia, Ruy Sampaio, teria envolvimento nos repasses de dinheiro que ajudaram a bancar as obras no famoso sítio de Atibaia, pelo qual Lula foi condenado a 17 anos de prisão na Lava Jato. Marcelo sustenta que Sampaio, que nunca figurou entre os investigados no caso, foi protegido por Emílio nas investigações internas, seria um dos principais operadores de caixa dois do pai e teria recebido milhões de reais do departamento de propinas da empresa, aquele mesmo usado para fazer pagamentos a políticos. A acusação é parte de um longo preâmbulo da contestação apresentada por Marcelo em um processo no qual a construtora tenta se livrar da obrigação de pagar a ele, a título de “honorários complementares”, uma bolada de 52 milhões de reais por serviços prestados no período em que já era delator da Lava Jato. A Odebrecht alega que o contrato em que Marcelo garantiu o pagamento foi assinado por meio de “claríssima coação”. A Crusoé, a companhia disse que uma investigação independente já averiguou as denúncias contra Sampaio e que “nada se comprovou como verdadeiro”.

Eduardo Knapp/FolhapressEduardo Knapp/FolhapressMarcelo Odebrecht faz novas acusações ao pai e ao presidente da empreiteira

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Penso que nunca ficou bem explicado como foi que o o pai conseguiu se livrar da cadeia. Por que as investigações não prosperaram, no caso do pai? Quem não se lembra da forma jocosa e nada respeitável do depoimento do pai? Zombou da justiça e do povo brasileiro nessa ocasião. Algo a explicar!

  2. Todos eles deveriam ter sido afastados da Roubebrecht e impedidos de figuar como gestores de qualquer tipo de PJ. O crime compensou para esses escroques.

  3. Sítio de Atibaia, Triplex é uma gota d’água no oceano. Essa turma juntamente com os PETISTAS DESVIARAM BILHÕES E BILHÕES E COM AJUDA DO STF VÃO CONTINUAR SOLTOS E RINDO NA NOSSA CARA.

  4. Que briga de família nada. Estes bandidos vem assaltando nosso país a décadas e no período dos petralhas roubaram a rodo. Cadeia neles, esses porcos imundos.

  5. Alguém já parou p/ pensar: E os pedreiros + prestadores de serviços desse sítio em Atibaia? - receberam $ direitinho, carteira assinada e tal? - os entregadores de materiais presenciaram algo? - quem carregou "n" sacos de cimento na cabeça? - estarão vivos? (vide caso Celso Daniel....) É um mistério a ser desvendado!

    1. Mas como a Crusoé e a Globo gostam de meter o bedelho na família do Bolsonaro!!! Comparam-no com o Lula! Só falta dizer que o Lula está solto por culpa do Presidente!!!

  6. Aposto que a PF encontrará o que a investigação contratada pela empresa não encontrou contra o executivo. Fala mais, Marcelo. Fala tudo. Os brasileiros agradecem.

    1. A famosa briga de quadrilha, o maior antídoto contra a corrupção. Só nos tempos atuais há inúmeros exemplos: a família Collor, o mensalão, o caso Daniel, o petrolão, os petralhas, os Bolsonaros. Que venham outros.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO