Carlos Fernandodos santos lima

Um impeachment necessário

29.05.20

Na última semana, quando o Plano Collor completou trinta anos de triste memória, o ex-presidente “impichado”, Fernando Collor, pediu desculpas pelo congelamento de todos os fundos bancários da população brasileira, medida que à época levou ao desespero e à ruína financeira muitos cidadãos. É claro que Collor, como todo político brasileiro, não admite seus erros, mas o tempo, senhor da razão, demonstrou que sua decisão se motivou apenas em voluntarismo rasteiro – disfarçando sua ignorância econômica – de que era preciso dar um “ippon” na inflação.

Collor de Mello foi nefasto para o Brasil, com consequências políticas que até hoje são sentidas. O fenômeno de sua eleição, um falso outsider com uma proposta antipolítica e criação artificial de um inimigo, naquele caso os “marajás”, tem paralelo com a eleição de Jair Bolsonaro. O atual presidente também se apresentou, da mesma forma desonesta, como uma pessoa fora da política tradicional, contra o ‘status quo’, escolhendo um inimigo fácil naquele momento como adversário: a corrupção dos governos de Lula e de Dilma.

Em ambos os casos, esse eleitor, que possui características semelhantes, conservador, preponderantemente masculino e mais idoso, optou por uma mensagem populista contra todos os erros da presidência anterior. Assim, o sentimento contra o governo de José Sarney e toda a hiperinflação do período elegeu Collor, bem como o sentimento contra os governos de Lula e de Dilma e toda corrupção descoberta pela Lava Jato elegeu Bolsonaro. Infelizmente para o Brasil, em ambos os casos, são dois políticos completamente desqualificados para o cargo.

Em comum, também tinham o mesmo adversário: Lula. Há trinta anos, Lula se apresentava como o novo, como aquele que finalmente traria ética para uma Nova República que já nascia velha. Lula era então um cabotino, papagaio do jargão da esquerda e completamente despreparado para ser presidente, mas a derrota impediu essa revelação. Contra Bolsonaro, usando de um boneco de ventríloquo (Fernando Haddad), Lula representava o velho, a corrupção da Nova República, aperfeiçoada e sistematizada por uma organização criminosa interna ao Partido dos Trabalhadores que desejava tomar o poder por 30 anos pela força do dinheiro ilícito.

O governo de Bolsonaro agora segue um script semelhante ao do (des)governo Collor. Assim como Collor, Jair Bolsonaro é apenas um balão, grande por fora, mas somente com ar dentro. Dessa maneira, destituído de conteúdo, Bolsonaro buscou num primeiro momento ganhar a legitimidade intelectual e ética que lhe faltava com a escolha de alguns pilares de moralidade e eficiência em seu gabinete. Para isso convenceu o juiz federal Sergio Moro, nacionalmente conhecido pela operação Lava Jato, a abandonar uma digna carreira como juiz federal para lhe dar suporte no Ministério da Justiça, bem como um insuspeito liberal, Paulo Guedes, para lhe garantir o apoio do empresariado ao seu governo.

Collor de Mello também se cercou de nomes de reconhecida capacidade, com a única diferença que, enquanto Bolsonaro vai ficando cada vez mais preso a um núcleo tragicômico de ministros, Collor foi trazendo para o ministério pessoas de qualificação técnica à medida que ia se enfraquecendo no governo. Assim, no último ano de governo Collor, tivemos Célio Borja, ministro aposentado do STF, como ministro da Justiça, Celso Lafer no Ministério das Relações Exteriores e Hélio Jaguaribe no Ministério da Ciência e Tecnologia.

Mesmo assim Collor caiu. E foi melhor para o Brasil, pois a ele se seguiu o melhor governo da Nova República, o do sempre esquecido e menosprezado Itamar Franco, político do simples, do queijo com goiabada, mas que não tentou comprar sua reeleição e foi ainda o principal responsável por termos adquirido a estabilidade da moeda ao bancar o Plano Real que lhe foi proposto por Fernando Henrique Cardoso, fazendo deste, inclusive, seu sucessor. Em termos econômicos, podemos dizer que nossa experiência pós-impeachment foi exitosa, não somente pelo exemplo do governo Itamar Franco, mas também pela própria estabilização financeira do governo de Michel Temer após as trapalhadas econômicas do governo Dilma Rousseff.

Bolsonaro caminha para o mesmo destino de Collor e Dilma. Bolsonaro deve ser “impichado”. Motivos abundam. Crimes de responsabilidade são evidentes. O impeachment é também resultado de um processo de degradação moral, econômica e política de um governo, e a presidência de Jair Bolsonaro preenche todas essas condições. As provas já existentes no inquérito do STF são claras na busca insana de Bolsonaro de intervir na Polícia Federal, especialmente na Superintendência do Rio de Janeiro. Mas não é só.

O todo da reunião ministerial do dia 22 de abril é ainda mais preocupante. Vemos um presidente, com suporte de seus ministros militares, apoiar uma retórica contra as instituições; sem qualquer pejo, dizer que estava intervindo na Polícia Federal para evitar f… sua família e amigos; falar em um serviço de inteligência particular e clandestino; e afirmar desejar armar a população para fazer frente àqueles que não pensam como ele — nesse caso, prefeitos e governadores. É preciso que investigações se aprofundem, pois, confirmado que esse é o plano de governo, estamos diante de uma tentativa chavista de aparelhamento do estado.

O que fica claro de tudo isso é que a democracia proposta pela Nova República fracassou em trazer estabilidade ao país. Em 30 anos, aprendemos muito pouco e nossa política se deteriorou. Estamos tornando o impeachment um mecanismo corriqueiro e necessário pela incapacidade do sistema político em buscar soluções que eliminem a verdadeira causa do problema.

Sem uma reforma política que diminua o número de partidos, traga democracia e transparência para essas agremiações, que diminua o custo das campanhas eleitorais, responsabilize efetivamente a violação da lei por candidatos e partidos, e impeça a indústria das fake news, pouco restará a fazer. Iremos cada vez mais ver crises e crises, tornando o impedimento uma espécie de recall sem a participação do povo. Mesmo assim, o impeachment de Bolsonaro é triste, mas necessário. Fora Bolsonaro!

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

Edição nova toda Sexta-Feira. Leia com Exclusividade!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

Deixar para mais tarde

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Excelente!!! Não é à toa que estão desmontando a Lava Jato. O Sr. teve uma participação muito importante no combate à corrupção e por isso mesmo tenho grande admiração pelo seu trabalho e dedicação pessoal. Infelizmente, nem meu neto de 2 anos, nem seus netos, terão a chance de viver em um Brasil governado por políticos que representam os interesses do povo!

  2. Voltei em Bolsonaro! Meu grande objetivo, era por por terra, esse ganância feroz do PT em se perpetuar no poder, acertei no alvo, porém! Perdi nas atitudes do escolhido, infelizmente tem se mostrado em muitos momentos, bem mais nocivo que os governos do próprio PT, resta-nos agora cobrar da Câmara federal no primeiro momento e depois ao Senado junto com ao STF mais um impeachment doloroso, porém extremamente necessário, Parabéns Dr. Fernando Lima

  3. Admiro demais o dr Carlos, como ele também não gosto das trapalhadas do presidente Rabo grosso. Agora, falar em impeachment é não respeitar a vontade popular. Temos que esperar o tempo certo para tirar do poder, o chefe da família bolsonaro.

  4. Carlos Fernando Dos Santos Lima tem razão! O Brasil precisa fazer uma assepsia na política começando pela presidência. Fora Bolsonaro!

    1. O pior presidente que já tivemos no Brasil, em todos os sentidos. Não sabe falar, é cheio de preconceitos , é mentalmente medíocre e só quer ver o circo pegar fogo e defender sua família . Um inútil, pernicioso a toda a população brasileira.

  5. O que tentam fazer com PR é um desserviço. O Brasil está infestado de gente alinhada com a imoralidade e a desinformação. Inclusive intelectual, que causa dependência econômica perpetuando no poder a mesma elite. O Planalto se vê cercado de gente hipócrita que ñ pensa no bem maior. Talvez pela herança maldita de Portugal do sentimento de esbulha. Se B38, conseguir trabalhar, o país será grande. Precisamos de disciplina, menos direitos e mais deveres.

  6. Otimo artigo!!!! Bolsonaro infelizmente mais um idolo com pes de barro!!!! Fascista de araque mediocre,nem mais fascistas e ditadores inteligentes se tem mais!!!Tristes tempos!!! Chamem DJoao e Carlota Joaquina de volta,fizeram mais por esta colonia que os vieram depois!!!!!

    1. Digo colonia,porque essa republiqueta de bananas,nunca se constituiu em um País Democrático e Decente.Que tivesse continuado colonia seria melhor!!!!

  7. Faltou falar sobre a herança maldita que PT deixou para bolsonaro : Maia , alcolumbre , centrão , economia em frangalhos , etc

    1. Está bem equivocado, deu presidente apoio o Mais e o Alcolumbre, e agora decidiu se apoiar no centrão, ele sempre quis essa herança.

  8. Quando vejo quem são os indivíduos que querem o impedimento do presidente mais eu acredito nele, esquecem o que esses vermes fizeram aí país , agora vem com o mimimi de que o presidente fala palavrões etc ....ora não queremos ladroes , agora o colunista não tem noção das coisas, mais um que quer a mesma política velha e corrupta ...

    1. Sr José, o articulista não falou dos palavrões. A respeito de ladrões: o Sr não acha que rachadinha é roubo de dinheiro público, não?

  9. Este senhor destila raiva e ódio sem apresentar qualquer fato concreto que prove qualquer crime. Espero que a verdadeira democracia vença arrogantes como este, que se julgam absolutos senhores da verdade.

  10. O seu ídolo mostrou ter pés de barro! Ou melhor, a montanha pariu um ratinho! Isso deve te machucar: ver a "tchurma" de procuradores, juízes, promotores e advogados, perderem a credibilidade de arautos de uma sociedade eivada de profissionais corruptos e tendenciosos, a começar pelo exemplo máximo do STF. Sabe o por quê? O cidadão comum está cansado de pagar os salários, benefícios e aposentadorias desses nababos do serviço público. FORA profissionais do Judiciário!

  11. Teu amiguinho é o Moro né? já conseguiu um contratinho aqui e quem sabe na Globo ou Estadão. Meus sentimentos a vocês que morreram para os brasileiros dignos.

  12. Excelente análise Dr. Carlos. Sob o desgoverno bolsonaro, estamos vivendo sobressaltos com crises diárias, desde fevereiro de 2019, provocadas por esse arremedo de presidente. O stablishment não vai promover o impeachment, porque bolsonaro é o títere perfeito para os corruptos. Quanto maior a pressão pela maioria da população convicta do total despreparo dele para o cargo, bolsonaro comete mais desatinos. Com a grave pandemia, crises política e econômica, o país mergulhará em breve no khaos.

    1. Sim, ele e mais de 40 milhões de eleitores do Bozo sentado na presidência. Os lavajistas q correspondem a mais de 70% dos votos no JB no segundo turno pensam igual o SR. Carlos Fernando. O MINTO é um presidente sem eleitorado e vendido ao Centrão. Já passou da hora de apearem ele do cargo. Se tivesse eleitorado não precisaria bancar militância raivosa em frente ao planalto e nem pagar p os robôs incharem apoio a ele na internet, muito menos se aliariam com neonazistas (BlackBlock's da direita).

    1. Dercio, infelizmente o Bolsonaro está fazendo tudo o q o Haddad disse q faria. Esse autogolpe q ele vem tentando fazer é o mesmo q um comunismo de "direita". Por sinal, JB tem seguido a risca todos os passos que o Hugo Chaves deu para implementar a ditadura venezuelana. Antes de vomitar frases prontas procure estudar um pouco de historia.

    2. O bom mesmo seria ter eleito o poste do Haddad e hoje estariamos vivendo num regime comunista com Lula no comando. Agora que o perigo passou, fica facil querer impeachment

  13. Excelente texto. Mostra o verdadeiro engodo que foi, e é, Jair Bolsonaro. A Nova Política que já tinha décadas de baixo clero e colocou três filhos e a primeira esposa pra mamar nas tetas do Estado. Em tempo, corrupçao não se faz somente com dinheiro. Segundo o dicionário: modificação, adulteração das características originais de algo.

  14. Faltou você enumerar os crimes de responsabilidade que foram provados contra ele. Se houvesse uma sabatina entre juristas tenho certeza que não haveria um consenso. Bem, é mais uma opinião que eu até entendo.

  15. Estranho!! O senhor ja impichou o presidente? Ja julgou? Ja tem a sentença final? Que barbaridade é essa que os jornalistas e comentaristas estão fazendo. Condenam sem julgar, falam de provas sem as apresentar. Vcs sao deuses? Estão acima do bem e do mal?

    1. Sou direita liberal na economia e muito me enoja ver retardados lobotomizados como você se colocarem como "direita" quando na verdade não passam de uma cópia porca da extrema esquerda comunista. A família Bozo e o Guru da virgínia idem. Tentativa de golpe usando o exercito foi feita pelo Hugo Chaves (Bozo igual) e ele tmbm quis armar a população para fazer sua defesa (Bozo Igual). Só retardado lobotomizado q não sabe a diferença entre esquerda e direita é q defende o Napoleão de Hospício Bozo.

    2. Fernando, todo brasileiro honesto e de bem já impichou o Bolsonaro. Só gadinho idiotizado e com sérios desvios de caráter ainda defendem o louco presidente.

  16. A última frase revela teor político totalmente incompatível com o mínimo de imparcialidade que se espera de uma publicação jornalística.

    1. Daniel, essa coluna reflete a opinião do autor. São as palavras dele, do q ele pensa. Essa coluna não é de jornalismo investigativo e nem de jornalismo informativo. É uma coluna escrita por um nome respeitável no combate a corrupção e que, mesmo após sua aposentadoria, continua sendo 100% o mesmo de quando combatia a corrupção no MPF. Uma pessoa dessa integridade, desse quilate, do mesmo time do ex juiz Moro, jamais vai se vender para um golpista barato e genocida de brasileiros. Fora Bolsonaro!

  17. Verdade, o impeachment do Bolsonaro é, realmente, a solução para os problemas da confusão político-jurídica do Brasil. Com o impeachment os políticos bandidos irão se acabar e também acabarão as truculências e desmandos de agentes ilegítimos de Poderes da República e a mão pesada ditatorial sobre o Poder Executivo e sobre o Presidente legitimamente eleito. Também estou no aguardo de que se aponte qualquer corrupção no governo Bolsonaro.

    1. Bolsonarismo e Petismo são as duas pontas de uma mesma ferradura. Triste é ver o gado irracional e babando ódio, seguindo o toque do berrante do Lula e do Bolsonaro. Sofreremos sim uma ruptura institucional, mas tenho fé que o resultado será um Lula e Bolsonaro atrás das grades por todo o mal que semearam no solo brasileiro. Essa é a esperança dos justos! Moro 2022!!

    2. Jenisvaldo, ainda verei você defendendo o "Lula Livre" a pedido do Bozo Presidente. Claro que entre uma alfafa e outra...

    3. Não existem "atos moralmente corruptos" (sic). Ou há corrupção ou nã há. Aponte uma.

    4. São atos moralmente corruptos as tentativas de aparelhamento da PF, não levar adiante o combate a corrupção e se aliar com os bandidos contrários ao combate a corrupção, tentar deslegitimar ações do STF só pq elas investigam atos bandidos de aliados do REI e de familiares do REI. Fica difícil encontrar corrupção no governo quando o próprio presidente usa o cargo q ocupa para prejudicar/dificultar quem o investiga e isso tmbm é um ato moralmente corrupto e demonstra q de fato existe corrupção ali

  18. Tudo isto mostra a falencia do presidencialismo. A meu ver a melhor saída seria a diminuição do número de partidos e o parlamentarismo com voto distrital . mas com este congresso não dá. Acho que ninguem quer um Rodrigo Maia como primeiro ministro. O ideal seria eleger um novo Congresso com voto distrital , que então elegeria um primeiro ministro. Precisamos de uma Angela Merkel brasileira.

    1. Tivemos por muitos anos um STF omisso e negligente com essa escumalha corrupta dos poderes executivo e legislativo, sempre foram cobrados para usar o poder moderador de que são responsáveis e sempre manifestaram o desejo da harmonia corrupta entre os poderes. Agora que resolveram se mexer para botar ordem no "puteiro" Brasil, vem gadinho retardado alimentar o pensamento golpista do presidente genocida contra os outros poderes. Vai entender esse gado irracional...

    2. Fabiano, essa seria a lógica correta. O problema é haver uma reforma política feita por esses atuais parlamentares que nunca ocorrerá, pois eles jamais vão fazer algo que vá tirar o poder que os caciques partidários tem. Triste sina a dos brasileiros, de um lado um congresso bandido e de outro um executivo golpista que está dando gargalhadas com o sofrimento e morte dos brasileiros nessa pandemia.

  19. Obrigada pelo texto. Sistema distrital com recall seria uma opção viável para começar uma limpeza moral na política deste país.

  20. Crusoe continua no varejo e atacado com a “pilantrisse” e parcialidade. Vão para o JN, o Bonner vai receber vocês chorando igual ao Ciro Gomes. Palhaços !

    1. Gadinho idiotizado Afranio, se não tem argumentos sólidos para rebater o pensamento do autor do texto, então se recolha em sua insignificancia para seu próprio bem, pois essa lamuria irracional só rebaixa os fanatiquinhos pelo MINTO no nível mortadela petista. Chego a conclusão que Petismo e Bolsonarismo são os dois lados de uma mesma moeda que tem "CARA" em seus dois lados.

  21. Parabéns Dr Carlos, que as forças Democráticas sejam capazes de mais uma vez prevalecer e nos proteger do CAOS e do AUTORITARISMO, se o processo político partidário não consegue ser suficiente para promover políticos a altura do nosso país, o IMPEACHMENT está aí para nos proteger!

  22. Concordo com reformas no país. Não só a Reforma Política. o país é um carro velho, mal - ajambrado. Não adianta trocar peças. Precisamos de um país novo. Além da Reforma Política; a Reforma administrativa, a Reforma do Judiciário, a Reforma Fiscal, etc.O custo dos três poderes é altíssimo e pouco retorno. Não basta só lavar a jato é preciso enxugar bem enxugado o custo do Estado.

  23. Fórum coloca o Procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, da força-tarefa da Operação Lava Jato como participante destes hashtags BOLSONARO ESTÁ DESTRUINDO AS INSTITUIÇÕES!!!! ⬇️#calabocabolsonaro #LulaLivreDomingoSDV #PrayForAmazonia O Senhor concorda em trabalhar para o Foro de SP. ? Veja suas noticias no Forum https://revistaforum.com.br/politica/procurador-confessa-alinhamento-politico-e-diz-que-bolsonaro-era-o-candidato-da-lava-jato/ seu link

    1. Que mistureba você fez. Ele disse o que todo lavajista pensa hoje, que bolsonaro era a única opção no segundo turno para manter viva a operação Lava Jato e que, infelizmente, bolsonaro quando eleito se voltou contra a operação e hoje vemos ele se aliando com os condenados pela operação para enterrar de vez a mesma. Bolsonaro se mostrou um traidor da pior espécie, visto q só chegou a presidência graças a operação Lava jato e ao ex juiz Moro. Presidente mentiroso, golpista e hipócrita!

  24. Excelente análise da história política desde os anos que sucederam o golpe militar. Infelizmente ainda não aprendemos com a história e continuamos a eleger os populares que só sabem tragar a nação aos seus próprios interesses. Triste situação, necessário impeachment!

  25. Itamar foi um nacionalista, péssimo presidente. O senhor não entende nada de economia, aliás somente das suas que estão garantidas pela privilegiada aposentadoria.

  26. corretíssimo esta reportagem. votei nesse senhor e me arrependo muito. Sem qualificação, sem projeto, falso. Ele está desgovernado por medo de a justiça chegar aos filhos.

  27. Análise muito boa . Presidente Itamar precisa ser lembrado FHC só foi viável pela oportunidade que Itamar lhe ofereceu , agora sem reforma política seria .nao sairemos do lugar

  28. Excelente artigo. Claro, objetivo, linear em sua análise! Quase 30 mil mortos pela Covid 19 e autoridades passeando de helicóptero com nosso dinheiro. Vergonha nacional. Lamentável!!

  29. Você queria o quê? Que fosse reeleito o ladrão? (Acho que ninguém ignora que se o Haddad fosse eleito o presidente seria o Lula.)

  30. Carlos Fernado, entre ler essa merda que vc escreveu e ser cego, fico com a primeira opção. Mas dar algum crédito já é bem diferente. Por que é que vc não escreve sobre o novo plano dos JUIZES DE MERDA para impugnar a chapa Bolsonaro/Mourão invocando as Fake News e colocar no seu lugar o monte de estrume vulgo NHONHO/BOTAFOGO?

  31. Simplista e primário Acho que é até pueril e romântica a tese de impeachment, como se fosse um passeio no parque. Subestimam muito seus leitores, e, pior têm total razao nisso. A assinatura está acabando.

  32. Peço licença para anotar: o diagnóstico é preciso e ponderado, as soluções são por demais econômicas, entretanto. Além de reduzir focos de corrupções e distorções, há que se construir soluções menos traumáticas para as crises. Também as disposições que geram distorções na efetividade e legitimidade de inúmeros órgãos e poderes - Legislativo, STF, PGR, PF, RFB, BC e UNIf, entre outros - reclamam revisão. O país precisa de líderes que estimulem o debate, como faz o articulista. Parabéns !

  33. O impeachment de ministros do STF que estabeleceram a ditadura deles vcs não pedem? Ou será que vcs concordam com os desmandos dos semideuses do STF?

  34. Perdi meu tempo lendo essa m.. Se por um acaso não fosse esse que aí está quem seria o PR? Já pensaram nisso? Comparar collor com Bolsonaro é no mínimo covardia. Use as mesmas comparações com qualquer outro ex pr e verá.

    1. O homem que não faria a velha política, rodeado de ex-generais (agora autênticos políticos - mentem descaradamente) se entregou ao Centrão...assim como o caçador de marajás

  35. Concordo com muitos pontos da entrevista, entretanto, esquece de elencar os pontos positivos deste governo, inclusive indicar, caminhos para mudança de rumo. O entrevistado tem experiência no combate a corrupção, de forma que poderia sinalizar direção até o final do mandato, pois entendo que o voto popular deve ser respeitado.

    1. A solução não é votar no Haddad, a solução é o presidente Bolsonaro deixar de ser populista não incitar o povo contra os outros Poderes da República, respeita a constituição federal, se decisão judicial que ele discorda usa recursos judicaias legais e não as bravatas.

  36. Prezado Carlos: gostei muito do seu texto e da clareza das suas exposições. Só não concordo com a sua solução final: assim como os seus antecessores, o presidente atual deve ser expulso pelo voto. Os 57 milhões de brasileiros que votaram nele precisam rever a sua própria decisão e, com base na sua própria avaliação, votar outra vez. "Impeachar" Bolsonaro é transformá-lo num mártir idêntico ao Lula e nos afastar, mais uma vez, da possibilidade de aprender a escolher.

    1. sensata sua opinião.as vós sofrer muito com esse menino birrento. cada domingo ele inventa uma maneira de mostrar sua "masculesa" hoje foi a cavalo. Aposto que em breve irá pilotar um caça e sobrevoar Brasília.

  37. A resistência as reformas( política, tributária, administrativa, previdenciária, marco regulatório do saneamento, código civil e etc...) sempre foram um entrave ao país. Querer resultados diferentes, fazendo sempre do mesmo jeito, vai criar sempre espaço para mais governo e menos estado e salvadores da pátria.

    1. Baixa é a vergonha na cara de quem continua apoiando esse governo corrupto

  38. Que conversa pra Boi dormir. Chega uma cara ao Poder Central, eleito pelo voto democraticamente, eleito sem apoio da mídia tradicional, ficha limpa, após uma série de ex-presidentes corruptos investigados por diversos crimes, suspeitos de compra de parlamentares para reeleição, apoiadores declarados de terroristas e ditadores, estimuladores da destruição da família, estimuladores do aborto, da legalização das drogas, defensores de leis brandas a criminosos etc...espere 2022 meu caro.

  39. Parabéns pela clareza e acerto em mostrar que a nossa reabertura tão desejada fracassou ou que pelo menos patina há 30 anos.... Realmente, é muita incompetência. Mas esse último, em pleno século XXI, talvez tenha sim, se tornado o maior fake, dentre todos.... Capiturou 57 milhões de votos, de pessoas que acreditaram haver minimamente por trás de seu jeito truculento, hombridade... Encontramos despreparado e falta total de caráter... e ainda mais, desumanidade. Mais uma triste derrota...

    1. É verdade, desumanidade, falta de carater e sem senso nenhum do coletivo!!

  40. Aprecio muito seus comentários, mas uma coisa pra mim no seu texto soou muito mal: enaltecer Michel Temer, um corrupto que a anos faz parte dessa podridão no país. Oxalá!!! Vc participou diretamente dessa tentativa de limpeza- Lava Jato-, e não vejo nenhuma menção sua de critica ao congresso e stf. Será que só focar em impinchar presidentes vai ser solução? Observo que pro Itamar governar foi feito um grande acordão dos politicos à época - grande parte de bandidos. Mesmo assim foi difícil!!!

  41. O ponto de vista é recheado de recalque, comparar Collor com Bolsonaro é de uma leviandade doentia. São pessoas assim que fizeram parte do velho estamento burocrático.

  42. Parlamentarismo funciona muito bem em países ricos, cultos e educados. Agora, imaginem nosso "congresso podre" e corrupto tendo o condão de formar o governo e indicar o 1º ministro. Ficarão DONOS do executivo...

  43. É mais um articulista latindo para a Lua. Como a experiência política dos “justicialistas” de plantão é nenhuma, articulam entre si - mas não tem apoio do povo. Sugiro ler um pouco da história do Brasil a respeito de como movimentos de impeachment e outros que tais têm sua origem no povo - e não no judiciário ou legislativo. Se o pretório excelso ex- procurador baseou seus processos nas “evidências” exibidas, mais uma prova do porque o judiciário brasileiro está completamente destruído.

  44. Impeachment seria uma solução muito simplista para resolver a questão. Estamos nos acostumando a isso, o que é um total absurdo! Não presta? Impeachment! Acho que a solução para o nosso país é o Parlamentarismo, um sistema mais apropriado para defenestrarmos incompetentes sem maiores traumas.

  45. Muito bem colocado. Poucos se lembram do Governo Itamar, que plantou as bases de um novo pais. Fui um dos participantes daquele governo e deixei um posto nas nações unidas bem remunerado, para colaborar na área social agrária, minha especialidade. A corrupção que tinha se exarcebado no governo Sarney, foi ampliada no governo Collor com a proprina passando a 20%. O Collor, que tentou e conseguiu extorquir os usineiros e que tentei impedir, quando assumiu colocou todos os técnicos que trabalharam

  46. Parabéns pela matéria! Na última eleição presidencial, ficamos no segundo turno entre a cruz e a espada. Quem sabe na próxima, já estejamos suficientemente calejados e saibamos desconfiar de salvadores da pátria populistas.

    1. Vamos aguardar, desde os tempos do Brizola, estamos entre a cruz e a caldeirinha 😪

    2. Para mim a última eleição foi uma grande lição aprendida. Na ânsia de escurrasar os petralhas do poder, votei em quem tinha mais chance de cumprir essa missão, praticamente ignorando a biografia do sujeito. Mas a bem da verdade, não tinhamos muitas opções naquela ocasião. Espero que em 2022 o Moro seja candidato. Mas não para ser um salvador da pátria, mas apenas moralizar a política com princípios que deveriam ser normais, mas que na política sempre foi excessão.

  47. Sua análise foi perfeita, como sempre. O Brasil precisa de uma reforma política. Só não consigo ver o caminho para que ela ocorra. Ao Congresso não interessa porque desarticula o plano de perpetuação no poder. E há também o problema da prisão em segunda instância, que precisa ser resolvido para que o país retome o senso de Justiça. Quanto a Bolsonaro, a melhor saída seria a renúncia. Mais rápida e indolor.

  48. Não sei se um impeachment resolveria nosso sério problema governamental nesse momento, mas uma reforma política ampla e democrática necessita ser feita para tentar evitar mais esse cenário que está desenhado.

  49. Lúcido, bem narrado, comentário. Concordo em gênero, número e grau. Esta deve ser a sequência, impedimento deste senhor, que se acha "dono do povo" (alguém colocou isso no diminuto cérebro dele). Uma ampla reforma política, não sei como, pois os maiores interessados (nós o povo), estão fora do "tabuleiro do jogo", creio ser muito difícil, mas tem que ser feita, caso contrário vai continuar essa rotatividade de impedimento, e mais corrupção. Grande comentário. Fora Bolsonaro.

    1. Ivaldo creio que deve ser um dos, cada vez menos (alguns acordam em tempo, ainda bem), apoiadores da "seita" do despreparado capitão (como disse Geisel: um mau militar).

  50. Infelizmente, brasileiros de bem precisamos dizer fora pessoas como você.Como disse Ruy Goiaba, vá buscar bola dentro do gol depois do 7x1. Você se vendeu ao achismo jornalístico de Mainardi p/quanto? Vocês não suportam verdades. Os tempos mudaram, o Povo n/precisa mais de vocês do MP Lava Jato p/fazer mudanças necessárias. Já basta de palavrórios forenses. O artigo 142, sabemos como deve ser usado, no ponto específico, anulando atos do imoral inquérito de Alexandre/Toffoli/Celso de Mello.

    1. Ivaldo acorde enquanto é tempo. O capitão, "mau militar" (disse Geisel), vai piorar o que já está ruim. Fora Bolsonaro.

    1. Se após ler um primor de avaliação desses você se dispõe a comentar "ridículo" deveria passar na Renner!

  51. Seria o caminho mais coerente. Infelizmente. Mas o Hamilton Mourao tem muito mais estabilidade emocional que o presidente. Acredito que todos irão ganhar com isso,

  52. Evidências para um impeachment sobram. O problema é que o governo está buscando blindagens das formas mais escusas possíveis para tentar se segurar no poder. E isso pode dar resultado. Esperar até 2022 para a troca do governo será castigar demais os brasileiros. O que sobrará do Brasil até lá? Espero que o Bolsonaro seja impedido o quanto antes, mas estou cético de que isso realmente aconteça em curto espaço de tempo.

  53. Oi Fernando, trabalho impecável durante a Lava-Jato, mas agora o prezado procurador fica pensando se o texto irá atingir o que o povo pensa de JMB? Esqueça ... vai ser outra lavada. O Moro já foi ... o JMB tem um ano-e-meio de governo, tomou uma facada, tá resolvendo tanta coisa, e lá vem esse papo de-impeachment? Será que ele merece isso? Onde tem corrupção nesse governo? Vá pescar em Paranaguá e coloque suas ideias no lugar ... Abs,

    1. Impeachment é papo de quem perdeu as eleições, mimimi !!! Me admira muito de quem lutou contra a corrupção e perdeu o protagonismo!!!

  54. Certíssimo: Fora Bolsonaro!! Como muitos, votei em Bolsonaro no segundo turno para não dar aval à roubalheira do PT. Mas agora chega. Chega de mentiras, chega de acobertar os filhos (em quem não votei), chega de centrão, chega de estelionato eleitoral. Certíssimo: Fora Bolsonaro.

  55. Pobre Brasil,os bons não querem governar,e o maior castigo pela recusa e ser governado por um inferior(Sócrates) em a República de Platão . Quando surgirá um candidato bom para que o nosso Brasil se transforme em uma nação próspera e com justiça social.

  56. Prezado Sr. Carlos Fernando, o seu passado na justiça e os relevantes serviços prestados na lava Jato não se coadunam com o infame bordão: "fora Bolsonaro". Acho que o respeito e a dignidade que sempre lhe acompanharam são importantes para que não se rebaixe aos hábitos verbais daqueles que não conseguem se exprimir que por frases curtas ou então usando onomatopeias de mau gosto. A sua matéria poderia ter sido poupada de um final tão vulgar.

  57. Pelo visto a bandeira do Antagonista é "fora Bolsonaro" Não sou bolsonarista! Mas, vejo nos editoriais do Antagonista, a preocupação com a pregação do "fora Bolsonaro". Assinei porque até aquela ocasião eu aprendia um pouco mais sobre análise política. Algo a análise é somente "fora Bolsonaro". Se vocês não mudarem o foco, serão equiparados a folhetim de politicagem. Não estou gostando do que o Bolsonaro anda falando. Mas, não quero o Lula novamente, nem o Collor. Vou voltar para a Globo.

    1. Valeu, Luiz! Vou verificar! Pensei que o jornalismo originalmente sério e politicamente apartidário tinha sucumbido.

    2. Olá Ismael, voltar para a Globo é combustível para a Crusoé, ela está se alimentando com notícias do G1. Tente a CNN (é nova, apesar de ainda não estar batendo tanto no PR), vais ver as coisas como elas são. Ou tente a Revista Oeste. Séria e informa o que é. É a Crusoé de antigamente.

  58. Prezo mto o Sr. mas ignorar a mega campanha midiática q se faz e o sequestro do poder do Executivo, ora pelo Legislativo ora pelo Judiciário, mostra a reação dessa "nova república" a alguém que, mesmo tosco, se cercou de gente capaz para fazer, pelo menos, um governo de travessia. Depois do q a esquerda fez, e o q de bom foi feito em 2019, acho q ele merece chegar a 2022. Pelas urnas, e não pela mão de políticos corruptos e um STF vergonhoso, definiremos o destino dele. Eu acho.

    1. Concordo com o Sr. Roberto. E digo mais, assinei o Antagonista esperando lisura e posição apartidária. Agora, ignorando até a perseguição da imprensa, o Antagonista forma fileira. O Antagonista está nitidamente apoiando qualquer coisa/manifestação, desde que se contra "Bolsonaro". Não sou bolsonarista. Não apoio nenhum tipo de ditadura, nem do STF, muito menos de qualquer meio de imprensa. Espero que o Antagonista retorne às notícias e PARE de induzir seus leitores com comentários parciais.

  59. Moro foi injustiçado. Nunca me conformei de ele largar a magistratura para entrar em cargo político. Confiou nas palavras de Bolsonaro. Torço muito para ele integrar algum. Eu o admiro demais.

    1. Concordo plenamente.Mas o que será de nós sem ninguém decente para dar um mínimo de esperança?????

    2. Sempre se achando a palmatória do mundo desde que esteve na lava jato! É o dono da verdade e não admite réplicas!,

    3. Nem por isso vamos fazer coro de defesa do Bolsonaro e seus delírios ditatoriais chavistas né?

  60. De fato, as circunstâncias entre Collor e Bolsonaro são distintas; não me recordo à época o STF conspirar contra o chefe do executivo.

    1. Collor não flertou com uma ruptura institucional e nem se colocou em posição de se tornar um ditador chavista. A grande diferença está no equilíbrio democrático que tem de ser as Forças Armadas Brasileira. Qualquer um percebe que houve uma escalada de tensões entre o STF e o Planalto na medida que vimos Bolsonaro aumentar o seu discurso golpista e, paralelamente, vermos militares do governo fazendo coro em defesa do Presidente com sonhos ditatoriais chavistas.

  61. Perfeito dr. Carlos!!!! A saída desta criatura, Bolsonaro, da presidência têm urgência, pois o mesmo representa um perigo pra todos nós cidadãos brasileiros: seja na economia, saúde, educação, democracia 🤔🤔🤔 . Valeu tmb. Sua atenção quando a reforma política, ela deve ser questão de urgência. #FORABOLSONARO #REFORMAPOLITICAURGENTE

  62. Concordo plenamente que o governo Itamar Franco foi o melhor da Nova República, era um homem íntegro, de grande retidão moral. O único pecado de Itamar chama-se FHC, um autêntico membro da velha política, dissimulado, intelectualoide de esquerda que fez o caminho certo para o Brasil chegar ao que ele é hoje, um paraíso de corruptos.

  63. Pois é, Dr. Calos Fernando, é raro, raríssimo, o reconhecimento que você está fazendo (leia-se mídia) a um dos melhores Presidentes deste país (não só da tal "nova república"). Simplório, humilde, Honesto, REFORMISTA e CORAJOSO ( Realmente!). A mídia não o cita. Ele foi exemplar e, em plena crise, e com apenas 2 anos de mandato. Qualquer um que substitua o "mito" é melhor. Até esse vic

  64. O colunista foi muito inspirado ao lembrar a figura do Itamar Franco que, a a despeito dos apenas dois anos de mandato, foi o melhor presidente da Nova República.

  65. A sua conclusão é que o Brasil deve ser governado pela mesma cambada que manda nos seus destinos há décadas, ou seja, viva o establishment! Não é mesmo, caro colunista?

    1. Antônio obtuso, vou escrever em letras garrafais para lhe ajudar no entendimento: BOLSONARO FAZ PARTE DO ESTABLISHMENT ! Ele não é o "novo" e nem o "diferente", é apenas mais um dissimulado, interesseiro e golpista q quer tomar de assalto a nação brasileira. Ocorre que estamos vendo os militares agora fazendo uma defesa do Bolsonaro no momento em que ele mais aumenta o tom de seu desejo ditatorial chavista. Se o congresso se omite, temos de contar com o STF para dar mais uma chance ao país.

    2. Você leu o texto pelo avesso, ou tem pouca intimidade com a língua portuguesa.

    3. Tem algo mais "establishment" que governar com o Centrão, ser amigo do Roberto Jefferson e proteger filhos trambiqueiros das garras da polícia?

  66. Parabéns pela coragem de expressar sem meias palavras o que tem ser dito e compreendido. Continuaremos, tristemente, no círculo vicioso que vivemos, pois o Congresso que aí está é composto por pelo menos 70% de políticos que não valem nada. Ladrões descarados e impunes. O povo tem que ter vergonha na cara e lutar por um país melhor, sem proteger os Bolsonaros, que também é uma família de picaretas populistas.

  67. Perfeito! Mas te pergunto: esse impeachment tem chance de ocorrer? A prepotência do Bolsonaro e a atitude silenciosa das forças armadas têm sinalizado que um golpe é mais provável que a saída dele. Gostaria de ver argumentos que me convençam do contrário.

    1. Mariza, com a dinheirama em forma de cargos que o Bolsonaro está dando ao Centrão, acho difícil.

  68. Enquanto lava-jatista, parabenizo-o. Porém, um processo de impeachment, mesmo sendo de cunho político, se inicia através de crime cometido. É certo que o presidente falando é um incrível poço de bravatas atemporais que causam (muita) comoção aos globalistas mas, por mais que me esforce, não vejo crime cometido. O incômodo não pode ser motivo para impedimento. Como comentarista político, deixa a desejar pois não apresenta posição isenta. Adeus.

    1. Sim, totalmente parcial e militante. Foi um lava jatista de respeito. Entrou pro time dos Antagonistas e vestiu a camisa. Adios Crusoé!

  69. Dr. Fernando, Dr. Sergio Moro, Lavajato e seus Integrantes, são a Reserva Moral do Brasil, Bússola, Parabéns, e Obrigada por tudo o q fez e continua a fazer pelo Brasil.

  70. Belo artigo! Contundente. Muito a acontecer ainda, e não conseguimos antever direito o que virá. No dinamismo atual das notícias, em que muitas delas se tornam velhas em dias ou mesmo horas, é importante a gente se guiar por fatos e análise bem feitas e não por muitos ruídos e visões simplistas de pseudo-analistas. Parabéns pelo texto!

  71. Infelizmente o impeachment virou um mecanismo corriqueiro, mas a compensação é que perdemos o medo, tendo em vista que os melhores momentos da Nova Republica foram os pós-impeachment. A economia não suportará mais dois anos e meio de Bolsonaro.

    1. O caminho para uma estabilidade política maior deve passar pelo parlamentarismo. Troca de primeiro-ministro é bem menos engessada. Mais 2 anos de Bolsonaro é muito ruim, mas impeachment atrás de impeachment também não é a melhor saída. Situação complicada

    2. Botafogo nada fará enquanto as ruas estiverem vazias. Mas a hora do jumento chegará. O centrão trairá o equino como fez com a anta Dilma

  72. Excelente artigo, em especial as proposições contidas no último parágrafo; faltou apenas se referir a uma reforma mais do que nunca necessária no STF, desde o processo de escolha dos seus ministros até uma possibilidade de recall dos mesmos, além de acabar com os absurdos privilégios das castas legislativas e judiciais.

    1. Concordo plenamente. Tem-se que trocar os elementos que compõem o STF. Com seus absurdos privilégios e $$$, com formação intelectual duvidosa e ainda por cima acobertando maracutáias dos respectivos cônjuges e filhos.

  73. Exagerou.. o PR é boquirroto mas daí a impeachment é exagero .. nao gostar de políticos é natural e necessario contudo parar cassar o mandato tem de haver algo mais gravoso ..

    1. O cara está descaradamente flertando com uma ruptura institucional, incentiva ataques aos outros poderes e se lambuza no mesmo mel dos conchavos nefastos para tentar se perpetuar no poder. Por muito menos derrubamos a Dilma, o Napoleão de Hospício só não caiu ainda por causa dos militares, mas tudo tem limites né? Já passou da hora do "Fora Bolsonaro!!".

  74. Será que tem jeito de organizar uma “passeata virtual”? Penso que é urgente nos esforçarmos nesse sentido, o país está “derretendo”...

  75. Muito bem escrito, assertivo. Bolsonaro deve ser afastado o quanto antes, motivos não faltam, o país está cada vez mais refém da delinquência diária desse governo bolsopetista, é bizarro,não dá mais !!!!

  76. Putz...enviei sem querer antes de concluir. E fiquei no ar com a sequência me torturando. Talvez esse sentimento seja a melhor conclusão: eu ia mesmo finalizar com a angústia que sinto por não saber nem adivinhar o que vem pela frente. As rupturas possíveis me assustam. Mas é com isso que eu lido melhor. A angústia que precede as mudanças. Abraço

  77. Barbaridade, Tchê. Essa Crusoé 109 tá contundente e inspirada. E teu artigo não é um rojão - como falam do H1N1 - é uma granada - como falam do Covid -. Eu não tenho a amplitude da percepção social de vocês. Me guio pelo ímpeto pela palavra e pelo gesto que as pessoas expressam diante de mim. Na política, o que tenho diante de mim é a palavra de vocês e por ela

    1. Votei em Bolsonaro. Votei em um trapalhão. Ñ cuidou dos filhos na hora certa. Agora faz toda essa emporcalhaçao. no país Para defender esses filhos com sérios problemas de pisicopatia. Saia do governo vc se tornou impossível de governar até a casa da mãe Joana.

    2. Carlos Fernando Lima esta manchando sua historia com estes argumentos. O clima esta para o dialago e nao para e o desastre no pais. Comparar o governo de hoje com Collor nao agrega nada de bom para o povo brasileiro

    3. Análise maravilhosa. Se tirarmos “ o oquei “do vocabulário do bocal que ajudei eleger , só sai “estrume “da boca dele . Se não fosse o empenho do Dr MORO, juntamente com a equipe da operação lava jato , ele não teria , além do oquei claro o que falar no período eleitoral. O problema é que ele incorporou o país Brasil a sua família.

Mais notícias
Assine
TOPO