Reprodução

Voluntário brasileiro que morreu em ensaio da vacina de Oxford não recebeu imunizante

21.10.20 15:51

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Todo profissional da saúde deveria tomar a vacina e não placebo, pois estão na linha de frente expostos ao vírus diariamente.

  2. Os estudos duplo-cego controlados e randomizados são os mais seguros, conferem boa classificação de risco e bom nível de evidência. Essas pesquisas seguem um rígido padrão de confidencialidade e proteção de dados. Isso cria uma dificuldade enorme para se saber se ele de fato recebeu placebo ou imunizante. Alguém aqui considera impossível a segregação da cauda-mortis desse rapaz para proteção da indústria farmacêutica?

  3. Este rapaz, de 28 anos, médico, morreu para ajudar o mundo! Voluntário, herói! Deveria ser homenageado pelo mundo inteiro! Meus sentimentos a familia!

  4. A verdade é que somente o diagnóstico da MORTIS CAUSAE poderia dizer se isso decorreu do experimento da substância imunizante.

    1. O laboratorio ė quem esta dizendo isso; mas ja houve mais 2 " incidentes" com essa vacina, esse é o terceiro...e a explicação parece ter sido a mesma . Eu recebo com receio... estranheza.

    2. Mesmo que esse voluntário tivesse morrido por efeito colateral provocado pelo imunizante, já morreram mais de 154 mil brasileiros e mais de um milhão no mundo. Por quê parar o teste?

Mais notícias
Assine
TOPO