Reprodução

Venezuela tem nova deserção em massa de oficiais de baixa patente

01.12.20 08:31

A Guarda Nacional Bolivariana, o braço das Forças Armadas da Venezuela encarregado da repressão interna (foto), deu baixa a 1.473 militares no dia 25 de novembro. A maior parte dos dispensados tem cargo de sargento, um dos primeiros na hierarquia militar.

“A caserna está passando fome. Esses sargentos deixaram de comparecer ao quartel principalmente porque não estavam recebendo seus soldos”, diz Alexandre Pires, professor de economia e relações internacionais do Ibmec, em São Paulo. “O problema é que a vida deles vai se transformar em um inferno, pois serão perseguidos na Venezuela e podem ser até torturados.”

Em dezembro do ano passado, a desistência foi ainda maior: quase 6 mil foram banidos da corporação. “Aqueles que têm patentes mais baixas desertam mais facilmente porque penam muito com a escassez. Os generais, contudo, raramente deixam a corporação, porque são bem remunerados”, diz Pires.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

Edição nova toda Sexta-Feira. Leia com Exclusividade!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

Deixar para mais tarde

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Deveriam se ajuntar a CIA e a MOSSAD e extrair cirurgicamente essa praga venezuelana asquerosa e abjeta do poder. Desde as 2 grandes guerras mundiais, desde sobretudo o nazismo, não se concebe mais um dirigente assassino de um país, algoz de uma nação inteira, não dizer respeito às demais nações do planeta. A liberdade de um povo diz respeito à todos nós, na TERRA INTEIRA. Não existem fronteiras quando há um genocídio.

    1. Que sejam removidos esses necrosadores do TECIDO SOCIAL PLANETÁRIO. Já passou da hora de, muito além da CARTA DOS DIREITOS HUMANOS, termos também a CONSTITUIÇÃO DA TERRA em conjunto com um CÓDIGO PENAL DOS NOSSOS 200 ESTADOS NAÇÕES, com predisposições e respectivas sanções. É preciso que, através de estudos de Direito Comparado, ela seja construída e proposta.

    2. Sejamos realistas. O problema da Venezuela, da Síria, do Afeganistão e de tantos outros conflitos genocidas, são problemas da Espécie Humana em seu conjunto.

  2. O mundo assiste atônito a decadência do povo venezuelano, que é quem sofre com a megalomania corrupta de seus líderes. A democracia demora, mas até então é o único remédio contra caudilhos egocêntricos. Só olhar o resultado de nossas eleições municipais, o povo se enojou da cara dos extremos, tanto Lula qto Bolsonaro. Viva a democracia!!!

  3. Tem brasileiros, e muitos deles em Brasília que aspiram ao cargo de " maduro Brasileiro". Aqueles que chamam Venezuela e Cuba de democracia.

    1. Não André. Cuba e Venezuela são regimes militares ditatoriais. Os únicos que querem o retorno da ditadura, possivelmente por causa de sonhos eróticos não realizados, são os Bozistas.

    2. SÃO ALTAS PATENTES QUE FAZEM PARTE DO GOVERNO DO BOZOBOSTA. MAIS MILITAR É UMS GENTE TÃO BURRA QUE ATÉ OS CAPITÃES,SARGENTOS E MAIS PRA BSIXO ACHAM QUE VÃO TER MORDOMIAS SE O BOZOBOSTA DER O GOLPE.

  4. Os generais são os corruptos apoiadores dessa ditadura. Obvio que tem que ser bem remunerados, caso contrário, derrubam a ditadura ou tomem eles mesmos o poder da ditadura. Já os menores são pobres diabos ignorantes e famintos.

  5. Acho que os Generais sem soldados, não são nada. Soldados, mandem os generais e o Maduro para os quintos dos infernos e virem os verdadeiros heróis sem dar um tiro.

  6. De preferência com dois ou três salários (jeton de conselhos de administração) pagos em dia... Mas sem cabos, soldados e sargentos não tem luta e defesa. Ninguém é de ferro, né?

Mais notícias
Assine
TOPO