Reprodução

Talibã troca o Ministério da Mulher

17.09.21 12:30

A placa que ficava em frente ao Ministério da Mulher em Cabul, no Afeganistão, foi trocada nesta sexta, 17, pelo grupo terrorista Talibã, que assumiu o controle do país há um mês. Uma faixa com as cores branca e preta dessa organização agora traz a frase: Ministério da Oração, Orientação, Promoção da Virtude e Prevenção do Vício (foto).

Mulheres que antes trabalhavam no edifício estão sendo impedidas de entrar. A ex-ministra da Mulher, Hasina Safi, que tinha criticado a ausência de mulheres no governo interino do Talibã, comentou a mudança do nome nas redes sociais: “O empoderamento feminino e a igualdade de gênero são uma visão que não apenas vai continuar, como vai se fortalecer com a solidariedade e o monitoramento“. Hasina deixou o país pelo aeroporto de Cabul no final de agosto, com o rosto coberto e ajuda de soldados australianos e americanos.

O Afeganistão já teve um Ministério de Promoção da Virtude e Prevenção do Vício entre 1996 e 2001, quando o Talibã esteve no controle do país. Nesse período, o ministério era o responsável pela polícia religiosa, que obrigava as pessoas a se vestirem conforme a lei islâmica, realizava execuções públicas e açoitamentos.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
    1. Coitado, se enganou, é tão gado que se engana com qualquer coisa

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO