Waldemir Barreto/Agência Senado

Provas contra Serra completam um ano lacradas por decisão do STF

02.08.21 09:15

Dados da quebra dos sigilos bancário, fiscal e telemático obtidos pela Operação Lava Jato durante uma investigação que mirava o senador tucano José Serra (foto) estão há um ano lacrados na Justiça Federal de São Paulo por decisão do Supremo Tribunal Federal.

Foi no dia 29 de julho do ano passado, no fim do plantão judiciário, que o então presidente do STF, Dias Toffoli, concedeu uma liminar suspendendo duas investigações sobre Serra relacionadas a supostos pagamentos de propina da empreiteira Odebrecht e da empresa de saúde Qualicorp.

Como mostrou Crusoé, na véspera da liminar de Toffoli, que mandou lacrar tudo o que a Lava Jato havia obtido na investigação contra Serra, os procuradores da força-tarefa haviam solicitado ao juiz do caso o compartilhamento de e-mails trocados entre o tucano e Gilmar Mendes para que a Procuradoria-Geral da República questionasse a suspeição do ministro do STF para julgar o senador por causa da relação de “intimidade” entre eles.

Por causa da liminar de Toffoli, o pleito da Lava Jato nunca foi adiante. Logo na sequência, em agosto de 2020, Gilmar, que é o relator dos processos de Serra no STF, ampliou o alcance da decisão, determinando que a defesa do tucano tivesse “acesso imediato” a “tudo o que contra ele houver”.

A decisão permitiu que José Serra e sua filha, Verônica Serra, tivessem acesso a seis investigações e suspendeu a ação penal na qual ambos são acusados de lavar dinheiro de propina paga pela Odebrecht por meio de uma conta na Suíça. Segundo o MPF, foram 4,5 milhões de reais, entre 2006 e 2007. Ambos negam as acusações.

Desde então, os casos estão parados na Justiça Federal de São Paulo. Apenas a acusação de recebimento de 5 milhões de reais da Qualicorp nas eleições de 2014 foi remetida por Gilmar à Justiça Eleitoral e resultou em uma denúncia oferecida pelo Ministério Público de São Paulo um dia antes da prescrição.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Que país lixo que vivemos, dá nojo ter que sustentar com dinheiro de nosso suor , está cambada de hienas. Tem que existir o céu e o inferno, seres tão abomináveis não podem ir para o mesmo lugar após a morte, tem q haver algum castigo, pois justiça dos homens para este crápulas, não há

  2. José Serra, ex-subversivo, fã incondicional do comunismo, vulgo "Vizinho" na planilha da Odebrecht deveria estar trancafiado e condenado a devolver tudo o que roubou do erário, mas, ... como a corrupção era moda no governo do nine, o verme continua livre, leve e solto. Bolsonaro 2022, a última TRINCHEIRA contra o comunismo.

    1. Está 'luta para acabar com a lava jato com ctz chegaria no STJ e STF, haja vista a delação arquivada do Governador do RJ, Tofoli é tão culpado que não se declarou suspeito e votou para arquivamento que algo que o incriminava. su real este STF

  3. Nosso custoso Judiciário é isso ai: individuos blindam-se a si e aos amigos e o Senado que deveria agir ignora. Ficamos a mercê da corrupção sem fim.

  4. Nosso MECANISMO, o Cérbero, cujas cabeças são o executivo, o legislativo e o judiciário, está firme na Porta do Inferno. Poderemos cortar às cabeças do executivo e do legislativo através do voto, na próxima eleição. Mas como cortar a cabeça com o poder de regenerar o cão do Inferno, a cabeça do judiciário? O Cérbero está na Porta do Inferno. De que lado da porta, o Brasil está?

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO